P. 1
2010 - Caderno do Aluno - Ensino Médio - 3º Ano - História - Vol. 3

2010 - Caderno do Aluno - Ensino Médio - 3º Ano - História - Vol. 3

|Views: 6.091|Likes:
Caderno do Professor com todas atividades e respostas para uso em dúvidas.
Caderno do Professor com todas atividades e respostas para uso em dúvidas.

More info:

Published by: Anderson Guarnier da Silva on May 02, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/05/2013

pdf

text

original

GABARITO

Caderno do Aluno

História – 3a série – Volume 3

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 TERROR ATÔMICO: O HOMEM TEM FUTURO?

Páginas 3 - 4

1. • Oriente o preenchimento do quadro destacando as diferenças entre os blocos de

tensão da Guerra Fria. Bloco Capitalista Principal organização bélica Plano de auxílio econômico Diferenças entre os sistemas
Otan

Bloco Socialista
Pacto de Varsóvia

Plano Marshall

Comecon

Propriedade privada, economia de mercado

Propriedade estatal, economia planificada

Página 5

A lista de músicas sugeridas pode exigir a participação de um professor de inglês na atividade, ou de alunos e professores que tenham facilidade para lidar com o idioma. Estimule à busca de traduções disponíveis na internet e leia as letras das músicas em conjunto com seus alunos.

1

GABARITO

Caderno do Aluno

História – 3a série – Volume 3

Página 5

O texto deve conter elementos das discussões feitas em sala de aula sobre o "temor atômico" presente na mentalidade da época, das músicas sugeridas para análise que apresentam tal mentalidade, bem como do livro de Bertrand Russell.

Página 6

• Os Jogos Olímpicos de 1980 foram boicotados pelos norte-americanos, e os de 1984, pelos soviéticos. • Trata-se de uma discussão pertinente ao contexto da Guerra Fria, em 1980, quando os Jogos foram realizados em Moscou, sede do poderio soviético, e em 1984, em Los Angeles, nos EUA. Porém, os americanos alegam um boicote provocado pela invasão do Afeganistão pelos soviéticos, em 1979. • Os Jogos serviam como uma base de propaganda para os sistemas capitalista e socialista. Portanto, para ambos os lados, a quantidade de medalhas simbolizava eficiência.

Páginas 7 - 8

1. a) Havia, por parte de Estados Unidos e União Soviética, um grande arsenal atômico de reserva para evitar hostilidades. Tratava-se de uma corrida tecnológica e bélica para a proteção de aliados e territórios. b) Temia-se, na época, que, depois da utilização da primeira bomba, ataques em cadeia destruiriam a vida na Terra. O massacre seria generalizado e, na ótica do personagem de Kubrick, Dr. Fantástico, seria necessário selecionar, como defendiam os nazistas, os “melhores da espécie”, para se protegerem dos efeitos da radiação. Ou seja, não havia proteção para todos. Algum critério deveria ser levado em conta para selecionar os sobreviventes e seria uma possibilidade para o renascimento da eugenia e dos ideais nazistas.
2

GABARITO

Caderno do Aluno

História – 3a série – Volume 3

2. Os alunos podem citar a Guerra da Coreia (1950-1953), Guerra do Vietnã (19581975), invasão do Afeganistão (1979), Revolução Cubana (1959) e Revolução Chinesa (1949). 3. a) As grandes potências divergiam, basicamente, pelos diferentes modelos socioeconômicos que seguiam e defendiam. Após a Segunda Guerra Mundial, as áreas reconstruídas por Estados Unidos e União Soviética foram divididas e estas adotaram os modelos de seus centros. b) A Guerra Fria teve alguns momentos bastante agitados e “quentes”. Tais como a Guerra do Vietnã e a da Coreia. 4. Alternativa b. 5. Alternativa a.

