ESQUEMAS TÁTICO PARA FUTSAL

Com a formação da equipe, seus aspectos iniciais, competirá ao técnico e/ou treinador, idealizador de acordo com o material humano de que dispõe, a forma tática no futsal que irá atuar em suas partidas, inclusive contando com todas as alterações que poderão ocorrer mesmo durante o transcorrer desta. A esquematização de jogo é fator preponderante em uma equipe, pois sem esta atividade, não se terá uma equipe e sim um grupo de elementos que estarão praticando um esporte sem um objetivo específico. Como já foi observado, a tática de futsal pode e deve variar, normalmente durante o transcorrer da partida, competindo ao profissional responsável as devidas orientações neste sentido, no intuito de não fracassar em seu trabalho, mas, sempre tendo em mente que uma derrota deve ser assimilada pelo grupo como um resultado previsto dentro de uma competição, tendo sempre em mente que o importante será anotar e observar as falhas para que, assim que corrigidas, venham a surtir o efeito desejado em um próximo confronto. Tática de futsal nada mais é do que a teoria (técnica) colocada em prática na quadra de jogo, com todas as suas variações que poderão acontecer conforme o desenvolvido pelo adversário. Esquema de Jogo - Táticas de futsal Os esquemas de jogo mais adotado pelas equipes são: 2-2, 1-3, 3-1, 1-2-1. Estes esquemas são os comumente praticados durante o desenvolver de uma partida, sendo que uma equipe varia constantemente tais esquemas, de acordo com as necessidades e principalmente de acordo com o adversário. Esquema 2-2: é um esquema defensivo, geralmente empregado por equipes iniciantes ou de categorias menores, tendo como principal característica dificultar a dilatação do placar no caso de inferioridade em relação ao adversário. Ofensivamente apresenta pouca objetividade, pois sua movimentação é restrita. Em relação ao grupo de atletas, restringe as habilidades, pelo fato de não oferecer uma mobilidade durante o desenvolver da partida, dificultando trabalho com bola, lançamentos. Deve-se ter em mente que em determinados momentos, um esquema como este, o determinado "caixote", quando bem aplicado, e muito bem treinado, realmente dificulta o adversário a penetração no campo de ação da equipe, restando normalmente a esta, os chutes de média e longa distância, que poderão resultar em algo, de acordo com o tamanho da quadra de jogo. Esquema tático no futsal 3-1, 1-3, 1-2-1: Estes esquemas são os mais empregados pelas equipes, pois apresentam dupla objetividade: OFENSIVA E DEFENSIVA. Favorece aos atletas uma maior mobilidade, criatividade e desenvolvimento de suas características técnicas, dando uma movimentação maior no desenrolar da partida. As

onde cada qual. Esquema tático no futsal 1-3: é o esquema utilizado com o objetivo de mudar o resultado de uma partida.se de um pivô habilidoso para surpreender o adversário. procurando evitar que o oponente receba a bola. a equipe valendo-se de um bom fixo. além de guarnecer o setor central da quadra. será aplicado conforme orientação do profissional responsável pela equipe e principalmente de acordo com as características do adversário. variando as jogadas e alternando-se nos posicionamentos com o intuito de envolver o adversário. Esquema tático no futsal 3-1: é um esquema mais defensivo. .Tática de futsal Na marcação homem a homem ou individual. cada esquema destes. não sendo necessário o combate sobre o jogador que está sem bola. que propiciam o desenvolvimento do jogo e principalmente a movimentação dos atletas. o defensor marca individualmente o jogador que lhe indicado acompanhando-o por toda a quadra. sem que. Por Zona . Neste sistema marca-se a bola. tornando a marcação altamente eficaz. O sistema de marcação por zona é muito vantajoso. desenvolverá o seu trabalho. A marcação sob pressão exige que o marcador exerça o combate direto ao oponente em qualquer setor da quadra. valendo . Oferece. além de ser muito propício aos contra-ataques toda vez que a bola é tomada do adversário. dentro de suas características. e neste caso. Neste sistema marca-se o jogador. E entende-se por meia pressão o combate no setor de ataque somente sobre o oponente que recebe ou que está de posse da bola. no entanto. ficando o responsável por este jogador adversário mais retraído a fim de dar cobertura ao companheiro que efetua o combate direto sobre aquele que está com a bola. alas e pivô. libera os demais. onde a equipe em determinados momentos da partida. Na marcação por zona o combate é exercido sobre o jogador contrário mais diretamente quando ele penetra na zona confiada ao defensor. este seja obrigado a acompanhá-lo fora dela. mas nunca ficando restrito a um posicionamento fixo. não a bola. No setor defensivo a marcação é efetuada sob pressão. pois favorece a cobertura de defesa. onde somente a vitória interessa. no entanto a possibilidade de um contra ataque. utilizará para evitar o crescimento do adversário e consequentemente à marcação de gols por parte destes. Sistema de Marcação no futsal Por Homem a Homem . Esse sistema pode ser dividido em marcação sob pressão e meia pressão.posições de cada atleta são pré-determinadas durante os treinamentos. Esquema tático de futsal 1-2-1: é o esquema utilizado em uma partida tranqüila.Táticas de Futsal O sistema de marcação por zona consiste em atribuir a cada jogador da equipe uma zona definida de defesa com a incumbência de ocupá-la e defendê-la integralmente. com o desenvolvimento normal das jogadas. para sob pressão objetivar a mudança de resultado de acordo com o que importa para a equipe. não o jogador.

¯f€¯fsj f ½ ¾ ¾f¾½ n¾°nf¾ n¯½ hfxn°n $ °f    ff  fn n¯¯f f¯f°   ¾½µ f€¯fhnf°€¾f h ff ¯¾f¾½f f¾ °n¾ n°f° n¯ f¾f¾f fsµ ¾ ½ jn  ¯ ¾¯ f° f°¾n  ¾f  ¾ ¯ffsj ©–x€f½ ½° f°  ¯¯f ½ ½¾¾ ¯ ¾ff f °j¾  h¯f ½  ¾¯¯–½   ¯ °¾  ¾fj½fnf° ¯ ¾½ ¾ ¯¯ ©  ¾½ n€n   .

¯©h€ ¾ f  fhnf €¾f½    ff °¯f¯ °  f°  f°¾n  f½f f n¯½ ° f½€¾¾°f ¾½°¾h f¾  f¾ °fsµ ¾° ¾  ¾ °  °° °j€fnf¾¾f ¯¾ f f ¯f¾ ¾ ¯½  °  ¯¯ °  ¯f f  ¾ f¾¾¯f f½ –½n¯¯ ¾f ½ ¾ ° ¯f n¯½ sj  ° ¾ ¯½  ¯¯ °  ¯½f° ¾ hf°f  ¾ ff¾€ff¾½ff  f¾¾¯ n– f¾  °f¯f¾ €  ¾ ©f  ¯¯½¯n°€° @hnf €¾f°f f¯f¾x  f f%xn°nf%nnf f ¯½hnf°ff f ©– n¯  f¾f¾¾f¾ffsµ ¾ ½ jfn° n n°€¯  ¾ ° ½ f  ¾h   ¾ ¯f – @hnf¾ €¾f  ¾ ¾ ¯f¾ ©–¯f¾f f ½ f¾ ½ ¾¾j          ¾ ¾ ¾ ¯f¾¾j ¾n¯¯ ° ½fnf ¾ f°  ¾ °  ¯f½f f ¾ °  ¯f ½ ff n°¾f° ¯ ° f¾ ¾ ¯f¾  fn n¯f¾° n ¾¾ f ¾ ½°n½f¯ °  fn  n¯f  ¾h   ¾ ¯f  x¯ ¾ ¯f € °¾ – f¯ °  ¯½ –f ½ ½ ¾°nf° ¾  nf –f¾¯ ° ¾  ° n¯½°n½fnffn ¾nf €nff ffsj ½fnf°nf¾ °€  f  ¯ fsjff  ¾h   € °¾f¯ ° f½ ¾ °f½nf ©  f ½¾¾f¯¯ °fsjx ¾f   ¯ fsjf–½ f f¾  ¾°– f¾f  f ¾ ½ €f °j€  n ¯f ¯  f  f°  ¾ °  f½f f  €nf° f fn¯ f f°sf¯ °¾    ¾   ¯¯ °   ¯  ¯°f ¾¯¯ °¾ ¯ ¾ ¯fn¯ ¾   ¯°f  nf f°  ¯f½nf   ¯ ¯ °f   f¯ °  €nf f  ¾hf½ ° fsj°nf¯½ fsj f ½  ¾f° °¯f¯ ° f ¾f ¾n ¾ ¯x f °–f ¾i°nf  ½ j ¾f ¯f–  fn n¯f¯f° f f f ©–   ¾ ¯fhn°€¾f       ¾ ¾ ¾ ¯f¾¾j¾¯f¾ ¯½ –f ¾½ f¾ ½ ¾ ½¾f½ ¾ °f¯ ½f ©  f -I-I   f n f¾f f¾¯f¯f¯  f nf f   ¾ °¯ ° ¾f¾ nffn ¾nf¾xn°nf¾  f° ¯f¯¯ °fsj¯f° ¾ °f f½f f ¾ .

½¾sµ ¾ nf ff f¾j½x  ¯°f f¾ f° ¾ °f¯ °¾ ° nf ff  ° ¾f¾nffn ¾nf¾  ¾ ° h¾ f f ¯f¾°°nf€nf°  ¾f¯ ½¾n°f¯ °€ nf f ¾ ¯f ¾ ¾ ¾ hf½nf n°€¯  °fsj ½€¾¾°f  ¾½°¾h ½ f ½  ½°n½f¯ °  fn n¯f¾nffn ¾nf¾ f  ¾h   ¾ ¯fhn°€¾f  x¯ ¾ ¯f¯f¾ € °¾ ° f ½  ¯  ¯°f ¾ ¯¯ °¾ f½f f fh½ff fn ¾n¯ ° f  ¾h n°¾  ° ¯ ° g ¯fnfsj –¾½½f  ¾ ¾ €  n ° °f°f½¾¾  f  ¯n°fff  f °  ¾  ¯½´f  ¾½ff¾½ ° f  ¾h   ¾ ¯fhn°€¾f  x ¾ ¯ff n¯ ©  ¯ f ¾f   ¯f½f f ° ¾¯ ° ff°  ¾¾f  ° ¾ nf¾ f ½ f °  ¾  ¯ ¯ €  f¾ ¯f¾ ff¾ ½´ ½ff¾ ½ ¾¾j © ff¯ f°sf  ¾f   fn n¯ ¯½f½fff ½   ¾ ¯fhn €¾f   x ¾ ¯ff  ¯¯f½f ff°f n¯ ¾ °¯ °°¯f f¾©–f f¾  ½½nf¯ ¾ °¯ ° ©–  ½°n½f¯ ° f¯¯ °fsj ¾f f¾ ff° f¾©–f f¾ f °f°  ¾ °¾ ½¾n°f¯ °¾n¯°  ° f  ¾h   ¾ ¯f .fnfsj°€¾f9¯ ¯f¯ ¯ @hnf €¾f  -f¯fnfsj¯ ¯f¯ ¯°  f  € °¾¯fnf°  f¯ ° ©–f    ° nf fn¯½f°f°  ½ fff f   ¾¾ ¾¾ ¯f½ ¾     ¯¯fnfsj¾ ½ ¾¾j ¯ f½ ¾¾j - ¾ ¾¾ ¯f ¯fnf ¾ ©–f  °jf f ¯fnfsj¾ ½ ¾¾j –  ¯fnf   sf n¯ f   f½° °  ¯f ¾  ff f ½nf°  f ½° °   n ff f  ° ° ¾ ½¯ f½ ¾¾jn¯ f °¾  ff ¾¯ ° ¾   ½° °   n   ¾h ½¾¾  f f °j¾ ° ° n ¾¾hn¯ f ¾   ©–f   ¾h¾ ¯ f €nf°  ¾½°¾h ½ ¾ ©–f f  ¾h¯f¾ f f €¯  fn ffn¯½f°   € fn¯ f   ¾  f    ¾hn¯ f f fx¯ –f° n ¾ n °f ff f -¾  € °¾f¯fnfsjx € f f¾ ½ ¾¾j   9°f @hnf¾ ¾f  ¾¾ ¯f ¯fnfsj½°fn°¾¾  ¯f fnf f©–f  f ½ ¯f°f €° f  € ¾fn¯f°n¯ y°nf n½h f  € ° y f° –f¯ ° - ¾ ¾¾ ¯f ¯fnf ¾ f f °j©–f  -f¯fnfsj½°fn¯ f x  n ¾  ©–f  n°h¯f¾  f¯ ° f°   ½ ° f°f°fn°€f ff € °¾ ¾ ¯ ° °f°  ¾ ¾ ©f –f ffn¯½f°h €f f ¾¾ ¯f ¯fnfsj½°fx ¯f°f©¾ ½¾€f n fn f  € ¾f °f° f¯fnfsjff¯ °  €nf  fx¯ ¾ ¯½½nf¾n°f ff ¾ f  f fx¯f f f  ¾h  .