Você está na página 1de 7

Colégio Marista Pio XII

Eri Johnson Ribeiro da Silva


Pâmella Patrézia Gomes de Lima

CRISE DE 1929

Disciplina: História
Educadora: Audimeiry Oliveira

Equipe:

Éven Paula
Luan Melo
Claudiane Barbosa
Victória Hellen
Josielly
Thays Adriella

Surubim – PE
13 de Maio de 2011
Introdução
O maior período de crise econômica mundial ocorreu entre os anos de 1929 e
1933. Atingiu, em primeiro lugar, a economia norte-americana, espalhando-se em
seguida para a Europa e os países da África, Ásia e América Latina.
Uma crise econômica é, basicamente, um desequilíbrio entre produção e
consumo quase sempre localizado em setores isolados da economia. Esses
desequilíbrios sempre ocorreram, mesmo antes do capitalismo, quando acontecia,
por exemplo, a escassez súbita de um bem, provocado, quase sempre, por fatores
naturais (secas, inundações e epidemias.) ou acontecimentos sociais (guerras e
revoluções.).
Na história do capitalismo, as crises econômicas se caracterizam,
inicialmente, pelo excesso de produção em relação à demanda (há mais produtos do
que consumidores dispostos a adquiri-los). Esse excesso de produção quase
sempre ocorre primeiro, no setor de bens de capital (bens que servem para a
produção de outros bens, especialmente de consumo, como, por exemplo,
máquinas, equipamentos, materiais de construção e instalações industriais.), para
depois migrar ao setor de bens de consumo (por exemplo, automóveis e
eletrodomésticos.). Em conseqüência, há uma queda brusca na produção, falência
de empresas, desemprego em massa - e a consequente redução de salários, preços
e lucros.
Objetivo
Mostrar que a crise se deu devido a grande produção de armas dos Estados
Unidos que visavam atender aos países envolvidos na Primeira Guerra Mundial e
então após o final da guerra houve uma queda de vendas nos EUA e foi esse o
motivo da crise, pois o país passou a produzir mais e vender menos.
E retratar a situação dos EUA que ficou com um grande índice de
desemprego e pobreza após a crise de 1929.
Materiais e Métodos
A equipe de Éven referente à Crise de 1929 trouxe como recurso o uso de
slides, onde apresentaram pontos principais do conteúdo e logo após exibiram um
vídeo com fotos e relatos da época da crise, explicando então de modo geral o
acontecimento ocorrido em 1929.
Resultados e Discussão
O ano de 1929 foi marcado por uma das maiores crises do capitalismo,
quando os Estados Unidos enfrentou uma crise econômica que repercutiu em todo
o mundo. Durante a Primeira Guerra Mundial o país apresentou um rápido
desenvolvimento, tornando-se a maior potência econômica do mundo, em virtude
do crescimento acabaram produzindo mais do que a demanda de seus produtos,
originando a crise de superprodução.
Em 1925 os países europeus tentaram driblar as dificuldades devido à
destruição da guerra, de forma que desacelerasse as importações norte-
americanas, foi então que em 1929 os Estados Unidos produziram um número
elevado de mercadorias, sem muito sucesso, mesmo com preços mais acessíveis
não havia compradores, foi então que o país enfrentou a terrível crise econômica,
com baixíssima queda na Bolsa de Valores de Nova York, gerando desemprego,
baixa nos salários dos trabalhadores, que conseqüentemente não tinham recursos
para consumir os produtos oferecidos pelo mercado.
As indústrias sentiram a necessidade de diminuir o ritmo de produção,
causando a demissão de milhares de trabalhadores. Até mesmo na agricultura
encontravam dificuldades, os fazendeiros norte-americanos
precisaram pagar taxas para o armazenamento dos produtos, que estavam cada
vez mais baratos, o que resultou em dívidas aos bancos, perdendo suas
propriedades para os mesmos.
O governo então decidiu passar uma imagem de prosperidade, mais não
inibiu as greves e manifestações de trabalhadores e desempregados por
oportunidades e aumento de salário. Com a quebra da Bolsa de Valores
várias empresas decretaram falência, as pessoas já estavam desesperadas,
repercutindo também em vários países capitalistas.
Com o passar dos anos a produção norte-americana teve baixa de 54%, em
1933 já era possível ver as melhoras, onde 27% dos 13 milhões de
desempregados já faziam parte da população economicamente ativa no país. Com
tudo isso os Estados Unidos acabou evitando a compra de produtos estrangeiros,
suspendendo também os empréstimos, agravando ainda mais a situação, gerando
mais falência e miséria nos países.
O Brasil, por exemplo, era um dos maiores exportadores de café do mundo,
e os Estados Unidos um dos maiores compradores, o que resultou na demissão
de milhares de trabalhadores. Para solucionar o problema o eleito presidente
Franklin Delano Roosevlt resolveu adotar uma nova medida sócio-econômica
conhecida como New Deal (Novo Acordo), um programa que visava conciliar as
leis de mercado com a intervenção do Estado em vários setores da economia.
Com essa intervenção, abandonaram o liberalismo econômico, dando início
a uma nova fase do capitalismo monopolista de Estado. Com isso foi criado
grande obras de infra-estrutura, grandes empréstimos á fazendeiros, auxilio as
indústrias, entre outros. Essa solução não obteve o sucesso esperado, mas
controlou a situação, a recuperação aconteceu gradativamente, até que a
Segunda Guerra Mundial fez com que o país se recuperasse novamente.
Conclusão

A Crise havia atingindo a todos, não só os Estados Unidos. Na Europa, na


Ásia e até na África. Durante a Primeira Guerra Mundial os Estados Unidos da
América tiveram um enorme crescimento econômico, tornando-se uma grande
potência mundial.
Este crescimento econômico norte-americano gerou uma forte onda de
otimismo na sociedade, à qual passou a ser caracterizada pelo consumismo. No
entanto, esta euforia de consumo será interrompida em virtude dos progressos
técnicos e a conseqüente onda de desemprego.
O Brasil que tinha sua produção centrada no cultivo do café, não resistiu ao
ver sua mercadoria apodrecer nos silos por falta de comprador e pelos preços
defasados. Como a economia brasileira era dependente desse produto também foi
afetado.
Na Europa, os países desesperados para se safarem, tomaram medidas
várias. Alguns como Alemanha e Itália tiveram que adotar regimes autoritários para
conseguirem implementar medidas impopulares. A confusão provocada pela crise
criou, na Europa, o clima responsável pela eclosão da Segunda Guerra Mundial.
Referências Bibliográficas
• CD Virtual: Manias, pânico e crashes - um histórico das crises financeiras,
Charles P. Kindleberger, Editora Nova Fronteira.

• Páginas da Internet:
- http://007blog.net/resumo-da-crise-de-1929/
- http://www.mundovestibular.com.br/articles/545/2/A-CRISE-ECONOMICA-DE-
1929/Paacutegina2.html