3

GABARITO

Caderno do Aluno

História – 3a série – Volume 3

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 2 REVOLUÇÃO CUBANA E PRODUÇÃO CULTURAL

Páginas 13 - 14

1. Professor, neste primeiro momento o aluno deverá fixar sua atenção na compreensão do texto e na identificação do posicionamento de cada autor. 2. Estimule a discussão sobre as opiniões individuais de cada aluno a respeito da situação apresentada nos textos. Para isso, peça a eles que se utilize de notícias e conhecimentos sobre a situação de Cuba. 3. Neste espaço devem ser anotadas as informações coletadas nas discussões do tópico anterior realizadas com a turma toda, já que cada um dos grupos focou a análise de um dos textos.

Página 14

A análise do discurso cinematográfico já foi bastante trabalhada em situações de aprendizagem anteriores. Retomando alguns daqueles principais aspectos, procure valorizar as análises que caminhem na direção da crítica da obra e da leitura das intenções do autor. Estimule-os, conforme está orientado no Caderno do Aluno, a buscar na internet críticas e resenhas relativas ao filme escolhido, independente do aluno ter ou não assistido ao filme. No caso do filme ter sido assistido, peça que a pesquisa seja realizada ao final, de forma a promover a comparação entre as discussões de sala de aula e as críticas encontradas, propiciando assim, com a sua mediação, a análise de diferentes pontos de vista.

Página 14

Os ganhos sociais garantidos pela Revolução Cubana de 1959 são muito discutidos. As áreas listadas na pesquisa têm grande importância na Ilha de Cuba, uma vez que o
4

GABARITO

Caderno do Aluno

História – 3a série – Volume 3

sistema educacional e de saúde do país são amplamente citados e debatidos na imprensa. Quanto à economia de mercado, ressalte as limitações decorrentes do embargo econômico imposto pelos Estados Unidos e o relacionamento entre e a Ilha e a Organização dos Estados Americanos (OEA). Também aponte o controle estatal de mercado como uma opção política que integrou o modelo soviético, copiado por Cuba.

Páginas 15 - 17

1. a) A Emenda Platt facilitava a influência dos Estados Unidos no Caribe e na América Central e criava um dispositivo legal na Constituição cubana para interferências no país, tornando a Ilha, praticamente, um protetorado americano. b) O intervencionismo ligado à política do Big Stick (Corolário Roosevelt), o “grande porrete” dos Estados Unidos para lidar com os vizinhos. c) A Revolução Cubana aproximou a ilha caribenha da União Soviética e criou um contraponto ao domínio americano na região. 2. a) Ernesto Guevara, apelidado “Che” (uma expressão argentina), foi um médico que dedicou sua vida às causas populares e revolucionárias, atuou como médico de sindicatos e participou de revoluções de caráter socialista na América Latina e na África. b) Cuba pretendia ser um bastião do socialismo na América Latina, e a aproximação com a União Soviética fortaleceu belicamente a Ilha, incomodando o domínio americano na região. c) Grande parte dos governos militares na América Latina eram de direita e defendiam os interesses americanos e, dentro da bipolaridade da Guerra Fria, a ideologia capitalista. E El Che era um líder socialista, por isso a perseguição. 3. A guerrilha é constituída de um exército não profissional, fundido à população civil, e usa táticas de tocaia, emboscadas e ataques-surpresa. Não possui um quartel aparente e esconde-se em regiões de difícil acesso, tais como matas e ruínas. A Revolução Cubana de 1959 utilizou uma guerrilha nestes moldes para derrubar as tropas do ditador Fulgencio Batista.
5

GABARITO

Caderno do Aluno

História – 3a série – Volume 3

4. Alternativa c. 5. Alternativa c

6

GABARITO

Caderno do Aluno

História – 3a série – Volume 3

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 3 MOVIMENTO OPERÁRIO DO BRASIL NAS DÉCADAS DE 1950 E 1960

Páginas 19 - 21

1. Percebemos que em 1959, 1960, 1961 e 1963 o número de greves aumentou significativamente. Professor, o complemento analítico para essa questão encontra-se na resposta da questão 6. 2. Nos anos em que mais houve greve, citados na primeira tabela, a inflação acumulada sofreu grandes saltos. Repare que ela subiu de cerca de 12% em 1958 para para quase 36% 1959 e se manteve em alto patamar, acima dos 25%, em todos os anos seguintes. 3. Estimule uma leitura atenta das tabelas e ressalte alguns eventos importantes ocorridos no período, principalmente o início do regime militar, em 1964. Repare que em 1964 a inflação chegou a 89,9%, mas a quantidade de greves caiu. A explicação para tal fenômeno está relacionada à repressão e à diminuição da liberdade de expressão a partir daquela data. 4. Observe que nem sempre o reajuste do salário mínimo é suficiente para cobrir a inflação. Por exemplo, no ano de 1963. 5. Podemos perceber a crise da República brasileira no período ao analisar o ano de 1963. A grande quantidade de greves, a alta inflação e o pequeno reajuste do salário mínimo diante da inflação (de Cr$ 13.216,00 para Cr$ 21.000,00) sustentam a tese de esgotamento financeiro dos governos populistas. 6. Peça aos alunos para relacionarem a tabela de inflação com a tabela que apresenta os valores dos salários mínimos da época, de modo a demonstrar que a inflação acumulada foi maior do que os reajustes dos salários mínimos dos trabalhadores. Há, portanto, uma relação direta entre a situação econômica do período e o aumento das greves no Rio de Janeiro, apresentada na primeira tabela. Porém, somente a conjuntura econômica não é suficiente para explicar o andamento da história do sindicalismo no Brasil. Além disso, devemos levar em conta o contexto externo.

7

GABARITO

Caderno do Aluno

História – 3a série – Volume 3

Na década de 1950, o socialismo avançou em diversos países. Depois de em 1949 a China transformar-se em uma república socialista, o expansionismo da Coreia do Norte de 1950 a 1953, a formação do Vietnã do Norte socialista de Ho Chi Minh e a Revolução Cubana em 1959 embalavam movimentos socialistas no mundo todo, apesar do duro golpe de 1956, quando os crimes de Stalin foram revelados pelo novo governo soviético de Nikita Kruchev e decepcionaram muitos dos seus defensores. 7. a) O sindicalismo brasileiro tinha uma forte ligação com o comunismo e o fechamento do Partido Comunista em 1947 não afastou seus membros da militância política e sindicalista. Diversos sindicatos foram criados ao longo do período estudado – em 1952 eram 2 085 e em 1964 chegaram a 3 187 organizações, segundo o IBGE. b) A desvalorização da moeda e os reajustes insuficientes do salário mínimo contribuíram para esse quadro. c) A luta sindical no Brasil nas décadas assinaladas contribuiu para a consolidação dos direitos trabalhistas e para a manifestação da insatisfação da classe, algo proibido durante os anos de ditadura e retomado somente na década de 1980. d) O socialismo defende a organização do movimento operário no mundo inteiro.

Página 22

O aluno deve assinalar que a existência desses órgãos são sinais de liberdade de manifestação democrática e que as suas finalidades são variadas e incluem desde a negociação de reajustes salariais, a luta pelas garantias da classe até assessoria jurídica e cursos de formação. Os sindicatos respondem, de um lado, pelos trabalhadores e, de outro, pelos empregadores; ambos estão sujeitos a legislação específica e têm seus direitos de manifestação assegurados pela Constituição.

8

GABARITO

Caderno do Aluno

História – 3a série – Volume 3

Páginas 22 - 23

Lembre os alunos de que o cálculo da inflação acumulada deve ser uma conta de juros compostos. Os dados podem variar, dependendo dos índices utilizados, por isso considere os cálculos aproximados. • Governo Vargas (1954): como só há um ano disponível na tabela, é impossível

avaliar a inflação acumulada no período, mas, no ano de sua morte, chegou a 27,1%. • Transição para JK (1954 - 1955): em 1955 houve um recuo da inflação para a

casa dos 11,8%, considerando a inflação do biênio 54 e 55 (Getúlio morreu em agosto de 1954), o acumulo dos anos de transição ficou em 42%. • Governo JK (1956-1960): manteve-se estável no começo do governo, mas

disparou nos últimos anos. Acumulado de 164,6%. • Governo Jânio Quadros (1961): governou durante pouco tempo, de janeiro a

agosto de 1961, mas este ano foi marcado por uma inflação de 34,7%. • Governo João Goulart (1961-1964): período de grande inflação, com um

