Você está na página 1de 16

NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

NORMAS INTERNACIONAIS DE
CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS
(1-4)1
FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA

Existem, a nível mundial, diversas associações encarregadas de estabelecer critérios


específicos sobre as normas bibliográficas a serem seguidas na redação e publicação de
trabalhos de pesquisa científicos.

Os tópicos seguintes pretendem atender às diferentes possibilidades que se apresentam


a um pesquisador no momento de redigir, de elaborar um texto e de citar a bibliografia
seguindo os critérios aceitos pela comunidade científica, de acordo com a Normativa
APA.

1. NORMAS GERAIS PARA CITAÇÕES NO TEXTO

1.1. CITAÇÕES DIRETAS

Este tópico refere-se à transcrição literal de um fragmento de texto ou de parágrafos


completos. De qualquer forma, trata-se de palavras de outro autor que devem ser
reconhecidas e consideradas como tal, sem deixar nenhum tipo de dúvida a respeito.

1. Texto adaptado de: Pantoja, A. Zwierewicz, M. e Moraes, R. (2009). Normas Internacionales de Citas Bibliográficas.
Em: A. Pantoja (Coord.) Manual básico para la realización de Tesis, Tesinas y trabajos de Investigación. (pp. 189 -
218). Madrid: EOS.

NORMA ESTILO A PA 1
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

APA

Existem duas formas diferentes, segundo a extensão da citação; em ambos os casos


devem constar o sobrenome ou sobrenomes do autor ou autores, conforme a referência
bibliográfica da obra consultada, seguidos do ano e da especificação da página:

a) Menos de 40 palavras (máximo de três linhas): coloca-se entre aspas e em


itálico, no próprio parágrafo em que se está expondo. Ou seja, sem separar do
texto.

EXEMPLO

O orientador “além de técnico e especialista nas ferramentas tecnológicas


aplicadas à orientação, terá que exercer tarefas de consulta e assessoria aos
envolvidos na orientação” (Pantoja, 2004, p.194), o que nos leva ao
desempenho de um novo rol e funções.

FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA


b) Texto de 40 ou mais palavras (entre 4 e 10 linhas): esta é considerada uma
citação longa e deve estar separada do texto em um parágrafo independente,
com recuo da margem esquerda de 5 espaços ou o correspondente a 1,3cm da
margem (a contar da posição que um novo parágrafo). Além disso, não levam
aspas nem itálicos, o espaçamento deve ser duplo e, caso haja mais de 1
parágrafo, deverão manter o recuo de 5 espaços.

EXEMPLO


Pantoja (2004, p. 194) afirma o seguinte:

Em relação às responsabilidades que os orientadores deverão assumir,


destacam-se as que implicam uma reciclagem das já tradicionais. Ou seja,
utilizar, por exemplo, a videoconferência, o chat, o email ou os fóruns de
discussão para manter entrevistas ou encontros com um ou mais orientandos
ou parceiros a distância.

Como pode-se observar no exemplo, o recuo da primeira linha coincide com o do texto
citado. A forma de colocar a página após o ano também pode ser alterada, colocando
ao final da citação, entre parênteses, o “p” de página, o ponto e o número da página
correspondente.

2 NORMA ESTILO A PA
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

Neste caso de citação longa, caso deseje omitir o texto, deve-se colocar em seu lugar
reticências sem parêntese. Se, dentro da citação, deseja-se fazer alguma elucidação ou
dar uma explicação complementar, esta deve ser feita entre colchetes. Por exemplo,
enfatizar uma ou mais palavras no texto e imediatamente após indicar “itálicos
acrescentados”.

Em relação ao número de autores das citações, deve-se manter a formatação dos casos
vistos anteriormente, mas com algumas observações:

a) Até dois autores: citam-se ambos em todo o texto.

EXEMPLO

De acordo com Campoy e Pantoja (2000, p. 17) “o novo perfil e funções do


tutor exige uma reconversão profissional do modelo clássico imperante nos
centros docentes”, mas na atualidade constata-se que dita mudança ainda não
ocorreu.
FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA

b) Entre três e cinco autores: citam-se todos a primeira vez em que aparecem, e
ao longo do texto cita-se apenas o primeiro (sobrenome ou sobrenomes, de
acordo com as referências bibliográficas) seguido de “et al.” (sem itálicos).

