Você está na página 1de 4

SISTEMA RESPIRATÓRIO

Respirar é uma das funções básicas da vida, pois ao inspirarmos conduzimos o oxigênio presente no ar atmosférico
por meio de uma série de condutos, até os pulmões. O termo respiração consiste na absorção pelo organismo de
oxigênio (O2)e a eliminação de gás carbônico (CO2).
Nos animais unicelulares o O2 é retirado diretamente do meio onde vivem, sendo também direta a eliminação do
CO2.
Nos animais superiores a troca de gases é feita indiretamente, neste o sangue é um elemento intermediário
servindo como condutor dos gases.
O órgão respiratório por excelência é o pulmão, mas existem órgãos especiais que promovem o intercâmbio entre o
ar e o sangue.

1. DIVISÃO
O sistema respiratório pode ser dividido em duas partes;
a) porção de condução
b) porção de respiração

A primeira porção pertence órgãos tubulares cuja função é levar o ar Inspirado até a porção respiratória e destes
conduzir o ar expirado, eliminando o CO2. Assim dos pulmões o ar expirado é conduzido pelos brônquios e traquéia
órgãos que funcionam apenas com tubos condutores de ar (aeríferos).

2. FUNÇÃO GERAL e ANATOMIA


As funções do sistema respiratório são: absorção do O2 e a remoção do CO2 dos pulmões e troca gasosa entre
as células e seu meio líquido ( esta troca entre o sangue e o ar ocorre somente nos alvéolos).
O sistema respiratório consiste em: nariz, cavidade do nariz (nasal),faringe, laringe,traqueia, brônquios e pulmões.

 Nariz: No estudo do nariz incluem-se:


 Nariz externo
 Cavidade nasal
 Seios paranasais

 Nariz Externo: É visível externamente no plano mediano da face, apresentando-se no homem, como uma
pirâmide triangular em que a extremidade superior, correspondendo ao vértice da pirâmide, é denominada raiz do
nariz, a união anterior das duas faces laterais recebe o nome de dorso do nariz e na parte inferior base do nariz. Na
base do nariz, encontramos dois orifícios ovais, denominados de narinas. O ar entra no sistema respiratório através
das narinas que conduzem a cavidade nasal.
 Cavidade Nasal: A cavidade nasal é dividida em metades direita e esquerda pelo septo nasal. Um desvio
deste septo pode interferir com a livre passagem de ar através da cavidade do nariz, mas esta condição pode ser
cirurgicamente corrigida. Cada compartimento da cavidade nasal dispõe de um orifício anterior que é a narina e um
posterior denominada de coana.
O teto da cavidade nasal é constituída pela lâmina crivosa do etmóide, complementada para trás, pelo corpo do
esfenóide.
O assoalho é formado pelo processo palatino da maxila e lâmina horizontal do osso palatino.Presos à parede
lateral (como se fossem 3 prateleiras superpostas) encontramos três enrodilhados ósseos, dispostos no sentido
antero-posterior, as conchas nasais superior, média e inferior.O espaço compreendido entre as conchas nasais e a
parede lateral da cavidade nasal, recebe p nome de meato; assim temos 3 meatos ( superior,médio e inferior) em
correspondência a cada uma das conchas nasais.
Os meatos são importantes porque em todos eles encontramos diversos orifícios, que fazem a comunicação da
cavidade nasal com outras cavidades (seios paranasais) ou vem ter o ducto nasolacrimal (meato inferior).
 Os Seios Paranasais são cavidades pneumáticas (cheias de ar) escavadas nos ossos que se dispõem em
torno da cavidade nasal, constituindo pequenas bolsas cujas aberturas estabelecem comunicação com esta
cavidade.
Estes são divididos em dois grandes grupos: anterior e posterior.O grupo anterior é constituído pelo seio frontal,
seio maxilar e células anteriores dos seios etmoidais.
O grupo posterior é formado pelo seio esfenoidal, seio palatino e células posteriores dos seios etmoidais
O seio frontal localiza-se profundamente na glabela. O seio maxilar é par e o maior dos seios e as células
anteriores dos seios etmoidais estes se localizam no osso etmóide.
O grupo posterior: células posteriores do seio etmoidal estão situadas para trás da concha nasal média e seus
orifícios abrem-se no meato superior.Seio esfenoidal está no corpo do esfenóide e o seio palatino constitui numa
escavação situada no processo orbital do osso palatino.
Na parte inicial das cavidades nasais possuímos pêlos que funcionam como filtro retendo as partículas maiores,
que possam estar em suspensão no ar. Na parte superior revestindo-as internamente, temos mucosa olfatória
ricamente vascularizada que aquece o ar. Além disso, a mucosa produz muco constantemente, que a reveste e
retém as partículas menores e bactérias, alem de umedecer o ar. Depois de percorrer este caminho inicial nas
cavidades nasais, em que é filtrado, aquecido e umedecido, o ar entra na faringe.