acumulado de 253,1 %, não se levando em conta os meses de setembro (quando João Goulart assumiu) a dezembro de 1961, mas considerando-se o ano de 1964, apesar de seu governo ter sido derrubado em abril daquele ano. Governos/ Períodos
Getúlio (31/01/51 - 24/08/54) Café Filho, Carlos Luiz, Nereu de O. Ramos (24/08/54 - 31/01/56) Jucelino Kubitschek (31/01/ 56 31/01/61) Jânio Quadros (31-01-61- 25-08-61) 34% 56 João Goulart (08/09/61 - 24/01/63) João Goulart (24/01/63 - 01/04/64) 84,8% 168,3% 117 115 164% 112

Inflação acumulada
27,1% 42%

Nº de greves
14 18

Fonte: Galeria dos Presidentes. Disponível em:
<http://www.planalto.gov.br/infger_07/presidentes/galé.htm>. Acesso em 30 mar. 2010. 9

GABARITO

Caderno do Aluno

História – 3a série – Volume 3

O cálculo das greves é mais simples: • Governo Vargas (1954): só há um ano disponível na tabela – , em 1954, 14

greves foram contabilizadas. • • Transição para Juscelino: (1954-1956): em 1955 e 1956, 40 greves. Governo JK (1956-1961): considerando-se apenas os anos de 1957, 1958, 1959 e

1960: 90 greves. • • Governo Jânio Quadros (1961): só o ano de 1961 foi marcado 56 greves. Governo João Goulart (1962-1964): em três anos, 115 greves foram

contabilizadas. - O governo que sofreu maior inflação acumulada foi o de João Goulart. Na primeira fase de seu governo buscou conter a inflação através da criação do Plano Trienal de Desenvolvimento Econômico e Social procurando, a partir de uma política de estabilização, conter o déficit público.
Já no ano de 1963,

o governo passou a conceder

reajustes salariais para o funcionalismo público e aumentando o salário mínimo. - O governo que presenciou a maior quantidade de greves foi o de JK. Apesar do clima de otimismo que predominou no decorrer do seu governo, as greves também foram constantes, considerando que o desenvolvimentismo não teve como foco o trabalhador rural. Como forma de combater o déficit público gerado pelas obras de infraestrutura financiadas pelo Estado, foram realizados empréstimos externos e acordos com o FMI que resultam em aumento da inflação e arrocho salarial, outra explicação para as greves, que também ocorreram nos centros urbanos, particularmente, ao final do seu mandato.

10

GABARITO

Caderno do Aluno

História – 3a série – Volume 3

Páginas 23 - 24

1. O rádio era o principal meio de difusão cultural até a década de 1960, quando novelas, músicas e notícias eram escutadas por boa parcela da população, posição que somente foi alterada com a chegada da televisão e a sua progressiva popularização. 2. A democracia brasileira pós Segunda Guerra Mundial sofreu diversas tentativas de golpes e violações dos direitos democráticos, como a liberdade política, as eleições e a liberdade de expressão. Nas datas referidas ocorreram rupturas de mandatos presidenciais que abalaram o andamento republicano: em 1954, o suicídio de Vargas e a tentativa de golpe, frustrado, de interesse das Forças Armadas e da UDN; em 1961, a renúncia de Jânio Quadros, ocasionada por pressões externas e o seu rompimento com a UDN; e, em 1964, o início do regime militar no Brasil. 3. Depois da Segunda Guerra Mundial os americanos passaram a exportar o american way of life com muita intensidade. Fazia parte do beneficiamento econômico aos países destruídos e novos aliados a demonstração da qualidade de vida e consumo americanos. Paralelamente, a música popular foi marcadamente influenciada pelo rock’n’roll nascido nos Estados Unidos, bem como o cinema passou a difundir hábitos e a moda dos americanos. 4. Alternativa b. Os políticos indicados constituíram as bases de seus governos por meio da busca de apoio da classe operária, concedendo benefícios aos trabalhadores e adotando medidas populares.

11

GABARITO

Caderno do Aluno

História – 3a série – Volume 3

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4 TORTURA E DIREITOS HUMANOS NA AMÉRICA LATINA

Páginas 26 - 28

1. A morte de seu filho foi revelada pelo relato de outro preso, Alex Polari, que presenciou a tortura de Stuart no pátio da prisão da Aeronáutica. Segundo tais relatos, o rapaz havia sido amarrado em um jipe e arrastado com o rosto junto ao escapamento do utilitário. Stuart, que já teria sido torturado anteriormente, não resistiu aos ferimentos e à asfixia provocada pela fumaça do escapamento e morreu. Suspeita-se de que seu corpo, como diversos outros, foi atirado ao mar São versos importantes para análise da música: “Só queria embalar meu filho / que mora na escuridão do mar” “Só queria lembrar o tormento / que fez meu filho suspirar” “Só queria agasalhar o meu anjo / e deixar seu corpo descansar” 2. a) Os governos militares latino-americanos, de maneira geral, mascaravam a ditadura para evitar críticas de órgãos internacionais de defesa dos direitos humanos. Legalmente não poderia haver tortura no Brasil, no entanto ela era praticada nos porões. E, como podemos perceber na carta do Palácio, tentava-se manter uma aparência de liberdade no Brasil. b) Os torturados eram pessoas consideradas subversivas, e foram perseguidos pela polícia por envolvimento com grupos guerrilheiros que promoviam assaltos a bancos, atentados contra apoiadores do regime militar e o sequestro de autoridades diplomáticas internacionais, ou simplesmente pessoas que a máquina de repressão presumia que fossem fonte de informações importantes. c) Os governos ditatoriais sul-americanos, em sua grande maioria, eram regimes de direita que abominavam a ideologia socialista. No contexto da Guerra Fria sustentar ditaduras militares era uma forma eficaz para os americanos conterem o avanço do socialismo e consequentemente, da ex - União das Repúblicas Socialistas Soviética. 3. Há diversas implicações, tal como a descoberta de mais nomes ligados à tortura e que ainda hoje estão vivos. No Brasil, durante as negociações de abertura do regime, a
12

GABARITO

Caderno do Aluno

História – 3a série – Volume 3

anistia foi geral e irrestrita. Os militares libertaram presos políticos e conseguiram garantir a manutenção do sigilo sobre documentos incriminatórios.

Páginas 28 - 30

1. Quando Vargas se suicidou, em 1954, havia uma forte pressão do capital estrangeiro contra sua política nacionalista, evidente no controle exclusivo da exploração do petróleo pelo Estado. As suspeitas levantadas sobre o envolvimento de Vargas no atentado da Rua Tonelero e o seu passado ditatorial contribuíram para a crise política de seu governo, que, além do suicídio, foi marcado no final por uma tentativa de golpe militar. No caso de Jânio Quadros, a Guerra Fria chegava à sua década mais acirrada e a perigosa aproximação do Brasil a Cuba e ao bloco socialista não foi aceita pelos americanos e pela direita brasileira. Após a sua renúncia e um breve governo de seu vice, João Goulart, os militares chegaram ao poder efetivamente. 2. O autor explica que a ascensão dos militares ao poder ocorreu em virtude de uma ineficiência do Executivo em lidar com a estagnação econômica e com as reivindicações das classes trabalhadoras. 3. a) As ditaduras militares sul-americanas eram regimes sustentados pela direita e pela classe média dos países em que se instauraram. Os governos asseguravam um regime de repressão ao avanço do socialismo, além de favorecer seus aliados econômicos, e suas políticas de desenvolvimento nacionais eram elaboradas de modo a privilegiar o capital estrangeiro. b) Podemos citar, entre outros, Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai. 4. Alternativa c. As medidas divulgadas pelo anúncio das Reformas de Base no governo de Goulart e o passado ligado ao getulismo do presidente contribuíram para a insatisfação das Forças Armadas com o rumo da política brasileira, o que alimentava o forte desejo de intervir e afastar João Goulart da Presidência. 5. Alternativa d. A tortura não era oficializada pelas Forças Armadas e, durante a ditadura, a morte e o desaparecimento das vítimas de perseguições e torturas eram justificados como suicídio, briga ou simples desaparecimento.

13

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->