EXEMPLO

Primeira vez:

Em todo processo de mudança e inovação “não se pode falar de qualidade da


orientação como algo separado da qualidade da educação global desenvolvida
através do currículum” (Pantoja, Campoy e Cañas, 2001, P. 37).

Segunda vez:

Tanto é assim, que os problemas que apresentam alguns professores devem-


se, segundo Pantoja et al. (2001, p. 46) a “uma falta de habilidades e
estratégias básicas de superação necessárias para enfrentar as exigências
ambientais”.

NORMA ESTILO A PA 3
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

c) Com seis ou mais autores: Sempre coloca-se o primeiro autor, como observa-se
no caso anterior.

EXEMPLO

Álvarez Rojo et al. (2002, p. 93) referem-se ao projeto de programas como uma
forma de “tomar decisões em grande parte arbitrárias”.

1.2. CITAÇÕES SECUNDÁRIAS

As citações secundárias são uma variação das citações diretas, já que se apresentam a
partir de uma transcrição literal da fonte consultada. Sua particularidade radica no fato
de que conteúdo citado seja, por sua vez, uma citação ou referência de outro autor,
realizada pelo autor do texto que está sendo lido. Ou seja, pretende-se colocar uma

FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA


ideia que aparece no texto consultado como uma citação direta de outro autor. Nestes
casos, elaboramos uma citação secundária.

EXEMPLO

Parágrafo da fonte original:

Como assinalam Sabariego e Bisquerra (2004), “o interesse em um tema é o


ponto de partida de toda pesquisa científica”. O tema é determinado pela
experiência pessoal, por leituras realizadas, por materiais audiovisuais, pela
internet ou por qualquer outra Tecnologia da Informação e da Comunicação
(TIC), até mesmo em um bate-papo ou uma conferência, uma observação ou,
de modo geral, uma ideia ou um acontecimento.

Fonte original revisada:

Pantoja, A. (Coord.) (2009). Manual básico para la realización de tesis, tesinas


y trabajos de investigación. Madrid: EOS.

Exemplo de citação secundária:

“O interesse em um tema é o ponto de partida de toda pesquisa científica”


(Sabariego e Bisquerra, 2004, citado por Pantoja, 2009).

4 NORMA ESTILO A PA
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

Como se explicita no exemplo, a citação secundária estrutura-se igual à citação direta,


porém, devem-se colocar as respectivas referências. Ou seja, deve-se indicar os autores
originais da ideia, citados pelo autor ou autores do texto que foi consultado.

1.3. CITAÇÕES INDIRETAS

Citações indiretas são citações livres, mas o autor que as utiliza dá a elas sua forma
personalizada sem que percam seu sentido original.

APA

Esta formatação é muito parecida às citações diretas, com a característica de não


especificar o número da página, embora haja algumas palavras doddd discurso que
coincidam com as originais. Apesar disto, sugere-se que se inclua o número de página
para facilitar a localização do texto, caso este seja longo ou complexo.

São válidas as mesmas normas de referenciação de autores expostas no tópico sobre


FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA

“citações diretas”.

A seguir, apresenta-se um exemplo de um parágrafo de um texto ou fonte original, e


uma citação indireta extraída do mesmo:

EXEMPLO

Parágrafo da fonte original:


Além dos objetivos e das perguntas de pesquisa é necessário justificar as


razões que motivaram o estudo. A maioria das pesquisas são realizadas com
um objetivo definido, não são feitas simplesmente por vontade de uma pessoa;
e esse propósito deve ser suficientemente forte para que se justifique a sua
realização. Além disso, em muitos casos deve-se explicar a uma ou várias
pessoas as razões da relevância da pesquisa e quais os benefícios que
proporcionará.

Fonte original consultada:

Pantoja, A. (Coord.) (2009). Manual básico para la realización de tesis, tesinas


y trabajos de investigación. Madrid: EOS.

NORMA ESTILO A PA 5
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

Exemplo de citação indireta extraída:

Pantoja (2009) enfatiza a importância de justificar o estudo, expondo as razões


e os objetivos do trabalho, que devem ir além do desejo ou da preferência do
pesquisador sobre o tema estudado.

Apresentamos a seguir alguns exemplos sobre o formato das citações indiretas.