 Faringe: A faringe é um tubo que serve tanto ao sistema respiratório como ao sistema digestivo.Comunica-se
com a cavidade nasal (através das coanas) com a cavidade da boca (através das fauces ), com o ouvido médio (
através das tubas auditivas), com a laringe (através da glote) e com o esôfago.
A faringe é dividida em 3 partes: parte nasal da faringe (nasofaringe), parte bucal da faringe (bucofaringe ou
orofaringe) e parte laríngea da faringe (laringofaringe).
A nasofaringe está localizada atrás da cavidade do nariz e é contínua com ela através das coanas. Há quatro
aberturas na nasofaringe; nas suas paredes laterais esta recebe as tubas auditivas que conectam a nasofaringe
com a cavidade do ouvido médio. Na parte posterior perto das conas está a grande tonsila faríngea, quando estas
tornam-se aumentadas podem obstruir as coanas e como resposta a uma infecção são chamadas adenoides.
O palato mole e a úvula formam o assoalho da nasofaringe.
A bucofaringe é continuação da nasofaringe estende-se desde o palato mole até o começo da laringofaringe.
Comunica-se com a cavidade da boca através do istmo das fauces onde estão localizadas as tonsilas palatinas
(amigdalas) e são removidas quando o paciente tem uma amigdalite.
A laringofaringe estende-se desde a bucofaringe até o esôfago abaixo. Comunica-se anteriormente com a
laringe.Como a bucofaringe, a laringofaringe serve como passagem para dois sistemas: o sistema respiratório e o
digestivo.

 Laringe: A laringe ou caixa da voz liga a faringe com a traquéia. Esta é larga superiormente e tem forma de
caixa triangular. Ela se liga anteriormente com a traquéia onde é mais estreita e arredondada. Consiste em nove
cartilagens unidas - três ímpares e três pares. As ímpares são: tireóide, cricóide, epiglote; e as pares: aritenóides,
cuneiformes e corniculadas. A cartilagem tireóide é a maior cartilagem da laringe. É formada por um par de lâminas
que fundem na frente formando uma proeminência chamada de proeminência laríngea (pomo de Adão) na face
anterior do pescoço. Esta proeminência é mais visível nos homens após a puberdade.
A cartilagem da epiglote tem forma de folha, ela age como uma dobradiça de porta, na entrada da laringe.
Durante a deglutição ela age como uma tampa para prevenir a aspiração do alimento na traquéia.
As cartilagens aritenóideas são as mais importantes das cartilagens pares e onde são fixadas as cordas
vocais.As outras cartilagens pares, cuneiformes e corniculadas,são pequenas e muito relacionadas com as
cartilagens aritenóideas.
Na cavidade da laringe estão localizados um par de pregas vocais (cordas vocais) e um par de pregas
vestibulares (cordas vocais falsas).
A abertura entre as pregas vocais através da qual o ar entra na laringe é a glote. O ar passando através da glote
provoca vibração das cordas vocais e produz um som.

