Você está na página 1de 122

(642) CENTRO EDUCACIONAL VISCONDE DE TAUNAY

(913) FACULDADES INTEGRADAS DE PARANAÍBA – FIPAR

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) DO BACHARELADO EM


DIREITO.

PARANAÍBA–MS.
2016
SUMÁRIO
1 DADOS GERAIS ................................................................................................................................ 4
2 PERFIL DO CURSO ............................................................................................................................ 4
2.1 Apresentação ...................................................................................................................... 4
2.2 Contexto educacional: O curso de Direito das Faculdades Integradas de Paranaíba como
fator de desenvolvimento regional ......................................................................................................... 5
2.2.1 Breve histórico do município de Paranaíba-MS .................................................................. 6
2.2.2 O desenvolvimento regional, o papel das Faculdades Integradas de Paranaíba-MS e a
importância do curso de Direito para a região. ...................................................................................... 6
2.2.3 Síntese de informações sociais e geopolíticas versus quantidade de matrículas e oferta
de vagas no curso de Direito das FIPAR. ................................................................................................. 8
2.2.4 Movimentação processual e a crescente demanda por serviços relacionados à prestação
jurisdicional 9
2.2.5 Mato Grosso do Sul e suas demandas culturais, políticas e ambientais ........................... 14
3 ATIVIDADES COMPLEMENTARES (ATIVIDADES DO CURSO) ......................................................... 17
4 PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO .............................................................................................. 19
4.1 O perfil do egresso do curso de Direito frente à priorização das ciências exatas e
biológicas 19
4.2 O perfil do egresso do curso de Direito das Faculdades Integradas de Paranaíba-MS .... 21
4.3 Competências e Habilidades ............................................................................................. 23
4.4 Campos de atuação ........................................................................................................... 24
5 FORMAS DE ACESSO ...................................................................................................................... 25
5.1 Processo seletivo ............................................................................................................... 26
5.2 Obtenção de novo título ................................................................................................... 26
5.3 Reopção de curso .............................................................................................................. 26
5.4 Transferência externa ....................................................................................................... 26
6 Representação gráfica de um perfil de formação: ........................................................................ 27
7 SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM ...................................... 28
7.1 Formas e procedimentos de avaliação do ensino e da aprendizagem ............................. 28
7.2 Comissão Própria de Avaliação ......................................................................................... 30
8 SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO PROJETO DO CURSO........................................................................ 31
8.1 COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO – CPA .............................................................. 31
8.2 NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE .................................................................................. 32
9 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC................................................................................ 32
10 O ESTÁGIO CURRICULAR E O NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA....................................................... 34
10.1 O Estágio Curricular Obrigatório ....................................................................................... 34
10.2 O Núcleo de Prática Jurídica .............................................................................................. 35
11 ATO AUTORIZATIVO ANTERIOR OU ATO DE CRIAÇÃO .................................................................. 36
12 COMPONENTES CURRICULARES.................................................................................................... 37
12.1 Primeiro semestre - eixo temático interdisciplinar ........................................................... 37
12.2 Segundo semestre - eixo temático interdisciplinar........................................................... 46
12.3 Terceiro semestre - eixo temático interdisciplinar ........................................................... 54
12.4 Quarto semestre - eixo temático interdisciplinar ............................................................. 61
12.5 Quinto semestre - eixo temático interdisciplinar ............................................................. 68
12.6 Sexto semestre - eixo temático interdisciplinar ................................................................ 76
12.7 Sétimo semestre - eixo temático interdisciplinar ............................................................. 85
12.8 Oitavo semestre - eixo temático interdisciplinar .............................................................. 96
12.9 Nono semestre - eixo temático interdisciplinar .............................................................. 104
12.10 Décimo semestre - eixo temático interdisciplinar .......................................................... 113
13 CORPO DOCENTE......................................................................................................................... 122
1 DADOS GERAIS

Denominação do curso: Bacharelado em Direito


Grau: Bacharel
Modalidade: Presencial
Número de vagas anuais: 100 vagas
Coordenador do Curso: Prof. Mestre Antonio Aparecido Moro Junior
Local de oferta do curso: Faculdades Integradas de Paranaíba – FIPAR
Período: Noturno

2 PERFIL DO CURSO

2.1 Apresentação

O Projeto Pedagógico do Curso (PPC) de Direito das Faculdades


Integradas de Paranaíba é um documento desenvolvido pelo NDE – Núcleo Docente
Estruturante do curso e tem como finalidade traçar as diretrizes do curso de Direito
desta instituição, visando mapear e flexibilizar a estrutura do curso, conforme o
desenvolvimento e as necessidades regionais, visando atualizar e promover
atividades que agreguem valor profissional, cultural e social do aluno.
Têm por escopo apresentar a estruturação didático-pedagógica do
funcionamento global do curso, considerando as necessidades de recursos humanos,
tecnológicas, bibliográficas e de estrutura física, aliadas às exigências e possibilidades
da prática educacional, de maneira que complemente e aperfeiçoe o ensino ministrado
nas disciplinas, nas atividades complementares e nas atividades de pesquisa e
extensão, além de projetos de pesquisa e eventos do curso.
Este documento visa a reflexão e aprimoramento das práticas
pedagógicas e curriculares do curso, conforme orientações traçadas nas Diretrizes
Curriculares constantes na Resolução n. 9 do Conselho Nacional de Educação –
CNE/CES de 9 de setembro de 2004, que trata das Diretrizes Curriculares Nacionais
do Curso de Graduação em Direito.
Especificamente, o projeto pedagógico visa aperfeiçoar continuamente
as ações de política e prática universitária, com ênfase na qualidade do ensino,
observando as dimensões política, social, técnica e ética, tão necessárias no curso de
Direito, visando a estabelecer um processo educativo voltado para a formação do
aluno com competência técnico-científica e relevante compromisso social.
O presente projeto compreende o resultado de discussão e participação
da comunidade acadêmica: docentes e discentes e técnicos administrativos. Essas
discussões, aliadas aos resultados da CPA – Comissão Permanente de Avaliação,
realizadas até o momento de construção deste projeto pedagógico, permitiram a
estruturação que se apresenta para o curso de Direito, que se adequa perfeitamente
aos anseios e desenvolvimento sociais da macro região de Paranaíba-MS,
apresentando-se ainda como um elemento para novas discussões e evoluções, diante
do contexto participativo e democrático com que o mesmo se apresenta, o que se
mostra como fator essencial para sua implantação e efetivação cotidiana.
Assim sendo, este projeto, que teve sua última versão em 2014, está
sendo revisto e ampliado tendo como base a mudança do perfil econômico-social da
macro região de Paranaíba-MS e as mudanças socioculturais pelos quais passa o
nosso país, aliado à vocação de nosso corpo docente, como também o perfil dos
alunos que ingressam em nossos cursos.
Nesse contexto, o Curso de Direito das Faculdades Integradas de
Paranaíba-MS, se coloca como fator preponderante tanto na promoção do
desenvolvimento regional, como também na defesa de valores que estão em
consonância com a defesa da democracia, a valorização dos direitos humanos, o
exercício da cidadania e a garantia da dignidade humana.
O curso de Direito das Faculdades Integradas de Paranaíba – FIPAR –
iniciou suas atividades no ano de 2006 autorizado pela Portaria MEC nº 1.372, de 21
de julho de 2006, publicada no D.O.U. nº 140 de 24 de julho de 2006, reconhecido
pela Portaria SERES/MEC nº 234/13. O Curso oferece o ensino jurídico embasado
em sólida formação técnico-jurídica e sociopolítica, de modo a formar profissionais
capazes de realizar transformações sociais, empreendedores éticos, críticos,
conscientes, comprometidos com a formação e o aprendizado contínuo, aptos a
buscarem a continuidade dos estudos em programas de pós-graduação strictu sensu.

2.2 Contexto educacional: O curso de Direito das Faculdades


Integradas de Paranaíba como fator de desenvolvimento
regional
2.2.1 Breve histórico do município de Paranaíba-MS

Conforme informações disponíveis no Instituto Brasileiro de Geografia e


Estatística – IBGE, nos primórdios do século XVIII, a região onde atualmente se
localiza o município de Paranaíba era habitada pelos índios caiapós e passou a ser
devassada pelos bandeirantes paulistas que em busca das riquezas proveniente do
sertão ainda inexplorado. Somente a partir de 1830, a cidade começou a ser povoada
por várias famílias oriundas de Minas Gerais.
Na Guerra do Paraguai, Paranaíba teve uma participação muito
importante, sendo na época, a rota de apoio logístico e de fuga dos civis envolvidos
no conflito, tendo como pontos máximos, a atuação de José Francisco Lopes em 1867,
o Guia Lopes, na célebre retirada da Laguna, e a documentação de Alfredo de Taunay,
o Visconde de Taunay, que atravessou a região neste ano registrando suas
observações sobre os habitantes, seus hábitos e sobre sua natureza, que deram
ensejo ao romance Inocência. Este importante escritor é homenageado pela
Mantenedora das Faculdades Integradas de Paranaíba-MS que se denomina Centro
Educacional Visconde de Taunay.
A abertura da estrada pioneira do Piquiri, partindo de Cuiabá se
bifurcava, na região, em direção a Uberaba, MG e Araraquara, SP, constituindo
passagem obrigatória de rebanho de bovinos, fato que traçou, posteriormente, sua
vocação econômica para a pecuária, atividade econômica que prevaleceu nessa
região durante bastante tempo1.

2.2.2 O desenvolvimento regional, o papel das Faculdades


Integradas de Paranaíba-MS e a importância do curso de
Direito para a região.

A pecuária foi a grande atividade econômica da região, contudo, com a


profissionalização e modernização do setor agrícola, houve uma maior diversificação
de culturas que resultaram na expansão da cana de açúcar e na produção de
eucaliptos, uma vez que era necessário atender às demandas das indústrias que se
instalaram nesta região, atraídas por incentivos fiscais.

1
PREFEITURA DE PARANAÍBA. História. Disponível em: http://www.paranaiba.ms.gov.br/site/paranaiba?id=18-
historia . Acesso em 19 de outubro de 2015.
Mato Grosso do Sul, portanto, promoveu uma interiorização da
industrialização, na medida em que estabeleceu incentivos fiscais e vantagens para
as indústrias que se instalassem no Estado, o que beneficiou diretamente a região do
Bolsão, especialmente os municípios de Três Lagoas, Aparecida do Taboado e
Paranaíba, dada a proximidade com o grande mercado consumidor do Estado de São
Paulo.
A partir de então, a antiga matriz econômica regional passou a dividir
espaço com o comércio, a prestação de serviços e a atividade industrial, fazendo com
que esta região, essencialmente baseada na agricultura e pecuária, desenvolvesse
novas atividades e necessidades, principalmente em relação à profissionais
capacitados de atender essas novas demandas, necessidade que as FIPAR tem
suprido e deseja continuar suprindo, adequando seus projetos pedagógicos ao
desenvolvimento contínuo da região.
O curso de Direito se insere neste contexto na medida em que a
expansão e diversificação da atividade econômica representa também um
crescimento da litigiosidade entre as classes que antes detinham o poder econômico
e as atuais classes econômicas que se instalaram e continuam se instalando na
região. Aliados a esse contexto, surgem novas necessidades que derivam da
adequação dessas atividades à legislação em constante desenvolvimento, bem como,
a necessidade premente da população que, com a crescente escolarização, desejam
cada vez mais serem inseridos num contexto de cidadania, o que exige um
conhecimento mais a fundo da legislação e das teorias jurídicas que regem a
sociedade.
Assim o curso de Direito oferecido pelas FIPAR contribui
substancialmente para o desenvolvimento regional, uma vez que atente à todas estas
necessidades e projeta-se para o futuro como opção viável de profissão, haja vista
que a expansão do desenvolvimento regional se encontra em marcha e exigirá
profissionais capacitados na resolução de conflitos jurídicos, bem como, a realização
da justiça com equidade e de acordo com os princípios e leis vigentes na sociedade
brasileira.
Atende ainda a uma demanda cada vez mais crescente na população
brasileira que, consciente de sua inclusão num contexto de cidadania, busca a
realização de uma segunda graduação, ampliando o horizonte de possibilidades para
tornar-se profissionais mais capacitados ao adequarem sua profissão originária aos
requisitos enumerados pela lei (cuja representação é a própria vontade da sociedade).
O Curso de Direito das FIPAR apresenta-se ainda como importante fator
de integração regional, seja pelo estudo das normas jurídicas em consonância com
as necessidades regionais, seja em razão do fato de atender alunos de cidades
situadas em quatro Estados da União, como por exemplo: Cassilândia, Inocência,
Aparecida do Taboado, e a cidade de Paranaíba, todas em Mato Grosso do Sul;
Carneirinho, União de Minas, e Limeira do Oeste, no Estado de Minas Gerais; Itajá, e
Lagoas Santa, no Estado de Goiás; Rubinéia, Santa Clara do Oeste, Santa Rita do
Oeste, Santa Fé do Sul e Três Fronteiras, no Estado de São Paulo.
Há ainda um grande número de estudantes de comunidades mais
distantes que transferem sua residência para Paranaíba visando a prosseguirem nos
estudos, bem como aqueles que residem na zona rural dos municípios supracitados
e que deslocam diariamente a fim de qualificarem-se profissionalmente.

2.2.3 Síntese de informações sociais e geopolíticas versus


quantidade de matrículas e oferta de vagas no curso de
Direito das FIPAR.

Conforme informações disponíveis no site do IBGE2, Paranaíba possui


uma população de 40.192 pessoas cujo PIB per capita é de R$ 21.083,76 (vinte e um
mil, oitenta e três reais e setenta e seis centavos), sendo o índice de desenvolvimento
humano (IDHM 2010) 0,721. A cidade contou com 1689 matrículas no ensino médio
em 2012, que somadas às 870 matrículas no ensino médio de Aparecida do Taboado-
MS, 779 de Cassilândia-MS, 220 de Inocência-MS, 161 de Itajá-GO, 66 de Lagoa
Santa-GO, 350 de Carneirinho-MG, 182 de União de Minas-MG, 119 de Rubinéia-SP,
1231 de Santa Fé do Sul-SP, 88 de Santa Clara do Oeste-SP e 102 de Santa Rita
D’Oeste, perfazem um total de 5897 matrículas no ensino médio na região atendida
pela FIPAR.
Assim, considerando a oferta de vagas anuais do curso de Direito das
Faculdades Integradas de Paranaíba-MS (100 vagas) sobre o total de matrículas no
ensino médio na região (5.897), temos um percentual de 1,69%, ou seja, o curso de

2
Disponível em: http://www.cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?lang=&codmun=500630. Acesso em: 19 de
outubro de 2015.
Direito das FIPAR atende apenas a 1,69% do contingente de estudantes
potencialmente aptos a concluírem o ensino médio anualmente.

2.2.4 Movimentação processual e a crescente demanda por


serviços relacionados à prestação jurisdicional

Conforme dados disponibilizados no anuário Justiça em números 20153,


do Conselho Nacional de Justiça (2015), a demanda processual vem aumentando ano
a ano, conforme se observa no gráfico abaixo, em que os casos novos têm superado
o número de processos baixados:

3
CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Justiça em números 2015. Disponível em:
http://www.cnj.jus.br/programas-e-acoes/pj-justica-em-numeros. Acesso em 19 de outubro de 2015.
Fonte: (CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, 2015).

Essa diferença entre a quantidade de processos baixados e de casos


novos pode ser verificada, ano a ano, no gráfico abaixo:
Fonte: (CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, 2015)

Nota-se, portanto, sem considerar a crescente eficiência da prestação


jurisdicional, que há uma crescente demanda pela resolução de litígios que acabam
por serem resolvidos no âmbito do poder judiciário e essa crescente demanda precisa
ser suprida, primariamente por profissionais formados no curso de bacharelado em
Direito, haja vista que são esses profissionais que primeiro tomam contato com as
necessidades da população no que tange à solução de litígios.
Não obstante, embora haja também um claro aumento dos processos
baixados, chama-nos atenção o aumento contínuo de casos novos levados ao poder
judiciário, o que exigirá também o aumento de profissionais capacitados a
responderem por essas demandas sociais.
O próximo gráfico demonstrará os assuntos mais demandados na justiça
brasileira em 2014 e nele veremos em suas três primeiras posições demandas que
envolvem litígios pessoais propriamente ditos, uma vez que integram esfera do Direito
Privado, especialmente no que tange ao Direito Trabalhista, em termos de desacordo
nas verbas rescisórias e no Direito Civil, no que tange às relações obrigacionais e
contratuais.
Assim, dado o desenvolvimento da sociedade brasileira e, por
consequência, da busca crescente pela resolução dos conflitos, verifica-se a
necessidade crescente de profissionais da área do Direito capacitados a responderem
essas demandas, conforme se observa na distribuição das demandas abaixo:
Fonte: (CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, 2015)

É importante destacar que os dados acima compilados se referem aos


dados da prestação jurisdicional como um todo, envolvendo, portanto, a justiça
comum e as justiças especializadas que compõem o sistema judiciário brasileiro.
Em termo de prestação jurisdicional no Estado de Mato Grosso do Sul,
a situação não é muito diferente, conforme se observará nas análises abaixo que
tratam da Justiça Comum Estadual (TJMS) e da Justiça do Trabalho (TRT24).
A Justiça Comum Estadual no Mato Grosso do Sul é uma das poucas
cujos processos encontram-se totalmente digitalizados, o que significa dizer que o
peticionamento e acompanhamento processual se dá por sistema informatizado.
Mesmo assim, verificamos que, embora o número de casos novos seja inferior ao de
processo baixados, há uma possível tendência de que em breve a situação se
reverterá, conforme se observa no gráfico abaixo:
Fonte: (CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, 2015)

Os assuntos mais recorrentes no TJMS no ano de 2014, mais uma vez,


se filiam ao Direito Privado, sendo os quatro primeiros assuntos mais requisitados
envolvendo litígios de ordem pessoal que envolvam tanto relações trabalhistas
(embora esses litígios caibam à Justiça do Trabalho) e os litígios envolvendo questões
obrigacionais e contratuais, conforme se observa abaixo:

Fonte: (CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, 2015)

Ao contrário da Justiça Comum Estadual, na Justiça do Trabalho há um


descompasso entre o número de processos baixados e número de casos novos
submetidos àquela justiça especializada. Nota-se que há um aumento crescente de
casos novos, juntamente com o aumento crescente de processos baixados, embora
não suficiente para suprir a demanda de decisões exigidas pela comunidade do
Estado de Mato Grosso do Sul.

Fonte: (CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, 2015)

O crescente aumento nos casos novos da Justiça Trabalhista demonstra


o próprio desenvolvimento do Estado de Mato Grosso do Sul com a crescente
industrialização apontada anteriormente que, além de agregar nova matriz econômica
exigiu uma série de outros serviços, inclusive no que tange à prestação jurisdicional.
Nesse contexto se insere o curso de Direito das Faculdades Integradas
de Paranaíba, pois representa a inserção no mercado de profissionais da área jurídica
que visam ao atendimento de uma demanda crescente no país e especialmente no
Estado de Mato Grosso do Sul.

2.2.5 Mato Grosso do Sul e suas demandas culturais, políticas e


ambientais

A origem de Mato Grosso do Sul, propriamente dita, provém de uma


demanda político-cultural. O movimento divisionista no eixo Sul foi originado por volta
de 1889, quando alguns políticos corumbaenses divulgaram um manifesto propondo
a transferência da capital de Mato Grosso para Corumbá. A atitude não teve
resultados na época, mas mostrou que a tímida ação política poderia retornar com
mais força4 (Divisão do estado de Mato Grosso completa 30 anos, 2007).
Em 1921, Campo Grande passou a ser sede da Circunscrição Militar,
hoje Comando Militar do Oeste. Em seguida, a cidade foi considerada a capital
econômica de Mato Grosso devido à exportação na estação ferroviária. Anos mais
tarde, em 1946, Eurico Gaspar Dutra assumiu a presidência da República após a
deposição de Getúlio Vargas. Novamente a tentativa de transferir a capital de Cuiabá
para Campo Grande foi frustrada. Dutra reforçava a política de integração nacional,
que incentivava a manutenção da unidade estadual (Divisão do estado de Mato
Grosso completa 30 anos, 2007).
O governo federal estabeleceu, em 1974, a legislação básica para a
criação de novos estados e territórios. No ano seguinte, renasceram as idéias
divisionistas devido à discussão dos limites de Mato Grosso com Goiás. O movimento
tomou fôlego e, em 1976, a Liga Sul-Mato-Grossense, presidida por Paulo Coelho
Machado, liderou a campanha. Do outro lado a oposição era do governador de Mato
Grosso, José Garcia Neto. Trabalhando com rapidez e sigilo, os integrantes da Liga
forneceram ao governo federal subsídios necessários para viabilizar a divisão do
Estado. A lei foi assinada pelo presidente Ernesto Geisel no dia 11 de outubro de 1977
e publicada no Diário Oficial do dia seguinte.
A partir de então a população do Estado de Mato Grosso do Sul passou
a ter as suas próprias demandas políticas que incluíam o desenvolvimento do Estado
por intermédio da industrialização, além da necessidade de melhores prestações de
serviços estatais. Essas demandas sempre foram objeto de discussão pelo curso de
Direito das Faculdades Integradas de Paranaíba, especialmente no que tange à
garantia dos Direitos Humanos e a proteção ao meio ambiente em face da posição de
destaque do Mato Grosso do Sul nesse setor.
Assim como aconteceu no caso da industrialização, recentemente Mato
Grosso do Sul passou a considerar a força ambiental que representa. Isso ocorreu,
especialmente, em razão do reconhecimento pela UNESCO do pantanal como sendo
Patrimônio Natural Mundial e Reserva da Biosfera, o que fez com o contexto
ambiental em Mato Grosso do Sul ganhasse destaque e apontasse a necessidade de

4
DIVISÃO DO ESTADO DE MATO GROSSO COMPLETA 30 ANOS. Disponível em:
http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL148365-5598,00-
DIVISAO+DO+ESTADO+DE+MATO+GROSSO+COMPLETA+ANOS.html. Acesso em 19 de outubro de 2015.
preservação e utilização sustentável do meio ambiente, o que deu ensejo à criação
de diversos parques estaduais e ao turismo consciente, como o praticado na cidade
de Bonito-MS5.

A questão ambiental logo incomodou aos antigos proprietários de terra,


detentores do poder econômico do Estado e aliar a proteção ao meio ambiente em
face de todos os interesses vigentes, limitando o uso e ocupação das terras, tornou-
se desafio latente para o Estado e demonstra a importância do estudo de questões
agrárias, ambientais e questões ligadas à terra, como posse e propriedade, função
social da propriedade etc.
Nesse contexto, a grade do curso de Direito das Faculdades Integradas
de Paranaíba prevê disciplinas voltadas ao estudo e discussão de alternativas e
solução de litígios nessas áreas, sendo uma das poucas faculdades de Direito que
ainda mantêm as disciplinas Direito Ambiental e Direito Agrário em seu conteúdo
curricular.

5
MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Unesco declara pantanal reserva da biosfera. Disponível em:
http://www.mma.gov.br/informma/item/1019-unesco-declara-pantanal-reserva-da-biosfera. Acesso em 19 de
outubro de 2015.
3 ATIVIDADES COMPLEMENTARES (ATIVIDADES DO CURSO)

De acordo com a resolução CNE/CES nº 9, de 29 de setembro de 2004


é preciso definir um grupo diversificado de atividades - bem como definir os
instrumentos de seu acompanhamento e avaliação para a realização dessas
atividades.
As Atividades Complementares do curso de graduação em Direito são
obrigatórias e categorizam-se em três grupos:

Grupo 1 – Atividades de Ensino


Grupo 2 – Atividades de Extensão
Grupo 3 – Atividades de Pesquisa.
Grupo 4 – Atividades Jurídicas Extraclasse

Os alunos deverão distribuir a carga horária das atividades


complementares em, pelo menos, dois dos grupos acima indicados. Elas terão carga
horária global de 200 horas, devendo ser cumpridas ao longo do curso.
As Atividades de Ensino, que podem englobar até 120 horas com direito
a registro no histórico escolar, compõem-se de:

a) disciplinas oferecidas por outros cursos da instituição, desde que


haja vaga e compatibilidade de horário;
b) disciplinas oferecidas pelo próprio curso, mas não previstas em
seu currículo pleno;
c) cursos realizados em outras instituições, desde que com
anuência prévia da instituição, até o limite máximo de 30 horas;
d) monitoria em disciplina jurídica, até 30 horas, limitado a 80 horas
no total.

As Atividades de Extensão, que podem englobar até 120 horas com


direito a registro no histórico escolar, dividem-se em dois grupos:
participação em seminários, palestras, congressos, conferências,
encontros, cursos de atualização e similares:
estágios extracurriculares, limitados a 90 horas no total.

As Atividades de Pesquisa, que podem englobar até 120 horas com


direito a registro no histórico escolar incluem:

Iniciação Científica, até 30 horas, limitadas a 90 horas no total;


trabalhos publicados em periódicos jurídicos, até 45 horas para
cada um, limitadas a 90 horas no total.

A implementação e controle do desenvolvimento das atividades


complementares fica à cargo da Coordenação do Curso de Direito, à qual cabe:

propor, para aprovação, o Plano de Atividades Complementares


a ser desenvolvido pela instituição;
propor, para aprovação, normas específicas para cada atividade
especificando a exigência de certificado de frequência e
participação, notas obtidas, carga horária cumprida, relatórios de
desempenho e outros;
analisar o documento apresentado pelo aluno para comprovar a
realização de cada atividade complementar e, se considerá-lo
suficiente, rubricá-lo e encaminhá-lo ao CONSUADEPE a fim de
que seja expedida Resolução específica convalidando as horas
em questão, seguida de envio à Secretaria das Faculdades
Integradas de Paranaíba anexados os documentos
comprobatórios autenticados a fim de normatização no prontuário
do discente.

QUADRO RESUMO

GRUPO ATIVIDADES
Disciplina isolada em outro curso

Disciplina/Seminários oferecidos pelo curso de Direito e não pertencentes

Ensino ao currículo pleno

Monitoria em disciplina do Curso de Direito

Participação em Projeto de Extensão

Atividade profissional vinculada ao curso

Extensão
Participação em seminários, palestras, congressos, conferências,

encontros, cursos de atualização e similares

Outras, a critério da Faculdade

Iniciação Científica/pesquisa

Pesquisa Trabalhos publicados

Outras, a critério da Faculdade

O aluno deve cumprir, no total, 200 horas de Atividades Complementares, distribuídas em, pelo

menos, dois grupos de atividades.

4 PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO

4.1 O perfil do egresso do curso de Direito frente à priorização das


ciências exatas e biológicas

Antes de definirmos o perfil do egresso, cabe-nos refletir acerca da


formação reflexiva dos estudantes de Direito. Apesar do grande avanço que, nas
últimas décadas, tiveram os estudos inter e multidisciplinares, o ensino superior
brasileiro parece não os ter assimilado da maneira mais adequada. De fato,
prosseguindo na sua tradição de um ensino superior voltado para a formação
profissional especializada, os estudos inter e multidisciplinares, entre nós, avançaram
apenas naquelas áreas aplicadas nas quais tem sido mais expressivo o avanço
tecnológico: energia, comunicações e informática são os exemplos mais significativos.
Por outro lado, é sabido que o impacto do desenvolvimento tecnológico
sobre as condições de vida das sociedades é altamente diferenciado. A assimilação
das inovações tecnológicas no cotidiano do cidadão comum se dá de formas
diferentes, tais sejam a cultura e as condições socioeconômicas em que sobrevive. A
velocidade crescente com que são introduzidas essas inovações, não permite que,
mesmo nas sociedades ditas "pós-industriais", sejam imediata e generalizadamente
assimiladas por todas as camadas da sociedade.
À medida em que, aparentemente, as ciências sociais e jurídicas não
lograram êxito ainda em analisar de forma abrangente as consequências sociais do
desenvolvimento científico e, sobretudo, da introdução de novas tecnologias (exceto,
talvez, em alguns poucos casos e situações específicas), generalizou-se a ideia de
um grande fosso separando as ciências sociais e também as humanidades, das
ciências exatas e naturais, básicas ou aplicadas, tanto é que os programas
governamentais de fomento à pesquisa e intercambio pouco contempla essas áreas.
A questão fundamental, entretanto, não reside nesta aparente falta de
comunicação entre as ciências sociais de um lado e as ciências exatas e naturais do
outro, mas da crônica ausência daquelas áreas nas reflexões sociais e humanas.
Somente na filosofia, precisamente no plano epistemológico é que o cruzamento de
saberes antes tão separados podem ser possíveis.
Naturalmente que são enormes os desafios, e o déficit cultural vem de
outras estruturas educacionais. Ou seja, embora pareça claro que será necessário
mudar a concepção dos currículos e a atuação dos professores nos níveis
fundamental e médio, essas mudanças terão que ser acompanhadas da formação de
um novo tipo de educador, definido enquanto intelectual organicamente comprometido
com a radicalidade democrática.
Um programa de ensino que pretenda superar a aparente dicotomia
“ciências-humanidades” deve, em primeiro lugar, assegurar uma base comum de
estudos a todos os alunos, independentemente das suas escolhas profissionalizantes.
Essa base comum será constituída de um conjunto de disciplinas das áreas de
humanidades e de ciências, suficientes para oferecer a todos os estudantes uma
compreensão da natureza da ciência e do método científico, do processo de inovação
tecnológica e dos valores culturais da sociedade em que estão inseridos.
Filosofia, ética, sociologia, economia, serão os componentes
indispensáveis de um tal programa, com ênfases específicas nos segmentos da
cultura, da ciência e da tecnologia. A perspectiva das políticas públicas - sua
formulação ou implementação - deverá estar sempre presente na abordagem temática
de cada programa, de modo a assegurar o objetivo de formação de cidadãos capazes
de compreender e atuar numa sociedade em permanente mutação, muitas vezes em
função de políticas governamentais, outras tantas em decorrência de movimentos
espontâneos de segmentos dessa mesma sociedade.
Na fase de formação profissional específica, os estudantes em seus
cursos de caráter tipicamente interdisciplinar terão assegurada a comunicação entre
as áreas de atuação profissional proporcionando então uma melhor compreensão dos
efeitos sociais, econômicos e tecnológicos dos avanços na área específica de seu
interesse.
Com essas premissas é que as Faculdades Integradas de Paranaíba -
FIPAR propõem um conjunto de mudanças em seu projeto pedagógico do curso de
Direito com o objetivo de ministrar disciplinas e executar atividades de modo a formar
profissionais capazes de dar uma contribuição efetiva ao processo de consolidação
da democracia, do uso sustentável do meio ambiente e da promoção dos Direitos
Humanos.
Tal objetivo será alcançado à medida em que, atuando em suas
respectivas especialidades, estes profissionais estejam imbuídos de uma visão
integradora do papel da ciência e da tecnologia no desenvolvimento da sociedade,
sem descuidar-se da preservação de seus valores culturais, do impacto do avanço
tecnológico na vida das pessoas e nos curtos sociais do progresso do progresso em
detrimento ao meio ambiente e à dignidade da pessoa humana.
Logo, a estruturação do curso leva o aluno a uma formação de modo a
oportunizar a reflexão para além de uma visão de conjunto de normas e fatos sociais,
aplicados tanto à nação quanto à região em que habita, para que este esteja apto à
comportamentos decisórios relevantes ao desenvolvimento social.

