Você está na página 1de 76

Aula 01

Português p/ Escola de Sargentos das Armas - ESA (Combatente) Com videoaulas

Professor: Décio Terror


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Aula 1: Sintaxe da oração: termos da oração, pontuação

SUMÁRIO PÁGINA
1. O que é sintaxe? 1
2. Pontuação com adjunto adverbial “solto” 14
3. Palavras denotativas 17
4. Como distinguir o adjunto adnominal do complemento nominal 31
5. O que devo tomar nota como mais importante? 58
6. Lista das questões apresentadas 59
7. Gabarito 75

Olá!
Falaremos da sintaxe da oração, com a seguinte pergunta:
O que é sintaxe?
A sintaxe trabalha a relação das palavras dentro de uma oração. Cabe
entender basicamente que uma oração deve ter um verbo e este verbo
normalmente se flexiona de acordo com o sujeito (de quem se fala) e
relaciona-se com o predicado (o que se fala), de acordo com a transitividade.
Veja as frases a seguir para que fique tudo bem claro. Pautemo-nos na
estrutura SVO (sujeito verbo complemento).
1. O candidato realizou a prova.
2. duvidou do gabarito.
3. enviou recursos à banca examinadora.
4. tem certeza de sua aprovação.
5. viajou.
6. estava 78447984915

tranquilo.

sujeito predicado
Agora, vamos identificar os principais termos da oração. Veja a relação
do verbo dentro do predicado. Nas frases de 1 a 4, os verbos “realizou”,
“duvidou”, “enviou” e “tem” necessitam dos vocábulos posteriores para terem
sentido na oração, por exemplo: realizou o quê?, duvidou de quê?, enviou o
quê? a quem?, tem o quê?
Assim, você vai notar que eles dependem dos termos subsequentes para
terem sentido. Isso ocorre porque o sentido deve transitar do verbo para o
complemento. Por isso falamos que o verbo é transitivo. Sozinho, não
consegue transmitir todo o sentido, necessitando de um complemento. Dessa
forma, os termos “a prova”, “do gabarito”, “recursos”, “à banca examinadora”
e “certeza” completam o sentido destes verbos.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 1 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Para facilitar o entendimento, podemos dizer que a preposição seria um


obstáculo. Havendo uma preposição, o trânsito é indireto. Retirando-se a
preposição, o trânsito é livre, direto.
Então observe o verbo “realizou”. Ele não exige preposição. Assim, o
termo que vem em seguida é seu complemento verbal direto. Já o
complemento do verbo “duvidou” é indireto, pois o trânsito está dificultado
(indireto) tendo em vista a preposição “de”.
Já que, na frase 1, há complemento verbal direto, o verbo “realizou” é
chamado de transitivo direto (VTD). Na frase 2, como há preposição exigida
pelo verbo “duvidou”, diz-se que este verbo é transitivo indireto (VTI) e seu
complemento é indireto. Na frase 3, há dois complementos exigidos pelo
verbo: um(direto) e outro(indireto).
A gramática dá o nome a todo complemento verbal de objeto, por isso o
complemento verbal direto é o objeto direto (OD) e o complemento verbal
indireto é o objeto indireto(OI).
Como entendemos que a transitividade é uma exigência do verbo, pois
necessita de um complemento verbal, a gramática dá o nome a este processo
de “Regência”, pois ele exige, rege o complemento. Se é um verbo que exige,
é natural que a regência seja verbal. Há um capítulo na gramática que trabalha
só isso: Regência Verbal (reconhecimento da transitividade do verbo), a qual
aprofundaremos nas próximas aulas. Mas agora cabe apenas entender a
estrutura abaixo.

Veja:
Regência Verbal

1. O candidato realizou a prova.


VTD + OD
2. duvidou do gabarito.
VTI + OI
3. enviou recursos
78447984915
à banca examinadora.
VTDI + OD + OI

sujeito predicado
Mas não é só o verbo que pode ser transitivo. Nome também pode ter
transitividade. Nomes como certeza, obediência, dúvida, longe, perto, fiel, etc
são chamados de transitivos porque necessitam de um complemento para
terem sentido. Alguém tem certeza de algo, dúvida de algo, obediência a
alguém ou a algo. Alguém mora perto de outra pessoa ou longe dela. Alguém é
fiel a algo ou a alguém.
Estes nomes exigem transitividade, com isso há um complemento, o qual
é chamado de complemento nominal (CN).
Logicamente, há contextos em que o complemento não estará explícito
na frase; por exemplo, se queremos dizer que alguém reside muito distante,

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 2 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

podemos dizer que ele mora longe. Neste caso o nome “longe” deixou de ser
transitivo, não exigiu o complemento nominal, pois este ficou implícito. Por
isso não devemos decorar, mas entender o contexto, a funcionalidade. Se o
complemento não está explícito, não temos de identificá-lo.
Vimos que a regência verbal trata basicamente do complemento do
verbo. Se há um nome que exige complemento, então temos a Regência
Nominal. Veja a frase 4:
Regência Nominal

4. O candidato tem certeza de sua aprovação.


VTD + OD + CN

sujeito predicado

Note que o verbo “tem” é transitivo direto e “certeza” é o objeto direto. A


expressão “de sua aprovação” não complementa o verbo, ela complementa o
nome “certeza”: certeza de sua aprovação.
O estudo da Regência Nominal, na realidade, é realizado para
descobrirmos quais preposições iniciam o complemento nominal.
Então atente quanto à diferença da oração 3 (VTDI + OD + OI) para a 4
(VTD + OD + CN).
Agora, vamos à oração 5. Note que o verbo “viajou” não exige nenhum
complemento verbal. Então não há transitividade. Se quisermos uma estrutura
posterior, naturalmente inseriremos uma ou mais circunstâncias. A essas
circunstâncias damos o nome de adjunto adverbial. Poderíamos dizer que o
candidato viajou a algum lugar, em determinado momento, o modo como
viajou, a causa da viagem. Tudo isso são circunstâncias, as quais possuem o
valor de lugar, tempo, modo e causa. Essas são as circunstâncias básicas, mas
há mais e veremos isso adiante. Então veja como ficaria:
O candidato viajou para São Paulo ontem confortavelmente a trabalho.
78447984915

sujeito VI Adj Adv lugar Adj Adv Adj Adv Adj Adv
tempo modo causa

O adjunto adverbial não ocorre só com verbo intransitivo, ele pode


aparecer junto a qualquer verbo. Por exemplo, nas frases 1 a 3, poderíamos
inserir o adjunto adverbial de tempo “ontem”. Na frase 4, poderíamos inserir o
adjunto adverbial de causa: “devido a seu estudo”.
Essas 5 frases possuem verbos com transitividade (VTD, VTI, VTDI) e
sem transitividade (VI). Toda vez que, na oração, ocorrem esses tipos verbais,
dizemos que eles são os núcleos (palavra mais importante) do predicado,
assim teremos os Predicados Verbais, com a seguinte estrutura:

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 3 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Predicado verbal = VTD + OD


VTI + OI
VTDI + OD + OI
VI
Esse é o esquema básico, e nada impede de haver adjunto adverbial e
complemento nominal em todos eles.
Falta apenas um tipo de verbo: o de ligação.
Veja a frase 6: O candidato estava tranquilo.
O termo “tranquilo” caracteriza o sujeito “O candidato”, por isso se
flexiona de acordo com ele. O verbo “estava” serve para ligar esta
característica ao sujeito, por isso é chamado de verbo de ligação, e o termo
que caracteriza o sujeito é chamado de predicativo.
O predicativo serve normalmente para caracterizar o sujeito e por isso se
flexiona de acordo com ele. Se o sujeito fosse “candidata”, naturalmente o
predicativo seria “tranquila". A essa flexão de um predicativo em relação ao
sujeito damos o nome de Concordância Nominal. Na gramática, há um
capítulo só para a concordância nominal, e a flexão do predicativo em relação
ao sujeito é um dos pontos principais, mas isso veremos em nossas próximas
aulas.
O predicativo sempre será núcleo do predicado, por causa disso seu
predicado é chamado de Predicado Nominal, com a seguinte estrutura:
Predicado Nominal = VL + predicativo
O predicativo não ocorre somente no predicado nominal, ele também
pode fazer parte do predicado verbo-nominal; e isso será visto adiante. Por
enquanto, é importante entender a seguinte estrutura:

Concordância verbal
Regência verbal
1. O candidato realizou a prova.
VTD + OD
2. duvidou do gabarito.
VTI + OI 78447984915

3. enviou recursos à banca examinadora. Predicado


VTDI + OD + OI Verbal
Regência nominal
4. tem certeza de sua aprovação.
VTD + OD + CN
5. viajou.
VI
6. estava tranquilo. Predicado
VL + predicativo Nominal

Concordância nominal

sujeito predicado

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 4 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

É muito importante perceber que entre os termos básicos acima, não há


vírgula.
Vamos praticar um pouco?!!!
Questão 1: CIAAR 2016 Primeiro-Tenente (banca Aeronáutica)
“Cerca de 25 mil soldados da Força Expedicionária Brasileira além de homens
da Força Aérea lutaram na Itália.”
Indique a frase a seguir cujo verbo em destaque possui a mesma tipologia
sintática do sublinhado anteriormente.
a) Não conheço essa pessoa.
b) As crianças são inteligentes.
c) Os gatos corriam no telhado.
d) Eles precisam de nossa ajuda.
Comentário: Na frase do pedido da questão, o verbo “lutaram” é intransitivo
porque há nesta oração o sujeito “Cerca de 25 mil soldados da Força
Expedicionária Brasileira além de homens da Força Aérea” e o adjunto
adverbial de lugar “na Itália”. Assim, cabe ao verbo apenas ser intransitivo.
Dessa forma, devemos encontrar uma alternativa que apresente um verbo
intransitivo.
Na alternativa (A), o verbo “conheço” é transitivo direto e “essa pessoa”
é o objeto direto.
Na alternativa (B), o verbo “são” é de ligação e o termo “inteligentes” é
o predicativo.
Na alternativa (D), o verbo “precisam” é transitivo indireto e o termo
“de nossa ajuda” é o objeto indireto.
Assim, a alternativa (C) é a correta, pois “Os gatos” é o sujeito,
“corriam” é verbo intransitivo e “no telhado” é o adjunto adverbial de lugar.
Gabarito: C

Questão 2: CIAAR 2016 Primeiro-Tenente (banca Aeronáutica)


Segue o mesmo padrão de regência de “...o direito à existência” o exposto em
a) nocivo a pessoas cardíacas. 78447984915

b) concordou em ir à rodoviária.
c) concordará com os seus pais.
d) estava ansioso para o concerto.
Comentário: Na expressão “o direito à existência”, o substantivo abstrato
“direito” rege o complemento nominal “à existência”. Assim, devemos
encontrar, nas alternativas, a expressão que também possua regência
nominal.
A alternativa (A) apresenta regência nominal, pois o adjetivo “nocivo”
rege o complemento nominal “a pessoas cardíacas”.
A alternativa (B) apresenta regências verbais, pois o verbo “concordou”
rege o objeto indireto oracional “em ir à rodoviária” e o verbo “ir” rege o
adjunto adverbial de lugar “à rodoviária”.
A alternativa (C) apresenta regência verbal, pois o verbo “concordará”
rege o objeto indireto “com seus pais”.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 5 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

A alternativa (D) apresenta também a regência nominal, pois o adjetivo


“ansioso” rege o complemento nominal “para o concerto”.
Bom, neste caso, há duas alternativas possíveis. Assim, devemos
encontrar uma que se assemelha mais ao segmento do pedido da questão,
cujo nome exigiu a preposição “a”. Como a alternativa (A) foi a única que
possui um caso de regência nominal, em que o nome exigiu tal preposição,
esta é a correta.
Gabarito: A

Questão 3: UFPB 2016 Técnico em Segurança do Trabalho (banca IDECAN)


Assinale a alternativa em que o trecho sublinhado apresenta função sintática
DIFERENTE dos demais.
a) “No entanto, como os casos surgem de forma esporádica...”
b) “A pandemia explosiva do vírus zika que ocorre nas Américas do Sul,...”
c) “A adaptação ao convívio doméstico possibilitou a transmissão para o
homem...”
d) “Há anos pesquisadores africanos notaram que o padrão de disseminação
do zika em macacos selvagens acompanhava o do chikungunya,...”
Comentário: Na alternativa (A), o termo “os casos” é o sujeito, “surgem” é
verbo intransitivo e “de forma esporádica” é o adjunto adverbial de modo.
Para confirmar o adjunto adverbial, podemos fazer a seguinte pergunta ao
verbo: Como os casos surgem?
Na alternativa (B), o pronome relativo “que” ocupa a função sintática de
sujeito do verbo “ocorre” e retoma a expressão “a pandemia explosiva do
vírus zika”. Assim, podemos entender que a pandemia explosiva do vírus zika
ocorre nas Américas do Sul...
Ainda falaremos muito sobre o pronome relativo a partir da aula de
orações adjetivas.
A alternativa (C) é a que deve ser marcada, pois o verbo “possibilitou” é
transitivo direto e indireto, a expressão “A adaptação ao convívio doméstico” é
o sujeito, a expressão “a transmissão” é o objeto direto e “para o homem” é o
objeto indireto. 78447984915

Na alternativa (D), a expressão “pesquisadores africanos” é o sujeito do


verbo “notaram”.
Gabarito: C

Questão 4: SEARH 2016 Professor (banca IDECAN)


Quanto à classificação sintática dos termos da oração, identifique o que
DIFERE dos demais destacados nos segmentos a seguir:
a) “E, acho que não aconteceu nada.”
b) “Houve um grito abafado de um de meus filhos:”
c) “– Ela só tem alma, explicou meu filho e, como filhos são uma surpresa
para nós,...”
d) “Pequeno rebuliço: mas era indubitável, lá estava ela, e mais magra e
verde não poderia ser.”

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 6 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Comentário: Na alternativa (A), o verbo “aconteceu” é intransitivo e “nada” é


o sujeito. Para ficar mais fácil, basta reordenar os termos na sua posição
natural sujeito + verbo. Veja: nada aconteceu. Se colocarmos um plural, o
verbo se flexionará no plural, o que também reforça que temos sujeito.
Compare:
Nada aconteceu.
Muitas coisas aconteceram.
A alternativa (B) é a que deve ser marcada. Veremos, na aula de
concordância, que o verbo haver, no sentido de existir, é transitivo direto e
não possui sujeito. Assim, o verbo “Houve” é transitivo direto e o termo “um
grito abafado” é o objeto direto.
Na alternativa (C), o verbo “explicou” encontra-se no singular porque
seu sujeito “meu filho” também está no singular. Para ficar mais fácil, basta
reordenar os termos na sua posição natural sujeito + verbo. Veja: meu filho
explicou. Se colocarmos um plural, o verbo se flexionará no plural, o que
também reforça que temos sujeito. Compare:
meu filho explicou.
meus filhos explicaram.
Na alternativa (D), o verbo “estava”, neste contexto, é intransitivo, pois
“ela” é o sujeito e “lá” é um adjunto adverbial de lugar. Note que a pergunta
feita ao verbo tem relação com lugar: Onde ela estava?
Gabarito: B

Questão 5: FBN 2013 – Assistente Administrativo (banca FGV)


Os verbos de estado podem significar estado permanente, estado transitório,
mudança de estado, aparência de estado e continuidade de estado. Assinale a
alternativa em que o valor dado ao verbo sublinhado está incorreto.
(A) “Na mesma rua que hoje virou um grande corredor de corrida de carros
cada vez mais vorazes de velocidade,...” / mudança de estado.
(B) “Eu, já leitora voraz, assim como os carros nas ruas por velocidade, fiquei
encantada!” / continuidade de estado.
(C) “E criei a Bisbilhoteca, que é a minha leitura da Franco Giglio...” / estado
78447984915

permanente.
(D) “Aquela pequena casinha que parecia antiga, amarelinha...” / aparência
de estado.
Comentário: Vimos na teoria que o verbo “virou” tem sentido de mudança de
estado, que o verbo “é” tem sentido de estado permanente e que o verbo
“parecia” tem sentido de estado aparente. Assim, restou a alternativa (B)
como a errada, pois “fiquei” transmite o sentido de mudança de estado, e não
continuidade.
Gabarito: B

Questão 6: CBTU 2014 Assistente de Manutenção (banca Consulplan)


No trecho “Nesse contexto está a advocacia, [...]”, observa-se que a ordem
dos termos está invertida, pois, se tivessem organizados na ordem direta, a
frase seria

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 7 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

A) Está a advocacia nesse contexto.


C) Nesse contexto a advocacia está.
B) Está nesse contexto a advocacia.
D) A advocacia está nesse contexto.
Comentário: A ordem direta é o sujeito, seguido do verbo e seus possíveis
complementos. No trecho original, há o adjunto adverbial “Nesse contexto”, o
verbo intransitivo “está” e o sujeito “a advocacia”. Assim, todos os termos
estão invertidos. A ordem natural está expressa na alternativa (D). Veja:

A advocacia está nesse contexto.


sujeito + verbo + adjunto adverbial
Gabarito: D

Cabe agora aprofundarmos um pouco mais na relação dos termos para


entendermos melhor a pontuação. Para isso, vamos ver a aplicação do verbo
intransitivo.
Intransitivo: Verbo que não exige complemento verbal.
Adoeci.
Fui à praia.
verbo intransitivo adjunto adverbial de lugar
predicado verbal

Na realidade, há dois tipos de verbos intransitivos.


O primeiro diz respeito àquele que não exige nenhum termo que
complemente seu sentido, como “Adoeci.”; “Juvenal morreu.”; “Um vendaval
ocorreu.”. Esses verbos não necessitam de termo que os complete. Esse tipo
de intransitividade mostra que o verbo por si só já transmite o sentido
necessário; podendo o autor acrescentar termos acessórios para transmitir
mais clareza ou ser mais pontual no sentido, por exemplo: “Adoeci por causa
do mau tempo.”; “Juvenal morreu anteontem.” e “Um vendaval ocorreu
aqui.”.
Por outro lado, existe a intransitividade que necessita de um termo que
produza sentido. Se alguém diz que vai, tem que dizer que vai a algum
78447984915

lugar. Se alguém diz que voltou, tem que continuar a fala mostrando de
onde voltou. Por isso muita gente confunde esse tipo de intransitividade com a
transitividade indireta; mas há uma diferença muito grande, pois o termo que
completa o sentido deste tipo de intransitividade transmite normalmente
circunstâncias de lugar ou modo. Veja:
Vou a São Paulo. Vim de Manaus. Estou bem.
O objeto indireto apenas completa o sentido do verbo, ele não transmite
valores circunstanciais de lugar ou de modo, sentidos que são demonstrados
nos vocábulos “a São Paulo”, “de Manaus” e “bem”. Quando se quer saber se
há circunstância de lugar ou modo, faz-se a pergunta “Onde?”, “Como?”,
respectivamente. Assim, é importante notarmos os valores dos adjuntos
adverbiais, que são demonstrados em sua maioria no uso das preposições, as
quais serão enfatizadas a seguir. Didaticamente, podemos dividir o adjunto
adverbial em dois tipos:

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 8 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Adjunto adverbial solto: O problema ocorreu, naquela tarde de sábado.


Adjunto adverbial preso: Eu estou bem.
Eu estou em São Paulo.
Eu vim de São Paulo.
Caro aluno, esta divisão dos adjuntos adverbiais é apenas didática, não é
cobrada em prova dessa forma, mas entendermos isso é importante para a
pontuação. Veja que não é comum vermos vírgula separando adjuntos
adverbiais presos, como as três últimas frases. Já com o adjunto adverbial
solto, é natural inserir a vírgula. Veja:
O problema ocorreu, naquela tarde de sábado.
Adjunto adverbial: É o termo que modifica o verbo, o adjetivo ou o
advérbio, atribuindo-lhes uma circunstância qualquer. Abaixo listei para você o
nome da palavra (morfologia) e a função que esta palavra desempenha na
oração (sintaxe).

morfologia artigo + substantivo verbo advérbio de


intensidade

Os atletas correram muito.


adj adn + núcleo verbo intransitivo adjunto
adverbial de
sintaxe intensidade
sujeito predicado verbal
período simples

morfologia pronome + substantivo verbo + advérbio adjetivo


de intensidade

Seu projeto é muito interessante.


adj adn + núcleo VL + adj adverbial Predicativo do sujeito
de intensidade
sintaxe
sujeito predicado nominal
78447984915

período simples

morfologia artigo + substantivo verbo + advérbio de advérbio


intensidade

O time jogou muito mal.


adj adn + núcleo VI + adj adverbial adjunto
de intensidade adverbial de
sintaxe modo
sujeito predicado verbal
período simples

Observações:
a) O adjunto adverbial pode ser representado por um advérbio, uma
locução adverbial ou um pronome relativo (que será visto nas próximas aulas).
Deixei o embrulho aqui. (advérbio)

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 9 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

À noite conversaremos. (locução adverbial)


A empresa onde trabalhei faliu. (pronome relativo)
b) Pode ocorrer elipse da preposição antes de adjuntos adverbiais de
tempo e modo:
Aquela noite, ela não veio. (Naquela noite)
Domingo ela estará aqui. (No domingo)
Ouvidos atentos, aproximei-me da porta. (De ouvidos atentos)

Principais valores das locuções adverbiais, a depender da preposição e


das locuções prepositivas nocionais:

1. assunto:
sobre: conversar sobre política; falar sobre futebol.
quanto a: Não nos expressamos quanto à fatalidade do acidente.
2. causa:
a: morrer à fome; acordar aos gritos das crianças; voltar a pedido
dos amigos.
ante: Ante os protestos, recuou da decisão. (Perceba que não há preposição
“a” após “ante”. Diz-se ante a, ante o, e não *ante à, *ante ao.)
com: assustar-se com o trovão; ficar pobre com a inflação.
de: morrer de fome; tremer de medo; chorar de saudade.
devido a: Encontrou seu futuro, devido a muito esforço.
diante de: Diante de tais ofertas, não pude deixar de comprar.
em consequência de: Em consequência de seu estudo eficaz, passou
em primeiro lugar.
em virtude de: Em virtude de muitas vaias, o show foi interrompido.
em face de: O que o salvou, em face do perigo, foi sua habitual calma.
(em virtude de)
graças a: Graças ao estudo, passou no concurso.
por: encontrar alguém por uma coincidência; foi preso por vadiagem
Esta preposição também pode ser entendida como em favor de: morrer pela
78447984915

pátria; lutar pela liberdade; falar pelo réu. Assim, não deixa de possuir
valor causal.

