Você está na página 1de 35

Ano XXI - nº.

1040 – 08 de dezembro de 2019

Bolsas mundiais e o fluxo dos investidores na BM&FBOVESPA 02 - 07


Índices setoriais/Evolução das tendências 08 - 16
Sugestões operacionais 17 - 19
Análises individuais 20 - 25
Inter-Relações de Mercados com a Bovespa 26 - 27
O índice Bovespa interpretado sob a visão de Ellitt/Simetria 28 - 30
Estudos numéricos das Bolsas NYSE e NASDAQ 31 - 31
Colunistas 32 - 33
Como entender e tirar o melhor proveito da Revista Timing 34 - 35

2
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

AVISOS

3
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

COLECIONÁVEIS

ATIVO ÚLTIMA OBJ LP NOTA ATIVO ÚLTIMA OBJ LP NOTA


APER3 25,00/23,00 462,17/426,17 4/4 LUPA3 2,91/1,31/1,57/1,48 11.591,61/10391,81 4
ATOM3 3,18/2,12/1,79/1,60 206,00/206,0 5/5 MEND6 3,51/3,51/4,22/13,30 $391,89 1/2
AZEV4 2,11 33,50 2
11,41(114,14)
BBKR3 0,36 (3,6)/5,02/4,60 3 MGEL4 4,09/3,20 204,37 2
/114,14/114,14
BOBR3 2,23/1,73 22,72/22,72 5 MMXM3 3,14/2,45/2,48/1,45 3184,24/3184,24 2/2
BTTL3 3,00/3,69/5,15 84,97/84,97 2/3 MNDL3 22,00/20,00/31,80/36,00 958,80/958,80 2/3
BPHA3 2,51/1,52/1,44/0,62 782,66/782,66 2/3/1 MNPR3 2,55/2,36/1,90/6,47 93,27/93,27 2/3
DMMO3 1,07/1,37/1,64/6,99 60,00/600,00 4 MTIG4 23,00/40,00/80,00/70,00 8700,00/8653,46 1/1
CCXC3 0,61/4,61/2,68 93,41/934,09 2 MWET4 2,81/2,40/4,60/4,70 99,92/99,92 2/3/3
ESTR4 11,86/11,70/15,00 $4137,00 4/5 OGXP3 3,26/3,00/1,63/1,63 2339,23/2339,23 2/3
ENEV3 13,95/11,69/19,50/32,83 767,71/767,71 4/5/6 OIBR4 1,65/1,32 81,46/81,46 5/5
FBMC4 3,35/2,65/1,96/1,96 94,71/94,71 4/3/2 OIBR3 1,63/0,96 257,19/257,19 5/5
FHER3 2,51 29,82 5 OSXB3 6,50/6,21/3,99/2,78 3040,00/3040,00 2/3
TASA4* 2,04/2,03/3,28/3,33 52,30/42,65/42,65 4/4 PDGR3 2,18/0,91/6,11/5,34 473,06/4730,54/4730,54 1/2
FRTA3 0,92/5,40 53,61/321,69 3/3 PLAS3 5,76/4,71/4,99/6,56 587,28/587,28 3/4
GFSA3 10,67/6,49/5,41 148,00/133,01 4/5 POSI3 2,26/4,30 40,82/40,02 4/5
GPCP3 12,55 135,87 5 PMAM3 1,56/1,11/1,46/27,50 52,92/899,63 6/6
GOAU4 7,01/7,18 48,75/47,39 7 PRIO3 18,82 222,01 6
313,51/940,52/1881,05/
HBOR3 1,08/1,26/3,44 8,03/8,03 4/8 RCSL4 0,72/1,24/1,44/1,30 2/2
1881,05
HETA4 5,95/5,65 936,92/946,82 1/1 RSID3 6,65/4,48/4,15/3,88 659,00/658,92 4/4
IDNT3 2,94/2,62 90,87/126,16 2/2 SLDE4 1,90/1,53 34,44/34,44 2/2
IDVL4 3,73/3,68 187,14/187,14 3/3 SNSY5 22,99/34,84/29,49/101,0 $1029,36 1/2
IGBR3 2,15 22,50 3 TCNO4 0,93 31,61 2
INEP4 12,93/8,76 7444,31/9454,30 4/4 TEKA4 6,71/6,99/8,87/7,30 20591,77/20591,77 1/2
ITEC3 57,31/40,10 12023,51/12150,56 2/1 TESA3 13,22/15,03 2573,11/2573,11 2/4
JFEN3 3,41/1,51 83,54 3/3 TOYB3 2,34/1,36/2,00/2,29 366,76/366,76/366,76 1/2/2
KEPL3 17,62/9,44/18,59/21,11 516,61/513,87 2/4/5 VIVR3 1,96/0,32/2,40/1,49 19027,02/19027,02 3/3
LIQO3 0,23/10,14 309,56/16936 1/2

COLECIONÁVEIS – ATUALIZAÇÃO 21/01/18 - 08/07/18 - 21/04/19 - 01/11/19

As ações que considero colecionáveis obedecem a um critério de seleção baseado na simetria. Assume que se
no passado uma ação atingiu certo valor, num futuro indeterminado voltará a atingi-lo. Todavia, não é uma cer-
teza! Já vi vários exemplos para saber que não é um delírio, mas também pode ser apenas um sonho. Em termos
de probabilidade, acho que é uma aposta com uma chance maior do que acertar na Sena, mas que não justifica
grandes investimentos. Acho que pode aplicar de 5 a 10% do seu capital na coleção inteira, ou seja, de 0,1 a 0,5%
por ativo. Estas operações não possuem estope; é comprar e esquecer! Estou incluindo na tabela um campo
com a minha avaliação pessoal de probabilidade (chute) de ocorrência representado por notas variando de 1 a
10. Quanto maior a nota, menor o tempo de espera projetado e maior a probabilidade de acontecer.

*O CÓDICO DE FJTA4 MUDOU PARA TASA4, MAS OS PREÇOS CONTINUAM OS MESMOS.

