Você está na página 1de 17

Departamentos Gerais

Os departamentos gerais da Igreja Adventista da Promessa,


de acordo com o Estatuto e com a data de surgimento, são:

- Federação das Uniões da Mocidade Adventista da Promessa –


FUMAP, 29 de Julho de 1950.
- Departamento de Missões e Evangelismo – DEME, Julho de
1958.
- Departamento de Educação e Cultura Religiosa – DECR,
Julho de 1961.
- Junta Beneficente Pastoral Adventista da Promessa –
JUBPIAP, 22 de Julho de 1964.
- Federação das Sociedades Femininas Adventistas da
Promessa – FESOFAP, 1966.
- Departamento de Ensino da Igreja Adventista da Promessa –
DEAP, 1986.
- Departamento Ministerial – DEMI, Janeiro de 1988.
- Coordenadoria de Assistência Social Adventista da Promessa
– CASAP, 1994.
- Departamento de Música Adventista da Promessa – DEMAP,
Novembro de 1995.
- Departamento Infanto-Juvenil Adventista da Promessa –
DIJAP, 22 de Março de 1997.

Formação e História dos Departamentos

Para auxiliar no desempenho do trabalho, em várias áreas


das atividades da igreja foram criados os departamentos, com
atribuições definidas. Cada um cuida e desenvolve seu trabalho
na sua área de atuação, isso contribui para que a Causa, no
todo, seja beneficiada. No Estatuto, esses departamentos estão
relacionados, em capítulo especial, às suas atribuições. Aqui,
será feita apenas uma menção a eles, a partir da criação e
desenvolvimento de cada um.

I - Departamento de Missões e
Evangelismo – DEME

No ano de 1958 o pastor José Pereira Mendes teve a idéia


de se alçar uma oferta para missões estrangeiras. A cidade de
Fernandópolis, no interior Paulista, foi a pioneira. A oferta
rendeu Cr$ 18,00. Esta importância e outras que foram
arrecadadas se destinavam ao envio de um representante ao
estrangeiro, pois já havia uma Escola Bíblica em Angra do
Heroísmo, Arquipélago dos Açores, para onde eram constantes
as correspondência enviadas da igreja.
Sabe-se que o irmão Arlindo Ferreira membro daquela
igreja, contribuiu com a importância de Cr$ 5,00, do total da
oferta arrecadada naquela igreja. O que foi escrito pelo pastor
Otoniel da Silveira, está confirmado na Ata da 17ª Assembléia
Geral do Presbitério, com data de 20 de Julho de 1957, onde
está escrito:
“Autorizou-se a criação de um caixa para Missões
Estrangeiras, objetivando-se a idéia de missionários para outros
países, o que esperamos seja em futuro próximo. Oremos, pois,
para que isso se concretize”.

I . I - A criação do Departamento de Missões


e suas duas primeiras Diretorias

Com o fim de cuidar das atividades da igreja ligadas à


Missões, foi criado, em Julho de 1958 o Departamento de
Missões Estrangeiras. Este nome foi substituído, mais tarde,
por: Missões e Evangelismo, para poder configurar melhor as
atividades da igreja, nos campos nacional e estrangeiros. Nessa
mesma ocasião, foi eleita sua primeira diretoria, que ficou assim
formada: Presidente: Pr. José Pereira Mendes; Secretário: Pr.
Godofredo Rodolfo Wanderley; Tesoureiro: Pr. Jonatã Muniz
Falcão.
Em 24 de Setembro de 1959, em Assembléia Geral do
Presbitério, foi eleita a segunda diretoria, cuja composição foi a
seguinte: Presidente: Dá. Cassiano Domingos de Souza;
Presidente de Honra: Pr. José Pereira Mendes; Secretário: Ir.
José da Costa Menezes; Tesoureiro: Pr. Junílio da Silveira. Foi
durante esta segunda gestão administrativa iniciou, através
desse departamento, suas atividades no Exterior.