3. companhia:
com: ir ao cinema com alguém; regressar com amigos.
4. concessão (contraste, oposição)
apesar de: Foi à praia apesar do temporal.
Obs.: Ocorre quando há uma oposição em relação ao verbo. Não se vai,
normalmente, à praia em dia de temporal.
com: Com mais de 80 anos, ainda tem planos para o futuro.
malgrado: Malgrado a chuva, fomos ao passeio.
5. condição:
Sem: Sem o empréstimo, não construiremos a casa.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 10 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

6. conformidade:
a: puxar ao pai; escrever ao modo clássico; sair à mãe.
conforme: Agiu conforme a situação.
por: tocar pela partitura; copiar pelo original.
7. lugar:
a: (destino - em correlação com a preposição de): de Santos a
Guarujá; daqui a Salvador.
Obs.: Usa-se indiferentemente à/na página. Ex.: A notícia está à/na
página 28 do jornal. Usa-se ainda a páginas, mas não as páginas ou às
páginas. Ex.: A notícia está a páginas 28 do jornal.
ante: A verdade está ante nossos olhos;
até: indica o limite, o término de movimento, e, acompanhando
substantivo com artigo (definido ou indefinido), pode vir ou não seguida da
preposição a:
Caminharam até a entrada do estacionamento. ou
Caminharam até à entrada do estacionamento.
de: (relação de origem): vir de Madri.
desde: dormir desde lá até cá.
em: (estático): ficar em casa; o jantar está na mesa.
Observação:
O uso da preposição “em” com verbos ou expressões de
movimento caracteriza coloquialidade (o que deve ser evitado na norma
culta): chegar em casa, ir no supermercado, voltar na escola, levar as
crianças na praia, dar um pulo na farmácia, etc. O correto é: chegar a
casa; ir ao supermercado; voltar à escola; levar as crianças à praia; ir à
farmácia.
defronte: Ela mora defronte à igreja.
em frente a: Em frente à escola estava ele.
entre: os Pireneus estão entre a França e a Espanha; ficar entre os
aprovados.
para: ir para Madri; apontar o dedo para o céu.
78447984915

perante: (posição em frente); perante o juiz, negou o crime. [Não use


preposição “a” após “perante”: “perante a Deus”, “perante à juíza”. O correto é “perante
Deus”, “perante a juíza”, “perante a menina”(a=artigo)]
por: ir por Bauru, morar por aqui.
sob: (posição inferior): ficar sob o viaduto.
sobre: (posição superior): o avião caiu sobre uma lavoura de arroz;
flutuar sobre as ondas; (direção): ir sobre o adversário.
trás: no português atual, a preposição trás não é usada isoladamente;
atua, sempre, como parte de outras expressões: nas locuções adverbiais “para
trás” e “por trás” (ficar para trás, chegar por trás) e na locução prepositiva
“por trás de” (ficar por trás do muro).
8. modo:
a: bife à milanesa; jogar à Telê Santana.
com: andar com cuidado; tratar com carinho.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 11 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

de: olhar alguém de frente, ficar de pé.


em: ir em turma, em bando, em pessoa; escrever em francês.
por: proceder à chamada de alunos por ordem alfabética; saber por
alto o que aconteceu.
sem: indica a relação de ausência ou desacompanhamento: estar sem
dinheiro;
sob: sair sob pretexto não convincente.
9. tempo:
com: (simultaneidade): o povo canta, com os soldados, o Hino
Nacional; com o tempo os frutos amadurecem.
de: dormir de dia, estudar de tarde, perambular de noite; de
pequenino é que se torce o pepino.
desde: desde ontem estou assim.
em: fazer a viagem em quatro horas; o fogo destruiu o edifício em
minutos, no ano 2000.
entre: ela virá entre dez e onze horas.
para: ter água para dois dias apenas; para o ano irei a Salvador; lá
para o final de dezembro viajaremos.
por: estarei lá pelo Natal; viver por muitos anos; brincar só pela
manhã.
sob: houve muito progresso no Brasil sob D. Pedro II.
Muitas vezes, numa locução, a preposição “a” pode ser trocada por
outra, sem que isso acarrete prejuízo de construção ou de significado. Eis
alguns exemplos: à/com exceção de, a/ em meu ver, a/com muito custo, em
frente a/de, rente a/com, à/na falta de, a/em favor de, em torno a/de, junto
a/com/de.

Questão 7: CIAAR 2016 Primeiro-Tenente (banca Aeronáutica)


As expressões destacadas a seguir apresentam função modificadora em
relação ao termo que modificam. Dentre tais expressões, apenas uma delas
possui expressão semântica diferente das demais, indique-a:
a) “A notícia foi amplamente divulgada, no mundo todo, [...]”
78447984915

b) “Na Inglaterra, teve minuto de silêncio e tiros de canhão. [...]”


c) “[...] participou das comemorações ao lado do presidente francês François
Hollande.”
d) “Mais de cem mil morreram nos dias seguintes, vítimas de queimaduras e
radiação nuclear.”
Comentário: A questão mostra que os termos grifados são adjuntos
adverbiais. Três possuem a mesma circunstância e uma só tem sentido
diferente, a qual devemos marcar.
As alternativas (A), (B) e (C) apresentam os adjuntos adverbiais de
lugar “no mundo todo”, “Na Inglaterra” e “ao lado do presidente francês
François Hollande”. Já a alternativa (D) apresenta o adjunto adverbial de
tempo “nos dias seguintes”. Assim, é esta a alternativa a ser marcada.
Gabarito: D

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 12 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 8: SEARH 2016 Professor (banca IDECAN)


Dentre as expressões destacadas, apenas uma NÃO produz o mesmo efeito de
sentido visto nas demais; assinale a.
a) “Aqui em casa pousou uma esperança.”
b) “... respondeu o menino com ferocidade.”
c) “– Uma esperança! e na parede, bem em cima de sua cadeira!”
d) “... esperança é coisa secreta e costuma pousar diretamente em mim,...”
Comentário: Nas alternativas os termos grifados são adjuntos adverbiais. Há
três termos com valor de lugar e um com valor de modo. Para ficar mais fácil
perceber isso, basta lembrar que achamos o lugar com a pergunta “Onde?” e
o modo com a pergunta “Como?”.
Assim, notamos que as alternativas (A), (C) e (D) apresentam os termos
com adjunto adverbial de lugar: Pousou onde? Uma esperança onde? Pousar
onde?
Já na alternativa (B) a pergunta que se faz é como o menino
respondeu?
Assim, confirmamos que a alternativa (B) é a que NÃO produz o mesmo
efeito de sentido visto nas demais.
Gabarito: B

Questão 9: Detran 2013 – Assistente de Trânsito (banca FGV)


“O governo foi acusado de estar encabeçando uma indústria de multas, devido
ao grande número de notificações aplicadas”.
As alternativas a seguir apresentam conectivo adequado para a substituição de
“devido a”, à exceção de uma. Assinale-a.
(A) “por causa do”.
(B) “em função do”.
(C) “em razão do”.
(D) “graças do”.
(E) “em virtude do”.
Comentário: Vimos que “devido a” é uma locução prepositiva que transmite
valor de causa. O mesmo ocorre com “por causa de”, “em função de”, “em
78447984915

razão de”, “em virtude de” e também com “graças a”. Note que esta locução
termina com a preposição “a”, e não “de”, como sugere a alternativa (D), a
qual está errada.
Gabarito: D

Questão 10: Câmara M Recife 2014 – Assistente Administrativo (banca FGV)


“Isso se dá graças à tecnologia de informação”; a frase abaixo em que a
expressão “graças a” está mal empregada é:
(A) O Brasil progride graças a sua agricultura.
(B) Os EUA são ricos graças ao trabalho de seu povo.
(C) O automóvel derrapou graças ao óleo na pista.
(D) O terrorismo não progrediu graças às reações.
(E) O Brasil ganhou a Copa graças a seus bons jogadores.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 13 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Comentário: A locução prepositiva “graças a” tem valor de causa. Mas


devemos observar que “graças” tem relação a um benefício. Assim, não pode
ser empregado como uma causa de tom negativo.
Na alternativa (A), a locução prepositiva “graças a” inicia o adjunto
adverbial de causa com um tom positivo, pois se entende que a agricultura
contribuiu para a progressão do Brasil.
Na alternativa (B), a locução prepositiva “graças a” inicia o adjunto
adverbial de causa com um tom positivo, pois se entende que o povo
contribuiu com seu trabalho para a riqueza dos EUA.
Na alternativa (C), a locução prepositiva “graças a” inicia o adjunto
adverbial de causa com um tom negativo, pois o óleo na pista causou um
problema, uma derrapagem. Assim, devemos trocar “graças a” por qualquer
uma das locuções prepositivas causais, como “devido a”, “por causa de” etc.
Na alternativa (D), a locução prepositiva “graças a” inicia o adjunto
adverbial de causa com um tom positivo, pois se entende que as reações não
deixaram o terrorismo progredir.
Na alternativa (E), a locução prepositiva “graças a” inicia o adjunto
adverbial de causa com um tom positivo, pois se entende que os bons
jogadores contribuíram para que o Brasil ganhasse a copa.
Gabarito: C

Questão 11: MAPA – 2014 – Agente Administrativo (banca Consulplan)


Na expressão “Os cômodos são ridiculamente pequenos!”, o termo em
destaque está diretamente ligado ao adjetivo “pequenos” e estabelece, na
frase, uma relação de sentido de
A) meio. B) causa. C) modo. D) intensidade.
Comentário: Note que podemos entender que os cômodos são muito
pequenos. Assim, há um advérbio de intensidade, cuja função sintática é
adjunto adverbial de intensidade. Assim, a alternativa correta é a (D).
Você poderia ter ficado na dúvida quanto à possibilidade de ser modo,
tendo em vista a terminação em “mente”, porém nem sempre essa terminação
marcará o modo. Neste contexto, por exemplo, é fácil perceber a ideia de
78447984915

intensidade pela troca pelo advérbio “muito” ou “bastante”, ok?!


Gabarito: D
Vimos os valores semânticos dos adjuntos adverbiais e exercitamos,
agora verificaremos a pontuação.
Pontuação com adjunto adverbial “solto”
É marcante nos adjuntos adverbiais a sua mobilidade posicional, pois
este termo pode movimentar-se para o início, para o meio ou para o fim da
oração. Essa mobilidade é percebida nos termos soltos, os quais não são
exigidos pelo verbo, mas apenas ampliam o contexto com a circunstância. Isso
é notado principalmente nos advérbios de lugar, tempo e modo; nos advérbios
que modificam toda a oração (e não somente um termo); e nas locuções
adverbiais:

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 14 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

O custo de vida é bem alto em Brasília. Esta locução adverbial de


lugar não é exigida pelo
Em Brasília, o custo de vida é bem alto. verbo, por isso se considera
um termo solto, o qual pode
O custo de vida, em Brasília, é bem alto. receber vírgula. Compare
com a seguinte.
O custo de vida é bem alto, em Brasília.

Esta locução adverbial de


Prefeitos de várias cidades foram a Brasília. lugar é exigida pelo verbo,
A Brasília prefeitos de várias cidades foram. por isso não se considera
termo solto, ela pode se
Prefeitos de várias cidades a Brasília foram. mover na oração, mas não
recebe vírgula.

Naturalmente, você já percebeu o problema. Os advérbios referem-se a


toda a oração.
Sim, eu sei.

Quando a locução adverbial solta for de grande extensão e estiver


antecipada da oração ou no meio dela, a vírgula será obrigatória. Se
estiver no final, a vírgula será facultativa.
Antes da última rodada, o time já se dizia campeão.
O time, antes da última rodada, já se dizia campeão.
O time já se dizia, antes da última rodada, campeão.
O time já se dizia campeão, antes da última rodada.
O time já se dizia campeão antes da última rodada.
Questão 12: EsPCEx 2013 (Exército)
No fragmento: “A designação gótico, na literatura, associa-se ao universo
cadente...”. A expressão “na literatura” está separada por vírgulas porque se
trata de um (a)
a) adjunto adverbial deslocado.
78447984915

b) aposto do termo “gótico”.


c) vocativo no meio da oração.
d) adjunto adverbial de assunto.
e) complemento pleonástico.
Comentário: Vimos que o adjunto adverbial deslocado e de pequena
extensão pode ser separado por dupla vírgula, como ocorreu com a expressão
“na literatura”. Assim, a alternativa correta é a (A).
Gabarito: A

Questão 13: Compesa PE 2014– Técnico em Contabilidade (banca FGV)


“Em abril de 1886, eclodiram nos Estados Unidos diversas greves”.
Assinale a opção que indica a forma de reescrever esse segmento do texto
que mostra pontuação inadequada.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 15 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

(A) Em abril de 1886 eclodiram nos Estados Unidos diversas greves.


(B) Em abril de 1886 eclodiram, nos Estados Unidos, diversas greves.
(C) Em abril de 1886, eclodiram nos Estados Unidos, diversas greves.
(D) Eclodiram nos Estados Unidos, em abril de 1886, diversas greves.
(E) Em abril de 1886, eclodiram, nos Estados Unidos, diversas greves.
Comentário: Vimos que o adjunto adverbial ao final da oração tem vírgula
facultativa. Se for de grande extensão e estiver antecipado, a vírgula é
obrigatória. Mas não se preocupe com o fato de ser de grande ou pequena
extensão, haja vista que as gramáticas não delimitam o número de palavras
para esta classificação. E a própria questão já sinalizou isso para você, pois
inseriu o adjunto adverbial “Em abril de 1886” antecipado em duas
alternativas sem vírgula. Assim, podemos entender como de pequena
extensão e a vírgula é facultativa.
O mesmo ocorre com o adjunto adverbial intercalado “nos Estados
Unidos”, o qual pode ser entendido como de pequena extensão, assim cabe a
dupla vírgula ou a sua omissão. Porém, não pode haver somente uma.
Justamente foi isso ocorreu na alternativa (C), por isso ela é a errada. Veja a
correção:
Em abril de 1886, eclodiram, nos Estados Unidos, diversas greves.
ou
Em abril de 1886, eclodiram nos Estados Unidos diversas greves.
Gabarito: C

Questão 14: Prefeitura C. V. 2010 Agente Comunitário (banca Consulplan)


“No Brasil, o uso do fogo com efeitos devastadores sobre a vegetação veio
mesmo com a exploração do nosso território pelos colonizadores.” No trecho
anterior, a vírgula ( , ) foi utilizada para:
A) Marcar termos deslocados.
B) Denotar entusiasmo e alegria.
C) Finalizar uma interrogativa direta.
D) Dar início a uma sequência que esclarece uma ideia anterior.
E) Marcar uma interrupção da sequência lógica da frase.
78447984915

Comentário: Note que o termo “No Brasil” é o único que está separado por
vírgula. Como ele transmite uma circunstância de lugar, esse termo é o
adjunto adverbial de lugar que se encontra antecipado na oração e por isso
está separado por vírgula.
Gabarito: A

Questão 15: Prefeitura S.L. 2010 Advogado (banca Consulplan)


No texto, não se provoca erro ou alteração de sentido ao se:
A) Inserir uma vírgula antes e outra depois da expressão “em tese” em “A
parte menos informada do eleitorado é em tese a mais sujeita à
manipulação”.
B) Inserir uma vírgula depois da expressão “em tese” em “A parte menos
informada do eleitorado é em tese a mais sujeita à manipulação”.
Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 16 de 75
Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

C) Colocar “é em tese” entre vírgulas em “A parte menos informada do


eleitorado é em tese a mais sujeita à manipulação”.
D) Eliminar a vírgula depois da palavra “funcionar” em “Isso quer dizer que,
para bem funcionar, exige crítica”.
E) Colocar uma vírgula depois do termo “conclusão” em “A conclusão é que o
problema não está no eleitorado.”.
Comentário: A alternativa (A) é a correta, porque “em tese” é um adjunto
adverbial de pequena extensão. Assim, a vírgula é facultativa, mesmo quando
este termo está intercalado. Note que não há mudança de sentido.
A alternativa (B) está errada, pois o adjunto adverbial intercalado de
pequena extensão pode ficar sem nenhuma vírgula ou com dupla vírgula.
Somente uma implicará erro gramatical.
A alternativa (C) está errada, pois o verbo “é” não faz parte do adjunto
adverbial. Assim, colocá-lo neste termo intercalado traria prejuízo gramatical,
por inserir vírgula entre sujeito e predicado.
A alternativa (D) está errada, pois a estrutura adverbial “para bem
funcionar” está intercalada, por isso não se pode retirar uma das vírgulas.
Veremos na próxima aula que esta é uma oração subordinada adverbial de
finalidade.
A alternativa (E) está errada, pois não se pode inserir vírgula entre
sujeito e verbo.
Gabarito: A

Palavras denotativas:
Há palavras semelhantes aos advérbios, mas que não constituem
circunstâncias. São as chamadas palavras denotativas. Veja algumas
importantes.
1. Designação: eis:
Eis o homem!
Esta construção admite que o substantivo posterior seja substituído pelo
pronome oblíquo átono o, na forma Ei-lo!
78447984915

2. Exclusão: exceto, senão, salvo, menos, tirante, exclusive, ou melhor


etc.
Voltaram todos, menos André.
Roubaram tudo, salvo o telefone.

3. Limitação: só, apenas, somente, unicamente:


Só Deus é imortal. Apenas um livro foi vendido.
A possibilidade de cobrança em prova é na interpretação de texto.
Quando se inserem as palavras só, somente, apenas; há o recurso textual
chamado palavra categórica. Ele transmite uma ideia veemente do autor, que
não abre caminhos para outra possibilidade. Isso dirige a interpretação de
texto. Veja:

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 17 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Só o rico ganha. O dinheiro chega apenas à classe nobre.


Compare com as estruturas sem essas palavras categóricas:
O rico ganha. O dinheiro chega à classe nobre.
Naturalmente, você observou que o sentido mudou significativamente.
Na prova normalmente o texto sugere algo de maneira geral, com a segunda
construção. Já, na interpretação de texto, a banca inclui a palavra categórica
para o candidato perceber o erro.
4. Explicação, explanação ou exemplificação: a saber, por exemplo,
isto é, como, ou melhor etc.
Eram três irmãos, a saber, Pedro, Antônio e Gilberto.
Lá, no inverno, usa-se roupa pesada, como sobretudo e poncho.
Os elementos do mundo físico são quatro, a saber: terra, fogo, água e ar.
Esses valores são normalmente separados por vírgula ou dois-pontos.
Pode-se ter em mente que, quando se explica, quer-se ratificar, confirmar
argumentos; então isso pode ser cobrado numa interpretação de texto ou no
uso da pontuação.
5. Inclusão: mesmo, além disso, ademais, até, também, inclusive,
ainda, sobretudo, aliás etc.
Até o professor riu-se. Ninguém veio, mesmo o irmão.
I - Costumam-se ficar entre vírgulas as estruturas além disso,
também, inclusive, ainda. Normalmente a banca insere apenas uma das
vírgulas e isso torna o texto errado.
Ele disse, inclusive que não viria hoje. (errado)

Ele disse, inclusive, que não viria hoje. (certo)

II – Cumpre lembrar que não se pode confundir o valor de mesmo


(inclusão), mesmo (pronome demonstrativo de valor adjetivo), advérbio de
afirmação/certeza e valor de concessão/contraste.
O primeiro não se flexiona e pode ser substituído por até, inclusive:
78447984915

Mesmo ela realizou as atividades.


O segundo flexiona-se e diz respeito a um reforço reflexivo, equivalendo
a sozinha:
Ela mesma realizou as atividades.
O terceiro não se flexiona e serve para ratificar, confirmar uma ação,
equivalendo-se a sim, com certeza:
Ela realizou mesmo as atividades.
O quarto será visto mais detidamente nas orações subordinadas
adverbiais concessivas. Ele transmite contraste e faz subentender a conjunção
embora, apesar de:
Mesmo sem falar, todos entenderam sua reprovação às opiniões.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 18 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

6. Retificação: aliás, ou melhor, isto é, ou antes etc.


Comprei cinco, aliás, seis livros. Correu, isto é, voou até nossa casa.
Para a banca é importante notar a ideia de correção ao que foi dito
anteriormente e por isso a expressão deve ficar separada por vírgula(s). Note
que a expressão “isto é” também foi vista como explicação (ratificação), por
isso deve-se ter muito cuidado com o contexto.
7. Situação: mas, então, pois, afinal, agora, etc.
Mas que felicidade. Então duvida que se falasse latim?
Pois não é que ele veio. Afinal, quem tem razão?
Posso mostrar-lhes o sítio; agora, vender eu não vendo.
A banca pergunta se os vocábulos “Mas”, “Então” e “Pois”, nestes casos,
possuem valor de oposição, conclusão e explicação, respectivamente. Pode-se
notar claramente que não; estes vocábulos apenas motivam o início do
discurso, como ocorre com o coloquialismo “Hum...”, “senão vejamos”, etc.
8. Expletivo e realce: é que; lá, cá, só, ora, que, mesmo, embora.
Nós é que somos brasileiros. Eu sei lá!
Eu cá me arranjo. Vejam só que coisa!
Ora, decidamos logo o negócio. Oh! Que saudades que tenho!
É isso mesmo. Vá embora!
Normalmente as palavras expletivas ocorrem por motivo de ênfase e
estilo; mas o vocábulo “ora” geralmente inicia uma consideração do autor,
uma avaliação que pode também ser entendida como conclusão.
9. Afetividade: felizmente, infelizmente, ainda bem:
Felizmente não me machuquei.
Ainda bem que o orador foi breve!

Questão 16: Banco do Brasil – 2012 – Escriturário (banca Cesgranrio)


A palavra mesmo está sendo empregada com o sentido igual ao que se
verifica em “No final, o Brasil foi campeão mesmo, e a Apollo 13 retornou a
78447984915

salvo para o planeta Terra, apesar de problemas gravíssimos.”, na seguinte


frase:
(A) O diretor preferiu ele mesmo entregar o relatório ao conselho.
(B) Mesmo sabendo que a proposta não seria aceita, ele a enviou.
(C) Fui atendido pelo mesmo vendedor que o atendeu anteriormente.
(D) Você sabe mesmo falar cinco idiomas fluentemente?
(E) Ele ficou tão feliz com a notícia que pensou mesmo em sair dançando.
Comentário: Na frase do pedido da questão, o vocábulo “mesmo” é um
advérbio que transmite certeza: o Brasil realmente foi campeão. Agora,
devemos encontrar nas alternativas semelhante sentido.
Na alternativa (A), o vocábulo “mesmo” é um pronome demonstrativo e
serve apenas para reforçar a ideia reflexiva: “O diretor preferiu ele próprio
entregar o relatório ao conselho.”

