Administração da Produção: Tipos de Sistemas de Produção

Ren

TIPOS DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO. Objetivos desta aula: • Apresentar os tipos de sistema de produção.

Sumário • Classificação tradicional. Sistema de produção contínua. Sistema de produção intermitente. Sistema de grandes projetos. Classificação schroeder. Sistema orientado para estoque. Sistema orientado para encomenda.

Tipos de sistema de produção
(Relacionar esta aula com o modelo input-transformação-output, ver artigo sistema de produção)

Cada empresa adota um sistema de produção para realizar suas operações e produzir seus produtos/serviços da melhor maneira possível, garantindo com isso sua eficiência e eficácia (CHIAVENATO, 1991, pg.13). Segundo Chiavenato (1991), sistema de produção é a maneira pelo qual a empresa organiza seus órgãos e realiza suas operações de produção, adotando uma interdependência lógica entre todas as etapas do processo produtivo, desde o momento em que os materiais saem do almoxarifado até chegarem ao depósito como produtos acabados. Dependendo do tipo de operação (volume ou variedade) de produção, podemos ter diferentes tipos de sistemas de produção. Deste modo serão apresentados dois tipos de classificação para os sistemas de produção: a Classificação Tradicional e a Classificação Cruzada de Schroeder (MOREIRA, 2000). 1) Classificação Tradicional A classificação tradicional leva em consideração o “fluxo do produto” para determinar os tipos de sistemas de produção. Dentre eles, temos: a) Sistema de produção contínua ou fluxo em linha. Considerações: • • • Os produtos são padronizados e “fluem” de um posto de trabalho a outro numa seqüência prevista; Apresenta uma seqüência linear para se fazer o produto; Deve haver balanceamento das etapas para que as mais lentas não retardem a velocidade do processo.

1

Administração da Produção: Tipos de Sistemas de Produção Renato Hallal Este tipo de sistema pode ser dividido em dois tipos: a1) Sistema de produção em massa Características: • • Fabricação em larga escala de poucos produtos. exige uma mão de obra mais especializada. fogões. por exemplo: roupas). b) Sistema de produção intermitente ou em lote (batch) É o sistema de produção utilizado por empresas que produzem quantidade limitada de um tipo de produto de cada vez. Essa quantidade limitada é denominada lote de produção. Terminado um lote de produção a empresa inicia outro lote. 2 . padronizado. Apresenta uma relativa ineficiência. Exemplos: automóveis. Características: • • • • • O produto “flui” de forma irregular. alimentos industrializados (milho. devido à perda de tempo na calibragem das máquinas. etc. Cada lote recebe uma identificação. Processo altamente automatizado (conectado por tubulações. O sistema de produção intermitente é utilizado por indústrias têxteis (produz de acordo com a moda. a2) Sistema de produção propriamente continua. Grandes volumes de produção. A produção é feita em lote (apresenta uma média variedade de produtos na produção). embalagens. entre outras. por exemplo). moveleiras. ou seja. gado. com grau de diferenciação relativamente pequeno (ou seja. Não há flexibilidade no sistema. deste modo. Flexível (consegue atender a variedade de produtos requeridos pelo mercado). os equipamentos permitem adaptações. e assim por diante. de um centro de trabalho a outro. Produtos totalmente padronizados. por exemplo). pouquíssima flexibilidade). sendo um número ou um código. Características: • • • • • • • Alta eficiência (devido ao fato de haver a substituição do homem pela máquina. sendo eficientemente utilizados). Os equipamentos são genéricos. abate de aves. Operários existem apenas para manutenção e movimentação. Exemplos: indústrias siderúrgicas (aço). aparelhos de ar condicionados (bens duráveis). etc. Cada lote de produção é dimensionado para atender a um determinado volume de vendas previsto para um determinado período de tempo. geladeiras. química. papel. sapatos.

podendo atender um maior número de casos práticos. Características: • • • • • Não “há fluxo” do produto. Produção em altíssima variedade. pintor. Cada projeto é um produto único (ou poucas quantidades). temos a dimensão “fluxo do produto” (já apresentada na classificação tradicional). Fonte: MOREIRA (2000). Os três sistemas de produção estão resumidamente representados na figura 1 abaixo: Baixo Alta Projeto Sistema de Produção de Grandes Projetos Volume Alto Variedade Lote Sistema de Produção Intermitente Massa Contínuo Baixa Sistema de Produção Contínua Figura 1: Tipos de sistemas de Produção. O sistema de produção de grandes projetos tem como finalidade o atendimento de uma necessidade específica do cliente. usinas hidroelétricas. que podem ser divididos em: • • Sistema orientado para estoque (make to stock . etc. O sistema de produção de grandes projetos é utilizado por fabricantes de aviões. com todas as suas atividades voltadas para essa meta. busca completar a classificação tradicional. na fabricação de um avião: necessitam de eletricista.Administração da Produção: Tipos de Sistemas de Produção Renato Hallal c) Sistema de produção de grandes projetos. A classificação cruzada dá-se ao longo de duas dimensões. Mão de obra intensiva (por exemplo. etc.).MTO) 3 . do outro. Alta flexibilidade. navios edifícios.MTS) Sistema orientado para encomenda (make to order . soldador. temos a dimensão “por tipo de atendimento ao consumidor”. De um lado. devido a Schroeder (1981). 2) Classificação Cruzada de Schroeder Este modelo de classificação. mecânico.

enquanto a produção por projeto é tipicamente orientada para encomenda (MTO) e a produção intermitente. leva tanto a um. Fonte: MOREIRA (2000). os exemplos devem ao mesmo tempo atender aos requisitos das duas dimensões (fluxo do produto e atendimento ao cliente). • Siderúrgicas. Orientado para estoque (Make to stock) Sistema de Produção Contínua • Fábrica de automóveis. etc. • Etc. o estoque é criado antes da demanda e é usado para atender as necessidades dessa demanda ou para suavizar as necessidades de capacidade segundo o que foi determinado pelo planejamento de produção. Intermitente • Restaurante Fast Food. a produção continua esta mais voltada a sistema orientado para estoque (MTS).Administração da Produção: Tipos de Sistemas de Produção Renato Hallal O sistema orientado para estoque oferece serviço rápido (atendimento ao consumidor). projetos • Casas pré-fabricadas. • Eletricidade. • Fábrica de papel. • Navios. veja tabela 1: Tabela 1: Classificação Cruzada de Schroeder: Exemplos. Sistema de produção de grandes • Arte para exposição. no entanto a flexibilidade do cliente na escolha do produto é evidentemente menor que no caso de um sistema orientado para encomenda. Vale ressaltar que. • Etc. • Aviões. 4 . • Móveis sob encomenda. • Restaurante. Baixo MTO Alta Projeto Tipo de política de ordem de fabricação (OF) Massa Contínuo MTS Baixa Sistema de Produção Contínua Variedade Lote Sistema de Produção Intermitente Sistema de Produção de Grandes Projetos Volume Alto Figura 2: Classificação Cruzada de Schroeder X Classificação Tradicional Fonte: Elaborado pelo autor. Na classificação cruzada. Já no processo orientado para encomenda as operações são ligadas a um cliente em particular. • Edifícios. com o qual se discute o preço e o prazo de entrega da mercadoria em questão. como a outro sistema (veja Figura 2). etc. • Etc. No sistema orientado para estoque. etc. Sistema de Produção • Fábrica de Móveis. • Gás. Orientado para encomenda (Make to order) • Veículos especiais.

outras poderão ser mais valorizadas. Ética social: produzir bens/serviços respeitando a ética nos negócios e a sociedade em geral. a empresa terá de escolher entre algumas prioridades competitivas. o aluno leia o capitulo 1 do TUBINO (2007). devem-se definir os critérios competitivos mais adequados e estruturar a função produção. rapidez e flexibilidade. Exemplo: respeitar as leis ambientais. os seus recursos.Administração da Produção: Tipos de Sistemas de Produção Renato Hallal OBS IMPORTANTE: É interessante que ao final desta aula. Inovação: ser capaz de anteciparem-se as necessidades dos consumidores. Observa-se. verifica-se que esta não é mais a única prioridade do setor e que. confiabilidade. 2003). Dentre os critérios competitivos da produção (critérios de desempenho ou objetivos de desempenho) destacam-se: custo. que dependendo dos recursos humanos. da melhor maneira possível. Ou seja. então. Segundo TUBINO (2006) durante muito tempo a prioridade competitiva da função produção foi à busca incessante da eficiência. do tipo de mercado que ela quer atuar. Flexibilidade: ser capaz de reagir de forma rápida a eventos repentinos e inesperados. atualmente. Porém. Critérios competitivos da produção Definem-se prioridades competitivas como sendo um conjunto consistente de critérios que a empresa tem de valorizar para competir no mercado. em função das competências internas da empresa. para que ela seja capaz de dar suporte a esta escolha (NETO et. O autor faz uma classificação dos tipos de sistemas de produção associando-os com o planejamento e controle da produção (PCP). de tal forma. Rapidez e Confiabilidade: ter confiabilidade e velocidade nos prazos de entrega dos bens/serviços melhores que a concorrência. ou seja. capacidades e oportunidades de mercado com o intuito de se tornar competitiva. do grau de concorrência deste mercado e do tipo de produto que ela produz. qualidade. A montagem atende as especificações. O produto é atraente e sem defeito. Rapidez (reduz custo – pois rapidez minimiza estoque. Outros livros destacam-se a inovação e a ética social. Custo: produzir bens/serviços a um custo mais baixo do que a concorrência. dependendo do mercado e do desejo do cliente. reduz risco – fazendo previsão) 5 . tecnológicos e da observação das necessidades dos clientes. aproveitando. aumenta a confiabilidade) • • • Todos os componentes são fabricados conforme as especificações. Exemplo: Fábrica de automóveis Qualidade (reduz custo – eliminando defeitos. • • • • • • Qualidade: produzir bens/serviços com desempenho de qualidade mais alto do que a concorrência. al.

Os critérios competitivos da produção: um estudo exploratório na construção de edificações. RAC. funcionários e tecnologia. página 83). O tempo de espera na assistência técnica é mínimo. TUBINO. Referencias Bibliográficas MOREIRA. R. 5. São Paulo: Atlas. 2000. Vale ressaltar que. aumenta a confiabilidade – ou seja. JOHNSTON. Habilidade de se ajustar ao número de veículos fabricados. Jaime Evaldo. o cliente pode exigir que a fábrica corresponda as suas necessidades. CHAMBERS. 2006. 2007. N. 6 . Introdução de novos modelos. Confiabilidade (reduz custo – evita cancelamento de pedido. D. São Paulo: Pioneira. S. SLACK. D. F. capítulo 2. al. D. 2008. ed.Administração da Produção: Tipos de Sistemas de Produção Renato Hallal • • O tempo entre o pedido de um carro encaminhado por um revendedor e sua entrega ao consumidor é mínimo. Manual de planejamento e controle da produção. por exemplo: fazer carro com turbina). Número 1. Administração da produção. F. TUBINO. José de Paula Barros. Volume 7.. Flexibilidade (agiliza tempo – troca de produto na produção e conseqüentemente melhora o custo por ser mais rápido. 2008. Administração da produção e operações. Carlos Torre. 2003. São Paulo: Atlas. A. Planejamento e Controle da Produção: Teoria e Prática. NETO. FENSTERSEIFER. FORMOSO. reduz tempo – tudo é programado) • • Entrega dos veículos aos revendedores no tempo previsto. • • Custo • Custo de materiais. Entrega de peças de reposição aos centros de serviços no tempo previsto. cada um dos critérios citados acima afeta o critério custo (SLACK et. São Paulo: Atlas.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful