Você está na página 1de 32
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares” • O material tal como o ambiente pode constituir um

O material tal como o ambiente pode constituir um reservatório e uma fonte de infeção cruzada se as precauções não forem tomadas para a descontaminação dos mesmos.

Isto supõe métodos diversos como a limpeza, desinfeção e esterilização.

Cada um destes processos é progressivamente mais destrutivo e mais caro devendo ser escolhido o mais apropriado tendo em atenção o risco infeccioso, a utilização prevista e o custo.

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares” Importante: A Lavagem das mãos é indispensável antes e após
Importante:
Importante:

A Lavagem das mãos é indispensável antes e após o

manuseio com o paciente.

No caso das Unidades Móveis, as quais não dispõem de lavatório interno, deve ser utilizado o

dispensatório de álcool gel a 70% localizado no

interior da Unidade.

de lavatório interno, deve ser utilizado o dispensatório de álcool gel a 70% localizado no interior
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares” EPI’S A utilização dos equipamentos de proteção

EPI’S A utilização dos equipamentos de proteção individual de forma correta protege não só o indivíduo como o profissional. Este tipo de cuidado evita ou minimiza a propagação dos microorganismos. Todos devem cumprir as suas responsabilidades e a empresa deve fornecer os equipamentos necessários. Os profissionais devem comprometer-se a usá-los. Estes devem estar disponíveis em números e quantidades adequadas e suficientes, de modo a que não haja justificação para não os usar. Os EPI’S são destinados á protecção de riscos susceptíveis de ameaçar a segurança e saúde no trabalho. Ex: Avental, luvas, touca, bata, etc.).

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares” Instruções

Instruções

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares” Instruções
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares” O manuseio de artigos requer que cada procedimento seja

O manuseio de artigos requer que cada procedimento seja acompanhado da indicação do EPI específico, em relação à natureza do risco ao qual o profissional da saúde se expõe. Os riscos são em relação ao material biológico, químico e térmico. Devemos considerar que:

- Todo artigo deverá ser considerado “contaminado”, sem levar em consideração o grau de sujidade presente;

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares” Passos sequenciais: - Limpeza ou descontaminação -
Passos sequenciais:
Passos sequenciais:

- Limpeza ou descontaminação

- Desinfeção e/ou esterilização ou estocagem, conforme o objetivo de uso do artigo;

- Classificar o artigo de acordo com o risco potencial de infeção envolvido em seu uso e definir se necessita de desinfeção ou esterilização;

- Para que a remoção da sujidade ou matéria orgânica não constitua um risco para pessoa que os

manuseia e o local onde esta limpeza e desinfeção é realizada, é imprescindível o uso de EPI, como preconizado nos procedimentos de precauções universais e de segurança.

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”

Tipologia dos materiais

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares” Tipologia dos materiais
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares” Toda a avaliação do tipo de descontaminação deve ser feita

Toda a avaliação do tipo de

descontaminação deve ser feita

tendo em conta, além da situação

em que o material irá ser utilizado, o tipo de doente, o tipo de

contaminação e os

métodos de descontaminação possíveis de acordo com a compatibilidade do material.

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”

Tipos de Lavagem

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares” Tipos de Lavagem
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”

Na lavagem manual deste material e sempre que este seja processado deve ter-se

em atenção a proteção do operador com os EPIs adequados (luvas grossas, máscara e proteção ocular e bata ou avental).

Quando for necessário escovar o material, este deve estar mergulhado a fim de

evitar salpicos e formação de aerossóis.

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”

Relativamente ao material mais pequenino, neste caso o perfuro cortante, como o material cirúrgico deve-se proceder do seguinte modo:

Os instrumentos devem ser submersos numa solução enzimática antes de ser iniciada a lavagem; Os instrumentos devem ser lavados em áreas próprias para o tratamento de materiais contaminados;

a lavagem; • Os instrumentos devem ser lavados em áreas próprias para o tratamento de materiais
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”

A lavagem deve ser efetuada com água quente e detergente para remover a sujidade, microrganismos, proteínas e matéria orgânica. Esta deve ser feita com movimentos suaves, utilizando uma escova própria para não haver o risco de corte e mantendo o instrumento submerso para evitar os salpicos. Após a lavagem os instrumentos devem ser bem enxaguados e secos antes da desinfeção ou esterilização.

salpicos. • Após a lavagem os instrumentos devem ser bem enxaguados e secos antes da desinfeção
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
Limpeza:
Limpeza:

Consiste na lavagem, enxaguamento e secagem do material.

Objetivo:
Objetivo:

Remoção total da matéria orgânica dos artigos com utilização de soluções como

detergentes enzimáticos, químicos ou desincrustastes.

Processo final dos artigos não críticos:
Processo final dos artigos não críticos:

Pode ser manual ou mecânico utilizando escovas, estiletes, etc.

