Você está na página 1de 15

CRIMINOLOGIA

Profª Mônica Resende Gamboa


ORIGEM HISTÓRICA E EVOLUÇÃO DA PENA
PERÍODO DA VINGANÇA
(Século XV e XVI)
Monarquia Absoluta

1. Vingança Privada

2. Vingança Divina

3. Vingança Pública
ORIGEM HISTÓRICA E EVOLUÇÃO DA PENA
1. VINGANÇA PRIVADA

 Lei de talião “OLHO POR OLHO, DENTE POR DENTE”

 Vítima Protagonista

 Exercício das próprias razões

 Código de Hamurabi – 1780 a.C (Babilônia)


§ 196. Se alguém tirar um olho a outro, perderá o próprio olho.
§ 197. Se alguém quebrar um osso a outrem, parta-se-lhe um osso também.
§ 229 e 230. Se o mestre de obras não construiu a casa e esta caindo mata o
proprietário, o construtor será morto... E se for morto o filho do proprietário será
morto o filho do construtor
§ 209. Se alguém bate numa mulher livre e a faz abortar, deverá pagar dez ciclos pelo
feto.
§ 210. Se essa mulher morre, então deverá matar o filho dele.
ORIGEM HISTÓRICA E EVOLUÇÃO DA PENA
2. VINGANÇA DIVINA

 Ordálias ou Juízo de Deus : ferro em brasa,


fogueira, água fervendo, serpentes etc

 Sacerdotes eram responsáveis pela punição

 Fogo purificava alma dos pecadores

 Cárcere = penitência e meditação


ORDÁLIAS
ORIGEM HISTÓRICA E EVOLUÇÃO DA PENA
3. VINGANÇA PÚBLICA

 Pena aplicada por autoridade pública (Rei)

 Visa intimidar o acusado

 Inquisição, confisco de bens, penas perpétuas


e mutilações
ORIGEM HISTÓRICA E EVOLUÇÃO DA PENA
PERÍODO HUMANITÁRIO
(Século XVII e XVIII)
Estado Liberal

• Iluminismo (Locke, Rousseau e Montesquieu)

• Livre Arbítrio

• Método apriorístico de estudo

• Substituição da arbitrariedade pela justiça

• Escola Clássica ou Retribucionista

ETAPA PRÉ–CIENTÍFICA DA CRIMINOLOGIA


CÉSAR BONESANA – MQ. DE BECCARIA
Obra: Dos delitos e das penas

Data: 1764, Milão

Profissão: Jornalista

Legado: “Somente as leis podem fixar as penas para os delitos”;


“É preferível prevenir o delito do que precisar puni-lo”.

Defendia: Proporcionalidade entre o delito e a pena;


Relação crime-castigo;
Contrato social (penas iguais);
Presunção de inocência;
Prevenção do delito.

Rechaçava: Pena de morte; Tortura; Confisco de bens.


CÉSAR BONESANA – MQ. DE BECCARIA

1738 - 1794
FRENOLOGIA
Profissão: Médico e fisiologista

Nacionalidade: Alemanha

Importância: Desenvolveu um método para adivinhar a


personalidade e desenvolvimento das faculdades
mentais e morais com base na forma externa do
crânio – Craniocospia

Defendia: Existência de 26 “órgãos" na superfície do


cérebro que afetam o contorno do crânio,
incluindo um “órgão da morte" presente em
assassinos. Os órgãos do cérebro que eram usados
tornavam-se maiores e os não usados encolhiam. Estes
altos e baixos refletiam áreas específicas do cérebro
que determinam as funções emocionais e intelectuais
de uma pessoa.
FRANZ JOSEPH GALL
1758 -1828
FRENOLOGIA
FRENOLOGIA
FISIONOMISTAS
G. DELLA PORTA KASPAR LAVATER
1535 – 1615 1741 - 1801
FISIONOMISMO
METOSCOPIA

Interesses relacionados