P. 1
Aurea Dedicatoria Alterado

Aurea Dedicatoria Alterado

4.8

|Views: 17.064|Likes:
Publicado porazitel

More info:

Published by: azitel on Oct 07, 2007
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/02/2012

pdf

text

original

i

Estudo de prevalência das parasitoses intestinais: Prevalência de parasitoses intestinais no Hospital Militar Principal/ Instituto Superior de 1 de Dezembro de 2005 A 15 de Fevereiro de 2006.

Maria Isabel Simão de Freitas.

Monografia de Licenciatura apresentada ao Instituto Superior Privado de Angola para Obtenção de licenciada em Ciências Farmacêuticas. ORIENTADORES: Dra. Filomena M. C. F. Burity da Silva Neto. Coronel -Medica / Especialista em Patologia clínica, Chefe De Departamento do Laboratório do HMP/IS, e responsável docente do departamento de laboratório Dr. Orlando P. Vega Cruz Medico/ Especialista em Patologia Clínica, Chefe Adjunto do Departamento do laboratório

LUANDA 2006

ii

Dedicatória
A memória do meu querido pai Bernardo Simão Paulo que não terá a oportunidade de viver este momento. A minha querida mãe pelo encorajamento durante o tempo de formação. Ao meu esposo, pela tolerância com que encarou as minhas ausências, pela dedicação e espírito de sacrifício consentidos durante a minha formação. Aos meus queridos filhos que muitas vezes tiveram que suportar a minha ausência, falta de carinho e atenção. As minhas irmãs e sobrinhos e madrinhas pela coragem, incentivo e presença constante nos momentos difíceis.

iii

Agradecimento
Agradeço a Deus todo-poderoso pelo dom de vida que me concebeu e por ter iluminado o meu caminho durante todos estes anos. A doutora Filomena Burity pela autorização e orientação do trabalho e ao Dr. Orlando Vega pela escolha do tema e orientador, pela paciência e competência e dedicação na execução do trabalho. A doutora Joaquina Madalena pela colaboração prestada. Ao doutor Isaac Francisco por ter me inscrito para a bolsa e pelo incentivo prestado Ao doutor Carlos Saturnino, Medico chefe da DSS/MGA pela compreensão e apoio. A técnica Domingas Ferreira e a todos os técnicos da secção de parasitologia pelo carinho, disponibilidade e apoio permanente. Aos docentes do departamento de farmácia e analises clínicas do Instituto Superior Privado de Angola em especial o doutor Santos Nicolau pelo aconselhamento e coragem. As minhas colegas e amigas pela coragem e carinho companheirismo e pelos momentos agradáveis de convívio. Agradeço a todos que de uma forma ou de outra possibilitaram a conclusão deste curso, a todos a minha sincera gratidão

iv

Cada dia Deus nos dá uma tela nova quem escolhe as cores somos nós.

Frei clemente kissumir.

v

Resumo As parasitoses intestinais são de grande importância para o mundo pois constitui um grande problema de saúde pública, contribuindo para o agravamento de problemas económicos, sócias e médicos sobretudo nos países do terceiro mundo. Para verificarmos a prevalência de parasitoses intestinais Hospital Militar Principal/
Instituto Superior foram colectadas amostras de fezes de 541 indivíduos de todas as idades e ambos os sexos no período de 1 de Dezembro a 15 de Fevereiro de 2006. Dos casos estudados, observou – se 54 casos positivos (10%) e 487 casos negativos (90%), dos quais 336 (62%) pertencem ao sexo masculino e 205 (38%) ao sexo feminino. As espécies parasitarias mais prevalecentes foram o Ascaris Lombricóides com 26 casos (4,8%), seguido do Strongiloide stercoralis com 18 casos (3,3%), o Ancisilostoma e o Trichuri- Trichura com 3 casos (0,6%) respectivamente, o Shistossoma Mansoni teve apenas 1 caso (0,2%), e a associação parasitária com 2 parasitas (0,2%) Na global de infestação o parasita Ascaris Lombricóides apresentou-se em maior frequência infestando todas as idades e em ambos os sexos. A taxa global de infestação aumentou de forma geral com a idade, atingindo o máximo na idade adulta dos 30 aos 39 anos com 16 casos positivos (29,6%) seguido dos 20 aos 29 anos com 13 casos positivos (24,07%) No que se refere a positividade em relação ao sexo, o masculino foi o que apresentou maior número de casos devido ao tipo de atendimento medico prestado no local ser feito maioritariamente a adultos. Palavras chave-parasitoses intestinais, prevalência.

