Você está na página 1de 14

4.

58 Avalie a taxa líquida de fluxo de quantidade de movimento para fora da superfície de controle
do Problema 4.24.

4.59 Para as condições do Problema 4.34, avalie a razão entre o fluxo de quantidade de movimento
na direção x na saída do canal e aquele na entrada.

4.60 Para as condições do Problema 4.35, avalie a razão entre o fluxo de quantidade de movimento
na direção x na saída do tubo e aquele na entrada.

4.61 Avalie o fluxo líquido de quantidade de movimento através da curva do Problema 4.38, se a
profundidade normal ao diagrama for w = 1 m.

4.62 Avalie o fluxo líquido de quantidade de movimento através do canal do Problema 4.39. Você
esperaria que a pressão na saída fosse maior, menor ou a mesma que a pressão na entrada? Por quê?

4.63 Jatos de água estão sendo usados cada vez com maior frequência para operações de cortes de
metais. Se uma bomba gera uma vazão de 63 × 10-6 m3/s através de um orifício de diâmetro
0,254 mm, qual é a velocidade média do jato? Que força (N) o jato produzirá por impacto,
considerando como uma aproximação que a água segue pelos lados depois do impacto?

4.64 Considerando que na região de escoamento completamente desenvolvido de um tubo, a integral


da quantidade de movimento axial é a mesma em todas as seções transversais, explique a razão para
a queda de pressão ao longo do tubo.

4.65 Calcule a força requerida para manter o tampão fixo na saída do tubo de água. A vazão é 1,5
m3/s e a pressão a montante é 3,5 MPa.
4.66 Um jato de água saindo de um bocal estacionário a 10 m/s (Aj = 0,1 m2) atinge uma pá defletora
montada sobre um carrinho conforme mostrado. A pá vira o jato em um ângulo θ = 40°. Determine o
valor da massa M requerida para manter o carrinho estacionário. Se o ângulo da pá, θ, for regulável,
trace um gráfico do valor de M necessário para manter o carrinho estacionário em uma função de
θ para 0 ≤ θ ≤ 180°.

4.67 Um grande tanque, de altura h = 1 m e diâmetro D = 0,75 m, está fixado sobre uma plataforma
rolante conforme mostrado. Água jorra do tanque por meio de um bocal de diâmetro d = 15 mm. A

velocidade uniforme do líquido saindo do bocal é, aproximadamente, em que y é a


distância vertical do bocal até a superfície livre do líquido. Determine a tração no cabo para y = 0,9
m. Trace um gráfico da tração no cabo como uma função da profundidade de água para a faixa 0 ≤ y
≤ 0,9 m.

4.68 Um cilindro circular inserido de través em uma corrente de água, conforme mostrado, deflete o
escoamento de um ângulo θ. (Isto é chamado de “efeito Coanda”.) Para a = 12,5 mm, b = 2,5 mm, V
= 3 m/s e θ = 20°, determine a componente horizontal da força sobre
o cilindro devido ao escoamento da água.
4.69 Uma placa vertical tem um orifício de bordas vivas no seu centro. Um jato de água com
velocidade V atinge a placa concentricamente. Obtenha uma expressão para a força externa requerida
para manter a placa no lugar, se o jato que sai do orifício também tem velocidade V. Avalie a força
para V = 4,6 m/s, D = 100 mm e d = 25 mm. Trace um gráfico da força requerida versus a razão de
diâmetros para uma faixa adequada do diâmetro d.

4.70 Em um experimento laboratorial, a vazão de água deve ser medida capturando-a conforme a
água sai verticalmente de um tubo dentro de um tanque aberto e vazio que está sobre uma balança
zerada. O fundo do tanque está a 10 m diretamente abaixo da saída do tubo, e o diâmetro do tubo é
de 50 mm. Um estudante obtém uma vazão constatando que após 60 segundos o volume de água (a
4ºC) foi de 3 m3. Outro estudante obtém uma vazão observando a massa instantânea de 3150 kg
indicada no instante 60 segundos. Determine a vazão mássica que cada estudante calcula. Por que
eles estão em desacordo? Qual das vazões é a mais precisa? Mostre que o módulo da discrepância
pode ser explicado por algum conceito que você já pode conhecer.

4.71 Um tanque de água está apoiado sobre um carrinho com rodas sem atrito como mostrado. O
carro está ligado a uma massa M = 10 kg por meio de um cabo e o coeficiente de atrito estático da
massa com o solo é = μ 0,55. Se a porta bloqueando a saída do tanque é removida, o escoamento
resultante na saída será suficiente para iniciar o movimento do tanque? (Considere que escoamento

de água sem atrito, e que a velocidade do jato é em que h = 2 m é a profundidade da


água.) Encontre o valor da massa M justamente necessária para manter o tanque no lugar.
4.72 Uma comporta possui 1 m de largura e 1,2 m de altura, é articulada no fundo. De um lado, a
comporta suporta uma coluna de água com 1 m de profundidade. De outro lado, um jato de água
com 5 cm de diâmetro atinge a comporta a uma altura de 1 m. Qual velocidade V é necessária para
que o jato mantenha a comporta na vertical? Qual será essa velocidade se a coluna de água for
diminuída para 0,5 m? Qual será a velocidade se a coluna de água for diminuída para 0,25 m?

