Você está na página 1de 14

ESCOLA SECUNDÁRIA DE BOCAGE

CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICOS DE APOIO À INFÂNCIA

PATRIMÓNIO LOCAL – CONVENTO DE JESUS

Ana Isabel nº1


Vânia Piedade nº23
Turma I do 10º ano
Disciplina: Área de Integração
Professor: Margarida Costa
Setúbal, 14 de Novembro de 2008
Ano lectivo 2008/2009
Índice

1 INTRODUÇÃO..............................................................................................................2
2 A história e a origem do Convento de Jesus...................................................................3
3 As origens da arte Manuelina.........................................................................................5
4 O SIMBOLISMO DA IGREJA DE JESUS...................................................................7
5 CONCLUSÃO................................................................................................................8
6 Bibliografia.....................................................................................................................9
7 Anexos..........................................................................................................................10
1 INTRODUÇÃO

Vamos realizar este trabalho na disciplina de Área de Integração inserido


no contexto da matéria – Pessoa e Cultura – que estamos a desenvolver, com
o objectivo de dar a conhecer o Património local, em especial, o Convento de
Jesus.

Escolhemos este tema, porque considerámos interessante falar acerca


dele e darmos a conhecer a história e importância do Convento de Jesus.
Pretendemos ficar a conhecer melhor os monumentos da nossa cidade.

Com este trabalho, temos como objectivo compreender melhor a sua origem e
história. Ao longo dele iremos abordar a arte manuelina e o simbolismo da
igreja de Jesus.

Para a realização deste trabalho vamos consultar livros; sites e uma visita
ao monumento.

2
2 A HISTÓRIA E A ORIGEM DO CONVENTO DE JESUS

Em Maio de 1469, Justa Rodrigues Pereira,


nascida no Alentejo, entrou nos paços do
Infante D. Fernando em Alcochete, para criar
um filho do mesmo príncipe, e que 26 anos
depois viria a reinar em Portugal, com o nome
de D. Manuel I.
Nos finais do século XV, tendo deixado a casa
do Infante D. Fernando, grão mestre de S.
Tiago, veio habitar numa das estreitas e
tortuosas ruas da velha Setúbal.
Quando estabeleceu residência fixa em
Setúbal, Justa Rodrigues dispunha de bens
muito avultados, tendo comprado à Confraria
da Anunciada um largo terreno no lugar então denominado Sapal do Troiano.
Perto dos 50 anos, Justa Rodrigues pensou fundar uma casa santa onde, em
oração e penitência, pudesse acabar na paz do senhor os seus últimos dias de
vida terrena.
Não esperou muito tempo pela licença, imediatamente pedida ao Papa
Inocêncio VIII, para fundar ali o mosteiro de freiras franciscanas, das mais
humildes da Ordem – as Capuchas. A autorização chegou em 1488. Em 16 de
Maio de 1489, D. João II concedeu-lhe também licença para a referida
construção.
As obras começaram imediatamente sendo a primeira pedra, benzida pelo
Bispo D. Diogo Ortiz, assente no dia 29 de Agosto daquele ano.
Mas a traça do edifício monástico e particularmente a da igreja - obtidas talvez
do mestre local – não correspondiam deveras ao intento da fundadora, nem
justificavam a cerimónia de inauguração.
Assim D. João II passando por Setúbal os primeiros meses de 1491, estranhou
ver em lugar dos fundamentos da grande construção que esperava encontrar
ali, um edifício com grandes proporções. Os trabalhos foram suspensos e a
obra entregue a mestre Boitaca.

3
Falecido D. João II, D. Manuel I mostrou ainda mais interesse pela consecução
deste maravilhoso edifício que ficou na história como um dos marcos iniciais de
experiência de renovação do panorama artístico nacional, conhecido por estilo
Manuelino. Não fugiremos muito á verdade se dissermos que a Igreja de Jesus
foi o primeiro ensaio feito em Portugal.
O Convento de Jesus apresenta um estilo manuelino, dos mais importantes em
Portugal. A construção do convento teve início em 1490 e a obra foi finalizada
por volta de 1500.
No convento ficou instalado, a partir de 1893, o Hospital da Santa Casa da
Misericórdia.

4
3 AS ORIGENS DA ARTE MANUELINA

A Igreja de Jesus foi dividida


em três naves, com as belas
abóbadas de cantaria
sustentadas por seis colunas
salomónicas de grande
elegância – tudo lavrado a
primor numa pedra de
colorido maravilhoso,
denominado de «mármore
da Arrábida». No exterior, é possível admirar uma lindíssima janela, a torre, e
particularmente o pórtico principal com os seus arcos ogivais.
A capela-mor é revestida de azulejos de caixilho e nela foi instalado, em 1520-
1530, um retábulo de pintura - considerado como um dos mais notáveis
conjuntos da Arte do Renascimento em Portugal - que se encontra exposto na
Galeria de Pintura Renascentista.
Devido ao avança do estado de degradação do monumento fez com que, há
cerca de dez anos, se decidisse avançar com um projecto de recuperação para
o Convento de Jesus. Em 2004, o Instituto Português do Património
Arquitectónico reconheceu a necessidade do processo avançar com urgência e
anunciou que tomaria conta das obras. O Instituto Português do Património
Arquitectónico disponibilizou 1 milhão de euros para a empreitada.
A Igreja do antigo Mosteiro de Jesus ou Convento de Jesus de Setúbal é uma
igreja e estilo gótico situada em Setúbal considerada como um dos primeiros
exemplos do estilo manuelino classificado como Monumento Nacional.
Foi desenhada pelo arquitecto Diogo Boitaca em 1494
e fundada em 1490 pela ama do rei D. Manuel.
O interior tem arcos, janelas e colunas torsas feitas em brecha da Arrábida, que
suportam as abóbadas. O tecto apresenta nervuras espiraladas.
No Convento funciona também o Museu de Setúbal que alberga diferentes
núcleos como a “Casa Bocage”, “Casa do Corpo Santo / Museu do Barroco” e
o “Museu Sebastião da Gama”, apresentando colecções na área da arte,
história e arqueologia.

5
Designa-se como a Igreja do antigo Mosteiro de Jesus e claustro, incluindo a
casa do capítulo, pode também chamar-se (mais conhecido) Convento de
Jesus.
É um monumento arquitectónico religioso. Situa-se na Praça Miguel Bombarda
em Setúbal.

6
4 O SIMBOLISMO DA IGREJA DE JESUS

Vejamos os símbolos: a cruz, que nos lembra a


morte de Cristo para o resgate dos pecados da
humanidade tem a secção octogonal. Esta
secção, simboliza o novo homem criado por
Cristo.
No fuste, a secção circular representa o céu.
As duas partes em que um anel divide o fuste,
representam a terra. A sua verticalidade,
simboliza o homem. Temos, assim, a tríade:
Céu, Terra, Homem. As cinco ordens de
degraus de oito pétalas, onde o fuste está
montado, representam o homem da velha lei.
O total das quarenta pétalas que há nos degraus, lembram-nos alguns
trabalhos de Jesus na Terra para a salvação da humanidade: quarenta dias de
tenção; quarenta horas que esteve na sepultura; quarenta dias de aparição aos
discípulos antes da sua ascensão.
Por fim, debaixo de todo este conjunto, há uma base octogonal, representando
o oitavo dia e a vinda de Cristo, para criar uma nova lei e, com ela, o novo
Homem.
Como se vê, os monumentos manuelinos, depois de estudados os seus
símbolos, tomam uma nova beleza, uma nova dimensão. Este monumento é
um exemplo do que se acaba de afirmar.

7
5 CONCLUSÃO

Com este trabalho ficámos a conhecer melhor o Convento de Jesus,


essencialmente a sua história, origem e arte manuelina.
Sentimos alguma dificuldade na recolha de informações relativas ao
simbolismo da Igreja de Jesus, mas acabámos por encontrar o essencial.
Gostámos de realizar este trabalho, porque nos despertou muito interesse
atenção uma vez que desconhecíamos a importância deste monumento.

8
6 BIBLIOGRAFIA

Livros:
Saraiva, José Armando, Setúbal na História, pág. 132-133, 1990

Teles, José Varela, Pedras com Mensagem em Setúbal, pág. 27-32, 1996

Internet:
Http://www.rpmuseus-pt.org/Pt/cont/fichas/museu_92.html

9
7 ANEXOS

Pré-Projecto

Ana Isabel Vitorino Caldeira Nº1 10ºI


Grupo de Trabalho
Vânia Isabel Miranda Piedade Nº23 10ºI

1.Tema/ Problema a Património Arquitectónico da região –


investigar Convento de Jesus.

Dar a conhecer a igreja e o Convento de


Jesus.

2. Objectivos

Compreender a sua origem e a história.

A origem do Convento de Jesus.

3. Estrutura do
Trabalho As origens da arte Manuelina.
(conteúdos a estudar)

O simbolismo da igreja de Jesus.

Livros
4. Recursos Computador (pesquisa na Internet)
(Humanos e Materiais)
Fotocópias

5.Cronograma (Calendarização)

Fases do Trabalho Datas


Entrega do pré – projecto 24 de Outubro de 2008
Entrega do trabalho escrito 14 de Novembro de
2008
Apresentação oral 18 de Novembro de
2008

10
6. Formas de Apresentação oral com recurso ao
Apresentação PowerPoint.

Iremos realizar este trabalho a propósito da


matéria que estamos a dar na disciplina de
Área de Integração – Pessoa e Cultura.
Escolhemos este tema, porque
7. Justificação
considerámos interessante falar acerca
do Tema
dele e darmos a conhecer a história e
importância do Convento de Jesus.
Pretendemos ficar a conhecer melhor os
monumentos da nossa cidade.

Teles, José Varela


Pedras com Mensagem em Setúbal, pág.
27-32, 1996

Saraiva., José Armando


8.Bibliografia Setúbal na História, pág. 132-133, 1990
Apreciação e Aprovação
do projecto pelo
professor

11
Observaçõe
s

12