Você está na página 1de 45

MECÂNICA DOS SÓLIDOS

TORÇÃO
UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ – UFPI
CENTRO DE TECNOLOGIA – CT
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA METALÚRGICA E MATERIAIS
ENGENHARIA METALÚRGICA

Torção

Prof.: Hamilton
Substituto: João Rodrigues
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO
O que é um TORQUE?
É um momento que tende a torcer um membro
em torno do seu eixo longitudinal [Hibbler, 2004].

APLICAÇÃO
Em projetos de eixo e/ou eixos de acionamento e
transmissão.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO - PREMISSAS BÁSICAS
a. Uma seção inicialmente plana, perpendicular ao eixo de seção
circular permanece plana após a aplicação dos torques.
b. Em um membro circular sobre a ação de um torque, as
deformações angulares () variam linearmente a partir do eixo
central. Isto significa que as linhas radiais nos planos ao longo
do eixo x permanecem retas após as deformação.
OBS.: Estas premissas são válidas somente para eixos circulares.

Para pequenas ângulos de


rotação o comprimento e o
raio do eixo permanecerão
inalterados.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO - PREMISSAS BÁSICAS
Se um eixo estiver preso em
uma extremidade e for
aplicado um torque na outra,
haverá uma distorção no
material e assumirá uma
forma oblíqua.

(x) chamado ângulo de torção.


Veja que ele esta em função x,
portanto varia ao longo do eixo.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO - PREMISSAS BÁSICAS
Para compreender como a tensão
deforma o material, vamos isolar um
elemento infinitesimal a uma
distância  da linha central.

Tensão de
CISALHAMENTO

Como dx e d são os mesmo para a seção


localizada em x, então dx/d é constante.
Então  só depende de .
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO – EQUAÇÃO DA TORÇÃO
Quando um torque externo é aplicado a um eixo, cria um torque
interno correspondente no interior do eixo ao longo do eixo radial.
Na região elástica relacionamos a tensão de cisalhamento com a
deformação de cisalhamento através da equação:

Relacionando a tensão de cisalhamento


máxima a uma tensão de cisalhamento
a distância  do centro.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO – EQUAÇÃO DA TORÇÃO
Tudo que falamos até agora foi de fenômenos internos, mas precisamos
relacionar ao torque externo. Pra isso, vamos pegar um elemento
infinitesimal de área dA localizado a , estando submetido a força dF.

Produzindo um torque:

Para toda a seção


temos:

Como max/c é constante, temos

EQUAÇÃO DA TORÇÃO
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO – EQUAÇÃO DA TORÇÃO
A integral da equação da torção só depende da geometria do eixo.

Momento de inércia polar,


J

Reescrevendo a equação
A equação da torção relaciona o
torque externo com a distribuição
das tensões de cisalhamento na
seção transversal de um eixo ou
tubo circular.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO – EQUAÇÃO DA TORÇÃO
EXEMPLO 1: determine o J de um eixo maciço.

C 

d

J é uma propriedade geométrica.


MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO – EQUAÇÃO DA TORÇÃO
EXEMPLO 2: determine o J de um tubo circular de raio interno b e raio
externo c.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO – EQUAÇÃO DA TORÇÃO
Observações Sobre a Equação da Torção
A Tensão de Cisalhamento varia
linearmente ao longo do raio;

 Como a tensão de cisalhamento age


em par, então necessita aparecer tensões
iguais sobre as outras quatro faces
adjacentes.

 Então o torque interno além de


desenvolver uma tensão de cisalhamento
radial também desenvolve uma tensão de
cisalhamento ao longo de um plano axial
(longitudinal).
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO – EQUAÇÃO DA TORÇÃO
EXEMPLO 2: Determine o torque interno resultante (máximo) da
seção do eixo abaixo.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO – EQUAÇÃO DA TORÇÃO
Se um eixo estiver sobre uma série de toques ou o raio mudar, a
tensão de torção máxima no interior do eixo poderá diferir de uma
seção para a outra. Então necessitamos determinar o torque
máximo usando o diagrama de torque pelo método das seções.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO – EQUAÇÃO DA TORÇÃO
EXEMPLO 3: Um eixo é suportado por dois mancais e esta sujeito a
três torques. Determine o torque e a tensão de cisalhamento
desenvolvida na seção a-a do eixo na sua borda e a 0,15 m do
centro. Raio da seção do eixo c = 0,75 m.
42,5 kNm
42,5 kNm
30 kNm
12,5 kNm 30 kNm
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO – EQUAÇÃO DA TORÇÃO
EXEMPLO 4: O tubo mostrado na figura tem um diâmetro interno de
80 mm e diâmetro externo de 100 mm. Supondo que sua extremidade
seja apertada contra o apoio em A por meio de um torquímetro em B,
determinar a tensão de cisalhamento desenvolvida no material nas
paredes interna e externa ao longo da parte central do tubo quando
são aplicadas forças de 80 N ao torquímetro.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DEFORMAÇÃO POR TORÇÃO – EQUAÇÃO DA TORÇÃO
EXEMPLO 4: O tubo mostrado na figura tem um diâmetro interno de
80 mm e diâmetro externo de 100 mm. Supondo que sua extremidade
seja apertada contra o apoio em A por meio de um torquímetro em B,
determinar a tensão de cisalhamento desenvolvida no material nas
paredes interna e externa ao longo da parte central do tubo quando
são aplicadas forças de 80 N ao torquímetro.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
TRANSMISSÃO DE POTÊNCIA
Eixos e tubos com seção transversal circular são
frequentemente empregados para transmitir a potência gerada
por máquinas. Quando usados para essa finalidade, são
submetidos a torque que dependem da potência gerada pela
máquina e da velocidade angular do eixo.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
TRANSMISSÃO DE POTÊNCIA: Definição de Potência
A potência é definida como o trabalho realizado por unidade de
tempo:

