Você está na página 1de 4

PONTO

DIRETAMENTE

(AOF).

1

ANATOMIA

NA

AÇÃO

CRÂNIO-FACIAL

DOS

E

APARELHOS

Esquema

MUSCULATURA

ORTOPÉDICOS

ATUA

FUNCIONAIS

QUE

Introdução

 

o

Pq se seve estudar anatomia em OFM?

o

Quais as estruturas importantes de serem estudadas em OFM?

Ossos

o

Crânio - citar

o

Face - citar

o

Mandíbula – explicar

o

Esfenóide – explicar

o

Maxila – explicar

o

Acidentes importantes como seios esfenoidais

Hióide – sua importância na deglutição e mastigação Músculos

o

o

Expressão facial – mecanismo bucinador/orbicular

o

Músculos levantadores da mandíbula

o

Músculos supra-hiódeos

o

Músculos

infra- hiódeos

o

Músculos da língua

o

Músculos do pescoço

o

Músculos do palato

ATM

o

Ossos

o

Músculos

o

Diartrose

o

Disco

o

Cápsula

o

Fibrocartilagem

o

Superfície articular relacionada a tecido mesenquimatoso

Irrigação - ?

Inervação

o

Facial

o

Trigêmeo

o

Hipoglosso

o

Glossofaríngeo

o

Acessório

Conclusão

 

O equilíbrio do sistema estomatognático depende, entre outros fatores, de um

correto desenvolvimento das estruturas craniofaciais. Essa harmonia no desenvolvimento craniofacial passa pela harmonia entre forma e função dos arcos dentários. A Ortopedia Funcional dos Maxilares (OFM) tem um papel decisivo na manutenção e recuperação desse equilíbrio, uma vez que suas técnicas influem e são influenciadas pelas características anatômicas dessa região do nosso corpo. Devemos lembrar que os AOF atuam não só localmente, na boca, mas também atuam ajudando a manter o equilíbrio postural e orgânico do indivíduo. Entre as estruturas craniofaciais importantes para a OFM podemos citar os ossos, a musculatura e as articulações têmporo-mandibulares. Os ossos que apresentam relevância para o estudo da OFM são os ossos do crânio, o osso hióide e a coluna cervical.

Os ossos do crânio podem ser divididos em dois grupos: neurocrânio e viscerocrânio. O neurocrânio é composto pelos ossos parietal, frontal, occipital, temporal, esfenóide e etmóide, enquanto que o viscerocrânio é composto pelos ossos nasais, vômer, lacrimais, concha nasal inferior, maxila, mandíbula, palatinos e malares. Devido as inserções musculares que possuem, alguns desses ossos possuem destaque para OFM, como a mandíbula (único osso móvel do crânio – masseter, pterigoideo lateral, pterigoideo medial, temporal e supra-hiódeos), esfenóide (pterigoideo lateral e medial) e temporal (temporal).

A maxila e a mandíbula são de grande importância pois neles são localizados os

mandíbula é o único osso móvel da cabeça e possui várias inserções

musculares, principalmente dos músculos elevadores, dos abaixadores e dos músculos da língua. É um osso de grande importância na OFM pois os AOF geralmente trabalham mudando a posição desse osso (mudança terapêutica de postura) para conseguir os seus resultados. Ela possui ainda um côndilo, o qual se liga ao crânio pela ATM.

O osso esfenóide também é relevante para a OFM apresenta as inserções dos

dentes. Além disso, a

músculos pterigóideos mediais laterais, além de se relacionar com quase todos os ossos do crânio.

Em alguns desses ossos encontramos cavidades denominadas seios, as quais tem importância na fala, respiração e crescimento facial. São: seio esfenoidal, seios maxilares, seio frontal células etmoidais e células das mastóide. Outro osso importante para a OFM é o hióide. Ele não apresenta articulação com nenhum outro osso, mas se liga ao crânio, mandíbula e tórax através de músculos e

aponeuroses. Tem papel durante a deglutição, pois funciona como um exoesqueleto da língua e durante a mastigação pois ao ser fixado pelos infra-hiódeos e pelo digástrico, serve como ponto de apoio para os supra-hiódeos abaixarem a mandíbula. Ainda temos que levar em conta a coluna vertebral pois ela e o mecanismo mastigador possuem uma mútua influência. Por exemplo, desvios na coluna cervical podem causar problemas de mastigação e por outro lado, assimetrias mandibulares causam desvios na coluna. Ela é composta por ossos denominados vértebras e é dividida em 5 partes:

coluna cervical (7 vértebras), coluna torácica (12 vértebras) Lombar (5 vértebras) sacral (5 vértebras) e cóccix (1 vértebra).

A ATM é composta pelo côndilo da mandíbula e pela cavidade articular e

eminência articular do osso temporal. Ela é uma articulação do tipo diartrose, a qual permite amplos movimentos. Possui uma cápsula fibrosa um disco articular de fibrocartilagem. As superfícies articulares estão associadas a tecido mesenquimatoso

indiferenciado, que possui o mesmo potencial de crescimento do embrião, o que pode ser alterado pela ação de aparelhos ortopédicos funcionais.

A musculatura tem um papel fundamental durante as funções exercidas pelo

sistema estomatognático. Podemos citar alguns grupamentos musculares:

Músculos da expressão facial: são os músculos que tem inserção na pele e são responsáveis pelas mudanças nas expressões faciais. Dentre eles, devemos dar grande

importância ao mecanismo bucinador orbicular, pois é ativo durante os processos de deglutição e mastigação, impedindo a permanência de alimento no vestíbulo, conduzindo-o

a face oclusal dos dentes para a trituração e mantendo a pressão da cavidade bucal durante

o processo de deglutição. Durante o uso de aparelhos com escudos, esse mecanismo é estimulado. Músculos mastigadores:

Masseter origina-se no arco zigomático e insere-se no ângulo da mandíbula, na sua face externa. Possui dois feixes, superficial e profundo. Sua ação é levantamento da mandíbula colocando os dentes em contato. O feixe superficial auxilia na protrusão e o profundo na estabilização do côndilo contra a eminência articular. Temporal, origina-se na fossa temporal, no crânio e insere-se no processo coronóide. Possui três feixes, o anterior, o médio e o posterior. Devido a essa diferença na angulação dos feixes, ele colabora no posicionamento da mandíbula. Pterigoideo lateral – possui dois feixes, um inferior originado na lâmina pterigóide e inserido no colo do côndilo, sendo responsável pela protrusão

e lateralização da mandíbula e outro superior, originado na fossa

infratemporal do esfenóide, inserindo-se na cápsula articular, disco

articular e colo do côndilo, atua em conjunto com os elevadores e quando

há força de resistência e/ou os dentes permanecem em contato

Pterigoideomedial – origina-se na fossa pterigóide e insere-se na face interna do ângulo da mandíbula. Atua na protrusão e elevação da mandíbula.

gênio-

hióideo, estilo-hióideo. Atuam principalmente no abaixamento da mandíbula.

Músculos infra-hiódeos: são os músculos: esterno-hióideo, tiro-hióideo, omo- hióideo, esterno-tiro- hióideo. Atuam fixando o hióide (junto com o estilo- hióideo e o digástrico) para a ação dos supra- hiódeos. Músculos cervicais: os principais para OFM são o esternocleidomastoideu e o trapézio. Atuam nos movimentos da cabeça e na sua estabilização para a ação dos levantadores da mandíbula.

A deglutição é muito importante para a OFM portanto os músculos que atuam

nela devem ser estudados. São eles, levantador do véu palatino, músculo da úvula, tensor do véu palatino, palato faríngeo e palatoglosso. Como os movimentos e a postura linguais apresentam íntimo relacionamento com os AOF, seus músculos são de especial interesse para o especialista. Dividem-se em dois grupos, os intrínsecos (longitudinal superior, longitudinal inferior, transverso e vertical) e extrínsecos (palatoglosso, gênioglosso, hioglosso, faringoglosso e estiloglosso).

Músculos

supra-hióideos:

são

os

músculos

digástrico,

milo-hióideo,

A irrigação dessas estruturas é feita por ramos da artéria carótida externa.

Podemos citar os ramos, maxilar, lingual, facial occipital, temporal superficial e auricular posterior.

A inervação é dada pelos nervos cranianos, os mais importantes são:

Nervo trigêmeo (V) – responsável pela inervação motora dos músculos da mastigação, sensitiva da face dos 2/3 anteriores da língua Nervo facial (VII) – responsável pela motricidade dos músculos da expressão facial, em especial bucinador e orbicular. E pela gustação nos 2/3 anteriores da língua Glossofaríngeo – (IX) responsável pela sensibilidade táctil e gustativa do 1/3 posterior Acessório (XI) - responsável pela motricidade dos músculos esternocleidomastoideo e trapézio Hipoglosso (XII) – responsável pela motricidade da língua

As estruturas citadas são apenas parte de todo o complexo craniofacial, mas seu

conhecimento é de suma importância para o correto exercício da OFM.

O cirurgião dentista tem papel importante na manutenção do equilíbrio facial em

especial a OFM e para que seu trabalho seja feito da maneira mais correta possível, o

conhecimento da anatomia da região craniofacial é de suma importância