Você está na página 1de 18
P ODERES E CRENÇAS – MULTIPLICIDADE E UNIDADE (séculos XIII e XIV)

PODERES E CRENÇAS MULTIPLICIDADE E UNIDADE

(séculos XIII e XIV)

A MULTIPLICIDADE DE PODERES

Durante cerca de 1000 anos, a Europa nunca mais voltou a ter uma estabilidade política comparável

àquela que o Império Romano proporcionara. Nos tempos medievais o poder político fragmentava-se em múltiplas células e revestia as mais variadas formas:

Reinos

Senhorios

Cidades independentes (comunas)

Império.

Estas

coexistiam.

unidades

de

poder

não

se

excluíam,

antes

Senhorios  Cidades independentes (comunas)  Império. Estas coexistiam. unidades de poder não se excluíam, antes

REINOS

Na época medieval, os reinos eram unidades

territoriais, sob a chefia de um rei, que agregavam

pequenas unidades regionais.

Foi durante a Idade Média que se formaram vários reinos da Europa Ocidental, (na Europa Oriental

prevalecia o poder dos senhores).

No séc. XIII já constituem reinos sólidos Portugal, Castela, Aragão, França e Inglaterra.

Em cada um destes territórios o chefe político era o rei, pertencente a uma família nobre que se havia

de

os

destacado política e/ou militarmente.

o chefe político era o rei, pertencente a uma família nobre que se havia de os

SACRO IMPÉRIO ROMANO-GERMANO

No séc. X, o rei da Germânia, Otão I, aliou-se ao Papa e, da união dos territórios germânicos e

italianos, nasceu o Sacro Império Romano- Germânico.

O Sacro Império procurava restaurar a união da Europa. Porém, a rivalidade de poder entre o

imperador e o Papa, a par da oposição dos

senhores locais, anularam quaisquer possibilidades

de sucesso do império.

A Oriente, o imperador bizantino nunca reconheceu o Santo Império, considerando que era o único

herdeiro do poder romano e que um chefe “bárbaro” nunca deveria liderar os Cristãos.

considerando que era o único herdeiro do poder romano e que um chefe “bárbaro” nunca deveria

SENHORIOS

É uma terra de um senhor (nobre ou eclesiástico), uma propriedade

fundiária.

Compunha-se, geralmente, de terras aráveis, bosques e um ou mais aglomerados populacionais.

O senhor concedia parcelas do seu terreno aos camponeses, os quais, em troca, lhe pagavam prestações em dinheiro, géneros

(alimentos) ou trabalho.

seu terreno aos camponeses, os quais, em troca, lhe pagavam prestações em dinheiro, géneros (alimentos) ou
Os feudos territoriais ou senhorios eram divididos em três partes: 1. Reserva senhorial, terras exploradas

Os feudos territoriais ou senhorios eram divididos em três partes:

1.

Reserva senhorial, terras exploradas pelos camponeses ou servos cujo rendimento pertencia na totalidade ao senhor

1. Reserva senhorial, terras exploradas pelos camponeses ou servos cujo rendimento pertencia na totalidade ao senhor

2.

Mansos, que eram terras exploradas pelos camponeses e suas famílias

3.

Terras comunais, constituídas por pastos, florestas e baldios que forneciam

frutas, madeiras, mel, castanhas etc. A caça era direito exclusivo do senhor.

Sabias que… os servos não podiam abandonar o senhorio, nem casar sem autorização do senhor
Sabias que… os servos
não podiam abandonar o
senhorio, nem casar sem
autorização do senhor da
terra?
senhorio, nem casar sem autorização do senhor da terra? A insegurança do camponês Como é sabido

A insegurança do camponês

Como é sabido por todos que eu [camponês livre] não tenho meio para me vestir e alimentar, pedi a vossa piedade, e a vossa vontade concedeu- ma e permitiu-se ser trazido e entregue

à vossa proteção. Assim fiz, nas seguintes condições: deveis ajudar-me e sustentar-me no que respeita a alimentos e vestimentas, de acordo com o que eu vos possa servir e seja

digno de vós. Enquanto eu for vivo,

dever-vos-ei serviço e obediência, e pelo resto dos meus dias não terei o direito de me retirar do vosso poder ou proteção.

Fórmula merovíngia, século VIII (adaptado)

meus dias não terei o direito de me retirar do vosso poder ou proteção. Fórmula merovíngia,

Gradualmente, o poderio económico estendeu-se

ao poderio sobre as pessoas. O medo das invasões

e a incapacidade por parte do monarca de

assegurar uma defesa eficaz levava as populações a abrigar-se no castelo construído pelo senhor. O senhor foi-se apropriando, muitas vezes com

consentimento régio, de direitos outrora exclusivos

do rei (aplicar a justiça, lançar impostos, recrutar

homens para o exército), até impor sobre os seus homens o ban exercício de poderes públicos.

Os senhorios mais ricos e poderosos eram aqueles pertencentes a duques e condes, membros da alta nobreza que chegaram, em alguns casos, a opor-se ao poder do rei ou do imperador de quem eram

súbditos.

membros da alta nobreza que chegaram, em alguns casos, a opor-se ao poder do rei ou

COMUNA

As cidades mais prósperas foram as primeiras a reivindicar autonomia em relação ao poder dos

senhores das terras.

Os mercadores do Norte da Itália criaram, no séc. XI, a comuna, uma associação dos habitantes da cidade que juravam lealdade entre si e reclamavam

direitos perante o senhor.

As lutas comunais (movimento comunal) expandiram-se nos sécs. XII, XIII e XIV até as

cidades obterem, ora através da violência, ora de

forma negociada, a ambicionada carta comunal que

estipulava as garantias de uma (maior ou menor) autonomia administrativa.

forma negociada, a ambicionada carta comunal que estipulava as garantias de uma (maior ou menor) autonomia

A MULTIPLICIDADE DE PODERES

Europa (séc. VIII-X) Império / Reinos Senhorios Comunas
Europa
(séc. VIII-X)
Império /
Reinos
Senhorios
Comunas

“Entre os muitos senhores, a Igreja e as igrejas , as cidades, os príncipes e os reis, os homens da Idade Média não sabem sempre de quem dependem politicamente.(Jacques Le Goff)

príncipes e os reis, os homens da Idade Média não sabem sempre de quem dependem politicamente.

RELEMBRA!

R ELEMBRA !

CENTRALIZAÇÃO DO PODER REAL (SÉCS. X-XIII)

A partir do século X assiste-se ao reforço do poder real e surgem as monarquias feudais. Os reis passam a estar no topo da hierarquia feudal (é o suserano dos suseranos).

real e surgem as monarquias feudais. Os reis passam a estar no topo da hierarquia feudal
real e surgem as monarquias feudais. Os reis passam a estar no topo da hierarquia feudal