Você está na página 1de 11

REVISÃO GERAL DE AFO

Prof. Abner Mansur


1. (FCC/2015) O instrumento de planejamento pelo qual devem ser
previstos os objetivos, diretrizes e metas da Administração pública
para as despesas relativas aos programas de duração continuada é o
a) Plano Plurianual.
b) Lei de Diretrizes Orçamentárias.
c) Lei Orçamentária Anual.
d) Plano Diretor.
e) Anexo de Riscos Fiscais.
2. (FCC/2015) Anualmente, cada ente da federação envia, ao respectivo Poder
Legislativo, projeto de lei orçamentária anual. Nos termos da Constituição
Federal, entre outros, compõe a lei orçamentária anual:
a) os planos e programas nacionais, regionais e setoriais elaborados em
consonância com o plano plurianual e a lei de diretrizes orçamentárias.
b) o orçamento de investimento das empresas estatais independentes em que a
União, direta ou indiretamente, participe do capital social.
c) a programação financeira e o cronograma de execução mensal de
desembolso da administração direta e indireta, e dos fundos e fundações
instituídos e mantidos pelo poder público.
d) o orçamento da seguridade social, abrangendo todas as entidades e órgãos a
ela vinculados, da administração direta ou indireta, bem como os fundos e
fundações instituídos e mantidos pelo poder público.
e) o orçamento fiscal da administração direta da União, seus fundos e órgãos,
inclusive fundações instituídas e mantidas pelo poder público.
3. (FCC/2016) Em relação à iniciativa e aos prazos de tramitação do
projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias − LDO na esfera federal, a
iniciativa é
a) do Poder Executivo e deve ser encaminhado ao Poder Legislativo até o
dia 15 de abril de cada ano.
b) do Poder Legislativo e deve ser aprovado até o dia 15 de abril de cada
ano.
c) compartilhada entre o Poder Executivo e o Poder Legislativo e deve
ser votado até o dia 31 de agosto de cada ano.
d) do Poder Executivo e deve ser aprovado até o dia 30 de novembro de
cada ano.
e) do Poder Legislativo e deve ser devolvido para sanção até o dia 31 de
agosto de cada ano.
4. (FCC/2017) Em relação aos créditos orçamentários adicionais, é correto
afirmar que
a) os créditos especiais e extraordinários terão vigência unicamente no exercício
financeiro em que se der a sua autorização, salvo se esta ocorrer nos últimos
quatro meses desse exercício.
b) o crédito especial destina-se ao reforço de dotação orçamentária já existente
e está condicionado à existência de excesso de arrecadação para financiá-lo.
c) o crédito suplementar destina-se a financiar despesas para as quais não haja
previsão de recursos na dotação orçamentária específica e independe de
prévia existência de recursos para suportá-lo.
d) é admitida a abertura de crédito suplementar ou especial sem prévia
autorização legislativa, desde que haja indicação dos recursos
correspondentes para financiá-lo.
e) uma das fontes de seu financiamento é o superávit financeiro, que consiste
na diferença positiva entre o ativo permanente e o passivo permanente do
balanço patrimonial do ente público no exercício anterior.
5. (FCC/2017) Em 07/08/2017, um agente público, responsável pelo
almoxarifado de uma determinada entidade pública, recebeu
mercadorias adquiridas pela entidade. O agente, no momento do
recebimento, confrontou as mercadorias recebidas com aquelas
que estavam descritas na nota fiscal e assinou o comprovante de
entrega das mercadorias pelo fornecedor. Desse modo, em
07/08/2017, as ações realizadas pelo agente público fazem parte
da etapa da despesa orçamentária denominada
a) pagamento.
b) inscrição.
c) lançamento.
d) liquidação.
e) empenho.
6. (FCC/2017) Em 07/11/2016, o ordenador de despesa de uma
determinada entidade pública emitiu empenho no valor de R$
10.000,00 referente à aquisição de 10 mesas. Em 25/11/2016, a
despesa foi liquidada pelo valor de R$ 8.000,00, uma vez que
somente parte das mesas foram entregues, e em 01/12/2016 foi
pago o valor de R$ 3.000,00 referente ao empenho emitido em
07/11/2016. Assim, em 31/12/2016, foi inscrito em restos a pagar
a) processados no valor de R$ 2.000,00.
b) processados no valor de R$ 5.000,00.
c) processados no valor de R$ 7.000,00.
d) não processados no valor de R$ 5.000,00.
e) não processados no valor de R$ 7.000,00.
7. (FCC/2013) De acordo com a Lei Federal nº 4.320/64, classificam-
se como despesas de exercícios anteriores, dentre elas,
a) despesas processadas em época própria mas não pagas dentro do
exercício por insuficiência de caixa.
b) despesas empenhadas no exercício e liquidadas no exercício
subsequente.
c) despesas não realizadas no exercício por insuficiência de crédito
orçamentário.
d) compromissos reconhecidos após o encerramento do exercício
correspondente.
e) restos a pagar cancelado pela não concretização da despesa.
8. (FCC/2015) A respeito do suprimento de fundos, considere:
I. aplicável aos casos de despesas expressamente definidos em lei.
II. consiste na entrega de numerário a servidor.
III. o empenho pode ser prévio, se sabido o valor da despesa, ou a posteriori.
IV. estinado apenas às despesas que se subordinam ao processo normal de
aplicação.
São requisitos para a concessão do suprimento de fundos o que consta
APENAS em
a) I, III e IV.
b) I, II e III.
c) II e IV.
d) III e IV.
e) I e II.
9. (FCC/2015) O Governo do Estado do Piauí decidiu alugar imóveis
de sua propriedade. Em relação a um deles, os aluguéis não
foram pagos. Ao final do exercício, o valor correspondente
integrará
a) a dívida de contingência.
b) os créditos dos exercícios anteriores.
c) a dívida ativa não tributária.
d) a dívida ativa tributária.
e) a receita diferida contingencial.
10. (FCC/2017) A Lei Orçamentária Anual, para o exercício de 2017,
de determinado ente público previu receitas e fixou despesas no
valor de R$ 2.750.600.000. Não constou na Lei Orçamentária as
despesas com pessoal a serem realizadas pelo respectivo Poder
Legislativo, sob a alegação de que muitos servidores seriam
demitidos a partir de janeiro de 2017, portanto, não seria possível
fixar o montante exato de tais despesas. Nestas condições, a Lei
Orçamentária NÃO atendeu ao princípio orçamentário da
a) universalidade.
b) moralidade.
c) transparência.
d) exclusividade.
e) unidade.