Você está na página 1de 7

No formato MARC21 para dados bibliográficos, a diferença entre os

campos 504 – nota de bibliografia e 510 – nota de


citação/referência é que no campo 504 é indicada a ocorrência de:
bibliografia no item descrito, enquanto o 510 é usado para
especificar onde o item descrito foi citado. (FGV 2015)

- A utilização do formato MARC evita a duplicação de trabalho e


possibilita que as bibliotecas compartilhem registros bibliográficos.
Acerca desse formato, a opção correta é: lugar de publicação, editor
e data de publicação são exemplos de subcampos do campo
imprenta. (CESPE 2007)

- No formato MARC 21, “exibição constante” define: o termo,


frase e/ou espaçamento e pontuação convencionados que podem
ser gerados pelo sistema sob certas circunstâncias de modo a
fornecer uma apresentação visual do dado, tornando-o mais
significativo para o usuário. (FUNRIO 2009)

- O formato bibliográfico MARC, padroniza a representação


descritiva automatizada dos acervos bibliográficos, e tem sido
considerado um padrão a nível internacional. (AOCP 2011)

- A estrutura do registro é uma implementação da American


National standard para o Intercâmbio de Informação Bibliográfica.
(AOCP 2011)

- Usado para música impressa, música manuscrita, registros


sonoros musicais e não musicais. Um registro bibliográfico para
música (impressa, manuscrita, ou uma microforma), ou para
registros sonoros musicais e não-musicais. (AOCP 2011)
- O formato MARC para dados Bibliográficos inclui Guia para
Indicação de Conteúdo, define os códigos e convenções (Campos,
indicadores, subcampos e valores codificados) que identificam os
dados no registro bibliográfico MARC. (AOCP 2011)

- O formato MARC21 prevê um campo para inclusão de


informações sobre condições de impedimento ou critérios,
diferenciados de empréstimo local, domiciliar ou entre bibliotecas,
impostos à obra descrita. Este campo é identificado como: 506 –
nota de acesso restrito. (CONSULPLAN 2012)

- Para descrever o orientador de uma tese de música no


formato MARC (Machine Readable Cataloging Record) o campo a
ser utilizado é o: 500 (UEPA 2012)
Sobre a ficha catalográfica abaixo: Kruger, Linda.
Iniciando cordas através do folclore : violino, viola, violoncelo,
contrabaixo / Linda
Kruger. –– Belém : Fundação Carlos Gomes, 1991. 2 v. : il. ; 30 cm

ISBN 8524700475

1. Música. I.Título
Com base na ficha catalógráfica, os dados que representam o
campo 260 no formato MARC são: Belém : Fundação Carlos
Gomes, 1991. (UEPA 2012)

- A entrada de dados no formato MARC campo 250 é: A edição


(MARINHA 2012)
- As bibliotecas que utilizam o formato MARC devem reformatar
seus registros em conformidade com o UNIMARC, para intercâmbio
internacional. (CESPE 2013)

- O formato MARC pode incluir até sessenta e um elementos de


dados. Entre esses dados, vinte e cinco são campos recuperáveis
durante as buscas. (CESPE 2013)

- Campos MARC e materiais de acervo bibliográfico:


I. 254 -> música para piano \h [música] : \b em dois volumes
/J.S.Bach. –miniature score
II. 255 -> atlas geográfico; globo
III. 256 -> computer programs (2 files : 4300, 1250 bytes);
computer programs (1250 registros, 5076 bytes) (AOCP 2014)

- No formato MARC 21, os dados que fornecem informações


para o processamento do registro correspondem à seguinte
estrutura: líder. (UFG 2014)

- Quanto ao formato de registro MARC, temos: é compatível


com as regras da AACR2. (IADES 2014)

Em relação ao Formato MARC, temos:


I. É gerado automaticamente -> Diretório;
II. Indica a forma de catalogação descritiva no registro -> Líder;
III. Contém o número de classificação da Classificação Decimal
Universal -> Campo de Números e Códigos – 080 (FCC 2015)
- De acordo com o Formato MARC 21, além de ser um índice
gerado por computador, o diretório constitui: uma série de entradas
que contêm a localização e o tamanho de cada etiqueta, dentro do
registro bibliográfico (FGV 2015)

- A Library of Congress, que atua como depositária das


publicações dos Estados Unidos e outras obras internacionais,
desenvolveu o formato L.C. MARC, o qual evoluiu para o MARC 21.
No formato MARC 21, cada registro bibliográfico é dividido em
campos e cada campo é associado a um número de três dígitos,
denominado TAG, que identifica o tipo de dado do campo. A TAG
usada para identificar o International Standard Book Number (ISBN)
é a: 020. (FGV 2015)