EXEMPLO

Apenas um autor:

Pantoja (2004) ocupa-se amplamente da Sociedade da Informação para situar


nela a intervenção psicopedagógica.

São claras as alusões à intervenção psicopedagógica realizadas desde diversos

FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA


pontos de vista (Pantoja, 2004).

Vários autores fora de parênteses (ordenam-se como as referências em ordem


alfabética):

Campoy e Pantoja (2000) e Pantoja, Campoy e Cañas (2001) explicaram os


processos de transformação da orientação em nosso país baseado na entrada
em vigor da LOGSE.

Vários autores entre parênteses (ordenam-se como as referências por ordem


alfabética):

Vários autores se ocuparam da metodologia da pesquisa educativa nos últimos


anos (Bisquerra, 2004; Buendía, Colás e Hernández, 1997; Cardona, 2002; Gil,
2004; Latorre, Rincón e Arnal, 2003), proporcionando entre todos eles uma
maior claridade na compreensão dos principais conceitos que estão envolvidos
em qualquer processo de pesquisa.

Duas obras do mesmo autor no mesmo ano:

Zagalaz (2001a e 2001b) ocupou-se das bases teóricas, das correntes e das
tendências da Educação Física em seus diferentes contextos.

Nos Projetos de Pesquisa é recorrente o uso de citações indiretas, posto que nossa ação
baseia-se na reelaboração e na síntese de ideias de outros autores.

6 NORMA ESTILO A PA
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

1.4. TABELAS E FIGURAS

As tabelas e figuras deverão vir acompanhadas por um rodapé numerado, situado acima
ou abaixo das mesmas (as indicações em relação à numeração de tabelas e figuras
estão incluídas na descrição dos Aspectos Formais, disponível no Campus).

Além disso, no pé da figura ou da tabela, deve-se incluir um texto explicativo. Ao final


deste, cita-se a fonte de procedência da tabela ou figura. Os seguintes podem ser
casos:

• Se a cópia da tabela for literal, é necessário especificar a página:


Fonte: Kotler, 2009: (número de página)

• Se a tabela ou figura for elaborada pelo aluno, tomando por referência os dados
que um autor fornece, vem da seguinte forma:
Fonte: elaboração própria a partir do Autor (Ano)

• É conveniente que a citação da fonte esteja abaixo da tabela ou figura e o título na


FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA

parte superior.

Se se incluírem abreviaturas nas tabelas ou figuras, ou se algumas elucidações forem


necessárias, estas devem ser particularizadas abaixo. P. ex.:

Contaminante (mg/m3) Menos de 1 t/h De 1 a 3 t/h Mais de 3 t/h

Partículas totais 200 100 30


Pb + Cr + Cu + Mn - 5 5

Ni + As - 1 1

Cd + Hg - 0,2 0,2

HCI 250 100 50

HF - 4 2

SO2 - 300 300

[Medidos a 273º K 101,3 kPa, 11% O2 (ou 9% CO2) e gás seco].

Tabela 1.1. Valores limítrofes de emissão à atmosfera, segundo a capacidade nominal da instalação de
novos incineradores de RSU (Diretriz 89/369/CE) (Baldasano, 1994).

NORMA ESTILO A PA 7
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

2. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS AO FINAL DO


TEXTO

A lista bibliográfica, segundo a formatação APA, possui uma relação direta com as
citações que aparecem no texto. Devem-se incluir somente os trabalhos e os recursos
que foram utilizados para realizar a pesquisa e a elaboração do trabalho e que, portanto,
serão citados no corpo do texto, na forma e no estilo vistos no tópico anterior. De modo
geral, devem-se seguir estas indicações:

APA

• A lista bibliográfica terá título: “Referências bibliográficas” ou somente


“Referências”.

• A disposição dos diferentes documentos será realizada seguindo uma ordem


alfabética em função do sobrenome do autor e, caso haja nomes iguais, tomando
como referência o segundo sobrenome. Devem-se seguir as regras do país de

FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA


origem.

• Se o primeiro autor tem vários trabalhos publicados no mesmo ano, estes devem
estar relacionados acrescentando após o ano as letras a, b, c...; por exemplo:
2008a, 2008b, etc.

• No caso de sobrenomes muito comuns, pode-se colocar também o segundo


sobrenome para facilitar a identificação do autor.

