Você está na página 1de 1

As Causas do Homossexualismo

Vários pesquisadores concluíram que não existe evidência para apoiar a idéia que a
homossexualidade tenha uma causa física ou biológica.
Resta-nos a idéia de que o homossexualismo é aprendido. Existem várias teorias de
como isso acontece:
1. Relacionamentos entre Pais e Filhos;
2. Outros Relacionamentos Familiares;
3. Medo: alguns temem o sexo oposto talvez devido a falta de contato freqüente com
pessoas do sexo oposto. Um livro acrescenta que grupos religiosos às vezes promovem o
homossexualismo quando proíbem a interação entre meninos e meninas. Neste ambiente de
condenação ao heterossexualismo o homossexualismo se torna uma alternativa mais segura
e menos temível.
4. Escolha Deliberada de Atos Homossexuais: Segundo a descoberta de um escritor:
É mais correto dizer que os seres humanos – e outros mamíferos – tem capacidade para
uma resposta heterossexual e capacidade para uma resposta homossexual ao nascer, mas
não possuem uma decisão inata em direção de uma ou de outra. Depois de a capacidade de
resposta ter sido explorada e o aprendizado começar, podemos então falar de uma tendência
a uma ou a outra sexualidade. Mas esta tendência é adquirida e é um produto do
aprendizado e não parte da herança biológica do indivíduo.
Os efeitos homossexuais:
Os indivíduos homossexuais são naturalmente afetados cada um de um modo, mas a
homossexualidade influencia especialmente três áreas:
1. Os Efeitos no Estilo de Vida: Um relatório sobre os “Bairros Gay”, descreveu a recente
emergência de comunidades homossexuais onde as lojas servem aos gays, onde
praticamente não há mulheres e crianças, e onde os estilos de vestuário refletem a maneira
de vestir adotada no momento pelos homossexuais. Mais proeminentes são os relatórios
sobre professores e líderes de juventude do sexo masculino que molestam sexualmente
rapazinhos e os induzem a atos homossexuais. Outros escritores descreveram o número
crescente de bares gays. Tais relatórios despertaram medo e repulsa na mente de muitos,
inclusive membros da igreja.
Entretanto, não existe um estilo de vida homossexual. É incorreto e impiedoso concluir que
a maioria dos homossexuais sejam molestadores de crianças, afeminados (no caso dos
homens), psicologicamente mal-ajustados, e constantemente preocupados com sexo. Tais
estereótipos levaram os cristãos a repelir os homossexuais e negar-lhes a aceitação que
deveriam encontrar na comunhão da igreja. É também verdade que muitos deles são
cidadãos aceitos e seguidores da lei da comunidade. Alguns vivem juntos abertamente;
outros mantém suas tendências homossexuais ocultas e controladas.
O estilo de vida deles é influenciado de modo diferente. Alguns declaram publicamente
outros ocultam, e outros vivem com um medo silencioso e persistente de que sua orientação
homossexual possa vir inadvertidamente à tona e provocar a perda de amigos, empregos e
aceitação por parte de outros.
2. O Autocontrole e os Efeitos Emocionais: Alguns gays proclamam que, além de bom, ser
homossexual é algo da superioridade à pessoa. Muito mais predominante é o complexo de
inferioridade que atormenta quem quer que seja diferente da maioria. Culpa com respeito a
homossexualidade, solidão, temor de deixar transparecer, a própria homossexualidade.
Diante da pressão, a solução é a fuga para os “bares gay”.
3. Efeitos no Relacionamento: inúmeros homossexuais formam relacionamento com
pessoas do mesmo sexo, porém, no geral é temporário.