4.73 Um fazendeiro compra 675 kg de grãos, a granel, da cooperativa local. Os grãos são despejados
na sua caminhonete através de um alimentador afunilado com um diâmetro de saída de 0,3 m. O
operador do alimentador determina a carga a pagar observando a variação como o tempo do peso
bruto da caminhonete indicado na balança. O fluxo de grãos do alimentador é
interrompido, quando a leitura da balança atinge o peso bruto desejado. Se a massa específica do
grão é 600 kg/m3, determine a verdadeira carga a pagar.

4.74 Água escoa em regime permanente pelo bocal de uma mangueira de incêndio. A mangueira tem
diâmetro interno de 75 mm e a ponta do bocal de 25 mm; a pressão manométrica na mangueira é 510
kPa e a corrente de água deixando o bocal é uniforme. Na saída do bocal, a velocidade de água é 32
m/s e a pressão é atmosférica. Determine a força transmitida pelo acoplamento entre a mangueira
e o bocal. Indique se o bocal está sob tração ou compressão.
4.75 Um tipo de prato, raso e circular, tem um orifício de bordas vivas no centro. Um jato de água,
de velocidade V, atinge o prato concentricamente. Obtenha uma expressão para a força externa
necessária para manter o prato no lugar, se o jato que sai pelo orifício também tem velocidade V.
Avalie a força para V = 5 m/s, D = 100 mm e d = 25 mm. Trace um gráfico da força requerida em
função do ângulo θ (0 ≤ θ ≤ 90°), com a razão de diâmetros como parâmetro, para uma faixa
adequada do diâmetro d.

4.76 Obtenha expressões para a taxa de variação em massa do volume de controle mostrado, bem
como as forças horizontal e vertical requeridas para manter o volume de controle fixo, em função de
p1, A1, V1, p2, A2, V2, p3, A3, V3, p4, A4, V4 e da massa específica constante ?.

4.77 Em um cotovelo redutor de 180°, de diâmetro interno de 0,2 m, a água tem uma velocidade
média de 0,8 m/s e uma pressão manométrica de 350 kPa. Na saída, a pressão é 75 kPa, e o diâmetro
interno é 0,04 m. Qual é a força requerida para manter o cotovelo no lugar?
4.78 Água está escoando em regime permanente por um cotovelo de 180°. Na entrada do cotovelo, a
pressão manométrica é 103 kPa. A água é descarregada para a atmosfera. Considere que as
propriedades são uniformes nas seções de entrada e de saída; A1 = 2500 mm2,
A2 = 650 mm2 e V1 = 3 m/s. Determine a componente horizontal da força necessária para manter o
cotovelo no lugar.

4.79 Água escoa em regime permanente pelo bocal mostrado, descarregando para a atmosfera.
Calcule a componente horizontal da força na junta flangeada. Indique se a junta está sob tração ou
compressão.

4.80 Suponha que a curva do Problema 4.39 seja um segmento de um canal largo no plano
horizontal. A pressão na entrada é de 170 kPa (abs) e, na saída, 130 kPa (abs). Determine a força
requerida para manter a curva no lugar.
4.81 Um dispositivo de formação de jato é mostrado no diagrama. A água é fornecida a p = 10 kPa
(manométrica) através da abertura flangeada de área A = 1900 mm2. A água sai do dispositivo em
um jato livre, em regime permanente, à pressão atmosférica. A área e a velocidade do jato são a =
650 mm2e V = 4,6 m/s. O dispositivo tem massa de 0,09 kg e contém = 196 cm3 de água.
Determine a força exercida pelo dispositivo sobre o tubo de suprimento de água.

4.82 Uma placa plana com um orifício de 50 mm de diâmetro está instalada na extremidade de um
tubo de 100 mm de diâmetro. Água escoa através do tubo e do orifício com uma vazão de 0,57 m3/s.
O diâmetro do jato a jusante do orifício é 38 mm. Calcule a força externa necessária para manter a
placa de orifício no lugar. Despreze o atrito na parede do tubo.
4.83 O bocal mostrado descarrega uma cortina de água por meio de um arco de 180°. A uma
distância radial de 0,3 m a partir da linha de centro do tubo de suprimento, a velocidade da água é 15
m/s e a espessura do jato é 30 mm. Determine (a) a vazão volumétrica da cortina de água e (b) a
componente y da força necessária para manter o bocal no lugar.

4.84 Um motor de foguete a combustível líquido consome, na condição de empuxo nominal, 80 kg/s
de ácido nítrico como oxidante e 32 kg/s de anilina como combustível. Os gases de escape saem
axialmente a 180 m/s em relação ao bocal de descarga e a 110 kPa. O diâmetro de saída do bocal é
D = 0,6 m. Calcule o empuxo produzido pelo motor em uma bancada de testes instalada no nível do
mar.

4.85 Uma máquina típica para testes de motores a jato é mostrada na figura, juntamente com alguns
dados de testes. O combustível entra verticalmente no topo da máquina a uma taxa igual a 2% da
vazão em massa do ar de admissão. Para as condições dadas, calcule a vazão mássica de ar através
da máquina e estime o empuxo produzido.
4.86 Considere o escoamento através da expansão súbita mostrada. Se o escoamento for
incompressível e o atrito desprezível, mostre que o aumento de pressão, Δp = p2 – p1, é dado por

Trace o gráfico do aumento de pressão adimensional versus a razão de diâmetros para determinar o
valor ótimo de d/D e o valor correspondente do aumento adimensional de pressão. Sugestão:
Suponha que a pressão seja uniforme e igual a p1 na superfície vertical da expansão.

4.87 Um jato livre de água, com área de seção transversal constante e igual a 0,01 m 2, é defletido por
uma placa suspensa de 2 m de comprimento, suportada por uma mola com constante k = 500 N/m e
comprimento normal x0? 1 m. Determine e trace um gráfico do ângulo de deflexão θ como uma
função da velocidade do jato V. Qual velocidade do jato tem ângulo de deflexão θ = 5°?
4.88 Uma cabeça cônica de jateamento é mostrada. O fluido é a água e a corrente de saída é
uniforme. Avalie (a) a espessura do jato em forma de cortina de água no raio de 400 mm e (b) a
força axial exercida pelo dispositivo sobre o tubo de alimentação de água.

4.89 A figura mostra um redutor em uma tubulação. O volume interno do redutor é 0,2 m 3e a sua
massa é 25 kg. Avalie a força total de reação que deve ser feita pelos tubos adjacentes para suportar
o redutor. O fluido é a gasolina.
4.90 Uma montagem com um bocal curvo que descarrega para a atmosfera é mostrada. A massa do
bocal é 4,5 kg e seu volume interno é de 0,002 m3. O fluido é a água. Determine a força de reação
exercida pelo bocal sobre o acoplamento para o tubo de entrada.

4.91 Uma bomba a jato de água tem área do jato de 0,009 m2 e velocidade do jato de 30,5 m/s. O jato
está dentro de uma corrente secundária de água com velocidade V = 3 m/s. A área total do duto (a
soma das áreas do jato principal e da corrente secundária) é de 0,07 m2. As duas correntes são
vigorosamente misturadas e a água deixa a bomba como uma corrente uniforme. As pressões do jato
e da corrente secundária são iguais na entrada da bomba. Determine a velocidade na saída da bomba
e o aumento de pressão, p2 – p1.
4.92 Um cotovelo redutor de 30° é mostrado. O fluido é água. Avalie as componentes da força que
deve ser aplicada pelos tubos adjacentes para manter o cotovelo estático.

4.93 Considere o escoamento permanente e adiabático de ar através de um longo tubo retilíneo com
área de seção transversal de 0,05 m2. Na entrada do tubo, o ar está a 200 kPa (manométrica), 60°C e
tem uma velocidade de 150 m/s. Na saída, o ar está a 80 kPa, com velocidade de 300 m/s. Calcule a
força axial do ar sobre o tubo. (Certifiquese de estabelecer com clareza o sentido da força.)

4.94 Uma caldeira monotubular consiste em um tubo de 6 m de comprimento e 9,5 mm de diâmetro


interno. Água líquida entra no tubo a uma taxa de 0,135 kg/s com pressão de 3,45 MPa (abs). Vapor
sai do tubo a 2,76 MPa (manométrica), com massa específica de 12,4 kg/m 3. Determine o módulo e
o sentido da força exercida pelo fluido sobre o tubo.

4.95 Um gás escoa em regime permanente por meio de um tubo poroso aquecido, de área de seção
transversal constante e igual a 0,15 m2.Na entrada do tubo, a pressão absoluta é 400 kPa, a massa
específica é 6 kg/m3e a velocidade média é de 170 m/s. O fluido que atravessa a parede porosa sai
em uma direção normal ao eixo do tubo com vazão mássica total de 20 kg/s. Na saída do tubo, a
pressão absoluta é 300 kPa e a massa específica é 2,75 kg/m3. Determine a força axial do fluido
sobre o tubo.
4.96 Água é descarregada a vazão de 0,3 m3/s por uma fenda estreita em um tubo de 200 mm de
diâmetro. O jato resultante, horizontal e bidimensional, tem 1 m de comprimento e espessura de 20
mm, mas com velocidade não uniforme; a velocidade na localização 2 é o dobro da velocidade na
localização 1. A pressão na seção de entrada é 50 kPa (manométrica). Calcule (a) a velocidade no
tubo e nas localizações 1 e 2 e (b) as forças requeridas no acoplamento para manter o tubo de
jateamento no lugar. Despreze as massas do
tubo e da água nele contida.

RESPOSTA: