Tipos de coerência

Quando um texto é coerente, todos os seus elementos podem ser compreendidos dentro de um único significado geral. Podemos considerar que há coerência textual externa e interna. Há coerência externa quando ocorre compatibilidade entre os significados do interior do texto com os dados de uma determinada realidade ou cultura. Observe que o texto abaixo apresenta uma contradição ou é incoerente com o que ocorre em nossa realidade. Durante o inverno, a população do Rio de Janeiro aguarda a neve que rotineiramente cobre as ruas da cidade. Quando há compatibilidade entre as diversas passagens que compõem um texto, a coerência interna está presente. Conta um velho manuscrito beneditino que o Diabo, em certo dia, teve a ideia de fundar uma igreja. Embora os seus lucros fossem contínuos e grandes, sentia-se humilhado com o papel avulso que exercia desde séculos, sem organização, sem regras, sem cânones, sem ritual, sem nada. Vivia, por assim dizer, dos remanescentes divinos, dos descuidos e obséquios humanos. Nada fixo, nada regular. Por que não teria ele a sua igreja? Uma igreja do Diabo era o meio eficaz de combater as outras religiões, e destruí-las de uma vez . (Machado de Assis) Além da coerência narrativa , aquela que observamos ao longo de uma sequência de fatos narrados, há ainda a coerência argumentativa , que deve ser garantida para que haja compatibilidade entre os argumentos expostos e a tese que se pretende defender. Observe a incoerência argumentativa em: Os números da educação do Censo 2000 são animadores. Os dados mostram que mais da metade (59,9%) da população brasileira com mais de dez anos não conseguiu concluir o ensino fundamental ( antigo primeiro grau), pois tem menos de oito anos completos de estudo. A coerência argumentativa poderia ser garantida no trecho se considerássemos dados comparativos: Os números da educação do Censo 2000 são animadores, se compararmos os dados do Censo de 1991 com os de 2000. A taxa de escolarização (porcentagem de pessoas que frequentam a escola) cresceu em todas as faixas etárias, embora os dados mostrem que mais da metade (59,9%) da população brasileira com mais de dez anos não conseguiu concluir o ensino fundamental (antigo primeiro grau), pois tem menos de oito anos completos de estudo.
Saiba mais! Efeito cômico - A história é engraçada pelo choque de incoerência: mesmo imaginando-se presidente da República, o carregador se trai, atribuindo a si uma ocupação corriqueira incompatível com a condição da mais alta autoridade do país.

" (Mário de Andrade) No período acima.Rememorando o papel de sua geração. Análise A incoerência proposital da história está relacionada a dois aspectos. 1. no meio da história. B: No entanto. por: a) "para a cuja iam. A: Você percebe qual é a construção gramatical usada nessa história para dar acesso ao mundo das fantasias do carregador? O recurso é usar a expressão: "Se eu fosse. a incoerência pode ser um recurso de linguagem. sem prejuízo para o sentido original do período. extraída do vestibular da UNICAMP. dois estados de coisas: o dia a dia cansativo do carregador e a situação imaginária em que ele se torna presidente da República. às quais". depois ia almoçar lá pelas três. 2. que envolve o conceito de coerência textual. em cuja rua". Dois carregadores estão conversando e um deles diz: "Se eu fosse presidente da República. o mundo real interfere no mundo irreal de suas fantasias. nós éramos a exposição. nas quais". eu só acordava lá pelo meio-dia. quatro horas. com a citação de uma prosaica obrigação ligada à sua profissão: "Só então é que eu ia fazer o primeiro carreto". Só então é que eu ia fazer o primeiro carreto". d) "nela terminavam. e acaba misturando de maneira -o surpreendente com o mundo real. c) "à qual cortavam. em que". Dois carregadores estão conversando e um deles diz: A história transcrita contrasta dois mundos. .. b) "que lhe conduziam. e) "que nela desembocavam.."A casa que papai alugara não ficava na praia exatamente. o segmento "que a ela davam e onde" pode ser substituído. Veja a questão abaixo. mas numa das ruas que aela davam e onde uns operários trabalhavam diariamente no alinhamento de um dos canais que carreavam o enxurro da cidade para o mar do golfo. aonde". dizia o artista: "Nós não estávamos apenas na exposição. O carregador não consegue passar para o mundo imaginário.".Contrastes Às vezes.

