Você está na página 1de 2

Jesus, a paz!

Texto: João 14.27


Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbem os
seus corações, nem tenham medo.

Introdução
- Se tem alguma coisa que todo mundo gosta é de paz. Todos os dias nós falamos pra alguém
que queremos paz.
- E não está errado. É óbvio que com paz, conseguimos fazer as com muito mais tranquilidade.
Experimenta estudar pra prova, por exemplo, com a casa cheia de parentes e aquela bagunça,
gritaria e tal.
- Quantos têm ficado doentes no trabalho porque tem um chefe que não dá paz. Hoje tem até o
assédio moral que é quando o superior trata com xingamentos e grosseria, não dando paz aos
seus subordinados.
- A paz que tanto procuramos está mais perto do que imaginamos. A paz que precisamos está ao
nosso alcance: Jesus.
- Jesus durante o seu ministério exalava paz. Desde a sua forma de ensinar, até suas atitudes.
Ele é a própria paz.
- No original, paz tem a ver com harmonia, concórdia, segurança, prosperidade, felicidade.

1 – Ele é a paz para a sua família. (João 2 / João 11)


- No seu primeiro milagre, em uma festa, sua ação milagrosa traz paz àquela família que se vê
em apuros por estar faltando vinho. O judeu sempre deu valor a algumas coisas bastante
duvidosas, nem por isso Jesus se omitiu. No momento certo, fez o milagre e toda aquela festa
ficou em paz.
- Maria, sua mãe, lhe pede que pudesse agir em favor daquela nova família. Jesus diz a ela que
não era a hora. A paz de Cristo aparece na hora certa. E por isso você precisa entender e fazer o
que ele te disser, assim como sua mãe.
- Na história da ressurreição de Lázaro, a mesma angústia: a necessidade que temos de dizer pra
Cristo que horas ele deve agir. Ele age na hora e da maneira dele. Quando eu entendo e vivo
isso, significa que eu recebo sua paz.
- Jesus poderia vir mais cedo. É a frase que as irmãs de Lázaro falaram e que falamos todos os
dias. Jesus está demorando demais pra resolver meu problema. Lembre-se do texto base: “Não a
dou como o mundo a dá.”

2 – Ele é a paz nas tempestades da vida. (Lc 8.22-25)


22 Certo dia Jesus disse aos seus discípulos: "Vamos para o outro lado do lago". Eles
entraram num barco e partiram. 23 Enquanto navegavam, ele adormeceu. Abateu-se sobre
o lago um forte vendaval, de modo que o barco estava sendo inundado, e eles corriam
grande perigo. 24 Os discípulos foram acordá-lo, clamando: "Mestre, Mestre, vamos
morrer! " Ele se levantou e repreendeu o vento e a violência das águas; tudo se acalmou e
ficou tranquilo. 25 "Onde está a sua fé? ", perguntou ele aos seus discípulos.
Amedrontados e admirados, eles perguntaram uns aos outros: "Quem é este que até aos
ventos e às águas dá ordens, e eles lhe obedecem? "

- O desejo de Jesus era ir para o outro lado do lago. Lado esse que era o de Gadara. Ele tinha
uma obra a fazer na vida de um indivíduo que vivia possesso. E enquanto viajavam pelo lago,
veio uma tempestade daquelas.
- Pense que todo o terror vivido pelos discípulos não tinha razão de ser, já que tinha pescadores
no barco, experientes. Mas o medo tomou conta de todos. A ponto de questionarem a Cristo se
ele não se importava com suas mortes.
- Isso é muito comum. Há situações que por mais que se tenham pessoas experientes, vem o
medo, vem o pavor e parece que Jesus quer a nossa destruição. Mas Ele está ali, perto de nós. É
só exercermos a nossa fé nele.
- O medo dos discípulos era a falta de fé. E Jesus detectou isso. Para as tempestades da sua
vida, creia em Jesus. Ele é a sua paz.

3 – Ele é a paz quando não há mais tempo. (Lc 23.34-38 / 42-43)

- Ali ele estava. Machucado pelas agressões, vítima de todas as chacotas possíveis e
inimagináveis.
- Ele estava na cruz, a ponto de morrer. Era a missão do pai, mas ali também estavam dois
homens que merecidamente pagavam por seus crimes.
- E numa afronta a Jesus, ele questiona e pede para que Jesus o salvasse, se assim Ele tivesse
poder. O outro percebendo que a presença de Jesus era paz pede que seja salvo.
- Na hora da morte, do fim de tudo, Ele é a paz. Para aquele ladrão que viveu todos os dias da
sua vida longe de Deus, mas na última hora reconheceu a paz que havia em Cristo e quis viver
isso eternamente com Ele.
- Andamos desesperados, atônitos. As pessoas estão partindo repentinamente. Quem poderá nos
dá a paz? Somente Cristo pode dar a paz que desejamos.

Conclusão
- A paz de Cristo não traz perturbação e nem medo. Ela esclarece e nos leva mais perto dele.
- Exatamente como está no texto base: Temos pais porque fomos justificados por ele, mediante a
fé e aguardamos a sua volta.