Você está na página 1de 34

Disciplina: Patologia

Aula: Doenças Ambientais Tabagismo


Docente: Esp. Evaldo Júnior

1
Características gerais

O tabagismo é considerado pela Organização


Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte
evitável em todo o mundo.
Pesquisas comprovam que aproximadamente 47%
de toda a população masculina e 12% da população
feminina no mundo fumam.
O fumo é responsável por 95% dos casos de câncer
de boca 90% das inflamações de mama; 90% da
incidência de câncer no pulmão;

2
Está comprovado que o tabagismo é responsável
por:

• 200 mil mortes por ano no Brasil (23 pessoas por hora);

• 25% das mortes causadas por doença coronariana - angina


e infarto do miocárdio;

• 45% das mortes por infarto agudo do miocárdio na faixa


etária abaixo de 65 anos;

• 85% das mortes causadas por bronquite crônica e enfisema


pulmonar (doença pulmonar obstrutiva crônica);

3
• 90% dos casos de câncer no pulmão (entre os 10%
restantes, 1/3 é de fumantes passivos);

• 25% das doenças vasculares (entre elas, derrame


cerebral).

• 30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer


(de boca, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas,
fígado, rim, bexiga, colo de útero, leucemia);

4
O total de mortes devido ao uso do tabaco atingiu a
cifra de 4,9 milhões de mortes anuais, o que corresponde
a mais de 10 mil mortes por dia.

Caso as atuais tendências de expansão do seu


consumo sejam mantidas, esses números aumentarão para
10 milhões de mortes anuais por volta do ano 2030,
sendo metade delas em indivíduos em idade produtiva
(entre 35 e 69 anos) (WHO, 2003).

5
Composição química do tabaco
Dependendo do cultivo da região a quantidade de
substâncias produzidas pela folha do tabaco pode variar
de 500 até 4.720.

Durante a combustão ocorre três tipos de reações:


pirólise, pirossíntese e destilação.
- Pirólise: as substâncias contidas no tabaco são
fracionadas com reação de oxidação;
- Pirossíntese: os elementos fracionados recombinam-se
em novas substâncias;
- Destilação: o alto aquecimento na ponta do cigarro,
ocorre destilação e formação da nicotina.
6
Principais substâncias presentes nessas
reações
- Monóxido de carbono;
- Óxido de nitrogênio;
- Amônia;
- Aldeído;
- Nitrosaminas voláteis;
- Nitrilas;
- Alcatrão (benzopireno)

7
8
O alcatrão é um composto de mais de 40 substâncias
comprovadamente cancerígenas, formado à partir da
combustão dos derivados do tabaco. Entre elas, o arsênio,
níquel, benzopireno, cádmio, resíduos de agrotóxicos,
substâncias radioativas, como o Polônio 210, acetona,
naftalina e até fósforo P4/P6, substâncias usadas para
veneno de rato.

A nicotina age no sistema nervoso central como a


cocaína. estimula no aparelho gastrointestinal a produção
de ácido clorídrico, o que pode causar úlcera gástrica.
Também desencadeia a liberação de substâncias
quimiotáxicas no pulmão, que estimulará um processo
que irá destruir a elastina.
9
Farmacocinética da nicotina
- É o ingrediente mais ativo da fumaça do cigarro e um
dos agentes tóxicos mais potentes e rapidamente fatais;
- A dose letal média para o homem situa-se entre 40 a 60
mg;
- Aumento da freqüência cardíaca e da pressão arterial ;
- Leve aumento da freqüência respiratória;
- Irrigação sanguínea diminui;
- Supressão da diurese;
- Alterações no humor.

10
Vias de introdução e absorção
- As principais vias de introdução da nicotina são oral e a
pulmonar;
- A nicotina mascada é mais fácil de ser absorvida via oral,
devido a sua basicidade, porém a nicotina presente na
fumaça é mais fácil absorvida via pulmonar, devido a sua
acidez;
- A biodisponibilidade da nicotina é baixa, ou seja 25 a
30% da quantidade ingerida alcança a circulação
sistêmica porque passa pelo fígado;
- A fumaça inalada, apenas 20 a 25% da quantidade total
de nicotina é absorvida e vai para a corrente sangüínea.

11
Distribuição, biotransformação e excreção

- Nicotina é pouco ligada a proteína plasmática, sendo


rápida e amplamente distribuída para órgãos e tecidos;
- Atravessa a barreira placentária e é secretada pelo leite
materno;
- É biotransformada no fígado;
- E excretada inalterada na urina de uma maneira
dependente do PH urinário

12
Principais efeitos tóxicos
Diversos estudos clínicos e epidemiológicos
confirmam que o uso crônico do tabaco é um fator de
risco para morte de isquemia cardíaca, câncer do pulmão
e bronquite crônica.

Coronariopatias e outras formas de doença vasculares


- Nicotina: liberação de catecolaminas elevação da
frequencia cardíacaelevação da pressão arterial
vasoconstricçãoaterosclerose;
- Monóxido de carbono: presente nos pulmões
hemoglobina nas células vermelhas do sanguequeda da
taxa de saturação do oxigênio.

13
Bronquite crônica e enfisema
- Inflamação causando obstrução das vias aéreas;
- Espasmos da musculatura lisa dos brônquios;
- Aumento da secreção de muco;
- Hipoxemia e cianose;
- Tosse produtiva

14
15
Enfisema pulmonar

É um tipo irreversível de DPOC caracterizada por


perda da elasticidade pulmonar e aumento anormal dos
espaços aéreos entre os alvéolos, como também
destruição da parede alveolar , represamento de ar e
diminuição de surfactante.

16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
Câncer
O potencial carcinogênico do cigarro, é certamente
um dos seus mais importantes aspectos mórbidos dos
estudados;
O câncer do pulmão contribui para aproximadamente
metade do total de mortes por esta moléstia e estima-se
que cerca de 90% são causados por tabagismo;
O fumo contém cerca 80% de substâncias
cancerígenas, entre as quais destacam-se os
hidrocarbonetos aromáticos policíclicos e nitrosaminas;
O uso concomitante de álcool e tabaco aumenta mais
o risco de cãncer da cavidade bucal, faringe, supraglótica
e esôfago.

26
27
O tabagismo é um importante fator de risco de câncer
na cavidade bucal, faringe, laringe, esôfago, estômago,
rim, pâncreas, bexiga e cérvix uterina.

Efeitos nocivos na gravidez


Estudos recentes das provas relativas aos efeitos do
tabaco no feto durante a gravidez mostram claramente a
sua nocividade.
O efeito se deve ao elevado nível de
carboxiemoglobina no sangue fetal, relativamente maior
que no sangue materno, proporcionando: aborto, placenta
prévia, deslocamento de placenta e síndrome da morte
súbita infantil durante e após a gestação.

28
Tolerância

A tolerância farmacodinâmica se desenvolve para


alguns efeitos da nicotina, como: tonturas, náuseas,
vômitos, sudorese e hipotensão, observados em quem
inicia o hábito de fumar.
Em fumantes o primeiro cigarro tragado poderá
causar elevação da pressão arterial, aumento da
freqüência de pulso, tremor nas mãos, baixa da
temperatura da pele.

29
Dependência
A nicotina liberada, ao fumar um cigarro, induz ao
mesmo tipo de dependência que os outros fármacos
psicoativos;
Essa substância produz efeitos euforizantes e é o
agente reforçador da dependência do tabaco.

Síndrome da abstinência
Atualmente sabe-se que a interrupção brusca do uso
crônico do tabaco pode ser seguida de uma síndrome de
abstinência que varia de intensidade de indivíduo para
outro.

30
Manifestações clínicas da abstinência
- Transtornos do sono;
- Náusea;
- Irritabilidade;
- Fadiga;
- Cefaléia;
- Ansiedade;
- Dificuldade na concentração e coordenação motora;
- Ganho de peso;
- Redução da frequencia cardíaca;
- Redução da pressão arterial.

31
Exposição involuntária à fumaça do tabaco

32
Tabagismo no ambiente de trabalho

É comprovado que fumar durante o trabalho atrapalha


o desempenho profissional como também pode causar
acidentes no ambiente.

- Produtos do tabaco podem contaminar-se com agentes


tóxicos do ambiente;
- Aumento de substância tóxicas do cigarro;
- Pode causar incêndios e explosões.

33
1- Estrutura e especializações cardíacas (Erica)
2- Insuficiência cardíaca esquerda e direita (Jorgeana)
3- Shunts da Esquerda para direita (Amanda)
4-Shunts da Direita para a Esquerda (Eslei)
5-Anomalias congênitas obstrutivas (Elaine)
6-Cardiopatia isquêmica (Fernanda)
7-Cardiopatia Hipertensiva (Clara)

34