Você está na página 1de 16

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO

∆P

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

1
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO

a) ∆Pmedido e dplaca → Qatual


FI

b) Qmáx e ∆Pmáx → dplaca

FT
c) Qmáx e dplaca → ∆Pmáx
d
Q→

Fe

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO

Condições do Escoamento:
Regime Permanente (temperatura e pressão constante)
Fluido Incompressível (líquido)
Fluido Perfeito (sem viscosidade)

Energia Total do Sistema:


∑ Et = ∑ Et
1 2

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

2
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO

Ep po1 + Ep pr1 + Ec1 = Ep po 2 + Ep pr 2 + Ec2

Estados de Energia Parcial:


Eppo = Energia potencial de posição
Eppr = Energia potencial de pressão
Ec = Energia cinética

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO
Simplificações
Como M.g = W , então:
P1 v12 P v2
W .Z 1 + .W + M . = W .Z 2 + 2 .W + M . 2
γ 2 γ 2

substituindo-se M por: W
g
2
P1 v P2 v 22
W .Z 1 + .W + W . = W .Z 2 + .W + W .
1

γ 2g γ 2g
dividindo-se tudo por W:

EQUAÇÃO DE BERNOULLI
P1 v12 P v2
Z1 + + = Z2 + 2 + 2
γ 2g γ 2g
Eng. Marcelo Saraiva Coelho

3
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO
Do balanço de energias de Bernoulli

v12
P1 P2 v 22
Z1 + + = Z2 + +
γ 2g γ 2g

P1 − P2 v22 − v12
= (1)
γ 2g

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO
P1 − P2 = ∆P v1.S1 = v2 .S 2 d
β=
D

P1 − P2 v22 − v12 S2 S2
(1) = v1 = v2 . β2 =
γ 2g S1 S1

∆P
=
(
v22 − v2 .β 2 ) v1 = v2 .β 2
γ 2g

∆P
.2 g
γ (2)
v2 =
1− β 4

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

4
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO
∆P
.2 g 1
(2) γ = E
v2 = 1− β 4

1− β 4

∆P S2
v2 = E. .2 g v1 = v2 .
γ S1

∆P S2 S2
v1 = E. .2 g . = β2
γ S1 S

∆P
v1 = β 2 .E. .2 g (3)
γ

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO
∆P Q = v1.S1
(3) v1 = β 2 .E. .2 g
γ
Onde K representa:
• Tipo de elemento primário
∆P
• Tipo de tomada de impulso
Q = S1 .β 2 .E. .2 g Qreal = Qteórica .C
• Diâmetro da tubulação e γ
restrição
• Número de Reynolds
(viscosidade)
• Condições de operação (p e t) ∆P
• Características do fluido Q = C .S1 .β 2 .E. .2 g
(densidade) γ

Q = k . ∆P
Eng. Marcelo Saraiva Coelho

5
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO
EQUAÇ
EQUAÇÃO DE TRABALHO PARA
LÍQUIDOS

∆P . ρ p
Q = 0,012516 . CEβ 2 . Fa . D 2 .
ρL
Onde:
• Q(m3/h) = Vazão máxima da escala do receptor
• CEβ2 = Coeficiente de Vazão
• D(mm) = Diâmetro interno da tubulação, em função do diâmetro nominal e do Schedule.
• Fa = Coeficiente de dilatação térmica do elemento primário, em função da
temperatura de operação e do material.
• ∆P(mmH2O) = Pressão Diferencial produzida pelo elemento primário
• ρp(Kg/m3) = Massa específica do líquido à temperatura de projeto (operação)
• ρL(Kg/m3) = Massa específica do líquido à temperatura de leitura (base 15º C)

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO
LIMITAÇ
LIMITAÇÕES PARA PLACAS DE ORIFÍ
ORIFÍCIO

Tomada β D

Flange 0,1 < β < 0,75 50mm < D < 760 mm

Vena Contracta 0,1 < β < 0,8 50mm < D < 760 mm

Radius 0,15 < β < 0,75 50mm < D < 760 mm

Pipe 0,2 < β < 0,7 50mm < D < 300 mm

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

6
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO
Exemplo de cálculo:
Em uma indústria, deseja-se medir a vazão de hidrocarboneto líquido em uma
linha de 8” sch 40 cuja vazão de operação deverá ser de 1180 GPM sob
temperatura de 140ºF e pressão de 92 PSIG. Sabe-se que a viscosidade do fluido
em questão é de 0,45 cp, a densidade na temperatura de escoamento 0,74 e na
temperatura base (15º C) 0,759. Determinar o diâmetro “d” da placa de orifício.
Obs.: Será utilizado tomada de Flange e o material da placa será Aço Carbono.