II - Departamento de Educação e
Cultura Religiosa – DECR

O DECR – antes, Departamento de Publicação – foi


formado em Julho de 1961, em Assembléia Geral, com a
finalidade de organizar e produzir toda a literatura da igreja:
Lições Bíblicas, O Restaurador, Livros, Folhetos e Material
destinado ao funcionamento das Escolas Bíblicas, bem como
todo material de expediente para a igreja.
O primeiro diretor foi o Pr. Genésio Mendes, cujo trabalho
no departamento era de orientação, revisão de material
destinado à publicação e acompanhamento na gráfica. Em
1976, o Departamento adquiriu a sua independência funcional.
Assim, o Pr. Genésio dedicou o seu trabalho só a este setor da
obra. Era sozinho, mas tinha como colaboradores, em questões
doutrinárias e de redação e correção, os pastores Godofredo
Wanderley e Otoniel da Silveira. Permaneceu à frente do
Departamento até Janeiro de 1980, quando foi eleito presidente
da Região Paulista.
O DECR, desde 1939, quando da função de O
Restaurador, já produziu milhares e milhares de páginas,
levando a mensagem da salvação, os fundamentos da fé
evangélica, testemunhando as bênçãos de Deus sobre a vida do
seu povo, produzindo literaturas evangélicas, doutrinárias,
revistas, livro de cânticos, brados de júbilo, lições bíblicas,
livros e materiais de expediente.
Que esse Departamento continue abençoando a vida dos
irmãos, através de uma literatura, contendo ensinamentos e
orientações inspirados na palavra de Deus.

III - Departamento de Assistência Social – DASAP

Este departamento funciona como um órgão da igreja


Adventista da Promessa, desde o dia 18 de fevereiro de 1969.
Foi registrado em 1 de Março de 1971, e funciona como
organização da seguinte forma: Dasaps Regionais, juntas
diaconisas, juntas assistenciais, asilos, centro sociais, creches e
cursos. Da forma como está organizado, este órgão justifica, na
prática, o nome que tem, pois sua área de atuação é a
Assistência Social da Igreja. Mas, não se limita somente a isto,
visto ter ele uma visão missionária, quando assiste aos carentes
em geral.
Na história desse departamento da igreja, uma das
pessoas que mais atuou foi, sem dúvida alguma, o Pr. Ângelo
Bastos de Freitas. Recentemente, foi criada a Coordenadoria
geral (CASAP), órgão que orienta e ajuda na administração dos
DASAPS.

IV - Junta Beneficente Pastoral – JUBPIAP

A Junta Beneficente Pastoral foi criada por decisão da


Assembléia Geral, em Reunião realizada na cidade do Rio de
Janeiro, no dia 22 de Julho de 1964. Ao criá-la o presbitério da
igreja demonstrou seu zelo e cuidado por aqueles que o
representam, aonde quer que tenham sido enviados por ele, em
comprimento da missão que abraçaram.
Não seria justo que o obreiro do Senhor, ao encerrar sua
carreira, por ter cumprido seu tempo de serviço, por motivo de
invalidez ou pela idade, ficasse sem assistência e desamparado.
Por isso, Deus seja louvado pela Junta Beneficente Pastoral, e
todos reconhecem, com admiração, a inspirada iniciativa do Pr.
Cassiano Domingos de Souza, autor da proposta que resultou
na criação desse órgão, do qual também foi eleito primeiro
Presidente.
Um ano depois da criação, em 22 de Julho de 1965, a
JUBPIAP realizou sua primeira jubilação: o Pr. João Augusto da
Silveira, nosso pioneiro.
Suas fontes de renda são: os dízimos, as contribuições
pastorais, um percentual da renda bruta da igreja, as ofertas do
dia do pastor e as que resultam das campanhas e ofertas
especiais.
Em Janeiro de 1977, quando a reunião do Presbitério
Geral, em São Paulo, criou-se o dia do Pastor. A data escolhida
foi a data da fundação da JUBPIAP. Ou seja, 22 de Julho, para
homenagearem os pastores, missionários, obreiros e suas
respectivas esposas.

V - União da Mocidade
Adventista da Promessa - UMAP

A constituição da Mocidade em União deu-se em satisfação


a imperiosos anseios que se impunham a uma sociedade
formada por pessoas de várias faixas etárias.
A igreja tinha pouco mais de 12 anos de existência e em
seu rol de membros, já existia um grupo de jovens que
precisavam unir-se em torno dos mesmos objetivos cristãos e da
comunidade a que pertenciam; desenvolver atividades que os
mantivessem fiéis aos princípio religiosos e ganhar outros
tantos que ainda não conheciam Jesus Cristo.
A iniciativa desse empreendimento deu-se ao jovem
Otoniel da Silveira, que recebeu colaboração de outros jovens da
época, tais como seu irmão Junílio, Natal Benedito, e outros,
tanto rapazes quanto moças. Assim foi que, em 15 de setembro
de 1945, reuniram-se, informalmente para apreciação do
assunto.
As idéias evoluíram e criaram corpo. E naquela tarde de
sábado, tudo ficou acertado: a cada quinze dias após os
trabalhos normais da igreja, a mocidade se reuniria para tratar
de assuntos de seu interesse sob a liderança proponente desse
ideal. Organizou-se, então, naquele dia, na capital de São Paulo,
no bairro de Santana, a mocidade promessista, inicialmente
com o nome de “Grêmio Monte Tabor”.
Em meados de 1948, organizou-se, oficialmente, a
primeira diretoria dessa agremiação, composta pelos irmão:
Presidente: Abner S. da Silva, Secretária: Maria Celina
Thomazinho e Tesoureiro: Sebastião Ferreira de Oliveira. Essa
diretoria servia de ponte de ligação entre as demais agremiações
já existentes e que iam se organizando.

VI - Federação das Uniões da Mocidade Adventista


da Promessa - FUMAP e Congressos Juvenis

O primeiro congresso juvenil realizou-se nos dias 29 e 30


de julho de 1950 na cidade de São Paulo, na igreja de Vila
Maria. A mesa diretora foi formada pelos irmãos: Abner Silveira
da Silva, Maria Celina Thomazinho, Sebastião Ferreira de
Oliveira e Otoniel da Silveira, entre outros. Foi então, que o
irmão Otoniel utilizou suas palavras iniciais, estimulando todos
a cantarem, com bastante vigor o hino de abertura: “moços,
declarai guerra contra o mal”. Neste congresso, foi aberto um
plenário, onde foram aprovadas diversas propostas, pondo em
destaque a criação da Federação das Uniões Adventista da
Promessa

VII - Regional das Uniões da Mocidade


Adventista da Promessa - RUMAP

Em razão do progresso do trabalho da mocidade e do seu


crescimento associativo, ficou difícil para a FUMAP atender a
todas as Umaps do espalhadas pelo Brasil inteiro e nos países
de fronteira.
Para melhor atender à demanda do trabalho, a Federação
criou a RUMAP – Regional das Uniões da Mocidade Adventista
da Promessa -, em 14 de agosto de 1976. A primeira Rumap foi
a Leste, com sede na cidade do Rio de Janeiro. Seguindo a
divisão Regional do Presbitério, foram criadas RUMAPS nas
regiões onde o trabalho juvenil exigia.
As RUMAPs tem as suas diretorias eleitas e compostas de:
Presidente, vice-presidente, Secretário Executivo e Tesoureiro.
As chapas são apresentadas à Rumap e ao Presbitério Regional.
Aprovadas, são levadas ao conhecimento das Umaps, que, em
data determinada, votam em eleição secreta.
O mandato da diretoria da Rumap é de dois anos. Para
alcançar seu objetivos, a Rumap realiza: Congressos, distritais,
convenções juvenis, cursos, conferências, palestras, e etc.

VIII - Sociedade Feminina


Adventista da Promessa - SOFAP

Em 1948, no segundo semestre, o pastor João Augusto da


Silveira autorizou a irmã Zilda Ferreira Ribeiro a organizar uma
sociedade de mulheres. Esta irmã, junto as irmãs da época, deu
impulso especial ao trabalho feminino dentro da igreja. A
entidade recebeu, inicialmente, a denominação de Sociedade
das Dorcas; depois, Sociedade Auxiliadora Feminina, e,
posteriormente, Sociedade Feminina Adventista da Promessa.

IX - Federação das Sociedade Femininas


Adventista da Promessa – FESOFAP

Em 1966, a Assembléia Geral do Presbitério, sob a


presidência do pastor Miguel Corrêa, aprovou a Federação das
Sociedades femininas Adventista da Promessa, para coordenar
as demais sociedades, sendo a primeira presidente a Dsa.
Dulcides Vieira Corrêa.
Em 1970, a federação realizou o primeiro congresso, sob a
presidência da Das. Silvia Penna Dias da Silveira e uma equipe
composto de toda a diretoria e dos váriois departamentos, de
forma coesa e determinada deu continuidade ao trabalho
feminino Adventista da Promessa

XI - Regional das Sociedades Femininas


Adventista da Promessa – RESOFAP

A primeira RESOFAP formada foi da região Leste, em 1970,


sendo eleita para presidente a Das. Juracy da Silva Oliveira.
Hoje existem 30 RESOFAPs, 469 SOFAPs formadas e,
aproximadamente 9105 sócias escritas.

XI - Infanto Juvenil Adventista da Promessa – DIJAP

As igrejas da I.A.P., de modo geral, sempre tiveram as


classe dos cordeirinhos ou a escolinha das crianças, realizada
sob a administração da direção local de cada igreja. O ensino,
de modo geral, era feito por irmãs vocacionadas ou
desprendidas. A falta de uma organização sistemática, nesta
área, trazia uma grande preocupação da igreja.]
Em fevereiro de 1997, o pastor Estível Ramos, então
presidente do Presbitério geral, convidou a Das. Miryam
Andreoli Fresqui para organizar o Departamento Infanto –
Juvenil, visando dar um atendimento necessário a I.A.P. de
forma geral.
O DIJAP foi a denominação originária do Departamento
Infanto Juvenil da região Sul, e, posteriormente foi adotada,
oficialmente, pela liderança nacional.
O primeiro Departamento Infanto Juvenil regional
organizado foi o da região Sul, em 1986, cuja a diretora foi a
Dsa. Gersonita de Oliveira Leguizamon.
Em 12 de novembro de 2001, foi realizada a primeira
Assembléia de Lideres dos DIJAPs de todo o Brasil. Todos os
DIJAPs regionais e muitos DIJAPs locais, estiveram
representados por delegados que, além de trazerem seu apoio à
liderança geral, demonstraram coragem e determinação para
com o trabalho de ensino Infanto-Juvenil da I.A.P.
A partir de 1997, várias lideranças regionais foram
motivadas a organizar DIJAPs, para orientar as igrejas locais e
dar melhor atendimento as necessidades das crianças e dos
adolescentes.

REGIÃO ANO DIREÇÃO


AMAZÔNICA 1998 Pr. Pedro Afonso Leal de Farias
BAIANA 1997 Dsa. Maria Aparecida de Oliveira
BAIXO-AMAZONAS 1998 Dsa. Maria do Carmo Canto Melo
BRASIL-CENTRAL 1998 Dsa. Divalda de Oliveira Soares
COSTA NORTE 1997 Victor Emmanoel de O. Mato
D’ OESTE PAULISTA 2002 Milza Severo de Oliveira
ESPÍRITO SANTO 2000 Nilzete de Souza
EXTREMO-SUL 1997 Jean Freitas de Carvalho
GERAL: VILA MARIA 1970 -

GERAL: VILA MEDEIROS 1970 -


GERAL: EDU CHAVES 1980 -
GERAL: SANTANA 1995 Dsa. Tecla Pereira Brito
GOIÂNIA 1998 Vera Lúcia de Oliveira Almeida
LESTE 1997 Dsa. Célia Corrêa N. Beltran
LITORÂNEA 1997 Lucimara Tostes
MINEIRA 1997 Walfredo Rodrigues Filho
NORDESTE ORIENTAL 1997 Miriam Viana
NOROESTE 1998 Irayldes Alves
NOROESTE PAULISTA 1997 Pr. Elias Alves Ferreira
NORTE 1997 Raquel Coimbra Ribeiro
OESTE 1997 Zilda Ferreira do Carmo
PAULISTA 2000 Dsa. Maria de L. S. Menossi
PARANAENSE 1995 Maria Aparecida Betinelli Baio
PAULISTANA 1990 Dsa. Célia Corrêa N. Beltran
RONDOACRE 1997 Mis. Valdeci Martins Nascimento
SEAL 1997 Edilene Nunes de Oliveira
SUL 1986 Dsa. Gersonita de O. Leguizamon

8. DEPARTAMENTO DE MÚSICA
ADVENTISTA DA PROMESSA – DEMAP

Embora, desde o inicio, a música tenha feito parte da


realização dos objetivos cristãos da IAP e muito se tenha
realizado nesse sentido, só a partir de novembro de 1995, por
decisão de Assembléia Geral, em Vila Maria – S. Paulo- SP, foi
que ficou determinada a criação oficial do Departamento de
Música da Igreja, com a indicação da seguinte comissão de
musicistas, para organizar esse Departamento: diaconisas:
Naide Cassemiro Flórêncio, Dulcides Vieira Correa, Vilma
Pimentel. Thela Pereira Brito, Eliana Beda Soares, Marcionila da
Silveira, Dá. José Alcântara da Silva, e irmãos: Wellington
Correia Menezes, José Vidal, Elizabete Fonseca e Patricía
Fresqui. Coube, então, à Junta Geral indicar o irmão Wellington
como seu diretor, todos exercendo essas atribuições de forma
voluntária, à medida da possibilidade e do tempo disponível.
Várias reuniões foram realizadas e diversos objetivos foram
traçados, no sentido de que a música na Igreja seja exercida
dentro dos padrões de qualidade da palavra de Deus, com boa e
eficaz aplicação. Pensou-se, também, numa provável edição
melhorada e com a música, de nossos Brados de Júbilo. Esse é
um trabalho de grande fôlego, que ainda não se deu por
acabado.
Há algum tempo, a Diretoria Geral da Igreja admitiu , em
tempo integral, a jovem musicista Vilma Martins, que vem se
dedicando, com muito amor, à área, cujos, resultados têm sido
do agrado de todos.
Se até agora foi possível prestar louvor do agrado do
Senhor Jesus, em breve tudo há de ser melhor, pois s tem visto
um despertar de interesse pela música sacra, e muitas pessoas
preparadas estão se dedicando a ela.
O campo de atuação desse Departamento é muito amplo e
não se volta apenas para os cânticos de hinos congregacionais
ou de grupos de louvores; é um santo ministério, voltado para o
perfeito louvor e adoração a Deus, e, nisso, há uma realidade
diária, que nunca pode ser esquecida, principalmente quando
se sabe que existe tanta música boa sendo desenvolvida em
nossas igrejas, que precisa de uma coordenação maior, em
busca de resultados melhores.