4
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

VISÃO GERAL DAS PRINCIPAIS BOLSAS MUNDIAIS

Índice Primária Secundária Terciária País As bolsas americanas retomam a tendência de alta rumo ao es-
paço vazio levando as principais bolsas europeias e emergen-
Dow Jones Alta Alta Alta tes a se recuperarem e acompanhá-las nessa consolidação da
NASDAQ Alta Alta Alta tendência de alta da Bovespa.
SP500 Alta Alta Alta
SENSEX Alta Alta Indefinida
BOVESPA Alta Alta Alta
SHANGAI Alta Indefinida Alta
FTSE Alta Indefinida Alta Está seção é utilizada para fazer uma comparação do desdobramento das prin-
cipais bolsas mundiais como uma referência para o desenvolvimento mais pro-
CAC-40 Alta Indefinida Alta vável do índice Bovespa, partindo da hipótese que nos últimos anos as princi-
pais bolsas mundiais têm evoluído em sintonia.
DAX-30 Alta Alta Alta

O ÚLTIMO CICLO COMPLETO DAS PRINCIPAIS BOLSAS MUNDIAIS

CICLOS DE BAIXA CICLOS DE ALTA


BOLSAS DURAÇÃO TOPO FUNDO % OSC DURAÇÃO FUNDO TOPO % OSC
DOW JONES 11/10/07 a 06/03/09 14198,10 6469,95 (54,43%) 06/03/09 a ? 6469,95 ? ?
S&P500 11/10/7 a 06/03/09 1576,09 666,79 (57,69%) 06/03/09 a ? 666,79 ? ?
NASDAQ 31/10/07 a 09/03/09 2861,51 1265,62 (55,77%) 09/03/09 a ? 1265,62 ? ?
SENSEX 10/01/08 a 27/10/08 21206,77 7697,39 (63,70%) 27/10/08 a ? 7697,39 ? ?
BOVESPA 04/11/10 a 20/01/16 73103 37046 (49,32%) 20/01/16 a ? 37046 ? ?
SHANGAI 12/06/15 a 27/01/16 5178,19 2638,30 (49,04%) 27/01/16 a ? 2638,30 ? ?
FTSE 13/07/07 a 09/03/09 6754,10 3460,70 (48,76%) 09/03/09 a ? 3460,70 ? ?
CAC 01/06/07 a 09/03/09 6168,15 2465,46 (60,02%) 09/03/09 a ? 2465,46 ? ?
DAX 13/07/07 a 09/03/09 8151,57 3588,89 (55,97%) 09/03/09 a ? 3588,89 ? ?

5
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

PARTICIPAÇÃO DOS INVESTIDORES NA BOVESPA

DATA - ATUALIZAÇÕES ESTRANGEIROS PESSOAS FÍSICAS INSTITUCIONAIS INSTIT. FINANC.

INÍCIO: 09/06/05 (316.345.000) (141.444.000) (133.192.000) 571.576.00O

ACUMULADO HIST. 10/12/19* 26.725.794.000 (60.139.960.000) (28.207.811.000) 20.764.531.000

ACUMULADO NO ANO (42.217.174.000) 8,802.808.000 41.256.733.000 (1.959.621.000)

ACUMULADO NO MÊS (2.961.439.000) (1.468.789.000) 1.536.560.000 (494.364.000)

VARIAÇÃO 04/12 – 10/12 (2.292.371.000) (913.643.000) 5.115.582.000 (240.097.000)

Nesta seção acompanhará o fluxo dos investimentos à vista dos principais investidores do mercado comparado com a evolução do
índice Bovespa. Poderá ver, por exemplo, que um dos motivos da queda de maio de 2008 foi a saída maciça dos gringos do mercado e
que a alta de 2009 foi alavancada por sua volta ao mercado. Também poderá perceber que o fluxo das pessoas físicas no mesmo
período esteve sempre na contramão do mercado, comprando forte quando o mercado começou a cair e vendendo forte quando come-
çou a subir.

*A Bovespa não publicou até o momento em que encerro a edição da revista o saldo dos investidores estrangeiros no mercado à vista
do dia 11/12/19, o que poderá gerar uma pequena distorção no saldo agregado.

6
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

PARTICIPAÇÃO DOS INVESTIDORES NA BMF

DATAS INST. FINANCEIRAS INSTITUC. NACIONAL INSTITUC. ESTRANGEIRO PESSOAS FÍSICAS

C V S C V S C V S C V S
CONT. ABERTOS
06/12/19
24345 3123 21222 464334 250662 213672 142704 374619 (231915) 8834 10961 (2127)

C V S C V S C V S C V S
CONT. ABERTOS
12/12/19*
26591 3710 22881 502844 292137 209907 164798 392095 (227297) 7307 11656 (4349)

Nesta seção poderá acompanhar o fluxo dos investimentos através do saldo dos contratos em aberto no índice futuro do Bovespa na BM&F. Cada
contrato em aberto corresponde a um financeiro à vista do valor do índice futuro. Assim, se o índice Futuro tiver fechado na véspera a 50.000 pontos,
um contrato em aberto equivale a um financeiro à vista de R$50.000,00. Se considerar, por exemplo, que os investidores estrangeiros estão vendidos
no dia 12/12/19* em (227297) contratos, corresponde a uma venda à vista de (221480) x 112720 (Fechamento do Ind. Fut. em 13/12/19) =
(R$25.620.917.840,00). Considerando que a posição comprada à vista com atraso de três pregões é R$26.725.794.000,00 na verdade estão
liquidamente comprados em R$ R$ R$26.725.794.000,00 - R$25.620.917.840,00 = R$1.104.876.160,00
*A B3 não atualizou os dados dos Contratos em aberto do dia 13/12/19 e infelizmente o estudo ficará incompleto, sujeito a grandes mudanças
caso os dados tivessem sido disponibilizados.

7
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

ÍNDICES SETORIAIS

8
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

ÍNDICES SETORIAIS

9
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

ÍNDICES SETORIAIS

10
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

ÍNDICES SETORIAIS

Os gráficos dos índices setoriais não são os fornecidos pela Bovespa. Todos foram construídos por
mim utilizando a mais poderosa das ferramentas técnicas: a linha de avanços e declínios (quem quiser
aprender a teoria sugiro a leitura do livro “Timing – Uma Nova Estratégia Diária de Maximização dos
Lucros no Mercado de Ações” – que pode ser adquirido no meu site www.timing.com.br). Diferente-
mente dos índices setoriais fornecidos pela Bovespa (calculados com uma fórmula de capitalização
similar à utilizada no cálculo ponderado do índice Bovespa que trabalha com uma amostragem para
representar o todo) os índices utilizados na revista são construídos utilizando a média aritmética e
inclui a totalidade das ações de cada setor. Isto elimina a distorção provocada pela ponderação.