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 19 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Na alternativa (B), o vocábulo “Mesmo” é uma preposição acidental que


inicia uma oração subordinada adverbial concessiva.
Na alternativa (C), o vocábulo “mesmo” é um adjetivo.
A alternativa (D) é a correta, pois o vocábulo “mesmo” é um advérbio
que transmite certeza: Você sabe realmente falar cinco idiomas
fluentemente?
Na alternativa (E), o vocábulo “mesmo” é uma palavra denotativa de
inclusão: Ele ficou tão feliz com a notícia que pensou até em sair dançando.
Gabarito: D

Questão 17: BNDES – 2010 – Técnico Administrativo (banca Cesgranrio)


Fragmento do texto: Ainda à frente de sua época e indiretamente
colaborando para os dias atuais, Einstein mais uma vez apresenta uma citação
interessante: “no meio de qualquer dificuldade encontra-se a oportunidade”.
Ou seja, mesmo em meio a uma crise, podemos encontrar oportunidades.
Oportunidades aos empreendedores, aos inovadores, às pessoas e empresas
que tiverem atitude e criatividade, que saiam da mesmice, que não se
apeguem a fatos já conhecidos, mas busquem o novo, o desconhecido.
Em “Ou seja, mesmo em meio a uma crise, podemos encontrar
oportunidades.”, o conector destacado introduz uma
(A) explicação. (B) retificação. (C) conclusão.
(D) consequência. (E) exemplificação.
Comentário: Note que a expressão “Ou seja” é denotativa de explicação. O
autor explica que podemos encontrar oportunidades em meio a uma crise, a
fim de confirmar a citação de Einstein. Você poderia ter dúvida quanto a uma
possível exemplificação, porém a expressão que marca este valor é “como”,
“por exemplo” etc.
Gabarito: A

Questão 18: BNDES – 2010 – Técnico Administrativo (banca Cesgranrio)


Fragmento do texto: E para fechar este artigo com chave de ouro, cito outra
sábia frase de Einstein: “Algo só é impossível até que alguém duvide e acabe
78447984915

provando o contrário”. Acredite, tudo é possível desde que seja dado o


primeiro passo.
A palavra destacada em “Algo só é impossível...” pode ser substituída, sem
alterar o sentido, por
(A) então. (B) também. (C) apenas. (D) até. (E) ainda.
Comentário: A palavra denotativa de limitação “só” pode ser substituída por
“apenas”. Confirme:
“Algo só é impossível até que alguém duvide e acabe provando o contrário”
“Algo apenas é impossível até que alguém duvide e acabe provando o contrário”
Gabarito: C

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 20 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 19: DPE RO 2015 Analista Contábil (banca FGV)


O Estatuto da Criança e do Adolescente, o ECA, é uma lei bem justa e
generosa, ainda largamente ignorada em suas medidas de proteção e
promoção. Mesmo quanto às sanções previstas no estatuto, antes de se chegar
à internação, há uma série de outras menos severas, como a advertência, a
prestação de serviços à comunidade e a liberdade assistida, que são
frequentemente ignoradas, passando-se diretamente à privação de liberdade,
mesmo em casos em que isso não se justifica. Os poderes públicos, inclusive o
Judiciário, estão em dívida com a sociedade por conta da inobservância do
estatuto em sua integralidade.
Nesse segmento do texto 2 há duas ocorrências sublinhadas do vocábulo
“mesmo”; sobre essas ocorrências, é correto afirmar que:
(A) ambas equivalem ao sentido de inclusão;
(B) só a primeira ocorrência indica concessão;
(C) só a segunda ocorrência indica concessão;
(D) só a primeira ocorrência indica inclusão;
(E) só a segunda ocorrência indica inclusão.
Comentário: Veja que a palavra “mesmo” pode ser substituída pelas palavras
de inclusão “até” ou “inclusive”:
Até quanto às sanções previstas no estatuto, antes de se chegar à internação,
há uma série de outras menos severas, como a advertência, a prestação de
serviços à comunidade e a liberdade assistida, que são frequentemente
ignoradas, passando-se diretamente à privação de liberdade, até em casos em
que isso não se justifica.
Assim, há uma noção de inclusão nas duas ocorrências e a alternativa
correta é a (A).
Note que não há uma ideia de contraste, por isso não conseguimos
subentender as palavras “embora” ou “apesar de”.
Gabarito: A

Questão 20: Câmara Municipal de Recife 2014 – Analista (banca FGV)


78447984915

Fragmento do texto: Superinteressante, 2009


Sempre existiram jovens e velhos. Mas a noção de juventude que a
gente tem é bem mais recente: começou nos EUA e na Europa dos anos 20.
Foi quando as universidades se tornaram comuns e atrasaram a idade em que
as pessoas casavam e tinham filhos. De uma hora para outra, cada vez mais
gente passava a desfrutar esse intervalo que quase não existia antes: o limbo
entre a infância e a vida adulta para valer. Um limbo, aliás, que fica cada vez
mais longo.
“Um limbo, aliás, que fica cada vez mais longo”.
O termo “aliás” equivale semanticamente a diferentes expressões; no caso do
texto, seu significado é:
(A) de outra maneira;
(B) do contrário;

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 21 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

(C) além do mais;


(D) não obstante;
(E) a propósito.
Comentário: A questão explora o valor da palavra denotativa de inclusão
“aliás”. Note que tal palavra pode ter outros valores em outros contextos,
como o de retificação, por exemplo. Mas, neste contexto, entendemos que o
autor reforça a ideia anterior e lhe acrescenta que o limbo entre a infância e a
fase adulta fica cada vez mais longo.
Naturalmente você ficou em dúvida entre a alternativa (C) e (E), pois,
ao inserirmos as expressões “além do mais” e “ a propósito”, mantemos a
coerência na argumentação.
Mas a questão pediu a alternativa que mantém o mesmo sentido. Veja
que a expressão “a propósito” tem o sentido de “oportunamente”,
“convenientemente”, sentido que não é percebido no trecho original com a
expressão “aliás”.
Veja bem: nós até poderíamos inserir tal expressão mantendo a
coerência nos argumentos, mas mudaríamos o sentido original.
Na realidade, a expressão “aliás”, por transmitir neste contexto uma
ideia de inclusão, cabe a expressão “além do mais” para se preservar o
sentido.
Gabarito: C

Questão 21: Funarte 2014– Administrador (banca FGV)


“...na Canção do Exílio, Gonçalves Dias roga a Deus não permitir que morra
sem que volte para lá, isto é, para cá”.
Nesse segmento, a expressão “isto é” tem a função de:
(A) acrescentar uma informação que confirma algo dito anteriormente;
(B) apresentar uma informação que contrasta com outra anterior;
(C) corrigir uma informação já passada;
(D) explicar uma informação anteriormente dada;
(E) expressar uma oposição parcial a uma informação dada antes.
Comentário: Vimos que “isto é” pode ser uma expressão denotativa de
78447984915

explicação ou de retificação. Assim, você poderia ter ficado na dúvida entre as


alternativas (B), (C) e (D).
Mas veja que o autor não quis corrigir a informação anterior, nem
reforçar o contraste. Na realidade, ele quis explicar que “Gonçalves Dias”
estava no exílio. Assim, estava fora do Brasil. Então, ele rogava a Deus que
não permitisse que ele morresse sem voltar para sua terra natal: o Brasil.
Como o autor do texto está no Brasil falando sobre Gonçalves Dias, ele
explicou que a expressão “para lá” de Gonçalves Dias é o “para cá” em relação
ao autor.
Assim, a alternativa correta é a (D).
Gabarito: D

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 22 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 22: Câmara M Recife 2014 Assistente Administrativo (banca FGV)


A guerra on-line como ocorre hoje, ou seja, transmitida em tempo real,
mobiliza as pessoas e se torna assunto de conversas, tema de programas
transmitidos na televisão, objeto de comentaristas e especialistas de
diferentes áreas. Enfim, a guerra “do outro” passa a ser a guerra de todos.
A expressão “ou seja”, presente no texto, tem o papel de:
(A) explicar; (B) justificar; (C) corrigir;
(D) ampliar; (E) enumerar.
Comentário: Vimos que “ou seja” pode ser uma expressão denotativa de
explicação ou até de retificação. Mas neste contexto fica claro que a expressão
iniciada por “ou seja” (transmitida em tempo real) explica a expressão
anterior “A guerra on-line”. Assim, a alternativa correta é a (A).
Gabarito: A

Objeto direto: Vimos que esse termo é o complemento de um verbo


transitivo direto. Ele tem como núcleo um substantivo ou palavra de valor
substantivo.
Perdi os documentos.
Note que “documentos” é o núcleo (palavra mais importante do termo) do
objeto direto e é um substantivo. O objeto direto se apresenta de diferentes
formas.
I - Objeto direto pleonástico: Normalmente, por uma questão de ênfase,
antecipa-se o objeto, colocando-o no início da frase, e depois é repetido por
meio de um pronome oblíquo átono. A esse objeto repetido damos o nome de
objeto pleonástico ou enfático. É muito comum essa construção no diálogo,
como um meio de o interlocutor retomar a fala do outro, emendando a sua
postura diante do fato:
- O que você acha desta roupa?
- Essa roupa, ninguém a quer.
A expressão “Essa roupa” é o objeto direto e o pronome “a” é o objeto
78447984915

direto pleonástico. Neste caso, ocorre a vírgula.


II - Objeto direto preposicionado: aquele cuja preposição não é exigência do
verbo, que é transitivo direto, mas ocorre por ênfase, para se evitar
ambiguidade ou por necessidade do próprio complemento.
Amo a Deus. (ênfase)
Cumpri com a minha palavra. (ênfase)
Ele puxou da espada. (ênfase)
Aos mais desfavorecidos atingem essas medidas. (para evitar ambiguidade)
Ninguém entende a mim. (necessidade do pronome “mim”)
Note que os verbos amar, cumprir, puxar, atingir e entender não
regem preposição, porque são transitivos diretos. Normalmente as provas
perguntam se foram esses verbos que exigiram a preposição, mas nesses
casos não foram eles que a exigiram.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 23 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Nos três primeiros exemplos, perceba que pode haver a seguinte


estrutura oracional: Amo Deus; Cumpri a minha palavra; Ele puxou a
espada. A inserção da preposição, então, não foi exigida pelo verbo, ela
apenas enfatiza o complemento.
No quarto exemplo, se não houvesse a preposição “A” no início da
expressão “Aos mais desfavorecidos”, certamente o leitor teria dificuldade em
identificar o sujeito (Essas medidas atingiram os mais desfavorecidos ou
os mais desfavorecidos atingiram essas medidas?). Essa dupla
possibilidade de interpretação é chamada de ambiguidade. Numa situação
formal, deve-se evitar essa ambiguidade para que o texto seja o mais claro
possível.
No último exemplo, tem-se o pronome pessoal oblíquo tônico “mim”. Se
não houvesse a preposição, esse pronome deveria ser oblíquo átono “me”. Isso
será visto na aula de pronomes.
III - Objeto direto interno (ou cognato):
Foi visto que verbos intransitivos são aqueles que, por terem sentido
completo, não reclamam um complemento (objeto). É comum, no entanto, o
emprego desses verbos com um objeto, representado por um substantivo da
mesma área semântica do verbo. Muitas vezes, o complemento tem o radical
do verbo:
Ele vive uma vida feliz. Dormi o sono dos justos.
“Os sonhos mais lindos sonhei....” “E rir o meu riso...”
Essas estruturas são admissíveis em composições de canções, poemas
ou prosas com fundo literário. Numa linguagem objetiva, com fundamentação
argumentativa, essa construção deve ser evitada.
IV – Os pronomes oblíquos átonos “me”, “te”, “se”, “o”, “a”, “os”, “as”, “nos”,
“vos” cumprem a função sintática de objeto direto: Comprei um carro
(comprei-o.).
Questão 23: EsPCEx 2013 (Exército) 78447984915

Assinale a alternativa que contém um complemento verbal pleonástico.


a) Assistimos à missa e à festa.
b) As moedas, ele as trazia no fundo do bolso.
c) Deste modo, prejudicas-te e a ela.
d) Atentou contra a própria vida e dos passageiros.
e) Técnica e habilidade sobram-lhe e aos adversários.
Comentário: Vimos que a composição do complemento verbal pleonástico
ocorre com o complemento normalmente separado por vírgula¹, e em seguida
há o pronome com a mesma função², referenciando esse termo anterior.
Assim, a alternativa correta é a (B).
As moedas¹, ele as² trazia no fundo do bolso.
Note que o verbo “trazia” é transitivo direto, o pronome “ele” é o
sujeito, o termo “as moedas” é o objeto direto e o pronome “as” é o objeto

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 24 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

direto pleonástico.
Na alternativa (A), o verbo “Assistimos” é transitivo indireto e a
expressão “à missa e à festa” é o objeto indireto composto.
Na alternativa (B), o verbo “prejudicas” é transitivo direto, “Deste
modo” é o adjunto adverbial de modo. Assim, “te e a ela” é o objeto direto
composto. Assim, entendemos que alguém prejudica alguém. Neste contexto,
alguém prejudica a si mesmo e a outra pessoa.
O pronome “te” é reflexivo e a expressão “a ela” é o segundo elemento
desse objeto direto. O pronome “ela”, por ser um pronome oblíquo tônico,
deve ser precedido de preposição. Por isso, o segundo termo é objeto direto
preposicionado.
Na alternativa (D), o verbo “Atentou” é transitivo indireto e a expressão
“contra a própria vida e dos passageiros” é o objeto indireto.
Na alternativa (E), o verbo “sobram” é transitivo indireto e a expressão
“lhe e aos adversários” é o objeto indireto composto.
Gabarito: B

Questão 24: UFPB 2016 Administrador (banca IDECAN)


O respeito à diversidade e suas implicações nos direitos humanos
A diversidade é um dos temas mais atuais da sociedade, e ao se pensar na
escola, é um tema que ganha extrema relevância. Pois é na escola, onde a
criança e o jovem desenvolve grande parte de suas relações sociais, que é
necessário se desenvolver e ampliar a cultura do respeito ao que é diferente.
Quando se trata de inclusão/exclusão, é oportuno compreender mais
amplamente esses processos abordando-os de forma dialética.
Na abordagem da dialética inclusão/exclusão, realça-se o entendimento
de que, para compreensão desses processos e o enfrentamento da exclusão, é
necessário percebê-los de modo mais abrangente, em seu alcance e
ocorrências, e não apenas com referência a um único grupo social.
Dentre os termos destacados, identifique o que NÃO possui a mesma
classificação sintática dos demais.
78447984915

a) “[...] é um tema que ganha extrema relevância." (subtítulo)


b) “[...] realça-se o entendimento de que, [...]" (2º§)
c) “[...] abordando-os de forma dialética. [...]" (1º§)
d) “[...] é necessário percebê-los de modo mais abrangente, [...]" (2º§)
Comentário: Na alternativa (A), o verbo “ganha” é transitivo direto e o termo
“extrema relevância” é o objeto direto.
Na alternativa (B), temos o termo “o entendimento”, o verbo transitivo
direto “realça” e o pronome “se”. Como ainda não o estudamos, vamos pular
para as próximas alternativas e voltamos ao final da última alternativa.
Na alternativa (C), o verbo “abordando” é transitivo direto e o pronome
“os” é o objeto direto.
Na alternativa (D), o verbo “perceber” é transitivo direto e o pronome
“os” (-los) é o objeto direto.
Então, se você havia ficado com dúvida sobre o valor do pronome “se”,

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 25 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

na alternativa (B), devo lembrar que veremos na aula de concordância que o


pronome “se”, quando ligado a verbo transitivo direto, pode ser um pronome
apassivador, um pronome reflexivo ou um pronome recíproco. Por enquanto,
basta entender que a expressão “o entendimento” é o sujeito paciente (o
entendimento de algo é realçado), o pronome “se” é apassivador e não possui
função sintática. Sempre que tivermos um pronome apassivador,
consideramos que a voz verbal da oração é paciente.
Assim, confirmamos que a alternativa (B) é a que deve ser marcada.
Veremos muito disso na aula de concordância.
Gabarito: B

Questão 25: SEARH 2016 Professor (banca IDECAN)


Em “Romeu deu voz ao sublime Bardo e a própria noite aguçou seus ouvidos.”
é correto afirmar em relação aos termos destacados, que
a) há apenas dois termos adjacentes, ou complementares, da forma verbal
“deu”.
b) há três complementos verbais, sendo a relação de transitividade diferente
entre os mesmos.
c) apenas dois deles podem ser identificados como complementos verbais
que possuem uma relação indireta com o verbo ao qual estão ligados.
d) o primeiro termo em destaque é o único complemento da forma verbal
“deu” no segmento em análise, os demais são complementos de termos
diferentes.
Comentário: Temos duas orações na frase acima, pois temos dois verbos.
Assim, devemos analisar os termos em relação a cada verbo.
A primeira oração é “Romeu deu voz ao sublime Bardo”. Assim, temos o
verbo transitivo direto e indireto “deu”, o termo “voz” é o objeto direto e “ao
sublime Bardo” é o objeto indireto.
A segunda oração é “a própria noite aguçou seus ouvidos”. Assim, temos
o verbo transitivo direto “aguçou”, o sujeito “a própria noite” e o objeto direto
“seus ouvidos”.
Devemos lembrar que complementos verbais são apenas os objetos
78447984915

direto e indireto. O sujeito não pode ser considerado um complemento verbal.


Com base nisso, entendemos que a única resposta possível é a
alternativa (A), pois ela excluiu o terceiro elemento sublinhado. Ela fez uma
afirmação apenas dos dois primeiros. Realmente as expressões “voz” e “ao
sublime Bardo” são dois termos adjacentes, complementares, da forma verbal
transitivo direta e indireta “deu”, pois, como vimos, temos o objeto direto
“voz” e o objeto indireto “ao sublime Bardo”.
A alternativa (B) está errada, porque não há três complementos verbais,
porque sujeito não é complemento.
A alternativa (C) está errada, pois não há apenas uma relação indireta
com o verbo, há o objeto direto “voz”.
A alternativa (D) está errada, pois o primeiro termo em destaque não é
o único complemento da forma verbal “deu”. O termo “ao sublime Bardo” é o
objeto indireto do verbo “deu”.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 26 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Gabarito: A

Questão 26: Pref Rio Novo do Sul–ES 2015 Agente Fiscal (banca IDECAN)
Nos fragmentos a seguir, os trechos sublinhados exercem a mesma função,
EXCETO:
a) “O ano de 2015 será, mais uma vez, ruim para quem vende.”
b) “Dívidas de longo prazo são corrigidas pela inflação, também em alta.”
c) “Muita gente fala que, com a inflação e a recessão, pode perder o emprego
ou os clientes.”
d) “Quando morder meu bolso, eu nem saberei de onde terá vindo o ataque,
não terei tempo de me defender.”
Comentário: Nas alternativas, há três termos sublinhados com a função de
sujeito e um com a de objeto direto.
Note que os verbos “será”, “são corrigidos” e “fala” referem-se aos
respectivos sujeitos “O ano de 2015”, “Dívidas de longo prazo” e “Muita
gente”. Assim, sabemos que a alternativa (D) é a que apresenta termo
sublinhado com valor diferente dos demais, pois “meu bolso” é o objeto direto
do verbo “morder”. O sujeito agente não se encontra nesta frase. Ele ficou
subentendido no texto.
Gabarito: D

Questão 27: COREN MA 2013 Agente Administrativo (banca IDECAN)


Em "Conseguiram muita coisa desde então,...", a expressão sublinhada
desempenha a mesma função sintática que a destacada em
a) " Do contrário, vencerá o prazo legal,..."
b) "... os deputados reincidem na redação..."
c) "... (com o risco de suscitar ações na Justiça )."
d) " O Congresso finalizou em abril, na Câmara,..."
e) " Chegou a hora de ruralistas cederem na intransigência."
Comentário: Na oração “Conseguiram muita coisa desde então”, o verbo
conseguiram encontra-se no singular e o termo “muita coisa” está no
singular. Isso nos mostra que o sujeito não está explícito no texto, o verbo é
78447984915

transitivo direto e o termo “muita coisa” é o objeto direto.


Assim, devemos encontrar o objeto direto dentre as alternativas.
Na alternativa (A), o verbo “vencerá” é intransitivo e o termo “o prazo
legal” é o sujeito: o prazo legal vencerá.
Na alternativa (B), o verbo “reincidem” concorda com o sujeito “os
deputados”.
A alternativa (C) é a correta, pois o termo “ações” está no plural, mas o
verbo permanece no singular, o que dá a noção de que o verbo é transitivo
direto e o termo “ações” é o objeto direto.
A alternativa (D) está errada, pois o verbo “finalizou” tem como sujeito
o termo “O congresso”.
A alternativa (E) está errada, pois o verbo “Chegou” tem como sujeito
todo o segmento “a hora de ruralistas cederem na intransigência”.
Gabarito: C
Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 27 de 75
Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 28: Campos-RJ 2012 Assistente Técnico Legislativo (banca Consulplan)


Analise o trecho a seguir: “... sem que saibamos como, experimentamos
sentidos, significados, significações, emoções, desejos, ideias.” A respeito dos
termos grifados, é correto afirmar que
A) possuem sentidos contrários.
B) possuem o mesmo significado.
C) exercem a mesma função sintática.
D) pertencem a diferentes classes de palavras.
E) exprimem emoção ou sentimento repentino.
Comentário: O verbo “experimentamos” é transitivo direto e o termo
enumerado “sentidos, significados, significações, emoções, desejos, ideias” é
o objeto direto composto. Por isso, os termos grifados exercem a mesma
função sintática.
Gabarito: C

Questão 29: Pref SDP-MG 2012 Auxiliar Adm (banca Consulplan)


No trecho “em vez de deixá-los em frente à TV”, a função sintática do termo
sublinhado é de
A) sujeito. B) objeto direto. C) objeto indireto.
D) predicado. E) adjunto adnominal.
Comentário: O verbo “deixar”, neste contexto, é transitivo direto, o pronome
“-los” é o objeto direto e “em frente à TV” é o adjunto adverbial de lugar. Por
isso, a alternativa correta é a (B).
Gabarito: B

Objeto indireto: complemento de um verbo transitivo indireto.


