Você está na página 1de 32

Finanças Comportamentais

Um modelo de avaliação de massa

(11) 3242-3600
www.tcx.com.br
Precificação de Ativos e modelos

Grandes personaliades buscaram modelos de precificação.


•No ínicio do século XX, em 1900 Louis Bachelier com sua tese “Théorie de la Spéculation”…
• Em 1933 o rico cientista amador, Alfred Cowles III com seu centro de pesquisa em busca de
malhor precisão dos mercados, chegou a mesma conclusão de Bachelier.
•Em 1938 e 1940, Ralf Nelson Elliott, um engenheiro estudioso em comportamento humano,
escolheu os gráficos de preços por refletir de forma objetiva o comportamento das pessoas.
Selecionou 13 padrões repetitivos humano coletivo num gráfico de preços do mercado de ações
Norte Americanas. Elliott faleceu em 1948.
•Em 1953 o estatístico Inglês, Maurice G. Ksndall, com bases relevantes a um longo período,
analisou as ações negociados no mercado Landline, as commodities; algodão de NY e trigo de
Chicago – mais de um século de série histórica analisado – em busca de padrões convencionais
que levassem a investidores ganhar dinheiro, declarou: “No todo” – Concluíu laconicamente
que sua experiência foi um fracasso…”Não há esperança de conseguir prever os movimentos
das bolsas de forma linear”.
•Surge então em 1956 com um foco diferenciado, o notável Economista Hanrry Markowitz
defendia sua Tese até hoje muito conhecida, sobre a Ideal Carteira Teórica das ações. Hoje em
dia os modêlos mais aceitos pela comunidade financeira é apoiado na visão de Markovitz, que
tem a aplicação de modelos metemático com tratamento linear de quantificação dos preços.
Em retorno, busca-se o acuramento do risco da composição do portifólio de uma teórica
carteira de ações.

2
Psicologia e economia

A pesquisa econômica freqüentemente assume que pessoas são motivadas primordialmente por
incentivos materiais e fazem decisões de modo racional. Considera-se que elas avaliam o estado
da economia e o efeito de seu comportamento processando de informações disponíveis de
acordo com princípios estatísticos padrão. Esse enfoque tem sido formulado axiomaticamente na
chamada teoria de utilidade esperada, que é a teoria econômica predominante para decisões sob
incerteza.

A visão prevalecente na psicologia em geral, psicologia cognitiva em particular, é olhar o ser


humano como um sistema que codifica e interpreta a informação disponível de uma maneira
consciente, mas em que outros fatores, menos conscientes, também influenciam decisões, em
um processo interativo. Tais elementos incluem percepção, modelos mentais para interpretar
situações específicas, emoções, atitudes e memórias de decisões anteriores e suas
conseqüências.

Existem bolhas especulativas, efeito manada, a memória muito fugaz nos mercados financeiros.
A realidade nos mostra que as decisões dos agentes estão longe de ser perfeitamente racionais.
Por isso, conceitos desenvolvidos pelas finanças comportamentais, como o da “racionalidade
limitada” têm um poder de ser perfeitamente racionais.
Prof. Dante Mendes Aldrighi , revista Estadão Investimentos de setembro 2006, pág.16.

3
Psicologia e economia

Sendo o mercado formado por pessoas, e pessoas reagem pelos seus anseios e experiências
passadas agem e reagem quando em busca do mesmo objetivo, por definição, os preços
refletem o comportamento das pessoas – massa – quando em busca dos mesmos objetivos. Há
duas formas de estudar a evolução dos preços:
•Por uma tabela;
•Por gráfico.
Segundo o estudioso em movimento de massa Robert Prether em seu livro “Sob o Princípio da
Onda” editado em 2000, cada decisão do mercado produz uma informação significativa e por
conseqüência produzirá uma informação significativa. Cada transação, uma vez produzido o
efeito, ingressa na estrutura do mercado e, comunicando o dado das transações para os
investidores, formam do outro lado, as correntes das causas e efeito comportamentais. Esta
realimentação é governada pela natureza social do homem, e uma vez que isso tem uma
natureza própria, o processo gera formas – padrões. Como essas formas são repetitivas, elas
tem valor preditivo.
Textos retirado de uma ampla pesquisa sobre o comportamento humano baseado em entrevistas e experimentos,
Daniel Kahneman e outros psicólogos ou cientistas que questionaram a assunção da racionalidade econômica
em algumas situações de decisão.
Daniel Kahneman: Prêmio Nobel de 2002 em Economia.