Nas imagens poderá acompanhar o desdobramento, numa base semanal, de cada índice setorial
comparado com a evolução do índice Bovespa. Se comparar o desdobramento dos gráficos dos se-
tores com o do índice Bovespa perceberá aqueles que estão confirmando a evolução do índice e os
que estão divergindo movendo-se na contramão do índice, isto é, os que sobem enquanto o índice
cai ou vice-versa. Trocando em miúdos, poderá identificar que setores estão se movendo na mesma
direção e os que se movem na contramão do índice.

Se quiser diminuir o universo das ações a serem estudadas, a visão do índice setorial poderá levá-lo
a se concentrar nos índices a favor da tendência predominante do mercado diminuindo muitas horas
de pesquisa. Saber que a maioria dos índices caminha numa mesma direção é uma indicação pode-
rosa do futuro desdobramento do mercado.

11
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

EVOLUÇÃO DAS LINHAS DE AVANÇOS E DECLÍNIOS/ÍNDICES

Os gráficos acima mostram as principais linhas de avanços e declínios das 16 ações de mais liquidez,
das ações que compõem o índice Bovespa e todas as ações negociadas diariamente comparadas
com o desdobramento do índice Bovespa. Também é feita a linha de avanços e declínios do IBX
comparadas com o desdobramento do mesmo.

Para avaliar melhor a importância das respectivas evoluções seria importante a leitura do livro “Timing
– A Nova Estratégia...” ou do livro “Análise Técnica: Teorias...” ou do livro “É Só Isso?I.”

Basicamente, a sua função é eliminar as distorções embutidas na composição dos índices oficiais que
podem estar subindo e o mercado caindo ou vice-versa, bem como identificar que segmentos estão
evoluindo de acordo ou na contramão dos índices.

12
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

RAIO X DA EVOLUÇÃO DAS TENDÊNCIAS QUE COMPÕEM O MERCADO

O cálculo é feito sobre as cotações nominais (coluna esquerda) e sobre as cotações dos mesmos gráficos dolarizados (coluna direita). Se a leitura mostrar que a maioria das
ações está em tendência primária e secundária de alta, as probabilidades de que o mercado prossiga subindo são maiores. Enfim, adicionando-se a combinação dessas
contagens a outros indicadores técnicos aumentará muito a probabilidade do que poderá acontecer no futuro próximo.

13
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

PRINCIPAIS TENDÊNCIAS DO MERCADO: ESTATÍSTICAS

BOVESPA

Variações (%R$) (%U$)


Semanal 1,29 3,35
Mensal 4,00 7,28
Anual 28,07 21,19
Suporte e Resistências
Sup 105260 24958
Res 112830 28296

IBX- BRASIL

Variações (%U$)
Semanal 3,40
Mensal 7,33
Anual 22,42
Suportes e Resistências (U$)
Sup 10457
As tendências Primárias, Secundárias e Terciárias , sintonizadas, seguem em alta.
Res 11824

PRINCÍPIO DA CONFIRMAÇÃO
SCAPS

Variações (%U$)
Semanal 6,49
Mensal 10,19
Anual 41,95
Suportes e Resistências (U$)
Sup: 566
Res: 762

MLCAPS

Variações (%U$)
Semanal 3,14
Mensal 7,01
Anual 20,57
Suportes e Resistências (U$)
Sup:
476
As tendências Secundárias dos índices dolarizados seguem em tendência de alta. Res:
542

14
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

ÍNDICE DA FORÇA DO MERCADO (IFM)


As forças descendentes: 00.....01
01- Setor Têxtil e Vestuário sinalizando baixa
Tendência Primária de Baixa – Índices Nominais:
Tendência Secundária de Baixa – Índ. Nominais:
Tendência Terciária de Baixa – Ind. Nominais
Tendência Primária de Baixa – Ind. Index. U$:
Tendência Secundária de Baixa – Ind. Indexados U$:
Tendência Terciária de Baixa – Ind. Index. U$
As forças ascendentes:
BOVESPA
01-Setor de Telecomunicações sinalizando alta
04-Setor de Energia sinalizando alta
05-Setor de Siderurgia sinalizando alta
08-Setor de Bancos sinalizando alta 71.........................................................................................................101
09.Setor de Metalurgia sinalizando alta
10-Setor de Petróleo sinalizando alta
11-Setor Petroquímico sinalizando alta
12-Setor de Alimentos sinalizando alta
13-Setor de Mineração sinalizando alta 36.............................................................................................................70
14-Setor de Autopeças sinalizando alta
15-Setor de Comércio sinalizando alta
18-Setor de Construção sinalizando alta
19-Setor de Fertilizantes sinalizando alta 01.............................................................................................................35
20-Setor de Mat. de Transporte sinalizando alta
21-Setor de Papel e Celulose sinalizando alta
22-Setor Eletroeletrônico sinalizando alta
23-Setor de Transp. Aéreo sinalizando alta
28-Campos de tendência ascendentes
33-MM21 do Clímax sinalizando alta
43-MM 200 da LAM ascendente
53-MM 200 do IBOVESPA ascendente
54-Razão ascendente das tendências terciárias
59-Razão ascendente das tendências secundárias
69-Razão ascendente das tendências primárias
Tendência Primária de Alta – Índices Nominal
79-IBOV /IBX50/IBX/IGC/IVBX/MLCX/ISM
Tendência Secundária de Alta - Índices Nominal
84-IBOV/IBX50/IBX/IGC/IVBX/MLCX/ISM
Tendência Terciária de Alta - Índices Nominais
85-IBOV /IBX50/IBX/IGC/IVBX/MLCX/ISM
Tendência Primária de Alta – Ind. Indexados U$:
95- IBOV/IBX/IBX50/IGC/IVBX/SMLL/MLCX
Tendência Secundária de Alta – Ind. Index. U$:
100- IBOV/IBX/IBX50/IGC/IVBX/SMLL/MLCX
Tendência Terciária de Alta – Ind. Indexados U$:
101-IBOV/IBX/IBX50/IGC/IVBX/SMLL/MLCX
Com o objetivo de melhor expressar o estado geral do mercado, decidi fazer algumas alterações na metodologia de avaliação
das forças que atuam no seu direcionamento. Não faz sentido, por exemplo, que uma tendência primária de baixa tenha o mesmo
peso que uma tendência terciária de baixa. Ou, que os setores de Bancos, Energia e Construções, que são formados por mais de 40
ações cada, tenham o mesmo peso que os setores de Brinquedos, Eletroeletrônico etc., compostos por um reduzido número de ativos.
Sem grandes preocupações matemático-estatísticas, apenas usando um pouco de sensibilidade, passei a atribuir pesos di-
ferenciados para algumas das forças. Assim, se a maioria dos índices se encontra numa primária de alta ou de baixa passam a ter o
valor de 10 unidades; se a maioria dos índices se encontra numa secundária de alta ou de baixa valem 5 unidades; se a maioria dos
índices se encontra numa terciária de alta ou de baixa continuam valendo 1 ponto. Indicadores primários, como a direção das médias
móveis de 200 dias, a razão entre as tendências primárias, etc. passam a ter um valor de 10 unidades. Enfim, tudo que se referir ao
primário, passa a valer 10 pontos, ao secundário 5 pontos e ao terciário 1 ponto.
15
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

CENÁRIO INTERNO: CONCLUSÃO

As forças altistas praticamente aniquilam as forças inimigas e reunidas marcham céleres rumo ao
desconhecido em busca da conquista de mais espaço para ampliar os seus domínios e consoli-
darem um cenário onde o Sol permaneça brilhando por muito tempo!

Se estiver carregando alguma operação não se deixe influenciar por fatores externos (nem
por nada que escrevi aqui) e seja firme no acionamento dos seus estopes sejam eles de
operações de compra ou venda em andamento. Bateu, SAIU!

Marcio Noronha

16
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

SUGESTÕES DE COMPRAS/VENDAS
INÍCIO COMANDO ESTOPE ÚLTIMA ESTADO ALVO/RES
APER3 (Alper) 12/06/19 Comprar a 29,41 F<28,00 29,80 comprada 79,07
BRDT3 (Petrobrás BR) Comprar a 29,15 F<FA 27,52
ENEV3 (Eneva) 18/11/19 Comprar a 36,02 F<39,40 39,89 comprada 50,00/78,90
EZTC3 (Ezetec) 03/12/19 Comprar a 45,06 F<45,15 49,10 comprada
GFSA3 (Gafisa) 13/12/19 Comprar a 7,51 F<6,40 7,81 comprada 15,29
LOGG3 (Log Com) 09/12/19 Comprar a 28,56 F<27,60 30,14 comprada
RLOG3 (Cosan Log) 09/12/19 Comprar a 22,12 F<22,00 22,55 comprada 28,50
SAPR11 (Sanepar) 09/12/19 Comprar a 93,02 F<92,35 94,42 comprada
SBSP3 (Sabesp) 09/12/19 Comprar a 59,46 F<56,60 58,40 comprada
WEGE3 (WEG) 22/10/19 Comprar a 24,83 F<31,60 34,05 comprado

*VALORES REALÇADOS: Mover o estope diariamente para um pouco abaixo da mínima do dia anterior. Se estopado, recomprar acima do TH
com estope inicial um pouco abaixo do fundo anterior.
SÍMBOLOS UTILIZADOS NA TABELA ACIMA: #NOVA SUGESTÃO DE COMPRA# NOVA SUGESTÃO DE VENDA#FA: fundo anterior #TA: topo anterior #SUGESTÃO
DE VENDA #FechN: Comprar fechamento igual ou maior do que N. # Operação encerrada ou cancelada.#EJ: ex-juros #ED: ex-dividendo #EB ex-
bonificação #ALVO/RES: objetivo ou resultado#POUCA LIQUIDEZ/ALTO POTENCIAL DE LUCRO#PG: pós grupamento# F<: estopar num fecha-
mento abaixo de # Comprar no próximo ziguezague ascendente com um estope inicial um pouco abaixo do fundo anterior# : estopar num
fechamento menor do que a mínima da barra que gerou a compra.
DEPOIS DE ACIONADA UMA ESTRATÉGIA DE COMPRA, SE O ATIVO TIVER LIQUIDEZ A COR MUDA DE AZUL PARA PRETO. SE NÃO TIVER MUDA DE AZUL PARA VERDE
Qualquer uma das estratégias de compra com esta barra azulada, caso estopada no decorrer da semana, deverá ser acionada novamente na
ultrapassagem da máxima atingida antes de ter sido estopado colocando um estope inicial um pouco abaixo da mínima atingida após ter sido
estopado na compra em andamento.
Qualquer uma das estratégias de venda com esta barra acinzentada, caso estopada no decorrer da semana, deverá ser acionada novamente
na ultrapassagem da mínima atingida antes de sido estopado colocando um estope inicial um pouco acima da máxima atingida após ter sido
estopado na venda em andamento.
Símbolo utilizado para sugerir uma compra ou venda com grande potencial de lucro e risco elevado.

Vender no primeiro ziguezague abaixo de “ x”

# - ESTRATÉGIA BASEADA NO GRÁFICO PONTO&FIGURA

17
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

REGISTRO DAS OPERAÇÕES ENCERRADAS EM 2019

ATIVO COMPRA VENDA DATA ESTOPE DATA VARIAÇÃO* ORIGEM**


SEMANA ENCERRADA EM 04/01/19
SEMANA ENCERRADA EM 11/01/19
SEMANA ENCERRADA EM 18/01/19
TRIS3 4,53 09/01/19 4,30 22/01/10 -5,07% SC
SEMANA ENCERRADA EM 24/01/19
SEMANA ENCERRADA EM 01/02/19
SBSP3 29,53 12/12/18 42,59 05/02/19 49,77% SC
ITUB4 38,42 29/01/19 36.40 06/02/19 -5,25% AI
UGPA3 56,02 24/01/19 53,93 07/02/19 -3,73% AI
SEMANA ENCERRADA EM 08/02/19
SEMANA ENCERRADA EM 15/02/19
SEMANA ENCERRADA EM 22/02/19
IRBR3 90,76 12/02/19 89,05 01/03/19 -1,88% SC
BBDC4 41,32 07/01/19 42,35 01/03/19 2,49% AI
BBAS3 50,02 30/01/19 51,50 01/03/19 2,95% AI
SEMANA ENCERRADA EM 01/03/19
SEMANA ENCERRADA EM 08/03/19
SEMANA ENCERRADA EM 15/03/19
SAPR11 80,61 43.536,00 75,31 22/03/19 -6,57% SC
SEMANA ENCERRADA EM 22/03/19
SEMANA ENCERRADA EM 29/03/19
SEMANA ENCERRADA EM 05/04/19
SEMANA ENCERRADA EM 12/04/19
SEMANA ENCERRADA EM 18/04/19
SEMANA ENCERRADA EM 26/04/19
SEMANA ENCERRADA EM 03/05/19
PARD3 20,81 05/02/19 19,04 08/05/19 -8,50% SC
SEMANA ENCERRADA EM 10/05/19
SEMANA ENCERRADA EM 17/05/19
SEMANA ENCERRADA EM 24/05/19
BRFS3 28,82 23/04/19 28,73 29/05/19 -0,31% AI
SEMANA ENCERRADA EM 31/05/19
SEMANA ENCERRADA EM 07/06/19
SEMANA ENCERRADA EM 14/06/19
SEMANA ENCERRADA EM 21/06/19
ENGI11 45,42 13/06/19 44,09 25/06/19 -2,92% SC
UGPA3 22,01 21/06/19 20,50 27/08/19 -6,86% AI
SEMANA ENCERRADA EM 28/06/19
LAME4 16,60 24/06/19 15,90 03/07/19 -4,21% SC
SEMANA ENCERRADA EM 05/07/19
SEMANA ENCERRADA EM 12/07/19
SEMANA ENCERRADA EM 19/07/19
CESP6 27,62 02/07/19 28,49 22/07/19 3,14% SC
CPLE6 48,42 21/06/19 48,97 25/07/19 -0,91% SC
ENEV3 24,02 24/06/19 25,08 25/07/19 4,41% SC
MRVE3 20,03 10/07/19 18,47 22/07/19 -7,78% SC
18
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

SEMANA ENCERRADA EM 26/07/19


SEMANA ENCERRADA EM 02/08/19
SEMANA ENCERRADA EM 09/08/19
ANIM3 20,50 10/07/19 20,50 14/08/18 0% SC
EZTC3 30,62 18/07/19 34,89 12/08/19 9,63% SC
LAME4 13,52 08/07/19 17,49 15/08/19 28,36% SC
SEMANA ENCERRADA EM 16/08/19
RLOG3 19,16 08/08/19 18,40 23/08/19 -3,96% SC
BRSF3 34,62 08/08/19 37,19 21/08/19 7,42% AI
SEMANA ENCERRADA EM 23/08/19
EZTC3 35,96 16/98/19 34,94 26/08/19 -2,83% SC
SEMANA ENCERRADA EM 30/08/19
SULA11 48,19 23/08/19 46,15 03/09/19 -4,23% SC
SEMANA ENCERRADA EM 06/09/19
LPSB3 8,11 13/08/19 8,49 09/09/19 4,68% SC
BRFS3 39,62 22/08/19 36,79 09/09/19 -7,14% AI
SEMANA ENCERRADA EM 13/09/19
ELET6 43,72 21/08/19 42,31 20/09/19 -3,22% SC
SEMANA ENCERRADA EM 20/09/19
GNDI3 48,16 19/08/19 52,85 24/09/19 9,83% SC
PDGR3 5,36 12/09/19 5,48 24/0/19 2,23% SC
SEMANA ENCERRADA EM 27/09/19
CNTO3 14,53 08/07/19 22,29 01/10/19 53,40% SC
PARD3 24,33 30/08/19 23,50 01/10/19 -3,20% SC
SEMANA ENCERRADA EM 04/10/19
SEMANA ENCERRADA EM 11/10/19
SEMANA ENCERRADA EM 18/10/19
SEMANA ENCERRADA EM 25/10/19
LOGN3 21,01 22/10/19 21,47 29/10/19 2,18% LOGN3
SEMANA ENCERRADA EM 01/11/19
SEMANA ENCERRADA EM 08/11/19
ALSO3 39,82 21/10/19 40,49 13/11/19 1.68% SC
AMAR3 10,42 17/10/19 9,74 12/11/19 -6,52% SC
GNDI3 63,02 04/11/19 57,54 14/11/19 -8,69% SC
B3SA3 46,49 18/10/19 48,47 11/11/19 4,25% AI
ITUB4 37,61 05/11/19 35,45 13/11/19 5,74% AI
SEMANA ENCERRADA EM 04/11/19
B3AS3 46,52 21/10/19 47,59 19/11/19 2,3% SC
B3AS3 50,12 18/11/19 47,59 19/11/19 -5,04% AI
SEMANA ENCERRADA EM 22/11/19
SEMANA ENCERRADA EM 29/11/19
ECOR3 15,02 25/11/19 14,06 03/12/19 -6,39% SC
OMGE3 37,41 22/11/19 36,00 06/12/19 -3,76% SC
SEMANA ENCERRADA EM 06/12/19
SEMANA ENCERRADA EM 13/21/19

19
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

ANÁLISES INDIVIDUAIS
 Petrobrás em Real (PETR4 – PESO NO BOVESPA: 6,243%)
Tendências
PRIMÁRIA: ALTA
SECUNDÁRIA: BAIXA
TERCIÁRIA: BAIXA
Suportes
MP: 3,92
CP: 28,73/27,94/25,81/24,89/23,55/20,23
Resistências
MP: 39,06
CP: 31,07/31,99/34,08/35,72

Objetivo: alta 39,28; baixa: 3,94

Estratégias

Se seguiu as estratégias da RV1040 segue fora do


mercado.

Continuarei aguardando mais desdobramento para


a montagem de novas estratégias operacionais.

As janelas com os gráficos das Análises individuais possuem esse formato para que você possa ter uma visão
completa de cada um dos ativos analisados. Poderá ver as árvores mais próximas e a floresta. As setas colo-
ridas representam as tendências predominantes numa visão de curto, médio e longo prazo.

Assim, no gráfico da PETR4 acima, na janela inferior direita observa-se o gráfico na periodicidade diária e a
cor da seta indica a tendência terciária (curto prazo). Se for azul é de alta, vermelha de baixa e cinza indefinida.

Já na janela superior direita está vendo o gráfico na periodicidade semanal (médio prazo) que define a ten-
dência secundária repetindo a mesma padronagem das cores utilizadas para definir as terciárias.

Na janela superior esquerda está vendo o gráfico na periodicidade mensal e a tendência primária (longo prazo)
também tem a sua direção definida pela mesma padronagem das cores.

Na janela inferior à esquerda está vendo o gráfico na periodicidade mensal (longo prazo), indexado pelo dólar
(PTAX). Sua presença é para que possa ter uma referência para quando ocorrerem rompimentos de Topos
ou Fundos históricos no gráfico nominal e os preços entrarem no espaço vazio, eventualmente tenha como
projetar a próxima resistência ou suporte.