Sabe-se que a velocidade angular do eixo é dada por:

Portanto: No SI, a potência é


expressa em watts
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
TRANSMISSÃO DE POTÊNCIA
EXEMPLO 5: A bomba opera com um motor que tem potência de
85 kW. Supondo que o impulsor em B esteja girando a 150 rpm,
determinar a tensão de cisalhamento máxima desenvolvida em A,
localizada no eixo de transmissão que tem 20 mm de diâmetro.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
TRANSMISSÃO DE POTÊNCIA: Relação Potência - Frequência
No caso da análise de máquinas e mecanismos, a freqüência de
rotação de um eixo, é geralmente conhecida. Expressa em hertz (1Hz =
1 ciclo/s), ela representa o número de revoluções que o eixo realiza
por segundo.
Como 1 ciclo = 2π rad, pode-se escrever que:

Portanto, a equação da potência pode ser escrita do seguinte modo:


MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
TRANSMISSÃO DE POTÊNCIA
EXEMPLO 6: Um eixo tubular de diâmetro interno de 30 mm e
diâmetro externo de 42 mm é usado para transmitir 90 kW de
potência. Determinar a frequência de rotação do eixo de modo que a
tensão de cisalhamento não exceda 50 MPa. (1W=1Nm/s)
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DIMENSIONAMENTO DE EIXOS
Quando a potência transmitida por um eixo e sua rotação são
conhecidas, o torque no eixo pode ser determinado. Conhecendo-
se o torque atuante no eixo e a tensão de cisalhamento do
material é possível determinar a dimensão do eixo a partir da
equação da torção da seguinte forma:

O parâmetro J/c é usado para projetar eixo maciços ou perfurado.


MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
DIMENSIONAMENTO DE EIXOS
EXEMPLO 7: Selecione dois eixos maciços para transmitir 200 CV
de potência cada um, de forma que nenhum deles ultrapasse a
tensão de cisalhamento de 7 kgf/mm2. Um desses eixos dever
operar a 20 rpm, e o outro a 20.000 rpm. (1 CV = 450 kgf.m/min e
 (rad/min) = 2V(rpm)
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
ÂNGULO DE TORÇÃO
Supondo um eixo de seção transversal circular e variável ao longo
do seu comprimento e submetido a um torque variável em x (T(x)).
Ao retirarmos um disco infinitesimal de espessura dx, localizado na
posição x.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
ÂNGULO DE TORÇÃO
O projeto de um eixo depende de limitações na quantidade de
rotação ou torção ocorrida quando o eixo é submetido ao torque,
desse modo, o ângulo de torção é importante quando se analisam
as reações em eixos estaticamente indeterminados.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
ÂNGULO DE TORÇÃO: Área e Torque Constantes
Normalmente, o material é homogêneo, de modo que G é
constante, bem como, a área da seção transversal e o torque
aplicado também são constantes, portanto, a equação que
determina o ângulo de torção pode ser expressa do seguinte
modo:
Se o eixo estiver sujeito a diversos torques
diferentes, ou a área da seção transversal e o
módulo de elasticidade mudarem abruptamente de
uma região para outra, o ângulo de torção pode ser
determinado a partir da adição dos ângulos de torção
para cada segmento do eixo, assim:
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
ÂNGULO DE TORÇÃO: Área e Torque Constantes

Pode-se usar a equação para determinar o módulo

de elasticidade ao cisalhamento G.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
ÂNGULO DE TORÇÃO: Convenção de Sinais
A direção e o sentido do torque aplicado é definido a partir da
aplicação da regra da mão direita. Torque e ângulo serão positivos
se a direção indicada pelo polegar for no sentido de afastar-se do
eixo.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
ÂNGULO DE TORÇÃO: Eixo Sujeito a Diversos Torques
DIAGRAMA REPRESENTATIVO
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
ÂNGULO DE TORÇÃO: Eixo Sujeito a Diversos Torques
EXEMPLO 8: As engrenagens acopladas ao eixo de aço com uma das
extremidades fixa estão sujeitas aos torques mostrados na figura.
Supondo que o módulo de elasticidade de cisalhamento seja G = 80
GPa e o eixo tenha diâmetro de 14 mm, determinar o deslocamento
do dente P da engrenagem A. O eixo gira livremente no mancal em B.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
ÂNGULO DE TORÇÃO
EXEMPLO 9: No conjunto mostrado abaixo, os dois eixos estão
acoplados por duas engrenagens C e B. Determine o ângulo de
torção na extremidade A do eixo AB onde um torque T = 45 N.m é
aplicado. O eixo AB é livre para girar nos mancais E e F, enquanto o
eixo DC é fixo em D. Cada eixo tem diâmetro de 20 mm e G = 80 GPa.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
ÂNGULO DE TORÇÃO
EXEMPLO 10: Uma barra circular em torção consiste de 2 partes.
Determine o máximo torque possível se o ângulo de torção entre as
extremidades da barra não deve exceder 0,02 rad e a tensão de
cisalhamento não deve exceder 28 Pa. Assumir G = 83 GPa.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
ÂNGULO DE TORÇÃO
EXEMPLO 10: Um motor de 200 kW gira a 250 rpm. Para a
engrenagem em B é transmitido 90 kW e para a engrenagem em C
110 kW. Determine o menor diâmetro permissível d se a tensão
admissível de cisalhamento é de 50 MPa e o ângulo de torção entre
o motor e a engrenagem C é limitado a 15°. Considerar G = 80 GPa,
1 kW = 60 kNm/min e  (rad/min) = 2V(rpm)
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
TORÇÃO PARA EIXOS COM DIFERENTES MATERIAIS
Consideremos um eixo de seção circular composto de um tubo de
material A e uma barras interna de material B solicitado por um
toque.
max rA
Material A

 Material B

dA
rB
dA = 2d

d
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
TORÇÃO PARA EIXOS COM DIFERENTES MATERIAIS

O torque interno é dado por:

Usando a lei de Hooke e dA o torque interno pode ser dado por:

Como:

Rigidez Equivalente em
Temos:
Torção, <GJ>

Para um
posição
qualquer.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
TORÇÃO PARA EIXOS COM DIFERENTES MATERIAIS
Substituindo a equação da deformação por cisalhamento em uma
posição qualquer na lei de Hooke, obtemos a expressão da tensão
de torção para eixos circulares com materiais diferentes.

Posição qualquer Tensão Máxima


A equação para o ângulo de torção é semelhante para um eixo de um
único material:
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
TORÇÃO PARA EIXOS COM DIFERENTES MATERIAIS
Exemplo: Um eixo circular é feito pela compressão de um tubo de alumínio em
uma barra de latão, para formar uma seção de dois materiais, que então agem com
uma unidade. (a) Se, devido à aplicação de um torque T, aparecer uma tensão de
cisalhamento de 7 kgf/mm2 nas fibras externas do eixo, qual é a magnitude do
torque T? (b) Se o eixo tem 1 m de comprimento, qual será o ângulo de torção
devido ao torque T? Para o alumínio G = 2,8x103 kgf/mm2 e para o latão G =
4,28x103 kgf/mm2.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
TORÇÃO PARA EIXOS COM DIFERENTES MATERIAIS
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
MEMBROS (EIXOS) MACIÇOS NÃO CIRCULARES
Vimos torque aplicado em eixos de seção transversal circular
(simétrico em relação a linha de centro) e com isso temos
algumas premissas:
1. As deformações por cisalhamento variam linearmente de
zero no centro a um máximo na borda.
2. Devido a uniformidade da deformação por cisalhamento, a
seção transversal não se deforma permanecendo plana.

Eixos de seção transversal não-circulares são assimétricas em


relação a linha central e a tensão de cisalhamento é
distribuída de maneira muito complexa, suas seções
transversais arqueiam ou entortam quanto torcidas.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
MEMBROS (EIXOS) MACIÇOS NÃO CIRCULARES
Usando análise matemática (computacional) baseada na
teoria da elasticidade, podemos determinar a distribuição
da tensão de cisalhamento para um eixo de seção
quadrada.
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
MEMBROS (EIXOS) MACIÇOS NÃO CIRCULARES
Em todos os casos (eixos de seção
transversal não-circulares)
verificou que a tensão de
cisalhamento máxima está
localizada no ponto da borda da
seção transversal mais próximo da
linha central do eixo.

Para seção
transversal
retangular
MECÂNICA DOS SÓLIDOS
TORÇÃO
MEMBROS (EIXOS) MACIÇOS NÃO CIRCULARES
Exemplo: