P. 1
Esposa exibicionista

Esposa exibicionista

4.83

|Views: 37.227|Likes:
Publicado porapi-3732034
CE
CE

More info:

Published by: api-3732034 on Oct 15, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/06/2014

pdf

text

original

Esposa exibicionista.

Meu nome é Marcus e minha esposa Lena, moramos em Belém do Pará. Já escrevemos alguns contos de nossa relação. Somos casados e experimentamos uma liberdade que nos permite viver nossas fantasias e gozar muito com isso. Eu adoro exibi-la e ela adora se exibir e como não poderia deixar de acontecer, alguns felizardos acabam por devorá-la sempre com minha permissão e aprovação. Vou contar uma experiência extremamente excitante. Havia comprado uma saia para ela, sempre sou eu quem compra as roupas das nossas saídas, Eu a comprei em uma sex shop e é bastante micro, tem 23cm de largura e feita de lycra meio transparente e preta. Minha mulher tem uma bunda bem grande e arrebitada de modo que a saia ficava assim no limite de aparecer às polpas da bunda, uma loucura, e por ser de lycra cada passo deveria ser acompanhado de uma puxadinha, se não..., Uma loucura. Precisei me controlar quando a vi vestida, fiquei com ereção permanente, porque como ela sempre faz, dispensa a calcinha. Era uma quinta feira e decidimos ir à pororoca para um show de pagode e axé, ela adora. Como sempre fazemos pegamos um táxi e ai, já começou um pouco da nossa festinha, nesta situação abro a porta de trás pra ela entrar e que ao fazer aproveita pra arreganhar as pernas e com a boceta toda a mostra o taxista deu aquela olhada e ficou até meio bobo quando eu entrei. Notei que ele sempre disfarçava pra dar uma olhadinha pra trás, ela ficou entre os bancos com suas pernas meio abertas. Dei uma olhada também e pude ver claramente sua bocetinha. Quando chegamos pedi pra ele acender a luz interna e o paguei e ela ao sair fez a festa dele acho, pois novamente se arreganhou toda, eu disse que assim ela ia acabar matando um e ela apenas sorriu e disse que se eu queria que ela mostrasse que eu agüentasse... Ficamos dando um tempo em um bar que fica ao lado da pororoca e tomando umas cervejas pra esquentar. Quando ela sentou pôs a mão entre suas pernas que mesmo fechadinha não tinha com cobrirem seus pelos que teimavam em aparecer, na verdade não havia pano pra cobrir nada. Tanto o garçom como os dois caras que estavam em uma mesa em frente a nossa não paravam de olhar para as pernas dela, depois da segunda cerveja e após alguns dengos, minha mulher já não colocava mais a mão, mas creio que eles pensavam que o que estavam vendo era apenas sua calcinha preta, minha mulher deixa um pouco de pelos sobre os grandes lábios de sua boceta e o resto fica bem raspadinho. Em dado momento o garçom veio trocar a cerveja e ela abriu as pernas e sua boceta ficou claramente visível pra ele, notei que ele nem se importava comigo que pra facilitar fingia que não a percebia com as pernas abertas, assim que ele saiu foi chamado pela mesa dos caras e apenas o escutei dizendo... - ela ta sem calcinha a safada. A partir daí os caras secavam as pernas dela e toda a abertura que ela dava. O legal ai é que eu finjo não perceber, olho pro outro lado e fico só com o rabo de olho, ela sorri e diz que eles ficavam mexendo nos paus, Quando ela estava já bem turbinada e percebo isso quando ela deixa as pernas bem abertas pedi a conta e saímos pra pororoca. Ela chamava a atenção quando passava, pois estava um escândalo, entramos e fomos procura um lugar legal pra sentar, como sempre a levei para o fundo em uma mesa que possuem uma iluminação até bem acentuada, tudo com a intenção de deixá-la bem exposta. Assim que nos acomodamos ela começou a dançar os pagodes e chamou a atenção de alguns caras, pois sua micro subia e ela tinha que puxar, eu sentei e fiquei admirando minha mulher com as polpas da bunda aparecendo e fazendo cara de puta. Começamos a beber novamente e ela cada vez mais solta. Houve um momento que ela disse que estava ficando de pilequinho e que estava muito excitada, eu perguntei o porquê e ela disse que tinha alguns caras secando-a e que ela queria mostrar e pediu para tocá-la e eu bem discretamente meti a mão entre suas pernas e ela estava bem molhadinha, pedi então que ela sentasse ao meu lado e de frente para os caras e a reação de um deles que estava bem de frente para nós foi algo muito engraçado, ele até piscou várias vezes como que não

acreditando no que estava vendo..., Minha esposinha com a boceta aparecendo, e olha que ela estava com as pernas até que bem fechadas. Fique observando as ações dele que instantaneamente chamou a atenção dos outros dois caras e comentou o que tinha visto, e pelo visto o fez com tanto ímpeto, que todos olharam ao mesmo tempo na nossa direção. Minha esposa já estava bem alegrinha com nossa farra, mas ai ela começou seu show particular. Minha esposa não é só uma exibicionista pelo fato de gostar de mostrar suas partes íntimas à estranhos, ela sente prazer de faltar pouco para orgasmo, eu que ficou observando noto que ela chega a tremer quando percebe os homens olhando-a e ai meus amigos ela arreganha as pernas, ela fica totalmente exposta, fica cruzando as pernas, olha para um lado e abre bem as pernas, assim como se fosse sem querer. E foi o acorreu nesse dia, ela se arreganhava para os caras e eles babavam e eu com cara de corno fingindo não perceber ela se abrindo. Ficamos assim por um tempo considerável, os rapazes ficaram até mais próximos de nós em pé para poder ver melhor. Minha esposa começou a dançar uns axés e rebolava e a saia subia, às vezes ficava inclinada pra me beijar e arrebitava o rabão na direção dos caras e a visão de sua boceta por trás devia ser o máximo. Resolvemos que já era a hora de irmos, mas antes ficamos em pé próximo à pista de dança, eu por trás dela com o pau duro no meio da bunda dela. Ficamos vendo as pessoas dançando e em uma mesa mais a frente tinha outros caras que quando viram minha esposa com sua micro saia ficaram secando-a, foi ela quem percebeu os caras olhando e comentou comigo que dei uma olhadinha e disse pra ela relaxar. Estava abraçando ela por trás segundo pela barriga, desci minha mão para suas coxas e fiquei alisando e subia sua micro aos poucos, ela disse se eu estava doido e apenas falei que estava mostrando minha esposinha gostosa e putinha, que anda de minissaia e sem calcinha pra mostrar a boceta pros caras. Ela disse: sobe logo esta saia e mostra minha boceta vai seu corninho. Eu ia subindo a saia dela como se eu estivesse apenas interessado em tirar um sarro com ela e ficava vendo a reação deles, eu ia subindo e abaixando até que ganhei a atenção deles, ai foi o show, primeiro levantei até uma altura que sabia daria pra vê a boceta dela e abaixava, eles ficavam conversando e eu ia subindo até um momento que a deixei com a mini totalmente levantada e eles grudados nela, mantive nesta posição e comecei a passar a mão na boceta dela e ia levando seu pelos, que como disse ficam sobre os grandes lábios e ela pra facilitar abriu as pernas, de modo que eu literalmente enchia minha mão na boceta dela e os caras babando, quando senti que ela estava bastante excitada, falei pra ela: Vamos amor quero ver você fudendo com mais um taxista, vamos? Ela só gemia, abaixou a saia e saímos. No lado de fora fica uma fila de taxista, ficamos um tempo escolhendo nossa vitima e sortudo, ela fitou um cara até normal, meio moreno, um pouco mais baixo que eu, só que estava de jeans surrado e apertado fazendo uma mala. Fomos em direção do táxi e ela já estava tremendo. Fiz sinal pra ele que logo entrou no carro e notei que ele esperava ela entrar, como faço, a fiz entrar atrás e foi daquele jeito, colocando uma perna e depois a outra se arreganhando toda e se posicionando no meio dos bancos. O taxista logo percebeu e ficou olhando a boceta da minha esposa, eu ainda demorei a entrar e pedi pra ele nós levar em um motel e debrucei meio de lado o que o deixo mais a vontade para dar umas olhadinhas, eu fingi adormecer e só ouvia uns gemidinhos dela, olhei de canto de olho e ele tava com o braço um pouco pra trás tacando na sua boceta e ela já tinha puxado toda a mini pra cima e tava com a boceta aberta. Eu disse: Caramba amor se não bastasse ficar mostrando essa boceta ainda tem que deixa o cara pegar nela? Ela sorriu e disse: Ora amorzinho não é você que gosta da sua mulherzinha assim toda arreganhada e doida pra levar ferro, então agora agüenta mais um chifre. Só olhei pro taxista e sorri e disse é amigo é foda ter mulher gostosa, ele disse fica tranqüilo, dou um jeito nisso. Chegamos ao motel e fomos direto pra cama ele não deixou nem ela tirar a roupa, já começou a chupar sua boceta que estava totalmente molhada. Eu dei meu pau pra ela chupar e vi o que sempre acho o mais

excitante, minha esposa sentar em um pau enorme. Ela dizia esse é dos grandes e sentava e subia e rebolava. O cara tava doido a colocou de quatro e meteu por trás eu fiquei bem perto vendo aquela picona entrando e saindo dela esfolando a bocetinha dela. Não demorou muito e ele gozou farto nela e ela se jogou completamente extasiada. Ele disse que tinha muita gente que faz isso como nós. Limpou-se e disse que precisava voltar pra batalha. Deu-nos um cartão e se foi. Dormimos no motel e fudemos até não agüentar. Ela está cada vez mais louca por aventuras.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->