4.2 O perfil do egresso do curso de Direito das Faculdades


Integradas de Paranaíba-MS
O curso forma cidadãos e profissionais aptos a exercerem as mais
variadas profissões das carreiras jurídicas, seja na advocacia, na magistratura, no
ministério público, no magistério, na defensoria pública, nas procuradorias e no
desempenho de diversas funções públicas.
Os profissionais formados pelas Faculdades Integradas de Paranaíba-
MS possuem formação generalista, fundada nos princípios humanísticos, axiológicos
e sociais. São aptos a leitura, compreensão e elaboração de textos, formalização de
atos e documentos jurídicos ou normativos, com a devida utilização das normas
técnico-jurídicas; interpretação e aplicação do Direito; pesquisa e utilização da
legislação, da jurisprudência, doutrinas e demais fontes do Direito; adequado
conhecimento para atuação técnico-jurídica, nas instâncias administrativas ou
judiciais ou extrajudiciais, com a devida utilização de processos, atos ou
procedimentos; correta utilização da terminologia jurídica ou da Ciência do Direito; a
utilização de raciocínio jurídico, de argumentação, de persuasão e de reflexão crítica;
julgamento e tomada de decisões; o domínio de tecnologias e métodos para a
permanente compreensão e aplicação do Direito conforme disposto no art. 4º da
Resolução CNE/CES n. 9 de 29 de setembro de 2004.
Ao longo do curso são estimuladas e desenvolvidas habilidades e
competências que permitem a análise crítica dos fatos, o domínio dos conceitos e
terminologias jurídicas, adequada argumentação, interpretação e valorização dos
fatos jurídicos e sociais indispensáveis ao exercício da ciência do Direito, visando a
prestação da justiça, o desenvolvimento da cidadania e a correta adequação aos
anseios da sociedade regional, conforme a realidade socioeconômica da
macrorregião de Paranaíba-MS.
O perfil profissional do acadêmico é pautado na cultura da cidadania e
em um processo de ensino-aprendizagem que visa a concepção do direito mutável,
atento à realidade social e fundado na promoção do uso sustentável do meio
ambiente, na garantia dos Direitos Humanos e na promoção da Igualdade e da
Democracia.
Sua formação resulta da concepção do curso e seus objetivos, de sua
estrutura curricular dividida em eixo fundamental, profissionalizante e prático, da
metodologia do ensino ofertada, bem como do uso da tecnologia e da união entre a
teoria e a prática, das Atividades Complementares, do Trabalho de Curso e do Estágio
Supervisionado, além da indissociação e interação entre o ensino, a pesquisa e a
extensão.
Com base nestas premissas e nos potenciais exigidos pelo mercado
trabalho, o curso de Direito das Faculdades Integradas de Paranaíba – FIPAR se
propõe a formar um profissional capaz das seguintes competências e habilidades:

4.3 Competências e Habilidades

Leitura, compreensão e elaboração de textos, atos e documentos


jurídicos e não jurídicos, com a devida utilização das normas
técnico-jurídicas, das leis em seu amplo sentido e da literatura
jurídica. Do Direito em sua manifestação na vida empresarial, nos
usos e costumes, na consciência coletiva, na história dos povos,
no contexto regional e no dia a dia do cidadão.
Interpretação e aplicação do Direito com base no Direito
positivado, exegeses, sistematizações e valorações acerca das
leis e das teorias jurídicas, da vivência em sociedade e da
incorporação da ética e moral, de modo a utilizar o raciocínio
jurídico, a argumentação, a persuasão e a reflexão crítica em sua
atuação profissional para julgar e tomar decisões;
Pesquisa e utilização da legislação, da jurisprudência, da doutrina
e de outras fontes do Direito. Dominar as tecnologias da
informação e comunicação sendo indispensável a compreensão
de estudos sobre psicologia, criminologia, organização
empresarial, sociologia, dentre outros exemplos, visando a
enquadrar e entender o Direito no campo das ciências sociais,
bem como o necessário embasamento humanístico.
Atuação técnico-jurídica de modo a orientar os interessados e
promover o patrocínio de causas em diferentes instâncias,
administrativas ou judiciais, com a devida utilização de processos,
atos e procedimentos que constituem o instrumental judicial e
extrajudicial visando a solução dos conflitos.
Correta utilização da linguagem, conforme ditames da
terminologia jurídica e da Ciência do Direito, com o
desenvolvimento de uma exposição clara, embasada, metódica,
argumentativa sobre qualquer assunto. Desinibição emocional, e
os dotes da imaginação, compreensão e abstração de modo a
construir e fomentar os hábitos da leitura compreensiva, a
expressão linguística correta e outros meios necessários à
formação do advogado.
Aptidão ao julgamento e tomada de decisões, com o
desenvolvimento do pensamento lógico, atuação proativa no
aprendizado e na vida em sociedade e atuação resiliente na
contra argumentação e na resolução de conflitos.
Intervir nas comunidades das quais venha a fazer parte e nos
assuntos de interesse nacional com engajamento, competência e
conhecimento, nos temas que tratem sobre sustentabilidade do
meio ambiente, garantia dos Direitos Humanos e na promoção da
Igualdade e da Democracia.

4.4 Campos de atuação

O curso de graduação em Direito, antes de qualquer formação


profissional, forma cidadãos mais engajados e conscientes de seu papel no
desenvolvimento nacional e regional.
Na esfera profissional, o graduado encontra um amplo leque de
oportunidades de atuação como operador jurídico, tanto na esfera pública quanto na
esfera privada. Dessa maneira, exemplificamos algumas principais carreiras jurídicas:

a) Advocacia – constitui o livre exercício profissional, de modo


autônomo ou em sociedade, exercendo atividade típica do
advogado, representando empresas, instituições ou pessoas
físicas em ações, processos ou contratos, nos diversos ramos do
Direito.
b) Advocacia Pública – exerce as mesmas atividades do
Advogado, porém representando os interesses da União, Estados
e Municípios, zelando pela legalidade de seus atos.
Defensoria Pública – também exerce as mesmas atividades do
Advogado, porém prestando assistência jurídica integral aos
necessitados, sendo as despesas com o patrocínio e o processo
arcadas pela Poder Público;
Delegado de Polícia – atuam como titulares do inquérito policial
e pela coordenação de investigações policiais da Polícia
Judiciária, tanto na esfera federal quanto estaduais. Cuida
também do controle da documentação de veículos e motoristas,
emite carteiras de identidade, fiscaliza a compra, venda e guarda
de armas, munições e explosivos.
Magistratura – corresponde ao exercício da profissão de Juiz,
detentor de jurisdição. Encarregado de distribuir a justiça sobre
diferentes questões e fatos que lhe são submetidos por
intermédio do processo judicial.
Ministério Público - os Promotores e Procuradores tem como
atribuição a representação e defesa do Sociedade, seja na
promoção de ações que visem o resguardo dos interesses e do
patrimônio público, seja na condição de fiscal da lei.
Analistas - corresponde ao exercício de diversas competências
auxiliares à essencial administração e aplicação da justiça,
promovendo análises e comparações jurídicas, adequação de
fatos à legislação etc.

Embora as carreiras enumeradas acima sejam a seara principal de


atuação do profissional formado em Direito, o conhecimento jurídico mostra-se
essencial para a boa atuação em uma infinidade de profissões, com destaque para o
exercício de cargos e funções públicas, cujos princípios e vinculação jurídica são
requisitos essenciais da boa administração.

5 FORMAS DE ACESSO

Existem diferentes formas de ingresso no Curso de Graduação de


Bacharel em Direito:
5.1 Processo seletivo

O acesso ao curso se dá por meio de Processo Seletivo Unificado regido


por edital publicado e amplamente divulgado local e regionalmente. São
disponibilizadas 100 vagas para o curso, no período noturno.
O processo seletivo tem por objetivo verificar a aptidão intelectual dos
candidatos por meio da aplicação de testes de conhecimentos comuns ao ensino
médio, sendo os exames realizados pela própria IES. A classificação é feita pela
ordem decrescente dos resultados obtidos, sem ultrapassar o limite de vagas fixado e
excluindo os candidatos que não obtiverem os níveis mínimos estabelecidos.

5.2 Obtenção de novo título

O ingresso no curso por meio deste método ocorre quando há vagas


iniciais remanescentes no curso, hipótese em que podem ser efetuadas matrículas
dos interessados que detenham diploma de curso superior em cursos afins, para
obtenção de novo título, observadas as normas e o limite das vagas dos cursos
oferecidos.

5.3 Reopção de curso

Havendo vagas iniciais remanescentes no curso e havendo


interessados aprovados em processo seletivo para outro curso da Instituição, poderá
ser realizada a matrícula, observada pré-classificação entre todos os interessados na
mesma situação, conforme critérios estabelecidos pelo CONSUADEPE.

5.4 Transferência externa

Refere-se à hipótese de transferência de aluno do curso de Direito de


outra IES, mediante requerimento e existência de vagas, para o Curso de Bacharel
em Direito das FIPAR.
6 Representação gráfica de um perfil de formação:

BACHARELADOS EM DIREITO – DISCIPLINAS POR SEMESTRE


INTRODUÇÃ HISTÓRIA FILOSOFIA SOCIOLOGI PSICOLOGI LINGUAGEM ANTROPOL DIREITO CIVIL
O AO DO DIREITO DO DIREITO AI AI JURÍDICA I OGIA I (PARTE
1º SEM.

ESTUDO DO 40H I 40H 40H 40H JURÍDICA GERAL I)


DIREITO 40H 40H 80H
80H

CIÊNCIA FILOSOFIA SOCIOLOGI PSICOLOGI LINGUAGEM DIREITO DIREITO CIVIL


POLÍTICA E DO DIREITO A II A II JURÍDICA II PENAL I II (PARTE
2º SEM.

TEORIA II 40H 40H 40H (PARTE GERAL II)


GERAL DO 40H GERAL) 80H
ESTADO 80H
80H

DIREITO ECONOMIA TEORIA DIREITO DO DIREITO DIREITO CIVIL


CONSTITUCI 40h GERAL DO TRABALHO PENAL II III
3º SEM.

ONAL I 80h PROCESSO I 40h 80h (OBRIGAÇÕE


80h S) 80h

DIREITO DIREITO MÉTODOS E DIREITO DIREITO DO DIREITO DIREITO CIVIL


CONSTITUCI EMPRESARI TÉCNICAS PROCESSU TRABALHO PENAL III IV
4º SEM.

ONAL II 80h AL I 40h DE AL CIVIL I II 40h 40h (CONTRATOS


PESQUISA 80h ) 80h
40h

DIREITO DIREITO PROJETOS DIREITO DIREITO DIREITO DO DIREITO DIREITO CIVIL


CONSTITUCI EMPRESARI DE PROCESSU PROCESSU TRABALHO PENAL IV V (DIREITOS
5º SEM.

ONAL III 40h AL II 40h PESQUISA E AL CIVIL II AL PENAL I III 40h 40h REAIS I) 40h
INICIAÇÃO 80h 80h
CIENTÍFICA
40h

DIREITO DIREITO TRABALHO DIREITO DIREITO DIREITOS DIREITO DIREITO CIVIL


CONSTITUCI EMPRESARI DE CURSO PROCESSU PROCESSU HUMANOS I PENAL V VI (DIREITOS
6º SEM.

ONAL IV 40h AL III 40h 40h AL CIVIL III AL PENAL II 40h 40h REAIS II) 40h
80h 80h

DIREITO DIREITO DIREITO DIREITO DIREITO DIREITOS OPTATIVA DIREITO CIVIL


ADMINISTR EMPRESARI PROCESSU PROCESSU PROCESSU HUMANOS II OBRIGATÓR VII (FAMÍLIA I)
ATIVO I 80h AL IV 40h AL DO AL CIVIL IV AL PENAL III 40h IA I* 40h 40h
7º SEM.

TRABALHO 40h 40h


I 40h

PRÁTICA JURÍDICA SIMULADA I (CIVEL) 40h PRÁTICA JURÍDICA REAL I 40h


DIREITO ÉTICA DIREITO DIREITO DIREITO OPTATIVA DIREITO CIVIL
ADMINISTR GERAL E PROCESSU PROCESSU PROCESSU OBRIGATÓR VIII (FAMÍLIA
ATIVO II 80h PROFISSIO AL DO AL CIVIL V AL PENAL IA II** 40h II) 40h
8º SEM.

NAL 80h TRABALHO 40h IV 40h


II 40h

PRÁTICA JURÍDICA SIMULADA II (CIVEL) 40h PRÁTICA JURÍDICA REAL II 40h


DIREITO DIREITO DIREITO TUTELA DIREITO OPTATIVA DIREITO CIVIL
TRIBUTÁRI AGRÁRIO I INTERNACI DOS AMBIENTAL OBRIGATÓR IX
O I 80h 40h ONAL DIREITOS I 40h IA III*** (SUCESSÕES)
9º SEM.

PÚBLICO DIFUSOS E 40h 40h


40h COLETIVOS
I 40h

PRÁTICA JURÍDICA SIMULADA III (PENAL) 80h PRÁTICA JURÍDICA REAL III 40h
DIREITO DIREITO DIREITO TUTELA DIREITO OPTATIVA DIREITO CIVIL
TRIBUTÁRI AGRÁRIO II INTERNACI DOS AMBIENTAL OBRIGATÓR X
O II 80h 40h ONAL DIREITOS II 40h IA IV**** 40h (RESPONSAB
10º SEM.

PRIVADO DIFUSOS E ILIDADE


40h COLETIVOS CIVIL) 40h
II 40h

PRÁTICA JUR. SIM. IV (TRABALHISTA E OUTROS) 80h PRÁTICA JURÍDICA REAL IV 40h
7 SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO E
APRENDIZAGEM

O Curso de Direito segue o Regulamento Geral da Instituição em relação


ao sistema de avaliação de ensino.

7.1 Formas e procedimentos de avaliação do ensino e da


aprendizagem

O sistema de avaliação do processo ensino-aprendizagem tem por


objetivo utilizar diversos procedimentos, aplicados pelos docentes, que possam
garantir verificação de aproveitamento contínuo dos discentes, especialmente aqueles
que demonstrem o entendimento de conteúdos e as relações que os discentes
estabelecem entre estes e outros apreendidos: provas escritas com questões
preferencialmente dissertativas para serem realizadas individualmente e/ou em
duplas e/ou em grupos, seminários que são organizados e apresentados pelos
discentes, leituras e discussões de textos para serem realizadas pelos discentes
individualmente e/ou em grupos, estudos de caso, debates, pesquisas de temas com
elaboração de relatórios, entre outros, conforme regimento abaixo.
O processo de avaliação do desempenho escolar está assim
definido regimentalmente:

Art. 60- A avaliação do desempenho escolar é feita por unidade curricular


(Disciplinas e Atividades Complementares) incidindo sobre a frequência e o
aproveitamento.

Art. 61- A frequência às aulas e demais atividades escolares, permitida


apenas aos alunos matriculados, é obrigatória, vedado o abono de faltas.

Art. 62- O professor observará na organização das provas e na adoção dos


métodos dos demais aspectos que influam na atribuição das notas, as
diretrizes das Coordenações de Curso regulamentadas pelos respectivos
Colegiados de Curso.

Art. 63- Respeitado o limite mínimo de 75% (setenta e cinco por cento) de
frequência, a verificação da eficiência abrange, em cada disciplina:

I - assimilação progressiva de conhecimento;

II - trabalho expresso em tarefas de estudos e de aplicação de


conhecimento;
III - o domínio conjunto dos conteúdos lecionados.

§ 1º- Aos três aspectos da verificação de eficiência definida neste artigo,


correspondem as seguintes notas:

I - nota de prova (NP);

II - nota de trabalho (NT);

III - nota de exame final (NEF).

§ 2º- A nota de prova (NP) resulta da verificação que deve realizar-se, no


mínimo, uma vez por bimestre, de acordo com o plano elaborado pelo
professor.

§ 3º- A nota de trabalho (NT), resulta de tarefa de estudos e aplicação de


conhecimentos realizados de acordo com o plano do professor, no mínimo
um a cada semestre no modelo letivo semestral e, no mínimo um a cada
bimestre no modelo letivo anual.

§ 4º- A nota de exame final (NEF) resulta de prova escrita a realizar-se após
encerrado o período letivo.

Art. 64- No modelo letivo semestral é atribuída, semestralmente, apenas a


média final resultante da média aritmética das 03 notas mínimas (Duas
provas e um trabalho semestral) representada pela fórmula:

NP1 + NP2 + TS = MF
3

Art. 65- No modelo letivo anual é atribuída, bimestralmente, uma média


para cada disciplina, denominada média bimestral (MB), resultante da média
aritmética das notas de prova e trabalho, representada pela fórmula:

NP + NT = MB
2

Art. 66- No modelo letivo anual é atribuída uma média para cada disciplina
denominada média anual (MA), resultante da média aritmética das médias
bimestrais, representada pela fórmula:

MB/1 + MB/2 + MB/3 + MB/4 = MA


4

Art. 67- No caso dos exames finais a fórmula para cálculo da média do aluno
corresponde a:
I - Média final (MF) com peso 03 (três), mais a nota de exame final (NEF),
com peso 02 (dois), dividido pela soma dos pesos: 05 (cinco) no modelo letivo
semestral, representada pela fórmula:

(MF x 3) + (NEF x 2) = MF
5

II - Média anual (MA) com peso 03 (três), mais a nota de exame final (NEF),
com peso 02 (dois), dividido pela soma dos pesos: 05 (cinco) no modelo letivo
anual, representada pela fórmula:
(MA x 3) + (NEF x 2) = MF
5

Art. 68- Às diversas modalidades de verificação de rendimento escolar são


atribuídas notas de 0 (zero) a 10 (dez), admitindo-se a decimal 0,5 (cinco
décimos).

Parágrafo Único- Em qualquer disciplina, as médias são aplicadas até a


primeira decimal, sem arredondamento.

Art. 69- É considerado aprovado na disciplina, o aluno que:

I - conseguir obter a média final (MF) igual ou superior a 7,0 (sete inteiros),
ficando dispensado de prestar exame final;

II - com média final (MF) inferior a 7,0 (sete inteiros) se conseguir obter média
igual ou superior a 5,0 (cinco inteiros), após prestar exame final.

Art. 70 - É considerado reprovado, na disciplina, o aluno que:

I - alcançar média final (MF) inferior a 5,0 (cinco inteiros), após exame final
de segunda época;

II - comparecer a menos de 75% (setenta e cinco por cento) das atividades


curriculares, qualquer que seja o aproveitamento.

Art. 71 - É submetido a exame final o aluno que obter a média final (MF)
inferior a 7,0 (sete inteiros) e superior a 3,0 (três inteiros)

Art. 72 - O aluno reprovado por insuficiência de frequência ou de notas pode


ser promovido com dependências de até 03 (três) disciplinas.

Parágrafo Único- O aluno com 04 (quatro) ou mais dependências, deve


cursá-las primeiro e posteriormente prosseguir os estudos na série
subsequente.

Art. 73 - Os Colegiados de Curso fixam normas, diretrizes e critérios para


o cumprimento da(s) disciplina(s) em regime de dependência.

Art. 74 - A segunda chamada de provas e exames finais, é concedida


mediante requerimento dirigido ao Diretor das Faculdades, se houver
justificativa válida ou motivo justo.

Parágrafo Único - Cabe ao aluno o direito de solicitar prestação de provas


e exames finais a que tenha faltado, quando requerida dentro do prazo de
05 (cinco) dias de sua realização, pagando a taxa correspondente.

Art. 75 - É concedida revisão na nota atribuída aos exames finais, quando


requerida no prazo de 03 (três) dias contados de sua divulgação.

7.2 Comissão Própria de Avaliação

A Comissão Própria de Avaliação é entidade competente para realizar o


processo permanente de avaliação e acompanhamento das atividades acadêmicas,
tendo como método a auto avaliação do ensino, pesquisa, extensão e gestão em todas
as áreas da IES e o incentivo à participação da comunidade nas decisões sobre a
avaliação. Nesse sentido, Art. 18 do Regimento Geral assim versa:

Art.18- A Comissão Própria de Avaliação-CPA é órgão integrante das


Faculdades Integradas de Paranaíba.

§ 1º- É de competência da Comissão Própria de Avaliação-CPA das


Faculdades Integradas de Paranaíba a aplicação bienalmente do processo
de Avaliação Institucional.

Parágrafo Único- A Comissão Própria de Avaliação-CPA deverá apresentar


em forma de relatório a Diretoria Geral e a Comunidade Acadêmica os
resultados obtidos da Avaliação Institucional.

A avaliação compõe-se de sistema informatizado onde o discente tem a


oportunidade de avaliar as disciplinas e a prática docente, o curso e a Instituição. Os
docentes, por sua vez, realizam uma auto avaliação em que podem opinar acerca do
corpo discente e da instituição. A compilação dos dados é efetuada de modo a
constituir ações que objetivem a melhoria de possíveis deficiências.
O resultado coletado nesta avaliação possibilita às Faculdades
Integradas de Paranaíba, analisar criteriosa e coletivamente os significados dessas
informações de modo a estabelecer ações e realizações de forma a eliminar e mitigar
os pontos fracos identificados, definindo estratégias de superações de problemas;
ressaltar os pontos fortes e potencialidades (dimensões) e divulgar os resultados
tabulados e as ações à toda comunidade acadêmica.
Posteriormente, os resultados obtidos nas avaliações institucionais são
analisados e disponibilizados para a coordenação dos cursos da IES, para que
possam avaliar, juntamente com o NDE e Conselho de Curso, as melhorias e para
que possam ser corrigidos determinados aspectos em cada curso, de acordo com as
necessidades, possibilidades e adequação ao projeto pedagógico e PDI.

8 SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO PROJETO DO CURSO

8.1 COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO – CPA

O presente projeto compreende o resultado de discussão e participação


da comunidade acadêmica: docentes e discentes e técnicos administrativos. Essas
discussões, advindas dos resultados da CPA – Comissão Permanente de Avaliação,
permitiram a estruturação que se apresenta para o curso de Direito.
Estas avaliações ocorrem em todo o semestre, por intermédio de
sistema informatizado onde o discente tem a oportunidade de avaliar as disciplinas e
a prática docente, o curso e a Instituição. Além disso, os docentes, também realizam
auto avaliação em que podem opinar acerca do corpo discente e da instituição. A
compilação dos dados é efetuada de modo a constituir ações que objetivem a melhoria
de possíveis deficiências.
O resultado coletado nesta avaliação são analisados e disponibilizados
para a coordenação dos cursos da IES, para que possam avaliar, juntamente com o
NDE e Conselho de Curso, as melhorias e para que possam ser corrigidos
determinados aspectos em cada projeto pedagógico de curso, de acordo com as
necessidades, possibilidades e adequação entre o projeto pedagógico e PDI.

8.2 NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE

O NDE tem a finalidade de analisar de forma sistêmica e global os


aspectos de gestão do curso, relação com os docentes e discentes, a
representatividade no Conselho de Curso e têm papel bastante importante na
proposição e acompanhamento no processo de concepção, consolidação e contínua
atualização do projeto pedagógico do curso, diante das constantes avalições do
processo de ensino e aprendizagem, dos conceitos obtidos no ENADE e no CPC
(Conceito Preliminar de Curso).
Assim, realizam as alterações no projeto pedagógico que vão ao
encontro dos anseios advindos dos resultados da CPA, da comunidade acadêmica e
dos professores do curso. Posteriormente as alterações são enviadas para o conselho
de curso para validação e posterior aplicação.

9 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC

O Trabalho de Curso é entendido como a iniciação prática à pesquisa na


formação do profissional do Direito. Com a afirmação da “Sociedade do
Conhecimento” saber pesquisar e portar-se diante das demandas profissionais
enquanto um profissional-pesquisador torna-se imperioso, para tanto, a formação
inicial deve contemplar tal possibilidade com o intuito de formar nos bacharelandos
habilidades e competências que viabilize a continuidade de sua formação em um
processo de aprendizagem ininterrupto e permanente.
Como desmembramento das atividades correlatas ao TC prevê-se tanto
a realização da pesquisa quanto a redação de artigo científico e sua devida publicação
em revista científica, sem o que implicar-se-ia em uma atividade ritualística e
desprovida de maior significado na formação do bacharel.
A adoção do Artigo Científico, devidamente publicado, como forma de
realização do trabalho de curso, tem o intuito de incentivar e demonstrar na prática
todo o processo de pesquisa até a sua efetiva disponibilização à sociedade. Para
tanto, a exigência poderá ser cumprida a partir do 6º semestre do curso de Direito que
é quando o acadêmico já adquiriu conhecimentos de disciplinas de formação geral e
teve início a administração dos conhecimentos das disciplinas de conhecimento
específico, de modo que a descoberta científica se dará juntamente com a descoberta
dos temas específicos do curso de Direito.
Há disciplinas específicas voltadas à preparação e orientação dos alunos,
como por exemplo: Métodos e Técnicas de Pesquisa, Projetos de Pesquisa e Iniciação
Científica e Trabalho de Curso.
A realização do trabalho de curso se dá mediante orientação de
professor do curso de Direito. O tema do Trabalho de Curso é identificado pelo aluno,
juntamente com o seu orientador, por ele escolhido dentre a disponibilidade temática,
vinculando-se a uma das áreas ou disciplinas do curso.
O cumprimento do requisito de desenvolvimento do trabalho de curso
dá-se quando da entrega, na forma impressa e digital, do artigo publicado em revista
científica, podendo o aluno, em caso de insucesso na publicação, requerer, sem limite
de tentativas, autorização da Coordenação do Curso para reelaborar o trabalho e/ou
submetê-lo à banca examinadora, composta de professores do curso de Direito, que
decidirão pela aprovação ou reprovação do trabalho.
A efetivação, acompanhamento e cumprimento do Trabalho de Curso se
dará de acordo com o seguinte cronograma:

CRONOGRAMA PARA ACOMPANHAMENTO DE TCs:


1. Prazo para depósito dos projetos de pesquisa;
2. Prazo para que a Coordenação do Curso de Direito faça designação inicial de orientadores;
3. Prazo para manifestação de aceite ou recusa de orientação por parte dos professores;
4. Prazo para execução das pesquisas;
5. Prazo para depósito da versão apta à publicação do artigo científico, devidamente corrigida
pelos professores orientadores;
6. Prazo para solicitação de autorização para reelaborar o trabalho e/ou submetê-lo à banca
examinadora;
7. Prazo para depósito da versão publicada em revista científica do Artigo Científico, na forma
impressa e em formado digital, junto à Secretaria Geral da IES.

A elaboração da Artigo Científico obedece regulamento próprio,


aprovado pelo CONSUADEPE.

10 O ESTÁGIO CURRICULAR E O NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

10.1 O Estágio Curricular Obrigatório

O Estágio Curricular atende à normatização expressa nas DCNs e se


inicia a partir do 7º semestre do curso. Se desenvolve no Núcleo de Prática Jurídica,
cujo regulamento próprio, normatiza, promove e coordena as atividades práticas
relacionadas ao Estágio Supervisionado Curricular, além de ser o elo principal da
integração do curso de Direito com a Comunidade, o que significa conhecimento
teórico aplicado à prática.
O atendimento à comunidade é desenvolvido com o acompanhamento
docente e efetiva participação discente, sendo que o controle das atividades
desenvolvidas é realizado pela secretaria do Núcleo com a supervisão da
coordenação do curso.
Os estágios totalizam 160 horas centradas na reflexão crítica sobre a
prática jurídica dentro do ambiente acadêmico e também na dimensão da realidade
em que as manifestações jurídicas podem ser observadas.
Para tanto, seguem os seguintes princípios:
c) ser obrigatório, correspondendo no mínimo a 160 horas de
atividades;
d) abranger atividades práticas reais e simuladas a serem
desenvolvidas pelos alunos, nos laboratórios (NPJ) da instituição
e em outras instâncias jurídicas conveniadas;
e) envolver treinamento em atividades profissionais típicas da
Advocacia, Magistratura, Ministério Público e demais profissões
jurídicas;
f) as atividades do estágio supervisionado podem ser
complementadas mediante convênios com órgãos públicos,
entidades judiciárias, empresariais, comunitárias e sindicais, mas
em um percentual de no máximo 50% do total da carga horária
por semestre letivo;
g) ser coordenado e supervisionado pelo Núcleo de Prática Jurídica
que deve articular a teoria com a prática.

10.2 O Núcleo de Prática Jurídica

O Núcleo de Prática Jurídica é órgão de desenvolvimento, controle,


acompanhamento, supervisão geral e instância destinada à realização de práticas
jurídicas reais e simuladas visando preparar o acadêmico para solução de conflitos
não somente via Poder Judiciário mas buscando oferecer possibilidades outras de
solução de conflitos, como negociação visando a conciliação, mostrando a
importância do papel de mediador que o operador do direito pode exercer, quer na
qualidade de Advogado, Juiz, Procurador, Promotor, Defensor e Delegado.
É supervisionado pelo coordenador do curso, dispondo de instalações
adequadas para treinamento das atividades desenvolvidas pelos profissionais da área
jurídica. Conta, para sustentação de seus trabalhos, com uma secretaria própria, com
pessoal técnico-administrativo colocados à sua disposição pela Direção da Instituição
de Ensino.
O Núcleo de Prática Jurídica é composto de professores indicados pelo
Coordenador do Curso de Direito. Na regulamentação, estão previstas as funções
existentes na estrutura e as atribuições de cada membro no desenvolvimento das
atividades do órgão.
Dentre as atividades desenvolvidas, há a Prática Real, Prática Simulada,
Peças Processuais, Rotinas Processuais, participação em Audiências Externas,
participação em Audiências Internas, Temáticas de Acórdãos, participação em
Processos Simulados e outras atividades.
A estrutura física do Núcleo de Prática é composta de Sala Ambientada
para as práticas simuladas e Escritório de Assistência Jurídica. As Salas Ambientadas
são utilizadas para aulas de prática jurídica simulada e, fisicamente contarão com
mesas redondas, cadeiras e também estrutura física para realização de audiências
simuladas e júri simulado.
Na estrutura curricular a partir do sétimo semestre, os alunos têm
matérias denominadas Prática Jurídica (Real e Simulada) I, II, III e IV. Cada uma delas
deve ser integralizada em um total de 80 horas aulas, sendo que 40 horas-aula
desenvolvidas nas salas ambientadas sob a supervisão dos professores de prática
jurídica e as outras 40 horas-aula desenvolvidas tanto nas Salas Ambientadas como
no Escritório de Assistência Jurídica, por semestre letivo durante os 2 últimos anos do
curso.
O Escritório de Assistência Jurídica é local adequado para a realização
de atividades práticas reais, e contará com estrutura física adequada para atender a
população e acomodar os estagiários que atuarão em grupos de até 05 (cinco) alunos
por sala. O funcionamento do escritório será informado à Ordem dos Advogados do
Brasil, seção de Mato Grosso do Sul.
A articulação destas atividades consta dos planos de ensino das
disciplinas de Prática Jurídica I, II, III e IV elaborados pelos professores. Os planos
devem ser elaborados em sintonia com o regime do Núcleo de Prática Jurídica e
devem prever obrigatoriamente visitas simuladas sob a supervisão dos professores
de prática.

11 ATO AUTORIZATIVO ANTERIOR OU ATO DE CRIAÇÃO

Data em que o curso iniciou: 04/09/2006


Ato autorizativo anterior: Portaria SERES/MEC nº 1.372, de 21/07/2006, publicada
no DOU de 24/07/2006.
Data da criação do curso: 24/07/2006.
Reconhecimento do curso: Portaria SERES/MEC nº 234, de 27 de maio 2013,
publicada no DOU de 28 de maio de 2013.

12 COMPONENTES CURRICULARES

12.1 Primeiro semestre - eixo temático interdisciplinar

Sociedade, Estado e Ciência Jurídica: da compreensão à reflexão crítica sobre as


bases da convivência social tendo o Direito como instrumento de acesso a cidadania
e de construção constante da dignidade da pessoa humana.

PRIMEIRO SEMESTRE
CARGA HORÁRIA
DISCIPLINAS
(h/aula)
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO 80
HISTÓRIA DO DIREITO 40
FILOSOFIA DO DIREITO I 40
SOCIOLOGIA I 40
PSICOLOGIA I 40
LINGUAGEM JURÍDICA I 40
ANTROPOLOGIA JURÍDICA 40
DIREITO CIVIL I (PARTE GERAL I) 80
TOTAL HORAS-AULA 400

Curso: DIREITO Disciplina: INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO


Semestre: 1º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Objetivos da Introdução ao Direito. Direito, sociedade e cultura. Relacionamento


do Direito com as demais formas de conhecimento. Direito, moral e regras de trato
social. Conceito de Direito. Direito objetivo e direito subjetivo. Fontes do
Direito. Direito público e direito privado.
Direito e Lei: técnica legislativa. Direito e Estado. Enfoques teóricos: zetética
e dogmática. Teorias da norma e do ordenamento jurídico. Jusnaturalismo e
juspositivismo. Hermenêutica jurídica. Direito e Justiça. Direito e Segurança.
Escolas jurídicas: jusnaturalismo, escola histórica do Direito, positivismo
normativista, sociologismo jurídico, marxismo e Direito. Sistema jurídico. A
dinâmica do sistema jurídico interno, considerando o seu contexto sub-regional,
regional e global.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

ASSIER-ANDRIEU, Louis. O direito nas sociedades humanas. São Paulo: Martins Fontes,
2000.

BERGEL, Jean-Louis. Teoria geral do direito. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

DINIZ, Maria Helena. Compêndio de introdução à ciência do direito. 23.ed. São Paulo:
Saraiva, 2012.

DWORKIN, Ronald. O império do direito. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

FERRAZ JUNIOR, Tercio Sampaio. Introdução ao estudo do direito: técnica, decisão,


dominação. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2012.

GOYARD-FABRE, Simone. Os fundamentos da ordem jurídica. São Paulo: Martins Fontes,


2002.

MONTORO, André Franco. Introdução à ciência do direito. 31.ed. São Paulo: Rev. dos
Tribunais, 2014.

REALE, Miguel. Filosofia do direito. 20.ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

REALE, Miguel. Lições preliminares de direito. 27.ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. 1.ed. São Paulo: Martin Claret, 2004.

ÁVILA, Humberto. Teoria dos princípios: da definição à aplicação dos princípios jurídicos.
4.ed. São Paulo: Malheiros Editores, 2004.

BERBERI, Marco Antonio Lima. Os princípios na teoria do direito. Rio de Janeiro: Renovar,
2003.

BOBBIO, Norberto. O positivismo jurídico: lições de filosofia do direito. São Paulo: Ícone,
1995.

COSTA, Elcias Ferreira da. A essência trinitária do direito: temas de filosofia jurídica. Porto
Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1996.

DAVID, René, Os grandes sistemas do direito contemporâneo. 4.ed. São Paulo: Martins
Fontes, 2002.

DIMOULIS, Dimitri. Manual de introdução ao estudo do direito. São Paulo: Revista dos
Tribunais, 2003.

GUERRA FILHO, Willis Santiago. Teoria da ciência jurídica. São Paulo: Saraiva, 2001.
GUSMÃO, Paulo Dourado de. Introdução ao estudo do direito. 34.ed. Rio de Janeiro:
Forense, 2004.

HOBBES, Thomas. Leviatã: ou matéria, forma e poder de um estado eclesiástico e civil.


1.ed. São Paulo: Martin Claret, 2004.

KÖHLER, Peter; SCHAEFER, Tomas. O direito pelo avesso: uma antologia jurídica
altenativa. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

KOLM, Serge-Christophe. Teorias modernas da justiça. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

NADER, Paulo. Introdução ao estudo ao direito. 24.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

NUNES, Luiz Antonio Rizzatto. Manual de introdução ao estudo do direito: com exercícios
para sala de aula e lições de casa. 5.ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

POLETTI, Ronaldo. Introdução ao direito. 3.ed. São Paulo: Saraiva, 1996.

REALE, Miguel. O direito como experiência: introdução a epistemologia jurídica. São


Paulo: Saraiva, 1998.

REALE, Miguel. Teoria tridimensional do direito. 5.ed. São Paulo: Saraiva, 1994.

ROSS, Alf. Direito e justiça. São Paulo: Edipro, 2003.

Curso: DIREITO Disciplina: HISTÓRIA DO DIREITO


Semestre: 1º Carga Horária: 40h
EMENTA:

O Direito na Antiguidade: Grécia e Roma. Humanismo e Escolástica: a retórica


clássica e o direito. Portugal e seu direito. O Direito na Idade Moderna: o direito
comum e a formação dos direitos nacionais. O Direito continental e Common Law. O
Direito Brasileiro no período colonial/imperial. História das correntes jurídicas:
positivismo versus jusnaturalismo: Agostinho e Aquino; O Direito Natural: Hobbes
e Locke. Escola Naturalista: Grotius e Pufendorf. Escola Racionalista: Rousseau
e Kant. Historicismo versus Codificação: teorias de Gustavo Hugo, Savigny, Edward
Coke. A escola da Exegese, Pandectismo e Jurisprudência Analítica. O pensamento
jurídico de Rudolf von Jhering. O Positivismo Jurídico de Hans Kelsen. Teorias
críticas: Warat, Häbermas etc. Modernidade e Direito. A formação das Instituições
Jurídicas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

ALBERGARIA, Bruno. Histórias do direito: evolução das leis, fatos e pensamentos. São
Paulo: Atlas, 2011.

CASTRO, Flávia Lages de. História do Direito: geral e Brasil. 10. ed. Rio de Janeiro: Lumen
Juris, 2014.

BITTAR, Eduardo C. B. História do Direito Brasileiro. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
WOLKMER, Antonio Carlos (Org.). Fundamentos de história do Direito. 5. ed. Belo
Horizonte: Del Rey, 2010.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BORGES, Vavy Pacheco. O que é história. 2 ed. São Paulo: Brasiliense, 1993. (Coleção
primeiros passos; 17).

COULANGES, Fustel de. A cidade antiga. 5. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

KLABIN, Aracy Augusta Leme. História geral do direito. São Paulo: RT, 2004.

LOPES, José Reinaldo de Lima. O direito na história. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

PALMA, Rodrigo Freitas. Manual elementar de direito hebraico. Curitiba, PR: Juruá, 2008.

______. História do Direito. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2011.

Curso: DIREITO Disciplina: FILOSOFIA DO DIREITO I


Semestre: 1º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Filosofia: natureza, elementos característicos, objeto, método e divisão. História


do pensamento filosófico. Crítica do conhecimento. Conhecimento da verdade. Método
cartesiano. A dialética. Do conhecimento quanto á essência. Do conhecimento quanto
ao método. Do conhecimento quanto ao seu alcance. Teoria dos objetos. Ser e dever
ser. Objetos naturais, psíquicos e ideais. Os valores e suas características.
Objetos culturais e conceitos de cultura. Natureza e cultura. Estrutura dos bens
culturais. Cultura e pessoa humana. Explicação e compreensão. Ciências naturais
e ciências culturais. O direito e a sua fundamentação. Situação do Direito no
mundo da cultura. O Direito como objeto da Filosofia. Filosofia do Direito e
Ciência do Direito. Estrutura tridimensional do Direito.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

ARANHA, Maria Lúcia Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: introdução a
filosofia. 4.ed. São Paulo: Moderna, 2009.

ARANHA, Maria Lúcia Arruda. Maquiavel: a lógica da força. São Paulo: Ed. Moderna,
2003.

CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia. 13.ed. São Paulo: Ática, 2010.

CHAUÍ, Marilena. Introdução a história da filosofia: dos pré-socráticos a Aristóteles. 2.ed.


São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

RADBRUCH, Gustav. Filosofia do direito. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

REALE, Miguel. Filosofia do direito. 20.ed. São Paulo: Saraiva, 2002.


WEFFORT, Francisco C. Os clássicos da política: Maquiavel, Hobbes, Locke, Montesquieu,
Rousseau, o Federalista. 13.ed. São Paulo: Ática, 2004. v.1.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. 4.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

ADOMEIT, Klaus. Filosofia do direito e do estado, Vol. II: Filósofos da Idade Moderna.
Porto Alegre: Sergio Antoni Fabris Editor, 2001.

BITTAR, Eduardo C. B. Doutrinas e filosofias políticas: contribuições para a história da


ciência política. São Paulo: Atlas, 2002.

BORGE, Arnaldo. Origens da Filosofia do Direito. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris
Editor, 1999.

BÓSON, Gerson de Britto Mello. Filosofia do direito: interpretação antropológica. 2.ed.


Belo Horizonte: Del Rey, 1996.

CHATELET, Françóes; DUHAMEL, Oliver; PISIER-KOUCHNER, Evelyne. História das


idéias políticas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

CRETELLA JÚNIOR, José. Curso de filosofia do direito: prólogo de Giorgio Del Vecchio.
9. ed. Rio de Janeiro, Forense, 2003.

DWORKIN, Ronald. Domínio da vida – aborto, eutanásia e liberdades individuais. São


Paulo: Martins Fontes, 2003.

FARIAS, José Fernando de Castro. A origem do direito de solidariedade. Rio de Janeiro:


Renovar, 1998.

FERRAZ JUNIOR, Tercio Sampaio. Estudos de filosofia do direito: reflexões sobre o


poder, a liberdade, a justiça e o direito. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

FOUCAULT, Michel. Microfisica do poder. 20.ed. Rio de Janeiro: Graal, 2004.

GOYARD-FABRE, Simone. Os princípios filósofos do direito político moderno. São Paulo:


Martins Fontes, 2002.

GUSMÃO, Paulo Dourado. Filosofia do Direito. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro:


Jorge Zahar, 1985.

LUISI, Luiz. Filosofia do direito: ensaios. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1993.

MASCARO ALYSSON, Leandro. Introdução à Filosofia do Direito – Dos Modernos ao


Contemporâneos. São Paulo: Atlas, 2002.

MONTESQUIEU, Charles de Secondat. O espírito das leis. 8.ed. São Paulo: Martins
Fontes, 2004.

NADER Paulo. Filosofia do Direito. 14. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2004.
ROUSSEAU, Jean-Jacques. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade
entre os homens. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-


modernidade. 9.ed. São Paulo: Cortez, 2003.

Curso: DIREITO Disciplina: SOCIOLOGIA I


Semestre: 1º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Razões sociais do aparecimento da Sociologia. Natureza, objeto, método e divisão


da Sociologia. Escolas Sociológicas. Fato Social. O Direito como fato social. O
desenvolvimento da sociologia: o social em suas dimensões históricas. A
sistematização do social: o positivismo - origem remota, os renascentistas, os
modernos. A estrutura positivista. A filosofia positivista. Liberalismo e Direito.
O evolucionismo marxista. A escola sociológica. A sociedade liberal e o Direito.
O antipositivismo das derivações kantianas. O organismo ético. A sociedade
doméstica. A sociedade civil. A sociologia e as novas teorias sociológicas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

ARON, Raymond. As etapas do pensamento sociológico. 6.ed. São Paulo: Martins Fontes,
2002.

CASTRO, Celso Antônio Pinheiro. Sociologia aplicada ao direito. 2.ed. São Paulo: Atlas,
2003.

ROSA, Felipe Augusto de Miranda. Sociologia do direito: o fenômeno jurídico como fato
social. 18. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

CAVALIERI FILHO, Sergio. Programa de sociologia jurídica. 11.ed. São Paulo: Forense,
2004.

DURKHEIM, Emile. O suicídio: estudo de sociologia. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

FARIA, José Eduardo; CAMPLILONGO, Celso Fernandes. A sociologia jurídica no Brasil.


Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1991.

FOUCAULT, Michael. A Em defesa da sociedade: curso no college de frane. São Paulo:


Martins Fontes, 2002.

FOUCAULT, Michael. Microfísica do poder. 20. ed. São Paulo: Graal, 2004.

LONGO, Adão. O direito de ser humano. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

Curso: DIREITO Disciplina: PSICOLOGIA I


Semestre: 1º Carga Horária: 40h
EMENTA:
Psicologia geral: noções fundamentais. Psicologia geral e psicologia aplicada.
Conceitos e estruturas psicológicas e psicanalíticas Noções de desenvolvimento da
Personalidade Humana. A Psicologia Judiciária como um ramo da Psicologia Aplicada.
Percepção da verdade no desenvolvimento do processo. O uso dos recursos da
Psicologia no âmbito do Direito. Percepção jurídica da personalidade, da
capacidade, da responsabilidade, da imputabilidade e da inimputabilidade. Questões
éticas na atuação do psicólogo na Justiça.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

CAFÉ, Mara. Psicanálise e direito. São Paulo: Quartier Latin, 2010.

LÓPEZ, E. Mira y. Manual de psicologia jurídica. 2.ed. Campinas: LZN. 2011.

TRINDADE, Jorge. Manual de psicologia jurídica para operadores do direito. Porto Alegre:
Livraria do Advogado, 6.ed. 2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

CAIRES, Maria Adelaide de Freitas. PSICOLOGIA JURÍDICA: implicações conceituais e


aplicações práticas. São Paulo: Vetor Editora, 2003.

CARDELLA, Haroldo. Ética Profissional da Advocacia. São Paulo: Saraiva, 2006.

FREUD, SIGMUND. Obras Completas: Observações psicanalíticas sobre um caso de


paranóia: o caso Schreber. 5.ed. São Paulo: Amorrortu, 2001. vol II.

MARANHAO, Odon Ramos Psicologia do crime. 2.ed. São Paulo: Editora Revista dos
Tribunais,1993.

SORIA VERDE, Miguel Angel. Psicologia criminal. 9.ed. Mexico: Pearson Educacion
(espanhol), 2006.

SERAFIM, Antonio de Pádua Serafim; BARROS, Daniel Martins de; TIGONATTI, Sérgio
Paulo (orgs.). Temas em psiquiatria forense e psicologia jurídica II. Rio de Janeiro:
VETOR, 2006.

Curso: DIREITO Disciplina: LINGUAGEM JURÍDICA I


Semestre: 1º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Leitura e interpretação de textos. Vícios de linguagem: a utilização de expressões


em língua estrangeira; arcadismos; práticas viciosas. Estrutura do parágrafo,
concordâncias verbal e nominal. Sintaxe de pronomes. Estrutura da dissertação.
Argumentação. Tipos de argumentos. Noções metodológicas de leitura e interpretação
de textos técnicos. A argumentação como recurso persuasivo. Leitura, análise e
produção textual, com ênfase na coesão e coerência. A expressão oral como meio de
comunicação eficaz.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
BITTAR, Eduardo Carlos B. Linguagem jurídica. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

DAMIÃO, Regina Toledo; HENRIQUES, Antonio. Curso de português jurídico. 9.ed. São
Paulo: Atlas, 2004.

MEDEIROS, João Bosco; TOMASI, Carolina. Português forense: a produção do sentido.


São Paulo: Atlas, 2004.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

NASCIMENTO, Edmundo Dantes. Linguagem forense: a língua portuguesa aplicada à


linguagem do foro. 10. ed. São Paulo: Saraiva, 2001.

ARIOSI, Mariângela. Manual de redação jurídica. 2.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2003.

BENASSE, Marcos Antônio; BENASSE, Maria Cristina K. dos Santos. Linguagem Forense.
Campinas: Bookseller, 2004.

CALANZANI, José João. Manual prático de língua portuguesa: obra destinada a


estudantes de direito, advogados, promotores e juízes. 2.ed. Belo Horizonte: Del Rey,
2003.

STRUCHINER, Noel. Direito e linguagem: uma análise da textura aberta da linguagem e


sua aplicação ao direito. Rio de Janeiro: Renovar, 2002.

XAVIER, Ronaldo Caldeira. Português no direito: linguagem forense. 15.ed. Rio de


Janeiro: Forense, 2004.

Curso: DIREITO Disciplina: ANTROPOLOGIA JURIDICA


Semestre: 1º Carga Horária: 40h
EMENTA:

A antropologia como saber. O objeto da antropologia. Relações da antropologia com


o direito e demais ramo do saber. Teorias Antropológicas. Etnocentrismo. Cultura
e culturas: Cultura: noções e acepções; Cultura e política; A antropologia
política; Cultura e direito. Noções de cultura jurídica (culturalismo,
interpretacionismo, marxismo). Antropologia liberal versus antropologia da
libertação. Direito e diversidade. Categorias Antropológicas e direito: Símbolos
e direito; Mitos e direito; Religião e direito; Violência, poder e direito;
Sensibilidade e direito. O direito e o olhar antropológico: Família e parentesco;
Processo e julgamento; Crime e punição; Norma e tabu. Antropologia e direitos
humanos: Universalismo e particularismo; direito e direitos humanos: ocidente e
oriente.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

HOEBEL, E. Adamson. Antropologia cultural e social. São Paulo: Cultrix. 2006.

MELLO, Luis Gonzaga de. Antropologia cultural: iniciação, teoria e temas. 18.ed. Petrópolis:
Vozes, 2011.
MELLO, Luis Gonzaga de. Antropologia cultural: iniciação, teoria e temas. 19.ed. Petrópolis:
Vozes, 2013.

RIBEIRO, Darcy. O processo civilizatório: Etapas da Evolução Sociocultural. Petrópolis: Cia


das Letras, 2011.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BARREIRA, César. Crimes por encomenda: violência e pistolagem no cenário brasileiro.


Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1998.

APRENDER antropologia. São Paulo: Brasiliense, 2000.

NEVES, Walter. Antropologia ecológica: olhar materialista sobre as sociedades humanas.


2.ed. São Paulo: Cortez, 2002.

MARCONI, Marina de Andrade; NEVES, Zélia Maria. Antropologia: uma introdução. 2.ed.
São Paulo: Atlas, 2008.

ERIKSEN, Thomas Hylland; NIELSEN, Finn Sivert. Antropologia e história. Rio de Janeiro:
Vozes, 2007.

COLAÇO, Thais Luzia. Elementos de Antropologia Jurídica 2.ed. São Paulo: Conceito
Editorial, 2011.
ASSIS, Olney Queiroz; KUMPEL, Vitor Frederico. Manual de Antropologia Jurídica. São
Paulo: Saraiva, 2011.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO CIVIL I (PARTE GERAL I)


Semestre: 1º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Lei de introdução às normas de direito brasileiro. Parte Geral do Código Civil.


Direito Civil: conceito, origens e fontes. Das pessoas. Pessoa
natural e pessoa jurídica. Domicílio. Direitos da Personalidade. Objeto da relação
jurídica: bens e noção de patrimônio. Dos bens. Classificação dos bens: bens
considerados em si mesmos, bens reciprocamente considerados. Bens públicos e bens
particulares; bens no comércio e fora dele. Bem de família. Direitos registráveis
e direitos não registráveis. Registro de bens móveis e de bens imóveis.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro: teoria geral do direito civil. 29.ed.
São Paulo: Saraiva, 2012. v.1.

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro: teoria geral das obrigações. 27.ed.
São Paulo: Saraiva, 2012. v. 2.

VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil: parte geral. 12.ed. São Paulo: Atlas, 2012. v. 1.

VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil: teoria geral das obrigações e teoria geral dos
contratos. 12.ed. São Paulo: Atlas, 2012. v. 2.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BEVILAQUA, Clovis. Teoria geral do direito civil. Campinas: Red Editora, 2003.

COELHO, Fabio Ulhoa. Curso de direito civil. São Paulo: Saraiva, 2003. v. 1.

COELHO, Fabio Ulhoa. Curso de direito civil. São Paulo: Saraiva, 2004. v. 2.

DINIZ, Maria Helena. Lei de introdução ao código civil brasileiro interpretada. 11.ed. São
Paulo: Saraiva, 2005.

GAGLIANO, Pablo Stolze; PAMPLON FILHO, Rodolfo. Novo curso de direito civil: contém
análise comparativa dos códigos de 1916 e 2002. 14.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 1.

GAGLIANO, Pablo Stolze; PAMPLON FILHO, Rodolfo. Novo curso de direito civil:
obrigações. 13.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 2.

MIRANDA, Pontes de. Tratado de direito privado: parte geral: introdução: pessoas físicas
e jurídicas. 2.ed. São Paulo: Bookseller, 2002. v.1.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro. 10.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.1.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro. 9.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.2.

NEGRÃO, Theotonio. Código civil e legislação civil em vigor. 31.ed. São Paulo: Saraiva,
2012.

12.2 Segundo semestre - eixo temático interdisciplinar

Sociedade, Estado e Ciência Jurídica: a construção de um sistema social de Direito


e a garantia dos interesses individuais frente aos direitos coletivos.

SEGUNDO SEMESTRE
CARGA HORÁRIA
DISCIPLINAS
(h/aula)
CIÊNCIA POLÍTICA E TEORIA GERAL DO ESTADO 80
FILOSOFIA DO DIREITO II 40
SOCIOLOGIA II 40
PSICOLOGIA II 40
LINGUAGEM JURÍDICA II 40
DIREITO PENAL I (PARTE GERAL) 80
DIREITO CIVIL II (PARTE GERAL II) 80
TOTAL HORAS-AULA 400

Curso: DIREITO Disciplina: CIÊNCIA POLÍTICA E TEORIA GERAL DO ESTADO


Semestre: 2º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Origem e constituição da sociedade. Direito, Poder e Sociedade. Estado, Direito


e Política. Ciência Política e Teoria do Estado. Maquiavel e o surgimento da
política moderna; Thomas Hobbes: O estado de natureza; Os fundamentos do Estado
Absolutista; A teoria do Contrato Social; John Locke: O estado de natureza; O
direito de resistência; A teoria da propriedade; Sociedade política ou civil; Os
termos do contrato social; Jean Jacques Rousseau: O estado de natureza; Os termos
do Contrato Social; Soberano e governo; A vontade geral. O Estado na concepção de
Montesquieu. Estado e Nação. Elementos constitutivos do Estado: elemento
geográfico; elemento humano: povo (cidadão) e população. Soberania. Elemento
político jurídico. Origem e formação do Estado. Formas de Estado. Formas de
Governo: monarquia e república. Sistemas de Governo. Regimes de Governo:
democracia, socialismo, comunismo, autoritarismo, totalitarismo, anarquismo e
social-democracia. Estado contemporâneo: o liberalismo político, o Estado
constitucional e o Estado de direito. Os fundamentos do Estado Democrático; A
atualidade conceptual do Estado: Norberto Bobbio e Reinhold Zippellius; Estado de
Direito; Welfare State; Estado Democrático de Direito; Dimensões específicas da
comunidade estatal; Estado industrial de regulação intensiva. O estudo da natureza
e finalidade do Estado na atualidade.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

BASTOS, Celso Ribeiro. Curso de teoria do estado e ciência política. 6.ed. São Paulo:
Celso Bastos Editora, 2004.

BERGEL, Jean-Louis. Teoria geral do direito. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BOBBIO, Norberto. Estado, governo, sociedade: para uma teoria geral da política. 11.ed.
Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004.

BONAVIDES, Paulo. Teoria do estado. 5.ed. São Paulo: Malheiros, 2004.

DALLARI, Dalmo de Abreu. Elementos de teoria geral do estado. 24.ed. São Paulo:
Saraiva, 2003.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ARENDT, Hannah. Crises da república. 2.ed. São Paulo: Perspectiva, 2004.

ARENDT, Hannah. O que é política: fragmentos das obras póstumas compiladas por Ursula
Ludz. 5.ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

ARISTÓTELES. A política. 2.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

AZAMBUJA, Darcy. Teoria geral do estado. 44.ed. São Paulo:Globo, 2003.

AZEVEDO, Plauto Faraco. Direito, justiça social e neoliberalismo. São Paulo: Revista dos
Tribunais, 1999.

BOBBIO, Norberto. Teoria do ordenamento jurídico. 10.ed. Brasília: UNB.1999.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Rio de Janeiro: Campus, 1992.


BOBBIO, Norberto. Teoria geral da política: a filosofia política e as lições dos clássicos.
Rio de Janeiro: Elsevier, 2000.

BOBBIO, Norberto. O futuro da democracia. 9. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

BRENER, Jayme. Regimes políticos: uma viagem. São Paulo: Scipione, 2003.

CHÂTELET, François;DUHAMEL,Olivier; KOUCHNER,Éveryne Pisier. A história das idéias


políticas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor,2000.

COULANGES, Fustel. A cidade antiga. 5.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

DALLARI, Dalmo de Abreu. O futuro do estado. São Paulo: Saraiva, 2001.

FABRE, Simone Goyard. Os princípios filosóficos do direito político moderno. São Paulo:
Martins Fontes, 2002.

FILOMENO, Jose Geraldo Brito. Manual de teoria geral do estado e ciência política. 5.ed.
Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

HOBBES, Thomas. Leviatã: ou matéria, forma e poder de uma república eclesiástica e civil.
São Paulo: Martins Fontes, 2004.

MIRANDA, Pontes. Democracia, liberdade e igualdade: os três caminhos. Campinas:


Bookseller, 2002.

Curso: DIREITO Disciplina: FILOSOFIA DO DIREITO II


Semestre: 2º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Problema e sistema no direito. A autopoiese. A realidade jurídica. Conceito e


estrutura da relação jurídica. Nova idéia do conceito de direito subjetivo. A
pessoa na relação jurídica. Epistemologia jurídica. Questionamento acerca da
cientificidade do Direito. Gnoseologia jurídica. A teoria do conhecimento
aplicada ao direito. O conhecimento jurídico. Axiologia jurídica. Os valores no
direito. A “ética material dos valores” de Max Scheler em oposição a Kant. A
teoria da justiça: John Rawls. Ontologia jurídica. O problema do conceito e da
essência do direito. Ontologia versus retórica, na filosofia e no direito.
Metafísica, gnoseologia e ontologia: um embate necessário.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

ARANHA, Maria Lúcia Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: introdução a
filosofia. 4.ed. São Paulo: Moderna, 2009.

ARANHA, Maria Lúcia Arruda. Maquiavel: a lógica da força. São Paulo: Ed. Moderna,
2003.

CHAUÍ, Marilena. Convite à filosofia. 13.ed. São Paulo: Ática, 2010.

CHAUÍ, Marilena. Introdução a história da filosofia: dos pré-socráticos a Aristóteles. 2.ed.


São Paulo: Companhia das Letras, 2002.
RADBRUCH, Gustav. Filosofia do direito. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

REALE, Miguel. Filosofia do direito. 20.ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

SCHNAID, David. Filosofia do direito e interpretação. 2. ed. São Paulo: Editora Revista dos
Tribunais, 2004.

SIMON, Willian H. A prática da Justiça: uma teoria da ética dos advogados. São
Paulo:Martins Fontes, 2001.

WEFFORT, Francisco C. Os clássicos da política: Maquiavel, Hobbes, Locke, Montesquieu,


Rousseau, o Federalista. 13.ed. São Paulo: Ática, 2004. v.1.

WEFFORT, Francisco C. Os clássicos da política: Burke, Kant, Hegel, Tocqueville, Stuart


Mill, Marx. 10.ed. São Paulo: Ática, 2004. v.2.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. 4.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

ADOMEIT, Klaus. Filosofia do direito e do estado, Vol. II: Filósofos da Idade Moderna. Porto
Alegre: Sergio Antoni Fabris Editor, 2001.

ALTHUSSER, Louis. Sobre a reprodução. Petrópolis: Vozes, 1999.

ARENDT, Hannah. O que é política: fragmentos das obras póstumas compilados por Usula
Ludz. 5.ed. Rio de Janeiro: Ed. Bertrand Brasil, 2004.

ARONDEL-ROHAUT, Madeleine. Exercícios Filosóficos. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BITTAR, Eduardo C. B. Doutrinas e filosofias políticas: contribuições para a história da


ciência política. São Paulo: Atlas, 2002.

Curso: DIREITO Disciplina: SOCIOLOGIA II


Semestre: 2º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Sociologia e Sociologia Jurídica. Contexto Histórico da Sociologia Jurídica.


Sociologia Jurídica como Ciência. O estudo da relação Direito-Sociedade.
Sociologia do Direito Natural. Perspectiva Marxista do Direito. Perspectiva
Liberal do Direito. O Direito e as principais teorias sociológicas de Emile
Durkheim, Weber, Foucalt, Habermas, Comte, Pierre Bourdieu, Erving Goffman, Hanna
Arendt. Sociologia Jurídica e História: as crises contemporâneas do Direito. A
Sociologia Jurídica no Brasil. A crise do Estado e a reprodução da jurisdicidade.
A eficácia do Direito e a legitimidade da ordem jurídica. Forma de conflito e
construção da legalidade. Instituições sócio-jurídicas. Os fenômenos jurídicos.
O pluralismo jurídico. A certeza e segurança jurídica. Vigência e eficácia do
Direito

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
ARON, Raymond. As etapas do pensamento sociológico. 6.ed. São Paulo: Martins Fontes,
2002.

CASTRO, Celso Antônio Pinheiro. Sociologia aplicada ao direito. 2.ed. São Paulo: Atlas,
2003.

ROSA, Felipe Augusto de Miranda. Sociologia do direito: o fenômeno jurídico como fato
social. 18. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2009.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

CAVALIERI FILHO, Sergio. Programa de sociologia jurídica. 11.ed. São Paulo: Forense,
2004.

DURKHEIM, Emile. O suicídio: estudo de sociologia. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

FARIA, José Eduardo; CAMPLILONGO, Celso Fernandes. A sociologia jurídica no Brasil.


Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 1991.

FOUCAULT, Michael. A Em defesa da sociedade: curso no college de frane. São Paulo:


Martins Fontes, 2002.

FOUCAULT, Michael. Microfísica do poder. 20. ed. São Paulo: Graal, 2004.

LONGO, Adão. O direito de ser humano. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

Curso: DIREITO Disciplina: PSICOLOGIA II


Semestre: 2º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Psicologia e Direito: campos de atuação do psicologo júridico. Informações básicas


sobre abordagens e estratégias psicológicas na solução de conflitos. Provas
periciais, perícias e avaliações psicológicas e sua importância no processo.
Psicopatologia forense. A capacidade de imputação do agente criminal portador de
transtorno mental. Consequências psico-jurídicas: Transtornos cognitivos.
Disfunções. Transtornos afetivos. Transtornos de ansiedade. Transtorno da
personalidade antissocial. Toxidependências. Avaliação familiar e individual como
ferramenta jurídica.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

CAFÉ, Mara. Psicanálise e direito. São Paulo: Quartier Latin, 2010.

LÓPEZ, E. Mira y. Manual de psicologia jurídica. 2.ed. Campinas: LZN. 2005.

LÓPEZ, E. Mira y. Manual de psicologia jurídica. 2.ed. Campinas: LZN. 2011.

TRINDADE, Jorge. Manual de psicologia jurídica para operadores do direito. 6.ed. Porto
Alegre: Livraria do Advogado, 2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
CAIRES, Maria Adelaide de Freitas. Psicologia jurídica: implicações conceituais e
aplicações práticas. São Paulo: Vetor Editora, 2003.

CARDELLA, Haroldo. Ética Profissional da Advocacia. São Paulo: Saraiva, 2006.

FIKER, Jose; MEDEIROS JR, Joaquim da Rocha. A Perícia Judicial - Como Redigir Laudos
e Argumentar Dialeticamente - 3ª Ed. São Paulo: Leud, 2009.

FREUD, SIGMUND. Obras Completas: Observações psicanalíticas sobre um caso de


paranóia: o caso Schreber. 5.ed. São Paulo: Amorrortu, 2001. vol II.

MARANHAO, Odon Ramos Psicologia do crime. 2.ed. São Paulo: Editora Revista dos
Tribunais,1993.

SORIA VERDE, Miguel Angel. Psicologia criminal. 9.ed. Mexico: Pearson Educacion
(espanhol), 2006.

SERAFIM, Antonio de Pádua Serafim; BARROS, Daniel Martins de; TIGONATTI, Sérgio
Paulo (orgs.). Temas em psiquiatria forense e psicologia jurídica II. Rio de Janeiro: VETOR,
2006.

Curso: DIREITO Disciplina: LINGUAGEM JURÍDICA II


Semestre: 2º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Interpretação de textos jurídicos. O vocabulário jurídico. A estrutura frásica,


a enunciação e o discurso jurídico. A redação jurídica e a prática forense.
Aspectos linguísticos e redacionais de peças jurídicas. Oratória Forense. Redação
do texto legal: subjetivismos, contradições, confusões. O emprego correto dos
termos técnicos e da terminologia jurídica. Técnicas básicas de redação: uso da
linguagem jurídica; Siglas e abreviaturas na linguagem jurídica. Vernáculo e
brocardos em latim. Redação oficial. Decisões judiciais: a linguagem das decisões
e da necessidade de ser compreendida. Redação de peças jurídicas.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

BITTAR, Eduardo Carlos B. Linguagem jurídica. 2.ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

DAMIÃO, Regina Toledo; HENRIQUES, Antonio. Curso de português jurídico. 9.ed. São
Paulo: Atlas, 2004.

MEDEIROS, João Bosco; TOMASI, Carolina. Português forense: a produção do sentido.


São Paulo: Atlas, 2004.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

NASCIMENTO, Edmundo Dantes. Linguagem forense: a língua portuguesa aplicada à


linguagem do foro. 10. ed. São Paulo: Saraiva, 2001.

ARIOSI, Mariângela. Manual de redação jurídica. 2.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2003.
BENASSE, Marcos Antônio; BENASSE, Maria Cristina K. dos Santos. Linguagem Forense.
Campinas: Bookseller, 2004.

CALANZANI, José João. Manual prático de língua portuguesa: obra destinada a


estudantes de direito, advogados, promotores e juízes. 2.ed. Belo Horizonte: Del Rey,
2003.

STRUCHINER, Noel. Direito e linguagem: uma análise da textura aberta da linguagem e


sua aplicação ao direito. Rio de Janeiro: Renovar, 2002.

XAVIER, Ronaldo Caldeira. Português no direito: linguagem forense. 15.ed. Rio de


Janeiro: Forense, 2004.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PENAL I (PARTE GERAL)


Semestre: 2º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Conceito. Fontes. História do Direito Penal no Brasil. Direito penal e proteção


de bens jurídicos. Política criminal. Criminologia. Lei penal e princípio da
legalidade. Interpretação. Vigência da lei penal no tempo. Vigência da lei penal
no espaço. Conceito de fato punível. Teoria da ação. Teoria do tipo. O tipo dos
crimes dolosos de ação. O tipo dos crimes de imprudência. O tipo dos crimes de
omissão de ação. Teoria da antijuridicidade. Legítima defesa. Estado de
necessidade. Exercício regular de direito. Estrito cumprimento de dever legal.
Consentimento do ofendido. Justificação nos crimes de imprudência. Culpabilidade
e exculpação. Capacidade de culpabilidade. Conhecimento do injusto e erro de
proibição. Exigibilidade de comportamento diverso e situações de exculpação.
Livramento Condicional. Efeitos da condenação. Medidas de Segurança. Ação penal
pública e privada. Extinção da punibilidade.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

BARROS, Flávio Augusto Monteiro de. Direito penal: parte geral. 4.ed. São Paulo:
Saraiva, 2004. v.1.

DOTTI, René Ariel. Curso de direito penal: parte geral. 2.ed. Rio de Janeiro: Forense,
2004.

FRAGOSO, Heleno Cláudio. Lições de direito penal: parte geral. 16.ed. Rio de Janeiro:
Forense, 2004.

JESUS, Damásio de. Direito penal: parte geral. 33.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

MIRABETE, Julio Fabbrini. Manual de direito penal: parte geral. 28.ed. São Paulo: Atlas,
2012. v.1.

GRECO, Rogério. Curso de direito penal: parte geral.14.ed. Rio de Janeiro: Impetus, 2012.
v.1.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
NUCCI, Guilherme de Souza. Código penal comentado. 4.ed. São Paulo: Rev. dos
Tribunais, 2003.

BITENCOURT, César Roberto. Tratado de direito penal: parte geral. São Paulo: Rev. dos
Tribunais.

CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal: parte geral. 6.ed. São Paulo: Saraiva, 2003.
v.1.

CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal. 3.ed. São Paulo: Saraiva, 2004. v.2.

CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal. São Paulo: Saraiva, 2004. v.3.

NORONHA, E. Magalhães. Direito penal. 37.ed. São Paulo: Saraiva, 2003. v.1.

NORONHA, E. Magalhães. Direito penal. 33.ed. São Paulo: Saraiva, 2003. v.2.

NORONHA, E. Magalhães. Direito penal. 27.ed. São Paulo: Saraiva, 2003. v.3.

NORONHA, E. Magalhães. Direito penal. 24.ed. São Paulo: Saraiva, 2003. v.4.

CAPEZ, Fernando. Código penal comentado. 3.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

MIRABETE, Julio Fabbrini. Código penal interpretado. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2007.

JESUS, Damásio de. Código penal anotado. 20.ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO CIVIL II (PARTE GERAL II)


Semestre: 2º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Fatos e atos jurídicos. Classificação dos atos jurídicos. Distinção entre ato
jurídico em sentido estrito e negócio jurídico. Teoria do negócio Jurídico: planos
da existência, da validade e da eficácia. Defeitos da vontade na formação dos
negócios jurídicos. A incongruência entre a vontade e a sua manifestação: erro ou
ignorância, dolo, coação e estado de perigo. O fim ilícito desvirtua o ato: lesão,
simulação, fraude contra credores. Elementos acidentais do negócio jurídico:
condição, termo e encargo. O sistema das nulidades: atos nulos e atos anuláveis.
Nulidade e inexistência. Atos ilícitos e a distribuição equitativa dos prejuízos.
Prescrição e decadência.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

DINIZ, Maria Helena. Código civil anotado. 10.ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro: teoria geral do direito civil. 29.ed.
São Paulo: Saraiva, 2012. v.1.

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro: teoria geral das obrigações. 27.ed.
São Paulo: Saraiva, 2012. v. 2.

GAGLIANO, Pablo Stolze; PAMPLON FILHO, Rodolfo. Novo curso de direito civil: contém
análise comparativa dos códigos de 1916 e 2002. 14.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 1.
VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil: parte geral. 12.ed. São Paulo: Atlas, 2012. v. 1.

VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil: teoria geral das obrigações e teoria geral dos
contratos. 12. ed. São Paulo: Atlas, 2012. v. 2.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BEVILAQUA, Clovis. Teoria geral do direito civil. Campinas: Red Editora, 2003.

COELHO, Fabio Ulhoa. Curso de direito civil. São Paulo: Saraiva, 2003. v. 1.

COELHO, Fabio Ulhoa. Curso de direito civil. São Paulo: Saraiva, 2004. v. 2.

DINIZ, Maria Helena. Lei de introdução ao código civil brasileiro interpretada. 11.ed. São
Paulo: Saraiva, 2005.

GAGLIANO, Pablo Stolze; PAMPLON FILHO, Rodolfo. Novo curso de direito civil:
obrigações. 4.ed. São Paulo: Saraiva, 2004. v. 1 e 2.

GAGLIANO, Pablo Stolze; PAMPLON FILHO, Rodolfo. Novo curso de direito civil:
obrigações. 13.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 1 e 2.

MIRANDA, Pontes de. Tratado de direito privado: parte geral: introdução: pessoas físicas
e jurídicas. 2.ed. São Paulo: Bookseller, 2002. v.1.

NADER, Paulo. Curso de direito civil: parte geral. 2.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2004. v.
1.

NADER, Paulo. Curso de direito civil: obrigações. Rio de Janeiro: Forense, 2005. v. 2.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro. 10.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.1.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro. 9.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.2.

NEGRÃO, Theotonio. Código civil e legislação civil em vigor. 31.ed. São Paulo: Saraiva,
2012.

12.3 Terceiro semestre - eixo temático interdisciplinar

As bases jurídicas do Estado Globalizado: A importância da Constituição na


garantia do Estado Democrático de Direito. O Direito e as implicações econômicas e
trabalhistas na vida dos cidadãos e a necessária proteção social.

TERCEIRO SEMESTRE
CARGA HORÁRIA
DISCIPLINAS
(h/aula)
DIREITO CONSTITUCIONAL I 80
ECONOMIA 40
TEORIA GERAL DO PROCESSO 80
DIREITO DO TRABALHO I 40
DIREITO PENAL II 80
DIREITO CIVIL III (OBRIGAÇÕES) 80
TOTAL DE HORAS-AULA 400

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO CONSTITUCIONAL I


Semestre: 3º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Teoria do Direito Constitucional: noções de direito constitucional, história do


direito constitucional, causas e desenvolvimento do constitucionalismo. A
Constituição como o fundamento de validade do sistema jurídico-positivo. A
evolução constitucional do Brasil. As espécies normativas. O processo legislativo.
O controle de constitucionalidade das leis e atos normativos. A Constituição da
República Federativa do Brasil. Preâmbulo. Princípios Fundamentais. Direitos e
garantias fundamentais. Direitos individuais e coletivos. Direitos sociais.
Direitos de nacionalidade. Direitos políticos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

ARAÚJO, Luiz Alberto D.; NUNES JUNIOR, Vidal S. Curso de direito constitucional. 18.
ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

BASTOS, Celso Ribeiro. Curso de direito constitucional. 22.ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de


1988. Obra coletiva da editora Saraiva com a colaboração de Antônio Luiz Toledo Pinto,
Márcia Cristina Vaz dos Santos Windt e Lívia Céspedes. 34.ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

BONAVIDES, Paulo. Curso de direito constitucional. 15.ed. São Paulo: Malheiros, 2004.

MORAES, Alexandre de. Direito constitucional. 16.ed. São Paulo: Atlas, 2004.

SILVA, José Afonso da. Curso de Direito Constitucional Positivo. 37.ed. São Paulo:
Malheiros, 2014.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BARROS, Suzana de Toledo. O princípio da proporcionalidade e o controle de


constitucionalidade das leis restritivas de direitos fundamentais. 3.ed. Brasília: Brasília
Jurídica, 2003.

BARROSO, Luis Roberto. Interpretação e aplicação da constituição. 6.ed. São Paulo:


Saraiva, 2004.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. 1.ed. Rio de Janeiro: Campus, 1992.

BOBBIO, Norberto. Teoria do ordenamento jurídico. 10.ed. Brasília: UNB, 1999.


CRETELLA JUNIOR, Curso de liberdades públicas. Rio de Janeiro: Forense, 1986.

Curso: DIREITO Disciplina: ECONOMIA


Semestre: 3º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Fundamentos teóricos das escolas de pensamento econômico e as tendências do


pensamento econômico contemporâneo. Introdução ao problema econômico,
necessidades, escassez, escolha, utilidade, valor e preço, bens econômicos.
Economia e Ciência Sociais, micro e macroeconomia. Juízo de valor na ciência;
valor na ciência econômica, teoria econômica e economia política. Noções de Direito
econômico, sistemas econômicos. Tradição, Autoridades e Autonomia, o mercado; bens
coletivos, custos sociais. Política econômica, planejamento, política fiscal,
cambial, monetária. Direito Econômico: princípios. Oferta e procura. Utilidade
marginal, elasticidade, preço e renda. Teoria da produção, fatores, economia de
escala. Concorrência perfeita, imperfeita, oligopólio e monopólio. Concentração
econômica. Macroeconomia, renda e emprego, juros, aluguéis, dividendos e salários.
Distribuição da renda. Produto Nacional, renda nacional. Consumo, poupança,
investimentos. Economia monetária, sistema bancário e mercado financeiro.
Inflação, teoria quantitativa. Monetarismo e Estruturalismo. Política monetária.
Atividades Financeiras do Estado. Economia Internacional e Desenvolvimento
Econômico.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

GASTALDI, J. Petrelli. Elementos de economia política. 18.ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

OSULLIVAN, Arthur; SHEFFRIN, Steven M. Princípios de economia. 1.ed. Rio de Janeiro:


LTC, 2000.

MANKIW, N. Gregory. Introdução à economia. 2.ed. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

VASCONCELLOS, Marcos Antonio Sandoval de. Fundamentos de economia. 3.ed. São


Paulo: Saraiva, 2008.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BECKER, Dinizar Fermiano. Desenvolvimento sustentável: necessidades ou


possibilidade? 4.ed. São Paulo: EDUNISC, 2002.

GALVES, Carlos. Manual de economia política atual. 15 ed. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

MANKIW, N. Gregory. Introdução à economia: princípios de micro e macroeconomia. Rio


de Janeiro: Elsevier, 2001.

ROSSETTI, J. Paschoal. Introdução a economia. 18.ed. São Paulo: Atlas, 2000.

SANDRONI, P. Novíssimo dicionário de economia. São Paulo: Bestseller, 2004.

TONETO JUNIOR, Rudinei. Economia brasileira contemporânea. 5.ed. São Paulo: Atlas,
2004.
Curso: DIREITO Disciplina: TEORIA GERAL DO PROCESSO
Semestre: 3º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Grupo social, conflito de interesses, a lide. Autodefesa, auto composição e


processo. Direito Material e Direito Processual. Teoria Geral do Processo. Lei
processual: fontes, eficácia, interpretação e evolução histórica. Jurisdição:
conceito, espécies, limites. Competência: conceito, classificação, critérios
determinativos. Jurisdição, ação e processo. Ação, natureza jurídica e
classificação. Poder Judiciário: funções, estrutura, órgãos. Organização
Judiciária: noção, conteúdo e competência legislativa. STF. Organização judiciária
federal e estatal. Serviços auxiliares da Justiça. Ministério Público. Advogado.
Atos processuais. Prazos processuais. Nulidades. Das partes. Substituição
processual. Da intervenção de terceiros. Da denunciação da lide. Do chamamento ao
processo. Nomeação à autoria. Da oposição. Assistência. Da competência. Seus
critérios determinativos. Determinação da competência: critério objetivo.
Determinação da competência: critério territorial, Determinação da competência:
critério funcional.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

CINTRA, Antonio C. A.; GRINOVER, Ada P.; DINAMARCO, Cândido R. Teoria geral do
processo. 30.ed. São Paulo: Malheiros, 2014.

GRECO FILHO, Vicente. Direito processual civil brasileiro: teoria geral do processo a
auxiliares da justiça. 23.ed. São Paulo: Saraiva, 2014. v.1.

GRECO FILHO, Vicente. Direito processual civil brasileiro: atos processuais a recursos e
processos nos tribunais. 21.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.2.

THEODORO JUNIOR, Humberto. Curso de direito processual civil: teoria geral do direito
processual civil e processo de conhecimento. 55.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2014. v.1.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

CHIOVENDA, Giuseppe. Instituições de direito processual civil. 3.ed. Campinas:


Bookseller, 2002. vs.1, 2, 3.

COUTURE, Eduardo J. Interpretação das leis processuais. 4.ed. Rio de Janeiro: Forense,
2001.

DINAMARCO, Cândido Rangel. Instituições de direito processual civil. 4.ed. São Paulo:
Malheiros, 2004. v.1.

DINAMARCO, Cândido Rangel. Instituições de direito processual civil. 4.ed. São Paulo:
Malheiros, 2003. v.2.

GOUVÊA, José R. Ferreira; NEGRÃO, Theotonio. Código de processo civil e legislação


processual em vigor. 36.ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

SANTOS, Moacyr Amaral. Primeiras linhas de direito processual civil. 26.ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.
Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO DO TRABALHO I
Semestre: 3º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Origem histórica do direito trabalhista. Normas jurídicas aplicáveis. Definição,


autonomia, classificação e fontes. Direito Individual do Trabalho. Empregado e
Empregador. Contrato de Trabalho. A estabilidade. Fundo de Garantia do Tempo de
Serviço. Normas gerais de tutela do trabalho: identificação profissional; duração
do trabalho; jornada de trabalho; prorrogação da jornada; períodos de descanso;
trabalho noturno; salário mínimo; férias; segurança e medicina do trabalho.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

MARTINS, Sergio Pinto. Direito do trabalho. 28.ed. São Paulo: Atlas, 2012.

NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Curso de direito do trabalho. 29.ed. São Paulo: Saraiva,
2014.

DELGADO, Mauricio Godinho. Curso de direito do trabalho. 13.ed. São Paulo: LTR, 2014.

MAGANO, Octavio Bueno. Primeiras lições de direito do trabalho. 3.ed. São Paulo: Rev.
dos Tribunais, 2003.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ALMEIDA, Amador Paes. CLT: comentada. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

BATALHA, Wilson de Souza Campos. Tratado de direito judiciário do trabalho. São Paulo:
LTR, 1995.

CAETANO, Luiz Antunes. Arbitragem e mediação: rudimentos. São Paulo: Atlas, 2002.

CARRION, Valentin. Comentários à consolidação das leis do trabalho: legislação,


suplementar e jurisprudência. 28.ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

MARTINS, Sergio Pinto. Continuidade do contrato de trabalho.4. ed. São Paulo:Saraiva,


2002.

DELGADO, Mauricio Godinho. Princípios de direito individual e coletivo do trabalho. 2.ed.


São Paulo: LTR, 2004.

ANDRADE, Everaldo Gaspar Lopes de. Princípios de direito do trabalho: fundamentos


teóricos-filosóficos. 1.ed. São Paulo: LTR, 2008.

SOUZA, Letícia Godinho de. Direito do trabalho, justiça e democracia. 1.ed. São Paulo:
LTR, 2006.

SILVA NETO, Manoel Jorge e. Direitos fundamentais e o contrato de trabalho. 1.ed. São
Paulo: LTR, 2005.

DIAS, Carlos Eduardo Oliveira. Teoria e prática da sentença trabalhista.3.ed. São Paulo:
LTR, 2009.
Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PENAL II
Semestre: 3º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Concurso de pessoas. As penas. Concursos de crimes. Regimes de execução. Cominação


das penas. Aplicação. Medidas de segurança. Suspensão condicional da pena.
Livramento condicional. Efeitos da condenação. Reabilitação. Medidas de Segurança.
Noções sobre ação penal pública e privada. Da extinção da punibilidade.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
BARROS, Flávio Augusto Monteiro de. Direito penal: parte geral. 4.ed. São Paulo:
Saraiva, 2004. v.1.

DOTTI, René Ariel. Curso de direito penal: parte geral. 2.ed. Rio de Janeiro: Forense,
2004.

FRAGOSO, Heleno Cláudio. Lições de direito penal: parte geral. 16.ed. Rio de Janeiro:
Forense, 2004.

JESUS, Damásio de. Direito penal: parte geral. 33.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. V.1.

MIRABETE, Julio Fabbrini. Manual de direito penal: parte geral. 28.ed. São Paulo: Atlas,
2012. v.1.

GRECO, Rogério. Curso de direito penal: parte geral. 14.ed. Rio de Janeiro: Impetus, 2012.
v.1.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

NUCCI, Guilherme de Souza. Código penal comentado. 4.ed. São Paulo: Rev. dos
Tribunais, 2004.

BITENCOURT, César Roberto. Tratado de direito penal: parte geral. São Paulo: Rev. dos
Tribunais.

CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal: parte geral. 6.ed. São Paulo: Saraiva, 2003.
v.1.

CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal. 3.ed. São Paulo: Saraiva, 2004. v.2.

CAPEZ, Fernando. Curso de direito penal. São Paulo: Saraiva, 2004. v.3.

NORONHA, E. Magalhães. Direito penal. 37.ed. São Paulo: Saraiva, 2003. v.1.

NORONHA, E. Magalhães. Direito penal. 33.ed. São Paulo: Saraiva, 2003. v.2.

NORONHA, E. Magalhães. Direito penal. 27.ed. São Paulo: Saraiva, 2003. v.3.

NORONHA, E. Magalhães. Direito penal. 24.ed. São Paulo: Saraiva, 2003. v.4.

CAPEZ, Fernando. Código penal comentado. 3.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.
MIRABETE, Julio Fabbrini. Código penal interpretado. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2007.

JESUS, Damásio de. Código penal anotado. 20.ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO CIVIL III (OBRIGAÇÕES)


Semestre: 3º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Teoria Geral das Obrigações. Obrigações: noção, fontes, espécies, estrutura e


função. Distinção entre obrigação, dever em geral, ônus e estado de sujeição.
Modalidades das obrigações. Cumprimento e não cumprimento das obrigações. Cláusula
penal. Transmissão das obrigações. Efeitos das obrigações. Execução das
obrigações. Adimplemento, inadimplemento e outros modos indiretos de extinção
obrigacional. Cessão de crédito. Garantia Geral das Obrigações: meios de
conservação da garantia patrimonial; astreintes; fiança; privilégios; penhor e
hipoteca. Liquidação das obrigações. Concurso de credores. Responsabilidade
contratual. Responsabilidade civil contratual e extracontratual. Culpa e risco:
responsabilidade civil subjetiva e responsabilidade civil objetiva. Atos
causadores de dano não considerados ilícitos: a legítima defesa, o abuso do
direito. Responsabilidade por ato ou fato de outrem.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro: teoria geral das obrigações. 27.ed.
São Paulo: Saraiva, 2012. Vol.2.

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro: teoria das obrigações contratuais e
extracontratuais. 28.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.3.

VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil: teoria geral das obrigações e teoria geral dos
contratos. 12.ed. São Paulo: Atlas, 2012. v.2.

VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil: contratos em espécie. 12.ed. São Paulo: Atlas,
2012. v.3.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

AZEVEDO, Alvaro Villaça. Código civil anotado e legislação complementar. São Paulo:
Atlas, 2004.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito civil. São Paulo: Saraiva. 2004. v.2.

COELHO, Fabio Ulhoa. Curso de direito civil . São Paulo: Saraiva, 2004. v.3.

DINIZ, Maria Helena. Código civil anotado. 10.ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

GAGLIANO, Pablo Stolze. Novo curso de direito civil. 13.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.
v.2.

GAGLIANO, Pablo Stolze. Novo curso de direito civil. 8.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.4.

MIRANDA, Pontes de. Tratado de direito privado. 1.ed. São Paulo: Bookseller, 2003.
GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro. 9.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 2.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro. 9.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 3.

NEGRÃO, Theotonio. Código civil e legislação civil em vigor. 31.ed. São Paulo: Saraiva,
2012.

12.4 Quarto semestre - eixo temático interdisciplinar

As relações sociais e individuais e o Direito: A contratualização da sociedade e as


relações entre as pessoas. A organização e a regulação das empresas e suas
relações para com a sociedade.

QUARTO SEMESTRE
CARGA HORÁRIA
DISCIPLINAS
(h/aula)
DIREITO CONSTITUCIONAL II 80
DIREITO EMPRESARIAL I 40
MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA 40
DIREITO PROCESSUAL CIVIL I 80
DIREITO DO TRABALHO II 40
DIREITO PENAL III 40
DIREITO CIVIL IV (CONTRATOS) 80
TOTAL DE HORAS-AULA 400

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO CONSTITUCIONAL II


Semestre: 4º Carga Horária: 80h
EMENTA:

A organização político-administrativa do Estado. A Federação brasileira. Entes


federativos. Competências. Intervenção federal e estadual. Poder Legislativo.
Processo legislativo. Tribunal de Contas. Poder Executivo. Poder Judiciário.
Precatórios. Funções Essenciais à Administração da Justiça. Defesa das
Instituições Democráticas. Da Ordem Econômica e Financeira. Da Ordem Social. Atos
das Disposições Constitucionais Transitórias.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
ARAÚJO, Luiz Alberto D.; NUNES JUNIOR, Vidal S. Curso de direito constitucional. 18.
ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

BASTOS, Celso Ribeiro. Curso de direito constitucional. 6. ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de


1988. Obra coletiva da editora Saraiva com a colaboração de Antônio Luiz Toledo Pinto,
Márcia Cristina Vaz dos Santos Windt e Lívia Céspedes. 34.ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

BONAVIDES, Paulo. Curso de direito constitucional. 15.ed. São Paulo: Malheiros, 2004.

MORAES, Alexandre de. Direito constitucional. 16.ed. São Paulo: Atlas, 2004.

SILVA, José Afonso da. Curso de Direito Constitucional Positivo. 37.ed. São Paulo:
Malheiros, 2014.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BARROS, Suzana de Toledo. O princípio da proporcionalidade e o controle de


constitucionalidade das leis restritivas de direitos fundamentais. 3.ed. Brasília: Brasília
Jurídica, 2003.

BARROSO, Luis Roberto. Interpretação e aplicação da constituição. 6.ed. São Paulo:


Saraiva, 2004.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. 1.ed. Rio de Janeiro: Campus, 1992.

BOBBIO, Norberto. Teoria do ordenamento jurídico. 10.ed. Brasília: UNB, 1999.

CRETELLA JUNIOR, Curso de liberdades públicas. Rio de Janeiro: Forense, 1986.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL I


Semestre: 4º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Teoria geral do Direito Empresarial. Da empresa. Do empresário. Estabelecimento


empresarial. Nome empresarial. Registro da empresa. Propriedade industrial.
Prepostos, gerentes e auxiliares da atividade empresarial. Escrituração
empresarial. Sociedades empresárias. Sociedades não personificadas. Sociedades
não empresariais. Sociedades empresariais em espécie: Sociedades em nome coletivo.
Sociedades em comandita simples. Sociedades em conta de participação. Sociedades
limitadas. Dissolução das sociedades contratuais. Sociedades coligadas e
controladas. Transformação, incorporação, fusão e cisão de sociedades. Sociedades
dependentes de autorização.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

COELHO, Fábio Ulhoa. Manual de direito comercial. 24.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito comercial. 16.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.1.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito comercial. 16.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.2.
COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito comercial. 13.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.3.

FAZZIO JÚNIOR, Waldo. Manual de direito comercial. 13.ed. São Paulo: Atlas, 2012.

MARTINS, Fran. Curso de direito comercial. 35.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2012.

NEGRÃO, Ricardo. Manual de direito comercial e de empresa. 9.ed. São Paulo: Saraiva,
2012. v.1.

OLIVEIRA, Celso Marcelo de. Tratado de direito empresarial brasileiro. São Paulo: LNZ,
2004. v.1.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ALMEIDA, Amador Paes. Manual das sociedades comerciais. 12.ed. São Paulo: Saraiva,
2004.

BERTOLDI, Marcelo M.; RIBEIRO, Márcia Carla Pereira. Curso avançado de direito
comercial. São Paulo: Rev. dos Tribunais, 2003. v.2.

DORIA, Dylson. Curso de direito comercial. São Paulo: Saraiva, 1998.

MENDONÇA, José Xavier. Tratado de direito comercial brasileiro. São Paulo: Bookseller,
2002. v.1.

PAES, Paulo Roberto Tavares. Curso de direito comercial. 2.ed. São Paulo: Rev. dos
Tribunais, 1996.

REQUIÃO, Rubens. Curso de direito comercial. 31 ed.. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 1.

REQUIÃO, Rubens. Curso de direito comercial. 31 ed.. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 2.

ROCHA FILHO, José Maria. Curso de direito comercial: parte geral. 3.ed. Belo Horizonte:
Del Rey, 2004.

Curso: DIREITO Disciplina: MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA


Semestre: 4º Carga Horária: 40h
EMENTA:

O papel da ciência. Natureza do conhecimento e do método científico. Tipos de


conhecimento. Pesquisa. Método e técnica. Escolha do tema, delimitação do tema.
O processo de leitura. Citações bibliográficas. Trabalhos acadêmicos: tipos,
características e composição estrutural. O projeto de pesquisa experimental e não
experimental. Pesquisa qualitativa e quantitativa. Relatório de pesquisa. Estilo
de redação. Referências bibliográficas. Apresentação gráfica. Normas da ABNT.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia científica: ciência e


conhecimento científico, métodos científicos, teoria, hipóteses e variáveis, metodologia
jurídica. 7.ed. São Paulo: Atlas, 2010.
GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas: 2010.

MEZZAROBA, Orides; MONTEIRO, Cláudia Servilha. Manual de metodologia da pesquisa


no Direito. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 23. ed. Petrópolis:
Vozes, 1986.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 42. ed. Petrópolis:
Vozes, 2014.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

CERVO, Amado L.; BERVIAN, Pedro A.; DA SILVA, Roberto. Metodologia científica. 6. ed.
São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

MEDEIROS, João Bosco; HENRIQUES, Antonio. Monografia no curso de direito. 7.ed. São
Paulo: Atlas, 2010.

MATOS, Keila; COSTA, Návia. Produção científica jurídica: como fazer uma monografia.
São Paulo: Mundo Jurídico, 2007.

OLIVEIRA NETO, Olavo de. Manual de Monografia Jurídica. São Paulo: Quartier Latin,
2007.

SANTOS, Márcia Walquiria Batista dos. A elaboração da pesquisa e da monografia jurídica.


São Paulo: Malheiros, 2004.

NUNES, Rizzatto. Manual da monografia jurídica: como se faz: uma monografia, uma
dissertação, uma tese. 8.ed. São Paulo: Saraiva, 2011.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PROCESSUAL CIVIL I


Semestre: 4º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Processo judicial eletrônico. Do Processo de Conhecimento. Da formação, suspensão


e extinção do processo. Processo e Procedimento. Mediação e composição.
Procedimento Sumário. Procedimento Ordinário: fase postulatória. Petição Inicial.
Tutela antecipada. Audiência preliminar de conciliação ou mediação. Incidente de
conversão da ação individual em coletiva. Resposta do Réu. Revelia e reconhecimento
do Pedido. Improcedência liminar do pedido. Julgamento antecipado parcial do
mérito. Incidente de resolução de demandas repetitivas. Teoria dos precedentes.
Providências preliminares.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

CINTRA, Antonio C. A.; GRINOVER, Ada P.; DINAMARCO, Cândido R. Teoria geral do
processo. 30.ed. São Paulo: Malheiros, 2014.

GRECO FILHO, Vicente. Direito processual civil brasileiro: teoria geral do processo a
auxiliares da justiça. 23.ed. São Paulo: Saraiva, 2014. v.1.
GRECO FILHO, Vicente. Direito processual civil brasileiro: atos processuais a recursos e
processos nos tribunais. 21.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.2.

THEODORO JUNIOR, Humberto. Curso de direito processual civil: teoria geral do direito
processual civil e processo de conhecimento. 55.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2014. v.1.

GONÇALVES, Marcus Vinicius Rios. Direito processual civil esquematizado. 2.ed. São
Paulo: Saraiva, 2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

CHIOVENDA, Giuseppe. Instituições de direito processual civil. 3.ed. Campinas:


Bookseller, 2002. vs.1, 2, 3.

COUTURE, Eduardo J. Interpretação das leis processuais. 4.ed. Rio de Janeiro: Forense,
2001.

DINAMARCO, Cândido Rangel. Instituições de direito processual civil. 4.ed. São Paulo:
Malheiros, 2004. v.1.

DINAMARCO, Cândido Rangel. Instituições de direito processual civil. 4.ed. São Paulo:
Malheiros, 2003. v.2.

GOUVÊA, José R. Ferreira; NEGRÃO, Theotonio. Código de processo civil e legislação


processual em vigor. 36.ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

SANTOS, Moacyr Amaral. Primeiras linhas de direito processual civil. 26.ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO DO TRABALHO II


Semestre: 4º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Normas especiais de tutela do trabalho. Disposições especiais sobre a duração e


condições de trabalho. Proteção do trabalho da mulher e do menor. Do contrato
individual de trabalho: disposições gerais; salário e remuneração; pagamento em
utilidades; adicionais; gratificações; horas extras. Alteração; suspensão e
interrupção; aviso prévio; rescisão contratual, homologação, e estabilidade. A
relação do emprego rural. Cálculo de verbas trabalhistas. Direito do Trabalho e
previdência social.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

MARTINS, Sergio Pinto. Direito do trabalho. 28.ed. São Paulo: Atlas, 2012.

NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Curso de direito do trabalho. 29.ed. São Paulo: Saraiva,
2014.

DELGADO, Mauricio Godinho. Curso de direito do trabalho. 13.ed. São Paulo: LTR, 2014.
MAGANO, Octavio Bueno. Primeiras lições de direito do trabalho. 3.ed. São Paulo: Rev.
dos Tribunais, 2003.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ALMEIDA, Amador Paes. CLT: comentada. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

BATALHA, Wilson de Souza Campos. Tratado de direito judiciário do trabalho. São Paulo:
LTR, 1995.

CAETANO, Luiz Antunes. Arbitragem e mediação: rudimentos. São Paulo: Atlas, 2002.

CARRION, Valentin. Comentários à consolidação das leis do trabalho: legislação,


suplementar e jurisprudência. 28.ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

MARTINS, Sergio Pinto. Continuidade do contrato de trabalho.4. ed. São Paulo:Saraiva,


2002.

DELGADO, Mauricio Godinho. Princípios de direito individual e coletivo do trabalho. 2.ed.


São Paulo: LTR, 2004.

ANDRADE, Everaldo Gaspar Lopes de. Princípios de direito do trabalho: fundamentos


teóricos-filosóficos. 1.ed. São Paulo: LTR, 2008.

SOUZA, Letícia Godinho de. Direito do trabalho, justiça e democracia. 1.ed. São Paulo:
LTR, 2006.

SILVA NETO, Manoel Jorge e. Direitos fundamentais e o contrato de trabalho. 1.ed. São
Paulo: LTR, 2005.

DIAS, Carlos Eduardo Oliveira. Teoria e prática da sentença trabalhista.3.ed. São Paulo:
LTR, 2009.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PENAL III


Semestre: 4º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Lei de Contravenções Penais. Introdução ao estudo dos crimes em espécie. Dos


crimes contra a pessoa. Crimes contra o patrimônio. Crimes contra a propriedade
imaterial. Crimes contra a organização do trabalho.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

GRECO, Rogério. Curso de Direito Penal - Parte Geral. 14.ed. IMPETUS, 2012.

JESUS, Damásio E. de. Direito penal parte geral. 33.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

MIRABETE, Júlio Fabrini. Manual de direito penal. parte geral. 28.ed. São Paulo: Atlas,
2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
DUPRET, Cristiane . Manual de Direito Penal. Impetus, 2008.

BECCARIA, Cesare. Dos delitos e das penas. Trad. por Lucia Gudicini e Alessandro Berti
Condessa. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

NUCCI, Guilherme de Souza. Código penal comentado. 4.ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

SALLES JUNIOR, Romeu de Almeida; SALLES, Roberto de Almeida. Curso Completo de


Direito Penal. 10.ed. Del Rey, 2009.

ZAFFARONI, Eugenio Raúl; PIERANGELI, José Henrique. Manual de direito penal


brasileiro parte geral. 8.ed. São Paulo: RT, 2009.

CAPEZ, Fernando. Código penal comentado. 3.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

MIRABETE, Julio Fabbrini. Código penal interpretado. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2007.

JESUS, Damásio de. Código penal anotado. 20.ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO CIVIL IV (CONTRATOS)


Semestre: 4º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Teoria Geral dos contratos: conceito, caracterização, princípios, origem e


evolução atual. Formação contratual. Espécies contratuais tradicionais e as
modernas figuras de contratos civis. Das várias espécies de contratos. Dos
contratos em espécie: obrigações por declaração unilateral da vontade - títulos
ao portador e promessa de recompensa; obrigações por atos ilícitos; arras,
estipulações em favor de terceiros, vícios redibitórios, evicção; enriquecimento
sem causa; contrato preliminar e contrato de adesão; contratos atípicos e contratos
inominados; contrato fiduciário, mediação e contratos coligados. Tendências atuais
do direito contratual. Segurança jurídica, contratos e as transações via internet.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro: teoria geral das obrigações. 27.ed.
São Paulo: Saraiva, 2012. Vol.2.

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro: teoria das obrigações contratuais e
extracontratuais. 28.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.3.

VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil: teoria geral das obrigações e teoria geral dos
contratos. 12.ed. São Paulo: Atlas, 2012. v.2.

VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil: contratos em espécie. 12.ed. São Paulo: Atlas,
2012. v.3.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

AZEVEDO, Alvaro Villaça. Código civil anotado e legislação complementar. São Paulo:
Atlas, 2004.
COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito civil. São Paulo: Saraiva. 2004. v.2.

COELHO, Fabio Ulhoa. Curso de direito civil . São Paulo: Saraiva, 2004. v.3.

DINIZ, Maria Helena. Código civil anotado. 10.ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

GAGLIANO, Pablo Stolze. Novo curso de direito civil. 13.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.
v.2.

GAGLIANO, Pablo Stolze. Novo curso de direito civil. 8.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.4.

MIRANDA, Pontes de. Tratado de direito privado. 1.ed. São Paulo: Bookseller, 2003.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro. 9.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 2.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro. 9.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 3.

NEGRÃO, Theotonio. Código civil e legislação civil em vigor. 31.ed. São Paulo: Saraiva,
2012.

12.5 Quinto semestre - eixo temático interdisciplinar

Processualização e Justiça: perspectivas e possibilidades para a distribuição e


administração da justiça, aliada à consolidação dos Direitos de modo a garantir a paz
social.

QUINTO SEMESTRE
CARGA HORÁRIA
DISCIPLINAS
(h/aula)
DIREITO CONSTITUCIONAL III 40
DIREITO EMPRESARIAL II 40
PROJETOS DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA 40
DIREITO PROCESSUAL CIVIL II 80
DIREITO PROCESSUAL PENAL I 80
DIREITO DO TRABALHO III 40
DIREITO PENAL IV 40
DIREITO CIVIL V (DIREITOS REAIS I) 40
TOTAL DE HORAS-AULA 400
Optativa - Tópicos Especiais /Língua Brasileira de Sinais - Libras 40

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO CONSTITUCIONAL III


Semestre: 5º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Princípio da supremacia da Constituição e outros princípios constitucionais.


Controle da constitucionalidade das leis e atos normativos do Poder Público.
Controles difuso e concentrado de constitucionalidade. Ação direta de
inconstitucionalidade contra atos omissivos e comissivos do Poder Público.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

ARAÚJO, Luiz Alberto D.; NUNES JUNIOR, Vidal S. Curso de direito constitucional. 18.
ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

BONAVIDES, Paulo. Curso de direito constitucional. 15.ed. São Paulo: Malheiros, 2004.

BASTOS, Celso Ribeiro. Curso de direito constitucional. 6. ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

SILVA, José Afonso da. Curso de Direito Constitucional Positivo. 37.ed. São Paulo:
Malheiros, 2014.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

MORAES, Alexandre de. Direito constitucional. 16.ed. São Paulo: Atlas, 2004.

CARVALHO, Kildare Goncalves. Direito Constitucional. 15.ed. Del Rey, 2009.

SOARES, Jose Ronald Cavalcante. Estudos de Direito Constitucional. São Paulo: LTR,
2001.

MORBIDELLI, Janice. Um novo pacto federativo para o Brasil. São Paulo: Srs Editora,
2001.

GAMA, Ricardo Rodrigues. Manual de Direito Constitucional. 4.ed. São Paulo: Jurua,
2007.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL II


Semestre: 5º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Sociedades por Ações. Sociedade anônima: características estruturais e funções


econômicas. Companhias abertas e fechadas. A sociedade anônima e o mercado de
capitais. Sociedade anônima: constituição. Formação do capital social. Espécies
e classes de ações. Outros títulos das SAs: as partes beneficiárias, debêntures,
bônus de subscrição e commercial papers. Direitos e deveres de acionistas.
Deliberações sociais: assembleias gerais e especiais. Administração. Conselho
fiscal. Aumento e redução do capital social. Lucros sociais e sua distribuição.
Negócios sobre o controle acionário. Sociedade anônima: dissolução e liquidação.
Transformação, incorporação, fusão e cisão das sociedades. Os grupos societários:
coligação e controle, participação recíproca, responsabilidades administrativas,
demonstrações financeiras, subsidiária integral. Os grupos societários
convencionais: grupo de subordinação, o consórcio. As sociedades em comanditas
por ações.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

COELHO, Fábio Ulhoa. Manual de direito comercial. 24.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito comercial. 16.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.1.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito comercial. 16.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.2.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito comercial. 13.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.3.

FAZZIO JÚNIOR, Waldo. Manual de direito comercial. 13.ed. São Paulo: Atlas, 2012.

MARTINS, Fran. Curso de direito comercial. 35.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2012.

NEGRÃO, Ricardo. Manual de direito comercial e de empresa. 9.ed. São Paulo: Saraiva,
2012. v.1.

OLIVEIRA, Celso Marcelo de. Tratado de direito empresarial brasileiro. São Paulo: LNZ,
2004. v.1.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ALMEIDA, Amador Paes. Manual das sociedades comerciais. 12.ed. São Paulo: Saraiva,
2004.

BERTOLDI, Marcelo M.; RIBEIRO, Márcia Carla Pereira. Curso avançado de direito
comercial. São Paulo: Rev. dos Tribunais, 2003. v.2.

DORIA, Dylson. Curso de direito comercial. São Paulo: Saraiva, 1998.

MENDONÇA, José Xavier. Tratado de direito comercial brasileiro. São Paulo: Bookseller,
2002. v.1.

PAES, Paulo Roberto Tavares. Curso de direito comercial. 2.ed. São Paulo: Rev. dos
Tribunais, 1996.

REQUIÃO, Rubens. Curso de direito comercial. 31 ed.. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 1.

REQUIÃO, Rubens. Curso de direito comercial. 31 ed.. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 2.

ROCHA FILHO, José Maria. Curso de direito comercial: parte geral. 3.ed. Belo Horizonte:
Del Rey, 2004.

Curso: DIREITO Disciplina: PROJETOS DE PESQUISA E INICIAÇÃO CIENTÍFICA


Semestre: 5º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Informação científica na área do Direito. Questões jurídicas e métodos de


enfrentamento. O problema jurídico. O ordenamento jurídico. A jurisprudência.
Normativismo e psicologismo jurídico. A tópica aplicada ao direito. Argumentação
e decisão jurídicas. Formas de redação do trabalho científico. Normalização de
artigos científicos. Elaboração do projeto do Trabalho de curso. Regras de
elaboração e apresentação do Trabalho de curso.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas: 2010.

MEZZAROBA, Orides; MONTEIRO, Cláudia Servilha. Manual de metodologia da pesquisa


no Direito. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 23. ed. Petrópolis:
Vozes, 1986.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 42. ed. Petrópolis:
Vozes, 2014.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

CERVO, Amado L.; BERVIAN, Pedro A.; DA SILVA, Roberto. Metodologia científica. 6. ed.
São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

MEDEIROS, João Bosco; HENRIQUES, Antonio. Monografia no curso de direito. 7.ed. São
Paulo: Atlas, 2010.

MATOS, Keila; COSTA, Návia. Produção científica jurídica: como fazer uma monografia.
São Paulo: Mundo Jurídico, 2007.

OLIVEIRA NETO, Olavo de. Manual de Monografia Jurídica. São Paulo: Quartier Latin,
2007.

SANTOS, Márcia Walquiria Batista dos. A elaboração da pesquisa e da monografia jurídica.


São Paulo: Malheiros, 2004.

NUNES, Rizzatto. Manual da monografia jurídica: como se faz: uma monografia, uma
dissertação, uma tese. 8.ed. São Paulo: Saraiva, 2011.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PROCESSUAL CIVIL II


Semestre: 5º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Do julgamento e da sentença: Julgamento conforme o Estado do Processo. Saneamento


do Processo. Fase Probatória. Prova. Depoimento pessoal do processo. Confissão.
Exibição de documento ou coisa. Prova documental. Prova testemunhal. Prova
pericial. Inspeção judicial. Audiência de instrução e julgamento. Fase decisória.
Sentença. Coisa Julgada. Liquidação de sentença. Disposições gerais do cumprimento
da sentença. Cumprimento da sentença que reconheça a exigibilidade de obrigação
de prestar alimentos. Cumprimento da sentença que reconheça a exigibilidade de
obrigação de fazer, de não fazer ou de entregar coisa.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

BARROSO, Darlan. Manual de Direito Processual Civil: teoria geral e processo de


conhecimento. 2.ed. São Paulo: Manole, 2007. v.1 e 2.

GRECO FILHO, Vicente. Direito processual civil brasileiro. 22 ed. São Paulo: Saraiva,
2010. v. 1.

GRECO FILHO, Vicente. Direito processual civil brasileiro. 21 ed. São Paulo: Saraiva,
2012. v. 2.

THEODORO JUNIOR, Humberto. Curso de direito processual civil. 53 ed. Rio de Janeiro:
Forense, 2012. v.1.

THEODORO JUNIOR, Humberto. Curso de direito processual civil. 47 ed. Rio de Janeiro:
Forense, 2012. v. 2.

GONÇALVES, Marcus Vinicius Rios. Direito processual civil esquematizado. 2.ed. São
Paulo: Saraiva, 2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

SANTOS, Moacyr Amaral. Primeiras linhas de direito processual civil. 26.ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.

MOREIRA, José Carlos Barbosa. O novo processo civil brasileiro. 27.ed. Rio de Janeiro:
Forense, 2008.

CHIOVENDA, Giuseppe. Instituições de direito processual civil. Campinas: Bookseller,


1998. v. 1, 2 e 3.

LOPES, João Batista. Tutela antecipada no processo civil brasileiro. 4.ed. São Paulo: RT,
2009.

NERY JUNIOR, Nelson; ROSA, Maria. Código de processo civil comentado. 14.ed. São
Paulo: Revista dos Tribunais, 2014.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PROCESSUAL PENAL I


Semestre: 5º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Processo penal: aspectos gerais. Histórico do Direito processual penal. A


Constituição e os princípios orientadores do processo penal democrático. Cominação
abstrata, juízo e execução, poderes políticos que interferem no processo; caráter
material e formal das normas correspondentes. Persecução penal. Repercussões do
julgado criminal no juízo cível e vice-versa. Ação civil “ex delicto”. Questões
e processos incidentes. Inquérito policial. Sanções processuais: decadência,
perempção, inadmissibilidade e deserção. Preclusão. Prescrição, Suspensão e
interrupção do prazo. Processo e procedimento. Sujeitos processuais. Relação
jurídica processual. Ação penal: pública incondicionada; pública condicionada e
penal privada. A ação penal e sua natureza jurídica. condições da ação penal e
condições de procedibilidade. Elementos da ação penal. Ação penal pública, privada
e privada subsidiária. Da jurisdição penal. Competência.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

FERNANDES, Antonio Scarance. Processo penal constitucional. 6.ed. São Paulo, RT,
2010.

TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Processo penal. 34.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.
v.1 e v.2.

CAPEZ, Fernando. Curso de processo penal. 16.ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

COSTA, Ana Paula Motta. As Garantias Processuais e o Direito Penal Juvenil. São Paulo:
Livraria do Advogado , 2005.

JARDIM, Afrânio Silva. Direito processual penal. 11.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2008.

COSTA, Ana Paula Motta. As Garantias Processuais e o Direito Penal Juvenil. São Paulo:
Livraria do Advogado , 2005.

SMANIO, Gianpaolo Poggio. Direito processual penal. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2007. Col.
Fundamentos Jurídicos.

TOURINHO FILHO, Fernando Costa. Manual de Processo Penal. 12.ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.

WOLKMER, Antonio Carlos. Fundamentos de história de direito. 4.ed, Belo Horizonte: Del
Rey, 2009.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO DO TRABALHO III


Semestre: 5º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Conflitos trabalhistas. Direito Internacional do Trabalho e a OIT. Formas de


composição. Direito Coletivo do Trabalho. Liberdade sindical. Organização
sindical. Funções do sindicato. Associações Sindicais. Federações e Confederações.
Centrais sindicais. Conflitos coletivos de trabalho e suas formas de solução.
Negociação coletiva. Convenção coletiva de trabalho. Justiça do Trabalho. O
direito de greve e o lock-out. Perspectivas do Direito Coletivo do Trabalho
brasileiro e internacional. As relações de trabalho e o Mercosul.As relações de
trabalho de trabalhadores que laboram em âmbito internacional.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

BORBA, Joselita Nepomuceno. Direito Coletivo do Trabalho e Mediação. São Paulo: LTR,
2002.
MELO, Raimundo Simao de. Greve no Direito Brasileiro. 2.ed. São Paulo: LTR, 2009.

NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Curso de direito do trabalho. 29.ed. São Paulo: Saraiva,
2014.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ANDRADE, Everaldo Gaspar Lopes. Princípios de Direito do Trabalho - Fundamentos


Teórico-filosóficos. 1.ed. São Paulo: LTR, 2008.

ANTUNES, Ricardo C. O que é Sindicalismo. São Paulo: Brasiliense. Col. Primeiros


Passos.

HINZ, Henrique Macedo. Direito Coletivo do Trabalho. 2.ed. São Paulo: Saraiva, 2008.

SILVA NETO, Manoel Jorge e. Direitos fundamentais e o contrato de trabalho. São Paulo:
LTR, 2005.

SOUZA, Letícia Godinho de. Direito do Trabalho, Justiça e Democracia - O Sentido da


Regulação Trabalhista no Brasil. São Paulo: LTR, 2006.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PENAL IV


Semestre: 5º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Estudo sistemático das normas incriminadoras em espécie. Dos crimes contra o


sentimento religioso e contra o respeito aos mortos. Crimes contra os costumes.
Crimes contra a família. Crimes contra a incolumidade pública. Crimes contra a
saúde pública. Crimes contra a paz pública. Crimes contra a Administração Pública.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

GRECO, Rogério. Curso de Direito Penal - Parte Geral. 14.ed. IMPETUS, 2012.

JESUS, Damásio E. de. Direito penal parte geral. 33.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

MIRABETE, Júlio Fabrini. Manual de direito penal. parte geral. 28 ed. São Paulo: Atlas,
2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ZAFFARONI, Eugenio Raúl; PIERANGELI, José Henrique. Manual de direito penal


brasileiro parte geral. 8.ed. São Paulo: RT, 2009.

DUPRET, Cristiane . Manual de Direito Penal. Impetus, 2008.

SALLES JUNIOR, Romeu de Almeida; SALLES, Roberto de Almeida. Curso Completo de


Direito Penal. 10.ed. Del Rey, 2009.
BECCARIA, Cesare. Dos delitos e das penas. Trad. por Lucia Gudicini e Alessandro Berti
Condessa. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

NUCCI, Guilherme de Souza. Código penal comentado. 4.ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

CAPEZ, Fernando. Código penal comentado. 3.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

MIRABETE, Julio Fabbrini. Código penal interpretado. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2007.

JESUS, Damásio de. Código penal anotado. 20.ed. São Paulo: Saraiva, 2010.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO CIVIL V (DIREITOS REAIS I)


Semestre: 5º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Direito das coisas: conceito, classificação e conteúdo. Distinção entre direito


real e direito obrigacional. Direitos reais: características, conceito, objeto,
constituição e classificação. Posse: origem, conceito, natureza jurídica, teorias
e evolução histórica. Modos de aquisição e perda da posse. Classificação da posse.
Proteção possessória. Usucapião. Efeitos. Da Propriedade: noções, evolução,
natureza jurídica, fundamento, evolução histórica. Função social, restrições
legais e limitações voluntárias. Aquisição e perda da propriedade imóvel. Registro
de Imóveis. Aquisição e perda da propriedade móvel. Restrições ao direito de
propriedade.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro: direito das coisas. 27.ed. São Paulo:
Saraiva, 2012. v.4.

VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil: direitos reais. 12.ed. São Paulo: Atlas, 2012. v.
5.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro. 7.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. V. 5.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

DINIZ, Maria Helena. Código civil anotado. 10.ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

IHERING, Rudolf Von. A teoria simplificada da posse. 2.ed. São Paulo: José Bushatsky
Editor, 2009.

LACERDA, Paulo; PEREIRA, Virgílio de Sá. Direito das Coisas - da propriedade - manual
do código civil brasileiro. 2.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2007. Vol. VIII.

SANTOS, Orlando Gomes dos. Direitos reais. 19.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2007.

Curso: DIREITO Disciplina: OPTATIVA - TÓPICOS ESPECIAIS /LÍNGUA


BRASILEIRA DE SINAIS - LIBRAS
Semestre: 5º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Conceito de Libras. Aspectos históricos, culturais, linguísticos, educacionais


e sociais de surdez. Os conceitos iniciais básicos sobre deficiência auditiva
(surdez) e individuo surdo: identidade, cultura e educação.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

CAPOVILLA, Fernando Cesar; RAPHAEL, Walkiria Duarte. Enciclopédia da língua de sinais


brasileira, V.1. São Paulo: EDUSP, 2004.

SILVA, Marília da Piedade Marinho. Construção de sentidos na escrita do aluno surdo. São
Paulo: Plexus (Grupo Summus), 2001.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BRASIL. Ensino de língua portuguesa para surdos: caminhos para a prática pedagógica./
Heloisa Maria Moreira Lima [et al.]. Brasília: MEC, SEESP, 2004. V.1.

_______, Ensino de língua portuguesa para surdos: caminhos para a prática pedagógica./
Heloisa Maria Moreira Lima [et al.]. Brasília: MEC, SEESP, 2004. V.2.

______. Idéias para ensinar português para alunos surdos. Ronice Muller Quadros, Magali
L. P. Schmiedt. – Brasília: MEC, SEESP, 2006. Disponível em:
http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/port_surdos.pdf

12.6 Sexto semestre - eixo temático interdisciplinar

Processualização e Justiça: consolidação dos direitos fundamentais e distribuição


da justiça pelo Estado.

SEXTO SEMESTRE
CARGA HORÁRIA
DISCIPLINAS
(h/aula)
DIREITO CONSTITUCIONAL IV 40
DIREITO EMPRESARIAL III 40
TRABALHO DE CURSO 40
DIREITO PROCESSUAL CIVIL III 80
DIREITO PROCESSUAL PENAL II 80
DIREITOS HUMANOS I 40
DIREITO PENAL V 40
DIREITO CIVIL VI (DIREITOS REAIS II) 40
TOTAL DE HORAS-AULA 400
Optativa - Tópicos Especiais / Informática Aplicada ao Direito 40

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO CONSTITUCIONAL IV


Semestre: 5º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Ação declaratória de constitucionalidade. Arguição de descumprimento de preceito


fundamental. Estudo das decisões do STF em face dos Direitos e garantias
individuais. Nacionais e estrangeiros em face dos direitos individuais. Garantias
da magistratura e impedimentos impostos aos juízes.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

VIDAL SERRANO, LUIZ ALBERTO; ARAÚJO, Luiz Alberto David. Curso de direito
constitucional. 14.ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

BONAVIDES, Paulo. Curso de direito constitucional. 15.ed. São Paulo: Malheiros, 2004.

BASTOS, Celso Ribeiro. Curso de direito constitucional. 6. ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

SILVA, José Afonso da. Curso de direito constitucional positivo. 37.ed. São Paulo:
Malheiros, 2014.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

MORAES, Alexandre de. Direito constitucional. 16.ed. São Paulo: Atlas, 2004.

CARVALHO, Kildare Goncalves. Direito Constitucional. 15.ed. Del Rey, 2009.

SOARES, Jose Ronald Cavalcante. Estudos de Direito Constitucional. São Paulo: LTR,
2001.

MORBIDELLI, Janice. Um novo pacto federativo para o Brasil. São Paulo: Srs Editora,
2001.

GAMA, Ricardo Rodrigues. Manual de Direito Constitucional. 4.ed. São Paulo: Jurua,
2007.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL III


Semestre: 6º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Direito falimentar e recuperação da empresa: evolução. Preservação da empresa.


Disposições comuns para falência e recuperação judicial. Recuperação judicial.
Recuperação extrajudicial. Falência: conceito, evolução histórica, princípios,
sujeito. Processo falimentar: pedido de falência. Administrador judicial.
Assembleia geral dos credores. Comitê de credores. Sentença declaratória. Sentença
denegatória. Administração da falência. Fase cognitiva do processo falimentar.
Fase satisfativa do processo falimentar. Reabilitação do falido. Regime jurídico
patrimonial do falido. Regime jurídico negocial do falido. Regime jurídico dos
credores do falido. Crimes falimentares. Liquidação extrajudicial de instituições
financeiras.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

COELHO, Fábio Ulhôa. Manual de direito comercial. 24.ed. São Paulo. Saraiva, 2012.

MARTINS, Fran. Curso de direito comercial. 35.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2012.

SCHONBLUM, Paulo Maximilian W. Contratos bancários. 3.ed. São Paulo: Freitas Bastos,
2009.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BITTAR, Carlos Alberto. Contratos Comerciais. 5.Ed. Rio de Janeiro: Forense, 2008.

BULGARELLI, Waldirio. Sociedades comerciais. 10.ed. São Paulo, 2001.

LACERDA, Rosita Martins. Sustação e cancelamento de protesto. São Paulo: Jalovi, 1988.

PERIN JR., Ecio. Curso de Direito Falimentar e recuperação de empresas. 4.ed. São Paulo:
Saraiva, 2011.

REQUIÃO, Rubens. Curso de direito comercial. 31.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.1. e v.2.

Curso: DIREITO Disciplina: TRABALHO DE CURSO


Semestre: 6º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Elaboração do Trabalho de Curso e encaminhamento para publicação em revistas


científicas. Prazo para depósito do artigo publicado até o último semestre do
curso.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis: Vozes, 1998.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 42.ed. Petrópolis: Vozes,
2014.

RUIZ, João Álvaro. Metodologia científica: guia para eficiência nos estudos. São Paulo:
Atlas, 2002.

SALOMON, Delcio Vieira. Como fazer uma monografia. Ed. Martins Fontes, 2004.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

SANTOS, Marcia Walquiria Batista dos. Elaboração da pesquisa e da monografia jurídica.


Ed. Malheiros, 2004.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia científica: ciência e


conhecimento científico, métodos científicos, teoria, hipóteses e variáveis, metodologia
jurídica. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia científica: ciência e


conhecimento científico, métodos científicos, teoria, hipóteses e variáveis, metodologia
jurídica. 7.ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MEDEIROS, João Bosco; HENRIQUES, Antonio. Monografia no curso de direito. 7.ed. São
Paulo: Atlas, 2010.

NUNES, Luiz Antonio Rizzato. Manual da monografia jurídica. 8.ed. São Paulo: Saraiva,
2011.

OLIVEIRA NETO, Olavo de. Manual de Monografia Jurídica. São Paulo: Quartier Latin,
2007.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PROCESSUAL CIVIL III


Semestre: 6º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Recursos. Teoria geral dos recursos; Recurso independente e recurso adesivo; Os


recursos do CPC: apelação, agravo, embargos infringentes, embargos de declaração,
recurso extraordinário, recurso especial, embargos de divergência, recursos
inominados; Da reclamação. Procedimentos nos Tribunais. Da uniformização da
jurisprudência. Declaração de inconstitucionalidade. Declaração de
constitucionalidade. Ação rescisória. a) Do Processo nos Tribunais: da
uniformização da jurisprudência; da declaração de inconstitucionalidade; da
homologação de sentença estrangeira e da ação rescisória.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

BARROSO, Darlan. Manual de Direito Processual Civil: teoria geral e processo de


conhecimento. 2.ed. São Paulo: Manole, 2007. v.1 e 2.

GRECO FILHO, Vicente. Direito processual civil brasileiro. 22 ed. São Paulo: Saraiva,
2010. v. 1.

GRECO FILHO, Vicente. Direito processual civil brasileiro. 21 ed. São Paulo: Saraiva,
2012. v. 2.
THEODORO JUNIOR, Humberto. Curso de direito processual civil. 53 ed. Rio de Janeiro:
Forense, 2012. v.1.

THEODORO JUNIOR, Humberto. Curso de direito processual civil. 47 ed. Rio de Janeiro:
Forense, 2012. v. 2.

GONÇALVES, Marcus Vinicius Rios. Direito processual civil esquematizado. 2.ed. São
Paulo: Saraiva, 2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

SANTOS, Moacyr Amaral. Primeiras linhas de direito processual civil. 26.ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.

MOREIRA, José Carlos Barbosa. O novo processo civil brasileiro. 27.ed. Rio de Janeiro:
Forense, 2008.

CHIOVENDA, Giuseppe. Instituições de direito processual civil. Campinas: Bookseller,


1998. v. 1, 2 e 3.

JORGE, Flávio Cheim. Teoria Geral dos Recursos Cíveis. 3.ed. São Paulo: Revista dos
Tribunais, 2007.

NERY JUNIOR, Nelson; ROSA, Maria. Código de processo civil comentado. 14.ed. São
Paulo: Revista dos Tribunais, 2014.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PROCESSUAL PENAL II


Semestre: 6º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Da instrução criminal. Da prova. Crimes que deixam vestígios e princípio do


contraditório. Medidas assecuratórias. Teoria geral do procedimento cautelar. Das
medidas cautelares de natureza pessoal: prisão, prisão em flagrante, prisão
preventiva, prisão temporária. Das contracautelas: liberdade provisória com e sem
fiança. Prisão especial e prisão domiciliar. Prisão administrativa. Fiança:
cabimento, arbitramento, concessão e denegação. Das medidas cautelares de natureza
real. Procedimentos: ordinário, sumário e sumaríssimo.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

FERNANDES, Antonio Scarance. Processo penal constitucional. 6.ed. São Paulo, RT,
2010.

TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Processo penal. 34.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.
v.1 e 2.

ROCHA, Francisco de Assis Rêgo Monteiro. Curso de direito processual penal. 2.ed. São
Paulo: Jurua, 2007.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:
CAPEZ, Fernando. Curso de processo penal. 16.ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

COSTA, Ana Paula Motta. As Garantias Processuais e o Direito Penal Juvenil. São Paulo:
Livraria do Advogado, 2005.

JARDIM, Afrânio Silva. Direito processual penal. 11.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2008.

PEDROSO, Fernando de Almeida. Processo Penal e Direito de Defesa: repercussão,


amplitude e limites. 3.ed. São Paulo: REVISTA DOS TRIBUNAIS , 2001.

TOURINHO FILHO, Fernando Costa. Manual de Processo Penal. 12.ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITOS HUMANOS I


Semestre: 6º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Desenvolvimento da proteção universal dos direitos humanos; Proteção regional dos


direitos humanos; Terminologia e definição dos direitos humanos; As fontes formais
do DIDH; Os pressupostos gerais de aplicação de tratados de direitos humanos; Os
titulares dos DHI; Os obrigados pelos DHI; Principais modos de obrigação emanadas
dos DHI; A interpretação e a subsunção dos direitos humanos internacionais;

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

CANÇADO TRINDADE, Antonio Augusto. Tratado de direito internacional de direitos


humanos. Vol. I. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 1997.

CANÇADO TRINDADE, Antonio Augusto. Tratado de direito internacional de direitos


humanos. Vol. II. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 1999.

CANÇADO TRINDADE, Antônio Augusto. Tratado de direito internacional dos direitos


humanos. Volume III. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris, 1997.

COMPARATO, Fábio Konder. A afirmação histórica dos direitos humanos. São Paulo:
Saraiva, 2008.

PIOVESAN, Flávia. Direitos humanos e direito constitucional internacional. São Paulo:


Saraiva. 2009.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ALBUQUERQUE MELO, Celso. Curso de Direito Internacional Público. 13ª edição. Rio de
Janeiro: Renovar, 2001.

ALBUQUERQUE MELO, Celso. O parágrafo 2º da Constituição Federal” In: TORRES,


Ricardo Lobo (org.). Teoria dos Direitos Fundamentais. Rio de Janeiro: Renovar, 1999.
ALMEIDA, Fernando Barcellos de. Teoria Geral dos Direitos Humanos. Porto Alegre: Sergio
Antonio Fabris, 1996.

ARAÚJO, Nádia de; e ALMEIDA, Guilherme Assis de. O direito internacional dos
refugiados: uma perspectiva brasileira. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Rio de Janeiro: Campus, 1992. p. 15-47.

CALLIGARIS, Contardo. “De novo, sobre a cura da homossexualidade”.Acesso em: 6 de


julho de 2005. Disponível em:www.aids.gov.br/imprensa/Noticias.asp?NOTCod=60157.

CANÇADO TRINDADE, Antônio Augusto. O esgotamento de recursos internos no direito


internacional. Brasília: Editora Unb, 1997.CEJIL Brasil. Responsabilidade internacional do
Estado e decisões do Sistema Interamericano em 2003. In: Direitos Humanos no Brasil
2003. São Paulo: Rede Social de Justiça e Direitos Humanos, 2003.

CANÇADO TRINDADE, Antonio Augusto. O sistema interamericano de direitos humanos


no limiar do novo século: recomendações para o fortalecimento de seu mecanismo de
proteção. In: GOMES, Flávio Luiz;

CANO, Ignacio. Entrevista. Acesso em: 14 abril 2005. Disponível


em: http://www.clippingexpress.com.br/noticias_justica.php?id=44834.Centro de Justiça
Global. Relatório Rio: Violência Policial e Insegurança Pública. Acesso em: 14 abril 2005.
Disponível em: http://www.global.org.br/portuguese/arquivos/relatorio_rio1.pdf.

Caso El Amparo Vs. Venezuela. Disponível


em: http://www.corteidh.or.cr/seriec/index_c.html

Corte Interamericana de Direitos Humanos. Opinião Consultiva n. 17, de 28 de agosto de


2002 (www.corteidh.or.cr).

CYFER, Ingrid. “Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação


Racial (1965)”. In: ALMEIDA, Guilherme de; e PERRONE-MOISÉS, Cláudia (orgs.). Direito
Internacional dos Direitos Humanos. Instrumentos básicos. São Paulo: Atlas, 2002.

DELLORE, Maria Beatriz Pennachi. “Convenção dos Direitos da Criança”. In: ALMEIDA,
Guilherme de; e PERRONE-MOISÉS, Cláudia (orgs.). Direito Internacional dos Direitos
Humanos. São Paulo: Atlas, 2002.

DORNELLES, João Ricardo. O que são direitos humanos? São Paulo: Brasiliense, 1989.

GALINDO, George Rodrigo Bandeira. Tratados Internacionais de Direitos Humanos e


Constituição Brasileira. Belo Horizonte: Editora Del Rey, 2002;

LAFER, Celso. Reconstrução dos direitos humanos – um diálogo com o pensamento de


Hannah Arendt. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2001.

LIMA JÚNIOR, Jayme Benvenuto. Os direitos humanos econômicos, sociais e culturais. Rio
de Janeiro: Renovar, 2001.

LINDGREN ALVES, José Augusto. “A conferência de Durban contra o racismo e a


responsabilidade de todos”. In: Os direitos humanos na pós-modernidade. São Paulo:
Perspectiva, 2005. pp. 113-140.
LINDROOS, Anja. The right to development. Helsinki: The Faculty of Law of the University
of Helsinki & The Erik Castrén Institute of International Law and Human Rights, 1999. pp.
22-47.

MAIA, Marrielle. Tribunal Penal Internacional: aspectos institucionais, jurisdição e princípio


da complementaridade. Belo Horizonte: Del Rey, 2001.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PENAL V


Semestre: 6º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Execução Penal. Faltas graves e sanções disciplinares. Direitos e deveres. Da


assistência. Remição e Trabalho prisional. Monitoramento eletrônico. Incidentes
da lei de execução penal.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

JESUS, Damásio E. de. Direito penal. parte especial. 32.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

MIRABETE, Júlio Fabrini. Manual de direito penal: parte especial. 28.ed. São Paulo: Atlas,
2012.

MIRABETE, Júlio Fabrini. Código penal interpretado: parte especial. 6.ed. São Paulo: Atlas,
2007.

PRADO, Luiz Regis. Curso de direito penal: parte especial. 10.ed. São Paulo: Revista dos
Tribunais, 2011.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

FERRI, Enrico. Princípios de direito criminal: o criminoso e o crime. Trad. de Paolo


Capitanio. Campinas: Bookseller, 2003.

JESUS, Damásio E. Código penal anotado. 19.ed., São Paulo: Saraiva, 2009.

JESUS, Damásio E. de. Direito penal: parte especial dos crimes. 21.ed. São Paulo:
Saraiva, 1999, v.3.

NORONHA, E. Magalhães. Direito penal: parte especial. São Paulo: Saraiva, 1999.

SARAIVA, E. Código penal tradicional. 40.ed. São Paulo: Saraiva, 2005.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO CIVIL VI (DIREITOS REAIS II)


Semestre: 6º Carga Horária: 40h
EMENTA:
Direitos de vizinhança. Do condomínio. Incorporações. Propriedade resolúvel.
Propriedade móvel. Noções de direitos autorais. Direitos reais sobre coisas
alheias: aspectos gerais. Direitos reais de garantia: penhor, anticrese e
hipoteca. Direitos reais de gozo: enfiteuse, servidões, usufruto, uso,
habilitação, rendas constituídas sobre imóveis. Direito real de aquisição:
compromisso irretratável de venda de imóveis, direito de superfície. Direitos
reais de garantia: penhor, hipoteca, alienação fiduciária e anticrese.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro: direito das coisas. 27.ed. São Paulo:
Saraiva, 2012. v.4.

MONTEIRO, Washington de Barros. Curso de Direito civil. 37ed. São Paulo: Saraiva, 2003.
v. 3.

RODRIGUES, Silvio. Direito civil. São Paulo: Saraiva, 2002. v.3.

VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil: direitos reais. 12.ed. São Paulo: Atlas, 2012. v.
5.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro. 7.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. V. 5.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

AFONSO, Otávio. Direito Autoral - Conceitos Essenciais. São Paulo: MANOLE, 2008.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de Direito Civil, São Paulo: Saraiva, 2004, v. 4.

VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil: direitos reais. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2004. v. 5.

DINIZ, Maria Helena. Código civil anotado. 10.ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

IHERING, Rudolf Von. A teoria simplificada da posse. 2.ed. São Paulo: José Bushatsky
Editor, 2009.

LACERDA, Paulo; PEREIRA, Virgílio de Sá. Direito das Coisas - da propriedade - manual
do código civil brasileiro. 2.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2007. Vol. VIII.

SANTOS, Orlando Gomes dos. Direitos reais. 19.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2007.

Curso: DIREITO Disciplina: Optativa - Tópicos Especiais / Informática Aplicada


ao Direito
Semestre: 6º Carga Horária: 40h
EMENTA:

As tecnologias da informação e o Direito. As redes telemáticas e suas aplicações:


correio eletrônico, petição eletrônica, as transferências eletrônicas de dados,
teleconferência, chat. Software: programas aplicativos e pacotes. Aplicativos para
uso dos operadores do Direito. Aplicativo para o armazenamento de informações com
facilidades de inserção, indexação, busca e atualização das mesmas (bancos de
dados). Aplicativos para execução de procedimentos de cálculo automatizado
(planilha eletrônica). Segurança de documentos digitais. O impacto da tecnologia
na sociedade moderna. Perspectivas da informática aplicada ao direito.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

BLUM, Renato Opice. Direito eletrônico: a internet e os tribunais. São Paulo: EDIPRO,
2001.

CORREA, Gustavo Testa. Aspectos jurídicos da internet. 2.ed. São Paulo: Saraiva, 2002.

SCHOUERI, Luis Eduardo. Internet: o direito na era virtual. Rio de Janeiro: Forense, 2001.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

CASTRO, Carla Rodrigues Araújo. Crimes de informática e seus aspectos processuais.


2.ed. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 2003.

DIREITO e internet: relações jurídicas na sociedade informatizada. São Paulo: Rev. dos
Tribunais, 2001.

SCHOUERI, Luis Eduardo. Internet: o direito na era virtual. Rio de Janeiro: Forense, 2001.

PECK, Patrícia. Direito digital. São Paulo: Saraiva, 2002.

LUCCA, Newton de; SIMÃO FILHO, Adalberto. Direito e internet: aspectos jurídicos
relevantes. São Paulo: EDIPRO, 2000.

DIREITO, sociedade e informática: limites e perspectivas da vida digital. São Paulo:


Boiteux, 2000.

12.7 Sétimo semestre - eixo temático interdisciplinar

O Direito e sua aplicação nos diversos campos de atuação profissional: análises


teórico-práticas das várias áreas que compõem o Direito e sua concepção voltada ao
exercício da profissões jurídicas aliada ao atendimento das necessidades sociais.

SÉTIMO SEMESTRE
CARGA HORÁRIA
DISCIPLINAS
(h/aula)
DIREITO ADMINISTRATIVO I 80
DIREITO EMPRESARIAL IV 40
DIREITO PROCESSUAL CIVIL IV 40
DIREITO PROCESSUAL PENAL III 40
DIREITOS HUMANOS II 40
DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO I 40
DIREITO CIVIL VII (FAMÍLIA I) 40
OPTATIVA OBRIGATÓRIA I* 40
* Direito do Trabalho Aplicado
* Gestão Pública (Adm/Contábeis)
PRÁTICA JURÍDICA SIMULADA I (CIVEL) 40
PRÁTICA JURÍDICA REAL I 40
TOTAL DE HORAS-AULA 440

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO ADMINISTRATIVO I


Semestre: 7º Carga Horária: 80h
EMENTA:

O Estado moderno e o Direito Administrativo: noções introdutórias. Direito


Administrativo: conceitos, evolução, atualidades e tendências doutrinárias. Regime
Jurídico-Administrativo: conceito e importância. Princípios da Administração
Pública. Poderes-deveres da Administração Pública. Poder de Polícia: evolução
histórica, conceito, caracterização, fundamentos e finalidades. Administração
Pública: natureza, fins e atividades. Administração Direta e Indireta. Serviços
Públicos: evolução histórica, regras constitucionais, caracterização e princípios
aplicáveis. Ato Administrativo: conceito, atributos, elementos, classificações e
espécies. Extinção e modalidades. Controle da discricionariedade pelo Poder
Judiciário. Responsabilidade Civil do Estado: evolução histórica e regras
constitucionais. Responsabilidade objetiva.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

MAZZA, Alexandre. Manual de direito administrativo. 4.ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

BASTOS, Celso Ribeiro. Curso de direito administrativo. São Paulo: Celso Bastos Editor,
2002.

DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito administrativo. 23 ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MEIRELLES, Hely Lopes. Direito administrativo brasileiro. 36 ed. São Paulo: RT, 2010.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

CRETELLA JÚNIOR, José. Curso de direito administrativo. 18.ed. Rio de Janeiro: Forense,
2002.

GASPARINI, Diógenes. Direito administrativo. 14.ed. São Paulo: Saraiva, 2009.


MELLO, Bandeira de; CELSO, Antônio. Curso de direito administrativo. 26.ed. São Paulo:
Malheiros, 2009.

PAZZAGLINI, Marino F. Princípios Constitucionais Reguladores da Administração Pública.


2.ed. São Paulo: Atlas, 2003.

PESSOA, Robertonio. Curso de Direito Administrativo Moderno. 2.ed., Rio de Janeiro:


Forense, 2003.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO EMPRESARIAL IV


Semestre: 7º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Contratos empresariais: teoria geral. Compra e venda empresarial. Contratos de


cooperação empresarial: Comissão, representação, concessão, franquia,
distribuição, transferência de tecnologia. Contratos bancários: Mútuo, desconto,
abertura de crédito, crédito documentário. Contratos bancários impróprios:
Alienação fiduciária em garantia, faturizacão, arrendamento mercantil, cartão de
crédito. Contratos de seguro. Títulos de crédito: conceito, princípios e
atributos. Constituição do crédito cambiário. Classificação dos títulos de
crédito. Títulos ao portador, a ordem e nominativos. Letra de câmbio: legislação
aplicável. Requisitos. Nota Promissória: legislação aplicável. Requisitos.
Duplicata: legislação aplicável. Requisitos. Duplicata de prestação de serviços.
Cheque: legislação aplicável. Requisitos. Títulos de crédito impróprios: Títulos
de investimento. Títulos de financiamento. Títulos representativos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

COELHO, Fábio Ulhôa. Manual de direito comercial. 24.ed. São Paulo. Saraiva, 2012.

MARTINS, Fran. Curso de direito comercial. 35.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2012.

SCHONBLUM, Paulo Maximilian W. Contratos bancários. 3.ed. São Paulo: Freitas Bastos,
2009.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BITTAR, Carlos Alberto. Contratos Comerciais. 5.Ed. Rio de Janeiro: Forense, 2008.

BULGARELLI, Waldirio. Sociedades comerciais. 10.ed. São Paulo, 2001.

LACERDA, Rosita Martins. Sustação e cancelamento de protesto. São Paulo: Jalovi, 1988.

PERIN JR., Ecio. Curso de Direito Falimentar e recuperação de empresas. 4.ed. São Paulo:
Saraiva, 2011.

REQUIÃO, Rubens. Curso de direito comercial. 31.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.1. e v.2.
Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PROCESSUAL CIVIL IV
Semestre: 7º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Teoria geral da Execução. Da Execução em geral. Suspensão e extinção do processo


de execução. Juiz e partes na execução. Competência. Do título executivo: execução
por título judicial e extrajudicial. Da responsabilidade patrimonial. Liquidação
da sentença. Das diversas espécies de execução. A execução para entrega da coisa
certa ou incerta. A execução das obrigações de fazer ou não fazer. Execução por
quantia certa contra devedor solvente. Execução por quantia certa por devedor
insolvente. Execução de alimentos. Ação de consignação em pagamento. Ação de
exigir contas. Ações possessórias. Embargo de terceiro. Oposição. Ação monitória.
Dos embargos do devedor e suas espécies. Exceção de pré-executividade. Embargos
à execução. Da remissão. Suspensão e extinção do processo de execução.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

FERREIRA, Fernando Amâncio. Curso de Processo de execução. 12 ed. São Paulo:


Almedina, 2012.

GONÇALVES, Marcus Vinicius Rios. Direito processual civil esquematizado. 2.ed. São
Paulo: Saraiva, 2012.

GRECO FILHO, Vicente. Direito processual civil brasileiro. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 1
e 2.

THEODORO JUNIOR, Humberto. Curso de direito processual civil. Rio de Janeiro:


Forense, 2012. v. 1 e 2.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BARROSO, Darlan. Manual de Direito Processual Civil: Recursos e Processo de execução.


2.ed. São Paulo: Manole, 2007. v.1 e 2.

CHIOVENDA, Giuseppe. Instituições de direito processual civil. Campinas: Bookseller,


1998. v. 1, 2, 3.

FERREIRA, Fernando Amâncio. Curso de processo de execução. 9.ed. São Paulo:


Almedina, 2006.

MOREIRA, José Carlos Barbosa. O novo processo civil brasileiro. 27.ed. Rio de Janeiro:
Forense, 2008.

NERY JUNIOR, Nelson; ROSA, Maria. Código de processo civil comentado. 14.ed. São
Paulo: Revista dos Tribunais, 2014.

SANTOS, Moacyr Amaral. Primeiras linhas de direito processual civil. 26.ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PROCESSUAL PENAL III


Semestre: 7º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Dos crimes de competência do Tribunal do Júri e do Juiz singular. Dos processos


especiais, imprópria e propriamente ditos. Tribunal do Júri. Juizados especiais
criminais. Do procedimento de ato infracional de menor. Sentença criminal. Coisa
julgada. Incidentes. Nulidades processuais. Teoria geral dos recursos. Do recurso
em sentido estrito. Da apelação. Do protesto por novo júri. Dos embargos. Da carta
testemunhável. Do recurso ordinário constitucional. Do recurso extraordinário. Da
revisão criminal. Agravo. Correição parcial. Das questões prejudiciais e
procedimentos incidentes. Incidentes: suspensão condicional da pena, livramento
condicional, indulto e reabilitação.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

GRECO FILHO, Vicente. Manual de processo penal. 9.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

JARDIM, Afrânio Silva. Direito processual penal. 11ed. Rio de Janeiro: Forense, 2008.

TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Código de processo penal comentado. 13.ed. São
Paulo: Saraiva, 2010. v.1 e v.2.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BITENCOURT, Edgard de Moura. O Juiz. 3.ed. São Paulo: Millennium, 2002.

FERNANDES, Geórgia Bajer; Fernandes, Paulo Sergio Leite. As nulidades no processo


penal. 5.ed. São Paulo: Malheiros, 2002.

FERNANDES, Antonio Scarance. Crime Organizado: aspectos processuais. São Paulo:


RT, 2009.

KARAM, Maria Lucia. Liberdade, Presunção de Inocência e Direito À Defesa. São Paulo:
Lumen Juris, 2009.

MIRABETE, Júlio Fabbrini. Processo penal. 18.ed. São Paulo: Atlas, 2006.

TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Processo Penal. Vols. 1 e 2. São Paulo: Saraiva,
1998.

TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Processo Penal. 34.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.
V.1.

TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Processo Penal. 34.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.
V.2.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITOS HUMANOS II


Semestre: 7º Carga Horária: 40h
EMENTA:
Instituições e procedimentos no sistema universal; Instituições e procedimentos
no sistema interamericano; direito à vida e a pena de morte (art. 6° do Pacto II;
art. 4° da ConvIDH); A justiciabilidade e a imposição dos direitos econômicos,
sociais e culturais; As proibições de discriminação; Direitos dos povos indígenas;
Tratados de direitos humanos e jurisprudência;

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

CANÇADO TRINDADE, Antonio Augusto. Tratado de direito internacional de direitos


humanos. Vol. I. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 1997.

CANÇADO TRINDADE, Antonio Augusto. Tratado de direito internacional de direitos


humanos. Vol. II. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris, 1999.

CANÇADO TRINDADE, Antônio Augusto. Tratado de direito internacional dos direitos


humanos. Volume III. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris, 1997.

COMPARATO, Fábio Konder. A afirmação histórica dos direitos humanos. São Paulo:
Saraiva, 2008.

PIOVESAN, Flávia. Direitos humanos e direito constitucional internacional. São Paulo:


Saraiva. 2009.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ALBUQUERQUE MELO, Celso. Curso de Direito Internacional Público. 13ª edição. Rio de
Janeiro: Renovar, 2001.

ALBUQUERQUE MELO, Celso. O parágrafo 2º da Constituição Federal” In: TORRES,


Ricardo Lobo (org.). Teoria dos Direitos Fundamentais. Rio de Janeiro: Renovar, 1999.

ALMEIDA, Fernando Barcellos de. Teoria Geral dos Direitos Humanos. Porto Alegre: Sergio
Antonio Fabris, 1996.

ARAÚJO, Nádia de; e ALMEIDA, Guilherme Assis de. O direito internacional dos
refugiados: uma perspectiva brasileira. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Rio de Janeiro: Campus, 1992. p. 15-47.

CALLIGARIS, Contardo. “De novo, sobre a cura da homossexualidade”.Acesso em: 6 de


julho de 2005. Disponível em:www.aids.gov.br/imprensa/Noticias.asp?NOTCod=60157.

CANÇADO TRINDADE, Antônio Augusto. O esgotamento de recursos internos no direito


internacional. Brasília: Editora Unb, 1997.CEJIL Brasil. Responsabilidade internacional do
Estado e decisões do Sistema Interamericano em 2003. In: Direitos Humanos no Brasil
2003. São Paulo: Rede Social de Justiça e Direitos Humanos, 2003.

CANÇADO TRINDADE, Antonio Augusto. O sistema interamericano de direitos humanos


no limiar do novo século: recomendações para o fortalecimento de seu mecanismo de
proteção. In: GOMES, Flávio Luiz;
CANO, Ignacio. Entrevista. Acesso em: 14 abril 2005. Disponível
em: http://www.clippingexpress.com.br/noticias_justica.php?id=44834.Centro de Justiça
Global. Relatório Rio: Violência Policial e Insegurança Pública. Acesso em: 14 abril 2005.
Disponível em: http://www.global.org.br/portuguese/arquivos/relatorio_rio1.pdf.

Caso El Amparo Vs. Venezuela. Disponível


em: http://www.corteidh.or.cr/seriec/index_c.html

Corte Interamericana de Direitos Humanos. Opinião Consultiva n. 17, de 28 de agosto de


2002 (www.corteidh.or.cr).

CYFER, Ingrid. “Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação


Racial (1965)”. In: ALMEIDA, Guilherme de; e PERRONE-MOISÉS, Cláudia (orgs.). Direito
Internacional dos Direitos Humanos. Instrumentos básicos. São Paulo: Atlas, 2002.

DELLORE, Maria Beatriz Pennachi. “Convenção dos Direitos da Criança”. In: ALMEIDA,
Guilherme de; e PERRONE-MOISÉS, Cláudia (orgs.). Direito Internacional dos Direitos
Humanos. São Paulo: Atlas, 2002.

DORNELLES, João Ricardo. O que são direitos humanos? São Paulo: Brasiliense, 1989.

GALINDO, George Rodrigo Bandeira. Tratados Internacionais de Direitos Humanos e


Constituição Brasileira. Belo Horizonte: Editora Del Rey, 2002;

LAFER, Celso. Reconstrução dos direitos humanos – um diálogo com o pensamento de


Hannah Arendt. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2001.

LIMA JÚNIOR, Jayme Benvenuto. Os direitos humanos econômicos, sociais e culturais. Rio
de Janeiro: Renovar, 2001.

LINDGREN ALVES, José Augusto. “A conferência de Durban contra o racismo e a


responsabilidade de todos”. In: Os direitos humanos na pós-modernidade. São Paulo:
Perspectiva, 2005. pp. 113-140.

LINDROOS, Anja. The right to development. Helsinki: The Faculty of Law of the University
of Helsinki & The Erik Castrén Institute of International Law and Human Rights, 1999. pp.
22-47.

MAIA, Marrielle. Tribunal Penal Internacional: aspectos institucionais, jurisdição e princípio


da complementaridade. Belo Horizonte: Del Rey, 2001.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO I


Semestre: 7º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Interpretação e aplicação das normas trabalhistas. Princípios informadores do


Direito Processual do Trabalho: a conciliação e sua eficácia: a oralidade; a
gratuidade; a aplicação subsidiária do direito processual civil e suas limitações.
Justiça do trabalho: origem, organização, jurisdição, competência. Do processo
trabalhista: dissídios individuais; fase postulatória, probatória e decisória.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
FREDIANI, Yone. Execução no Processo do Trabalho. Rio de Janeiro: Campus 2008.

OLIVEIRA, Francisco Antonio de. O Processo na Justiça do Trabalho. 15.ed. São Paulo:
LTR, 2008.

SCHIAVI, Mauro. Manual de direito processual do trabalho. 5.ed. São Paulo: LTR, 2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ALMEIDA, Amador Paes de. Curso Prático de processo de trabalho. 20 ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.

BERTOLINS, Patrícia Tuma Martins. Reformulação do processo do trabalho. São Paulo:


LTR, 1996.

NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Curso de direito processual do trabalho. 27.ed. São


Paulo: Saraiva, 2012.

SERAFIM JUNIOR, Arnor. A Prescrição na Execução Trabalhista. São Paulo: LTR, 2006.

TEIXEIRA FILHO, Manoel Antônio. Sistema dos recursos trabalhistas. 10.ed. São Paulo:
LTR, 2003.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO CIVIL VII (FAMÍLIA I)


Semestre: 7º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Contexto de Família na Antiguidade. Difereciação entre conceito dogmático


(igrejas) e jurídico do contexto de família. Direito de Família: noções, origem
e evolução. A família e a sociedade. Especificidades das relações familiares ou
de afeto. A família na Constituição de 1988. Famílias monoparentais e
multiparentais. Sociedade conjugal, união estável, concubinato e casamento. Eixo
matrimonial: casamento, habilitação, celebração, impedimentos, provas, nulidade
e anulação e efeitos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro: família. 27. ed. São Paulo: Saraiva,
2012. v.5.

VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil. 12. ed. São Paulo: Atlas, 2012, v. 6.

GAGLIANO, Pablo Stolze. Novo curso direito civil. 2.ed. São Paulo: Saraiva, 2012, v. 6.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BITTAR, Carlos Alberto. Direito de família. 2.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2006.
BITTAR, Carlos Alberto. Direito de Família e Sucessões. São Paulo: Juarez De Oliveira,
2002.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de Direito Civil, São Paulo: Saraiva, 2004, v 5.

DINIZ, Maria Helena. Código civil anotado. 10.ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

PEREIRA, Caio Mário da Silva. Instituições de direito civil. Rio de Janeiro: Forense, 2002.

SOARES, Orlando. Direito de Família. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

Curso: DIREITO Disciplina: OPTATIVA OBRIGATÓRIA I – DIREITO DO TRABALHO


APLICADO
Semestre: 7º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Empregado e Empregador. Noções básicas de jornada de trabalho; remunerações e o


contrato de trabalho. Simulação de empresa na condição de empregado e de
empregador. Deveres jurídicos e fiscais da empresa: A contribuição previdenciária;
O FGTS; O imposto de renda retido. Deveres para como o MTE: Saúde e segurança do
trabalhador; A carteira de trabalho; Livros de registros. A rescisão do contrato
de trabalho: motivos; direitos e deveres. Simulação de demissão de empregado. Como
evitar ações trabalhistas?

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

MARTINS, Sergio Pinto. Direito do trabalho. 28.ed. São Paulo: Atlas, 2012.

NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Curso de direito do trabalho. 26.ed. São Paulo: Saraiva,
2011.

NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Curso de direito do trabalho. 29.ed. São Paulo: Saraiva,
2014.

DELGADO, Mauricio Godinho. Curso de direito do trabalho. 3.ed. São Paulo: LTR, 2004.

DELGADO, Mauricio Godinho. Curso de direito do trabalho. 13.ed. São Paulo: LTR, 2014.

MAGANO, Octavio Bueno. Primeiras lições de direito do trabalho. 3.ed. São Paulo: Rev.
dos Tribunais, 2003.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ALMEIDA, Amador Paes. CLT: comentada. 2 ed. São Paulo: Saraiva, 2004.

BATALHA, Wilson de Souza Campos. Tratado de direito judiciário do trabalho. São Paulo:
LTR, 1995.

CAETANO, Luiz Antunes. Arbitragem e mediação: rudimentos. São Paulo: Atlas, 2002.
CARRION, Valentin. Comentários à consolidação das leis do trabalho: legislação,
suplementar e jurisprudência. 28.ed. São Paulo: Saraiva, 2003.

MARTINS, Sergio Pinto. Continuidade do contrato de trabalho.4. ed. São Paulo:Saraiva,


2002.

DELGADO, Mauricio Godinho. Princípios de direito individual e coletivo do trabalho. 2.ed.


São Paulo: LTR, 2004.

ANDRADE, Everaldo Gaspar Lopes de. Princípios de direito do trabalho: fundamentos


teóricos-filosóficos. 1.ed. São Paulo: LTR, 2008.

SOUZA, Letícia Godinho de. Direito do trabalho, justiça e democracia. 1.ed. São Paulo:
LTR, 2006.

SILVA NETO, Manoel Jorge e. Direitos fundamentais e o contrato de trabalho. 1.ed. São
Paulo: LTR, 2005.

DIAS, Carlos Eduardo Oliveira. Teoria e prática da sentença trabalhista.3.ed. São Paulo:
LTR, 2009.

Curso: DIREITO Disciplina: OPTATIVA OBRIGATÓRIA I – GESTÃO PÚBLICA


Semestre: 7º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Organizações, estruturas, processos e resultados. Normas de orçamento.


Contabilização. Controle e prestação de constas do setor público no Brasil.
Balanços públicos. Planejamento. Orçamento. Receitas públicas. Despesas públicas.
Gastos públicos. Política fiscal. Sistema de controle interno.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

HALL, Richard. H. Organizações: estruturas, processos e resultados. Tradução Roberto


Galman. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2004.

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Reboluças de. Planejamento estratégico: conceitos,


metodologia e práticas. 28. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

CORREA, Henrique L. Gestão de serviços: lucratividade por meio de operações e de


satisfação dos clientes. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

WRIGHT, Peter L. Administração estratégica: conceitos. Tradução Celso A. Rimoli, Lenita


R. Esteves. São Paulo: Atlas: 2000.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

SROUR, Robert Henry. Poder, cultura e ética nas organizações. Rio de Janeiro: Campus,
1998.

FLEURY, Afonso Carlos Correa. Aprendizagem e inovação organizacional: as experiências


de Japão, Coréia e Brasil. 2.ed. São Paulo: Atlas, 197.
COVEY, Stephen R. Liderança baseada em princípios. Rio de Janeiro: Campus, 1994.

Curso: DIREITO Disciplina: PRÁTICA JURÍDICA SIMULA I (CÍVEL)


Semestre: 7º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Prática jurídica civil simulada. Discussão de processos judiciais reais.


Acompanhamento da marcha processual com a resolução de problemas fictícios.
Simulação de audiências de mediação e composição. Elaboração de peças processuais
simuladas, realização de audiências e julgamentos cabíveis. Foco no processo e
procedimentos da 1º instância cível.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

ARAÚJO JUNIOR. Gediel. Claudino de. Prática no processo civil. 17. ed. São Paulo: Atlas,
2014.

CAMPOI, Valdir. Manual de prática forense civil. São Paulo: Lemos e Cruz Ltda., 2009.

CASELLA, José Erasmo. Manual de prática forense. 7.ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

SOUZA, Josyane Nazareth de; COLNAGOL, Rodrigo. Prática forense civil. São Paulo:
Saraiva, 2010.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

DINIZ, Maria Helena. Código Civil Anotado. São Paulo: Saraiva.

NEGRÃO, Theotônio; GOUVEIA, José Roberto F. e BONDIOLI, Luis Guilherme A. Código


de processo civil e legislação processual em vigor. São Paulo: Saraiva.

MILHOMENS, Jonatas; ALVES, Geraldo Magela. Manual de petições cíveis, criminais e


trabalhistas. Rio de Janeiro: Forense.

______. Manual prático do advogado. Rio de Janeiro: Forense.

PALAIA, Nelson. Técnica de Petição Inicial. São Paulo: Saraiva.

SANTOS, Moacyr Amaral. Primeiras linhas de direito processual civil. vol. 1. 26 ed. São
Paulo: Saraiva, 2009.

Curso: DIREITO Disciplina: PRÁTICA JURÍDICA REAL I


Semestre: 8º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Orientações gerais e Estágio junto ao NPJ. Orientação, agendamento, acompanhamento


e relatório de visitas na Justiça Comum Estadual de 1º e 2º graus, Justiça Federal,
Justiça do Trabalho, Juizados Especiais Criminais e Cíveis Estaduais Federais,
Sessões na Câmara de Conciliação e Arbitragem, Conselho Penitenciário e Conselho
Administrativo Tributário, além de outros órgãos judiciais. Tudo
sob a supervisão do coordenador do NPJ.

12.8 Oitavo semestre - eixo temático interdisciplinar

O Direito e sua aplicação nos diversos campos de atuação profissional: análises


teórico-práticas das várias áreas que compõem o Direito e sua concepção voltada ao
exercício das profissões jurídicas, fundamentada na ética profissional e no
atendimento das necessidades sociais.

OITAVO SEMESTRE
CARGA HORÁRIA
DISCIPLINAS
(h/aula)
DIREITO ADMINISTRATIVO II 80
ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL 80
DIREITO PROCESSUAL CIVIL V 40
DIREITO PROCESSUAL PENAL IV 40
DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO II 40
DIREITO CIVIL VIII (FAMÍLIA II) 40
OPTATIVA OBRIGATÓRIA II** 40
** Direito Empresarial Aplicado
** Educação Ambiental e Práticas Sustentáveis
PRÁTICA JURÍDICA SIMULADA II (CIVEL) 40
PRÁTICA JURÍDICA REAL II 40
TOTAL DE HORAS-AULA 440

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO ADMINISTRATIVO II


Semestre: 8º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Licitação: conceito, fundamentos, objeto, princípios. Obrigatoriedade, dispensa


e inexigibilidade. Modalidades. Procedimentos. Anulação e revogação. Recursos.
Contrato Administrativo: conceito, distinções, características, modalidades,
formalização, execução e controles. Extinção. Convênios e Consórcios. Bens
Públicos. Domínio Público. Tipologia. Afetação e desafetação. Regime Jurídico.
Uso de bens públicos por particulares. Agentes Públicos. cargos, empregos e
funções. Regimes jurídicos aplicáveis. Servidores Públicos. Regime Disciplinar e
Responsabilidades. Improbidade Administrativa. Controle da Administração Pública.
Controle interno. Controle parlamentar. Tribunal de Contas. Controle
jurisdicional. Ações constitucionais de controle. Processo administrativo:
conceito, requisitos, princípios, classificação, espécies e fases.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

MAZZA, Alexandre. Manual de direito administrativo. 4.ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

CRETELLA JÚNIOR, José. Curso de direito administrativo. 18.ed. Rio de Janeiro: Forense,
2002.

DI PIETRO, Maria Sylvia Zanella. Direito administrativo. 23. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MEIRELLES, Hely Lopes. Direito administrativo brasileiro. 36 ed. São Paulo: RT, 2010.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BASTOS, Celso Ribeiro. Curso de direito administrativo. São Paulo: Celso Bastos Editor,
2002.

GASPARINI, Diógenes. Direito administrativo. 14.ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

MELLO, Bandeira de; CELSO, Antônio. Curso de direito administrativo. 26.ed. São Paulo:
Malheiros, 2009.

PAZZAGLINI, Marino F. Princípios Constitucionais Reguladores da Administração Pública.


2.ed. São Paulo: Atlas, 2003.

PESSOA, Robertonio. Curso de Direito Administrativo Moderno. 2.ed., Rio de Janeiro:


Forense, 2003.

Curso: DIREITO Disciplina: ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL


Semestre: 8º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Ética Geral: Conceito e significação da ética. Estudo e prática da ética. Filosofia


e Ética. O objeto do saber ético e o direito. Moral como objeto da ética. Direito
e moral. Consciência Ética. Ética da Alteridade. Ética Especial: Aspectos éticos
referentes à vida, à procriação, à família, à ordem social, e à propriedade. Ética
e cultura. Ética e moralidade institucional. Ética e educação. Ética e política.
Ética e sociedade. Bioética e direito. Deveres éticos. Ética e Constituição.
História das ideias sobre a ética e a justiça. Ética Profissional: Ética e
profissão. Ética e profissão jurídica. Os princípios gerais da Deontologia
Forense. O controle da conduta dos profissionais do direito. Consciência ética do
jurista: Ética do estudante de Direito, Ética do advogado, Ética do Promotor,
Ética dos agentes públicos, Ética e carreira política, Ética do juiz de direito,
Ética das partes. O lugar da Ética na vida. A Ética e o Brasil. O caminhar Ético.
O Código de Ética Profissional e o Estatuto da OAB. Ingresso nos quadros da OAB.
Deveres e Direitos fundamentais do Advogado. Infrações Disciplinares e
Penalidades. Incompatibilidade e Impedimento. As relações do Advogado com o
cliente. Honorários Profissionais e Assistência Judiciária.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

NALINI, José Renato. Ética e Justiça. 1.ed. São Paulo: Oliveira Mendes, 1998.

PERELMAN, Chaïm. Ética e direito. 1.ed. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

SILVA JR., Marco Antonio; Coccaro, Celso. Ética Profissional e Estatuto da Advocacia.
4.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. Col. OAB Nacional. Vol. 10.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ADEODATO, João Maurício. A Ética e retórica: para uma teoria da dogmática jurídica. São
Paulo: Saraiva, 2002.

ARISTÓTELES. Ética anicômanos. 3. ed. Tradução de Mario da Gama Kuriy. Brasília:


Editora Universidade de Brasília, 1992.

FINATI, Cláudio Roberto. O Estatuto da OAB e o Código de Ética e Disciplina. Rio de


Janeiro: Forense, 2006. Vol. 10.

SÁ, Antonio Lopes de. A Ética profissional. 9.ed. São Paulo:Atlas,2010.

SOUTO, Cláudio. Ciência e Ética no Direito. 2.ed. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris
Editor, 2002.

VASQUEZ, Adolfo Sánchez. Ética. 25. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,2004.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PROCESSUAL CIVIL V


Semestre: 8º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Do Processo Cautelar: teoria geral do processo cautelar. Processo Cautelar.


Procedimentos cautelares específicos. A tutela antecipatória e o processo
cautelar. Procedimentos cautelares específicos; outras medidas provisionais.
Processos de procedimento especial de jurisdição contenciosa. Procedimentos
especiais de jurisdição voluntária. Ações especiais extravagantes. Procedimentos
Especiais de Jurisdição Contenciosa. Ação de restauração de autos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

FERREIRA, Fernando Amâncio. Curso de Processo de execução. 12 ed. São Paulo:


Almedina, 2012.

GRECO FILHO, Vicente. Direito processual civil brasileiro. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 1
e2
THEODORO JUNIOR, Humberto. Curso de direito processual civil. Rio de Janeiro:
Forense, 2012. v. 1 e 2.

GONÇALVES, Marcus Vinicius Rios. Direito processual civil esquematizado. 2.ed. São
Paulo: Saraiva, 2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

CHIOVENDA, Giuseppe. Instituições de direito processual civil. Campinas: Bookseller,


1998. v. 1, 2, 3.

DINAMARCO, Cândido Rangel. Instituições de direito processual civil. 4.ed. São Paulo:
Malheiros, 2004. v.1.

MOREIRA, José Carlos Barbosa. O novo processo civil brasileiro. 27.ed. Rio de Janeiro:
Forense, 2008.

NERY JUNIOR, Nelson e Rosa Maria. Código de processo civil comentado. 10.ed. São
Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.

NERY JUNIOR, Nelson; ROSA, Maria. Código de processo civil comentado. 14.ed. São
Paulo: Revista dos Tribunais, 2014.

SANTOS, Moacyr Amaral. Primeiras linhas de direito processual civil. 26.ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PROCESSUAL PENAL IV


Semestre: 8º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Das ações constitucionais: Habeas corpus e mandado de segurança. Teoria geral da


execução. Da execução das penas em espécies. Dos deveres, direitos e disciplina
do condenado. Dos órgãos de execução penal. Dos estabelecimentos penais. Do
procedimento dos crimes militares. Estudo dos procedimentos especiais: Lei de
tóxicos. Lei de abuso de autoridade. Dos crimes contra a honra. Dos crimes
praticados por funcionários públicos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

GRECO FILHO, Vicente. Manual de processo penal. 9.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

FERNANDES, Antonio Scarance. Crime Organizado: aspectos processuais. São Paulo:


LTR, 2009.

TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Código de processo penal comentado. 13.ed. São
Paulo: Saraiva, 2010. v.1 e v.2.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

GRISHAM, John. O Júri. São Paulo: Rocco, 1998.


JARDIM, Afrânio Silva. Direito processual penal. 11ed. Rio de Janeiro: Forense, 2008.

KARAM, Maria Lucia. Liberdade, Presunção de Inocência e Direito À Defesa. São Paulo:
Lumen Juris, 2009.

MIRABETE, Júlio Fabbrini. Processo penal. 18.ed. São Paulo: Atlas, 2006.

SILVA JR, Euclides Ferreira da. Prisão Liberdade Provisória Habeas Corpus. São Paulo:
Oliveira Mendes, 2000.

TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Processo Penal. 34.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.
V.1.

TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Processo Penal. 34.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.
V.2.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO II


Semestre: 8º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Procedimentos especiais e cautelares. Dissídios coletivos. Recursos. Liquidação


da sentença. Execução: fase inicial e final. Introdução à prática trabalhista

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

FREDIANI, Yone. Execução no Processo do Trabalho. Rio de Janeiro: Campus 2008.

OLIVEIRA, Francisco Antonio de. O Processo na Justiça do Trabalho. 15.ed. São Paulo:
LTR, 2008.

SCHIAVI, Mauro. Manual de direito processual do trabalho. 5.ed. São Paulo: LTR, 2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ALMEIDA, Amador Paes de. Curso Prático de processo de trabalho. 20 ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.

BERTOLINS, Patrícia Tuma Martins. Reformulação do processo do trabalho. São Paulo:


LTR, 1996.

NASCIMENTO, Amauri Mascaro. Curso de direito processual do trabalho. 27.ed. São


Paulo: Saraiva, 2012.

PASSOS, Nicanor Sena. Prática das Comissões de Conciliação Prévia. 4.ed. São Paulo:
LTR, 2003.

SERAFIM JUNIOR, Arnor. A Prescrição na Execução Trabalhista. São Paulo: LTR, 2006.

TEIXEIRA FILHO, Manoel Antônio. Sistema dos recursos trabalhistas. 10.ed. São Paulo:
LTR, 2003.
Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO CIVIL VIII (FAMÍLIA II)
Semestre: 8º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Regime de bens na sociedade conjugal. Dissolução da sociedade conjugal. Divórcio.


Eixo parental: parentesco, filiação legítima e ilegítima, reconhecimento de
filhos, alimentos, adoção. Eixo assistencial: pátrio poder, tutela e curatela.
Deveres e obrigações dos pais para com os filhos. Responsabilidade no âmbito
familiar. Ausência. Políticas de proteção do Estado à família.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil. 27.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

MONTEIRO, Washington de Barros. Curso de direito civil. São Paulo: Saraiva, 2010. v.2.

VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil. 12.ed. São Paulo: Atlas, 2012. v.3.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

BITTAR, Carlos Alberto.Contratos Comerciais. 6.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária,


2010.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito civil. São Paulo: Saraiva. 2004. v.2.

GAGLIANO, Pablo Stolze. Novo curso de direito civil. São Paulo: Saraiva, 2004. v.2.

______. Novo curso de direito civil. São Paulo: Saraiva, 2004. v.3.

LOPES, Miguel Maria de Serpa. Curso de direito civil. 9.ed. São Paulo: Freitas Bastos,
2000. v.1.

MIRANDA, Pontes de. Tratado de direito privado. 1.ed. São Paulo: Bookseller, 2003.

______. Curso de direito civil: direito das coisas. 37. ed. São Paulo: Saraiva, 2003. v.3.

PEREIRA, Caio Mário da Silva. Instituições de direito civil. Rio de Janeiro: Forense, 2004.
v.1.

______. Instituições de direito civil. Rio de Janeiro: Forense, 2004. v.2.

Curso: DIREITO Disciplina: OPTATIVA OBRIGATÓRIA II - DIREITO


EMPRESARIAL APLICADO
Semestre: 8º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Pessoa Jurídica e Pessoa Física. Simulação de criação de empresa fictícia,


enumerando os aspectos jurídicos aplicáveis à composição societária, à escolha
de nomes, sede, ponto do negócio e tipo societário. Aspectos jurídicos
aplicáveis ao dia a dia da empresa. Contratos mercantis. Títulos de Crédito.
Inadimplência e inserção em cadastro de inadimplentes. Dificuldades financeiras
e a recuperação judicial. Extinção da empresa: aspectos jurídicos e obrigações
legais para fechamento. A falência.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

COELHO, Fábio Ulhoa. Manual de direito comercial. 24.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito comercial. 16.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.1.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito comercial. 16.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.2.

COELHO, Fábio Ulhoa. Curso de direito comercial. 13.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v.3.

FAZZIO JÚNIOR, Waldo. Manual de direito comercial. 13.ed. São Paulo: Atlas, 2012.

MARTINS, Fran. Curso de direito comercial. 35.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2012.

NEGRÃO, Ricardo. Manual de direito comercial e de empresa. 9.ed. São Paulo: Saraiva,
2012. v.1.

OLIVEIRA, Celso Marcelo de. Tratado de direito empresarial brasileiro. São Paulo: LNZ,
2004. v.1.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ALMEIDA, Amador Paes. Manual das sociedades comerciais. 12.ed. São Paulo: Saraiva,
2004.

BERTOLDI, Marcelo M.; RIBEIRO, Márcia Carla Pereira. Curso avançado de direito
comercial. São Paulo: Rev. dos Tribunais, 2003. v.2.

DORIA, Dylson. Curso de direito comercial. São Paulo: Saraiva, 1998.

MENDONÇA, José Xavier. Tratado de direito comercial brasileiro. São Paulo: Bookseller,
2002. v.1.

PAES, Paulo Roberto Tavares. Curso de direito comercial. 2.ed. São Paulo: Rev. dos
Tribunais, 1996.

REQUIÃO, Rubens. Curso de direito comercial. 31 ed.. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 1.

REQUIÃO, Rubens. Curso de direito comercial. 31 ed.. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 2.

ROCHA FILHO, José Maria. Curso de direito comercial: parte geral. 3.ed. Belo Horizonte:
Del Rey, 2004.

Curso: DIREITO Disciplina: OPTATIVA OBRIGATÓRIA II - EDUCAÇÃO


AMBIENTAL E PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS
Semestre: 8º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Histórico da Educação Ambiental. Políticas de Educação Ambiental. Sustentabilidade


ambiental, consumo e cidadania. Vertentes contemporâneas em Educação Ambiental.
Educação Ambiental no ambiente urbano, rural e em unidades de conservação. Projetos
de Educação Ambiental: planejamento, execução e avaliação. A empresa e as práticas
ambientais sustentáveis.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Educação Ambiental: a formação do sujeito


ecológico. 4.ed. São Paulo: Cortez, 2008.

TELLES, Marcelo de Queiroz. Vivências integradas com o meio ambiente. São Paulo: Sá
Editora, 2002.

GUIMARÃES, Mauro. A dimensão ambiental na educação. 11.ed. Campinas: Papirus,


2013.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

GRÜN, Mauro. Ética e educação ambiental: A conexão necessária. Campinas: Papirus,


1996.

PAIVA, Paulo Roberto de. Contabilidade ambiental: evidenciação dos gastos ambientais
com transparência e focada na prevenção. 1.ed. São Paulo: Atlas, 2009.

TINOCO, João Eduardo Prudêncio. Balanço social e o relatório da sustentabilidade. São


Paulo: Atlas, 2010.

Curso: DIREITO Disciplina: PRÁTICA JURÍDICA SIMULADA II (CÍVEL)


Semestre: 8º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Prática jurídica civil simulada. Discussão de processos judiciais reais.


Acompanhamento da marcha processual com a resolução de problemas fictícios.
Simulação de audiências de mediação e composição. Elaboração de peças processuais
simuladas, realização de audiências e julgamentos cabíveis. Foco no processo e
procedimentos da 2º e demais instâncias civeis.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

ARAÚJO JUNIOR. Gediel. Claudino de. Prática no processo civil. 17. ed. São Paulo: Atlas,
2014.

CAMPOI, Valdir. Manual de prática forense civil. São Paulo: Lemos e Cruz Ltda., 2009.

CASELLA, José Erasmo. Manual de prática forense. 7.ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

SOUZA, Josyane Nazareth de; COLNAGOL, Rodrigo. Prática forense civil. São Paulo:
Saraiva, 2010.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

DINIZ, Maria Helena. Código Civil Anotado. São Paulo: Saraiva.

NEGRÃO, Theotônio; GOUVEIA, José Roberto F. e BONDIOLI, Luis Guilherme A. Código


de processo civil e legislação processual em vigor. São Paulo: Saraiva.

MILHOMENS, Jonatas; ALVES, Geraldo Magela. Manual de petições cíveis, criminais e


trabalhistas. Rio de Janeiro: Forense.

______. Manual prático do advogado. Rio de Janeiro: Forense.

PALAIA, Nelson. Técnica de Petição Inicial. São Paulo: Saraiva.

SANTOS, Moacyr Amaral. Primeiras linhas de direito processual civil. vol. 1. 26 ed. São
Paulo: Saraiva, 2009.

Curso: DIREITO Disciplina: PRÁTICA JURÍDICA REAL II


Semestre: 8º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Estágio junto ao NPJ. Orientação, agendamento e acompanhamento de ações judiciais


de responsabilidade do NPJ. Auxílio aos acadêmicos do 9º e 10º semestre nos
atendimentos e na montagem de peças processuais, sob a supervisão do coordenador
do NPJ. Acompanhamento de prazos processuais.

12.9 Nono semestre - eixo temático interdisciplinar

O Direito e a vocação econômica regional: relações entre a vocação econômica


regional e as normas jurídicas.

NONO SEMESTRE
CARGA HORÁRIA
DISCIPLINAS
(h/aula)
DIREITO TRIBUTÁRIO I 80
DIREITO AGRÁRIO I 40
DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO 40
TUTELA DOS DIREITOS DIFUSOS E COLETIVOS I 40
DIREITO AMBIENTAL I 40
DIREITO CIVIL IX (SUCESSÕES) 40
OPTATIVA OBRIGATÓRIA III*** 40
*** Direito Contratual Aplicado
*** GESTÃO E INTELIGÊNCIA DE NEGÓCIOS
PRÁTICA JURÍDICA SIMULADA III (PENAL) 80
PRÁTICA JURÍDICA REAL III 40
TOTAL DE HORAS-AULA 440

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO TRIBUTÁRIO I


Semestre: 9º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Direito Financeiro. Os fenômenos financeiros. Ciências das finanças e Direito


financeiro. Relações entre economia e o direito. O papel do direito na
implementação da política econômica estatal. Despesa pública. Orçamentos. Balanços
públicos. Direito Tributário: conceitos, origens e fontes. Sistema Tributário
Nacional. Os princípios constitucionais. O poder e o direito de tributar. Os
limites constitucionais do poder de tributar. Relação jurídica tributária. Norma
jurídica tributária. Vigência, aplicação e interpretação da lei tributária.
Obrigação Tributária: classificação, o fato gerador e os sujeitos da obrigação.
Crédito tributário: lançamento, modalidades, suspensão, extinção e isenção.
Administração Tributária.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

AMARO, Luciano. Direito tributário brasileiro. 16. ed. São Paulo : Saraiva, 2010.

BALEEIRO, Aliomar. Direito tributário brasileiro. 11.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2010.

MACHADO, Hugo de Brito. Curso de direito tributário. 32.ed. São Paulo : Malheiros, 2011.

SABBAG, Eduardo. Manual de direito tributário. 4.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

AVILA , Humberto. Sistema constitucional tributário. 3.ed. São Paulo: Saraiva, 2008.

BALTHAZAR, Ubaldo Cesar. Estudos de direito tributário. Florianópolis: Fundação Boiteux,


2004. Vol.1.

CASSONE, Vittorio. Direito tributário. 10.ed. São Paulo: Atlas, 1997.

LAPATZA, Jose Juan Ferreiro. Direito Tributário: teoria geral do tributo. 3.ed. São Paulo:
Manole, 2007.

TORRES, Ricardo Lobo. Curso de Direito Financeiro e Tributário. 16.ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.

XAVIER, Alberto. Direito tributário internacional do Brasil: tributação das operações


internacionais. 6.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO AGRÁRIO I


Semestre: 9º Carga Horária: 40h
EMENTA:

O regime sesmarial e a “Lei de Terras” de 1850, como referenciais históricos do


Direito Agrário no Brasil. Problemas incidentes sobre a realidade do processo
agrícola brasileiro. A institucionalização do Direito Agrário (EC n. 10/64) e o
“Estatuto da Terra”. Direito agrário: conceito, natureza jurídica, conteúdo e
fontes. Os princípios do Direito Agrário. As atividades agrárias como objeto do
Direito Agrário. O imóvel rural e sua classificação. A função social do imóvel
rural. O instituto brasileiro de terras devolutas e seus procedimentos
discriminatórios.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

BARROS, Wellington Pacheco de. Curso de Direito Agrário. 8.ed. Porto Alegre: Livraria do
Advogado, 2013. Vol I.

OPITZ, Silvia C. B. Curso Completo de Direito Agrário. 8.ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

OLIVEIRA, Umberto Machado. Princípios de direito agrário na Constituição vigente. 1.ed.


Curitiba: Juruá, 2011.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

MIRANDA, Alcir Gursen de; BARROSO, Lucas de Abreu; SOARES, Mário Lúcio Quintão.
O Direito Agrário na Constituição. 3.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2013.

MOLINA, Monica Castagna; SOUZA JR., Jose Geraldo de; TOURINHO NETO, Fernando
da Costa. Introdução Crítica ao Direito Agrário: o direito achado na rua. São Paulo:
Imprensa Oficial.

ROCHA, Olavo Acyr de Lima. Desapropriação no direito agrário. São Paulo: Atlas, 1992.

SODERO, Fernando Pereira . Direito Agrário e Reforma Agrária. 2.ed. Santa Catarina:
OAB, 2006.

STEDILE, Joao Pedro. A Questão Agrária no Brasil: programas de reforma agrária – 1946.
São Paulo: Expressão Popular, 2003. Vol. 3.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO INTERNACIONAL PÚBLICO


Semestre: 9º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Direito internacional público: noções, evolução histórica, princípios e fontes.


Ordem jurídica internacional. Comunidade Internacional. Sujeitos do Direito
Internacional. O Estado como pessoa internacional: elementos constitutivos. A
soberania do Estado e a ordem jurídica internacional. As Organizações
Internacionais. Organizações Não-Governamentais Internacionais. Organização das
Nações Unidas: origem, estatuto, natureza jurídica, composição e estruturação. A
Organização dos Estados Americanos. Espaços Comuns Internacionais: alto-mar e
fundos oceânicos. Espaço aéreo e sideral. Zonas polares. Relação entre o Direito
Interno e o Direito Internacional. Atos jurídicos internacionais. Atos
internacionais. Tratados internacionais. Atos das Organizações Internacionais.
Convenções e outros atos Internacionais ratificados pelo Brasil. Codificação:
conceito, processo, efeitos. Contencioso Internacional. Preceitos básicos sobre
solução de litígios. Solução pacífica e não pacifica de conflitos. Processos
políticos. Processos jurídicos. Medidas coercitivas. Regras de conexão e de
competência jurisdicional. Condição jurídica do estrangeiro. Homologação de
sentença estrangeira. Contratos internacionais. Cláusulas típicas. Cláusulas
hardship. Organização Mundial do Comércio (OMC). A Moeda Internacional. O Risco
nos Contratos Internacionais. O Acordo TRIP’S.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

MAZZUOLI, Valerio de Oliveira. Direito internacional público: parte geral. 7 ed. São Paulo:
Revista dos Tribunais: IELF, 2012.

REZEK, José Francisco. Direito internacional público: curso elementar. 12.ed. São Paulo:
Saraiva, 2010.

SEITENFUS, Ricardo; VENTURA, Deisy. Direito Internacional Público. 4.ed. Porto Alegre:
Livraria do Advogado, 2006.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ARANTES NETO, Adelino. Responsabilidade do Estado no Direito Internacional e na Omc.


2.ed. Curitiba: Jurua, 2007. Biblioteca de Direito Internacional.

BACELLAR FILHO, Romeu Felipe. Elementos de Direito Internacional Público. São Paulo:
Manole, 2003.

HUSEK, Carlos Roberto. Curso de direito internacional público. 9.ed. Rio de Janeiro: LTR,
2009.

OLIVEIRA, Márcio Luís. O Sistema Interamericano de Proteção dos Direitos Humanos:


interface com o direito constitucional. São Paulo: Del Rey, 2007.

VENTURA, Deisy. As assimetrias entre o mercosul e a união européia: os desafios de uma


associação inter-regional. Barueri, SP: Manole, 2003.

Curso: DIREITO Disciplina: TUTELA DOS DIREITOS DIFUSOS E COLETIVOS I


Semestre: 9º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Teoria constitucional dos direitos difusos e coletivos. Interesse público e


privado. Interesse público primário e secundário. Interesses difusos, coletivos
e individual homogêneos. A defesa judicial dos interesses transindividuais. Ação
civil pública. Improbidade administrativa.A tutela em juízo dos interesses
individuais homogêneos, difusos e coletivos. Competência. Ônus da prova.
Legitimidade ordinária e extraordinária. Legitimidade ativa e passiva.Coisa
julgada na ação coletiva. Outras ações coletivas e influências do processo civil
coletivo.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

GIDI, Antônio, A Class Action como instrumento de tutela coletiva dos direitos: as ações
coletivos em uma persperctiva comparada. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.

LEAL, Márcio Flávio Mafra. Ações coletivas: história, teoria e prática. Porto Alegre: Fabris,
1988;

MAZZILLI, Hugo Nigro. A defesa dos interesses difusos em juízo: meio ambiente,
consumidor e outros interesses difusos e coletivos. 21. ed. São Paulo: Saraiva, 2008

ZAVASCKI, Teori. Processo coletivo: tutela de direitos coletivos e tutela coletiva de direitos.
2. ed. São Paulo: RT, 2007.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ALMEIDA, João Batista de. Aspectos controvertidos da ação civil pública. São Paulo: RT,
2001;

BATISTA, Roberto Carlos. Coisa julgada nas ações civis públicas: direitos humanos e
garantismo. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2005;

BERNARDO, Wesley de Oliveira Louzada. Dano moral: critérios de fixação de valor. Rio de
Janeiro: Renovar, 2005;

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Rio de Janeiro: Campus, 1992;

GIDI, Antônio. Coisa julgada e litispendência em ações coletivas. São Paulo: Saraiva, 1995;

GRINOVER, Ada Pellegrini; MENDES, Aluisio Gonçalves de Castro; WATANABE, Kazuo


(orgs.) Direito processual coletivo e o anteprojeto de Código Brasileiro de Processos
Coletivos. São Paulo, Revista dos Tribunais, 2007.

GRINOVER, Ada Pellegrini; WATANABE, Kazuo; MULLENIX, Linda. Os processos


coletivos nos países de civil law e common law: uma análise de direito comparado. São
Paulo, Revista dos Tribuanais, 2008.

LENZA, Pedro. Teoria geral da ação civil pública. São Paulo: RT, 2003;

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO AMBIENTAL I


Semestre: 9º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Da tutela jurídica do meio ambiente: O direito ambiental na Constituição Federal


de 1988. Competências legislativas. Sustentabilidade Ambiental. Conferências
internacionais sobre Ecologia. Direito ambiental: noções, características. Direito
difuso. Instrumentos da Política Nacional do meio ambiente. Estudo de Impacto
Ambiental. Relatório de Impacto Ambiental. Responsabilidade civil em face do dano
ecológico. Urbanismo e meio ambiente. Atividade agrária e proteção ambiental:
desenvolvimento sustentado. Aspectos jurídicos da poluição. Poluição das Águas.
Poluição do Ar. Resíduos sólidos. Lei de Agrotóxicos. Superpopulação. Zona
costeira.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

ANTUNES, Paulo de Bessa. Direito Ambiental: amplamente reformulado. 12.ed. São Paulo:
Lumen-Júris, 2011.

FIORILLO, Celso A. Pacheco. Curso de direito ambiental brasileiro. 10.ed. São Paulo:
Saraiva, 2010.

MORAES, Luis Carlos Silva de. Curso de direito ambiental. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

AMADO, Frederico Algusto Di Trindade. Direito Ambiental sistematizado. São Paulo:


Método Editora, 2009.

ANTUNES, Paulo de Bessa. A tutela judicial do meio ambiente. São Paulo: Lumen Juris,
2005.

CAZETTA, Ubiratan; HENRIQUES FILHO, Tarcísio Humberto Parreiras; ROCHA, João


Carlos de Carvalho. Política nacional do meio ambiente - 25 Anos da Lei N. 6.938/1981.
São Paulo: Del Rey, 2007.

JUNGSTEDT, Luiz O. Castro . Direito ambiental: legislação. 2.ed. São Paulo: Thex, 2002.

KRIEGER, Maria da Graca. Dicionário de direito ambiental: com cd-rom UFRGS, 2000.

MACHADO, Paulo Affonso Leme. Direito ambiental brasileiro. 17.ed., São Paulo: Revista
dos Tribunais, 2009.

OLIVEIRA, Antonio Inage Assis. Introdução à legislação ambiental brasileira e


licenciamento ambiental. São Paulo: Lumen, 2007.

SILVA, Danny Monteiro da. Dano ambiental e sua reparação. Curitiba: Juruá, 2005.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO CIVIL IX (SUCESSÕES)


Semestre: 9º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Direito das Sucessões: conceito, fundamentos e evolução histórica. Sucessão em


geral. Abertura da sucessão legítima e testamentária. Transmissão, aceitação e
renúncia da herança. Herança jacente. Exclusão da sucessão. Sucessão legítima.
Ordem de vocação hereditária. Direito de representação. Sucessão testamentária
ativa e passiva. Herdeiros necessários. Formas ordinárias e especiais de
testamento. Disposições testamentárias e sua redução. Legados. Direito de acrescer
entre os herdeiros e legatários. Substituição e fideicomisso. Deserdação.
Testamenteiro. Partilha e inventário. Arrolamento.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro. Vol. 6 – Direito das Sucessões. 27.ed.
São Paulo: Saraiva, 2013.

GOMES, Orlando. Sucessões. 15.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2012.

RODRIGUES, Silvio. Direito Civil. Vol. 7 – Direito das Sucessões. 25.ed. São Paulo:
Saraiva, 2002.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

NADER, Paulo. Direito Civil. Vol. 6 – Direito de Família. 5.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2006.

PEREIRA, Caio Mário da Silva. Instituições de Direito Civil. Vol. 6. 19.ed. Rio de Janeiro:
Forense, 2012.

RIZZARDO, Arnaldo. Direito das Sucessões. 7.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2013.

WALD, Arnoldo. Direito Civil: Direito das Sucessões. 15.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

Curso: DIREITO Disciplina: OPTATIVA OBRIGATÓRIA III - DIREITO CONTRATUAL


APLICADO
Semestre: 9º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Conceito, principais características e particulares de cada espécie de contatos.


Contrato tácito. Como redigir um contrato. Cláusulas que devem obrigatóriamente
constar nos contratos. Cláusulas que garantem segurança nos negócios jurídicos.
Contratos de Adesão e vínculação das partes. Contrato de prestação de serviço:
características; como discriminar o serviço a ser realizado. Exigência de
cumprimento. Contrato de condomínio: características e particularidades. Contratos
de fornecimento regular de produtos e serviços. Contratos de franquia. O Contrato
societário. Segurança jurídica, contratos e as transações via internet. Distrato
amigável. Execução judicial de contratos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

DINIZ, Maria Helena. Curso de Direito Civil Brasileiro. 23ª edição. São Paulo: Saraiva, 2007,
volume 3.

GOMES, Orlando. Contratos. 26.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2007.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito Civil Brasileiro: Contratos e atos unilaterais. 11ª
edição. São Paulo: Saraiva, 2014, volume III.
PEREIRA, Caio Mário da Silva. Instituição de Direito Civil. 14ª edição. Rio de Janeiro:
Forense , 2010, volume III.

VENOSA, Sílvio de Salvo. Direito Civil. 11ª edição. São Paulo: Editora Atlas, 2011, volumes
II e III.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

CARNACCHIONI, Daniel Eduardo. Curso de Direito Civil: Teoria Geral das Obrigações e
dos Contratos – Institutos Fundamentais. São Paulo: Thomson Reuters Revistas dos
Tribunais, 2014.

GAGLIANO, Pablo e PAMPLONA, Rodolfo. Novo Curso de Direito Civil . Contratos: Teoria
Geral. 9ª edição. São Paulo, 2013, volume IV , tomo 1.

HIRONAKA, Giselda (Orientação). MORRIS, A. e BARROSO L. (coordenação). Direito dos


Contratos. Direito Civil. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2008, volume 3.

LÔBO, Paulo. Contratos. São Paulo: Saraiva, 2012.

LOUREIRO, Luiz Guilherme. Contratos. Teoria Geral e Contratos em Espécie. 3ª edição.


São Paulo: Editora Método, 2008.

MIRANDA, Pontes de. Tratado de Direito Privado. Atualizado por Vilson Rodrigues Alves .
Campinas – São Paulo: Bookseller , a partir do volume 37.

MONTEIRO, Washington de Barros. Curso de Direito Civil: Direito das Obrigações—2ª


parte. 35ªedição. São Paulo: Saraiva, 2007, volume 5.

NADER, Paulo. Curso de Direito Civil. Contratos. 3ª edição. Rio de Janeiro: Forense, 2008,
volume 3

RODRIGUES, Sílvio. Direito Civil. 30ªedição. São Paulo: Saraiva, 2007, volume 3.

Curso: DIREITO Disciplina: OPTATIVA OBRIGATÓRIA III – GESTÃO E INTELIGÊNCIA DE


NEGÓCIOS
Semestre: 9º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Sistema de inteligência, sinais de mercado e antecipação ou reversão de tendências


que ameaçam a competitividade do empreendimento. O processo de tomada de decisão
nas organizações. Visão estratégica comercial e empreendedora de futuro.
Planejamento inteligente. Estrutura de inteligência compartilhada, criando uma
“cultura de transparência” nas organizações. Informatização de processos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
SMITH, Douglas K. Fazendo a mudança acontecer: 10 princípios para motivar e deslanchar
o desempenho das empresas. Tradução Luiz Euclydes Trindade Frazão Filho. Rio de
Janeiro: Campus, 1997.

Projetos empresariais e públicos. 3.ed. São Paulo: Atlas, 2008. (vários autores)

HAMEL, Gary. Liderando a revolução. Tradução de Afonso Celso da Cunha Serra. Rio de
Janeiro: Campus, 2000.

KAPLAN, Robert S. A estratégia em ação: balanced socorecard. Tradução Luiz Euclydes


Trindade. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997.

DEMO, Gisela. Políticas de gestão de pessoas nas organizações: papel dos valores
pessoais e da justiça organizacional. 3.ed. São Paulo: Atlas, 2010.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

TURBAN, Efraim; MCLEAN, Ephraim; WETHERBE, James. Tecnologia da informação para


gestão: transformando os negócios na economia digital. 3. ed. Porto Alegre: Bookman,
2004

DAVENPORT, Thomas H. Ecologia da informação – porque só a tecnologia não basta para


o sucesso na era da informação. São Paulo, Futura, 2002.

O´BRIEN, James A. Sistemas de informação e as decisões gerenciais na era da Internet.


São Paulo: Saraiva, 2006.

SORDI, José Osvaldo de. Tecnologia da Informação Aplicada aos Negócios. São Paulo:
Atlas, 2003.

STAIR, Ralph M. Princípios de sistemas de informação – Uma Abordagem Gerencial. Rio


de Janeiro: LTC, 2002.

TURBAN, Efraim; KING, David. Comércio eletrônico: estratégia e gestão. São Paulo:
Prentice Hall, 2004.

Curso: DIREITO Disciplina: PRÁTICA JURÍDICA SIMULADA III (PENAL)


Semestre: 9º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Elaboração de Inquérito Policial: Portaria, auto de prisão em flagrante, termos


de inquirição de testemunhas, declarações da vítima e do indiciado, Relatório e
Remessa, além de outras peças. Devolução, diligências e arquivamento. Elaboração
de Termo Circunstanciado de Ocorrência- TCO; Termo de apresentação do autor do
fato e ofendida; Termos da Audiência Preliminar, denúncia e audiência de instrução
e julgamento; Prisões Processuais: petição, parecer e decisão; mandado de
prisão/alvará de soltura. Contra-cautelas de natureza pessoal e real. Elaboração
de processo de ação penal publica, condicionada e privada. Denúncia e Queixa. Da
assistência de acusação. Procedimento Ordinário. Procedimento Sumário.
Procedimento Sumaríssimo. Procedimento do Júri - elaboração de peças (juízo de
acusação e juízo da causa); sessão de julgamento. Procedimentos Incidentes:
exceções, incidentes de falsidade e de insanidade mental do acusado. Elaboração
de Recursos aos Tribunais de Justiça: Petição, razões, contrarazões e julgamento.
Recurso Ordinário ao STJ e STF. Elaboração de Recursos Especial e Extraordinário:
petição, razões, contra-razões e julgamento. Hábeas Corpus e Mandado de Segurança
em matéria penal. Elaboração de peças da Execução Penal: Guia de Recolhimento,
Livramento Condicional, Remissão, Progressão/regressão de Regime, outras.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

CAMPOI, Valdir. Manual de prática forense civil. São Paulo: Lemos e Cruz Ltda., 2009.

CASELLA, José Erasmo. Manual de prática forense. 7.ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

SOUZA, Josyane Nazareth de; COLNAGOL, Rodrigo. Prática forense civil. São Paulo:
Saraiva, 2010.

TOURINHO FILHO, Fernando da Costa. Processo Penal. v. 3 e 4. 34. ed. São Paulo:
Saraiva, 2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

MILHOMENS, Jonatas; ALVES, Geraldo Magela. Manual de petições cíveis, criminais e


trabalhistas. Rio de Janeiro: Forense.

______. Manual prático do advogado. Rio de Janeiro: Forense.

PALAIA, Nelson. Técnica de Petição Inicial. São Paulo: Saraiva.

Curso: DIREITO Disciplina: PRÁTICA JURÍDICA REAL III


Semestre: 9º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Estágio junto ao NPJ. Orientação, agendamento e acompanhamento de ações judiciais de


responsabilidade do NPJ. Realização de atendimentos, montagem de peças processuais e
acompanhamento de prazos processuais, sob a supervisão e colaboração do coordenador do NPJ.

12.10 Décimo semestre - eixo temático interdisciplinar

O Direito, vocação econômica regional e a preparação para a vida profissional:


relações entre a vocação econômica regional, normas jurídicas e a atuação do
profissional de Direito no atendimento das necessidades regionais.
DÉCIMO SEMESTRE
CARGA HORÁRIA
DISCIPLINAS
(h/aula)
DIREITO TRIBUTÁRIO II 80
DIREITO AGRÁRIO II 40
DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO 40
TUTELA DOS DIREITOS DIFUSOS E COLETIVOS II 40
DIREITO AMBIENTAL II 40
DIREITO CIVIL X (RESPONSABILIDADE CIVIL) 40
OPTATIVA OBRIGATÓRIA IV**** 40
**** Direito Ambiental e Agrário Aplicado
**** tributação de empresas multinacionais
PRÁTICA JUR. SIM. IV (TRABALHISTA E OUTROS) 80
PRÁTICA JURÍDICA REAL IV 40
TOTAL DE HORAS-AULA 440

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO TRIBUTÁRIO II


Semestre: 10º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Direito Tributário. Sistema Constitucional Tributário. Tributo. Espécies


Tributárias. Legislação Tributária. Impostos da União. Impostos dos Estados-
membros. Impostos do Distrito Federal. Impostos dos Municípios. O processo
tributário administrativo. O processo tributário judicial. Denúncia. Dependência
da esfera administrativa em relação à esfera judicial. Petição inicial. Citação.
Embargos do devedor. Execução fiscal.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

AMARO, Luciano. Direito tributário brasileiro. 16. ed. São Paulo : Saraiva, 2010.

BALEEIRO, Aliomar. Direito tributário brasileiro. 11.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2010.

MACHADO, Hugo de Brito. Curso de direito tributário. 32.ed. São Paulo : Malheiros, 2011.

SABBAG, Eduardo. Manual de direito tributário. 4.ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

AVILA , Humberto. Sistema constitucional tributário. 3.ed. São Paulo: Saraiva, 2008.
BALTHAZAR, Ubaldo Cesar. Estudos de direito tributário. Florianópolis: Fundação Boiteux,
2004. Vol.1.

CASSONE, Vittorio. Direito tributário. 10.ed. São Paulo: Atlas, 1997.

LAPATZA, Jose Juan Ferreiro. Direito Tributário: teoria geral do tributo. 3.ed. São Paulo:
Manole, 2007.

TORRES, Ricardo Lobo. Curso de Direito Financeiro e Tributário. 16.ed. São Paulo:
Saraiva, 2009.

XAVIER, Alberto. Direito tributário internacional do Brasil: tributação das operações


internacionais. 6.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO AGRÁRIO II


Semestre: 10º Carga Horária: 40h
EMENTA:

A legitimação e a regularização de posses. O usucapião agrário. A reforma agrária.


A desapropriação agrária. Colonização. Política Agrícola. Zoneamento rural,
latifúndio e minifúndio. Desmembramento e loteamentos. Os contratos agrários. Do
arrendamento e da parceria. Do seguro rural. Prelação e extinção dos contratos
agrários. O crédito rural. Crédito rural dos títulos de crédito. Programas de
financiamento rural. Cooperativismo e associativismo rural. Cadastro e Tributação
do imóvel rural.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

BARROS, Wellington Pacheco de. Curso de Direito Agrário. 8.ed. Porto Alegre: Livraria do
Advogado, 2013. Vol I.

OPITZ, Silvia C. B. Curso Completo de Direito Agrário. 8.ed. São Paulo: Saraiva, 2014.

OLIVEIRA, Umberto Machado. Princípios de direito agrário na Constituição vigente. 1.ed.


Curitiba: Juruá, 2011.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

FAGUNDES, Jorge. Fundamentos Econômicos das Políticas de Defesa da Concorrência.


São Paulo: Singular, 2004.

MARQUES, Benedito Ferreira. Direito agrário brasileiro. 8.ed. São Paulo: Atlas, 2009.

MIRANDA, Alcir Gursen de; BARROSO, Lucas de Abreu; SOARES, Mário Lúcio Quintão.
O Direito Agrário na Constituição. 3.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2013.
MOLINA, Monica Castagna; SOUZA JR., Jose Geraldo de; TOURINHO NETO, Fernando
da Costa. Introdução Crítica ao Direito Agrário: o direito achado na rua. São Paulo:
Imprensa Oficial.

ROCHA, Olavo Acyr de Lima. Desapropriação no direito agrário. São Paulo: Atlas, 1992.

SODERO, Fernando Pereira . Direito Agrário e Reforma Agrária. 2.ed. Santa Catarina:
OAB, 2006.

STEDILE, João Pedro. A Questão Agrária no Brasil: programas de reforma agrária – 1946.
São Paulo: Expressão Popular, 2003. Vol. 3.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO INTERNACIONAL PRIVADO


Semestre: 10º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Direito Internacional Privado: noções, distinções, fundamento, natureza, origens


históricas. Diversidade e conflito de ordens jurídicas positivas. Nacionalismo e
Internacionalismo. Direito Uniforme. Direito Comparado. Normas de Direito
Internacional Privado: estrutura, função e natureza. Objeto do Direito
Internacional Privado: a nacionalidade. Condição jurídica do estrangeiro e
conflito de leis. O problema técnico conflitual: elementos de conexão.
Nacionalidade e domicilio. Qualificação, renúncia e devolução. Exceções à
aplicação do direito estrangeiro. Direito adquirido. Aspectos analítico-críticos
dos principais institutos jurídicos, pela ótica do Direito Internacional Privado:
pessoas físicas; casamento e divórcio; filiação e assistência; sucessão legítima
e sucessão testamentária. as relações financeiras internacionais. O Direito
Internacional e o Direito Internacional Econômico; as relações comerciais
internacionais. Sociedade Econômica Internacional. As regras e fundamentos que
regulam a Organização mundial do Comércio. Os Blocos Econômicos Internacionais.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

MAZZUOLI, Valerio de Oliveira. Direito internacional público: parte geral. 7 ed. São Paulo:
Revista dos Tribunais: IELF, 2012.

REZEK, José Francisco. Direito internacional público: curso elementar. 12.ed. São Paulo:
Saraiva, 2010.

SEITENFUS, Ricardo; VENTURA, Deisy. Direito Internacional Público. 4.ed. Porto Alegre:
Livraria do Advogado, 2006.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ARANTES NETO, Adelino. Responsabilidade do Estado no Direito Internacional e na Omc.


2.ed. Curitiba: Jurua, 2007. Biblioteca de Direito Internacional.

BACELLAR FILHO, Romeu Felipe. Elementos de Direito Internacional Público. São Paulo:
Manole, 2003.
HUSEK, Carlos Roberto. Curso de direito internacional público. 9.ed. Rio de Janeiro: LTR,
2009.

OLIVEIRA, Márcio Luís. O Sistema Interamericano de Proteção dos Direitos Humanos:


interface com o direito constitucional. São Paulo: Del Rey, 2007.

VENTURA, Deisy. As assimetrias entre o mercosul e a união européia: os desafios de uma


associação inter-regional. Barueri, SP: Manole, 2003.

Curso: DIREITO Disciplina: TUTELA DOS DIREITOS DIFUSOS E COLETIVOS II


Semestre: 10º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Defesa das pessoas idosas. Proteção da Criança e do Adolescente. Proteção ao meio


ambiente. Proteção aos patrimônios cultural, público e social. Defesa das pessoas
portadoras de deficiência. Defesa da ordem urbanística. Fundo para reconstituição
do bem lesado: fundos federais, fundos estaduais, receitas do fundo, finalidades
do fundo, reparação das lesões individuais.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

GIDI, Antônio, A Class Action como instrumento de tutela coletiva dos direitos: as ações
coletivos em uma persperctiva comparada. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2007.

LEAL, Márcio Flávio Mafra. Ações coletivas: história, teoria e prática. Porto Alegre: Fabris,
1988;

MAZZILLI, Hugo Nigro. A defesa dos interesses difusos em juízo: meio ambiente,
consumidor e outros interesses difusos e coletivos. 21. ed. São Paulo: Saraiva, 2008

MELO, Nehemias Domingo de. Da defesa do consumidor em Juízo. São Paulo: Atlas,
2010, 232 p.

ZAVASCKI, Teori. Processo coletivo: tutela de direitos coletivos e tutela coletiva de direitos.
2. ed. São Paulo: RT, 2007.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ALMEIDA, João Batista de. Aspectos controvertidos da ação civil pública. São Paulo: RT,
2001;

ALVARENGA, P. Proteção jurídica do meio ambiente. São Paulo: Lemos & Cruz, 2005

BATISTA, Roberto Carlos. Coisa julgada nas ações civis públicas: direitos humanos e
garantismo. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2005;

BERNARDO, Wesley de Oliveira Louzada. Dano moral: critérios de fixação de valor. Rio de
Janeiro: Renovar, 2005;
FINK, Daniel Roberto et alii. Código Brasileiro de Defesa do Consumidor: comentado
pelos autores do anteprojeto. 9. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007;

GIDI, Antônio. Coisa julgada e litispendência em ações coletivas. São Paulo: Saraiva, 1995;

GRINOVER, Ada Pellegrini; MENDES, Aluisio Gonçalves de Castro; WATANABE, Kazuo


(orgs.) Direito processual coletivo e o anteprojeto de Código Brasileiro de Processos
Coletivos. São Paulo, Revista dos Tribunais, 2007.

GRINOVER, Ada Pellegrini; WATANABE, Kazuo; MULLENIX, Linda. Os processos


coletivos nos países de civil law e common law: uma análise de direito comparado. São
Paulo, Revista dos Tribuanais, 2008.

LENZA, Pedro. Teoria geral da ação civil pública. São Paulo: RT, 2003;

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO AMBIENTAL II


Semestre: 10º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Áreas de preservação permanente: florestas e fauna. Tombamentos do patrimônio


natural e cultural. Poder de policia ambiental; licenciamento ambiental,
zoneamento ambiental; padrões ambientais; proteção do patrimônio natural; reservas
e parques. Logística reversa. Proteção ao meio ambiente artificial. Direito
Ambiental Penal e Direito Ambiental Internacional.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

ANTUNES, Paulo de Bessa. Direito Ambiental: amplamente reformulado. 12.ed. São Paulo:
Lumen-Júris, 2011.

FIORILLO, Celso A. Pacheco. Curso de direito ambiental brasileiro. 10.ed. São Paulo:
Saraiva, 2010.

MORAES, Luis Carlos Silva de. Curso de direito ambiental. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2012.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

AMADO, Frederico Algusto Di Trindade. Direito Ambiental sistematizado. São Paulo:


Método Editora, 2009.

ANTUNES, Paulo de Bessa. A tutela judicial do meio ambiente. São Paulo: Lumen Juris,
2005.

CAZETTA, Ubiratan; HENRIQUES FILHO, Tarcísio Humberto Parreiras; ROCHA, João


Carlos de Carvalho. Política nacional do meio ambiente - 25 Anos da Lei N. 6.938/1981.
São Paulo: Del Rey, 2007.
JUNGSTEDT, Luiz O. Castro . Direito ambiental: legislação. 2.ed. São Paulo: Thex, 2002.

KRIEGER, Maria da Graca. Dicionário de direito ambiental: com cd-rom UFRGS, 2000.

MACHADO, Paulo Affonso Leme. Direito ambiental brasileiro. 17.ed., São Paulo: Revista
dos Tribunais, 2009.

OLIVEIRA, Antonio Inage Assis. Introdução à legislação ambiental brasileira e


licenciamento ambiental. São Paulo: Lumen, 2007.

SILVA, Danny Monteiro da. Dano ambiental e sua reparação. Curitiba: Juruá, 2005.

Curso: DIREITO Disciplina: DIREITO CIVIL X (RESPONSABILIDADE CIVIL)


Semestre: 10º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Teoria Geral da Responsabilidade Civil: Noções gerais, abrangência, conceito e


evolução histórica. Pressupostos: Dano, culpa e nexo-causal. Responsabilidade
contratual e extracontratual. Responsabilidade por fato de outrem e pelo fato das
coisas. Responsabilidade civil objetiva. Responsabilidade extracontratual
objetiva. Responsabilidade extracontratual subjetiva. Excludentes de
responsabilidade civil. Responsabilidade do transportador. Responsabilidade do
segurador. Dano patrimonial e dano moral. Responsabilidade Contratual. Estrutura
e funções da responsabilidade civil. Responsabilidade extracontratual subjetiva.
Dano patrimonial e dano moral. Responsabilidade extracontratual objetiva.
Excludentes de responsabilidade civil. Responsabilidade Contratual.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

DINIZ, Maria Helena. Curso de direito civil brasileiro: responsabilidade civil. 18.ed. São
Paulo: Saraiva, 2012. v. 7.

GAGLIANO, Pablo Stolze. Novo curso de direito civil. 10.ed. São Paulo: Saraiva, 2012, v.
3.

VENOSA, Silvio de Salvo. Direito civil. São Paulo: Atlas, 2012. v. 4.

GONÇALVES, Carlos Roberto. Direito civil brasileiro. 7.ed. São Paulo: Saraiva, 2012. v. 4.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

DINIZ, Maria Helena. Código Civil Anotado. São Paulo: Saraiva.

BITTAR, Carlos Alberto. Responsabilidade civil: teoria e prática. 5 ed. São Paulo: Forense
universitária.

PEREIRA, Caio Mário da Silva. Instituições de direito civil. Rio de Janeiro: Forense, 2002.
RODRIGUES, Silvio. Direito Civil 4. 20 ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

STOCO, Rui. Responsabilidade Civil e sua Interpretação Jurisprudencial. São Paulo: RT,
1997.

Curso: DIREITO Disciplina: OPTATIVA OBRIGATÓRIA IV – DIREITO AMBIENTAL E


AGRÁRIO APLICADO
Semestre: 10º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Direito Ambiental e Direito Agrágio: noções gerais. Simulação de processo de


licenciamento ambiental. Construção de Estudo de Impacto Ambiental e de Relatório
de Impacto Ambiental. Plano de recuperaçao ambiental. Normas ambientais aplicadas
à empresa e ao produtor rural. Averbação de reserva e área de preservação
permanente. Responsabilidade objetiva rural. Contratos de arrendamento e parceria.
O seguro e financiamentos rurais. Títulos de crédito rural.Transformação da
fazenda em empresa rural.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

BARROS, Wellington Pacheco. Curso de Direito Agrário. Porto Alegre: Livraria do


Advogado, 2000.

COELHO, José Fernando Lutz. Contratos Agrários de Arrendamento & Parceria Rural no
Mercosul. Porto Alegre: Juruá, 2002.

COELHO, José Fernando Lutz. Contratos Agrários: uma visão neo-agrarista. Porto Alegre:
Juruá, 2006.

FIRJAN. Manual de Licenciamento ambiental : guia de procedimento passo a passo. Rio


de Janeiro: GMA, 2004. Disponível em:
http://www.mma.gov.br/estruturas/sqa_pnla/_arquivos/cart_sebrae.pdf. Acesso em 19 de
outubro de 2015.

MOURA, Mauro Gomes. Manual técnico do licenciamento ambiental com EIA-RIMA. Porto
Alegre: FEPAM, 2006.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

ANDRADE, Rui Otávio Bernardes de, TACHIZAWA, Takeshi e CARVALHO, Ana Barreiros,
de Gestão Ambiental: “Enfoque Estratégico aplicado ao Desenvolvimento Sustentável”.
Makron Books, São Paulo – SP, 2000.

AVILES, Ana Cristina. Generación Hidroeléctrica en el Ecuador: Posibles Beneficios en los


Mercados de Carbono.Disponível
em : http://contenido.bce.fin.ec/documentos/PublicacionesNotas/Catalogo/Cuestiones/XX
IV-II-05Aviles.pdf
BORGES, Paulo Torminn. Institutos Básicos de Direito Agrário. 7ªed., São Paulo: Saraiva,
1992.

CUNHA, S. B.; GUERRA, A. J. T. Avaliação e Perícia Ambiental. Visão qualitativa sobre


impactos, perícia e subsídios para avaliação econômica. São Paulo: Bertrand Brasil, 2002.

FALCÃO, Ismael Marinho. Direito agrário brasileiro: doutrina, legislação e prática. Bauru:
Edipro, 1995.

FERREIRA, Pinto. Curso de direito agrário. São Paulo: Saraiva, 1994.

IBAMA. Guia de Procedimentos do Licenciamento Ambiental Federal. 2002. Disponível em:


http://www.mma.gov.br/estruturas/sqa_pnla/_arquivos/Procedimentos.pdf. Acesso em 20
de outubro de 2015.

PHILIPPI, Jr.A.; ROMERIO, M.A.; BRUNA, G.C. Curso de Gestão Ambiental. São Paulo:
Manole, 2004.

Curso: DIREITO Disciplina: OPTATIVA OBRIGATÓRIA IV – TRIBUTAÇÃO DE EMPRESAS


MULTINACIONAIS
Semestre: 10º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Planejamento Tributário Internacional; formas de tributação internacional por parte de empresas


multinacionais; iniciativa multilateral “BEPS” (Base Erosion and Profit Shifting). Tributação
internacional para empresas multinacionais do Brasil e no Brasil. Ênfase nos casos práticos de
planejamento tributário internacional

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

XAVIER, Alberto. Direito Tributário Internacional do Brasil. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense,
2011.

SCHOUERI, Luís Eduardo. Preços de Transferência no Direito Tributário Brasileiro. 2. ed.


São Paulo: Dialética, 2013.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

Sergio Andre Rocha, Tributacao de Lucros Auferidos no Exterior (lei No 12.973/14):


Dialetica 2015.

Curso: DIREITO Disciplina: PRÁTICA JURÍDICA SIMULADA IV (TRABALHISTA E OUTROS)


Semestre: 10º Carga Horária: 80h
EMENTA:

Prática jurídica trabalhista simulada. Procedimentos de 1ª e 2ª instância.


Discussão de processos judiciais reais. Acompanhamento da marcha processual com
a resolução de problemas fictícios. Simulação de audiências de mediação e
composição. Elaboração de peças processuais simuladas, realização de audiências
e julgamentos cabíveis. Prática jurídica administrativa. Prática jurídica
tributária.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

BEZERRA LEITE, Carlos Henrique. Curso de Direito Processual do Trabalho. 5 ed. São
Paulo: LTR, 2007.

CHAVES, Luciano Athayde (org). Curso de Processo do Trabalho. São Paulo: LTr, 2009.

MARTINS, Sergio Pinto. Direito do Trabalho. 31 ed. São Paulo: Atlas, 2015.

MARTINS, Sergio Pinto. Direito Processual do Trabalho. 36 ed. São Paulo: Atlas, 2015

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

GRAVATÁ, Isabelli [et al.]. CLT Organizada. 6 ed. São Paulo : LTr, 2015.

CAVALCANTE, Jouberto de Quadros Pessoa; Neto, Francisco Ferreira Jorge. Prática


Jurídica Trabalhista. 6 ed. São Paulo : Atlas, 2015.

ALMEIDA, Amador Paes. Curso Prático de Processo do Trabalho. 23 ed. São Paulo:
Saraiva, 2014.

DELGADO, Mauricio Godinho. Curso de Direito do Trabalho. 13 ed. São Paulo : LTr, 2013.

LEITE, Carlos Henrique Bezerra. Curso de Direito Processual do trabalho. São Paulo: LTr,
2011.

Curso: DIREITO Disciplina: PRÁTICA JURÍDICA REAL IV


Semestre: 10º Carga Horária: 40h
EMENTA:

Estágio junto ao NPJ. Orientação, agendamento e acompanhamento de ações judiciais


de responsabilidade do NPJ. Realização de atendimentos, montagem de peças
processuais e acompanhamento de prazos processuais, sob a supervisão do
coordenador do NPJ.

13 CORPO DOCENTE