nós éramos apenas a exposição."Se. b) Reescreva o último período do texto. R: Mário Quintana.. nós éramos a exposição. antes de se mostrar desesperançado com a relação autor -leitor. significa excelentes.Alterando-se a ordem das palavras. o leitor aceitaria. adjetivando os três integrantes do trio de música erudita." (Mário Quintana) a) Explique como é que Mário Quintana caracteriza. que. Ou a face está mascarada ou o espelho embaciado." b) "Nós não estávamos. compreenderia completamente o que o autor lhe mostrasse. mas acabaria por comprová-lo. éramos a exposição." (O Estado de S. 4. conforme acre dita fazer. em sua concepção idealizada. a re lação autor-leitor. Relação entre palavras . no contexto. extraordinários. que se mostraria integralmente. Faça apenas as alterações necessárias. 12/4/96. o autor não estaria contradizendo o ditado. idealizaos." c) "Nós não estávamos na exposição apenas nós. nós não estávamos na exposição. preservando a idéia original do autor. b) Qual o contra-senso que ele evitou." d) "Nós não apenas estávamos na exposição. ter um é pouco e dois é que seria o bom.. como diz o ditado." 3. Paulo. a frase do artista NÃO tem seu sentido alterado em: a) "Apenas. o espelho estaria embaciado.". O autor seria um ser franco.. o leitor poderia acreditar que o autor estivesse sugerindo que houvesse integrantes em demasia no trio e. quando se trata do Trio Beaux Arts. nós éramos a exposição. Coesão É o resultado da união íntima dos elementos que constituem um texto. apenas na exposição nós éramos a exposição." e) "Nós não estávamos na exposição."Assim devia ser a relação de autor para leitor: uma face nua num espelho límpido. os três são demais. nesse sentido. perfeitos. R: Mesmo que a face não estivesse mascarada. D4) a) Qual é "o melhor sentido da palavra" a que o autor se refere? R: O autor se refere ao melhor sentido da palavra "demais". conjunções e advérbios são os principais elementos da coesão textual. Os pronomes. ao acrescentar a ressalva "no melhor sentido da palavra"? R: Caso não apresentasse a ressalva "no melhor sentido da palavra". iniciando-o com "Mesmo que a face.. Mas é tão difícil. No melhor sentido da palavra.

Alguns exemplos de marcadores de coesão. sem a perda de nenhum dos nutrientes essenciais à saúde. Levando em conta o que foi dito para o advérbio bem. Emagreça bem alimentado. Questões sobre coesão textual ganharam cadeira cativa nos novos exames. dizia: "Se o seu relacionamento com a balança anda um pouco pesado. Porque Slim Shake tem 50% das suas calorias provenientes de proteínas. no final do texto. Isso significa perder peso e não saúde. Uma propaganda de alimento dietético. que são essenciais para um emagrecimento correto: perder gordura e não músculos ± tecidos magros. ‡ Teoria e prática são importantes no desempenho profissional. de maneira correta. conheça . pode estar se referindo tanto a emagreça quanto a alimentado. Manter a forma. que apresentam idéias opostas. é possível indicar os sentidos que podem ser atribuídos a: ‡ Emagreça bem: pode significar emagreça bastante ou então emagreça de bom humor. ‡ Proclama-se um democrata. respectivamente. A conjunção adversativa estabelece a coesão entre as duas orações. O pronome demonstrativo isso refere-se ao que já foi enunciado na oração anterior. mantendo o bom humor. Alguns exames podem solicitar que você transcreva passagens do texto que confirmem os sentidos de determinados termos. Um alimento balanceado que substitui uma refeição. Veja o exemplo. mas nem sempre ouve as reivindicações populares. conheça Slim Shake." O advérbio bem. ‡ Você me fez sérias revelações e acusações e isso não me sai da cabeça. Observe que os pronomes demonstrativos esta e aquela recuperam. de 1995. ‡ Bem alimentado: significa satisfatoriamente nutrido. aquela fundamenta as ações. Esta impulsiona as atividades. Slim Shake faz você emagrecer da maneira mais inteligente que existe: bem alimentado. Veja quais seriam no nosso exem plo: ‡ Emagreça bem: "Se o seu relacionamento com a balança anda um pouco pesado. teoria e prática. Esta é a razão por que estou feliz: vamos viajar! O pronome demonstrativo esta antecipa o que será explicitado a seguir: vamos viajar.