vi

Glossário
Agente etiológico – É o agente causador ou responsável pela origem da doença. Pode ser vírus, bactéria, fungo, protozoário ou heminto. Agente infeccioso – Pode ser parasita, sobretudo, microparasitos (bactérias, fungos, protozoários, vírus etc.) Bio-helmintos - São aqueles seres cujo ciclo evolutivo exige habitualmente a participação de um ou mais hospedeiros além do homem. Contaminação - É a presença de um agente infecioso na superfície do corpo, agua ou alimentos. Endemia - É a prevalência usual de determinada doença com relação a área. Normalmente considera-se como endémica a doença cujo incidência normalmente esperada de uma doença é derivada de uma fonte comum de infecção ou de propagação. Epidemia ou surto epidémico - É a ocorrência numa colectividade ou região de casos que ultrapassam nitidamente a incidência normalmente esperada de uma doença e derivada de uma fonte comum de infecção ou propagação. Epidemiologia - É o estudo da distribuição dos factores determinantes da frequência de uma doença. Fonte de infecção - É a pessoa, coisa ou substância da qual o agente infeccioso passa directamente a um hospedeiro. Essa fonte de infecção pode estar situada em qualquer ponto da cadeia de transmissão. Geo-helminto - São aqueles seres cujo ciclo evolutivo, em parte pode ocorrer no solo (que é a fonte de infecção, contendo larvas infectantes ou ovos) provenientes de outros hospedeiro além do homem.

vii

Habitat - É o ecossistema, local ou o órgão onde determinada espécie ou população vive. Helmintos - (vermes) são parasitas animais metazoarios pluricelulares, de vida livre ou parasita de plantas e animais, incluindo o homem. Hospedeiro - É um organismo que alberga o parasita. Hospedeiro - Definitivo é o que apresenta o parasito na fase de actividade sexual Hospedeiro intermediário - É aquele que apresenta o parasito na fase larvária ou assexuada Incidência - É a frequência com que uma doença ou facto ocorre num período de tempo definido e com relação a população. Infecção – É a penetração, desenvolvimento ou multiplicação de um agente infeccioso no homem ou animal. Infestação – É o alojamento, desenvolvimento e reprodução de artrópodes na superfície do corpo ou vestes. Letalidade - Expressa o numero de morte em relação a determinada doença ou facto e com relação a população. Morbilidade - Expressa o número de pessoas doentes em relação a população. Mortalidade determina o número de óbitos em determinado período de tempo. Nemathelmintas – São vermes cilíndricos, com tubo digestivo completo. Parasita - São todos os organismos que obtêm alimentos a custa do seu hospedeiro consumindo-lhe os tecidos ou conteúdos intestinais sendo o relacionamento entre o parasita e o hospedeiro ser de base nutricional. Parasitismo - É uma relação directa e estreita entre dois organismo geralmente bem determinados: o hospedeiro e o parasita vivendo o segundo a custa do primeiro.

viii

Protozoários - São organismos unicelulares compostos por uma só célula, com uma pequena massa citoplasmática e capazes de multiplicarem-se dentro do hospedeiro.

ix

Abreviaturas
OMS- Organização mundial da saúde. Unicef- Fundo das nações unidas para a infância.

x

Índice Dedicatória------------------------------------------------------- I Agradecimentos------------------------------------------------- II Glossário---------------------------------------------------------III Ìndice-------------------------------------------------------------IV Abreviaturas------------------------------------------------------V Resumo-----------------------------------------------------------VI 1- Introdução------------------------------------------------ -1 2- Objectivos------------------------------------------------ -3 2.1- Geral 2.2- Específicos. 3- Revisão bibliográfica--------------------------------------4 4- Material e métodos------------------------------------ ---13 5- Resultados e discussões--------------------------------- 18 6- Conclusões------------------------------------------------ 23 7- Recomendações------------------------------------------ 24 8- Referências Bibliográficas----------------------------- 25 Anexos-----------------------------------------------------------VII Tabelas Protocolo de investigação.

xi

Tabela 1 Distribuição dos 541 casos de Parasitoses Intestinais estudados, por idade no Hospital Militar Principal/Instituto Superior, Dezembro de 2005 a Fevereiro de 2006.