20
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

ANÁLISES INDIVIDUAIS
 Vale do Rio Doce on em Real (VALE3 – PESO NO BOVESPA: 8,289%)
Tendências
PRIMÁRIA: ALTA
SECUNDÁRIA: ALTA
TERCIÁRIA: ALTA
Suportes
MP: 8,03
CP: 50,9/49,69/46,86/45,32/44,22/42,44

Resistências
MP: 62,42
CP: 54/54,16/54,35/56,2
Objetivo: alta 62,42; baixa 8,03

Estratégias

Se seguiu as estratégias da RV1040 segue fora


do mercado.

Continuarei aguardando mais desdobramento


para a montagem de novas estratégias operaci-
onais.

 Bradesco pn em Real (BBDC4 – PESO NO BOVESPA: 7,768%)


Tendências
PRIMÁRIA: BAIXA
SECUNDÁRIA: ALTA
TERCIÁRIA: ALTA
Suportes
MP: 9,34
CP: 33,97/32,71/31,74/31,3/29,66/28,91
Resistências
MP: 39,84
CP: 35,29/35,68/37

Objetivo: alta 39,84: baixa 19,92

Estratégias

Se seguiu as estratégias da RV1040 segue fora


do mercado.

Continuarei aguardando mais desdobramento


para sugerir novas estratégias operacionais.

21
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

ANÁLISES INDIVIDUAIS
 B3 on em Real (B3SA3 - PESO NO BOVESPA: 5,483%)
Tendências
PRIMÁRIA: ALTA
SECUNDÁRIA: BAIXA
TERCIÁRIA: BAIXA
Suportes
MP: 18,09
CP: 45,82/44,16/42,33/41,56/40
Resistências
MP: 50,40
CP: 47,34/49,49
Objetivos: Alta 50,40 ; Baixa 18,09

Estratégias

Se seguiu as estratégias da RV1040 segue fora


do mercado.

Aguardarei mais desdobramento para a monta-


gem de novas estratégias operacionais.

 Bco. do Brasil on em Real (BBAS3 – PESO NO BOVESPA: 3,670 %)


Tendências
PRIMÁRIA: BAIXA
SECUNDÁRIA: ALTA
TERCIÁRIA: ALTA
Suportes
MP: 22,76
CP: 47,56/45,34/42,81/40,66/37,67
Resistências
MP: 54,66
CP: 49,5/49,98/52,25
Objetivos: 55,03; Baixa 22,76

Estratégias

Se seguiu as estratégias da RV1040 segue fora


do mercado.

Continuarei aguardando mais desdobramento


para a montagem de novas estratégias operaci-
onais.

22
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

ANÁLISES INDIVIDUAIS
 Ambev em Real (abev3) – PESO NO BOVESPA: 4,947%)
Tendências
PRIMÁRIA: ALTA
SECUNDÁRIA: ALTA
TERCIÁRIA: ALTA
Suportes
MP: 11,59
CP: 17,18/16,35/16,3/14,91/14,25
Resistências
MP: 24,35
CP: 19,76/20,77/22,98/23,36

Objetivo: alta 24,35; baixa 13,21

Estratégias

Se seguiu as estratégias da RV1040 segue


fora do mercado.

Continuarei aguardando mais desdobramento


para a montagem de novas estratégias operacio-
nais.

 ITAUUNIBANCO pn em Real (ITUB4 – PESO NO BOVESPA: 9,770%)


Tendências
PRIMÁRIA: ALTA
SECUNDÁRIA: INDEFINIDA
TERCIÁRIA: BAIXA
Suportes
MP: 22,61
CP: 35,32/33,97/32,5/30,29
Resistências
MP: 37,94
CP: 37,04

Objetivo: 37,94; baixa 22,61

Estratégias

Se seguiu as estratégias da RV1040 segue fora


do mercado.

Continuarei aguardando mais desdobramento


para a montagem de novas estratégias operacio-
nais.

23
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

ANÁLISES INDIVIDUAIS
 Cielo on (CIEL3 – PESO NO BOVESPA: 0,494%)
Tendências
PRIMÁRIA: BAIXA
SECUNDÁRIA: ALTA
TERCIÁRIA: ALTA
Suportes
MP: 3,67
CP: 7,41/7,25/7,09/6,51/6,18
Resistências
MP: 25,99
CP: 8,79/8,93/9,57/10,99/11,16/11,63

Objetivo: alta 25,99; baixa 3,67

Estratégias

Se seguiu as estratégias da RV1040 segue fora


do mercado.

Continuarei aguardando mais desdobramento


para a montagem de novas estratégias operaci-
onais.

 BRF SA (BRFS3 – PESO NO BOVESPA: 1,886%)


Tendências
PRIMÁRIA: ALTA
SECUNDÁRIA: INDEFINIDA
TERCIÁRIA: INDEFINIDA
Suportes
MP: 11,37
CP: 33,9232,51/27,78/26,16/21,61/19,33
Resistências
MP: 70,73
CP: 37,22/38,78/41,06/48,8/58,27/58,8
Objetivo: 70,73; baixa 25,67

Estratégias

Se seguiu as estratégias da RV1040 segue fora


do mercado.

Continuarei aguardando mais desdobramento


para a montagem de novas estratégias operaci-
onais.

24
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

ANÁLISES INDIVIDUAIS
 Ultrapar on (UGPA3 – PESO NO BOVESPA: (1,079%)
Tendências
PRIMÁRIA: BAIXA
SECUNDÁRIA: ALTA
TERCIÁRIA: BAIXA
Suportes
MP: 9,75
CP: 20,81/19,55/18,57/18,1/17,45/15
Resistências
MP: 40,60
CP: 22,84/23,57/27,35/27,84

Objetivo: alta 40,60; baixa 9,75

Estratégias

Se seguiu as estratégias da RV1040 segue fora


do mercado.

Continuarei aguardando mais desdobramento


para a montagem de novas estratégias operaci-
onais.

 Índice Futuro Contínuo


Esta imagem proporcionada pelo gráfico do Ín-
dice Futuro do Bovespa numa base mensal con-
tínua serve de referência para se identificar os
possíveis topos e fundos dos principais ciclos de
longo prazo do mercado brasileiro. Vem resis-
tindo ao teste do tempo ao longo dos últimos 29
anos, mas não é garantia de que funcionará eter-
namente.

Comentário
O índice Futuro segue com as três principais ten-
dências em alta.

25
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

INTER-RELAÇÕES DE MERCADOS COM O BOVESPA


 Dow Jones
Tendências
Primária: ALTA
Secundária: ALTA
Terciária: ALTA
Suportes
MP: 6440
CP: 273255/27517/26714/26139/25743
Resistências
MP: 28290,73
CP: 28290,73
Comentário
O DJ retoma a tendência de alta rumo ao desconhe-
cido.