Necessitamos de apoio.
Ele pode também ser pleonástico: repetição, por meio de um pronome
oblíquo, do objeto indireto.
Ao amigo, não lhe peça tal coisa.
78447984915

A expressão “Ao amigo” é o objeto indireto e o pronome “lhe” é o objeto


indireto pleonástico. Neste caso, a vírgula é obrigatória.
Os pronomes oblíquos átonos “me”, “te”, “se”, “lhe”, “lhes”, “nos”, “vos”
cumprem a função sintática de objeto indireto:
Obedeço ao chefe (Obedeço-lhe).
Questão 30: EsSA 2016 Sargento (banca Exército)
Destaque a alternativa em que o termo sublinhado seja um objeto indireto:
A) Vou descobrir mundos.
B) Já tenho seis gatos em casa
C) Não recebo dinheiro há muito tempo.
D) Não quero que fiques triste.
E) Cantava para os amigos.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 28 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Comentário: Na alternativa (A), o termo “mundos” é o objeto direto, pois


“descobrir” é verbo transitivo direto.
Na alternativa (B), o termo “seis gatos” é o objeto direto, pois “tenho” é
verbo transitivo direto.
Na alternativa (C), o termo “dinheiro” é o objeto direto, pois “recebo” é
verbo transitivo direto.
Na alternativa (D), o termo “que fiques triste” é uma oração com valor
de objeto direto, pois “quero” é verbo transitivo direto.
A alternativa (E) é a correta, pois o verbo “Cantava” é transitivo indireto
e rege a preposição “para”. Assim, o único termo preposicionado dentre as
alternativas é o que apresenta o objeto indireto.
Gabarito: E

Questão 31: EsSA 2016 Sargento (banca Exército)


Assinale a alternativa que analisa correta, sintática e respectivamente os
termos destacados na frase seguinte: “Pertencem-te todos os documentos.”
A) Pronome oblíquo – sujeito
B) Objeto direto – objeto indireto
C) Objeto indireto – objeto direto
D) Objeto direto – sujeito
E) Objeto indireto - sujeito
Comentário: Na oração em destaque, o termo “todos os documentos” é o
sujeito, o qual, inclusive, forçou o verbo a se flexionar no plural.
Tal verbo é transitivo indireto e o pronome “te” é o objeto indireto. Veja
na ordem natural os termos sintáticos:
Todos os documentos pertencem-te.
Sujeito + VTI + OI
Gabarito: E

Questão 32: COFEN 2010 Analista de Pessoal (banca Consulplan)


Marque a alternativa em que a expressão destacada NÃO tem a mesma
função sintática das demais: 78447984915

A) “O inesperado elogio divino chegou aos ouvidos de Sócrates”


B) “causando-lhe uma profunda sensação de estranheza.”
C) “...célebre bordão que Sócrates legou à posteridade”
D) “destrinchava as respostas que lhe eram dadas”
E) “até levar os exaustos interlocutores a conclusões opostas”
Comentário: Na alternativa (A), o verbo “chegou” é intransitivo e o termo
“aos ouvidos de Sócrates” é o adjunto adverbial de lugar (o elogio chegou
aonde?).
Na alternativa (B), o verbo “causando” é transitivo direto e indireto, o
termo “uma profunda sensação de estranheza” é o objeto direto e o pronome
“lhe” é o objeto indireto.
Na alternativa (C), o verbo “legou” é transitivo direto e indireto (alguém
lega algo a alguém). Assim, “Sócrates” é o sujeito, o pronome relativo “que” é

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 29 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

o objeto direto e o termo “à posteridade” é o objeto indireto. (Veremos as


funções sintáticas dos pronomes relativos na aula de regência)
Na alternativa (D), a locução verbal da voz passiva “eram dadas” é
transitiva direta e indireta. Como a voz passiva não admite objeto direto, o
pronome relativo é o sujeito paciente e o pronome “lhe” é o objeto indireto.
Na alternativa (E), o verbo “levar” é transitivo direto e indireto, o objeto
direto é a expressão “os exaustos interlocutores” e o objeto indireto é “a
conclusões opostas”.
Assim, a única alternativa com termo sublinhado com função sintática
diferente é a (A).
Gabarito: A
Adjunto adnominal
Todo termo sintático da oração necessita de um núcleo, constituído de
um substantivo ou palavra de valor substantivo. Esse núcleo pode ser
caracterizado, determinado, modificado, especificado, restringido por um
termo, chamado de adjunto adnominal.
Esse termo pode ser representado por:
1) um artigo: O carro parou.
2) um pronome adjetivo: Encontrei meu relógio.
3) um numeral adjetivo: Recebi a segunda parcela.
4) um adjetivo: Tive ali grandes amigos.
5) uma locução adjetiva: Tenho uma mesa de pedra.

As nossas primeiras experiências científicas fracassaram.


artigo pronome numeral substantivo adjetivo verbo intransitivo
adjuntos adnominais núcleo adj adnominal
sujeito predicado

Complemento nominal
Como vimos no início da aula, a transitividade não é privilégio dos
verbos: há também nomes (substantivos, adjetivos e advérbios) transitivos.
Isso significa que determinados substantivos, adjetivos e advérbios se fazem
78447984915

acompanhar de complementos. Esses complementos são chamados de


complementos nominais e são sempre introduzidos por preposição:

1) complemento nominal de um substantivo:


Você fez uma boa leitura do texto.
sujeito VTD objeto direto complemento nominal
Predicado verbal

Note que o substantivo “leitura” é o nome da ação de “ler”. Como é


natural o verbo ser transitivo, o substantivo também fica transitivo.
Observe:
Você leu o texto.
sujeito VTD objeto
direto
Predicado verbal

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 30 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Compare: Júlia aproveitou o momento. (objeto direto)


Júlia tirou proveito do momento. (complemento nominal)
2) complemento nominal de um adjetivo:

Você precisa ser fiel aos seus ideais.


sujeito locução verbal adjetivo na complemento nominal
de ligação função de
predicativo
Predicado nominal

Quem é fiel é fiel a alguém ou a alguma coisa. Assim, o adjetivo “fiel” é


transitivo, ou seja, necessita de complemento.

3) Complemento nominal de advérbio:


Você mora perto de Maria.
sujeito verbo intransitivo advérbio na função de complemento
adjunto adverbial de lugar nominal
Predicado verbal

Note que o advérbio “perto” necessita de um complemento: perto de


algo ou de alguém. Podemos dizer que o complemento nominal é mais uma
função substantiva da oração: nos casos citados anteriormente, o núcleo dos
complementos é um substantivo (texto, ideais, Maria). Pronomes e numerais
substantivos, assim como qualquer palavra substantivada, podem
desempenhar essa função. Observe o pronome “lhe” atuando como
complemento nominal na oração seguinte:
Não posso ser-lhe fiel: já empenhei minha palavra com outra pessoa.
(fiel a alguém)
Observe que o complemento nominal não se relaciona diretamente com
o verbo da oração, e sim com um nome que pode desempenhar as mais
diversas funções.

A realização do projeto é necessária à população carente.


Adj. núcleo complemento VL 78447984915
predicativo do complemento nominal
Adn nominal sujeito
sujeito predicado nominal

É natural confundirmos, na estrutura sintática, os termos adjunto


adnominal com o complemento nominal. Assim, é necessário abordarmos a
diferença entre eles para uma melhor compreensão da sintaxe e da semântica.
Como distinguir o adjunto adnominal do complemento nominal
O adjunto adnominal formado por uma locução adjetiva pode ser
confundido com o complemento nominal. Normalmente não haverá dúvida,
pois, segundo o que foi visto, o adjunto adnominal é constituído de vocábulo
de valor restritivo que caracteriza o núcleo do termo de que faz parte. Já o
complemento nominal é termo que completa o sentido de um nome. Há dúvida
quando os dois termos são preposicionados. Por exemplo:
A leitura do livro é instigante. A leitura do aluno foi boa.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 31 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Para percebermos a diferença, é importante passarmos por três critérios:


1º critério:
Adjunto adnominal: Complemento nominal:
O termo preposicionado caracteriza o O termo preposicionado complementa
substantivo. um substantivo, adjetivo ou advérbio.
Assim, em orações como “Estava cheio de problemas.”, “Moro perto de
você.”, logo no primeiro critério, já saberíamos que “de problemas” e “de você”
são complementos nominais, pois completam o sentido do adjetivo “cheio” e
do advérbio “perto”, respectivamente.
2º critério:
Adjunto adnominal: Complemento nominal:
O substantivo caracterizado pode ser O substantivo complementado deve ser
concreto ou abstrato. abstrato.

Sabendo-se que um substantivo abstrato normalmente é o nome de


uma ação (corrida, pesca) ou de uma característica (tristeza, igualdade) e que
o substantivo concreto é o nome de um ser independente, que conseguimos
visualizar, pegar (casa, copo). Nas orações “Trouxe copos de vidro.” e “Vi a
casa de pedra.”, os termos “de vidro” e “de pedra” são adjuntos adnominais,
pois caracterizam os substantivos concretos “copos” e “casa”,
respectivamente.
3º critério:
Adjunto adnominal: Complemento nominal:
O termo preposicionado é agente. O termo preposicionado é paciente.

Este último normalmente é o cobrado em prova. Se os termos abaixo


sublinhados são agentes, automaticamente serão os adjuntos adnominais. Se
pacientes, serão complementos nominais. Veja:
Adjuntos adnominais:
O amor de mãe é especial. (agente: a mãe ama)
A invenção do cientista mudou o mundo. (agente: o cientista inventou)
78447984915

A leitura do aluno foi boa. (agente: o aluno leu)


Complementos nominais:
O amor à mãe também é especial. (paciente: a mãe é amada)
A invenção do rádio mudou o mundo. (paciente: o rádio foi inventado)
A leitura do livro é instigante. (paciente: o livro é lido)
Questão 33: CIAAR 2016 Primeiro-Tenente (banca Aeronáutica)
A mesma classificação sintática do termo destacado a seguir: “Eu, pobre de
mim, não desvendaria os segredos do céu.” pode ser identificada também em:
a) “Fui ao cinema com eles.”
b) “Ficamos ao lado da igreja.”
c) “Foi socorrido pelos médicos do hospital.”
d) “Ela mora perto de uma grande área industrial.”
Comentário: A expressão “do céu” se ligou ao substantivo abstrato
Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 32 de 75
Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

“segredo”. Assim, poderíamos ter dúvida entre tal expressão ser um


complemento nominal ou adjunto adnominal.
Como vimos no critério 3, quando o termo preposicionado se liga ao
substantivo abstrato, se tal termo tiver valor de agente, será adjunto
adnominal; se tiver valor paciente, será complemento nominal.
Como notamos que o céu tem segredos, há valor agente na expressão
“do céu”, por isso é adjunto adnominal.
Portanto, devemos encontrar uma alternativa que apresente adjunto
adnominal.
Na alternativa (A), o termo “ao cinema” é o adjunto adverbial de lugar.
Lembre-se de que podemos fazer a seguinte pergunta ao verbo intransitivo
“Fui”: Fui aonde? A resposta é justamente o termo “ao cinema”.
Na alternativa (B), o termo “ao lado da igreja” é o adjunto adverbial de
lugar. Lembre-se de que podemos fazer a seguinte pergunta ao verbo
Ficamos: Ficamos onde? A resposta é justamente o termo “ao lado da igreja”.
A alternativa (C) é a correta, pois o substantivo “médicos” é concreto e,
conforme vimos no critério 2, quando o termo preposicionado se ligar a um
substantivo concreto, caracterizando-o, será adjunto adnominal.
Na alternativa (D), a expressão preposicionada “de uma grande área
industrial” completa o sentido do advérbio “perto”. Assim, pelo primeiro
critério visto anteriormente na teoria, sabemos que tal termo preposicionado é
o complemento nominal.
Gabarito: C

Questão 34: EEAer 2016 Sargento (banca Aeronáutica)


Marque a opção que apresenta, em destaque, complemento nominal.
a) Referi-me aos mesmos alunos de sempre.
b) Lute pela justiça, mas não se esqueça do amor.
c) A luta contra o ócio começa com a coragem de agir.
d) Lutava, frequentemente, contra o mal de suas ações.
Comentário: Esta questão foi bem tranquila, pois pediu o complemento
nominal e apresentou somente uma alternativa em que o termo
78447984915

preposicionado se ligava a nome, que foi a alternativa (C): A luta contra o


ócio.
As demais alternativas apresentam um termo preposicionado ligado a
verbo. Assim, são complementos verbais.
Os termos “aos mesmos alunos”, “do amor” e “contra o mal” são objetos
indiretos respectivamente dos verbos “Referi”, “esqueça” e “Lutava”.
Gabarito: C

Questão 35: EEAer 2016 Sargento (banca Aeronáutica)


Marque a opção em que o termo em destaque não modifica um substantivo.
a) E nesse dia então/ vai dar na primeira edição/ cena de sangue num bar da
Avenida São João. (Paulo Vanzolini)
b) As margens plácidas do Ipiranga ouviram o brado retumbante de um
povo heroico. (Joaquim Osório Duque Estrada)

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 33 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

c) Alguma coisa acontece no meu coração/que só quando cruza a Ipiranga


com a avenida São João. (Caetano Veloso)
d) Gostava do Ipiranga quando ele ainda era um riacho bucólico e
despoluído.
Comentário: Outra questão bem tranquila, pois pediu o termo que não se
liga ao substantivo. Fica fácil notar que o termo “do Ipiranga”, na alternativa
(D), é o objeto indireto, tendo em vista ser o complemento do verbo transitivo
indireto “Gostava”. As demais alternativas apresentam adjunto adnominal.
Na alternativa (A), o termo “da Avenida São João” é adjunto adnominal
e caracteriza o substantivo concreto “bar”.
Na alternativa (B), o termo “do Ipiranga” é adjunto adnominal e
caracteriza o substantivo concreto “margens”.
Na alternativa (C), o pronome possessivo “meu” é adjunto adnominal e
determina o substantivo concreto “coração”.
Gabarito: D

Questão 36: EsPCEx 2013 (Exército)


Evadiu-se do acampamento durante uma tempestade terrível.
Assinale a alternativa cujo fragmento sublinhado possui a mesma classificação
sintática do termo “terrível”, sublinhado no trecho acima.
a) Bastou um telefonema para deixá-lo arrasado.
b) Bastou uma tacada mais forte para derrubá-lo.
c) Bastou um aceno para enchê-lo de esperanças.
d) Bastou a composição de um trecho para consagrá-lo.
e) Bastou um elogio do chefe para reanimá-lo.
Comentário: O termo “durante uma tempestade terrível” é um adjunto
adverbial de tempo, cujo núcleo é o substantivo “tempestade” e o artigo “um”
e o adjetivo “terrível” são adjuntos adnominais.
Assim, devemos marcar a alternativa em que a palavra sublinhada
ocupe a função sintática de adjunto adnominal.
Na alternativa (A), a oração “para deixá-lo arrasado” apresenta um
predicado verbo-nominal, pois apresenta o verbo transitivo direto e o
78447984915

predicativo do objeto “arrasado”.


Na alternativa (B), o termo “uma tacada mais forte” é o sujeito do verbo
intransitivo “Bastou”.
Na alternativa (C), o verbo “encher” é transitivo direto e indireto, o
pronome “o” é objeto direto e a expressão “de esperanças” é o objeto
indireto.
Na alternativa (D), o termo “a composição” é o sujeito do verbo
intransitivo “Bastou”.
A alternativa (E) é a correta, pois a expressão “do chefe” é o adjunto
adnominal, pois caracteriza o substantivo abstrato “elogio”. Conforme vimos
no critério 3, o adjunto adnominal tem valor de agente em relação ao
substantivo abstrato (o chefe elogia).
Gabarito: E

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 34 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 37: EsPCEx 2013 (Exército)


A oração que apresenta complemento nominal é:
a) O povo necessita de alimentos.
b) Caminhar a pé lhe era saudável.
c) O cigarro prejudica o organismo.
d) O castelo estava cercado de inimigos.
e) As terras foram desapropriadas pelo governo.
Comentário: A alternativa (A) não apresenta complemento nominal, pois o
verbo “necessita” é transitivo indireto e o termo “de alimentos” é o objeto
indireto.
A alternativa (B) é a correta, pois o verbo “era” é de ligação, o adjetivo
“saudável” é o predicativo e o pronome “lhe” é o complemento nominal.
A alternativa (C) não apresenta complemento nominal, pois o verbo
“prejudica” é transitivo direto, o termo “O cigarro” é o sujeito e “o organismo”
é o objeto direto.
A alternativa (D) não apresenta complemento nominal, pois há a locução
verbal da voz passiva “estava cercado”, a expressão “O castelo” é o sujeito e
“de inimigos” é o agente da passiva. Para termos certeza, basta trocarmos a
preposição “de” por “por”. Veja:
O castelo estava cercado por inimigos.
A alternativa (E) não apresenta complemento nominal, pois há a locução
verbal da voz passiva “foram desapropriadas”, a expressão “As terras” é o
sujeito e “pelo governo” é o agente da passiva.
Gabarito: B

Questão 38: EEAer 2016 Controlador de Tráfego Aéreo (banca Aeronáutica)


Leia:
I. Lembrou-se da pátria com saudades e desejou sentir novamente os
aromas de sua terra e de sua gente.
II. A defesa da pátria é o princípio da existência do militarismo.
Assinale a alternativa que apresenta correta afirmação sobre os termos
78447984915

destacados nas frases I e II.


a) As frases I e II apresentam em destaque adjuntos adnominais.
b) As frases I e II apresentam em destaque complementos nominais.
c) A frase I apresenta em destaque um objeto indireto e a frase II apresenta
em destaque um complemento nominal.
d) A frase I apresenta em destaque um objeto indireto e a frase II apresenta
em destaque um adjunto adnominal.
Comentário: Na frase I, o verbo “lembrou-se” é transitivo indireto e o termo
“da pátria” é o objeto indireto.
Na frase II, o substantivo “defesa” é abstrato e o termo “da pátria” tem
valor paciente (a pátria é defendida). Assim, o termo em negrito é o
complemento nominal.
Com base nisso, a alternativa correta é a (C).

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 35 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Gabarito: C

Questão 39: DPE RO 2015 Técnico Administrativo (banca FGV)


“O programa de medicamentos genéricos (1), criado no Brasil em 1999 com a
promulgação da Lei 9787 (2), se deu três anos após o país voltar a respeitar o
direito de patentes, em 1996. Após apenas 4 anos da criação dessa lei (3), os
genéricos já se encontravam disponíveis em mais de 4 mil apresentações,
abrangendo as principais classes terapêuticas, atendendo a mais de 60% das
necessidades de prescrições médicas (4).”

Considerando os termos sublinhados e numerados, são complementos dos


termos anteriores:
(A) (1) e (2); (B) (1), (3) e (4); (C) (2), (3) e (4);
(D) (1) e (3); (E) (1), (2) e (3).
Comentário: Os termos que completam o sentido de outro são os objetos
direto e indireto (os quais completam o sentido de um verbo transitivo) e o
complemento nominal (o qual completa o sentido de um nome transitivo).
Como os termos se ligam a nomes, sabemos que a questão quer que
identifiquemos os complementos nominais, isto é, o termo que completa o
sentido de um nome transitivo.
Vimos anteriormente que o substantivo, adjetivo e advérbio podem ser
transitivos e exigir complementos nominais. Porém, os nomes anteriores ao
termos sublinhados são substantivos (programa, promulgação, criação,
necessidades).
Como esses substantivos são abstratos, devemos passar ao terceiro
critério de diferença entre adjunto adnominal e complemento nominal.
No termo número 1, o substantivo “programa” está sendo caracterizado
pelo adjunto adnominal “de medicamentos genéricos”, pois tal termo
preposicionado não tem valor paciente. Note que o contexto não transmite a
ideia de que os medicamentos são programados, concorda? O que se quer
dizer é que o tipo de programa é o de medicamentos genéricos.
No termo número 2, o substantivo “promulgação” está sendo completado
pela expressão “da Lei 9787”, pois tal termo tem valor paciente: a Lei 9787 foi
78447984915

promulgada.
promulgar a Lei 9787 promulgação da Lei 9787
VTD + OD (termo paciente) nome + CN (termo paciente)
No termo número 3, o substantivo “criação” está sendo completado pela
expressão “dessa lei”, pois tal termo tem valor paciente: a lei foi criada.
criar essa lei criação dessa lei
VTD + OD (termo paciente) nome + CN (termo paciente)
No termo número 4, o substantivo “necessidades” está sendo
completado pela expressão “de prescrições médicas”, pois tal termo tem valor
paciente. Apesar de não conseguirmos transpor para a voz passiva, haja vista
o verbo “necessitar” ser transitivo indireto, fica fácil perceber o valor paciente
com a estrutura abaixo:

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 36 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

necessitar de prescrições médicas necessidades de prescrições médicas


VTI + OI (termo paciente) nome + CN (termo paciente)
Gabarito: C

Questão 40: DPE RO 2015 Técnico Administrativo (banca FGV)


Por que a compra do medicamento pelo princípio ativo fará baixar o preço do
medicamento?
Esta é uma das zonas de maior tensão da indústria farmacêutica mundial. Se
por um lado os medicamentos ficam mais baratos pela fórmula já existir e ser
comprovadamente eficiente, por outro lado os custos mais baixos são
consequências diretas do não investimento das fabricantes dos genéricos em
pesquisas para novos medicamentos e no marketing de seus produtos. Assim,
de certa forma, há um certo risco sobre a descoberta de novos medicamentos
bons para a população.
Por outro lado, como há o respeito às patentes dos medicamentos (salvo casos
especiais, como foi com os medicamentos do coquetel anti-HIV), as indústrias
farmacêuticas têm tempo de sobra para recuperar os investimentos em
pesquisa durante o tempo em que seus medicamentos estão “sozinhos” no
mercado. Vale também ressaltar que os medicamentos genéricos não tiram os
de marca (referência) do mercado, apenas concorrem lado a lado. (Saúde
Melhor)
O termo sublinhado abaixo que exerce a função de adjunto do termo anterior
é:
(A) compra do medicamento;
(B) preço do medicamento;
(C) fabricante dos genéricos;
(D) descoberta de novos medicamentos;
(E) marketing de seus produtos.
Comentário: O termo que exerce a função de adjunto do termo anterior é
aquele que caracteriza o termo anterior ou simplesmente tem valor agente.
Na alternativa (A), o substantivo “compra” está sendo completado pela
expressão “do medicamento”, pois tal termo tem valor paciente: o
78447984915

medicamento foi comprado.


comprar medicamento compra do medicamento
VTD + OD (termo paciente) nome + CN (termo paciente)

A alternativa (B) é a correta, pois o substantivo “preço” está sendo


caracterizado pela expressão “do medicamento”, a qual é o adjunto adnominal.
Note que não se quer tomar preço do medicamento, mas simplesmente indicar
que o medicamento tem preço. Assim, é um termo agente e esta é a
alternativa correta.
Na alternativa (C), o substantivo “fabricante” está sendo completado
pela expressão “dos genéricos”, pois tal termo tem valor paciente: os
genéricos são fabricados.
fabricar genéricos os fabricantes de genéricos
VTD + OD (termo paciente) nome + CN (termo paciente)

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 37 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Na alternativa (D), o substantivo “descoberta” está sendo completado


pela expressão “de novos medicamentos”, pois tal termo tem valor paciente:
novos medicamentos foram descobertos.
descobrir novos medicamentos a descoberta de novos medicamentos
VTD + OD (termo paciente) nome + CN (termo paciente)

Na alternativa (E), o substantivo “marketing” está sendo completado


pela expressão “de seus produtos”, pois tal termo tem valor paciente: seus
produtos são divulgados. Inseri o verbo “divulgar” no lugar de “marketing”,
pois não há ainda um verbo correlacionado a este substantivo estrangeiro.
divulgar seus produtos marketing de seus produtos
VTD + OD (termo paciente) nome + CN (termo paciente)
Gabarito: B

Questão 41: Detran 2013 – Assistente de Trânsito (banca FGV)


O elemento sintático sublinhado funciona como paciente do termo anterior em
(A) faixa de pedestres.
(B) regras de trânsito.
(C) utilização de bebidas alcoólicas.
(D) cinto de segurança.
(E) vítimas do trânsito.
Comentário: Esta questão na realidade cobra a identificação do complemento
nominal, pois é ele o termo paciente. Lembre-se que o adjunto adnominal é o
termo agente ou transmite característica, tipo, qualidade, restrição etc.
Na alternativa (A), a expressão “de pedestres” caracteriza “faixa”,
transmitindo-lhe o tipo e também restrição. Note ainda que o substantivo
“faixa” é concreto. Assim, aquela expressão é o adjunto adnominal.
Na alternativa (B), a expressão “de trânsito” caracteriza “regras”,
transmitindo-lhe o tipo e também restrição. Note ainda que o substantivo
“regras” é concreto. Assim, aquela expressão é o adjunto adnominal.
A alternativa (C) é a correta, pois o substantivo abstrato “utilização” é
seguido do complemento nominal “de bebidas alcoólicas”, o qual tem valor
78447984915

paciente, pois se entende que as bebidas alcoólicas são utilizadas:


Utilizar bebidas alcoólicas Utilização de bebidas alcoólicas
VTD + OD (termo paciente) substantivo + Complemento nominal
abstrato (termo paciente)

Na alternativa (D), a expressão “de segurança” caracteriza “cinto”,


transmitindo-lhe o tipo e também restrição. Note ainda que o substantivo
“cinto” é concreto. Assim, aquela expressão é o adjunto adnominal.
Na alternativa (E), a expressão “do trânsito” caracteriza “vítimas”,
transmitindo-lhe o tipo e também restrição. Note ainda que o substantivo
“vítimas” é concreto. Assim, aquela expressão é o adjunto adnominal.
Gabarito: C

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 38 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 42: INEA 2013 – Administrador (banca FGV)


Assinale a alternativa cujo termo sublinhado exerce função diferente da dos
demais.
(A) Conjunto de políticas.
(B) Redução de riscos.
(C) Situações de desastres.
(D) Presenças de ameaças.
(E) Condições de vulnerabilidade.
Comentário: Na alternativa (A), a expressão “de políticas” transmite o tipo
de conjunto, uma restrição. Assim, é o adjunto adnominal.
Na alternativa (C), a expressão “de desastres” transmite o tipo de
situações, uma restrição. Podemos, inclusive, substituir “de desastres” pelo
adjetivo “desastrosas”: situações desastrosas. Assim, aquela expressão é o
adjunto adnominal.
Na alternativa (D), a expressão “de ameaças” tem valor agente, pois se
entende que as ameaças estão presentes, elas apresentaram-se. Assim,
aquela expressão é o adjunto adnominal.
Na alternativa (E), a expressão “de vulnerabilidade” transmite o tipo de
condições, uma restrição. Podemos, inclusive, substituir pelo adjetivo
“vulneráveis”: condições vulneráveis. Assim, é o adjunto adnominal.
Dessa forma, fica claro que o termo “de riscos” não é simplesmente o
tipo de redução, mas ele sofre a ação da redução, pois entendemos que os
riscos são reduzidos. Dessa forma, a expressão “de riscos” é o complemento
nominal, por ter valor paciente. Confirme:
Reduzir riscos Redução de riscos
VTD + OD (termo paciente) substantivo + Complemento nominal
abstrato (termo paciente)
Gabarito: B

Questão 43: Funarte 2014– Administrador (banca FGV)


Nos dois termos “conserto do automóvel” e “concerto de Beethoven” há a
mesma relação sintática que, respectivamente, em:
78447984915

(A) criação de galinhas / criação de uma nova estrada;


(B) invasão da cidade / invasão dos bárbaros;
(C) invenção da lâmpada / invenção de novo aplicativo;
(D) cópia de um documento / cópia de uma assinatura;
(E) visão de uma ponte / visão da paisagem.
Comentário: Em “conserto do automóvel”, percebemos o terceiro critério da
diferença entre o adjunto adnominal e o complemento nominal, haja vista que
“conserto” e “concerto” são substantivos abstratos, pois são derivados dos
verbos “consertar” (arrumar) e “concertar” (harmonizar). Como sabemos que
a expressão “do automóvel” tem valor paciente (o automóvel é consertado),
há complemento nominal. Como sabemos que a expressão “de Beethoven”
tem valor agente (Beethoven concerta, harmoniza), há o adjunto adnominal.
Além disso, podemos entender que o concerto ocorre com as músicas de
Beethoven. Assim, sabemos que “de Beethoven” caracteriza “concerto”.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 39 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Agora, devemos achar uma alternativa que possua, respectivamente,


complemento nominal e adjunto adnominal.
Na alternativa (A), o substantivo “criação” é abstrato, pois deriva do
verbo “criar”. Assim, é seguido dos complementos nominais “de galinhas” e
“de uma nova estrada”, os quais têm valor paciente, pois se entende que as
galinhas são criadas e que uma nova estrada é criada. Confirme:
Criar galinhas Criação de galinhas
VTD + OD (termo paciente) substantivo + Complemento nominal
abstrato (termo paciente)

Criar uma nova estrada Criação de uma nova estrada


VTD + OD (termo paciente) substantivo + Complemento nominal
abstrato (termo paciente)

A alternativa (B) é a correta, pois o substantivo “invasão” é abstrato,


pois deriva do verbo “invadir”. Assim, é seguido do complemento nominal “da
cidade”, o qual tem valor paciente, pois se entende que a cidade foi invadida.
Já o termo “dos bárbaros” tem valor agente, pois entendemos que os
bárbaros invadiram a cidade. Assim, tal expressão preposicionada é o adjunto
adnominal. Confirme:
Invadir a cidade Invasão da cidade
VTD + OD (termo paciente) substantivo + Complemento nominal
abstrato (termo paciente)

Os bárbaros invadiram Invasão dos bárbaros


Sujeito (agente) VI substantivo + adjunto adnominal
abstrato (termo agente)

Nas alternativas (C), (D) e (E), os substantivos “invenção”, “cópia” e


“visão” são abstratos, pois derivam dos verbos “inventar”, “copiar” e “ver”,
respectivamente. Assim, são seguidos dos complementos nominais “da
lâmpada” e “de novo aplicativo”; “de um documento” e “de uma assinatura”;
e “de uma ponte” e “da paisagem”, os quais têm valor paciente. Confirme:
Inventar lâmpada 78447984915

Invenção da lâmpada
VTD + OD (termo paciente) substantivo + Complemento nominal
abstrato (termo paciente)

Inventar novo aplicativo Invenção de novo aplicativo


VTD + OD (termo paciente) substantivo + Complemento nominal
abstrato (termo paciente)

Copiar um documento Cópia de um documento


VTD + OD (termo paciente) substantivo + Complemento nominal
abstrato (termo paciente)

Copiar uma assinatura Cópia de uma assinatura


VTD + OD (termo paciente) substantivo + Complemento nominal
abstrato (termo paciente)

Ver uma ponte Visão de uma ponte


VTD + OD (termo paciente) substantivo + Complemento nominal
abstrato (termo paciente)

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 40 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Ver a paisagem Visão da paisagem


VTD + OD (termo paciente) substantivo + Complemento nominal
abstrato (termo paciente)
Gabarito: B

Questão 44: Funarte 2014 Assistente Administrativo (banca FGV)


A alternativa cujo termo sublinhado apresenta uma função sintática diferente
dos demais é:
(A) “...não se concedesse visto para quem tentasse fugir do nazismo”;
(B) “Uma brasileira, sobrevivente de um campo de extermínio nazista, ...”;
(C) “Aristides salvou dez mil judeus de uma morte certa”;
(D) “E Aristides recebeu dos israelenses o título de Justo entre as Nações’”;
(E) “E não percebi que se despedisse de mim”.
Comentário: Na alternativa (A), o termo “do nazismo” é o objeto indireto do
verbo transitivo indireto “fugir”.
Na alternativa (B), o adjetivo “sobrevivente” é seguido do complemento
nominal “de um campo de extermínio nazista”.
Na alternativa (C), o verbo “salvou” é transitivo direto e indireto, pois se
entende que alguém salvou alguém de algo. Assim, “dez mil judeus” é o
objeto direto e “de uma morte certa” é o objeto indireto.
Na alternativa (D), o verbo “recebeu” é transitivo direto e indireto, pois
se entende que alguém recebeu de outra pessoa algo. Assim, “dos
israelenses” é o objeto indireto e “o título de Justo entre as Nações’” é o
objeto direto.
Na alternativa (E), o termo “de mim” é o objeto indireto do verbo
transitivo indireto “despedisse”.
Portanto, a função sintática diferente das demais encontra-se na
alternativa (B).
Gabarito: B

78447984915

Questão 45: Câmara M Recife 2014 – Assistente Administrativo (banca FGV)


A opção em que os dois termos sublinhados exercem a função de
complementos nominais é:
(A) ambiente de paz / guerra ao terrorismo;
(B) guerra ao terrorismo / sensação de invulnerabilidade;
(C) sensação de invulnerabilidade / máscaras de gás;
(D) máscaras de gás / centro da cidade;
(E) centro da cidade / ambiente de paz.
Comentário: Com base nos critérios vistos na diferença de adjunto
adnominal e complemento nominal e nos processos usados nas questões
anteriores, podemos partir para uma resolução mais ágil, ok?!
A alternativa (A) apresenta o substantivo concreto “ambiente”. Note que
ambiente não é gerado do verbo ambientar. Tal verbo é que foi gerado desse
substantivo, haja vista que ambiente é algo concreto, onde podemos nos
Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 41 de 75
Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

situar, que podemos ver, tocar. Assim, “de paz” é apenas a característica,
sendo o adjunto adnominal.
Já o substantivo “guerra” é o nome da ação de guerrear. Assim,
chegamos ao terceiro critério e percebemos o valor paciente em “ao
terrorismo”, isto é, o terrorismo será guerreado, será combatido.
A alternativa (B) é a correta, pois “guerra” e “sensação” são
substantivos abstratos e os termos preposicionados “ao terrorismo” e “de
invulnerabilidade” são pacientes, pois entendemos que o terrorismo será
guerreado e que a invulnerabilidade será sentida.
Na alternativa (C), o substantivo “máscara” é concreto, por isso “de gás”
é apenas o adjunto adnominal.
Na alternativa (D), também o termo “da cidade” é o adjunto adnominal,
haja vista que “centro” é um substantivo concreto, um lugar.
Na alternativa (E), já vimos que ambos os termos preposicionados são
adjuntos adnominais.
Gabarito: B

Questão 46: Pref Osasco 2014– Agente de Trânsito (banca FGV)


A opção em que o termo destacado exerce função sintática diferente dos
demais é:
(A) controle das senhas;
(B) conferência de saldos;
(C) satisfação de seus funcionários;
(D) conferência de estoque;
(E) contagem do estoque.
Comentário: Todos os substantivos não sublinhados são abstratos. Assim,
podemos partir para o terceiro critério.
Na alternativa (A), “das senhas” tem valor paciente, pois entendemos
que as senhas são controladas, por isso é complemento nominal.
Na alternativa (B), “de saldos” tem valor paciente, pois entendemos que
os saldos são conferidos, por isso é complemento nominal.
Na alternativa (C), podemos entender “de seus funcionários” com valor
agente, pois os funcionários satisfazem os clientes. Mas, como não há um
78447984915

contexto, também podemos entender que os funcionários foram satisfeitos


pelo patrão, por exemplo. Assim, cabe o entendimento de complemento
nominal ou adjunto adnominal.
Na alternativa (D), “de estoque” tem valor paciente, pois entendemos
que o estoque é conferido, por isso é complemento nominal.
Na alternativa (E), “do estoque” tem valor paciente, pois entendemos
que o estoque é contado, por isso é complemento nominal.
Como a alternativa (C) é a única em que podemos entender o valor
agente do termo preposicionado, por isso é ela a correta.
Gabarito: C

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 42 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Predicativo
Esse termo se liga ao sujeito ou ao objeto, atribuindo-lhes uma qualidade
ou estado. É representado por diferentes classes gramaticais, como adjetivo,
substantivo, numeral e pronome.
A seguir, perceba os pares com predicação nominal e predicação verbal,
respectivamente. Nestes exemplos, note que o grupo à esquerda é
constituído de verbos de ligação mais os predicativos. É fácil perceber o
predicativo, pois basta o sujeito flexionar-se no plural, que o predicativo
também se flexionará, pois este caracteriza aquele. Já no grupo da direita, há
predicação verbal. Os vocábulos que vêm após os verbos não se flexionam
por causa do sujeito, pois são complementos verbais ou adjuntos adverbiais:

O candidato está tranquilo. O candidato está na sala.

Os candidatos estão tranquilos. Os candidatos estão na sala.

Bom filho torna-se bom pai. Bom filho torna a casa.

Bons filhos tornam-se bons pais. Bons filhos tornam a casa.

A aula permanece difícil. A aula permanecerá no feriado.

As aulas permanecem difíceis. As aulas permanecerão no feriado.

Predicados nominais Predicados verbais

Agora, veremos o predicado verbo-nominal. Ele é composto do predicado


verbal, o qual possui como núcleo um verbo transitivo ou intransitivo, mais um
predicativo do sujeito ou do objeto, os quais veremos mais especificamente.
I - Predicativo do sujeito (pode ocorrer num predicado nominal ou verbo-
nominal) 78447984915

A estrutura do predicado nominal é: verbo de ligação mais predicativo.


Assim,
Ele continua enfermo.
Eu sou feliz.
Minha vida é maravilhosa.
sujeito Verbo de ligação predicativo do sujeito
predicado nominal

A estrutura do predicado verbo-nominal é:


Predicado Verbal + predicativo
VTD + OD
VTI + OI
VTDI + OD + OI
VI

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 43 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

O predicativo é constituído de adjetivo restritivo, que acumula uma


característica chamada de transitória, pois depende da ação verbal para
produzir o sentido desejado. Veja:
Ela confirmou temerosa o crime.
sujeito VTD predicativo do objeto direto
sujeito
predicado verbo-nominal

Durante ou após o ato de confirmar, ela ficou temerosa. Isso é a


característica transitória do sujeito. Esta característica pode se deslocar na
oração, desde que se separe por vírgula para não se confundir com o adjunto
adnominal:
Ela, temerosa, confirmou o crime.
Temerosa, ela confirmou o crime.
Ela confirmou o crime temerosa.
Sabendo-se que o adjunto adnominal é o termo adjetivo de valor
restritivo que está junto ao núcleo, note que a vírgula foi necessária nos dois
primeiros exemplos para não se confundir predicativo com adjunto adnominal,
pois o adjetivo “temerosa” está próximo ao núcleo do sujeito “ela”. No último
exemplo, a vírgula não foi usada justamente porque não se confunde o
predicativo do sujeito com o adjunto adnominal, haja vista que o adjetivo
“temerosa” está distante do núcleo do sujeito.
II - Predicativo do objeto direto (só pode ocorrer no predicado verbo-nominal)
Carlos deixou Ana zangada.
sujeito VTD predicativo do OD
OD
predicado verbo-nominal

Da mesma forma, a característica “zangada” ocorre após o ato de deixar.


Por isso é transitória.
III - Predicativo do objeto indireto (só pode ocorrer no predicado verbo-nominal)
Gosto de meu filho sempre limpo
VTI OI adjunto predicativo
adverbial do OI
de tempo
78447984915

predicado verbo-nominal

Note que o predicativo pode ser introduzido por preposição:


Chamei-o de louco.
Questão 47: EEAer 2016 Controlador de Tráfego Aéreo (banca Aeronáutica)
Relacione as colunas e, em seguida, assinale a alternativa que apresenta a
sequência correta:
I. Predicado Verbal
II. Predicado Nominal
III. Predicado Verbo-nominal
( ) Receava que eu me tornasse rancorosa.
( ) As irmãs saíram da missa assustadas.
( ) Da janela da igreja, os padres assistiam à cena.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 44 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

a) II – I – III
b) III – I – II
c) I – III – II
d) II – III – I
Comentário: Na oração “eu me tornasse rancorosa”, há o verbo de ligação
“me tornasse” e o predicativo do sujeito “rancorosa”. Assim, há predicado
nominal.
Na oração “As irmãs saíram da missa assustadas”, há o sujeito “As
irmãs” o verbo intransitivo “saíram”, o adjunto adverbial de lugar “da missa” e
o predicativo do sujeito “assustadas”. Assim, ocorre predicado verbo-nominal.
Na oração “Da janela da igreja, os padres assistiam à cena”, há o
adjunto adverbial de lugar “Da janela da igreja”, o sujeito “os padres”, o
verbo transitivo indireto “assistiam” e o objeto indireto “à cena”. Assim, há o
predicado verbal.
Dessa forma, temos a sequência II, III e I, por isso a alternativa (D) é a
correta.
Gabarito: D

Questão 48: EEAer 2016 Sargento da Aeronáutica (banca Aeronáutica)


Leia:
“No mais interno fundo das profundas
Cavernas altas, onde o mar se esconde,
Lá donde as ondas saem furibundas [...]”
Os termos destacados no texto exercem, respectivamente, a função de
a) predicativo do objeto e predicativo do sujeito.
b) adjunto adnominal e predicativo do sujeito.
c) predicativo do sujeito e adjunto adnominal.
d) predicativo do objeto e adjunto adnominal.
Comentário: Na expressão “Cavernas altas”, há o substantivo “Cavernas”, o
qual funciona como núcleo, e o adjetivo “altas”, o qual funciona como adjunto
adnominal.
Na oração “Lá donde as ondas saem furibundas”, há o verbo
78447984915

intransitivo “saem” e o predicativo “furibundas”, o qual caracteriza o sujeito


“as ondas”. Neste caso, há um predicado verbo-nominal.
Assim, a alternativa correta é a (B).
Gabarito: B

Questão 49: PMMG 2010 CFO (banca CRS PMMG)


Observe as orações abaixo:
I. O soldado ficou muito satisfeito com a vitória.
II. Uma juíza declarou o réu culpado.
III. O motorista chamou o mecânico competente.
IV. A secretária ofereceu uma flor a um colega.
Quanto ao tipo de predicado, marque a opção CORRETA:

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 45 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

A. ( ) I. Verbo-Nominal, II. Verbal, III. Nominal, IV. Verbo-Nominal


B. ( ) I. Nominal, II. Verbo-Nominal, III. Verbo-Nominal, IV. Verbal
C. ( ) I. Nominal, II. Verbal, III. Verbal, IV. Verbal
D. ( ) I. Verbo-Nominal, II. Verbo-Nominal, III. Nominal, IV. Verbo-Nominal
Comentário: Na oração “O soldado ficou muito satisfeito com a vitória”, há o
verbo de ligação “ficou” e o predicativo “satisfeito”. Assim, há o predicado
nominal e podemos eliminar as alternativas (A) e (D).
Na oração “Uma juíza declarou o réu culpado”, o verbo “declarou” é
transitivo direto e o termo “o réu” é o objeto direto. Além disso, o termo
“culpado” é o predicativo do objeto. Uma forma de termos certeza de que
“culpado” é o predicativo do objeto e não um simples adjunto adnominal é
substituindo o objeto direto “o réu” pelo pronome átono “o”. Veja:
Uma juíza declarou-o culpado.
Como há verbo transitivo e um predicativo, o predicado é verbo-
nominal. Assim, já sabemos que a alternativa correta é a (B).
Na oração “O motorista chamou o mecânico competente”, o verbo
“chamou” é transitivo direto e o termo “o mecânico” é o objeto direto. Além
disso, o termo “competente” é o predicativo do objeto. Uma forma de termos
certeza de que “competente” é o predicativo do objeto e não um simples
adjunto adnominal é substituindo o objeto direto “o mecânico” pelo pronome
átono “o”. Veja:
O motorista chamou-o competente.
Como há verbo transitivo e um predicativo, o predicado é verbo-
nominal.
Na oração “A secretária ofereceu uma flor a um colega”, o verbo
“ofereceu” é transitivo direto e indireto e o termo “uma flor” é o objeto direto
e “a um colega” é o objeto indireto. Assim, o predicado é verbal.
Gabarito: B

Questão 50: PMMG 2010 CFO (banca CRS PMMG)


“Predicativo do sujeito é o termo que exprime um atributo, um estado ou
78447984915

modo de ser do sujeito...”


