P. 1
Dispositivos Auxiliares de Marcha

Dispositivos Auxiliares de Marcha

|Views: 2.580|Likes:

More info:

Published by: Emanuelly Moretti Borges on Aug 20, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/16/2013

pdf

text

original

DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA E LOCOMOÇÃO

DISPOSITIVOS DE MARCHA
Classificação: muletas, bengalas e andadores.

Indicações: Para uso em marchas em que não há restrições de sustentação de peso nos membros inferiores.

Funções: Aumentar a base de apoio e melhorar o equilíbrio. São prescritos por uma série de razões, incapacidade de equilíbrio, dor, fadiga, fraqueza, instabilidade articular, carga esquelética excessiva ou com finalidade estética.

DISPOSITIVOS DE MARCHA
BENGALAS Formas Afetado de Utilização: Contralateral ao Membro

Vantagens: Mantém o padrão recíproco na marcha Aumenta a base de suporte e melhora o equilíbrio Diminui o desvio lateral do centro de gravidade Reduz a atividade de glúteo médio na estabilização do quadril Pode fazer suporte de até 25% do peso corporal.

DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Bengalas .

DISPOSITIVOS DE MARCHA BENGALAS Formas de Utilização: Homolateral ao Membro Afetado Desvantagens: Alteração da reciprocidade na marcha Limita o passo Aumenta a pressão nas mãos .

na maioria delas o ponto de sustentação é anterior ao cabo. e não diretamente abaixo dele. ponteira distal de borracha deve ter no mínimo 1 polegada.DISPOSITIVOS DE MARCHA BENGALAS Tipos de bengala Convencional: Madeira ou plástico com cabo semicircular. . Vantagem: preço e adequação em espaços pequenos exemplo: escadas Desvantagens: Não é ajustável.

Vantagem: Permite o ajuste de altura (68 a 98 cm) Desvantagens: Mais cara que a comum e o ponto de apoio é anterior a mão.DISPOSITIVOS DE MARCHA BENGALAS Tipos de bengala Convencional Ajustável de Alumínio: Tubo de alumínio com cabo semicircular revestido de plástico. .

DISPOSITIVOS DE MARCHA BENGALAS Tipos de bengala Convencional Ajustável de Alumínio com Recuo: Possui a parte proximal recuada anteriormente Tubo de alumínio com cabo revestido de plástico ou borracha. Desvantagens: Preço maior que as outras. Vantagem:Forma mais ergonômica. Pressão é exercida sobre o centro da bengala gerando maior estabilidade. Peso reduzido. ajusta-se a espaços pequenos. .

Facilidade de ajuste. Desvantagens: Difícil utilização em espaços pequenos. mais pesada. Tubos de alumínio com cabo revestido de plástico ou borracha. com bases de vários tamanhos. padrão de marcha mais lento. Vantagem:base de apoio mais ampla.DISPOSITIVOS DE MARCHA BENGALAS Tipos de bengala Quadrúpede: Base possui 4 pontos de contato com o solo. .

mais pesadas. Vantagem: base de apoio mais ampla. pontos mais afastados do corpo do paciente são anguladas para manutenção do contato com o solo. . custo maior. Tubos de alumínio com cabo revestido de plástico ou borracha. Desvantagens: Marcha com progressão lenta. dobráveis. Maior estabilidade.DISPOSITIVOS DE MARCHA BENGALAS Tipos de bengala Deambulatória: Base também com 4 pontos de contato com o solo.

maior e ângulo do cotovelo com flexão de 20 a 30 graus .DISPOSITIVOS DE MARCHA Mensuração das Bengalas Posição de medida: 15cm da borda lateral dos dedos dos pés Pontos de referência: Trocânter.

A bengala deve permanecer sempre junto ao corpo e não deve ser colocada a frente do hálux do membro envolvido. A colocação demasiadamente afastada da bengala para frente ou para o lado causará uma inclinação lateral e/ou para frente. Em superfícies niveladas a bengala e o membro envolvido avançam simultaneamente. conseqüente perda de estabilidade. .DISPOSITIVOS DE MARCHA Marcha com o Uso de Bengalas A bengala deve ser segura pela extremidade superior contra-lateral ao membro afetado.

DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA MULETAS Função: Aumento do Equilíbrio. para melhorara a estabilidade lateral permitindo que os MMS transfiram o peso corporal para o solo . alívio completo ou parcial da sustentação de peso Geralmente utilizadas bilateralmente. para aumentar a base de sustentação.

Apresenta barra axilar com pegador para as mãos e duas barras verticais unidas distalmente por uma ponteira de borracha. Vantagens: Melhora o equilíbrio Melhora a estabilidade Restrição de sustentação Baratas e facilmente ajustadas Desvantagens: Necessita de base ampla para ser utilizada Potencial para lesões das estruturas nervosas e vasculares da axila .DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA TIPOS DE MULETAS Axilar: Características: madeira leve ou alumínio.