 Traquéia E Brônquios: A traquéia é um tubo de vento e é continuação da laringe, possui anéis


cartilaginosos uns sobre os outros em toda sua extensão; penetra no tórax e termina se bifurcando nos 2 brônquios
principais. Esta bifurcação recebe o nome de Carina da traquéia que serve para separar estes brônquios.
 Função: A traquéia funciona como uma simples passagem de ar que vai atingir os pulmões; ocasionalmente
pode torna-se obstruída pela deglutição das secreções acumuladas. A obstrução desta necessita de uma
abertura de uma traqueotomia significa meramente uma abertura na traquéia.
 Brôquios Principais: São brônquios de 1ª ordem fazem a ligação da traquéia com os pulmões. São
considerados um direito e outro esquerdo. O brônquio direito é menos obliquo mais grosso e mais curto que o
esquerdo; por essa razão é que casos de penetração de corpos estranhos na traquéia encontram mais facilidade
para atingir o pulmão direito. Cada brônquio principal (ou primário) dividi-se em ramos menores os brônquios
lobares (ou secundários) para cada lobo do pulmão, Este por sua vez divide-se em brônquios segmentares (ou
terciários) que continuam se dividindo até formar bronquíolos. Estes se dividem formando bronquíolos terminais
dando origem a bronquíolos respiratórios; estes subdividem em vários ductos que terminam em sacos chamados
de alvéolos pulmonares. Os alvéolos pulmonares é o local onde se processa a hematose, ou seja, o sangue
venoso se torna arterializado.
 Pulmões: Tem forma semelhante a de um cone; são duas vísceras situadas de cada lado, no interior do
tórax. Cada pulmão esta envolto por um saco seroso chamado de pleura que apresenta 2 folhetos: a pleura
pulmonar que reveste a superfície do pulmão e a pleura parietal que recobre a face interna da parede do tórax.
Entre as duas camadas da pleura há uma cavidade pleural que preenchida por um fluido pleural que age como
lubrificante para reduzir o atrito entre as duas camadas durante os movimentos respiratórios. O espaço mediano do
tórax, situado entre os dois pulmões recebe o nome de mediastino. Importantes estruturas estão localizadas no
mediastino: o coração, a aorta, as veias cavas, os vasos pulmonares, o esôfago, parte da traquéia e os brônquios.
Os pulmões são órgãos que apresentam um ápice superior, uma base inferior, e três faces: face costal (se
relaciona com as costelas),face diafragmática (face inferior ou base do pulmão) esta se assenta sobre a cúpula
diafragmática e face medial (face mediastínica) é nesta que se situa o hilo do pulmão. O hilo é a região onde as
estruturas que formam a raiz do pulmão (o pedículo)- isto é,os brônquios, vasos sangüíneos, linfáticos e nervos que
entram no pulmão. Os pulmões são dividido em lobos; o esquerdo em dois e no direito em três lobos. No pulmão
direito os lobos são: superior, médio e inferior e são separados entre si por fendas profundas as fissuras horizontal
e oblíqua. Já no esquerdo em dois lobos: superior e inferior e apresenta uma fissura obliqua.

3. MECÂNICA DA RESPIRAÇÃO
A respiração é um composto por dois atos, a inspiração (entrada de ar nos pulmões),e a expiração (saída de
ar).Quando inspiramos, o tórax aumenta seu volume interno levantando as costelas e ao mesmo tempo em que
ocorre o abaixamento do músculo diafragma na expiração ocorre exatamente o inverso as costelas se abaixam e o
diafragma sobe.
A intensidade e a frequência respiratória podem sofrer variações. Normalmente, realizamos cerca de dezesseis
movimentos respiratórios por minuto, porém de acordo com as nossas necessidades, por exemplo, no exercício
físico, a frequência respiratória pode ser aumentada em até cem vezes por minuto, mas com menor quantidade de ar.
A atividade respiratória é controlada pelo centro respiratório, numa área do encéfalo (SNC).Esse centro é muito
sensível a concentração de gás carbônico em nosso sangue. Basta aumentar a concentração desse gás que
imediatamente o centro respiratório é estimulado e envia a ordem para que ocorra a intensificação do ritmo
respiratório, cuja finalidade é eliminar esse excesso. Assim,há um perfeito ajuste entre as necessidades de oxigênio
do organismo e a ventilação pulmonar. Isso explicação fato de não conseguirmos ficar sem respirar. Até certo ponto,
podemos conseguir, mas aí, involuntariamente, ocorremos movimentos respiratórios. Quanto o nível de gás
carbônico no sangue retorna ao normal, o centro respiratório envia novos estímulos para os músculos respiratórios,
que voltam a frequência normal.
A respiração não é apenas a inspiração e expiração do ar pelos pulmões (mecânica respiratória),outro
mecanismo importante é a troca dos gases oxigênio e carbônico na sangue. Portanto a hematose ocorre no alvéolos
e para possibilitar a troca, os alvéolos são envolvidos por uma quantidade de vasos sanguíneos muito finos,
denominados de capilares.
Os capilares trazem o sangue venoso, vindo do lado direito do coração, que aí chegou vindo de todo o corpo.
No interior dos alvéolos chega o ar inspirado, com, alto teor de oxigênio e baixo teor de gás carbônico. As paredes
dos alvéolos são finíssimas e úmidas, permitindo, então que ocorra a troca de gases. O sangue venoso trazido pelos
capilares, recebe o oxigênio que se liga a hemoglobina, uma substancia presente no sangue. Dessa ligação forma-se
a oxi-hemoglobina que é levada pelo sangue para todo o organismo. Nos tecidos, ocorre a dissociação, liberando o
oxigênio para as células que o utiliza para produzir energia. Ao mesmo tempo, o gás carbônico desbarrigado pelo
sangue nos alvéolos sai do corpo pela expiração.
A respiração, em repouso, é realizada pela contração e relaxamento alternados do diafragma e dos músculos
intercostais externos. A cavidade torácica é hermética com paredes laterais flexíveis (caixa torácica ) e assoalho
flexível (diafragma).
A respiração em repouso é realizada pela contração e relaxamento do diafragma e dos músculos intercostais
externos. A maior parte da movimentação do ar é realizada pela ação do diafragma.
O ar move-se através da traquéia para dentro dos pulmões quando a pressão nos pulmões (pressão
intrapleural) é menor do que a pressão atmosférica. O ar move-se para fora dos pulmões quando a pressão nos
pulmões é maior do que a pressão atmosférica. A pressão na cavidade intrapleural é mantida um pouquinho abaixo
da pressão atmosférica; se reduzida esta pressão o pulmão será colabado (fechado).
 INSPIRAÇÃO: A inspiração se refere aos movimentos do ar em direção aos pulmões isso é dado quando a
pressão dos pulmões cai abaixo da pressão atmosférica. Uma pequena queda da pressão dos pulmões é
acompanhada por um aumento do volume da cavidade torácica. Esta é dada pela contração do diafragma e
músculos intercostais externos. Quando contraído o diafragma a sua cúpula se abaixa, levanta as costelas na
borda esternal e essa ação aumenta o diâmetro ântero-posterior do tórax.
 EXPIRAÇÃO: A expiração se refere aos movimentos do ar para fora dos pulmões, é um processo passivo,
de volta a atmosfera. O diafragma e os músculos intercostais externos relaxam, a cavidade torácica retoma o
seu tamanho de repouso e os pulmões retraem-se. Ocorre quando o volume da cavidade torácica decresce,
fazendo com que a pressão nos pulmões seja maior do que a pressão atmosférica.

 TIPOS DE RESPIRAÇÃO: A respiração normal, de repouso, é conhecida com eupneia. Apneia é a cessação
temporária de respiração. Dispneia é a dificuldade em respirar. É taquipnéia é uma respiração excessivamente
rápida e superficial.

4. VOLUMES PULMONARES

O volume pulmonar normal, num homem de tamanho médio é cerca de 3 litros. A inspiração normal aumenta
este volume de aproximadamente 500ml. A inspiração forçada máxima forçada aumenta de cerca de 6 litros. A
expiração máxima forçada diminui o volume pulmonar de aproximadamente um litro.