Idade 0-9 10 - 19 20 - 29 30 - 39 40 - 49 50 - 59 60 - 69 70 - 79 80 e mais Total

Nº Casos 27 66 144 149 80 47 16 9 3 541

% 5,0 12,2 26,6 27,5 14,8 8,7 3,0 1,7 0,6 100,0

Fonte :Ficha de recolha de dados. Tabela nº 2 – Distribuição dos 541 casos de Parasitoses Intestinais segundo o sexo no Hospital Militar Principal/Instituto superior, Dezembro de 2005 a Fevereiro de 2006.
Sexo Masculino Feminino Total Nº Casos 336 205 541 % 62,1 37,9 100,0

Fonte: Ficha de recolha de dados.

Tabela nº 3 Distribuição dos 541 casos de Parasitoses Intestinais quanto a proveniência no Hospital Militar Principal/Instituto Superior, Dezembro de 2005 a Fevereiro de 2006.–

Proveniência Consulta Externa Consulta Interna Pediatria

Nº Casos 486 28 27

% 89,8 5,2 5,0

xii

Total

541

100,0

Fonte: Ficha de recolha de dados.

Tabela nº 4 – Distribuição dos 541 casos de Parasitoses Intestinais quanto a positividade no Hospital Militar Principal/Instituto Superior, Dezembro de 2005 a Fevereiro de 2006.
Resultado Ansilostoma Ascaris Ascaris + Strongiloide Hemonolepsi Nana Hemonolepsi + Ascaris Strongiloide Stercorales S.Mansoni Trichuri -Trichura Negativo Total Nº Casos 3 26 1 1 1 18 1 3 487 541 % 0,6 4,8 0,2 0,2 0,2 3,3 0,2 0,6 90,0 100,0

Fonte: Ficha de recolha de dados. Tabela nº 5 Distribuição dos 54 casos positivos segundo a idade no Hospital MilitarPrincipal/Instituto Superior, dezenbro de 2005 a Fevereiro de 2006. –
Resultado Ansilostoma Ascaris Ascaris + Strongiloide Hemonolepsi Nana Hemonolepsi + Ascaris S.Mansoni Strongiloide Stercorales Trichuri -Trichura Total 0-9 1 3 0 0 0 0 1 0 5 10-19 0 4 0 1 0 0 1 0 6 20-29 0 6 0 0 1 0 6 0 13 30-39 1 8 0 0 0 1 4 2 16 40-49 0 3 1 0 0 0 3 1 8 50-59 1 1 0 0 0 0 3 0 5 60-69 0 0 0 0 0 0 0 0 0 70-79 0 1 0 0 0 0 0 0 1 80 e mais 0 0 0 0 0 0 0 0 0 Total 3 26 1 1 1 1 18 3 54 % 5,6 48,1 1,9 1,9 1,9 1,9 33,3 5,6 100,0

Fonte: Ficha de recolha de dados.

xiii

Tabela nº 6 Distribuição dos 54 casos positivos segundo o sexo no Hospital Militar Principal/Instituto Superior, Dezembro de 2005 a Fevereiro de 2006.
Resultado Ansilostoma Ascaris Ascaris + Strongiloide Hemolepsi Nana Hemolepsi + Ascaris S.Mansoni Strongiloide Stercorales Trichuri -Trichura Total Feminino 0 8 1 1 0 0 1 2 13 % 0,0 61,5 7,7 7,7 0,0 0,0 7,7 15,4 100,0 Masculino 3 18 0 0 1 1 17 1 41 % 7,3 43,9 0,0 0,0 2,4 2,4 41,5 2,4 100,0 Total 3 26 1 1 1 1 18 3 54 % 5,6 48,1 1,9 1,9 1,9 1,9 33,3 5,6 100,0

Fonte: Ficha de recolha de dados.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->