- No formato MARC21, o título abreviado, o título traduzido pela


instituição catalogadora, o título principal, o título uniforme e formas
variantes do título são descritos, respectivamente, nos campos de
número: 210, 242, 245, 240, 246. (VUNESP
2015)

- Contém informações necessárias para localizar e acessar um


recurso eletrônico. Este campo pode ser utilizado no registro
bibliográfico de um recurso quando este recurso ou um subconjunto
deste estiver disponível eletronicamente. Também pode ser
utilizado para localizar e acessar uma versão eletrônica de um
recurso não eletrônico descrito no registro bibliográfico ou um
recurso eletrônico relacionado. O enunciado refere-se ao campo:
440. (AOCP 2015)

- # # $i Título aparece no documento como: $a Banco do Brasil


apresenta Rembrandt e a arte da gravura. Esse é um exemplo de
preenchimento de qual campo do formato MARC? Resposta: 246.
(AOCP 2015)
- Na catalogação cooperativa, qual componente garante a
integridade dos dados na migração de um sistema para outro?
Resposta: MARC. (AOCP 2015)

- ## $a 1 disco sonoro (ca. 47 min) : $b digital, estéreo. ; $c 4 ¾


pol. + $e 1 folha solta dobrada (6 p. : il. color. : 12 cm). Esse é o
exemplo de preenchimento de qual campo do formato MARC?
Resposta: 300 (AOCP 2015)

- Utiliza números, letras e símbolos gráficos que são


subdivididos em campos fixos e variáveis, subcampos e
indicadores, utilizados para representar um item em um sistema de
automação. Ele individualiza o documento, tornando-o único em
toda biblioteca ou até mesmo em uma rede de bibliotecas
interligadas. O enunciado refere- se a: MARC. (AOCP 2015)

- Em relação aos elementos que compõe o registro MARC,


temos (todos estão CORRETOS): I. Estrutura dos Registros –
normas (ISO 2709 e ANSI Z39.2); II. Conteúdo dos elementos
definido pelo AACR; III. Conteúdo dos elementos definido pela LC;
IV. Conteúdo dos elementos definido pelo International Standard
Bibliographic Description (ISBD). (AOCP 2016)

- Uma das características do MARC é a grande variedade de


campos e subcampos que podem ser usados pela agência
catalogadora ou biblioteca. O registro é dividido em três campos:
Variáveis, de controle e de dados. (AOCP 2016)

- A equipe de bibliotecários da Rede de Bibliotecas da


Universidade X do Brasil, em discussão sobre o uso do formato
MARC para catalogação do acervo, chegou ao consenso que
utilizará Termo Não Pesquisado e Não Controlado para assuntos, e
essa decisão ficará registrada no Manual de Serviços Técnicos da
Biblioteca. Qual campo MARC será utilizado nesse caso? Resposta:
697. (AOCP 2016)

- Facilitar a captura e a integração de registros MARC nos


processos de coleta de metadados (Metadata Harvesting),
característicos dos projetos Open Archives Initiative (OAI) e
similares, é um dos objetivos do: MARCXML. (FGV 2017)

- O campo 300 do MARC 21 trata da descrição física do item,


consistindo de seus dados sobre: extensão, dimensões, outros
detalhes físicos e informações sobre material complementar. (FGV
2017)

- NÃO representa um dos componentes principais de um


registro bibliográfico MARC: Registro. (IDECAN 2017)

- Representam componentes principais de um registro


bibliográfico MARC: Líder; Diretório; Campos variáveis. (IDECAN
2017)

- QUESTÃO ERRADA! Na escolha de um sistema de


automação de biblioteca, além do tipo de licença, devem ser
levados em consideração requisitos específicos — tais como
instalação, testes e garantia, suporte técnico e manutenção, e
treinamento dos usuários — e requisitos gerais — como o padrão
ISO 2709, o protocolo Z39,50 e o formato MARC. Em suma, deve-
se avaliar se o sistema oferece ou permite a realização do que foi
planejado pela biblioteca. (CESPE 2018)
- A catalogação em formato MARC pode conter informações de
conteúdo dos seguintes tipos de material: BK (livro) — usado para
material textual, naturalmente monográfico
—, e AM (controle de arquivos e manuscritos) — usado para
coleções de arquivos e manuscritos. (CESPE 2018)