éramos a exposição.Slim Shake". antes de se mostrar desesperançado com a relação autor -leitor.. o segmento "que a ela davam e onde" pode ser substituído. por: a) "para a cuja iam. compreenderia completamente o que o autor lhe mostrasse.. a frase do artista NÃO tem seu sentido alterado em: a) "Apenas." 3. Paulo. b) "que lhe conduziam. a relação autor-leitor. R: Mário Quintana. 12/4/96. nas quais". c) "à qual cortavam. idealiza-os. Faça apenas as alterações necessárias. preservando a idéia original do autor. Mas é tão difícil. aonde"." ‡ Bem alimentado: "(. mas numa das ruas que a ela davam e onde uns operários trabalhavam diariamente no alinhamento de um dos canais que carreavam o enxurro da cidade para o mar do golfo.)". nós éramos a exposição. sem prejuízo para o sentido original do período. 4.." e) "Nós não estávamos na exposição.. O autor seria um ser franco. quando se trata do Trio Beaux Arts. os três são demais.". iniciando-o com "Mesmo que a face. em sua concepção idealizada. "Slim Shake faz você emagrecer da maneira mais inteligente. nós éramos a exposição. dizia o artista: "Nós não estávamos apenas na exposição. d) "nela terminavam."A casa que papai alugara não ficava na praia exatamente. Ou a face está mascarada ou o espelho embaciado.. Gabarito 1. e) "que nela desembocavam. que se mostraria integralmente.. em que".) perder gordura e não músculos (. em cuja rua". apenas na exposição nós éramos a exposição." c) "Nós não estávamos na exposição apenas nós. nós éramos apenas a exposição. b) Reescreva o último período do texto.Rememorando o papel de sua geração. às quais"." (O Estado de S." d) "Nós não apenas estávamos na exposição. como diz o ditado. R: Mesmo que a face não estivesse mascarada.. nós não estávamos na exposição. ter um é pouco e dois é que seria o bom." (Mário Quintana) a) Explique como é que Mário Quintana caracteriza. " (Mário de Andrade) No período acima."Assim devia ser a relação de autor para leitor: uma face nua num espelho límpido." b) "Nós não estávamos. o espelho estaria embaciado. 2. o leitor aceitaria. Alterando-se a ordem das palavras.. No melhor sentido da palavra. D4) a) Qual é "o melhor sentido da palavra" a que o autor se refere? ."Se. nós éramos a exposição.

Já na frase 2. Observe que na frase 1 a locução µdo carro¶ relaciona-se ao verbo e expressa uma circunstância de lugar. é possível traduzir os dois sentidos possíveis dessa frase: * Os turistas abandonaram o hotel inabitável. Muitos casos de ambigüidade são provocados pela dupla possibilidade de combinação das palavras na frase. o leitor poderia acreditar que o autor estivesse sugerindo que houvesse integrantes em demasiano trio e. 2. no segundo. Observe a frase: "Os turistas deixaram o hotel inabitável. que. perfeitos.R: O autor se refere ao melhor sentido da palavra "demais". b) Qual o contra-senso que ele evitou. Função da palavra As relações sintáticas e semânticas que se estabelecem numa oração determinam a função de seus termos. uma locução adjetiva com função de adjunto adnominal. significa excelentes. 1. ao acrescentar a ressalva "no melhor sentido da palavra"? R: Caso não apresentasse a ressalva "no melhor sentido da palavra". extraordinários. Substituindo-se o verbo deixaram por outro verbo ou expressão verbal. mas acabaria por comprová-lo. o autor não estaria contradizendo o ditado. nesse sentido. . conforme acredita fazer. e. a locução relaciona-se a rodas e especifica uma característica desse substantivo. No primeiro caso. no contexto." Perceba que esta é uma frase ambígua. No caso. Saímos do carro antes que o alarme tocasse. * Os turistas fizeram o hotel ficar inabitável. admite-se a interpretação de que o hotel já era inabitável sem a interferência dos turistas (adjunto adnominal) ou a de que o hotel passou a ser inabitável só a partir da intervenção dos turistas (predicativo do objeto ). adjetivando os três integrantes do trio de música erudita. Essa ambigüida resulta da possibilidade de se de interpretar o adjetivo inabitável como adjunto adnominal ou como predicativo do objeto. As rodas do carro travaram. temos uma locução adverbial que exerce a função de adjunto adverbial de lugar. Leia as frases abaixo e observe a relação das expressões destacadas com os outros termos da oração.