8.1 Congresso de Música e Tecnologia – Musitec


No ano de 1996, nasceu no coração da FUMAP um projeto
de grande importância para o ministério de Música da
Promessa: O MUSITEC. Este projeto visava ao aprimoramento
dos músicos, no que diz respeito à adoração e à técnica
musical. Quando lemos, no livro de Crônicas, sobre os levitas,
vemos que eles eram extremamente preparados para ministrar
o louvor, no momento dos cultos. Era isso que os idealizadores
deste projeto vislumbravam: pessoas preparadas para oferecer
a Deus o melhor de si, que pudessem levar a congregação a
prostrar-se diante de Deus , através de um louvor sincero,
verdadeiro e, também, de bom nível musical.
Em sua primeira edição (dez/1996), o MUSITEC era um
pequeno congresso, com um dia de duração apenas. Neste
congresso, foram oferecidos oficinas de instrumentos (teclado,
guitarra, contra-baixo, bateria), canto, ministração e prática de
grupo; todas elas ministradas por professores evangélicos de
altíssimo nível profissional.
Esta primeira edição foi um grande sucesso na cidade de
São Paulo, e motivou a realização de mais 3 edições, sendo que
a último foi no ano de 2000, na cidade de Guarulhos.
Nas outras edições, já contando com o apoio do DEMAP, o
evento foi crescendo, tendo mais carga horária, abrindo mais
cursos, não só na área musical, mas também na área de
liderança e na área pastoral, contando com professores e
preletores de grande nível profissional e de renome na sociedade
evangélica brasileira.
Para este evento, vieram congressistas de várias estados
do Brasil e também de outras denominações. Foram quatro
grandes festas para o cenário musical promessista. Mas estes
eventos não se limitaram a festas ou a encontros. Após cada
Musitec, foi gerado muito desenvolvimento musical: muitos
músicos voltaram a se dedicar aos seus instrumentos, muitos
voltaram às escolas de música e conservatórios. A hinódia (ou o
repertório) das igrejas foi renovado, através de novos cânticos
ensinados, editados em hinários (song books), cifrado nos dois
últimos Musitecs.

9. DEPARTAMENTO MINISTERIAL – DEMI

Na Assembléia Geral realizada em janeiro de 1998, o Pr.


Diomar Pereira dos Santos apresentou um ponto, visando à
criação do Departamento Ministerial, que recebeu a aprovação
total do plenário.
De acordo com o estatuto da IAP, no art. 45 e incisos, a
função do Departamento Ministerial é a de assistir e amparar a
todo o corpo de trabalhadores eclesiásticos. O Demi é um braço
direito da diretoria geral, para facilitar o aumento da
produtividade pastoral. Para tanto, o departamento pode
utilizar-se de eventos de instrução e treinamentos, que tornem
possíveis os objetivos a que o mesmo se propõe.
O trabalho do Demi é extensivo às famílias dos ministros,
e, para atingir os seus fins, utiliza-se de instrumentos, como:
encontros de casais, encontros de famílias de pastores, clínicas
ministeriais terapêuticas, entre outras atividades.
O primeiro diretor do Demi foi o pastor Diomar Pereira dos
Santos, seguido pelos seguintes pastores: Williams Corrêa
Soares, Miguel Corrêa, José de Oliveira Neto, e, atualmente,
responde pelo departamento o Pr. Gilberto Fernandes Coelho.
Este departamento também é responsável pelo trabalho de
coleta e triagem de material a ser usado como pauta da revista
Ação Ministerial, editada pela IAP e destinada a todos os
consagrados e suas famílias.