Você está na página 1de 2

Centro Universitário Belas Artes

Disciplina: Filosofia da Arte – Professor Natalício Batista


Aluno: Renan Marcondes Cevales – AM1BAV

Resenha do filme “A Guerra do Fogo”, de Jean-Jacques Annaud

As relações humanas são e sempre foram estruturadas com base na


linguagem, que surge a partir da necessidade de se presentificar um pensamento
e/ou informação, a fim de possibilitar as diversas relações de troca entre os homens
que usam dos mesmos signos.
Percebe-se claramente como deu-se o surgimento e desenvolvimento dessas
linguagens e como ela formou e influenciou diretamente o pensamento e a cultura
das diferentes tribos nômades paleolíticas no filme “A Guerra da Fogo”. O filme -
tendo como fio linear a busca de um grupo pelo fogo perdido após um embate entre
tribos, pois não possuíam a técnica necessária para sua obtenção, e seu contato
com outros grupos e tribos dotados de diferentes características - mostra como a
necessidade da transmissão e presentificação de técnicas e mitos, ou seja, a troca
de informações, estimula o desenvolvimento da comunicação em níveis cada vez
mais elevados.
O contato com tribos que possuíam diferentes tecnologias, pinturas, culturas
e características físicas, gestuais e orais influencia diretamente a personagem
principal, que como todo homem até os dias atuais, agrega e incorpora – interna e
externamente – as características das pessoas e povos que cruzaram seu caminho
durante a busca pelo fogo. Esse fator mostra-se tão presente no filme que seu fim
mostra uma união “concreta” de duas tribos diferentes, com à espera de um filho da
personagem principal com a mulher salva por ele de uma tripo antropofágica,
exemplificando metaforicamente a futura união de tribos e desenvolvimento social
que, muito tempo depois, culminará na extinção do pensamento mítico e cíclico de
cada tribo e dará origem a um novo tipo de pensamento e o surgimento da filosofia.
Há também a representação da relação homem x natureza, mostrando como há o
início da dominação da natureza e como esse processo está intimamente ligado à
criação dos signos e divisão do mundo para sua “catalogação”.
A questão tratada no filme no âmbito histórico e sociológico é como a
linguagem está totalmente presente na formação da cultura de um povo e sua
interferência no pensamento, além de como sua estrutura e nível de
desenvolvimento está diretamente ligada às características culturais e tecnológicas
de cada grupo.