Você está na página 1de 14

Grupo HCT

Curso:
Minicurso Ventilação Industrial
Projeto e Dimensionamento

Prof. Carlos Pádua


Ventiladores – Conceitos
O ventilador é o coração do sistema de ventilação. É necessário que o projetista
do sistema tenha um conhecimento aprofundado do seu funcionamento e
domine os conceitos que envolvem a sua correta seleção, de modo a garantir que
ele possa realizar a tarefa para a qual está sendo requerido.
A correta seleção do ventilador levará a uma economia de custo, tanto de
aquisição, como de operação.
O ventilador é uma máquina de fluxo do tipo dinâmica que transfere energia a um
fluido, assim como as bombas (turbo máquinas). A função básica de um ventilador
é mover uma dada quantidade de ar por um sistema de ventilação a ele
conectado, fazendo a captação e a condução desta através de uma rede de dutos
ou ainda captando e descarregando em espaço aberto.
Assim, o ventilador deve gerar uma pressão estática suficiente para vencer as
perdas do sistema e uma pressão dinâmica para manter o ar em movimento.
A energia necessária para que o ventilador realize essa tarefa é proveniente de
um acionador (geralmente um motor elétrico), que é responsável pela energia de
rotação cedida ao eixo que acionará o rotor ou impelidor do ventilador. Esta
energia será então convertida em um diferencial de pressão.
2
Ventiladores – Classificação
Em geral, os ventiladores são classificados em centrífugos ou axiais, em função
da direção do fluxo de ar em relação ao eixo do impelidor. A seguir serão
apresentadas as configurações mais comuns dos dois tipos de construção
citados. Existem algumas variações dessas configurações básicas que também
serão apresentadas.

Nota: A configuração tipo “propeler” ou “propulsor” será considerado como um


tipo de ventilador axial, embora, muitos considerem uma classe independente
de ventilador.
3
Princípio de Operação
Todo ventilador /produz pressão pela alteração do vetor de velocidade do fluxo de
ar. O ventilador produz pressão e /ou fluxo porque a rotação das pás do seu rotor
transmite energia cinética pela mudança de sua velocidade.
Os rotores dos ventiladores centrífugos produzem pressão através da força
centrífuga criada pela rotação da coluna de ar contida entre as pás e também pela
energia cinética transmitida para o ar em virtude da sua velocidade quando deixa
o impelidor. Os ventiladores axiais produzem pressão através da mudança de
velocidade do ar na passagem pelo rotor, onde nenhuma contribuição é feita pela
força centrífuga.

Ventilador centrífugo com rotor com pás para trás Ventilador vane-axial (pás reguláveis) 4
Construção - Tipo de Rotores
Os ventiladores centrífugos com rotores com pás curvadas para trás são, em
geral, mais eficientes que aqueles com pás curvadas para frente (sirocco).
Os pás curvadas para trás são chamados “limit load” ou de carga limitada como
veremos mais adiante e têm uma variação chamada “airfoil”, quando as pás tem
um perfil aerodinâmico que contribui para melhorar a eficiência.
Ainda existem os rotores com pás retas utilizados para aplicações de ventilação
industrial com transporte de particulados e onde se necessitam de altas pressões.
Os ventiladores axiais podem ser divididos em três tipos básicos: Propulsores,
Tubo-axiais e Vane-axiais.
Os propulsores (propeler) são usados habitualmente para sucção e descarga livre
e são montados em um painel com um anel vazado e com um cubo central
rotativo onde as pás se fixam.
Os tubo-axiais são essencialmente um propeler alocado em um carcaça cilíndrica
com uma construção mais sofisticada para melhorar a obtenção de maiores
pressões e eficiência.
Os vane-axiais diferem dos tubo-axiais comuns pelo uso de guias na entrada e/ou
saída do ar e pela possibilidade de regulagem do ângulo das pás.
5
Ventiladores Centrífugos (Fonte: Catálogo da OTAM S&P)

componentes de um ventilador centrífugo


ventilador com pás para trás – limit-load

ventilador pás pra frente Sirocco duplo

ventilador pás pra frente


Sirocco simples
montagem de ventiladores centrífugos
de exaustão (2x100% / um reserva) -
aspiração dutada e descarga livre
6
ventilador pás radiais
Ventiladores Axiais (Fonte: Catálogo OTAM S&P)

ventilador pás
ventilador pás perfil arfoil perfil arfoil fixas com
ajustáveis com acoplamento acoplamento direto
componentes de um por polias e correias
ventilador axial