• Se um autor possui outros trabalhos em parceria com diferentes autores, sendo


este o primeiro da lista, se realizará uma ordenação dos demais autores em ordem
alfabética estabelecida por cada língua.

• A segunda linha de cada entrada deve ter um recuo de cinco espaços na lista.

• Depois de cada sinal de pontuação deixa-se apenas um espaço.

• O local da edição deve ser escrito em português, caso a grafia seja diferente na
língua original. Por exemplo: Nova Iorque em vez de New York. Com exceção das
referências que sejam totalmente em inglês ou em outro idioma, que conservarão o
formato original.

• Não é necessário escrever o local onde foi realizada a edição, salvo se a cidade não
seja muito conhecida ou possa dar margem a erros.

• Não devem ser incluídos os textos de autores mencionados através de citações


secundárias, mas sim, estritamente, os que foram consultados e foram de utilidade
na elaboração do Projeto de Pesquisa.

8 NORMA ESTILO A PA
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

2.1. TRABALHOS IMPRESSOS

2.1.1. Livros completos: formato geral

APA

Estas normas seguem um método abreviado a partir de obras com mais de seis autores,
sendo, nos demais casos, uma enumeração em que os nomes dos autores vão
separados por vírgula e ao final a letra “&”. Sempre deve-se manter o idioma original,
salvo que exista uma tradução de termos específicos, como por exemplo, o nome da
cidade de edição.

A estrutura é:
Autor, Inicial do nome. (Ano). Título. Cidade, Estado: Editora.

EXEMPLO
FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA

Um autor:

Pantoja, A. (2004). La intervención psicopedagógica en la Sociedad de la


Información. Educar y orientar con nuevas tecnologías. Madrid: EOS.

Pérez Ferra, M. (2000). Conocer el currículum para asesorar en centros.


Archidona: Aljibe.

Até seis autores:


Campoy, T.J. & Pantoja, A. (2000). Orientación y calidad docente. Pautas y


estrategias para el tutor. Madrid: EOS.

Álvarez Rojo, V., García Jiménez, E., Gil Flores, J., Martínez Clares, P.,
Romero, S. & Rodríguez Santero, J. (2002). Diseño y evaluación de programas.
Madrid: EOS.

Mais de seis autores:

Azpitarte, M., Butrón, P., Castillo, F., González Puertas, F., Díaz Cabiale, J.A.,
Guerrero, M.C. et al. (2000). El principio constitucional de intervención
incidiaria. Granada: Grupo Editorial Universitario.

NORMA ESTILO A PA 9
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

2.1.2. Livro com um ou mais autores, coordenado, editado ou organizado

APA

O formato geral muda apenas as siglas utilizadas:

Coordenador (Coord.), Coordenadores (Coords.), Editor (Ed.), Editores (Eds.),


Organizador (Org.) ou Organizadores (Orgs.). São igualmente válidas as normas para o
número de autores destacadas no tópico dedicado aos livros.

O formato geral é o seguinte:


Autor, Inicial do nome. (Tipo) (ano). Título. Cidade, Estado: Editora.

EXEMPLO

Pantoja, A. & Campoy, T.J. (Coords.) (2006). Programas de intervención en


educación intercultural. Granada: GEU.

FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA


Álvarez, M. (Coord.), Bisquerra, R., Espín, J.V. & Rodríguez Espinar, S. (2007).
La madurez para la carrera en Educación Secundaria. Madrid: EOS.

Buela-Casal, G. (Dir.), Bretón-López, J. & Agudelo, D. (Coords.) (2005). Manual


práctico para hacer un doctorado. Madrid: EOS.


2.1.3. Capítulo de livro

São válidas todas as características mencionadas para a referência em livros,


considerando os respectivos aspectos da norma para cada formato.

APA

O formato de citação geral é o seguinte:


Autor, Inicial do nome. (Ano). Título. Inicial do nome do autor, Sobrenome, Título (pp.
Inicial-final). Cidade, Estado: Editora.

10 NORMA ESTILO A PA
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

EXEMPLO

Serrano, J. & Matas, A. (1997). El ordenador en las asignaturas de Métodos de


Investigación en Educación. Em J.C. Tójar & R. Manchado (Coords.),
Innovación educativa y formación del profesorado: Proyecto sobre la mejora de
la práctica docente en la universidad (pp. 111-116). Málaga: Servicio de
Publicaciones de la Universidad.

2.1.4. Outros formatos de livros

A seguir, apresentam-se diferentes casos de livros que possuem alguma característica


que os diferencia dos casos descritos anteriormente.

APA
FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA

EXEMPLO

Livro com várias edições ou reimpressões

Fox, D.J. (1987). El proceso de investigación en educación (2ª ed.). Pamplona:


EUNSA.

Livro em impressão

Pantoja, A. & Campoy, T.J.(Coords.) (em impressão). Planes de acción tutorial


en la universidad. Jaén: Servicio de Publicaciones de la Universidad.

Livro de autoria de uma organização ou instituição

Consejería de Salud (2006). Educación dental infantil: guía para profesionales


de educación y salud. Sevilha: Junta de Andalucía.

Livro sem autor

Manual de estilo da APA. Regras básicas (2006). Porto Alegre, RS: Artmed
Editora.

Volume da obra

Gil Pascual, J.A. (2003). Métodos de investigación en educación. Análisis


multivariante (Vol. 3). Madrid: UNED.

NORMA ESTILO A PA 11
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

2.1.5. Artigo de revista científica

APA

São válidas todas as normas dos aspectos gerais do formato livro. A ordem das
informações é:

Autor, Inicial do nome. (Ano). Título. Revista, volume (número), página inicial-página
final.

No caso de documentos de fontes eletrônicas, utilizar-se-á o “Digital Object Identifier”,


conhecido por sua sigla “DOI”. O “DOI” é uma série alfanumérica, única, atribuída pela
editora para documentos eletrônicos. Ele deve aparecer abaixo do autor do documento.

EXEMPLO

Um autor:

FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA


Pantoja, A. (2005). La acción tutorial en la universidad: propuestas para el
cambio. Cultura y Educación, 17 (1), 67-82.

Timmons, M. (2007). Navegating contradictory communities of practice in


learning to teach for social justice. Anthropology and Education Quarterly,
38(4), 380-404. doi:10.1525/aeq.2007.38.4.380

Até seis autores:


Pantoja, A. & Zwierewicz, M. (2008). Procesos de orientación en entornos
virtuales de aprendizaje. Revista Española de Orientación y Psicopedagogía, 19
(3), 282-290.

Prieto, M.A., Gil García, E., Heierle, C. & Frías, A. (2002). La perspectiva de las
cuidadoras informales sobre la atención domiciliaria. Un estudio cualitativo con
ayuda de un programa informático. Revista Española de Salud Pública, 76 (5),
613-625.

Mais de seis autores:

Pérez Pueyo, A., Tabernero, B., López Pastor, V. M., Ureña, N., Ruiz Lara, E.,
Caplloch, M., et al. (2008). Evaluación formativa y compartida en la docencia
universitaria y el Espacio Europeo de Educación Superior: cuestiones clave para
su puesta en práctica. Revista de Educación, 347, 435-451.

12 NORMA ESTILO A PA
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

2.1.6. Exposição ou comunicação publicada em livro de atas

As normas de citação de autores são idênticas às seguidas até agora para os capítulos
de livros, com pequenas variações indicadas a seguir.

APA

Autor, Inicial do nome. (Ano). Título. Em Inicial do nome do autor, Sobrenomes, Título
(páginas Inicial-final). Cidade, Estado: Editora.

EXEMPLO

Até seis autores:

Sancho, M.I. (2007). El seseo: estado de la cuestión. Em M.I. Sancho & C.


Conti (Coords.), I Jornadas sobre seseo (pp. 13-46). Jaén: Servicio de
Publicaciones de la Universidad.
FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA

Mais de seis autores:

Pantoja, A., Campoy, T.J, Jiménez, A.S., Villanueva, Gomes, E., Díaz Linares,
M.A. et al. (2008). Internet y la construcción de una ciudadanía intercultural.
Balance de una experiencia. Em A. Pantoja, T.J. Campoy, A.S. Jiménez & C.
Villanueva (Coords.), El carácter universal de la Educación Intercultural. Actas
de las I Jornadas Internacionales y VI Jornadas sobre Diagnóstico y Orientación
(pp. 72-128). Jaén: Servicio de Publicaciones de la Universidad.

2.1.7. Tese de doutorado

APA

A modalidade de tese publicada adota os padrões de referência de um livro, apenas em


casos de não estarem publicadas é que possuirá uma sintaxe diferente. Quando o
suporte é digital, cita-se com as condições expostas no tópico seguinte.

Autor. Sobrenome, Inicial do nome. (Ano). Título em itálico. Tese de doutorado não
publicada, Universidade, Cidade.

NORMA ESTILO A PA 13
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

EXEMPLO

Villanueva, C. (2001). Prevención de drogodependencias en centros


educativos. Tese de doutorado não publicada. Universidade de Jaén.

2.2. MEIOS AUDIOVISUAIS

Embora não sejam citações muito habituais em trabalhos de pesquisa, às vezes


fornecem dados que não seriam possíveis de outra forma como, por exemplo, as
gravações em vídeo e áudio.

APA

A particularidade desta citação é que os meios utilizados são colocados entre colchetes,
como apresenta-se a seguir.

FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA


EXEMPLO

Filme
Hamilton, D. (Produtor) & Mehta, D. (Roteirista/Diretor) (2005). Water [Fita
cinematográfica]. Canadá: Mongrel Media.

Vídeo
Miguel, C. et al. (1996). La entrevista. Un instrumento de trabajo para el


profesorado [Vídeo]. Madrid: Consejería de Educación y Cultura, Dirección
General de Educación.

Audio
Ros, L. (2008). Canto a los Orishas. Lázaro Ros, el apkwón mayor [CD].
Havana: Egrem.

2.3. MEIOS ELETRÔNICOS

Considera-se neste tópico o crescente número de publicações que não utilizam o papel
como meio, utilizando-se o formato digital. Desta forma, destacam-se as edições em
CD-ROM e na Internet, em sua grande maioria em formato pdf, mas também escritos
em páginas Web.

14 NORMA ESTILO A PA
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

APA

Estas normas preveem as mudanças que afetam qualquer texto disponível na Internet e,
portanto, exigem que se detalhe o endereço URL específico. As demais informações e a
sintaxe da referência é parecida com o modelo exposto para o material impresso.

EXEMPLO

Documentos na Internet

Com autoria:

Gil, G. (s.f.). Cultura libre: el caso brasileño. Acesso em


http://www.aulaintercultural.org/article.php3?id_article=1688.

Sem autoria:

Drom Kotar, mujeres gitanas en red para promover el acceso a la educación


FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA

(s.f.). Acesso em
http://www.aulaintercultural.org/article.php3?id_article=2214.

Livro

Área, M. (2009). Introducción a la tecnología educativa. Universidad de la


Laguna. Acesso em http://issuu.com/manarea/docs/tecnologiaeducativa

Swennen, A. & Van der Klink, M. (Eds.) (2008). Becoming a teacher educator.
Amsterdan: Springer Netherlans. Acesso em

h t t p : / / w w w . s p r i n g e r l i n k . c o m /c o n te n t / p 8 j 5 p 0 / ? p =9 d e 2 4 8 8 f 7 0e e 4
e49a00aef982e763d2f&pi=0

Conferências, exposições e comunicações na Internet

Tiana, A. (2006). Una reforma educativa para el Siglo XXI. Conferência dada
no V Congreso Internacional “Educación y Sociedad”. Acesso em:
http://congreso.codoli.org/ conferencias/Tiana.pdf

Artigo (que possui formato impresso e eletrônico)

Campoy, T.J. & Pantoja, A. (2005). Hacia una expresión de diferentes culturas
en el aula: Percepciones sobre la educación multicultural [Versão eletrônica].
Revista de Educación, 336, 415-436.

NORMA ESTILO A PA 15
NORMAS INTERNACIONAIS DE CITAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS (1-4)

Artigo (apenas em formato eletrônico)

Molero, D. (2007). Rendimiento académico y opinión sobre la docencia del


alumnado participante en experiencias piloto de implantación del Espacio
Europeo de Educación Superior. Revista Eletrónica de Investigación Educativa
(RELIEVE), 13 (2). Acesso em:
http://www.uv.es/RELIEVE/v13n2/RELIEVE v13n2_2.htm.

FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA IBEROAMERICANA


16 NORMA ESTILO A PA