 S&P 500
Tendências
Primária: ALTA
Secundária: ALTA
Terciária: ALTA
Suportes
MP: 666,79
CP: 3065/2855/2822/2728/2722/2681
Resistências
MP: 3182,68
CP: 3182,68
Comentário

O S&P retoma a tendência de alta rumo ao es-


paço vazio de mãos dadas com o Dow Jones.

26
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

INTER-RELAÇÕES DE MERCADOS COM O BOVESPA


 Futuro do Petróleo (crude oil light) e à vista NYMEX E NYSE
Tendências
Primária: COB: A; COL: A; FBMF: A
Secundária: COB: A; COL: A; FBMF: A
Terciária: COB: A COL: A; FBMF: A
Suportes
CRUDE OIL BRENT: 56,24/50,43
CRUDE OIL LIGHT: 51,07/42,68/42,51
FUTURO CME LIGHT: 58,11/54,85/53,82
Resistências
CRUDE OIL BRENT: 74,57/86,28/115,06
CRUDE OIL LIGHT: 62,88/66,32/76,39
 FUTURO CME LIGHT: 60,48/64,06/67,27
Comentário

O futuro do Petróleo na CME continua oscilando


no interior de uma congestão triangular. Se a rup-
tura se der para baixo a congestão derivará para
uma OCO de continuação. Se romper o topo de
67,27 seguirá subindo rumo aos 78,97. Enquanto
nenhuma das duas hipóteses se concretiza o
preço continuará brincado de “ire e bire” no inte-
rior da congestão.

 Futuro do Dólar
Tendências
Primária: ALTA
Secundária: INDEFINIDA
Terciária: BAIXA
Suportes
MP: 3338,00
CP: 4077/3871/3765,5/3729,5
Resistências
MP: 4395,00
CP: 4285/4288/4365
Estratégias

O Dólar evolui numa longa formação que se as-


semelha a uma/cunha de Baixa e vem testar o
suporte formado pela linha de suporte do padrão,
esta semana em torno de 4050.

Observação: normalmente, anda na contra-


mão do Bovespa.

27
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

ANÁLISE DE ATIVOS SOB A VISÃO DAS ONDAS DE ELLIOTT/SIMETRIA


COMENTÁRIOS

Das propostas que vinham sendo apresentadas para uma quinta diagonal nos EUA, restou aquela que sugeria
um topo de onda 3 agora.
A figura acima mostra os detalhes do padrão, incluindo estudos de relações de Fibonacci no tempo e nos
preços, onde poderíamos supor que, na HIPÓTESE de continuidade do padrão, o movimento poderia ser concluído
por volta do final de março de 2020.
E, neste cenário, por agora deveria ocorrer um recuo de onda 4.
O dólar comercial recuou muito além do necessário para um pullback na linha de resistência de um triângulo
que havia sido rompido, mas a melhor imagem pode ser vista no gráfico do DOLFUT contínuo, onde será mostrado
que o movimento atual, inserido no contexto corretivo de uma onda ABC, ainda sugere continuidade da alta do
dólar, com chances de um fundo estar mais próximo.
O IBovespa acabou confirmando a expectativa de uma alta de onda 5 ao atingir os 112 pontos. E, no curtís-
simo prazo, apesar de já termos as condições mínimas para um topo 5, ainda seria possível um teste na faixa de
113.300 pontos.

Outros índices importantes também estão próximos de testar resistências primárias por volta de 30 de março
de 2020.
28
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

O movimento lateral, típico de uma pausa corretiva, vem se ampliando. Diante do saldo positivo
de contratos de dólar futuro por parte dos estrangeiros, o movimento lateral pode ser considerado
como uma acumulação, ou o mais provável continua sendo alvos mais acima.

O US Dollar Index vem perdendo o suporte de um canal e deverá corrigir também até meados de
março/abril de 2020, ou seja, a moeda americana tende a ter um viés lateral/baixista ao redor do
planeta e numa movimentação ABC.
Concluída a correção, acredito que o movimento seguinte será uma alta acentuada e prolongada
do dólar americano e em todo o planeta.

29
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

O IBovespa passa a testar uma reta de retorno de um canal de alta, onde as estruturas internas
ainda permitem interpretar a possibilidade de mais uma alta até a faixa de 113.300 pontos.
Diante da possibilidade de uma correção iminente nos EUA e mais uma alta para completar o
padrão da quinta diagonal proposta, acredito que o IBovespa poderá testar a faixa de 115 mil pontos
até abril/maio de 2020.

Em função das festividades de fim de ano e de uma pausa ao longo do mês de janeiro
de 2020, o próximo artigo ficará para 2 ou 9 de fevereiro de 2020.

Desejo, a todos, boas festas de fim de ano e um feliz 2020, ano em que espero continuar
contribuindo com a revista, ciente do apoio dos leitores e do Márcio Noronha.

Lembrando que, em 2021, serão completados 10 anos de contribuição com a revista - o


tempo voou!! - mas, como não consegui enviar o artigo da edição de número 1.000, publi-
cada em 03 de março de 2019, combinei com o Márcio para que eu não faltasse na edição
de número 2.000. E esta edição de hoje é a de número 1041, ou seja, tem muito trabalho
pela frente ainda, sempre motivado pelo apoio de todos e pela liberdade de expressão a
mim proporcionada neste espaço sob a batuta do Márcio.

Abraços a todos.

Paulo Caldas

30
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

ESTUDOS NUMÉRICOS DAS BOLSAS NYSE (NEW YORK STOCK EXCHANGE) E NASDAQ
A MÉDIA MÓVEL DE 40 SE-
MANAS APLICADA NO
GRÁFICO SEMANAL E A DE
200 DIAS APLICADA NO
GRÁFICO DIÁRIO SEGUEM
EM TENDÊNCIA DE ALTA.

AS MESMAS MÉDIAS APLI-


CADAS NAS LADS DOS
MESMOS GRÁFICOS SE-
GUEM SINALIZANDO ALTA
PELA FRENTE, PERMANE-
CENDO TODAS SINTONIZA-
DAS.

MELHOR DO QUE ISSO,


“SÓ DOIS”DISSO!

A MÉDIA MÓVEL DE 40 SE-


MANAS E A DE 200 DIAS
APLICADA NOS GRÁFICOS
SEMANAL E DIÁRIO SE-
GUEM EM ALTA.

AS MESMAS MÉDIAS APLI-


CADAS NAS LADS DOS
MESMOS GRÁFICOS SE-
GUEM SINALIZANDO ALTA
PELA FRENTE, PERMANE-
CENDO TODAS SINTONIZA-
DAS.

MELHOR DO QUE ISSO,


“SÓ DOIS”DISSO!

Rodrigo Barbera Martini


digomartini@hotmail.com
31
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

32
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

33
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

COMO ENTENDER E TIRAR O MELHOR PROVEITO DA TIMING


A Timing começou como um estudo semanal que criei para o meu uso pessoal. Meu objetivo era fazer
uma análise semanal do mercado utilizando algumas ferramentas que desenvolvi que me permitisse
avaliar através dos fundamentos técnicos o estado geral do mercado e a partir daí definir as minhas
estratégias operacionais.
Começando do macro para chegar ao micro, depois do advento da internet e com a rapidez das
transferências de recursos de um país para outro, comecei a notar que as principais bolsas mundiais
passaram a ser vasos comunicantes, praticamente uma bolsa só (com exceção da japonesa). Assim, o
tom das bolsas mundiais se refletia no Brasil, isto é, independente do que estivesse acontecendo na
nossa economia, a bolsa brasileira acompanhava a tendência das principais bolsas internacionais.
Então, a primeira coisa a ser observada no fim de semana passou a ser o comportamento das
bolsas estrangeiras para saber que cenário estavam gerando para o mercado brasileiro. É por isso que
a revista começa pela imagem das principais bolsas americanas, europeias e emergentes. A ideia é
que o desdobramento geral seja uma pista para auxiliar a decifrar a Esfinge (O Mercado).
Embora só tenha incorporado essa informação disponível no site da Bovespa ao meu arsenal
de ferramentas técnicas a partir de 2005, é muito importante saber como se movimenta o fluxo dos
investimentos por setor. Pistas muito importantes podem ser obtidas aqui através da comparação do
saldo dos investimentos com o desdobramento do índice Bovespa. Você perceberá que nos últimos 6
anos o fluxo do investimento estrangeiro determinou as principais tendências da Bovespa. Quando a
tendência do fluxo foi crescente o índice subiu e vice-versa, ao contrário do fluxo das pessoas físicas,
que percorreu o caminho oposto.
Muitas vezes, o fluxo de um setor pode estar crescendo ou permanecendo estável gerando uma
impressão positiva, mas se não observar como anda o fluxo dos contratos futuros do índice Bovespa
poderá ter uma visão distorcida. Imagine, por exemplo, que o saldo de investimentos de um setor esteja
bastante comprado, mas no passado recente passando por uma pequena redução.
Observando o gráfico dirá que não está acontecendo nada, que a leitura continua positiva. Mas,
se soubesse que nesse período em que houve um pequeno decréscimo do saldo do investimento si-
multaneamente tivesse havido um grande aumento no saldo de contratos vendidos no índice futuro (no
mesmo setor) poderia deduzir que está havendo uma forte venda que passa despercebida ao investidor
menos atento. Normalmente, este tipo de estratégia é utilizada quando o mercado está indefinido e o
investidor não quer se desfazer de sua posição à vista, mas também não quer correr o risco de uma
grande perda caso o mercado caia. Assim, utiliza o mercado futuro para se proteger (hedge) de um
imprevisto, normalmente porque é muito mais fácil comprar ou vender uma grande posição de contratos
(devido a grande liquidez) do que montar ou desmontar uma posição diversificada à vista.
Talvez o recurso mais importante da análise técnica, a Linha de Avanços e Declínios seja
uma ferramenta desenvolvida por Joseph Granville que nos permite identificar se um grupo de ações
está passando por um processo de acumulação ou de distribuição ou, quando comparada com o des-
dobramento de um índice, eliminar as distorções provocadas pela sua fórmula de capitalização que
embute uma ponderação entre os seus componentes que gera uma visão enganosa sobre o que está
acontecendo nas entranhas do mercado, bem como, confirmar ou não o desdobramento do índice. Para
mais detalhes sugiro a leitura da obra “Timing – Uma Nova Estratégia Diária de Maximização dos Lucros
no Mercado de Ações”.
Como a Bovespa ainda não criou índices para todos os setores (e para os que desenvolveram
adotou a mesma formula de capitalização ponderada), com o recurso da linha de avanços e declínios
34
Ano XXI - nº. 1040 – 08 de dezembro de 2019

construí vários índices setoriais que me permitem segmentar o mercado e identificar no dia a dia quais
deles estão avançando ou retraindo.
Outra estatística importante utilizada nas minhas considerações para uma avaliação técnica dos
fundamentos do mercado é a contagem diária, aqui apresentada numa base semanal, da evolução das
tendências primárias, secundárias e terciárias, nominal e indexada, de todas as ações negociadas dia-
riamente no mercado.
As estatísticas acima, reunidas com a evolução das médias móveis de 200 barras do índice
Bovespa e da linha de avanços e declínios do mercado, bem como, da maioria entre as principais ten-
dências de sete índices de composição distinta vão fazer parte uma ferramenta maior que denominei
de Índice da Força do Mercado (IFM). Se no final da apuração o saldo entre as força ascendentes e as
forças descendentes estiver positivo as estratégias operacionais devem privilegiar as compras ou se
estiver negativa privilegiar as vendas. Existem momentos excepcionais em que mesmo com o IFM
apontando para uma direção, papéis contracíclicos estão se movendo e podem ser sugeridas operações
contrárias às forças predominantes, mas não é comum!
Na sua montagem, dependendo da importância do dado a ser computado, tudo que for primário
contribui com 10 unidades de força, tudo que for secundário com 5 unidades de força e tudo que for
terciário com 1 unidade de força. Cada unidade de força é representada por uma seta.
Por terem muito mais ações do que os demais, os índices dos setores de Telecomunicações,
Energia e Construção em vez de serem computados com força 1 (como os demais) são computados
com força 3.
Se observar o IFM no início da revista, perceberá que na medida em que uma nova força é
adicionada na tabela seu valor é somado ao saldo anterior. No final, é extraído o saldo entre as forças
ascendentes e descendentes e transferidos para uma planilha Excel onde se obtém o gráfico do IFM.
Independentemente de estar muito próximo ou afastado da linha zero, o saldo é somente uma
referência para se operar na compra ou na venda. Se estiver positivo em +1 o cenário para efeito ope-
racional é o mesmo do que se estive em +70 ou -1 e -70. Mas, quanto mais próximo de zero, mas
próxima a chance de uma reversão no curto prazo!

Marcio Noronha

35