Em pé: Melhor posição para mensuração. . Com ombros relaxados os pegadores devem devem ser ajustados para permitir 20 a 30 graus de flexão dos cotovelos. Com apoio nas barras paralelas as muletas devem ser medidas lateralmente de aproximadamente 5 cm abaixo da axila. até o chão com um afastamento de 5cm e uma anteriorização de 15cm do ante-pé.DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA TIPOS DE MULETAS Axilar: Mensuração: a partir da posição de pé ou decúbito dorsal.

5 cm da borda lateral do calcâneo.DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA TIPOS DE MULETAS Axilar: Mensuração: a partir da posição de pé ou decúbito dorsal. ponto desde a prega axilar anterior até um ponto entre 5 a 7. Decúbito Dorsal: A partir dessa posição. .

Permite atividades funcionais em relação às muletas mais . Vantagens: A braçadeira permite o uso das mãos sem perder o contato com a muleta.DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Muleta de Antebraço ou Canadense Características:Consistem em uma haste vertical de alumínio com uma braçadeira para antebraço e um pegador. Possui ajuste na altura da braçadeira e ajuste distal para comprimento.

em algumas marcas Requerem maior controle e força em MMSS .DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Muleta de Antebraço ou Canadense Desvantagens: Menor apoio lateral dado pela ausência da barra axilar Preço Braçadeiras difíceis de remover.

.DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Muleta de Antebraço ou Canadense Mensuração: A partir da posição de pé nas barras paralelas a extremidade distal deve ser colocada a 5cm lateralmente e 15cm anteriormente ao pé. A braçadeira é ajustada separadamente. no terço proximal do antebraço. aproximadamente 4cm abaixo do cotovelo. Com ombros relaxados a altura é então ajustada para pemitir 20 a 30 graus de flexão do cotovelo.

base de suporte e na velocidade dos tipos de marchas possíveis. coordenação função muscular e sustentação de peso do paciente. Há diferenças significativas no gasto energético. .DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Padrão de Marcha par Uso de Muletas Esses padrões são selecionados com base na capacidade de equilíbrio.

DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Padrão de Marcha par Uso de Muletas Marcha em Três Apoios: Nesse tipo de marcha três pontos de apoio fazem contato com o solo. . O peso corporal é exercido sobre as muletas. não há suporte de peso em MI afetado. É utilizado quando o paciente faz suporte de peso em um só MI.

durante a progressão do membro afetado para frente. . o peso é suportado parcialmente pelo membro envolvido e parcialmente pelas muletas.DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Padrão de Marcha para Uso de Muletas Marcha com Sustentação Parcial de Peso: Nesta marcha.

incoordenação ou debilidade muscular. uma muleta é avançada e o membro contralateral é avançado. pois são mantidos três pontos de apoio com o solo. padrão utilizado no caso de envolvimento bilateral relacionado a deficiência de equilíbrio. . Padrão lento e estável.DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Padrão de Marcha para Uso de Muletas Marcha em Quatro Pontos Nesta marcha.

DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Padrão de Marcha par Uso de Muletas Marcha em Dois Pontos: Variação mais eficiente da marcha de 4 pontos .

DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Padrão de Marcha par Uso de Muletas Marcha em Dois Pontos com Avanço: .

A menos que lhe seja permitido colocar peso na perna lesionada.DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Sentando Segure as suas muletas pelas empunhadeiras com a mão do lado lesionado. mantenha-a fora do solo e coloque seu peso na perna boa. Apóie-se na cadeira ou cama com a outra mão e sente-se lentamente. .

Impulsione-se da cadeira ou cama com a outra mão enquanto empurrando-se com as muletas. .DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Levantando da Cadeira ou Cama Segure ambas as muletas pelas empunhadeiras na mão do lado da perna lesionada. Use MMII não afetado para levá-lo à posição em pé. Equilibre-se e posicione as suas muletas antes de começar a andar.

Suba o degrau MMII não afetado. . Então desça com a perna boa. coloque ambas as muletas embaixo do braço oposto e use o corrimão como suporte.DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Subir e Descer Escadas Subindo: aproxime-se das escadas. Descendo: primeiro leve as muletas e MMII afetado para o degrau de baixo. Se houver um corrimão. depois traga as muletas e a MMII afetado para o degrau de cima onde esta a perna boa.

. Após abrir a porta evite que ela se feche bloqueando-a com a ponta da muleta. Atravesse a porta.DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Passando por Portas Certifique-se de haver suficiente espaço para seus pés e muletas permitindo-lhe abrir a porta.

DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA Aprendizado .

DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA .

DISPOSITIVOS AUXILIARES DE MARCHA .

DISPOSITIVOS DE LOCOMOÇÃO .

DISPOSITIVOS DE LOCOMOÇÃO A Altura do tronco B Espessura do tronco C Largura do peito D Profundidade do assento E Altura da cabeça e pescoço F Tamanho do braço G Altura do braço H Largura do assento I Altura do joelho .

DISPOSITIVOS DE LOCOMOÇÃO Normas ABNT .

DISPOSITIVOS DE LOCOMOÇÃO Normas ABNT .

DISPOSITIVOS DE LOCOMOÇÃO Formas de Condução: na aula prática .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->