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
Desinfeção:
Desinfeção:

É o processo de destruição de microorganismos patogénicos ou não, na forma vegetativa (não esporulada), de artigos considerados semicríticos.

Objetivo:
Objetivo:

Evitar contaminação ao próximo usuário, o artigo deve estar totalmente seco.

Procedimento:
Procedimento:

Deixar o material imerso num balde escuro e com tampa com hipoclorito de sódio por 30 minutos (para cada litro de água coloque um litro de hipoclorito de sódio 1%), glutaraldeido a 2% por 30 minutos ou álcool etílico a 70% por 10 minutos.

coloque um litro de hipoclorito de sódio 1%), glutaraldeido a 2% por 30 minutos ou álcool
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
Esterilização:
Esterilização:

É o procedimento utilizado para a destruição de todas as formas de vida microbiana.

para a destruição de todas as formas de vida microbiana. Processo físico : Vapor saturado sobre

Processo físico:

Vapor saturado sobre pressão com utilização de autoclave

Vapor saturado sobre pressão com utilização de autoclave Processo químico: Imersão total do artigo em produto
Processo químico:
Processo químico:

Imersão total do artigo em produto químico do grupo dos aldeídos (glutaraldeido ou

formaldeído por 10 horas).

Processo físico-químico:
Processo físico-químico:

Óxido de etileno

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares” Produtos Contra-indicado Álcool etílico a 70% Acrílico,
Produtos
Produtos
Contra-indicado
Contra-indicado

Álcool etílico a 70%

Acrílico, borrachas, tubos plásticos, pintura de

prancha longa

Glutaraldeido (Validade de 14 a 28 dias)

Não é indicado para desinfeção de superfícies

Hipoclorito de sódio (24 horas)

Em mármores e metais devido á ação corrosiva

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”

A recolha e o transporte de material qu í mico contaminado

A CME (central de esterilização) é responsável pela preparação, processamento e distribuição dos artigos médico-cirúrgicos e equipamentos necessários para a assistência do doente. Esta função é muito importante porque se os artigos médicos reutilizáveis forem reprocessados inadequadamente são fonte de contaminação e transmissão de microorganismos.

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”

Armazenamento e conserva ç ão do material cl í nico

Precauções:

Garantir a integridade da embalagem

Área seca e longe da humidade

Armários com portas

Não superlotar gavetas e armários

Não dobrar, amassar ou colocar elástico para segurar as embalagens.

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”

Armazenamento e conserva ç ão do material cl í nico

A armazenagem é constituída por um conjunto de funções de receção, descarga, arrumação e conservação dos materiais.

O objeto deve ser empacotado para a esterilização.

Só objetos empacotados podem ser descritos como estéreis.

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”

Os materiais de empacotamento incluem:

Papel: previne a contaminação desde que esteja intacto, mantém a esterilidade por um período longo, pode ser utilizado como campo estéril e pode também ser utilizado para envolver dispositivos sujos depois do procedimento.

Certos plásticos: só o polietileno e o polipropileno são adequados para a esterilização com óxido de etileno.

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”

Têxteis não-tecidos descartáveis.

Contentores: podem ser utilizados se contiverem, apenas, material para utilização num único

procedimento.

Devem possuir um filtro e uma válvula que deve ser monitorizada regularmente

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”

Os sistemas de empacotamento para objetos estéreis devem cumprir a legislação e/ou

regulamentos locais.

As condições de acondicionamento adequadas são essenciais para manter a

Integridade dos objetos esterilizados.

O utilizador deve controlar a integridade da embalagem antes da utilização.

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”

Registo do material

O envio do material obriga ao preenchimento de uma requisição de material esterilizado.

Esse dossier tem para além das folhas de requisição, um conjunto de orientações sobre

que tipo de material vai ou não à esterilização.

O envio do material para esterilizar deve ser obrigatoriamente conferido pelo técnico da

Esterilização.

Quando o material chega à unidade, deve ser obrigatoriamente conferido pelo técnico de

saúde e arrumado nos armários da sala de tratamentos.

Sempre que exista alguma discrepância entre o que foi requisitado e o que foi fornecido

e

que não possa ser esclarecida na altura, deverá ser deixada informação ao técnico do

turno da noite, para que no turno da manhã seguinte se possa esclarecer a situação.

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”

Os circuitos de entrega e recolha de material hoteleiro, material clínico e material de apoio clínico

É da responsabilidade do técnico de saúde o envio do material à esterilização. Deve ser enviado no turno da manhã entre as 11 e as 12 horas e se necessário no turno da tarde até às 20 horas. Deve ser procedimento comum a todos os utilizadores de material esterilizado, a observação e cumprimento das normas de manutenção do mesmo, tendo sempre presente o cuidado de utilizar o material cuja data de esterilização seja mais antiga. Semanalmente, um técnico deverá efetuar o controlo do material esterilizado, a fim de detetar eventuais faltas.

“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de
Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”
“Limpeza e Higienização de Materiais Hospitalares”