1º passo: Obtenção dos dados


Qu (vazão usual) = 1180 GPM
Tp (temperatura de operação) = 140 ºF
µp (viscosidade abs. à temp. de operação) = 0,45 cp
δp (densidade relativa à temp. de operação) = 0,74
δL (densidade relativa à temp. de leitura) = 0,759
Pp (pressão de operação) = 92 PSIG
D (diâmetro nominal da tubulação) = 8” sch 40

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO
2º passo: Preparar a equação de trabalho para obter o coeficiente de Vazão:

Q max .ρ L
CEβ 2 =
0,012516 . Fa . D 2 . ∆P.ρ p

3º passo: Preparar os dados.


za) Qmax: A vazão máxima de leitura deve ser escolhida de tal forma que 70% dessa vazão
represente 50% da pressão diferencial máxima.
Qusual = 0,7 . Qmax portanto: 1180 GPM
Qmax = = 1685,7143 GPM
0,7
3º passo: Preparar os dados.
zconvertendo GPM para m3/h:
1685,7143 x 0,22712 = 382,85 m3/h
arredondando:
Qmax = 380 m3/h

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

7
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO
3º passo: Preparar os dados.
zb) ∆P: A pressão diferencial é o range do medidor e deve ser escolhido em conjunto com
β, mas, como β será ainda calculado, o ∆P será escolhido aleatoriamente no início tendo
como referencia valores entre 100 e 250”H2O.
adotaremos ∆P = 200”H2O,
convertendo ”H2O para mmH2O
200 x 25,4 = 5080
portanto:

∆P = 5080 mmH2O

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO
3º passo: Preparar os dados.
zc)D: O diâmetro interno da tubulação é encontrado através da tabela pag. 76 em função do
schedule.
8” sch40 = 7,981”
convertendo em milímetros:
7,981 x 25,4 = 202,7174 mm

portanto: D = 202,7174 mm

3º passo: Preparar os dados.


zd) Fa: O fator de dilatação do elemento primário é obtido na pag. 77 em função da
temperatura e do material da placa:
t = 60 ºC (140 ºF) e Material = Aço carbono

Portanto: Fa = 1,001

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

8
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO
3º passo: Preparar os dados.
e) ρp e ρL: Para obter a massa específica basta multiplicar a densidade pela
massa específica da água (1000 Kg/m3).

portanto:
ρL = 759 Kg/m3 e ρp = 740 Kg/m3

4º passo: Calcular o coeficiente de vazão.

380 . 759
CEβ 2 = CEβ 2 = 0,288933
0,012516 . 1,001 . (202,7174) .
2
5080 . 740

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO
5º passo: Encontrar Af em função de tipo de tomada, D e CEβ2
Tipo de tomada: Flange Taps
D = 7,981”
CEβ2 = 0,288933
portanto na tabela Pag.79:

CEβ2 Af
0,281298 1405,06
0,288933 ?
0,291862 1496,74

Interpolação para achar Af:

 0,288933 − 0,281298  
A f =   . (1496,74 - 1405,06 ) + 1405,06 = 1471,32
 0,291862 − 0,281298  

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

9
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO
6º passo: Calcular o número de Reynolds (obs.: utilizar Qusual e ρL) pag.12
Qusual = 1180 GPM = 268 m3/h e ρL = 759 Kg/m3

353,66 . Q usual . ρ L
Rd =
D . µP

353,66 . 268 . 759


Rd = = 788.604
202,7174 . 0,45

Onde:
zQusual (m3/h) = Vazão máxima da escala do receptor
zD(mm) = Diâmetro interno da tubulação, em função do diâmetro nominal e do Schedule.
zρL(Kg/m3) = Massa específica do líquido à temperatura de projeto (operação)
zµp (Cp) = Viscosidade abs. à temp. de operação

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO
Dados

Placa de Orifício
Coeficiente de
(cálculo) Descarga

Rd β
Fator Tomada
de Impulso
d

Coeficiente de
Descarga
Corrigido

β’

d’
Eng. Marcelo Saraiva Coelho

10
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO

7º passo: Calcular o coeficiente de vazão corrigido (C’Eβ2)

Flange Vena Radius Pipe Taps


Taps Contracta Taps
Coeficiente C ' Eβ 2 =
CEβ2
A
C' Eβ2 =
CEβ2
Av
C' Eβ 2 =
CEβ2
Ar
C' Eβ2 =
CEβ2
A
1+ f 1+ 1+
de Vazão Rd Rd Rd
1+ t
Rd
(C’Eβ2)

CEβ 2 0,288933
C ' Eβ 2 = = = 0,288395
Af 1471,32
1+ 1+
Rd 788604

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO
8º passo: Achar β’ (corrigido) pag.79

β’ C’Eβ2
0,65 0,281298
? 0,288395
0,66 0,291862

Interpolação para achar β’:

 0,288395 − 0,281298  
β ' =   . (0,66 - 0,65) + 0,65 = 0,656718
 0,291862 − 0,281298  

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

11
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO
9º passo: achar o diâmetro do orifício (d = D. β’)

d = 202,7174 mm . 0,656718

d = 133,128 mm

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

12
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO
ESCOLHA DO MATERIAL

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

13
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO
ESCOLHA DA TOMADA DE IMPULSO

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO
ENTRADA DE DADOS

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

14
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO
RESULTADOS

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO
EXERCÍ
EXERCÍCIO PROPOSTO
Cálculo 1 Cálculo 2 Cálculo 3

Fluido: Óleo Fluido: Água Fluido: Óleo


MATERIAL DA PLACA: INOX 316 MATERIAL DA PLACA: INOX 316 MATERIAL DA PLACA: INOX 400
Tom. de Impulso: Flange Tom. de Impulso: D e D/2 Tom. de Impulso: Vena Contracta

Dados Un.Usuais Dados Un. Usuais Dados Un. Usuais

Qmax 0,025 m3/s 1059 pe3/h 1500 l/min


Qu 0,7. Qmáx 0,7. Qmáx 0,7. Qmáx
∆P 2552 mmH2O 0,505 Kgf/cm2 100 ”H2O
D 4” sch.40 2” sch.40 4” sch.40

TL 25 ºC 25 ºC 25 ºC

TP 50 ºC 45 ºC 60 ºC
ρL 835 Kg/m3 1000 Kg/m3 0,835 g/cm3
ρP 817 Kg/m3 988,9 Kg/m3 0,817 g/cm3
µP ou νp 3 cP 0,00557 Stoke 0,01 Poise

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

15
PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO
INSTRUMENTAÇÃO
EXERCÍ
EXERCÍCIO PROPOSTO
Cálculo: Placa de Orifício da saída de água da bomba (FE-10105)
Método: ISO; Fluido: ÁGUA; Material da Placa: Inox 316;Tom. de
Impulso: D-D/2 (RADIUS)

Dados Un.Usuais

Qmax 5,40 m3/h

Qu 0,7. Qmáx

d 16,81 mm

D 2” sch.40

TL 59 ºF

TP 25 ºC

ρL 999,08 Kg/m3

ρP 995,65 Kg/m3

µP ou νp 0,8 cP

Pmontante 3,3 kgf/cm2 A

Resultado: ∆P = ....…mmH2O = ...........”H2O

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

PROJETOS EM INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO


INSTRUMENTAÇÃO
EXERCÍ
EXERCÍCIO PROPOSTO
Cálculo: Placa de Orifício da linha de água fria da planta piloto (FE-10300)
Método: ISO; Fluido: ÁGUA; Material da Placa: Inox 316;Tom. de Impulso:
FLANGE TAPS

Dados Un.Usuais

Qmax 1,3 m 3/h

Qu 0,7. Qmáx

∆P 1000 mmH2O

D 1” sch.40 26,64 mm

TL 15 ºC

TP 25 ºC

ρL 999,2 Kg/m 3

ρP 997,3 Kg/m 3

µP ou ν p 0,8971 cP

Pmontante 3,3 kgf/cm2 A

Resultado: d = ...............…mm

Eng. Marcelo Saraiva Coelho

16