P. 1
Etapas da revolução industrial

Etapas da revolução industrial

|Views: 3.275|Likes:
Publicado porFernando Santos

More info:

Published by: Fernando Santos on Apr 05, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/05/2013

pdf

text

original

Etapas da revolução industrial.

A Revolução Industrial consistiu em um conjunto de mudanças tecnológicas com profundo impacto no processo produtivo em nível econômico e social. Iniciada na Inglaterra em meados do século XVIII, expandiu-se pelo mundo a partir do século XIX. Ao longo do processo (que de acordo com alguns autores se registra até aos nossos dias), a era agrícola foi superada, a máquina foi suplantando o trabalho humano, uma nova relação entre capital e trabalho se impôs, novas relações entre nações se estabeleceram e surgiu o fenômeno da cultura de massa, entre outros eventos. Essa transformação foi possível devido a uma combinação de fatores, como o liberalismo econômico, a acumulação de capital e uma série de invenções, tais como o motor a vapor. O capitalismo tornou-se o sistema econômico vigente.

A Revolução Industrial é dividida pela geografia e pela historiografia tradicional em etapas: Primeira etapa (1760- 1860) - a revolução Industrial ficou limitada, basicamente, à Inglaterra, primeiro pais europeu a desenvolver o processo de industrialização. O grande destaque foi o desenvolvimento da indústria de tecidos de algodão, com a utilização do tear mecânico. Além disso, o aperfeiçoamento das máquinas a vapor teve extrema importância para o progresso das fábricas. Segunda etapa (1860-1900) - a Revolução Industrial espalhouse pela Europa central e oriental, atingindo países como Bélgica, França, Alemanha, Itália e Rússia. Alcançando outros continentes, o processo de industrialização chegou aos Estados Unidos e ao Japão. Nessa etapa, as principais inovações técnicas foram: a utilização do aço, superando o ferro; o aproveitamento da energia elétrica e dos combustíveis petrolíferos; a invenção do motor a explosão, da locomotiva elétrica; e o desenvolvimento dos produtos químicos. O progresso tecnológico foi de tal modo significativo que essa etapa é comumente denominada Segunda Revolução Industrial. A Revolução Industrial consistiu em um conjunto de mudanças tecnológicas com profundo impacto no processo produtivo em nível econômico e social. Iniciada na Inglaterra em meados do século XVIII, expandiu-se pelo mundo a partir do século XIX. Ao longo do processo (que de acordo com alguns autores se registra até aos nossos dias), a era agrícola foi superada, amáquina foi suplantando o trabalho humano, uma nova relação entre capital e trabalho se impôs, novas relações entre nações se estabeleceram e surgiu o fenômeno da cultura de massa, entre outros eventos. Essa transformação foi possível devido a uma combinação de fatores, como o liberalismo econômico, a acumulação de capital e uma série de invenções, tais como o motor a vapor. O capitalismo tornou-se o sistema econômico vigente.

A revolução industrial: As conseqüências e mudanças que o mundo sofreu
O processo revolucionário na indústria trouxe varias mudanças e consequências que ainda hoje o mundo vive. Talvez a primeira delas seja a consolidação do Capitalismo como sistema propriamente dito, pois segundo Marx é a partir desta revolução que a burguesia torna-se hegemônica como classe se constitui com base de lucro para a indústria através da Mais valia. Gerou o aumento da produção do consumo, da riqueza e da pobreza. A Industrialização foi muito mais do que o fruto de uma revolução técnica e científica. Ela representou uma mudança social profunda na medida em que transformou a vida dos homens, sem se preocupar com custos sociais dessa mudança. Uma das primeiras transformações diz respeito ao próprio significado da palavra trabalho. O que antes significava dor, humilhação e pobreza passaram a dignar fonte de propriedade, riqueza, produtividade e até mesmo a expressão da condição humana. O trabalho passou a dignificar o homem e qualificá-lo, tornando-se um indicador de posição social. (MOTA. 2002)

Outro aspecto relevante é o controle técnico do processo de produção. O resultado foi a Alienação crescente do trabalhador. devido à docilidade. Certas funções femininas. causando um considerável descontrole familiar. cada vez mais afastado do produto final de seu esforço. que passou para as mãos do capitalista. . no momento em que se instituiu a divisão e o parcelamento do trabalho. A "robotização do trabalhador" foi também um aspecto gerado pela Revolução Industrial. Sem contar que os salários das mulheres e das crianças eram bem menores do que os dos homens Paul Mantoux. relata que o trabalho das crianças era muitas vezes preferido. primeira fase da Revolução Industrial. como as tarefas domésticas. à maior facilidade no aprendizado. transformando-se em autônomo destinado a desempenhar atividades cotidianas cansativas e autônomas. à submissão no cumprimento das ordens e aos salários menores que recebiam. O operário especializouse em servir uma máquina. um estudioso da manufatura do século XVIII. E um autônomo mais vulnerável aos acidentes de trabalho devido à própria monotonia de suas atividades Para diminuir custos e gastos mulheres e crianças também serão aproveitadas. o aleitamento e a educação das crianças foram quase totalmente suprimidos.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->