Diversos tipos de pás


ventilador para montagem Man cooler - para
para diferentes aplicações
em paredes – pás fixas pás perfil arfoil trabalhos em ambientes
(Multi-Wing)
com ângulo ajustável de extrema concentração
de calor
7
Ventiladores Especiais (Fonte: Catálogo da OTAM S&P)

axial de telhado – fácil adaptação em


qualquer telhado ou poço de ventilação

gabinetes de ventilação – fácil instalação e


soprador de ar - para altas pressões manutenção (permite a instalação de filtros)
(acima de 7620 Pa segundo o ASME)
com relativas baixas vazões

centrífugos de telhado – descarga centrífugos tubulares (in line)


plenum fan - não possuem carcaça,
livre do rotor (360°) - não possuem construção híbrida – rotor tipo
tendo como aplicações típicas o uso
carcaça convencional centrífugo com carcaça tubular
em plenums (economiza espaço)
típica de axial 8
Centrífugo – Pás para Trás/Airfoil
Airfoil:
- maior eficiência entre centrífugos (alcança até 80%);
- produz baixo nível de ruído;
- possui limitação de carga (limit-load);
- em geral, possui de 10 a 16 pás;
- comparado a um axial para mesma vazão e pressão é maior e mais pesado;
- indicado nas aplicações de ventilação industrial para gases limpos, onde se
requer alta vazão, média ou alta pressão, e uma alta eficiência energética.

Pás curvadas para trás:


- similar ao airfoil, exceto por ter o pico de eficiência ligeiramente mais baixo
- pode ser usado em aplicações industriais onde o perfil airfoil pode não ser
adequado devido a erosão e corrosão

9
Curvas – Pás para Trás/Airfoil

Airfoil – curva de
performance

Pás para trás – curva


de performance

10
Centrífugo – Pás para Frente /Radial
Pás curvadas para frente - Sirocco:
- eficiência mais baixa que o pás pra trás;
- não possui característica limit-load  pode “queimar” motor;
- seleção deve ser feita para direita do pico de pressão;
- aplicado para baixa e média pressão e ampla faixa de vazão;
- aplicado em sistemas simples de ventilação e ar condicionado
(self-contained, fancoils, etc.).
Radial:
- alcança maiores pressões que os anteriores
- potência cresce continuamente com aumento da vazão
- operação fora do ponto de operação  pode “queimar” motor
- construção robusta e manutenção simplificada
- aplicado na ventilação industrial com material particulado
- não é comum o uso em sistemas de ar condicionado
- menor eficiência e maior nível de ruído entre os centrífugos 11
Curvas – Pás para Frente /Radial

Sirocco – curva de
performance

Radial – curva de
performance

12
Axial- Propeler/Tubo-Axial/Vane Axial
Propeler:
- tem baixa eficiência e é limitado a aplicações de baixa pressões;
- ideal para aplicações de altas vazões com muita baixas pressões;
- de baixo custo (montado em paredes);
- aplicado com sucção e descarga livres tem máxima eficiência;
- ocupa o menor espaço e tem o menor peso entre todos os tipos;
- não é adequado para atmosferas agressivas (motor no fluxo de ar);
- ruído elevado para grandes rotações.
Tubo-axial e Vane-axial:
- rotor montado dentro de um tubo (fácil instalação em dutos);
- eficiência melhor que o anterior;
- para altas vazões e baixas e médias pressões;
- seleção deve ser feita para direita do pico de pressão;
- usado em sistemas de ventilação e de ar condicionado;
- ocupa menos espaço e tem menor peso do que os centrífugos;
- maior nível de ruído quando comparado aos centrífugos. 13
Curvas - Propeler/Tubo-Axial/Vane Axial

Propeler – performance

Tubo-axial – performance

Vane-axial – performance

14