P. 1
Aparelho Respiratório dos Vertebrados

Aparelho Respiratório dos Vertebrados

|Views: 10.533|Likes:
Publicado porrafrancoo

More info:

Published by: rafrancoo on Sep 09, 2009
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/12/2013

pdf

text

original

Aparelho Respiratório dos Vertebrados

Respiração

Tipos de trocas gasosas nos animais
cutânea (por difusão)  traqueal  filotraqueal  branquial  pulmonar

Cutânea - difusão

Cutânea - difusão

Traqueal

Filotraqueal

Respiração Branquial

Brânquias são órgãos adaptados a retirar o oxigênio dissolvido na água, passá-lo para o organismo do animal através do sistema circulatório e remover o CO2 do sangue do animal, liberando-o na água A água penetra pela boca e passa para a faringe (as brânquias dos vertebrados encontram-se nas paredes da faringe), banha as brânquias, promovendo as trocas gasosas e sai do organismo do animal. Alguns peixes usam-nas também para a excreção de resíduos, funcionando como um rim, da mesma maneira como os mamíferos podem eliminar excreções através da pele.

Respiração Branquial

guelras (brânquias) de um atum

Osteictes – peixes ósseos

apresentam quatro pares de brânquias, localizadas em uma câmara única esta câmara é recoberta e protegida pelo opérculo, uma placa óssea móvel.

Condrictes – peixes cartilaginosos

as brânquias são localizadas em câmaras independentes que se comunicam com o exterior por saídas chamadas fendas branquiais apresentam 5 a 7 fendas branquiais dos lados do corpo (no caso dos tubarões) ou na região ventral da cabeça (no caso das raias) como não têm opérculos, têm que nadar com a boca aberta para promover o fluxo de água.

Respiração Branquial

no caso dos peixes cartilaginosos, a água pode entrar também por orifícios reguladores chamados espiráculos, que se encontram na cabeça do animal, próximo aos olhos obs.: peixes têm narinas, mas elas servem exclusivamente para percepção olfativa – as narinas não têm conexão com o sistema respiratório.

Peixes Dipnóicos

Dipnóicos (peixes pulmonados), é a designação dos peixes da classe Sarcopterygii isto é, peixes ósseos portadores de bexiga natatória (bexiga de gás) adaptada à função de respiração aérea. Têm narinas internas atípicas (sua narinas se abrem dentro da cavidade bucal), pulmões funcionais e sistema circulatório diferenciado, por estas características eles foram considerados no passado como ancestrais dos tetrápodes. Em todos os dipnóicos viventes, o pulmão é dorsal ao intestino, embora ligado à face ventral do esôfago por um tubo.

Peixes Dipnóicos

Anfíbios
  

no estágio larval, os anfíbio respiram por brânquias os adultos têm respiração pulmonar e cutânea pulmonar:
os pulmões dos adultos são estruturas relativamente simples, pois possuem uma superfície interna limitada com alvéolos simples.  o mecanismo de bombeamento do ar para o interior é realizado através de movimentos gulares, onde o animal move a musculatura bucal para “engolir” o ar.

Anfíbios

cutânea:
 

a pele é lisa e bem permeável, permitindo a troca gasosa por difusão calcula-se que a maior parte do O2 “tomado” pelos anfíbios ocorre pela pele.

Anfíbios

Em alguns anfíbios - que, em geral têm menos movimentos que a maioria dos peixes -, as brânquias têm a mesma localização, mas apresentam um tufo externo, para aumentar a sua superfície.

Respiração Pulmonar

Pulmões são órgãos esponjosos especialmente adaptados para retirar oxigênio do ar e devolver a ele gás carbônico. para que isso aconteça, é necessário que haja alguma forma de bombeamento do ar para o interior do organismo.

Répteis

Répteis – a respiração é pulmonar em todas as fases da vida;
   

aparecimento de caixa torácica, feita de costelas ao redor dos pulmões (não havia nos anfíbios); a expansão e contração desta caixa permite, por mudança de pressão, entrada e saída de ar por diferença de pressão; subdivisão interna em numerosos alvéolos, que aumenta muito a superfície para trocas gasosas este aumento de desempenho permite aos répteis um metabolismo mais ágil, ao contrário dos anfíbios em geral.

Aves

Nas aves, os pulmões não são do tipo alveolar, porém detêm uma grande rede de canais que permitem um fácil arejamento interno. estes canais se comunicam com os sacos aéreos os sacos aéreos se comunicam com os pulmões, porém sua principal função é dar leveza ao corpo do animal, para auxiliar no vôo.

Mamíferos
nos mamíferos, o aparelho respiratório atinge o máximo de complexidade  a excepcional superfície alveolar supera em dezenas de vezes a área da superfície de revestimento externo (pele) do animal

Aparelho Respiratório Humano

Aparelho Respiratório Humano

o percurso do ar no organismo humano é:
 

vias aéreas: narinas, fossas nasais, coanas, faringe, glote, laringe, traqueia pulmões: brônquios, bronquíolos, alvéolos

os pulmões se enchem ou esvaziam de ar dependendo da ação dos músculos intercostais e diafragma. A elevação dos músculos intercostais provoca uma elevação das costelas e um aumento da caixa torácica no plano horizontal. ao mesmo tempo, o diafragma se contrai e se abaixa, aumentando o volume interno do tórax.

Movimentos Respiratórios

Movimentos Respiratórios

Movimentos Respiratórios

Trocas gasosas

 

as trocas gasosas ocorrem nos alvéolos pulmonarespequenos sacos irrigados por redes sanguíneas onde o O2 do ar que entra neles passa por difusão para os capilares sanguíneos (que têm menos O2) e “absorve” CO2 deles. quando o ar entra tem alta concentração de O2 (21%) e baixa de CO2 (0,03%); quando sai, o O2 está em 14% e o CO2 em 5%; desta maneira, ocorre uma filtragem do sangue que, quando sai do pulmão, está rico em O2 novamente este processo é denominado hematose.

Trocas gasosas

Trocas gasosas

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->