Assinale a alternativa cujo termo assinalado é um predicativo do sujeito:
A. ( ) As orquídeas do Maj Vivaldino murcharam;
B. ( ) Choveram cartas anônimas durante a noite.
C. ( ) Sua cabeça doía muito.
D. ( ) As águas de Antares podiam estar poluídas.
Comentário: Na alternativa (A), o verbo “murcharam” é intransitivo.
Na alternativa (B), o substantivo “noite” ocupa a função sintática de
núcleo do adjunto adverbial de tempo “durante a noite”.
Na alternativa (C), o verbo “doía” é intransitivo.
A alternativa (D) é a correta, pois a locução verbal “podiam estar” é de
ligação e o termo “poluídas” é realmente o predicativo do sujeito.
Gabarito: D

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 46 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 51: PMMG 2010 CFO (banca CRS PMMG)


Nos períodos abaixo, os termos destacados exercem as seguintes funções
sintáticas, respectivamente:
1. Ao ódio respondo com o perdão.
2. Teve pena de si mesmo.
3. O povo sagraram-no herói.
4. Meu nome será o símbolo da luta.
A. ( ) objeto indireto, objeto indireto pleonástico, predicativo do sujeito e
predicativo do objeto.
B. ( ) objeto indireto, complemento nominal, predicativo do objeto e
predicativo do sujeito.
C. ( ) objeto direto, complemento do verbo, predicativo do objeto e
predicativo do sujeito.
D. ( ) objeto direto, objeto indireto pleonástico, predicativo do sujeito e
predicativo do objeto.
Comentário: Na frase 1, a banca nos impõe ver o termo “com o perdão”
como objeto direto ou indireto, de acordo com as alternativas. Causa um
pouco de confusão, porque os termos “Ao ódio” e “com o perdão” são
iniciados com preposição. Notoriamente, sabemos que um verbo não pode ter
“dois complementos verbais indiretos”. O que devemos fazer? Nós devemos
partir para as demais alternativas. Normalmente, serão as demais alternativas
que farão com que nós consigamos resolver a questão.
Na frase 2, o verbo “ter” é sempre transitivo direto. Assim, é o nome
“pena” que exige o complemento nominal “de si mesmo”.
Na frase 3, o verbo “sagraram” é transitivo direto e o termo “herói”
caracteriza o objeto direto “no”. Veja que podemos pluralizar o objeto direto e
o termo “herói” também deve se flexionar: “... sagraram-nos heróis”. Assim,
o termo “herói” é o predicativo do objeto direto “no”.
Na frase 4, há o sujeito “Meu nome”, o verbo de ligação “será” e o
termo “o símbolo da luta” é o predicativo do sujeito.
Assim, sabemos que a alternativa correta é a (B).
78447984915

Por esta alternativa, a banca nos impõe ver o termo “com o perdão”
como objeto indireto. Na realidade, o ideal seria classificá-lo como adjunto
adverbial de meio ou de modo. Isto é, responder ao ódio por meio de quê?
Porém, o entendimento da banca é que “ao ódio” seria o objeto direto
preposicionado e o termo “com o perdão” seria o objeto indireto.
Transformando para objeto direto comum, temos “Respondo o ódio com o
perdão”.
Assim, mesmo que nós não concordemos com a banca, conseguimos
resolver a questão e partir para a próxima, concorda?
Gabarito: B

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 47 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 52: Pref N. Sa. Socorro – 2011 – Contador (banca AOCP)


“Ele se tornou fundamental para a filosofia e a religião.”
Assinale a alternativa INCORRETA quanto ao que se afirma do fragmento
acima.
(A) O verbo “tornou-se” é verbo de ligação.
(B) A expressão “fundamental” é predicativo do sujeito “ele”.
(C) O elemento “se” funciona como objeto direto do verbo “tornar”.
(D) A expressão “a religião” é complemento nominal do nome “fundamental”.
(E) A expressão “a filosofia” é complemento nominal do nome “fundamental”.
Comentário: O verbo “tornar” normalmente é intransitivo, quando tem o
sentido de voltar, retornar: Ele tornou a sua cidade. (ele voltou)
Mas esse verbo recebeu o pronome “se”, chamado de parte integrante,
transformando a regência deste verbo, passando a verbo de ligação. Note que
o termo “fundamental” transmite a característica do sujeito “Ele”, por isso
“fundamental” é o predicativo do sujeito “Ele”.
A parte integrante (“se”) não tem função sintática, ela simplesmente
existe para mudar a transitividade do verbo (de intransitivo para de ligação).
O termo “para a filosofia e a religião” é o complemento nominal
composto do nome “fundamental”. Por isso, podemos considerar as
alternativas (D) e (E) como corretas. Uma observação deve ser feita. Como a
questão pediu apenas a incorreta, o fato de as alternativas (D) e (E) não
inserirem a preposição “para” iniciando o complemento nominal não significa
que estariam erradas.
Por isso, o erro está na alternativa (C).
Gabarito: C

Questão 53: Pref Lagarto – 2011 – Médico (banca AOCP)


Em “A escola não é uma ilha.”
A expressão uma ilha funciona como
(A) objeto direto. (B) predicativo do sujeito.
78447984915

(C) adjunto adnominal. (D) adjunto adverbial.


(E) agente da passiva.
Comentário: O verbo “é” é de ligação e o termo “uma ilha” é o predicativo do
sujeito.
Gabarito: B

Agente da passiva: Este termo será mais explorado na próxima aula,


quando falaremos das vozes verbais. Cabe aqui perceber que ele é quem
pratica a ação verbal quando o verbo está na voz passiva analítica. É
introduzido pelas preposições por (e suas contrações) ou, mais raramente, de:
A grama foi aparada pelo jardineiro. (voz passiva)
A casa estava cercada de ladrões. (voz passiva)

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 48 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 54: PMMG 2009 CHO/CSTGSP Administração (banca CRSPMMG)


Leia atentamente:
“A crise do direito autoral é a crise do capitalismo privatista.”
A respeito da sentença acima, marque a alternativa CORRETA.
A. ( ) O termo “(...) do capitalismo privatista.” é o agente da passiva.
B. ( ) “(...) a crise do capitalismo privatista” é o objeto indireto.
C. ( ) O predicado é nominal.
D. ( ) Trata-se de período composto por coordenação.
Comentário: Na oração “A crise do direito autoral é a crise do capitalismo
privatista”, há o verbo de ligação “é”, o sujeito “A crise do direito autoral” e o
predicativo “a crise do capitalismo privatista”.
Assim, há um predicado nominal e a alternativa correta é a (C).
Há apenas um verbo, por isso há apenas um período simples,
invalidando a alternativa (D).
Como já foi falado que a expressão “A crise do direito autoral” é o
sujeito, confirmamos que a alternativa (B) está errada.
Por fim, o núcleo do predicativo é o substantivo “crise”. Assim, o artigo
“a” e a locução adjetiva “do capitalismo privatista” são os adjuntos
adnominais. Isso deixa claro que não há agente da passiva e podemos
eliminar também a alternativa (A).
Gabarito: C

Questão 55: PMMG 2013 CHO/CSTGSP Administração (banca CRSPMMG)


A respeito da análise dos termos sublinhados, marque a alternativa CORRETA:
A. ( ) O problema deixou-me sem apetite. (Predicativo do Objeto)
B. ( ) Por quem teria sido ele ameaçado? (Objeto Indireto)
C. ( ) O aviso de perigo foi dado às 12h. (Adjunto Adverbial)
D. ( ) Deste modo, prejudicamos a ti e a ele. (Objeto Indireto)
Comentário: A alternativa (A) é a correta, pois o verbo “deixar” é transitivo
direto, o pronome “me” é o objeto direto.
Muita gente deixou de marcar esta alternativa como correta, porque
78447984915

entendeu “sem apetite” como um suposto adjunto adverbial. Muitos


candidatos alegaram que tal expressão não se flexionaria de acordo com o
objeto direto, por isso a entendeu como adjunto adverbial.
Porém deve-se perceber que tal termo não se referiu ao verbo, não se
marcou aí a forma como ocorreu o problema. Tal termo se refere
especificamente ao objeto direto. O problema ocorreu com alguém e essa
pessoa ficou sem apetite, isto é, inapetente. Assim, a expressão “sem apetite”
caracteriza o objeto direto. Tal expressão, apesar de ser uma locução
adjetiva, não pode ser flexionada, por conta da preposição “sem”, a qual
marca anulação. Dessa forma, fica mais evidente o valor adjetivo quando
substituímos tal expressão pelo adjetivo “inapetente”.
Então, ao passarmos o objeto direto para o plural, naturalmente o
adjetivo passará para o plural.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 49 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Veja:
O problema deixou-me inapetente.
O problema deixou-nos inapetentes.
Isso confirma que o termo “sem apetite” (inapetente) é o predicativo do
objeto direto.
A alternativa (B) está errada, pois “Por quem” é o agente da passiva.
Reordenando a oração fica mais fácil perceber o agente da passiva:
Ele teria sido ameaçado por quem?
Note que podemos transformar a voz passiva na voz ativa. Veja:
Alguém o teria ameaçado?
A alternativa (C) está errada, pois a expressão “de perigo” marca o tipo
de aviso. Assim, tal expressão é o adjunto adnominal, o qual caracteriza o
núcleo “aviso”.
A alternativa (D) está errada, pois o verbo “prejudicaremos” é transitivo
direto e o termo “a ti e a ele” é o objeto direto composto preposicionado. Note
que não há objeto indireto, tendo em vista que esse verbo é transitivo direto
(alguém prejudica outra pessoa).
A preposição ocorreu, porque os pronomes oblíquos tônicos “ti” e “ele”
devem ser precedidos de preposição. Poderíamos substituí-los por “vos”. Veja:
Deste modo, prejudicamo-vos.
Gabarito: A

Aposto: É um termo que amplia, explica, desenvolve ou resume o


conteúdo de outro termo. O aposto classifica-se em:
1) explicativo
Raquel, contadora da firma, está viajando.
Um trabalho — tua monografia — foi premiado.
Só queria algo: apoio. 78447984915

Obs.: O aposto explicativo pode vir com vírgulas, travessões, parênteses ou


dois-pontos.
2) enumerativo ou distributivo
Ganhei dois presentes: uma joia especial e um livro raro.
Suas reivindicações incluíam muitas coisas: melhor salário, melhores
condições de trabalho, assistência médica extensiva a familiares.
Obs.: O aposto enumerativo é antecedido por dois-pontos. Isso cai muito em
prova.
3) resumitivo ou recapitulativo
Glória, poder, dinheiro, tudo passa.
Obs.: O sujeito composto “glória, dinheiro, poder” é resumido pelo pronome
indefinido tudo. É termo também antecedido de vírgula.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 50 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

4) especificativo ou apelativo
O compositor Chico Buarque é também um excelente escritor.
O estado é cortado pelo rio São Francisco.
O aposto especificativo, que não pede sinais de pontuação, indica o nome de
alguém ou algo dito anteriormente.
Observação:
O aposto pode se referir também a uma oração:
Esforcei-me bastante, o que causou muita alegria em todos.
Obs.: Palavras como o, coisa, fato etc. podem referir-se a toda uma oração.
Obs.: Palavras como o, coisa, fato etc. podem referir-se a toda uma oração.
Questão 56: EEAer 2016 Sargento Topografia (banca Aeronáutica)
Assinale a alternativa que não contém aposto.
a) É sabido, pela história, que os índios, povo nativo da Ilha de Vera Cruz,
primeiro nome do nosso Brasil, transmitiram muito de sua cultura e
costumes aos portugueses.
b) O Futurismo, movimento lançado pelo poeta italiano Marinetti em 1909,
propunha a destruição do passado e a exaltação da vida moderna.
c) “Eu sou, Senhor, ovelha desgarrada:
Cobrai-a e não queirais, Pastor Divino,
Perder na vossa ovelha a vossa glória.” (G. de Matos)
d) “Cada momento que passamos na internet será um minuto a menos no
mundo real, onde há um recurso valiosíssimo: gente, como a caixa de
supermercado, a bibliotecária e os frequentadores de shopping center.”
(Robert Wright)
Comentário: A alternativa (A) apresenta os apostos explicativos “povo nativo
da Ilha de Vera Cruz” e “primeiro nome do nosso Brasil”.
A alternativa (B) apresenta o aposto explicativo “movimento lançado
pelo poeta italiano Marinetti em 1909”.
A alternativa (C) é a que não apresenta o aposto, pois os termos
isolados por vírgula “Senhor” e “Pastor Divino” são vocativos, termo que será
visto à frente. 78447984915

A alternativa (D) apresenta o aposto explicativo “gente”, o qual é


seguido dos elementos exemplificativos “como a caixa de supermercado”, “a
bibliotecária” e “os frequentadores de shopping center”. Note que o termo
“gente” explicita qual é o “recurso valiosíssimo”.
Gabarito: C

Questão 57: UFPB 2016 Administrador (banca IDECAN)


Fragmento do texto: “Quem não se comunica se trumbica"
Esta frase é do Chacrinha, um dos mais famosos apresentadores da televisão
brasileira, falecido em 1988.
Na linha 2, após “Chacrinha", há entre vírgulas:
a) Um comentário avaliativo acerca da referência anterior.
b) Antecipação de uma informação introduzida posteriormente.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 51 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

c) Descrição que demonstra, de modo exclusivo, o caráter informativo da


linguagem.
d) Um detalhamento que tem como referência o conteúdo apresentado no
título do texto.
Comentário: A expressão “um dos mais famosos apresentadores da televisão
brasileira” é o aposto explicativo, por isso está precedida de vírgula.
Dentre as alternativas não há esse termo. Assim, devemos encontrar
qual delas mantém a ideia de explicação textualmente.
A alternativa (A) é a correta, pois a explicação “um dos mais famosos
apresentadores da televisão brasileira” é um julgamento de valor, é uma
avaliação, uma consideração de Chacrinha como apresentador da televisão.
A alternativa (B) está errada, pois o termo explicativo está depois da
palavra “Chacrinha”, por isso não antecipa a informação.
A alternativa (C) em outro contexto até poderia estar correta, pois
algumas vezes se explica com descrição de detalhes, como um conceito de
algo. Porém, neste contexto, note o conteúdo de julgamento, avaliação,
percepção de como é conhecido Chacrinha.
Também a alternativa (D), em outro contexto, até poderia ser correta,
pois um detalhamento muitas vezes é a forma como temos de especificar uma
explicação. Porém, neste contexto, vimos que há um julgamento, uma
consideração, um juízo de valor. Assim, confirmamos a alternativa (A) como a
correta.
Gabarito: A

Questão 58: UFPB 2016 Técnico em Segurança do Trabalho (banca IDECAN)


O respeito à diversidade e suas implicações nos direitos humanos
A diversidade é um dos temas mais atuais da sociedade, e ao se pensar na
escola, é um tema que ganha extrema relevância. Pois é na escola, onde a
criança e o jovem desenvolve grande parte de suas relações sociais, que é
necessário se desenvolver e ampliar a cultura do respeito ao que é diferente.
Quando se trata de inclusão/exclusão, é oportuno compreender mais
78447984915

amplamente esses processos abordando-os de forma dialética.


Na abordagem da dialética inclusão/exclusão, realça-se o entendimento
de que, para compreensão desses processos e o enfrentamento da exclusão, é
necessário percebê-los de modo mais abrangente, em seu alcance e
ocorrências, e não apenas com referência a um único grupo social.
“Os sintomas da infecção pelo zika são inaparentes ou semelhantes aos da
dengue atenuada: febre baixa, dores musculares e nos olhos, prostração e
vermelhidão na pele.”
Assinale a alternativa que justifica o uso de dois-pontos no trecho anterior.
a) Introduzir uma explicação.
b) Marcar uma citação direta.
c) Expor a conclusão de um fato.
d) Introduzir um aposto enumerativo.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 52 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Comentário: Os dois-pontos são utilizados normalmente para preceder uma


explicação, uma citação direta, isto é, a fala de alguém ou a menção a um
trecho de algum texto etc, além de uma enumeração.
Assim, nesta questão, devemos verificar o emprego dos dois-pontos no
contexto apresentado.
Note que, após esse sinal de pontuação, há uma sequência de
expressões, como “febre baixa, dores musculares e nos olhos, prostração e
vermelhidão na pele”. Assim, essas expressões fazem parte de uma
enumeração, por isso ela é chamada de aposto enumerativo, o que impôs o
emprego de tal pontuação.
A alternativa (D) é a correta.
Gabarito: D

Questão 59: CM Caruaru 2015 Técnico Legislativo (banca FGV)


“Podem aparecer manchas vermelhas na pele, parecidas com as do sarampo
ou da rubéola, e prurido (coceira) no corpo”.
O termo entre parênteses tem a finalidade de
(A) informar sobre os sintomas da doença.
(B) esclarecer um termo de uso técnico.
(C) mostrar conhecimento do autor do texto.
(D) demonstrar a gravidade da doença.
(E) facilitar um tratamento adequado.
Comentário: O termo entre parênteses é o aposto explicativo e seu emprego
é esclarecer uma informação anteriormente citada, é dar-lhe um sinônimo.
Veja que a palavra “prurido” não é muito empregada na linguagem
quotidiana. Assim, um esclarecimento dela deixa o texto mais claro. Portanto,
a alternativa correta é a (B).
Gabarito: B

Vocativo: O nome vocativo nos faz pensar em várias palavras ligadas à


ideia de “chamar”, “atrair a atenção”: evocar, convocar, evocação, vocação.
78447984915

Vocativo é justamente o nome do termo sintático que serve para nomear um


interlocutor a que se dirige a palavra. É um termo independente: não faz parte
do sujeito nem do predicado, de valor exclamativo, muitas vezes confundido
com o aposto, pois exige vírgulas. Pode aparecer em posições variadas na
frase.
Márcia, pegue o seu exemplar.
Veja, menina, aquela árvore.
Estamos aqui, papai.

Nessas orações, os termos destacados são vocativos: indicam e nomeiam


o interlocutor a que se está dirigindo a palavra. Numa oração como a primeira,
não se deve confundir o vocativo “Márcia” com o sujeito oculto da forma
imperativa “pegue”, que é “você”.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 53 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 60: Detran–RO 2014 Motorista (banca IDECAN)


Relacione adequadamente as classes gramaticais às respectivas classificações
das palavras destacadas.

1. Vocativo. 2. Aposto. 3. Adjetivo. 4. Adjunto adverbial.

( ) “Na próxima vez que você, leitor do sexo masculino, disputar espaço
com uma mulher no trânsito, pense duas vezes antes de soltar aquela
frase machista:...”
( ) “Incluem-se aqui aquelas práticas execráveis como dirigir embriagado,
abusar da velocidade e andar colado ao veículo da frente.”
( ) “Vai pra casa, dona Maria!”
( ) “Muitos dos acidentes envolvendo mulheres acontecem porque as
motoristas tentam virar à direita ou à esquerda repentinamente,...”
A sequência está correta em
a) 1, 2, 3, 4.
b) 2, 1, 4, 3.
c) 2, 3, 1, 4.
d) 3, 2, 1, 4.
e) 3, 4, 1, 2.
Comentário: Na primeira frase, fica fácil notar o aposto explicativo
sublinhado, pois “leitor do sexo masculino” explica quem é a pessoa referida:
você. Assim, preenchemos com o número 2 e já eliminamos as alternativas
(A), (D) e (E).
Na segunda frase, o verbo “incluem” encontra-se no plural por
concordar com o sujeito plural “aquelas práticas execráveis”. O núcleo desse
sujeito é “práticas”, e os termos “aquelas” e “execráveis” são os adjuntos
adnominais. Note que “aquelas” é um pronome e “execráveis” é um adjetivo.
Dessa forma, preenchemos com o número 3 e já sabemos que a alternativa
(C) é a correta.
Agora, vejamos as demais frases para confirmação.
A expressão “dona Maria” é o vocativo, pois ela está sendo chamada.
As expressões “à direita” e “à esquerda” são adjuntos adverbiais de
78447984915

lugar, demonstrando direcionamento.


Gabarito: C

Questão 61: PMMG 2010 CTSP Auxiliar de Comunicações (banca CRS PMMG)
Assinale a alternativa em que a função do termo sublinhado está indicada
CORRETAMENTE:
A. ( ) No mundo das grandes empresas e da inevitável mediação do Estado
nas disputas entre os competidores privados, a exceção tende a se
tornar a regra. (predicativo do sujeito).
B. ( ) Tal estado de excepcionalidade deságua na proliferação legislativa
casuística e na ameaça permanente ao caráter abstrato e universal da
norma jurídica. (objeto indireto).

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 54 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

C. ( ) A contradição se torna aguda: de um lado, a liberdade dos indivíduos


no mercado exige a independência do Judiciário, certeiro na aplicação
da lei e cuidadoso em seus procedimentos; (sujeito simples).
D. ( ) De outra parte, a “corrupção” quase congênita, engendrada pela
concorrência econômica mediada pelo Estado, estimula a formação de
correntes de opinião que propugnam por formas primitivas de punição
e de vingança. (...) (vocativo).
Comentário: A alternativa (A) é a correta, pois o verbo de ligação “se tornar”
é seguido do predicativo do sujeito “a regra”.
A alternativa (B) está errada, porque “de excepcionalidade” é apenas o
adjunto adnominal do núcleo “estado”. Note que toda a expressão “Tal estado
de excepcionalidade” é o sujeito do verbo “deságua”.
A alternativa (C) está errada, pois o verbo “exige” é transitivo direto, o
sujeito é “a liberdade dos indivíduos no mercado” e o objeto direto é “a
independência do Judiciário”.
A alternativa (D) está errada, pois o vocativo expressa que alguém está
sendo chamado diretamente por outra pessoa: “João, venha aqui!”. Porém, a
expressão “engendrada pela concorrência econômica mediada pelo Estado”
transmite a explicação de algo dito anteriormente. Assim, não podemos
interpretar como vocativo.
Gabarito: A

Questão 62: Pref Guarapuava 2014 Agente Controle Int (banca Consulplan)
Querido Deus,
Até agora o meu dia foi bom. Controlei minha TPM.
(...)

O texto acima inicia-se com a utilização do vocativo “Querido Deus”.


Identifique a opção em que o termo em destaque NÃO corresponde a
semelhante uso.
a) Fora daqui, seu bêbado! 78447984915

b) Vodca, champanhe ou espumante, só sei que hoje tomarei todas!


c) Cerveja nossa que estás no freezer, alcoolizado seja o nosso fígado (…)
d) Mas peço sua proteção, Senhor (…)
Comentário: Tendo em vista que o vocativo é o termo que indica o
interlocutor a que se está dirigindo a palavra, chamando-o, podemos entender
que, na alternativa (A), chama-se a atenção de um bêbado, referindo-se
diretamente a ele. Assim, há o vocativo “seu bêbado”.
A alternativa (B) é a errada, pois não se está chamando a Vodca,
champanhe ou espumante. O termo “Vodca, champanhe ou espumante” é, na
realidade, o chamado objeto direto pleonástico, haja vista que tal termo é
seguido de vírgula e é retomado pelo pronome indefinido “todas”, o qual
ocupa, também, a função de objeto direto.
Na alternativa (C), há referência direta ao interlocutor “Cerveja nossa
que estás no freezer”, parafraseando uma oração, o Pai Nosso. Assim, há um

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 55 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

chamamento. Portanto, há o vocativo “Cerveja nossa que estás no freezer”.


Na alternativa (D), há referência direta ao interlocutor “Senhor”,
pedindo proteção numa oração a Deus. Portanto, há o vocativo “Senhor”.
Gabarito: B

Questão 63: Campos-RJ 2012 Assistente Técnico Legislativo (banca Consulplan)


Em “Vamos salvar o planeta, pessoal!”, a vírgula
A) separa o vocativo. D) indica o uso de adjunto adverbial deslocado.
B) separa o aposto. E) indica supressão de um termo.
C) é facultativa.
Comentário: O termo “pessoal” é o vocativo, pois transmite a ideia de um
chamamento. Assim, a alternativa correta é a (A).
Gabarito: A

Elipse do verbo (vírgula vicária)


É lícito suprimir o verbo ou outra palavra, os quais estejam facilmente
subentendidos no contexto:
Nós falamos de fatos concretos e vocês, de hipóteses remotas.
(= e vocês falam de hipóteses remotas)
As ruas estão esburacadas; os postes, sem luz.
(= os postes estão sem luz)

Questão 64: TJ RJ 2015 Técnico (banca FGV)


QUANTO FALTA PARA O DESASTRE?
Verão de 2015. As filas para pegar água se espalham por vários bairros.
Famílias carregam baldes e aguardam a chegada dos caminhões-pipa. Nos
canos e nas torneiras, nem uma gota. O rodízio no abastecimento força
lugares com grandes aglomerações, como shopping centers e faculdades, a
fechar. As chuvas abundantes da estação não vieram, as obras em andamento
tardarão a ter efeito e o desperdício continuou alto. Por isso, São Paulo e
várias cidades vizinhas, que formam a maior região metropolitana do país,
78447984915

entram na mais grave crise de falta d’água da história. (Época, 16/06/2014)


Uma das regras de emprego da vírgula é para marcar a omissão de uma
forma verbal; o segmento abaixo em que isso ocorre no texto é:
(A) “Nos canos e nas torneiras, nem uma gota”.
(B) “O rodízio no abastecimento força lugares com grandes aglomerações,
como shopping centers e faculdades, a fechar”.
(C) “As chuvas abundantes da estação não vieram, as obras em andamento
tardarão a ter efeito e o desperdício continuou alto”.
(D) “Por isso, São Paulo e várias cidades vizinhas,...”.
(E) “...que formam a maior região metropolitana do país, entram na mais
grave crise de falta d’água da história”.
Comentário: A primeira vírgula do texto faz subentender a expressão “não
há”. Veja: Nos canos e nas torneiras, (não há) nem uma gota. É claro que a
vírgula coincidentemente também sinaliza a antecipação do adjunto adverbial
Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 56 de 75
Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

“Nos canos e nas torneiras”.


A segunda e terceira vírgulas do texto sinalizam o termo exemplificativo
“como shopping centers e faculdades”.
A quarta vírgula marca a enumeração de orações. Veremos isso na aula
de orações coordenadas.
A quinta vírgula ocorre após a expressão “Por isso”. A sexta e sétima
vírgulas ocorrem para separar a oração subordinada adjetiva explicativa “que
formam a maior região metropolitana do país”. Veremos este emprego de
vírgula nas próximas aulas.
Assim, a alternativa (A) é a correta.
Gabarito: A

Questão 65: SESDEC RJ – 2010 Assistente Social (banca CEPERJ)


A vírgula substitui o uso do verbo no segmento:
A) É assim que tem saído nos jornais, é assim que se disse por todos estes
dias, na TV.
B) Mas tem, sim, como está em todos os dicionários – e no VOLP, publicação
da ABL que funciona como repositório oficial das palavras da língua.
C) Mas tem, sim, como está em todos os dicionários – e no VOLP, publicação
da ABL que funciona como repositório oficial das palavras da língua.
D) Na Câmara temos deputados e deputadas. No Senado Federal, senadores
e senadoras.
E) A mensagem é clara, o sexo feminino não merece consideração que o leve
a igualar-se ao masculino numa posição suprema...
Comentário: Outra questão sobre a vírgula vicária.
Na alternativa (A), a vírgula é usada para separar orações. Note que a
vírgula não substitui o verbo anterior.
Na alternativa (B), a dupla vírgula é usada porque “sim” é um adjunto
adverbial de certeza e se encontra intercalado.
Na alternativa (C), a vírgula separa o aposto explicativo “publicação da
ABL”.
A alternativa (D) é a correta, pois a vírgula substitui o verbo “temos”.
78447984915

Compare:
Na Câmara temos deputados e deputadas. No Senado Federal, senadores e
senadoras.
Na Câmara temos deputados e deputadas. No Senado Federal temos
senadores e senadoras.
Na alternativa (E), a vírgula separa uma oração explicativa, sobre a qual
falaremos nas próximas aulas. O que importa aqui é que ela não substitui
verbo anterior.
Gabarito: D

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 57 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

O que devo tomar nota como mais importante?

 Lembre-se da estrutura básica da oração:


PV= VTD + OD; VTI + OI; VTDI + OD + OI; VI
PN= VL + predicativo
 Atente ao complemento nominal:
Adjetivo que exige complemento nominal: fiel a ela.
Advérbio que exige complemento: perto de você.
Substantivo abstrato que exige complemento: construção do prédio.
 Observe que entre sujeito, verbo e complementos não há vírgula.
 O adjunto adverbial solto admite a vírgula no final do período. Quando
antecipado ou intercalado e de grande extensão, a(s) vírgula(s) é(são)
obrigatória(s).
 O aposto explicativo e o comentário do autor podem ser separados por
vírgulas, travessões ou parênteses:
Xxxxxxx, explicação, xxxxxxx.
Xxxxxxx− explicação − xxxxxxx.
Xxxxxxx(explicação) xxxxxxx.
Quando em final de período, a vírgula, o travessão e os parênteses
podem substituídos por dois-pontos.
Xxxxxxx, explicação.
Xxxxxxx− explicação.
Xxxxxxx(explicação).
Xxxxxxx: explicação.

Até a próxima semana.


78447984915

Abraço.
Terror

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 58 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 1: CIAAR 2016 Primeiro-Tenente (banca Aeronáutica)


“Cerca de 25 mil soldados da Força Expedicionária Brasileira além de homens
da Força Aérea lutaram na Itália.”
Indique a frase a seguir cujo verbo em destaque possui a mesma tipologia
sintática do sublinhado anteriormente.
a) Não conheço essa pessoa.
b) As crianças são inteligentes.
c) Os gatos corriam no telhado.
d) Eles precisam de nossa ajuda.

Questão 2: CIAAR 2016 Primeiro-Tenente (banca Aeronáutica)


Segue o mesmo padrão de regência de “...o direito à existência” o exposto em
a) nocivo a pessoas cardíacas.
b) concordou em ir à rodoviária.
c) concordará com os seus pais.
d) estava ansioso para o concerto.

Questão 3: UFPB 2016 Técnico em Segurança do Trabalho (banca IDECAN)


Assinale a alternativa em que o trecho sublinhado apresenta função sintática
DIFERENTE dos demais.
a) “No entanto, como os casos surgem de forma esporádica...”
b) “A pandemia explosiva do vírus zika que ocorre nas Américas do Sul,...”
c) “A adaptação ao convívio doméstico possibilitou a transmissão para o
homem...”
d) “Há anos pesquisadores africanos notaram que o padrão de disseminação
do zika em macacos selvagens acompanhava o do chikungunya,...”
78447984915

Questão 4: SEARH 2016 Professor (banca IDECAN)


Quanto à classificação sintática dos termos da oração, identifique o que
DIFERE dos demais destacados nos segmentos a seguir:
a) “E, acho que não aconteceu nada.”
b) “Houve um grito abafado de um de meus filhos:”
c) “– Ela só tem alma, explicou meu filho e, como filhos são uma surpresa
para nós,...”
d) “Pequeno rebuliço: mas era indubitável, lá estava ela, e mais magra e
verde não poderia ser.”

Questão 5: FBN 2013 – Assistente Administrativo (banca FGV)


Os verbos de estado podem significar estado permanente, estado transitório,
mudança de estado, aparência de estado e continuidade de estado. Assinale a
alternativa em que o valor dado ao verbo sublinhado está incorreto.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 59 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

(A) “Na mesma rua que hoje virou um grande corredor de corrida de carros
cada vez mais vorazes de velocidade,...” / mudança de estado.
(B) “Eu, já leitora voraz, assim como os carros nas ruas por velocidade, fiquei
encantada!” / continuidade de estado.
(C) “E criei a Bisbilhoteca, que é a minha leitura da Franco Giglio...” / estado
permanente.
(D) “Aquela pequena casinha que parecia antiga, amarelinha...” / aparência
de estado.

Questão 6: CBTU 2014 Assistente de Manutenção (banca Consulplan)


No trecho “Nesse contexto está a advocacia, [...]”, observa-se que a ordem
dos termos está invertida, pois, se tivessem organizados na ordem direta, a
frase seria
A) Está a advocacia nesse contexto.
C) Nesse contexto a advocacia está.
B) Está nesse contexto a advocacia.
D) A advocacia está nesse contexto.

Questão 7: CIAAR 2016 Primeiro-Tenente (banca Aeronáutica)


As expressões destacadas a seguir apresentam função modificadora em
relação ao termo que modificam. Dentre tais expressões, apenas uma delas
possui expressão semântica diferente das demais, indique-a:
a) “A notícia foi amplamente divulgada, no mundo todo, [...]”
b) “Na Inglaterra, teve minuto de silêncio e tiros de canhão. [...]”
c) “[...] participou das comemorações ao lado do presidente francês François
Hollande.”
d) “Mais de cem mil morreram nos dias seguintes, vítimas de queimaduras e
radiação nuclear.”

Questão 8: SEARH 2016 Professor (banca IDECAN)


Dentre as expressões destacadas, apenas uma NÃO produz o mesmo efeito de
sentido visto nas demais; assinale a.
78447984915

a) “Aqui em casa pousou uma esperança.”


b) “... respondeu o menino com ferocidade.”
c) “– Uma esperança! e na parede, bem em cima de sua cadeira!”
d) “... esperança é coisa secreta e costuma pousar diretamente em mim,...”

Questão 9: Detran 2013 – Assistente de Trânsito (banca FGV)


“O governo foi acusado de estar encabeçando uma indústria de multas, devido
ao grande número de notificações aplicadas”.
As alternativas a seguir apresentam conectivo adequado para a substituição de
“devido a”, à exceção de uma. Assinale-a.
(A) “por causa do”.
(B) “em função do”.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 60 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

(C) “em razão do”.


(D) “graças do”.
(E) “em virtude do”.

Questão 10: Câmara M Recife 2014 – Assistente Administrativo (banca FGV)


“Isso se dá graças à tecnologia de informação”; a frase abaixo em que a
expressão “graças a” está mal empregada é:
(A) O Brasil progride graças a sua agricultura.
(B) Os EUA são ricos graças ao trabalho de seu povo.
(C) O automóvel derrapou graças ao óleo na pista.
(D) O terrorismo não progrediu graças às reações.
(E) O Brasil ganhou a Copa graças a seus bons jogadores.

Questão 11: MAPA – 2014 – Agente Administrativo (banca Consulplan)


Na expressão “Os cômodos são ridiculamente pequenos!”, o termo em
destaque está diretamente ligado ao adjetivo “pequenos” e estabelece, na
frase, uma relação de sentido de
A) meio. B) causa. C) modo. D) intensidade.

Questão 12: EsPCEx 2013 (Exército)


No fragmento: “A designação gótico, na literatura, associa-se ao universo
cadente...”. A expressão “na literatura” está separada por vírgulas porque se
trata de um (a)
a) adjunto adverbial deslocado.
b) aposto do termo “gótico”.
c) vocativo no meio da oração.
d) adjunto adverbial de assunto.
e) complemento pleonástico.

Questão 13: Compesa PE 2014– Técnico em Contabilidade (banca FGV)


“Em abril de 1886, eclodiram nos Estados Unidos diversas greves”.
78447984915

Assinale a opção que indica a forma de reescrever esse segmento do texto


que mostra pontuação inadequada.
(A) Em abril de 1886 eclodiram nos Estados Unidos diversas greves.
(B) Em abril de 1886 eclodiram, nos Estados Unidos, diversas greves.
(C) Em abril de 1886, eclodiram nos Estados Unidos, diversas greves.
(D) Eclodiram nos Estados Unidos, em abril de 1886, diversas greves.
(E) Em abril de 1886, eclodiram, nos Estados Unidos, diversas greves.

Questão 14: Prefeitura C. V. 2010 Agente Comunitário (banca Consulplan)


“No Brasil, o uso do fogo com efeitos devastadores sobre a vegetação veio
mesmo com a exploração do nosso território pelos colonizadores.” No trecho
anterior, a vírgula ( , ) foi utilizada para:
A) Marcar termos deslocados.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 61 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

B) Denotar entusiasmo e alegria.


C) Finalizar uma interrogativa direta.
D) Dar início a uma sequência que esclarece uma ideia anterior.
E) Marcar uma interrupção da sequência lógica da frase.

Questão 15: Prefeitura S.L. 2010 Advogado (banca Consulplan)


No texto, não se provoca erro ou alteração de sentido ao se:
A) Inserir uma vírgula antes e outra depois da expressão “em tese” em “A
parte menos informada do eleitorado é em tese a mais sujeita à
manipulação”.
B) Inserir uma vírgula depois da expressão “em tese” em “A parte menos
informada do eleitorado é em tese a mais sujeita à manipulação”.
C) Colocar “é em tese” entre vírgulas em “A parte menos informada do
eleitorado é em tese a mais sujeita à manipulação”.
D) Eliminar a vírgula depois da palavra “funcionar” em “Isso quer dizer que,
para bem funcionar, exige crítica”.
E) Colocar uma vírgula depois do termo “conclusão” em “A conclusão é que o
problema não está no eleitorado.”.

Questão 16: Banco do Brasil – 2012 – Escriturário (banca Cesgranrio)


A palavra mesmo está sendo empregada com o sentido igual ao que se
verifica em “No final, o Brasil foi campeão mesmo, e a Apollo 13 retornou a
salvo para o planeta Terra, apesar de problemas gravíssimos.”, na seguinte
frase:
(A) O diretor preferiu ele mesmo entregar o relatório ao conselho.
(B) Mesmo sabendo que a proposta não seria aceita, ele a enviou.
(C) Fui atendido pelo mesmo vendedor que o atendeu anteriormente.
(D) Você sabe mesmo falar cinco idiomas fluentemente?
(E) Ele ficou tão feliz com a notícia que pensou mesmo em sair dançando.

Questão 17: BNDES – 2010 – Técnico Administrativo (banca Cesgranrio)


Fragmento do texto: Ainda à frente de sua época e indiretamente
78447984915

colaborando para os dias atuais, Einstein mais uma vez apresenta uma citação
interessante: “no meio de qualquer dificuldade encontra-se a oportunidade”.
Ou seja, mesmo em meio a uma crise, podemos encontrar oportunidades.
Oportunidades aos empreendedores, aos inovadores, às pessoas e empresas
que tiverem atitude e criatividade, que saiam da mesmice, que não se
apeguem a fatos já conhecidos, mas busquem o novo, o desconhecido.
Em “Ou seja, mesmo em meio a uma crise, podemos encontrar
oportunidades.”, o conector destacado introduz uma
(A) explicação. (B) retificação. (C) conclusão.
(D) consequência. (E) exemplificação.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 62 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 18: BNDES – 2010 – Técnico Administrativo (banca Cesgranrio)


Fragmento do texto: E para fechar este artigo com chave de ouro, cito outra
sábia frase de Einstein: “Algo só é impossível até que alguém duvide e acabe
provando o contrário”. Acredite, tudo é possível desde que seja dado o
primeiro passo.
A palavra destacada em “Algo só é impossível...” pode ser substituída, sem
alterar o sentido, por
(A) então. (B) também. (C) apenas. (D) até. (E) ainda.

Questão 19: DPE RO 2015 Analista Contábil (banca FGV)


O Estatuto da Criança e do Adolescente, o ECA, é uma lei bem justa e
generosa, ainda largamente ignorada em suas medidas de proteção e
promoção. Mesmo quanto às sanções previstas no estatuto, antes de se chegar
à internação, há uma série de outras menos severas, como a advertência, a
prestação de serviços à comunidade e a liberdade assistida, que são
frequentemente ignoradas, passando-se diretamente à privação de liberdade,
mesmo em casos em que isso não se justifica. Os poderes públicos, inclusive o
Judiciário, estão em dívida com a sociedade por conta da inobservância do
estatuto em sua integralidade.
Nesse segmento do texto 2 há duas ocorrências sublinhadas do vocábulo
“mesmo”; sobre essas ocorrências, é correto afirmar que:
(A) ambas equivalem ao sentido de inclusão;
(B) só a primeira ocorrência indica concessão;
(C) só a segunda ocorrência indica concessão;
(D) só a primeira ocorrência indica inclusão;
(E) só a segunda ocorrência indica inclusão.

Questão 20: Câmara Municipal de Recife 2014 – Analista (banca FGV)


Fragmento do texto: Superinteressante, 2009
Sempre existiram jovens e velhos. Mas a noção de juventude que a
gente tem é bem mais recente: começou nos EUA e na Europa dos anos 20.
Foi quando as universidades se tornaram comuns e atrasaram a idade em que
78447984915

as pessoas casavam e tinham filhos. De uma hora para outra, cada vez mais
gente passava a desfrutar esse intervalo que quase não existia antes: o limbo
entre a infância e a vida adulta para valer. Um limbo, aliás, que fica cada vez
mais longo.
“Um limbo, aliás, que fica cada vez mais longo”.
O termo “aliás” equivale semanticamente a diferentes expressões; no caso do
texto, seu significado é:
(A) de outra maneira;
(B) do contrário;
(C) além do mais;
(D) não obstante;
(E) a propósito.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 63 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 21: Funarte 2014– Administrador (banca FGV)


“...na Canção do Exílio, Gonçalves Dias roga a Deus não permitir que morra
sem que volte para lá, isto é, para cá”.
Nesse segmento, a expressão “isto é” tem a função de:
(A) acrescentar uma informação que confirma algo dito anteriormente;
(B) apresentar uma informação que contrasta com outra anterior;
(C) corrigir uma informação já passada;
(D) explicar uma informação anteriormente dada;
(E) expressar uma oposição parcial a uma informação dada antes.

Questão 22: Câmara M Recife 2014 Assistente Administrativo (banca FGV)


A guerra on-line como ocorre hoje, ou seja, transmitida em tempo real,
mobiliza as pessoas e se torna assunto de conversas, tema de programas
transmitidos na televisão, objeto de comentaristas e especialistas de
diferentes áreas. Enfim, a guerra “do outro” passa a ser a guerra de todos.
A expressão “ou seja”, presente no texto, tem o papel de:
(A) explicar; (B) justificar; (C) corrigir;
(D) ampliar; (E) enumerar.

Questão 23: EsPCEx 2013 (Exército)


Assinale a alternativa que contém um complemento verbal pleonástico.
a) Assistimos à missa e à festa.
b) As moedas, ele as trazia no fundo do bolso.
c) Deste modo, prejudicas-te e a ela.
d) Atentou contra a própria vida e dos passageiros.
e) Técnica e habilidade sobram-lhe e aos adversários.

Questão 24: UFPB 2016 Administrador (banca IDECAN)


O respeito à diversidade e suas implicações nos direitos humanos
A diversidade é um dos temas mais atuais da sociedade, e ao se pensar na
78447984915

escola, é um tema que ganha extrema relevância. Pois é na escola, onde a


criança e o jovem desenvolve grande parte de suas relações sociais, que é
necessário se desenvolver e ampliar a cultura do respeito ao que é diferente.
Quando se trata de inclusão/exclusão, é oportuno compreender mais
amplamente esses processos abordando-os de forma dialética.
Na abordagem da dialética inclusão/exclusão, realça-se o entendimento
de que, para compreensão desses processos e o enfrentamento da exclusão, é
necessário percebê-los de modo mais abrangente, em seu alcance e
ocorrências, e não apenas com referência a um único grupo social.
Dentre os termos destacados, identifique o que NÃO possui a mesma
classificação sintática dos demais.

a) “[...] é um tema que ganha extrema relevância." (subtítulo)


b) “[...] realça-se o entendimento de que, [...]" (2º§)

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 64 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

c) “[...] abordando-os de forma dialética. [...]" (1º§)


d) “[...] é necessário percebê-los de modo mais abrangente, [...]" (2º§)

Questão 25: SEARH 2016 Professor (banca IDECAN)


Em “Romeu deu voz ao sublime Bardo e a própria noite aguçou seus ouvidos.”
é correto afirmar em relação aos termos destacados, que
a) há apenas dois termos adjacentes, ou complementares, da forma verbal
“deu”.
b) há três complementos verbais, sendo a relação de transitividade diferente
entre os mesmos.
c) apenas dois deles podem ser identificados como complementos verbais
que possuem uma relação indireta com o verbo ao qual estão ligados.
d) o primeiro termo em destaque é o único complemento da forma verbal
“deu” no segmento em análise, os demais são complementos de termos
diferentes.

Questão 26: Pref Rio Novo do Sul–ES 2015 Agente Fiscal (banca IDECAN)
Nos fragmentos a seguir, os trechos sublinhados exercem a mesma função,
EXCETO:
a) “O ano de 2015 será, mais uma vez, ruim para quem vende.”
b) “Dívidas de longo prazo são corrigidas pela inflação, também em alta.”
c) “Muita gente fala que, com a inflação e a recessão, pode perder o emprego
ou os clientes.”
d) “Quando morder meu bolso, eu nem saberei de onde terá vindo o ataque,
não terei tempo de me defender.”

Questão 27: COREN MA 2013 Agente Administrativo (banca IDECAN)


Em "Conseguiram muita coisa desde então,...", a expressão sublinhada
desempenha a mesma função sintática que a destacada em
a) " Do contrário, vencerá o prazo legal,..."
b) "... os deputados reincidem na redação..."
78447984915

c) "... (com o risco de suscitar ações na Justiça )."


d) " O Congresso finalizou em abril, na Câmara,..."
e) " Chegou a hora de ruralistas cederem na intransigência."

Questão 28: Campos-RJ 2012 Assistente Técnico Legislativo (banca Consulplan)


Analise o trecho a seguir: “... sem que saibamos como, experimentamos
sentidos, significados, significações, emoções, desejos, ideias.” A respeito dos
termos grifados, é correto afirmar que
A) possuem sentidos contrários.
B) possuem o mesmo significado.
C) exercem a mesma função sintática.
D) pertencem a diferentes classes de palavras.
E) exprimem emoção ou sentimento repentino.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 65 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 29: Pref SDP-MG 2012 Auxiliar Adm (banca Consulplan)


No trecho “em vez de deixá-los em frente à TV”, a função sintática do termo
sublinhado é de
A) sujeito. B) objeto direto. C) objeto indireto.
D) predicado. E) adjunto adnominal.

Questão 30: EsSA 2016 Sargento (banca Exército)


Destaque a alternativa em que o termo sublinhado seja um objeto indireto:
A) Vou descobrir mundos.
B) Já tenho seis gatos em casa
C) Não recebo dinheiro há muito tempo.
D) Não quero que fiques triste.
E) Cantava para os amigos.

Questão 31: EsSA 2016 Sargento (banca Exército)


Assinale a alternativa que analisa correta, sintática e respectivamente os
termos destacados na frase seguinte: “Pertencem-te todos os documentos.”
A) Pronome oblíquo – sujeito
B) Objeto direto – objeto indireto
C) Objeto indireto – objeto direto
D) Objeto direto – sujeito
E) Objeto indireto - sujeito

Questão 32: COFEN 2010 Analista de Pessoal (banca Consulplan)


Marque a alternativa em que a expressão destacada NÃO tem a mesma
função sintática das demais:
A) “O inesperado elogio divino chegou aos ouvidos de Sócrates”
B) “causando-lhe uma profunda sensação de estranheza.”
C) “...célebre bordão que Sócrates legou à posteridade”
D) “destrinchava as respostas que lhe eram dadas”
E) “até levar os exaustos interlocutores a conclusões opostas”
78447984915

Questão 33: CIAAR 2016 Primeiro-Tenente (banca Aeronáutica)


A mesma classificação sintática do termo destacado a seguir: “Eu, pobre de
mim, não desvendaria os segredos do céu.” pode ser identificada também em:
a) “Fui ao cinema com eles.”
b) “Ficamos ao lado da igreja.”
c) “Foi socorrido pelos médicos do hospital.”
d) “Ela mora perto de uma grande área industrial.”

Questão 34: EEAer 2016 Sargento (banca Aeronáutica)


Marque a opção que apresenta, em destaque, complemento nominal.
a) Referi-me aos mesmos alunos de sempre.
b) Lute pela justiça, mas não se esqueça do amor.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 66 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

c) A luta contra o ócio começa com a coragem de agir.


d) Lutava, frequentemente, contra o mal de suas ações.

Questão 35: EEAer 2016 Sargento (banca Aeronáutica)


Marque a opção em que o termo em destaque não modifica um substantivo.
a) E nesse dia então/ vai dar na primeira edição/ cena de sangue num bar da
Avenida São João. (Paulo Vanzolini)
b) As margens plácidas do Ipiranga ouviram o brado retumbante de um
povo heroico. (Joaquim Osório Duque Estrada)
c) Alguma coisa acontece no meu coração/que só quando cruza a Ipiranga
com a avenida São João. (Caetano Veloso)
d) Gostava do Ipiranga quando ele ainda era um riacho bucólico e
despoluído.

Questão 36: EsPCEx 2013 (Exército)


Evadiu-se do acampamento durante uma tempestade terrível.
Assinale a alternativa cujo fragmento sublinhado possui a mesma classificação
sintática do termo “terrível”, sublinhado no trecho acima.
a) Bastou um telefonema para deixá-lo arrasado.
b) Bastou uma tacada mais forte para derrubá-lo.
c) Bastou um aceno para enchê-lo de esperanças.
d) Bastou a composição de um trecho para consagrá-lo.
e) Bastou um elogio do chefe para reanimá-lo.

Questão 37: EsPCEx 2013 (Exército)


A oração que apresenta complemento nominal é:
a) O povo necessita de alimentos.
b) Caminhar a pé lhe era saudável.
c) O cigarro prejudica o organismo.
d) O castelo estava cercado de inimigos.
e) As terras foram desapropriadas pelo governo.
78447984915

Questão 38: EEAer 2016 Controlador de Tráfego Aéreo (banca Aeronáutica)


Leia:
I. Lembrou-se da pátria com saudades e desejou sentir novamente os
aromas de sua terra e de sua gente.
II. A defesa da pátria é o princípio da existência do militarismo.
Assinale a alternativa que apresenta correta afirmação sobre os termos
destacados nas frases I e II.
a) As frases I e II apresentam em destaque adjuntos adnominais.
b) As frases I e II apresentam em destaque complementos nominais.
c) A frase I apresenta em destaque um objeto indireto e a frase II apresenta
em destaque um complemento nominal.
d) A frase I apresenta em destaque um objeto indireto e a frase II apresenta
em destaque um adjunto adnominal.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 67 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 39: DPE RO 2015 Técnico Administrativo (banca FGV)


“O programa de medicamentos genéricos (1), criado no Brasil em 1999 com a
promulgação da Lei 9787 (2), se deu três anos após o país voltar a respeitar o
direito de patentes, em 1996. Após apenas 4 anos da criação dessa lei (3), os
genéricos já se encontravam disponíveis em mais de 4 mil apresentações,
abrangendo as principais classes terapêuticas, atendendo a mais de 60% das
necessidades de prescrições médicas (4).”

Considerando os termos sublinhados e numerados, são complementos dos


termos anteriores:
(A) (1) e (2); (B) (1), (3) e (4); (C) (2), (3) e (4);
(D) (1) e (3); (E) (1), (2) e (3).

Questão 40: DPE RO 2015 Técnico Administrativo (banca FGV)


Por que a compra do medicamento pelo princípio ativo fará baixar o preço do
medicamento?
Esta é uma das zonas de maior tensão da indústria farmacêutica mundial. Se
por um lado os medicamentos ficam mais baratos pela fórmula já existir e ser
comprovadamente eficiente, por outro lado os custos mais baixos são
consequências diretas do não investimento das fabricantes dos genéricos em
pesquisas para novos medicamentos e no marketing de seus produtos. Assim,
de certa forma, há um certo risco sobre a descoberta de novos medicamentos
bons para a população.
Por outro lado, como há o respeito às patentes dos medicamentos (salvo casos
especiais, como foi com os medicamentos do coquetel anti-HIV), as indústrias
farmacêuticas têm tempo de sobra para recuperar os investimentos em
pesquisa durante o tempo em que seus medicamentos estão “sozinhos” no
mercado. Vale também ressaltar que os medicamentos genéricos não tiram os
de marca (referência) do mercado, apenas concorrem lado a lado. (Saúde
Melhor)
O termo sublinhado abaixo que exerce a função de adjunto do termo anterior
é:
78447984915

(A) compra do medicamento;


(B) preço do medicamento;
(C) fabricante dos genéricos;
(D) descoberta de novos medicamentos;
(E) marketing de seus produtos.

Questão 41: Detran 2013 – Assistente de Trânsito (banca FGV)


O elemento sintático sublinhado funciona como paciente do termo anterior em
(A) faixa de pedestres.
(B) regras de trânsito.
(C) utilização de bebidas alcoólicas.
(D) cinto de segurança.
(E) vítimas do trânsito.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 68 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 42: INEA 2013 – Administrador (banca FGV)


Assinale a alternativa cujo termo sublinhado exerce função diferente da dos
demais.
(A) Conjunto de políticas.
(B) Redução de riscos.
(C) Situações de desastres.
(D) Presenças de ameaças.
(E) Condições de vulnerabilidade.

Questão 43: Funarte 2014– Administrador (banca FGV)


Nos dois termos “conserto do automóvel” e “concerto de Beethoven” há a
mesma relação sintática que, respectivamente, em:
(A) criação de galinhas / criação de uma nova estrada;
(B) invasão da cidade / invasão dos bárbaros;
(C) invenção da lâmpada / invenção de novo aplicativo;
(D) cópia de um documento / cópia de uma assinatura;
(E) visão de uma ponte / visão da paisagem.

Questão 44: Funarte 2014 Assistente Administrativo (banca FGV)


A alternativa cujo termo sublinhado apresenta uma função sintática diferente
dos demais é:
(A) “...não se concedesse visto para quem tentasse fugir do nazismo”;
(B) “Uma brasileira, sobrevivente de um campo de extermínio nazista, ...”;
(C) “Aristides salvou dez mil judeus de uma morte certa”;
(D) “E Aristides recebeu dos israelenses o título de Justo entre as Nações’”;
(E) “E não percebi que se despedisse de mim”.

Questão 45: Câmara M Recife 2014 – Assistente Administrativo (banca FGV)


A opção em que os dois termos sublinhados exercem a função de
complementos nominais é:
(A) ambiente de paz / guerra ao terrorismo;
78447984915

(B) guerra ao terrorismo / sensação de invulnerabilidade;


(C) sensação de invulnerabilidade / máscaras de gás;
(D) máscaras de gás / centro da cidade;
(E) centro da cidade / ambiente de paz.

Questão 46: Pref Osasco 2014– Agente de Trânsito (banca FGV)


A opção em que o termo destacado exerce função sintática diferente dos
demais é:
(A) controle das senhas;
(B) conferência de saldos;
(C) satisfação de seus funcionários;
(D) conferência de estoque;
(E) contagem do estoque.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 69 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 47: EEAer 2016 Controlador de Tráfego Aéreo (banca Aeronáutica)


Relacione as colunas e, em seguida, assinale a alternativa que apresenta a
sequência correta:
I. Predicado Verbal
II. Predicado Nominal
III. Predicado Verbo-nominal
( ) Receava que eu me tornasse rancorosa.
( ) As irmãs saíram da missa assustadas.
( ) Da janela da igreja, os padres assistiam à cena.

a) II – I – III
b) III – I – II
c) I – III – II
d) II – III – I

Questão 48: EEAer 2016 Sargento da Aeronáutica (banca Aeronáutica)


Leia:
“No mais interno fundo das profundas
Cavernas altas, onde o mar se esconde,
Lá donde as ondas saem furibundas [...]”
Os termos destacados no texto exercem, respectivamente, a função de
a) predicativo do objeto e predicativo do sujeito.
b) adjunto adnominal e predicativo do sujeito.
c) predicativo do sujeito e adjunto adnominal.
d) predicativo do objeto e adjunto adnominal.

Questão 49: PMMG 2010 CFO (banca CRS PMMG)


Observe as orações abaixo:
I. O soldado ficou muito satisfeito com a vitória.
II. Uma juíza declarou o réu culpado.78447984915

III. O motorista chamou o mecânico competente.


IV. A secretária ofereceu uma flor a um colega.
Quanto ao tipo de predicado, marque a opção CORRETA:
A. ( ) I. Verbo-Nominal, II. Verbal, III. Nominal, IV. Verbo-Nominal
B. ( ) I. Nominal, II. Verbo-Nominal, III. Verbo-Nominal, IV. Verbal
C. ( ) I. Nominal, II. Verbal, III. Verbal, IV. Verbal
D. ( ) I. Verbo-Nominal, II. Verbo-Nominal, III. Nominal, IV. Verbo-Nominal

Questão 50: PMMG 2010 CFO (banca CRS PMMG)


“Predicativo do sujeito é o termo que exprime um atributo, um estado ou
modo de ser do sujeito...”
Assinale a alternativa cujo termo assinalado é um predicativo do sujeito:
A. ( ) As orquídeas do Maj Vivaldino murcharam;
Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 70 de 75
Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

B. ( ) Choveram cartas anônimas durante a noite.


C. ( ) Sua cabeça doía muito.
D. ( ) As águas de Antares podiam estar poluídas.

Questão 51: PMMG 2010 CFO (banca CRS PMMG)


Nos períodos abaixo, os termos destacados exercem as seguintes funções
sintáticas, respectivamente:
1. Ao ódio respondo com o perdão.
2. Teve pena de si mesmo.
3. O povo sagraram-no herói.
4. Meu nome será o símbolo da luta.
A. ( ) objeto indireto, objeto indireto pleonástico, predicativo do sujeito e
predicativo do objeto.
B. ( ) objeto indireto, complemento nominal, predicativo do objeto e
predicativo do sujeito.
C. ( ) objeto direto, complemento do verbo, predicativo do objeto e
predicativo do sujeito.
D. ( ) objeto direto, objeto indireto pleonástico, predicativo do sujeito e
predicativo do objeto.

Questão 52: Pref N. Sa. Socorro – 2011 – Contador (banca AOCP)


“Ele se tornou fundamental para a filosofia e a religião.”
Assinale a alternativa INCORRETA quanto ao que se afirma do fragmento
acima.
(A) O verbo “tornou-se” é verbo de ligação.
(B) A expressão “fundamental” é predicativo do sujeito “ele”.
(C) O elemento “se” funciona como objeto direto do verbo “tornar”.
(D) A expressão “a religião” é complemento nominal do nome “fundamental”.
(E) A expressão “a filosofia” é complemento nominal do nome “fundamental”.

Questão 53: Pref Lagarto – 2011 – Médico (banca AOCP)


Em “A escola não é uma ilha.”
78447984915

A expressão uma ilha funciona como


(A) objeto direto. (B) predicativo do sujeito.
(C) adjunto adnominal. (D) adjunto adverbial.
(E) agente da passiva.

Questão 54: PMMG 2009 CHO/CSTGSP Administração (banca CRSPMMG)


Leia atentamente:
“A crise do direito autoral é a crise do capitalismo privatista.”
A respeito da sentença acima, marque a alternativa CORRETA.
A. ( ) O termo “(...) do capitalismo privatista.” é o agente da passiva.
B. ( ) “(...) a crise do capitalismo privatista” é o objeto indireto.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 71 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

C. ( ) O predicado é nominal.
D. ( ) Trata-se de período composto por coordenação.

Questão 55: PMMG 2013 CHO/CSTGSP Administração (banca CRSPMMG)


A respeito da análise dos termos sublinhados, marque a alternativa CORRETA:
A. ( ) O problema deixou-me sem apetite. (Predicativo do Objeto)
B. ( ) Por quem teria sido ele ameaçado? (Objeto Indireto)
C. ( ) O aviso de perigo foi dado às 12h. (Adjunto Adverbial)
D. ( ) Deste modo, prejudicamos a ti e a ele. (Objeto Indireto)

Questão 56: EEAer 2016 Sargento Topografia (banca Aeronáutica)


Assinale a alternativa que não contém aposto.
a) É sabido, pela história, que os índios, povo nativo da Ilha de Vera Cruz,
primeiro nome do nosso Brasil, transmitiram muito de sua cultura e
costumes aos portugueses.
b) O Futurismo, movimento lançado pelo poeta italiano Marinetti em 1909,
propunha a destruição do passado e a exaltação da vida moderna.
c) “Eu sou, Senhor, ovelha desgarrada:
Cobrai-a e não queirais, Pastor Divino,
Perder na vossa ovelha a vossa glória.” (G. de Matos)
d) “Cada momento que passamos na internet será um minuto a menos no
mundo real, onde há um recurso valiosíssimo: gente, como a caixa de
supermercado, a bibliotecária e os frequentadores de shopping center.”
(Robert Wright)

Questão 57: UFPB 2016 Administrador (banca IDECAN)


Fragmento do texto: “Quem não se comunica se trumbica"
Esta frase é do Chacrinha, um dos mais famosos apresentadores da televisão
brasileira, falecido em 1988.
Na linha 2, após “Chacrinha", há entre vírgulas:
a) Um comentário avaliativo acerca da referência anterior.
78447984915

b) Antecipação de uma informação introduzida posteriormente.


c) Descrição que demonstra, de modo exclusivo, o caráter informativo da
linguagem.
d) Um detalhamento que tem como referência o conteúdo apresentado no
título do texto.

Questão 58: UFPB 2016 Técnico em Segurança do Trabalho (banca IDECAN)


O respeito à diversidade e suas implicações nos direitos humanos
A diversidade é um dos temas mais atuais da sociedade, e ao se pensar na
escola, é um tema que ganha extrema relevância. Pois é na escola, onde a
criança e o jovem desenvolve grande parte de suas relações sociais, que é
necessário se desenvolver e ampliar a cultura do respeito ao que é diferente.
Quando se trata de inclusão/exclusão, é oportuno compreender mais

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 72 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

amplamente esses processos abordando-os de forma dialética.


Na abordagem da dialética inclusão/exclusão, realça-se o entendimento
de que, para compreensão desses processos e o enfrentamento da exclusão, é
necessário percebê-los de modo mais abrangente, em seu alcance e
ocorrências, e não apenas com referência a um único grupo social.
“Os sintomas da infecção pelo zika são inaparentes ou semelhantes aos da
dengue atenuada: febre baixa, dores musculares e nos olhos, prostração e
vermelhidão na pele.”
Assinale a alternativa que justifica o uso de dois-pontos no trecho anterior.
a) Introduzir uma explicação.
b) Marcar uma citação direta.
c) Expor a conclusão de um fato.
d) Introduzir um aposto enumerativo.

Questão 59: CM Caruaru 2015 Técnico Legislativo (banca FGV)


“Podem aparecer manchas vermelhas na pele, parecidas com as do sarampo
ou da rubéola, e prurido (coceira) no corpo”.
O termo entre parênteses tem a finalidade de
(A) informar sobre os sintomas da doença.
(B) esclarecer um termo de uso técnico.
(C) mostrar conhecimento do autor do texto.
(D) demonstrar a gravidade da doença.
(E) facilitar um tratamento adequado.

Questão 60: Detran–RO 2014 Motorista (banca IDECAN)


Relacione adequadamente as classes gramaticais às respectivas classificações
das palavras destacadas.

1. Vocativo. 2. Aposto. 3. Adjetivo. 4. Adjunto adverbial.

( ) “Na próxima vez que você, leitor do sexo masculino, disputar espaço
78447984915

com uma mulher no trânsito, pense duas vezes antes de soltar aquela
frase machista:...”
( ) “Incluem-se aqui aquelas práticas execráveis como dirigir embriagado,
abusar da velocidade e andar colado ao veículo da frente.”
( ) “Vai pra casa, dona Maria!”
( ) “Muitos dos acidentes envolvendo mulheres acontecem porque as
motoristas tentam virar à direita ou à esquerda repentinamente,...”
A sequência está correta em
a) 1, 2, 3, 4.
b) 2, 1, 4, 3.
c) 2, 3, 1, 4.
d) 3, 2, 1, 4.
e) 3, 4, 1, 2.

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 73 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

Questão 61: PMMG 2010 CTSP Auxiliar de Comunicações (banca CRS PMMG)
Assinale a alternativa em que a função do termo sublinhado está indicada
CORRETAMENTE:
A. ( ) No mundo das grandes empresas e da inevitável mediação do Estado
nas disputas entre os competidores privados, a exceção tende a se
tornar a regra. (predicativo do sujeito).
B. ( ) Tal estado de excepcionalidade deságua na proliferação legislativa
casuística e na ameaça permanente ao caráter abstrato e universal da
norma jurídica. (objeto indireto).
C. ( ) A contradição se torna aguda: de um lado, a liberdade dos indivíduos
no mercado exige a independência do Judiciário, certeiro na aplicação
da lei e cuidadoso em seus procedimentos; (sujeito simples).
D. ( ) De outra parte, a “corrupção” quase congênita, engendrada pela
concorrência econômica mediada pelo Estado, estimula a formação de
correntes de opinião que propugnam por formas primitivas de punição
e de vingança. (...) (vocativo).

Questão 62: Pref Guarapuava 2014 Agente Controle Int (banca Consulplan)
Querido Deus,
Até agora o meu dia foi bom. Controlei minha TPM.
(...)

O texto acima inicia-se com a utilização do vocativo “Querido Deus”.


Identifique a opção em que o termo em destaque NÃO corresponde a
semelhante uso.
a) Fora daqui, seu bêbado!
b) Vodca, champanhe ou espumante, só sei que hoje tomarei todas!
c) Cerveja nossa que estás no freezer, alcoolizado seja o nosso fígado (…)
d) Mas peço sua proteção, Senhor (…)
78447984915

Questão 63: Campos-RJ 2012 Assistente Técnico Legislativo (banca Consulplan)


Em “Vamos salvar o planeta, pessoal!”, a vírgula
A) separa o vocativo. D) indica o uso de adjunto adverbial deslocado.
B) separa o aposto. E) indica supressão de um termo.
C) é facultativa.

Questão 64: TJ RJ 2015 Técnico (banca FGV)


QUANTO FALTA PARA O DESASTRE?
Verão de 2015. As filas para pegar água se espalham por vários bairros.
Famílias carregam baldes e aguardam a chegada dos caminhões-pipa. Nos
canos e nas torneiras, nem uma gota. O rodízio no abastecimento força
lugares com grandes aglomerações, como shopping centers e faculdades, a
fechar. As chuvas abundantes da estação não vieram, as obras em andamento

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 74 de 75


Português para ESA
Teoria e exercícios comentados
Prof. Décio Terror Aula 1

tardarão a ter efeito e o desperdício continuou alto. Por isso, São Paulo e
várias cidades vizinhas, que formam a maior região metropolitana do país,
entram na mais grave crise de falta d’água da história. (Época, 16/06/2014)
Uma das regras de emprego da vírgula é para marcar a omissão de uma
forma verbal; o segmento abaixo em que isso ocorre no texto é:
(A) “Nos canos e nas torneiras, nem uma gota”.
(B) “O rodízio no abastecimento força lugares com grandes aglomerações,
como shopping centers e faculdades, a fechar”.
(C) “As chuvas abundantes da estação não vieram, as obras em andamento
tardarão a ter efeito e o desperdício continuou alto”.
(D) “Por isso, São Paulo e várias cidades vizinhas,...”.
(E) “...que formam a maior região metropolitana do país, entram na mais
grave crise de falta d’água da história”.

Questão 65: SESDEC RJ – 2010 Assistente Social (banca CEPERJ)


A vírgula substitui o uso do verbo no segmento:
A) É assim que tem saído nos jornais, é assim que se disse por todos estes
dias, na TV.
B) Mas tem, sim, como está em todos os dicionários – e no VOLP, publicação
da ABL que funciona como repositório oficial das palavras da língua.
C) Mas tem, sim, como está em todos os dicionários – e no VOLP, publicação
da ABL que funciona como repositório oficial das palavras da língua.
D) Na Câmara temos deputados e deputadas. No Senado Federal, senadores
e senadoras.
E) A mensagem é clara, o sexo feminino não merece consideração que o leve
a igualar-se ao masculino numa posição suprema...

78447984915

1. C 2. A 3. C 4. B 5. B 6. D 7. D 8. B 9. D 10. C
11. D 12. A 13. C 14. A 15. A 16. D 17. A 18. C 19. A 20. C
21. D 22. A 23. B 24. B 25. A 26. D 27. C 28. C 29. B 30. E
31. E 32. A 33. C 34. C 35. D 36. E 37. B 38. C 39. C 40. B
41. C 42. B 43. B 44. B 45. B 46. C 47. D 48. B 49. B 50. D
51. B 52. C 53. B 54. C 55. A 56. C 57. A 58. D 59. B 60. C
61. A 62. B 63. A 64. A 65. D

Prof. Décio Terror www.estrategiaconcursos.com.br 75 de 75