4
Ralph Nelson Elliott - O Princípio das Ondas - Um modelo de Análise

Considerações Básicas da Teoria de Elliott

•Os preços movimentam-se em Ciclos de onda;

•As ondas organizam-se em padrões de sub-ondas ou


ondas menores;

•Ondas são classificadas em ondas ação e reação;

•As ondas e sub-ondas são dispersos de preço e de tempo;

•Modalidade da Onda: Cinco ondas ( 3 + 2 );

5
Ralph Nelson Elliott - O Princípio das Ondas - Um modelo de Análise

Elliott em seus estudos do movimento do mercado,


notou que os preços sempre variava dentro de uma
relação e proporcionalidade. Observou que a relação
entre sí dos movimentos obedeciam a razão
encontrada nos números dourados ou números
áureos, conhecido universalmente como números de
Phi. Esta razão é a algoritmo da matemática mais
verdadeira da expressão da natureza.

Estas razões são encontradas na seqüência


numérica de Fibonacci e, são aplicadas na beleza
visual da Arquitetura, na música por Bach, Bethoven,
Strauss e outros. Na arte, foi largamente explorada
por Leonardo da Vinci e outros. Na biologia, na
Matemática, na Física, na Sociologia, na dimensão e
proporções humanas e, em muitas outras expressões
da Natureza.

6
Fibonacci – O primeiro grande matemático da idade média

Leonardo Pizano nascido na Itália em 1.175, era filho de Bonaccio Um


proeminente mercador italiano. Ficou conhecido por Fibonacci Pela
contração – filho de Bonaccio. Desde jovem Leonardo visitou e morou no
Oriente e no Norte da África on de o sistema hindu era largamente usado.
Estudou com os melhores matemáticos Se sua época e, ao longo de vida
nos países árabes, assimilou numerosas informações aritméticas e
algébricas. Tornou-se o primeiro matemático da Idade Média. Ao voltar a
Itália, escreveu seu primeiro livro, o “Liber Abacci “ – o livro de ábaco que
teve uma enorme influência para a introdução na Europa do sistema
hindu-arábico. Foi nessa obra
que Fibonacci introduziu sua seqüência numérica que divulga a
de forma mais refinada a expressão da natureza. Após essa obra,
Fibonacci continuou colaborando com a matemática, escrevendo depois, “
A Prática Geométrica “ contribuindo com a Geometria e Trigonometria.

As três principais OBRAS DE FIBONACCI:


Fibonacci escreveu cinco obras: quatro livros e uma que foi preservada
como carta.
Liber abacci-1202: Foi revisto em 1228. Foi neste livro que Fibonacci
falou pela primeira vez do problema dos coelhos.
Pratica Geometria-1220: Este é um livro sobre geometria e
Trigonometria
Liber quadratorum-1225: É o maior livro que Fibonacci escreveu.
7
Seqüência numérica de Fibonacci

No Liber abacci escrito em 1202, que Fibonacci chegou a finura matemática da expressão
da Natureza através da aplicação da fórmula:

Fn= F (n-1) +F (n-2)

Assim a seqüência numérica é: 1,1,2,3,5,8,13,21,34,55,89,144,233,377...

Para encontrarmos a razão áurea ou números de ouro é simples. Basta aplicarmos a divisão
do número (n) por (n-1) :
1/1 = 1; 2/1 = 2; 3/2 = 1,50; 5/3 = 1·666...; 8/5 = 1·6; 13/8 = 1·625; 21/13 = 1·61538...;
34/21 = 1,61904...; 55/34 = 1,61764...; 89/55 = 1,61818; 144/89 = 1,61818...

Se invertermos o numerador pelo denominador, sendo (n-1)/(n) teremos as seguintes


resultantes:
1/1 = 1; 1/2 = 0,50; 2/3 = 0,66666...; 3/5 = 0,60; 5/8 = 0,62500; 8/13 = 0,61538...; 13/21
= 0,61904...; 21/34 = 0,61764...; 34/55 = 0,61818...; 55/89 = 0,61797; 89/144 = 0,61818

Para encontrarmos outras razões douradas, basta aplicarmos a fórmula (n)/(n-2); (n)/(n-3) e
assim por diante:
1/1 = 1; 1/2 = 0,50; 1/3 = 0,33333...; 2/5 = 0·40; 3/8 = 0,37500; 5/13 = 0·38461...; 8/21 =
0,38095...; 13/34 = 0,38235...; 21/55 = 0,38181...; 34/89 = 0,38202...

8
Número de Phi

Aplicações dos números de ouro ou Phi em nossa vida e na Natureza

fonte: http://goldennumber.net/

9
Algumas aplicações da Seção Dourada na Arquitetura

Nas Pirâmides do Egito

Parthenon na Grécia
Catedral D’ Notre Dame em Paris

10
Seção Dourada na Arte

Leonardo da Vinci

Leonardo da Vinci

Georges Pierre Seurat

11
Seção Dourada na Música

A série de fibonacci aparece na estrutura básica da arte, e beleza e da vida. A música


também tem uma relação intima com a razão dourada. Há 13 notas na extensão das oitavas,
concluídas pela soma das 5 teclas brancas com as 3 teclas em preto ( 3.a + 5.a) ou as 3
teclas brancas com 2 teclas em preto 2ª com a 3ª. Observe ainda na figura abaixo o teclado
do piano com 13 chaves sendo 8 teclas brancas e 5 teclas pretas reunidas em 2 grupos.

Não é casual que os grandes nomes da música como Mozar; Sebastian Bach; Bethoven; Vivaldi e
outros chegaram ao clímax de sua obra explorando com sua finura e genialidade uma freqüência
harmônica pela nota dominante em que a soma e a combinação das 13 notas compreendem as
quintas e as oitavas.

12
Seção Dourada no Marketing

A razão dourada é utilizado na apresentação de muitos projetos para produtos de consumo.


Phi é utilizado para buscar a beleza, harmonia visual, sensação de prazer e bem estar. É
explorado para adicionar estilo dentro de um processo apelativo de marketing. A aplicação é
intensa em nosso dia a dia, conforme algumas ilustrações:

13
Seção Dourada - base da Natureza

A espiral do DNA é uma seção dourada. Sabe-se hoje que a molécula do DNA é o programa
de toda a vida, e está baseada na seção dourada. A sua espiral mede 34 angstroms por 21
angstroms. Esses dois números fazem parte da seqüência de Fibonacci e quando extraídos
a sua razão temos o número de Phi, (21/34)= 0,618.

14
Seção Dourada na Natureza - mundo animal

“...toda a vida é biologia. Toda a biologia é psicológica. Toda a psicologia é


químico e prazeroso. O químico e prazeroso é físico. Toda a física é
matemático”
Dr. Stephen Marquardt

15
Seção Dourada na Natureza - mundo vegetal

Provavelmente muitos de nós, nunca examinamos com cuidado estrutura de uma planta. As
pétalas de uma flor, por exemplo, freqüentemente encontramos a soma das pétalas o número
de Fibonacci, conforme figuras.A associação de números de Fibonacci não é restringida a
beleza harmônica do número de pétalas. Se traçarmos um diagrama esquemático de uma
planta simples, no seu arcabouço encontraremos a composição dos números da seqüência
de fibonacci estruturalmente fractada.

daisy do shasta com 21 pétalas

Na estrutura das plantas

Na estrutura dos arbustos e árvores 16


Seção Dourada no homem

Na beleza humana Phi é contemplado. A proporção dos órgãos do rosto e da forma física é
bastante explorada pela natureza.

0.382

0.236

0.618
0.382

1.00

O pentagrama de Leonardo da Vinci

17
Seção Dourada no homem

18
Seção Dourada no comportamento humano coletivo no mercado

O comportamento humano pode ser quantificado por um gráfico no mercado das


commodities, como o Boi Gordo negociado na BMF www.bmf.com.br pela a evolução de
1,382%, ou no mercado de Crude Oil, negociado em Nova York na Bolsa de energia Nymex,
www.nymex.com, pela evolução de 1,618%.

19
Seção Dourada no comportamento humano coletivo no mercado

Da mesma forma, um na quantificação dos movimentos das ações, como na Ação Vale do Rio
Doce negociado na Bovespa www.bovespa.com.br ou mercado de moedas como na relação
do preço Real x USD, com 1,382%.

20
Seção Dourada no comportamento humano coletivo no mercado

Estudos foram organizados levando em consideração os impulsos e sentimento de


realização do ser humano frente à suas ações. Quanto mais agradáveis eram as respostas,
mais os estímulos seguiam em direção as proporções do número Phi. Após várias
experiências, a pesquisa além de Elliott considerou que a conduta humana também obedece
às proporções de Fibonacci.

Para aplicarmos um modelo de quantificação desses impulsos da massa, basta aplicamos


em um gráfico estes mesmos princípios dos movimentos de diversos ativos do mercado
financeiro.

Pela ampla aplicação de Phi na Natureza, Elliott estudou e demonstrou em sua Teoria, que a
massa quando em busca do mesmo propósito e sob as mesmas condições, comportam-se
expressando suas expectativas na relação de Phi – 0,618; 0,50 e 0,382.

Elliott concluiu que “as emoções humanas pulsam em freqüência rítmicas; elas se movem em
ondas de número e direção definidos“. Este fenômeno ocorre em todas as atividades
humanas, seja na economia, na política ou na busca do prazer. Elliott era persistente e
conhecia o que fazia. De 1928 a 1938 Elliott aplicou a ferramenta gráficos e encontrou ao
longo desse tempo 13 padrões comportamentais humano coletivo recorrente dos preços
quantificando nos gráficos.

Talvez isso ocorra por uma lei intrínseca na Natureza humana que busca nas suas diversas
manifestações as proporções harmônicas de Fibonacci. Experiências foram feitas por
arquitetos construindo-se ambientes com dimensões em proporções de Fibonacci e outros
ambientes em proporções com combinações opostas a essas e foi pesquisada a impressão
de visitantes, que acharam a primeira confortável e a segunda desconfortável. 21
Seção Dourada no comportamento humano coletivo no mercado

A extensão desta tese carrega a explicação dos movimentos de preços de ativos nos
mercados ao redor de todo o mundo. Qualquer Ativo negociado livremente no mercado tem
como reflexo os impulsos humanos com tendências e oscilações de várias magnitudes. O
que observa-se é que tais oscilações tem amplitudes que se relacionam entre si em
proporções do número Phi. O motivo desse fenômeno é pelo julgamento das pessoas estar
intimamente afetado por suas sensações próprias de satisfação frente a um negócio bem
realizado ou de insatisfação a um negócio mal realizado, ou mesmo os sentimentos de
oportunidade para entrar nos mercados. Justamente quando as relações de dimensão entre
os movimentos atingem as proporções do número Phi, uma onda de novos compradores e
ou novos vendedores atuam no mercado. Por este motivo, ferramentas de quantificação
podem ser usadas com objetivo de precificar movimentos futuros dos ativos. Sem dúvida
nenhuma, as aplicações destas proporções intrigam a muitos no mercado financeiro, fazendo
a cada dia mais adeptos a ferramentas que se utilizam deste conceito.

Nós da TCX, adeptos desta linha de estudo, desenvolvemos nossas próprias ferramentas de
projeção futura do mercado. Aplicamos com sucesso este mesmo princípio a movimentos de
diversos ativos do mercado financeiro. Classificamos um pequeno ou grande movimento
passado, para concluirmos com alto índice de acerto os pontos prováveis de inflexões deste
movimento ou encerramento de seu ciclo de ação. Para melhor otimização do resultado de
nossos estudos, criamos a ferramenta Fibonacci Matrioshka. Esta ferramenta tem como
proposta mensurar os objetivos prováveis e stop’s técnicos. Internamente, a ferramenta tem a
capacidade de referendar as menores turbulências de preços do mercado, de forma clara,
simples e objetiva.

22
Modelo da TCX

O modelo da TCX permite:

• Identificar os ciclos de tendências e sua reversão;


• Dimensionar magnitute provável de oscilações e alocação de stops técnicos;
• Antecipar médios e grandes movimentos de preços;
• Indicar timing correto das negociações;
• Correlacionar mercados e fundamentos;
• Identificar a mutação do status das tendências analisadas pelo Trading System Matrioshka.

23
Interpretação de eventos ocorridos em ativos nacionais e internacionais de juros,
moedas, ações e commodities, usando o modelo TCX

Contrato de USD x R$ – BM&F Contrato de USD x R$ – BM&F


Com a expansão de 1,382% Com a exposição do Fibonacci Matrioshka

24
Interpretação de eventos ocorridos em ativos nacionais e internacionais de juros,
moedas, ações e commodities, usando o modelo TCX

Contrato de Ibovespa Futuro – BM&F Contrato de Ibovespa Futuro – BM&F


Com a expansão de 1,382% Com a exposição do Fibonacci Matrioshka

25
Interpretação de eventos ocorridos em ativos nacionais e internacionais de juros,
moedas, ações e commodities, usando o modelo TCX

Contrato de Crude Oil negociado - Nymex Contrato de Crude Oil - Nymex


Com a expansão de 1,618% Com a exposição do Fibonacci Matrioshka

26
Interpretação de eventos ocorridos em ativos nacionais e internacionais de juros,
moedas, ações e commodities, usando o modelo TCX

Juros Nacionais - DI – BM&F Juros Nacionais – DI – BM&F

Com a expansão de 1,618% Com a exposição do Fibonacci Matrioshka

27
Modelo da TCX

Além do Fibonacci Matrioshka com


indicação dos pontos objetivos,
aplicamos o Trading System da
TCX como ferramenta de alerta
para mais de 120 Ativos por ele
vigiados.

Este sistema é alimentado em


tempo real pelo Broadcast System
e objetiva orientar e transmitir aos
usuários o status atualizado de
cada ativo analisado, acusando o
dia e hora da mutação do status.

Tendências:
•Venda (cor vermelha);
•Compra (cor verde) e
•Neutra (cor amarela).

Ciclos de operação:
•Curto prazo: de 1 a 5 dias e
•Médio Prazo: de 6 a 30 dias.

28
TCX e seus produtos

TCX
TCX – TRADING CONSULTING

CURSOS CONSULTORIA GESTÃO DE CARTEIRAS

ƒ On Line - Consultoria Corporativa


- Mercado de Renda
- Ações - Operações estruturadas
Variável Nacional:
- Análise Técnica BOVESPA e BMF

- E-mini - Análises de Ativos


BOVESPA, BMF e - Mercado de Renda
Mercados Internacionais Variável Internacional:
ƒ Presenciais com suporte aos clientes CFDs de ADRs de
via Sistema de consulta empresas brasileiras
- Mercado Financeiro instantânea e Viva-voz
para Investidores

- Estratégias de - Indicação de
Negociação Eletrônica Corretoras

- Sala de Negociação - - Trade System


Treinamento Eletrônico

- Forex
29
Área de atuação

CORRETORAS
TCX – TRADING CONSULTING

INVESTIDOR/ MERCADOS
CLIENTE

NOSSA MISSÃO:

“MAXIMIZAR OS GANHOS FINANCEIROS DE NOSSOS CLIENTES,


ASSESSORANDO-OS NA SUA RELAÇÃO COM OS MERCADOS E
OS AGENTES ATUANTES, DE FORMA ÁGIL E COM
INFORMAÇÃO DE QUALIDADE.” 30
Convite para Palestras

19/10 (5ª feira) Operações em Bolsa de Valores através do Home Broker


Gabriel Vidigal, Gerente de Produtos da Ativa Corretora.

25/10 (4ª feira) Análise do Cenário Macroeconômico para o ano de 2007


Arthur Carvalho, Economista Chefe da Ativa Corretora

07/11 (3ª feira) Opções


Gabriel Vidigal, Gerente de Produtos da Ativa Corretora.

09/11 (5ª feira) Mercado de Ações e Derivativos


José Alcino Vendrame, da TCX.

16/11 (5ª feira) Análise de Mercado no Enfoque Técnico


Luiz Antônio G. Pinto (Parddal), da TCX.

23/11 (5ª feira) Termo e Aluguel de Ações


Gabriel Vidigal, Gerente de Produtos, da Ativa Corretora.

30/11 (5ª feira) Fundos de Investimento e Tesouro Direto


Ricardo Junqueira, Estrategista-sócio da Ático Gestão de Recursos, e Gabriel Vidigal,
Gerente de Produtos da Ativa Corretora.
31
VISITE NOSSO SITE

www.TCX.com.br

OU NOS CONTATE PELO FONE: (11) 32423600

VISITE TAMBÉM NOSSOS PARCEIROS EDUCACIONAIS

Copyright 2005.
Todos os direitos reservados a TCX Trading Consulting.

32