Você está na página 1de 2

Mensagem de Célula – 06 de Março de 2011

AS SETE PALAVRAS DA CRUZ


INTRODUÇÃO: No momento da crucificação, Jesus citou sete frases descritas nos quatro
evangelhos. Cristo não falou aleatoriamente ou apenas por falar. Em cada expressão há um
fundamento, em cada palavra um significado. Vamos meditar em cada uma dessas frases.

I. PRIMEIRA FRASE: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem”. Lucas 23:34.
Enquanto que a lei de Moisés mandava amar ao próximo e aborrecer o inimigo, Jesus, no momento
da sua maior angústia intercede ao Pai por aqueles que lhes afligia, dando-lhes a oportunidade de
arrependimento para receber o perdão dos pecados, nos ensinando que o perdão é sublime. João
3:17; João 12:47. Jesus nos ensina a perdoar. Mateus 5:43-46; Lucas 6:27-29; Mateus 6:12, 14 e 15.
O Senhor sonda os nossos corações, Ele sabe perfeitamente que prostrar-se diante do Pai e rogar-
lhe o perdão é algo relativamente fácil, mas tirar a mágoa do coração, perdoar e não se lembrar
mais, já não é tão simples assim. Por isso Ele condicionou: se perdoarmos aos homens as suas
ofensas, receberemos o perdão do Pai, porém, se não perdoarmos também não seremos
perdoados.
II. SEGUNDA FRASE: “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso”. Lucas 23:43.
Leia Lucas 23:39-43.
Mesmo merecendo estar ali por ser um ladrão, ao crer que Jesus poderia lhe salvar,
verdadeiramente ele recebeu a salvação. Hoje, pela aspersão do seu sangue de Jesus, achamos
lugar de arrependimento porque Cristo levou sobre si o pecado do mundo inteiro (Isaias capítulo
53), abriu a porta do paraíso e nós, sendo inimigos de Deus, fomos reconciliados pela morte do seu
filho, que pelo seu sangue restabeleceu a paz entre Deus e o homem. Ler Mateus 10:32; Romanos
10:9; Lucas 5:31-32.
Jesus é a salvação para o pecador que se arrepende;
III.TERCEIRA FRASE: “Mulher, eis aí o teu filho. Eis aí a tua mãe, ele cuidará de ti”. João 19:26-
27.
Nestas últimas palavras de Jesus estando na cruz, "Ele" evidenciou que o seu vínculo com Maria
havia encerrado, porque a parte humana, a parte material de Jesus Cristo a qual Maria havia
desenvolvido no seu ventre, havia sido morta em sacrifício vivo para remissão dos pecados de
muitos. Porém, a parte espiritual que veio de Deus Pai, permanece viva porque Jesus Cristo
ressuscitou com um corpo glorificado, o qual Maria não tinha mais nenhum vínculo. Foi elevado ao
céu, está sentado à direita do Pai e pelos pecadores intercede.
Jesus disse ainda que o discípulo a quem Ele mais amava seria o seu filho, e Maria a sua mãe, isto
porque ambos eram humanos, carnais; mas Jesus Cristo é Espírito, e o carnal não pode sobrepor o
espiritual.
João 3:6 - Disse Jesus: O que é nascido da carne é carne, o que é nascido do Espírito é espírito.
Apesar do corpo de Jesus ter sido desenvolvida no ventre de Maria, Ele foi “gerado” pelo Espírito
Santo, pela virtude do Altíssimo (Lucas 1.35). E o anjo ainda avisou Maria: “Ele será chamado filho
de Deus”.
O Senhor Jesus teve a preocupação de não deixar Maria desamparada, encarregou de cuidá-la a
pessoa da sua maior confiança, o apóstolo a quem "Ele" mais amava. Criou entre eles o maior
vínculo de amor fraterno entre os seres humanos, a relação mais harmoniosa, o amor maternal,
1
para conforto de ambos. Podemos observar também que apesar do respeito que o Senhor Jesus
Cristo tinha por Maria, pois era sem pecado, em nenhum momento, dentro do Evangelho, Jesus
Cristo deu o tratamento de mãe para Maria, "Ele" sempre a tratava por "mulher".
IV.QUARTA FRASE: “Eli, Eli, lema sabactâni. Deus meu, Deus meu, porque me
desamparastes?” Mateus 27:46.
A palavra do Senhor, no livro de Isaias Capítulo 53:3 diz que Jesus Cristo era homem de dores.
Tinha os nossos sentimentos, sentia as mesmas dores, as nossas necessidades físicas, e sabia da
grande aflição que havia de passar. Angustiou-se muito, mas não temeu, nem recuou, antes
buscou conforto nAquele que tem poder para todas as coisas. Ler Marcos 14:32-36; Lucas 22:40-
44.
O sofrimento era intenso, estando Cristo dependurado, com uma coroa de espinhos cravada na
cabeça, havia mais de três horas naquela cruz, sendo humilhado, escarnecido, açoitado. Levava
sobre si todas as nossas dores, e angústias, o pecado do mundo inteiro pesava sobre Ele e por isso
Ele deixou de sentir a Presença de Deus. Em dado momento clamou ao Pai dizendo: Deus meu,
Deus meu, porque me desamparastes?
O Salmista Davi, divinamente inspirado, já profetizava o grande sofrimento do Messias. Salmos
22:1, 7, 8, 11:-15; Salmos 42:5; Salmos 143:4.
Ler também Hebreus 5:7-9; 1Pedro 2:20-22; Romanos 6:6-8.
V. QUINTA FRASE: “Tenho sede”. João 19:28-29.
O sofrimento de Jesus está descrito no livro dos Salmos.
Salmos 69:3-21; Salmos 42:2; Salmos 143:6.
VI.SEXTA FRASE: “Está consumado”. João 19:30
Está consumado (João 17.4). As profecias haviam sido cumpridas, o Cordeiro inocente pela
aspersão do seu sangue, havia aniquilado o pecado. Triunfou sobre a morte cravando-a na cruz
(Colossenses 2.15). Sendo Ele consumado, veio a ser a causa da eterna salvação para todos os
crêem.
João 3:16; Romanos 5:8,19; João 4:34.
Isaías descreve no capítulo 53:4-8 o sofrimento de Jesus.
VII. SÉTIMA FRASE: “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito”. Lucas 23:46b.
Mateus 27.50 a 52: E Jesus, clamando outra vez com grande voz, entregou o Espírito. E eis que o
véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras. E
abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados. No
momento em que Cristo rendeu o seu Espírito, o véu do templo rasgou-se de alto a baixo,
estávamos libertos da lei, sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há
em Cristo Jesus. (Romanos 3.24).

CONCLUSÃO: Na Cruz, Jesus cumpriu as profecias descritas em Salmos 22:14; Isaías 53:9-12.
Mostrou que o Bom Pastor dá a vida por suas ovelhas. João 10:11,15; Hebreus 2:14; Hebreus 9:11-
14; Tito 2:13-14; 1Pedro 1:18-19. E recebeu todo o poder no céu, na terra e debaixo da terra.
Apocalipse 5:9.