Você está na página 1de 26

Para obter mais informações, procure os técnicos do IAP e Emater- PR ou a Unidade de Gerenciamento do Projeto Rua Máximo João Kopp, 274, Bloco 1 • CEP: 82630-900 • Curitiba-PR • Fone (41) 3351-6298 • Fax (41) 3351- 6285 prbio@sepl.pr.gov.br • Este glossário foi impresso com tiragem de

Fone (41) 3351-6298 • Fax (41) 3351- 6285 • prbio@sepl.pr.gov.br • Este glossário foi impresso com

GLOSSÁRIO

SABENDO +

O termo Biodiversidade foi criado por Edward Wilson em 1986, portanto ainda estamos no processo de entendimento deste conceito de extrema importância, colocando o Brasil em primeiro lugar no ranking mundial de Diversidade Biológica.

O Glossário “Biodiversidade, sabendo +” foi elaborado através da compilação de alguns termos utilizados por palestrantes e técnicos do Projeto Paraná Biodiversidade nos eventos de Capacitação e Educação Ambiental realizados para 63 municípios paranaenses.

Os termos escolhidos são principalmente da área agronômica, biológica e educação ambiental. Para alguns termos muito específicos, a equipe técnica procurou simplificar para um melhor entendimento do público-alvo.

Desejamos que este glossário venha contribuir para o esclarecimento de dúvidas conceituais, bem como enriquecer seu vocabulário sobre a conservação e uso sustentável da biodiversidade.

sobre a conservação e uso sustentável da biodiversidade. Abiótico (sem vida) 2 1 Aplica-se as características

Abiótico (sem vida) 21 Aplica-se as características físicas de um ecossistema. Por exemplo: umidade, radiação solar ou elementos minerais, como as rochas.

Aceiros 11 Faixa de terreno que é mantida livre de vegetação em torno de uma área, com o objetivo de evitar a propagação do fogo.

Adaptabilidade 20

Capacidade de determinada espécie de viver em

condições ambientalmente diferentes de seu hábitat natural.

Adubação 11 Processo de adição de substâncias ao solo, produtos ou organismos, que contenham elementos essenciais ao desenvolvimento de plantas que são cultivadas.

Adubação foliar 20 Forma de aplicação de uma substância fertilizante que, com um equipamento chamado de pulverizador, a substância é dissolvida em algum meio líquido, como água e aplicada nas partes aéreas das plantas.

Adubação química 8 Adição no solo de fertilizantes minerais (em quantidades maiores de nitrogênio, fósforo, potássio, cálcio e magnésio).

Adubação verde 11 Técnica agrícola utilizada para elevar o conteúdo de matéria orgânica no solo. As plantas que apresentam crescimento rápido são cortadas jovens, ainda verdes e incorporadas ao solo, promovendo seu enriquecimento através da ação de microorganismos decompositores, aumentando a capacidade de reter fertilizantes e manter a umidade do solo. Devem ser preferidas aquelas da família das leguminosas, que além da matéria orgânica, incorporam ainda nitrogênio ao solo.

Adubo mineral 11 Material inorgânico geralmente de origem industrial, que é adicionado ao meio em que a planta é cultivada para fornecer determinados nutrientes.

GLOSSÁRIO

SABENDO +

Adubo orgânico 8 Constituído essencialmente por matéria orgânica decomposta (resíduos vegetais, esterco, dentre outros).

Afloramento 11 Exposição natural em superfície, de rocha ou mineral e outras exposições acessíveis à observação humana, tais como: corte de estradas, túneis, galerias subterrâneas, poços, etc.

Agenda 21 11 Protocolo contendo uma lista de compromissos e ações, que tem como objetivo reestruturar a economia, assegurando a sobrevivência humana digna, preservando a saúde e os recursos naturais do planeta, objetivando o desenvolvimento sustentável . Este documento foi assinado por 170 países, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, também conhecida como “ Rio-92”.

Agente biológico de controle 20 Organismo vivo, de ocorrência natural ou obtido através de manipulação genética, sem utilizar moléculas de DNA e/ou RNA, introduzido no ambiente com o objetivo de controlar a população ou atividade de determinado organismo vivo considerado nocivo.

Agrobiologia 20 Ciência que usa os conhecimentos básicos da biologia em suas relações com a agricultura.

Agroecossistema 11 Sistema ecológico natural, transformado em espaço agrário, utilizado para produção agrícola ou pecuária, segundo diferentes tipos e níveis de manejo.

Agroflorestal 20 Sistema de cultivo de espécies arbóreas e herbáceas.

Agricultura biodinâmica 10 Aplica todos os princípios da agricultura orgânica, além de preparados biodinâmicos (homeopatia agrícola) e enfoca as propriedades rurais como organismos agrícolas incluindo a influência de fatores cósmicos complementares ao comprimento dos dias e ao clima em geral. Utiliza o calendário biodinâmico publicado anualmente.

Agricultura biológica 10 Destaca-se pelo controle biológico, manejo integrado de pragas, doenças e pela teoria da trofobiose (plantas doentes pelo uso de agrotóxicos). Reforça o uso da adubação orgânica e demais técnicas biológicas.

Agricultura conservacionista 8 Contempla o plantio direto na palha com cobertura permanente do solo, o manejo integrado: de pragas, de doenças e de ervas daninhas; o uso do solo conforme aptidão das terras e práticas complementares de controle da erosão e da poluição.

Agricultura integrada 8 Sistema de exploração agrária que produz alimentos e outros produtos de qualidade, minimizando o uso dos insumos.

Agricultura natural 10 Preconiza a menor alteração possível no funcionamento natural dos ecossistemas e utiliza microorganismos benéficos à produção vegetal e animal, conhecidos pela sigla EM (microorganismos eficazes).

Agricultura orgânica 10 Tem como base a manutenção da fertilidade do solo e da sanidade geral da planta, através da adubação orgânica, diversificação e rotação de culturas.

Agrobiodiversidade 6 Valoriza os conhecimentos das populações tradicionais e locais, como os povos indígenas, pescadores artesanais, agricultores familiares, caboclos, ribeirinhos e sertanejos, acumulam um importante saber tradicional sobre a produção de alimentos e formas de cultivo mais adaptados às condições ecológicas e a ausência da utilização de adubação química e agrotóxicos.

Agroecologia 8 Tem como base uma abordagem que integra os princípios agronômicos, ecológicos e sôcio-econômicos, utilizando o agroecossistema como unidade de estudo e trabalho.

Agronomia 20 Parte da agricultura que trata da teoria e prática do cultivo de plantas, manejo do solo e criação de animais.

Agroquímico 21 Agentes químicos sintéticos que são utilizados na agricultura.

Agrossilvopastoril 20 Uso integrado de áreas rurais com cultivo, pastagem e florestas.

Agrotóxico 21 Produto químico utilizado no combate e prevenção de pragas e doenças agrícolas. Também conhecido por defensivo agrícola ou biocida.

Água de superfície 17 Que corre na superfície da Terra.

Água Doce 21 Água de rios, lagos, lagoas e fontes na superfície ou subterrâneas, que contém pouquíssima quantidade de sal (0,05%); representa apenas 2,5% da água que existe no planeta.

GLOSSÁRIO

SABENDO +

Água potável 21 É a água doce com qualidade adequada ao consumo humano.

Água salobra 21 Água que possui maior quantidade de sal (de 0,05 a 3%).

Águas subterrâneas 21 Que correm naturalmente no subsolo e podem ser extraídas e utilizadas para consumo. Ela pode ser retirada de poços artesianos, por exemplo.

Alopatia 20 Método terapêutico que consiste em tratar doenças por meios contrários a elas, procurando conhecer suas causas e combatê-las.

Aluvião 20 Refere-se à acumulação de partículas, como areia e silte, que são carregadas rio abaixo e depositam-se em suas embocaduras, formando bancos de areia. Regiões com grandes quantidades de aluvião são as mais férteis do mundo.

Ambiente 21 Tudo que diz respeito aos seres vivos na biosfera: elementos do clima, do solo, dos recursos hídricos e organismos; enfim, as coisas que podem influenciar a vida dos seres vivos tanto positiva quanto negativamente.

Anaeróbio 21 Organismo que não depende do ar para viver e se desenvolver.

Antrópico 17 Referente à ação humana.

Aquecimento global 21 Aumento da temperatura média do planeta Terra em decorrência do efeito estufa.

Aqüicultura 21 Cultivo de organismos aquáticos, como peixes, moluscos, crustáceos, etc.

Aqüífero 11 Unidade geológica que contém e libera água em quantidades suficientes de modo que pode ser utilizado como fonte de abastecimento.

4

Área de Proteção Ambiental - APA 17 Unidade de conservação de

uso sustentável, constituída por terras públicas e privadas; é uma área em geral extensa, com um certo grau de ocupação humana, dotada de atributos abióticos, bióticos, estéticos ou culturais especialmente importantes para a qualidade de vida e o bem-estar das populações humanas e tem como objetivos básicos proteger a diversidade biológica, disciplinar o processo de ocupação e assegurar a sustentabilidade do uso dos recursos naturais.

Área de Relevante Interesse Ecológico - ARIE 17 Unidade de

conservação de uso sustentável; em geral de pequena extensão, com pouca ou nenhuma ocupação humana, com características naturais extraordinárias ou que abriga exemplares raros da biota regional e tem como objetivo manter os ecossistemas naturais de importância regional ou local e regular o uso admissível dessas áreas, de modo acompatibilizá- lo com os objetivos de conservação da natureza.

Assistente Técnico Ambiental - ATA 8 É integrante da Câmara

Técnica da Biodiversidade do Órgão do Conselho Municipal do Desenvolvimento Rural.

Assoreamento 17 Processo de acumulação de sedimentos não consolidados, na superfície da terra ou em corpos d’água.

Aterros sanitários 21 Área de depósito de resíduos sólidos que segue padrões técnicos adequados visando proteger o ambiente e a saúde humana.

Atividade poluidora 20 Atividade humana industrial ou agrícola, que causa danos, degrada ou ameaça os ambientes naturais e antrópicos (construídos pelo homem).

Atmosfera 21 A camada de gases que envolve a Terra. É composta principalmente por nitrogênio (78%), oxigênio (21%), argônio (9%) e dióxido de carbono (0,035%). A Atmosfera serve como proteção contra os raios solares e também fornece o ar, indispensável para nossa existência.

Avifauna 17 Conjunto de aves de uma determinada região.

fornece o ar, indispensável para nossa existência. Avifauna 1 7 Conjunto de aves de uma determinada

4

GLOSSÁRIO

SABENDO +

GLOSSÁRIO SABENDO + Bacia Hidrográfica 1 1 Região compreendida entre divisores de água, na qual toda

Bacia Hidrográfica 11 Região compreendida entre divisores de água, na qual toda a água precipitada, escoa por um único exutório (ponto mais baixo, no limite de um sistema de drenagem).

Banhado 11 Denominação utilizada no sul do Brasil para indicar extensões de terras baixas inundadas pelos rios.

Barreira ecológica 20 O conceito de barreira ecológica, desenvolvido para definir os limites biogeográficos de expansão das espécies, tem-se aplicado em estudos ambientais para designar tanto os obstáculos naturais quanto o resultado de algumas ações humanas que tendem a isolar ou dividir um ou mais sistemas ambientais, impedindo, assim, as migrações, trocas e interações. Por exemplo: a abertura de uma rodovia pode se constituir, ao atravessar uma floresta ou um pântano, em uma barreira ecológica; são formações que isolam uma espécie da outra.

Bebedouros 14 Instalação utilizado na dessendentação (matar a sede) dos animais, evitando que os mesmos tenham acesso aos mananciais naturais.

Bioacumulação 21 Processo de acumulação de um elemento químico tóxico através da cadeia alimentar, devido à poluição e mal uso de substâncias perigosas.

Biocida 11 Substância química de origem natural ou sintética que é utilizada para controlar ou mesmo eliminar organismos vivos considerados nocivos à atividade ou saúde humanas.

Biodiversidade 16 A biodiversidade ou diversidade biológica, é a variedade de vida na Terra. Ela é constituída pelas variedades inter- específicas, entre espécies e de ecossistemas. A biodiversidade também se refere às relações complexas entre os seres vivos e entre seres vivos e seu meio ambiente.

Biofertilizantes 8 Fertilizantes produzidos através de fermentação da matéria orgânica, sendo que a opção de fermentação sem ar é um processo eficiente de digestão.

Biogás 21 Gás produzido através da fermentação de matéria orgânica, que pode ser utilizado como combustível.

Bioindicador 11 Animal ou vegetal cuja presença em um determinado ambiente indica a existência de modificações de natureza biológica, física ou química. Alguns bioindicadores são bioacumuladores, pois denunciam

a presença de substâncias tóxicas, acumulando-as.

Biologia 21 Estudo dos seres vivos, sua origem, classificação, atividades, função no ecossistema, forma de vida, etc.

Bioma 11 Conjunto de vida (vegetal e animal) definida pelo agrupamento de tipos de vegetação contíguos e identificáveis em escala regional, com condições geoclimáticas similares e história compartilhada de mudanças, resultando em uma diversidade biológica própria.

Biopirataria 9 Atividade ilegal de coleta e posterior apropriação de qualquer natureza, de recursos biológicos de plantas, animais e microrganismos.

Biosfera 21 Toda área do globo terrestre onde existe vida e é possível sua manutenção.

Biossegurança 19 A palavra biossegurança é uma designação genérica da segurança das atividades que envolvem organismos vivos. É uma junção da expressão “segurança biológica”, voltada para o controle e a minimização de riscos advindos da exposição, manipulação e uso de organismos vivos que podem causar efeitos adversos ao homem, animais

e meio ambiente.

Biota 21 A soma da fauna e da flora de determinada região.

Biotecnologia 11 Significa qualquer aplicação tecnológica que utilize sistemas biológicos, organismos vivos, ou seus derivados, para fabricar ou modificar produtos ou processos para utilização específica.

Bióticos 21 Referente a organismos vivos ou produzidos por eles. Por exemplo: fatores ambientais criados pelas plantas ou microorganismos.

GLOSSÁRIO

SABENDO +

GLOSSÁRIO SABENDO + Caatinga 1 7 Bioma misto entre campo e deserto. Solo árido e pedregoso,

Caatinga 17 Bioma misto entre campo e deserto. Solo árido e pedregoso, clima quente, ventos secos e baixa pluviosidade. Está distribuído pelos estados de Piauí, Ceará , Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Sergipe, Alagoas, Bahia, oeste do Maranhão e pequena parte do norte de Minas.

Caça predatória 11 Caça em que a proporção de indivíduos abatidos é

superior à capacidade de recomposição populacional através da reprodução.

É

praticada clandestinamente, com fins lucrativos, provocando a aceleração do processo de extermínio de várias espécies de valor econômico.

Cadeia alimentar 21 São níveis de alimentação encontrados em todas as comunidades de seres vivos, ou seja, seres de um nível se alimentam dos membros do nível abaixo e são consumidos pelo nível acima, para que haja equilíbrio entre as populações de espécies e elas não aumentem demais.

Calagem 8 Correção da acidez do solo pela aplicação de calcário.

Camada de ozônio 21 Camada com cerca de 20 quilômetros de espessura, distante cerca de 25 quilômetros da Terra, localizada na estratosfera, que concentra cerca de 90% de ozônio atmosférico e protege nosso planeta dos efeitos nocivos da radiação ultravioleta proveniente do sol.

Câmara Técnica 8 Organismo representativo, formado por técnicos de diversas instituições e que tem como principais atribuições efetuar análise das demandas dos agricultores frente ao Projeto e propor alternativas tecnológicas.

Campos sulinos 17 Clima temperado, úmido e subúmido, terras baixas

e colinas arredondadas cobertas por pradarias nas encostas e matas

subtropicais de galeria nos vales. Estende-se por mais de 200 mil quilômetros quadrados, a sudoeste do Rio Grande do Sul. Existem outros tipos de vegetação conhecidos como campos do alto da serra são

encontrados em áreas de transição com o domínio de araucárias.

Centro de Diversidade (Biologia) 11 Região geográfica onde se

concentra um número elevado de espécies de um gênero ou de gêneros de uma família, contrastando com sua menor freqüência em outras regiões.

Cerrado 17 Bioma de clima tropical e vegetação de campos, com árvores isoladas, de troncos retorcidos e folhas enceradas e matas ciliares ao longo dos cursos d’água. Está distribuído, principalmente, pelo Planalto Central Brasileiro, nos estados de Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, parte de Minas Gerais, Bahia e Distrito Federal, somando 1,9 milhões de quilômetros quadrados.

Certificação Ambiental 20 Garantia escrita (certificado) de que um empreendimento está em conformidade com exigências técnicas de natureza ambiental estabelecidas por lei.

CFC (cloro-flúor-carbono) 24 Substância que destrói a camada de ozônio e que é utilizada em produtos domésticos normalmente antigos, como geladeiras e aparelhos de ar-condicionado.

Chorume 11 Líquido escuro de composição bastante variável que adquiriu características poluentes devido ao seu contato com uma massa de resíduo sólido em decomposição.

Chuva Ácida 21 Chuva, neve ou neblina que cai na superfície da Terra, contendo agentes químicos nocivos produzidos pelos processos industriais e pela queima de carvão e petróleo. Essa chuva altera o equilíbrio químico de lagos e rios, provoca a corrosão de edifícios e monumentos e afeta toda a fauna e flora.

Ciclo Biogeoquímico 11 Conjunto de processos físicos, químicos e biológicos que permitem a diversos elementos naturais, depois de comporem os organismos vivos, voltarem à natureza para novamente serem aproveitados em uma espécie de ‘ciclo da matéria’ (ciclo da água, ciclo do carbono, ciclo do nitrogênio e ciclo do oxigênio).

Ciclo da Água 21 Processo de circulação das águas que inclui os fenômenos de: evaporação, transpiração, condensação, precipitação e escoamento.

Ciclo do Carbono 5 Nas cadeias alimentares, esse carbono pode passar de um ser vivo para outro e, finalmente, através da respiração ou decomposição, retorna ao meio, permanecendo disponível.

GLOSSÁRIO

SABENDO +

Ciclo do Nitrogênio 5 O nitrogênio atmosférico (N 2 ) é incorporado ao meioatravésdascianobactériasebactérias.Essesmicroorganismosfixadores de nitrogênio produzem nitritos e nitrato, que plantas e algas incorporam formando suas proteínas e outros compostos. Assim, na forma de compostos nitrogenados, o nitrogênio passa de um ser vivo a outro, nas cadeias alimentares.

Ciclo do Oxigênio 5 O oxigênio está disponível na atmosfera, na forma de

O 2 , Co 2 e H 2 O . A reposição de O 2 é feita pelos seres autótrofos, através da fotossíntese e quimiossíntese. A evaporação e a decomposição repõem H 2 O e

Co 2 e os três compostos trocam oxigênio entre si, constantemente. Incorporado

ao meio abiótico, o oxigênio passa a compor a matéria (carboidratos, lipídios,

proteínas e outros) e a participar da respiração aeróbia de animais e vegetais.

E nas cadeias alimentares, passa de um ser a outro.

Cites 20 Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies da Flora

e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção.

Clima 11 Conjunto de estados de tempo meteorológico que caracteriza

uma determinada região durante um grande período de tempo, incluindo

o comportamento habitual e as flutuações, resultante das complexas

relações entre a Atmosfera, Geosfera, Hidrosfera, Criosfera e Biosfera.

Clímax 11 Estágio de equilíbrio alcançado por uma série, comunidade, espécie, da fauna ou da flora em um dado ambiente.

Clone 17 Grupo de indivíduos produzidos por reprodução assexuada a partir de um único indivíduo.

Clorofluorcarbono - CFC 21 O principal gás utilizado na fabricação de espumas e aerossóis, que destrói a camada de ozônio.

Cobertura morta 10 Camada constituída de resíduos de plantas espalhados sobre a superfície do solo, com o objetivo reter a umidade, proteger da insolação e do impacto das chuvas, além de adicionar matéria orgânica e nutrientes ao solo.

Cobertura vegetal 11 Camada constituída de plantas vivas sobre a superfície do solo.

7

Compostagem 11 Método de tratamento dos resíduos sólidos (lixo) através da fermentação da matéria orgânica contida nos mesmos, conseguindo-se

a sua estabilização, sob a forma de um adubo denominado ‘composto’. Na compostagem sobram normalmente cerca de 50% de resíduos.

Compactação (Pedologia) 11 Diminuição do volume do solo ocasionado por compressão, causando um rearranjo mais denso das partículas do solo

e a conseqüente redução da porosidade, provocada pela ação antrópica.

Competição 11 Disputa que se estabelece entre organismos e populações pelos recursos ambientais necessários à sobrevivência. Entre os vegetais há competição por luz, água, nutrientes etc. Entre os animais a competição é, mais comumente, por alimento, espaço, oportunidades reprodutivas, etc. A competição se dá tanto entre indivíduos da mesma espécie (intra-específica) quanto entre espécies diferentes (inter-específica).

Comunidades locais 11 Grupo humano distinto por suas condições culturais que se organiza tradicionalmente no mesmo local por gerações sucessivas e costumes próprios e que conserva suas instituições sociais, culturais e econômicos.

Comunidade biológica 21 Também chamada de comunidade biótica,

é um conjunto de seres vivos de diferentes espécies que dividem o mesmo habitat.

Conama 20 Conselho Nacional do Meio Ambiente. É o órgão supervisor do sistema nacional do meio ambiente; tem a função de “assistir o Presidente da República na Formulação de Diretrizes de Política nacional do Meio Ambiente” (Lei nº 6.938/81).

Consentimento prévio 24 Concordância esclarecida de uma determinada comunidade como condição para o uso dos recursos genéticos sob seus domínios e de seus conhecimentos tradicionais.

Controle ambiental 11 Conjunto de ações tomadas visando a manter em

níveis satisfatórios as condições do ambiente. O termo pode também se referir

à atuação do Poder Público na orientação, correção, fiscalização e monitoração ambiental, de acordo com as diretrizes administrativas e as leis em vigor.

Controle biológico 11 Utilização de inimigos naturais para reduzir a população de um organismo considerado prejudicial ao homem ou aos organismos de seu interesse, por exemplo, controlar ou combater mosquitos pela criação de peixes que ingerem larvas de insetos. Visa à redução ou eliminação do uso de produtos químicos (agrotóxicos) no combate as pragas.

Convenção da Biodiversidade 12 Decreto Legislativo firmado durante

a Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento

7

GLOSSÁRIO

SABENDO +

– a Rio-92. O tema é a conservação da diversidade biológica, o uso sustentável de seus componentes, a distribuição justa e equilibrada de seus benefícios resultante da utilização dos recursos genéticos.

Conservação (Ecologia) 11 Em sentido amplo, é o conjunto de atividades e políticas que asseguram a contínua disponibilidade e existência de um recurso. Em sentido mais restrito, é o armazenamento e a guarda do germoplasma em condições ideais, permitindo a manutenção de sua integridade.

Conservação da Natureza 11 Utilização racional dos recursos naturais renováveis (ar, água, solo, flora e fauna) e obtenção de rendimento máximo dos não renováveis (jazidas minerais), de modo a produzir o maior benefício sustentado para as gerações atuais, mantendo suas

potencialidades para satisfazer as necessidades das gerações futuras. Não

é sinônimo de preservação porque está voltada para o uso humano da

natureza, em bases sustentáveis, enquanto a preservação visa à proteção

a longo prazo das espécies, habitats e ecossistemas.

Conservação ex situ 11 Ação de conservar a variabilidade genética das espécies, fora de suas comunidades naturais. Desdobra-se em várias modalidades, entre as quais conservação in vitro, em coleções a campo, em câmaras frias e em nitrogênio líquido. Acredita-se que o material genético mantido sob estas condições, longe de seu meio natural, esteja menos sujeito à ação de forças seletivas e portanto, leve desvantagem, sob o ponto de vista de adaptação, caso seja reintroduzido em seu habitat natural. Essa teoria, muito aceita na literatura recente, ainda carece de confirmação experimental.

Conservação in situ 11 Ação de conservar plantas, animais e outros seres vivos em suas comunidades naturais. As unidades operacionais são várias, destacando-se parques nacionais, reservas biológicas, reservas genéticas, estações ecológicas e santuários de vida silvestre.

Contaminação 21 Ação que uma substância impura ou mesmo tóxica pode causar a um ser vivo ou ao ambiente, trazendo conseqüências negativas. Termo usado muitas vezes, como sinônimo de poluição.

COP 8 - Oitava Conferência das Partes 8 É a oitava conferência

mundial entre as partes sobre Biodiversidade realizada em Curitiba em março de 2006, com representantes ambientais de 188 países, onde serão aprovadas convenções e cartas para conservação da biodiversidade.

Corredor Araucária 8 É uma área do Projeto Paraná Biodiversidade formado por 11 municípios situados ao centro oeste do estado, com uma extensão de 588.762 ha, predominando Floresta com Araucárias, podendo ser encontrado além da araucária, outras espécies que estão ameaçadas de extinção como a imbuia, canela e também espécies de animais: bugio- ruivo, lontra, cateto e papagaio-de-peito-roxo.

Corredor Caiuá - Ilha Grande 8 É uma área do Projeto Paraná

Biodiversidade formado por 21 municípios situados ao noroeste e norte do estado, com uma extensão de 986.576 ha, predominando Floresta Estacional Semidecidual, sendo encontrado uma diversidade de espécies de plantas: peroba, pitanga, figueira, ipê-roxo e animais: onça-pintada, suçuarana, anta, ariranha, jacu e urubu-rei.

Corredor (Ecologia) 11 Rota de migração através da qual os componentes de uma biota podem dispersarem-se livremente.

Corredores ecológicos 11 Termo adotado pelo Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC), que abrange as porções de ecossistemas naturais ou seminaturais que interligam unidades de conservação e outras áreas naturais, possibilitando o fluxo de genes e o movimento da biota entre elas, facilitando a dispersão de espécies, recolonização de áreas degradadas, preservação das espécies raras e a manutenção de populações que necessitam, para sua sobrevivência, de áreas maiores do que as disponíveis nas unidades de conservação. Os corredores ecológicos são fundamentais para a manutenção da biodiversidade a médio e longo prazos.

Corredores da biodiversidade 8 Éaconexãoentrefragmentosflorestais que possibilitam: fluxo de genes, melhoria da qualidade de água, controle da erosão, embelezamento das paisagens locais e consequentemente a recuperação da biodiversidade em sua área de abrangência.

Corredor Iguaçu-Paraná 8 É uma área do Projeto Paraná Biodiversidade formado por 21 municípios situados ao oeste do Paraná, com uma extensão de 575.023 ha, de transição de Floresta com Araucária e Floresta Estacional Semidecidual, sendo encontrado uma diversidade de espécies de plantas:

peroba, palmito, cabreúva, grápia e animais: macuco, queixada, capivara, jaguatirica e suçuarana.

Corte seletivo 20 Tipo de corte de madeira no qual apenas certos tipos de árvores são removidos. Causa muito menos danos à floresta do que a abertura de clareiras.

GLOSSÁRIO

SABENDO +

Costa Brasileira 17 Bioma que abriga um mosaico de ecossistema de alta relevância ambiental. Ao longo do litoral podem ser encontrados, mata atlântica, manguezais, restingas, dunas, praias, ilhas, costões rochosos, baías, brejos, falésias, estuários, recifes de corais e outros ambientes importantes do ponto de vista ecológico.

Crimes ambientais 20 Condutas que causam danos ou prejuízos ao meio ambiente, previstas na Lei n° 9605/98.

Cultivo de faixas em declive 11 Modalidade de cultivo efetuado em faixas, em que o desnível das mesmas não ultrapassa 1%, sendo determinado tomando-se como base uma linha guia no centro dessas faixas.

Cultivo intercalado 11 Cultivo em que uma cultura temporária ocupa

o intervalo de uma cultura permanente.

Cultura consorciada 11 Sistema de produção em que duas culturas são cultivadas simultaneamente em um determinado espaço.

Cultura em faixas 11 Procedimento em que é efetuada a disposição da cultura em faixas de largura variável, de tal modo que a cada ano se alternam plantas que oferecem pouca proteção ao solo, com outras que apresentam crescimento denso. Dentre os diversos sistemas de controle de erosão, tanto hídrica como eólica, a cultura em faixas é uma das mais eficientes e práticas para culturas anuais.

Curva de nível 11 Linha que se apresenta em um mapa ou carta, destinada

a retratar matematicamente uma forma de relevo, unindo todos os pontos

de igual altitude, situados acima ou abaixo de uma superfície de referência,

em geral o nível médio do mar.

superfície de referência, em geral o nível médio do mar. Decompositores 2 1 Microorganismos (fungos ou
superfície de referência, em geral o nível médio do mar. Decompositores 2 1 Microorganismos (fungos ou

Decompositores 21 Microorganismos (fungos ou bactérias) que realizam a decomposição da matéria orgânica, ou seja, eles contribuem para que os organismos mortos (inclusive plantas, animais e seres humanos) se desintegrem.

Defensivo 24 Nome genérico dos venenos, em geral químicos, empregados nas lavouras para exterminar pragas, combater doenças e eliminar ervas daninhas; defensivo agrícola.

Defeso 24 Período do ano em que a pesca é proibida para proteger a reprodução de algumas espécies.

Desenvolvimento Sustentável 17 Modelo de desenvolvimento que leva em consideração, além dos fatores econômicos, aqueles de caráter social e ecológico; parte da constatação de que os recursos naturais têm uma oferta limitada e defende a idéia de uso sem esgotamento nem degradação dos recursos do ambiente; também considera indispensável uma política social compatível, a fim de evitar a degradação humana.

Desertificação 11 Degradação da terra nas regiões áridas, semi-áridas

e subúmidas secas, resultante de vários fatores, entre eles as variações climáticas e as atividades humanas. A degradação da terra compreende

a degradação dos solos, dos recursos hídricos, da vegetação e a redução da qualidade de vida das populações afetadas.

Desmatamento 17

desflorestamento.

Remoção permanente de uma floresta;

Deterioração ambiental 21 Processo de desorganização lenta ou rápida dos elementos de um ecossistema, causando seu desequilíbrio ou conseqüente destruição.

GLOSSÁRIO

SABENDO +

Devastação ambiental 21 Processo de extração, destruição ou supressão de todos ou da maior parte dos elementos de um determinado ambiente.

Diagnóstico ambiental 24 Conhecimento e definição dos componentes de determinada área para caracterizar sua qualidade ambiental.

Diásporo (Botânica) 11 Unidade de dispersão das plantas superiores, que consiste de embrião, acompanhado de estruturas acessórias. As sementes são diásporos.

Direito ambiental 11 Conjunto de técnicas, regras e instrumentos jurídicos sistematizados e informados por princípios apropriados, que tenham por fim a disciplina do comportamento relacionado ao meio ambiente.

Dispersores 17 Espécies da fauna que realizam a dispersão de sementes, assegurando a reprodução da flora.

Diversidade 21 Riqueza em espécies.

Dossel 9 Estrato superior da floresta caracterizado pelo contato das copas das espécies arbóreas de maior porte.

Drenagem 8 Técnica agrícola que consiste em retirar o excesso de água do solo.

que consiste em retirar o excesso de água do solo. 10 ECO-92 2 1 A maior

10

que consiste em retirar o excesso de água do solo. 10 ECO-92 2 1 A maior

ECO-92 21 A maior reunião planetária sobre o meio ambiente e desenvolvimento econômico realizada pela humanidade. O Rio de Janeiro foi a sede dessa conferência que reuniu 114 chefes de estado, onde foram aprovadas convenções, cartas e inclusive a Agenda 21.

Ecologia 21 Ciência que estuda as interações dos seres vivos entre si e com o ambiente onde vivem.

Ecologia da paisagem (geoecologia) 11 Ciência que atua na interface

entre a Geografia e a Ecologia, através de uma estrutura multi e interdisciplinar. Resulta de uma abordagem holística por todas as áreas das ciências envolvidas, para estabelecer e definir os relacionamentos entre os diversos meios que integram os sistemas da paisagem. Sua importância está diretamente relacionada à capacidade de apoio à gestão ambiental e ao planejamento territorial.

Ecótono 11 Mistura florística entre tipos de vegetação (contato entre tipos de vegetação) ou região de transição entre dois tipos fisionômicos distintos onde ocorre maior diversidade florística devido a existência de tipos de vegetação pertencentes a um e outro.

Ecorregião 6 É um conjunto de comunidade naturais, geograficamente distintas, que compartilham a maioria das suas espécies, dinâmicas e processos ecológicos e condições ambientais similares, nas quais as interações ecológicas são críticas para sua sobrevivência a longo prazo.

Ecosfera 21 Também chamada de biosfera, compreende o espaço ocupado pelos seres vivos na Terra.

Ecossistema 5 Área geográfica, contendo seres bióticos e abióticos, que trocam matéria e energia entre si, de forma cíclica. Todo ecossistema deve conter fatores físicos, químicos e fatores biológicos, suficientes para prover a vida ali existente.

Ecoturismo 6 Segmento de atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva a sua conservação e

10

GLOSSÁRIO

SABENDO +

11

busca a formação de uma consciência ambiental, através da interpretação do ambiente, promovendo o bem estar das populações envolvidas .

Educação ambiental 21 Processo permanente e participativo que utiliza conjuntos de atividades e idéias, que motivem o indivíduo e a sociedade conhecer e adotar comportamentos de defesa preservação e melhoria do meio ambiente.

Efeito de borda 15 O efeito de borda evidencia-se na mudança nas condições ou na composição das espécies num habitat em princípio uniforme à medida que se aproxima da fronteira com um habitat diferente.

Efeito dominó 13 Pratica ambiental que relaciona o efeito dominó com as conseqüências da redução da biodiversidade: desmatamento, queimadas, ausência da mata ciliar, assoreamento, erosão, extinção de espécies, redução da qualidade de vida e da biodiversidade.

Aquecimento da temperatura média na Terra; recebeu

esse nome porque que o processo é semelhante ao produzido pela passagem da luz através do vidro de uma estufa, que não permite a saída do calor.

El Niño 24 Fenômeno que provoca alterações climáticas em todo o mundo, desde bloqueios atmosféricos suficientes para evitar a penetração de frentes frias procedentes da Antártica, até as “secas verdes” do Nordeste brasileiro.

Emissão 21 Refere-se ao descarregamento de substâncias poluentes no ambiente, principalmente gases (como o que sai do escapamento dos carros), líquidos (como chorume) ou radioativos.

Estado em que as populações das diferentes

espécies permanecem constantes (apesar de fazerem parte de uma cadeia alimentar) e, portanto, não sofrem risco de extinção.

Erosão 21 Remoção física de rochas ou de partículas do solo por ação de elementos da natureza, como a água e o vento; os processos erosivos podem ser acelerados por atividades antrópicas.

Erosão em sulcos 11 Tipo de erosão que ocorre nas linhas de maior concentração das águas de escoamento superficial, resultando em pequenas incisões no terreno, as quais com a evolução do processo podem se transformar em voçorocas . Erosão de ravinamento.

Erosão em voçorocas 11 Processo de erosão, na qual a água se acumula em canais estreitos, por curtos períodos, removendo o solo até profundidade que pode variar de 0,5m até 30m.

Equilíbrio Ecológico 21

Efeito estufa 21

Erosão laminar 11 Tipo de erosão que promove uma remoção mais ou menos uniforme do solo de uma região, sem que ocorra o aparecimento de sulcos na superfície.

Espécie 21 População que tem um conjunto de características muito semelhantes, cujos membros podem se reproduzir entre si e gerar descendentes férteis.

Espécie ameaçada 11 Espécie animal ou vegetal que se encontra em perigo de extinção, sendo sua sobrevivência incerta, caso os fatores que causam essa ameaça continuem atuando.

Espécie chave 11 Organismo que mostra uma forte influência no caráter ou estrutura de um ecossistema. Pode ser dividido em 4 categorias:

predadores, parasitóides, herbívoros e patógenos, que contribuem na manutenção da biodiversidade ao reduzirem a abundância de competidores dominantes; mutualistas, sem os quais as espécies associadas correm o risco de extinção e espécies que provem recursos que são essenciais a manutenção das espécies dependentes.

Espécie endêmica 11 Espécie animal ou vegetal que ocorre somente em uma determinada área ou região geográfica.

Espécie exótica 17 Espécie que não é nativa de uma área ou que foi introduzida numa área ou região por ação humana, mas se adaptou ao novo ambiente.

Espécie exótica invasora 9 Espécie introduzida, intencionalmente ou não, em habitats onde é capaz de se estabelecer, invadir nichos de espécies nativas, competir com elas e dominar novos ambientes.

Espécie extinta 11 Espécie animal ou vegetal de cuja existência não se tem mais conhecimento por um período superior a 50 anos.

Espécie fora de perigo 11 Espécie vegetal ou animal que foi protegida através de medidas bem-sucedidas e que portanto não mais se encontra em uma das categorias de risco.

nativa 11 Espécie vegetal ou animal que, suposta ou

Espécie

comprovadamente, é originária da área geográfica em que atualmente ocorre.

Espécie pioneira 11 Espécie vegetal que inicia a ocupação de áreas desprovidas de plantas, em razão da atuação do homem ou de agentes naturais.

11

GLOSSÁRIO

SABENDO +

12

Espécie rara 11 Espécie vegetal ou animal que não está ameaçada e nem é vulnerável, porém corre um certo risco, pelo fato de apresentar distribuição geográfica restrita, ou habitat pequeno, ou ainda baixa densidade na natureza.

Espécie vulnerável 11 Espécie vegetal ou animal que poderá ser considerada em perigo de extinção, caso os fatores causais da ameaça continuem a operar. Incluem- se aqui as populações que sofrem grande pressão de exploração.

Espécime 21 O indivíduo ou exemplar de determinada espécie.

Estação ecológica 17 É proibida a visitação pública, exceto quando com objetivo educacional, de acordo com o Plano de Manejo da unidade ou regulamento específico. Unidade de conservação de proteção integral, implantada sobre área pública; tem como objetivo a preservação da natureza e a realização de pesquisas científicas; a visitação pública somente é permitida com objetivo educacional.

Estudo impacto ambiental 20 Estudo obrigatório, realizado com a finalidade de avaliar o potencial de degradação ambiental que a construção de determinada obra pode causar.

Eutrofização 17, 21 Exagerado aumento da quantidade de nutrientes em um corpo d’água, na forma de esgotos domésticos ou qualquer tipo de resíduo orgânico que induz o crescimento acelerado de algas e bactérias na água que consomem o oxigênio, o que tem como conseqüência a morte de insetos e peixes.

Evapotranspiração 17 Perda de água de uma comunidade biótica ou de um ecossistema, causada por evaporação da água do solo e transpiração das plantas.

Evolução 17 Conjunto de transformações contínuas pelas quais passam as espécies da Terra. Mecanismos como mutações, variações gênicas, competição, isolamento geográfico, adaptações e seleção fazem com que a vida esteja em contínua evolução. As teorias que admitem a evolução das espécies compõem o evolucionismo.

Extinção 11 Desaparecimento de uma espécie. Na maioria das vezes, a causa é a não-adaptação a mudanças ou um desequilíbrio provocado por competição ou predatismo.

um desequilíbrio provocado por competição ou predatismo. Fatores climáticos 1 1 Condições físicas ou

Fatores climáticos 11 Condições físicas ou geográficas que condicionam o clima interagindo nas condições atmosféricas, tais como latitude, altitude, correntes marítimas, distribuição das terras e mares, topografia, cobertura vegetal etc.

Fatores ecológicos 11 Fatores que agem diretamente nos seres vivos, limitando seu território, modificando suas taxas de reprodução e, por vezes, fazendo aparecer, no seio de uma espécie, variedades que apresentam exigências ecológicas diferenciadas. Os fatores ecológicos podem ser climáticos, edáficos, bióticos, hídricos etc.

Fauna 21 Conjunto dos animais de uma região.

Faxinal 18 Entende-se por Sistema Faxinal: o sistema de produção camponês tradicional, característico da região Centro-Sul do Paraná, que tem como traço marcante o uso coletivo da terra para produção animal e a conservação ambiental. Fundamenta-se na integração de três componentes: a) produção animal coletiva, à solta, através dos criadouros comunitários; b) produção agrícola - policultura alimentar de subsistência para consumo e comercialização; c) extrativismo florestal de baixo impacto - manejo de erva-mate, araucária e outras espécies nativas (Decreto Estadual nº 3.446/97).

Fertilidade do Solo 8 Atributo do solo no que se refere à quantidade e disponibilidade dos elementos necessários para o crescimento das plantas.

Fitogeografia 17 Parte da ecologia que estuda a distribuição geográfica das plantas.

Fitoplâncton 17 São plantas microscópicas (algas) que ficam em suspensão na água.

Fitosionomia 3 Aspecto da vegetação de um determinado lugar.

Flora 21 Conjunto dos vegetais de uma região.

12

GLOSSÁRIO

SABENDO +

Floresta 17 Agrupamento de vegetação em que o elemento dominante é a árvore. A diferença entre as florestas (fauna e flora típicas) está relacionada ao tipo de clima, de solo e de relevo do local onde elas se encontram.

Floresta Amazônica 11 Maior floresta do planeta e talvez, a mais abundante em fauna e flora. É floresta equatorial, úmida. Cobre 40% do território nacional e ainda estende-se para o Peru, Colômbia, Bolívia, as Guianas e o Suriname. Possui, ao todo, 5 milhões de Km 2 .

Floresta Estacional Semidecidual 17 Floresta tropical subcaducifolia; cobria extensas áreas do território brasileiro, podendo ser encontrado em relevos dissecados nos planaltos que dividem as águas das nascentes do Rio Amazonas, nos estados de Rondônia e Mato Grosso, ao mesmo tempo em que reveste as encostas inferiores das Serras do Mar e da Mantiqueira – nos estados do Nordeste e em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Também nos estados Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina; vegetação deste tipo condicionada pela dupla exposição ao clima característico de duas estações: uma tropical, com época de intensas chuvas de verão, seguida por estiagem acentuada, com temperatura médias em torno de 22 ° C; outra subtropical, sem período seco, mas com seca fisiológica provocada pelo intenso frio do inverno, com temperaturas médias inferiores a 15 ° C. Por efeito da dupla exposição a climas distintos, uma parte das árvores- entre 20% e 50% perde as folhas durante o inverno.

Floresta homogênea 11 Formação florestal plantada, constituída por apenas um ou poucas espécies de árvores.

Floresta Nacional - FLONA 17 É uma área com cobertura florestal de espécies predominantemente nativas e tem como objetivo básico o uso múltiplo sustentável dos recursos florestais e a pesquisa científica, com ênfase em métodos para exploração sustentável de florestas nativas.

Floresta Ombrófila Mista (Floresta com Araucária) 11 Formação

fitogeográfica onde predomina a araucária ou pinheiro-do-paraná. Apresenta chuvas regulares, inverno com baixas temperaturas, verão com temperaturas amenas.

Floresta plantada 11 Formação florestal composta por espécies exóticas e/ou nativas, plantadas com objetivos específicos.

Floresta primária 11 Floresta que nuca sofreu derrubada ou corte, sendo uma remanescente das florestas originais de uma região. Floresta não alterada pela ação do homem.

Floresta ripária 11 Floresta que orla um ou os dois lados de um curso d’água, em uma região onde a vegetação característica não é florestal.

Floresta secundária 11 Floresta em processo de regeneração natural após ter sofrido derrubada ou alteração pela ação do homem ou de fatores naturais, tais como ciclones, incêndios, erupções vulcânicas.

Florestamento 11 Constituição de uma floresta onde não existiam formações arbóreas precedentemente.

Formação Vegetal 17 Comunidade de espécies vegetais que surgiram naturalmente e estão inter-relacionadas, inclusive havendo semelhanças biológicas e fisionômicas entre as espécies.

Fórum da Biodiversidade 8 Instituído pelo decreto n° 4887 em 31 de maio de 2005, o Fórum da Biodiversidade visa principalmente mobilizar e conscientizar a sociedade paranaense à conservação da diversidade biológica.

Fotossíntese 24 Processo bioquímico que permite aos vegetais sintetizarem substâncias orgânicas empregando a energia solar. Seu principal catalizador é a clorofila.

Fragmento florestal 9 Qualquer área de floresta nativa, em estágio inicial, médio ou avançado de regeneração, sem qualquer conexão com áreas florestais vizinhas, separado destas por áreas agrícolas, pastagens, florestas comerciais de espécies exóticas ou mesmo áreas urbanas.

Fungicida 20 Pesticida que mata fungos.

florestas comerciais de espécies exóticas ou mesmo áreas urbanas. Fungicida 2 0 Pesticida que mata fungos.

GLOSSÁRIO

SABENDO +

GLOSSÁRIO SABENDO + Gás carbônico 1 7 Símbolo químico; gás incolor, produzido pela respiração animal, pela

Gás carbônico 17 Símbolo químico; gás incolor, produzido pela respiração animal, pela fermentação e pela queima de hidrocarbonetos; são absorvidos pelas plantas durante a fotossíntese e eliminado por elas na ausência de luz.

Gás natural 24 Mistura de hídrocarbonetos, fundamentalmente o metano, que se origina no interior da Terra, em geral ocorrendo junto a petróleo. Não é tóxico e tem grande poder calorífico.

Gênero 21 Na classificação biológica é formado por um conjunto de espécies com características fundamentais semelhantes. Um conjunto de gêneros similares forma uma Família.

Gestão da Biodiversidade 9 Ações voltadas para a conservação, o uso sustentável da biodiversidade e a repartição justa e eqüitativa dos benefícios dela advindo.

Gurt 24 Termo de uso acadêmico e científico cuja tradução em português é Tecnologia de Restrição do Uso Genético (sigla em inglês de Genetic Use Restriction Technology). A tecnologia, também chamada de Terminator (“exterminador” em inglês) se refere a modificações genéticas feitas nas plantas para produzir sementes estéreis ou para suprimir outras funções vitais, como por exemplo, a resistência a uma determinada doença.

como por exemplo, a resistência a uma determinada doença. pessoas de maos dadas na COP Habitat

pessoas de maos dadas na COP

Habitat 21 Ambiente que oferece um conjunto de condições favoráveis, como alimento e abrigo; para o desenvolvimento, a sobrevivência e a reprodução de determinados organismos. Um mesmo ambiente pode ser o habitat de diversas espécies.

Herbáceo 21 Grupo de plantas folhosas, não-lenhosas, que formam a camada de vegetação mais baixa em uma comunidade vegetal.

Herbário 21 Coleção de plantas preservadas e destinadas à pesquisa científica ou ao ensino de Botânica.

Herbicida 10 Pesticida químico utilizado para destruir ou controlar o crescimento de ervas daninhas, arbustos ou outra plantas indesejáveis.

Herpetofauna 9 Fauna de anfíbios e reptéis

Hidrosfera 21 O ambiente líquido (os rios, os lagos e os oceanos).

Horizonte (Pedologia) 11 Seção à superfície ou paralela a esta, de constituição mineral ou orgânica, resultante da atuação de processos pedogenéticos.

Hotspot 6 É uma área concentrada excepcional de espécies endêmicas e que tenha sofrido uma excepcional redução de hábitat e com menos de 25% da cobertura original.

Húmus 21 Parte mais ou menos estável da matéria orgânica do solo, que resta após a maior parte dos resíduos vegetais e animais ter sido decomposta, adquirindo em geral uma cor escura. Contribui para que o solo seja fértil e tenha nutrientes para alimentar os vegetais.

GLOSSÁRIO

SABENDO +

15

GLOSSÁRIO SABENDO + 15 IBAMA 2 4 Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais

IBAMA 24 Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (www.ibama.gov.br).

IBGE 20 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

ICMS Ecológico 8 Imposto Circulação de Mercadorias e Serviços. É um direito a receber dos Municípios que possuem áreas protegidas que apresentam espécies da flora e fauna e áreas de mananciais.

Ictiofauna 21 População de peixes de uma região.

Impacto Ambiental de origem antrópica 9 Alteração(física,química

e biológica) ocorrida no ambiente em conseqüência da atividade humana.

Essa alteração pode ser degradadora, protetora ou regeneradora. Qualquer alteração drástica de um ambiente, provocada pela ação natural ou humana.

Incineração 21 Queima de resíduos sólidos ou semi-sólidos em incineradores,

para reduzir a quantidade de lixo e seu impacto sobre o meio ambiente. Não é

o mesmo que queimar lixo ao ar livre, que é prejudicial ao meio ambiente.

Intemperismo 20 Conjunto de processos que ocasionam a desintegração

e decomposição dos minerais em geral, graças à ação de agentes atmosféricos e biológicos.

Inversão Térmica 21 Alteração dos padrões normais de circulação do ar, que pode ocorrer nos meses de inverno, quando uma camada de ar mais frio troca de lugar com uma camada de ar mais quente que atua como um bloqueio, impedindo a dispersão dos gases poluentes.

Irrigação 20 Derivação e condução da água de determinada fonte para regiões que necessitam de água.

ISO 14.000 17 Conjunto de normas voltadas para a gestão ambiental do empreendimento, isto é, as práticas voltadas para minimizar os efeitos nocivos ao ambiente causados pelas suas atividades.

efeitos nocivos ao ambiente causados pelas suas atividades. Jardim Botânico 1 1 Unidade de conservação que

Jardim Botânico 11 Unidade de conservação que visa à preservação e propagação de espécies da flora e também a educação do público visitante. Atua na manutenção dos processos ecológicos e sistemas vitais essenciais, preservação da diversidade genética e apoio à utilização sustentável das espécies vegetais e dos ecossistemas onde presente.

Jazida 11 Qualquer massa individualizada, de substância mineral ou fóssil, de valor econômico, que aflora ou existe no interior da terra.

Lençol Freático 21 É um local não muito profundo no subsolo onde a água da superfície se infiltra e acaba ficando armazenada.

Licenciamento ambiental 21 É um procedimento dado pelo poder público que permite que uma empresa que utiliza recursos ambientais se instale, seja ampliada ou exerça suas atividades. Para isso, é feito um levantamento para saber se ela polui o meio ambiente ou pode causar degradação no local. No Paraná, o licenciamento é feito pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP).

Livro Vermelho 21 Nome dado às listas de espécies ameaçadas de extinção.

Lixo ou Resíduos 21 Resíduos sólidos produzidos e descartados, individual ou coletivamente, pela ação humana, que fazem mal à saúde, ao meio ambiente e ao bem-estar da população.

Lixão 21 Área em que está localizado um depósito de lixo sem qualquer cuidado com o meio e com a saúde pública.

Lixo Orgânico 21 Restos de vegetais, animais e outros materiais que se decompõe, podendo servir como adubo.

Lixo Reciclável 21 Materiais como vidro, plástico, papel, etc., que podem ser reaproveitados para fabricação de novos produtos.

15

GLOSSÁRIO

SABENDO +

GLOSSÁRIO SABENDO + Manancial 1 1 Qualquer corpo d’água superficial ou subterrâneo que serve como fonte

Manancial 11 Qualquer corpo d’água superficial ou subterrâneo que serve como fonte de abastecimento.

Manejo 11 Interferência planejada e criteriosa do homem no sistema

natural, para produzir um benefício ou alcançar um objetivo, favorecendo

o funcionalismo essencial desse sistema natural. É baseado em método

científico, apoiado em pesquisa e em conhecimentos sólidos, com base nas seguintes etapas: observação, hipótese, teste da hipótese e execução do plano experimental.

Manejo florestal 11 Ramo da ciência florestal que trata da prévia aplicação de sistemas silviculturais que propiciem condições de uma exploração anual ou periódica dos povoamentos, sem afetar-lhes o caráter de patrimônio florestal permanente.

Manejo de microbacias 4 Fundamenta-se no controle da erosão de uma pequena bacia hidrográfica onde a agricultura é praticada. São

retiradas as cercas das propriedades rurais e construídos curvas de nível

e terraço ao longo de corpos d’água é recolocada para garantir o

abastecimento. Independentemente da cultura, o eficiente controle da erosão é economicamente lucrativo e ambientalmente apropriado.

Manejo integrado de pragas 21 Sistema integrado para controlar pragas na agricultura, que inclui técnicas de controle biológico utilizando predadores naturais.

Manejo sustentado 21 Sistema de exploração dos recursos ambientais que condiz com o desenvolvimento sustentável, sem utilizar recursos até seu esgotamento, mas respeitando os limites da natureza de reposição dos mesmos.

Manejo da vida selvagem 20 Referente à manutenção ou promoção da sobrevivência da vida selvagem. Pode tratar de uma espécie ou de todos os organismos de determinada área.

Mata Atlântica 17 Bioma de grande importância para a biodiversidade com o domínio, que estende-se por 1,2 milhão de quilômetros quadrados ao longo da costa brasileira, do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul, avançado para o interior, principalmente nos estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina.

Mata Ciliar 21 Vegetação existente nas margens dos rios, lagos, represas, córregos e nascentes. Assim como os cílios protegem os nossos olhos, a mata ciliar protege as águas pois sua vegetação infiltra impurezas ,evitando a poluição. A mata ciliar é um corredor natural de biodiversidade.

Material Genético 11 Significa todo material de origem vegetal, animal, microbiana ou outra que contenha unidades funcionais de hereditariedade.

Meio Ambiente 11 Conjunto dos agentes físicos, químicos, biológicos e dos fatores sociais susceptíveis que exercerem um efeito direto ou mesmo indireto, imediato ou a longo prazo, sobre todos os seres vivos, inclusive o homem.

Megadiversidade 9 Biodiversidade em grau excepcionalmente elevado de determinada área geográfica, coincidente, em geral, com a de um país.

Microbacias 17 Espaço físico delimitado de uma área drenada por um curso d’água, formada em geral por rios de até 2 a ordem e com até 3 mil hectares.

Microclima 11 Condição climática de uma pequena área resultante da modificação das condições climáticas gerais, por diferenças locais em elevação ou exposição.

Microrganismos 8 Organismo microscópico ou ultramicroscópico, incluindo bactérias, cianofíceas, fungos, protistas e vírus.

Monitoramento ambiental 11 Acompanhamento periódico através de observações sistemáticas de um atributo ambiental, de um problema ou situação através da quantificação das variáveis que o caracterizam. O monitoramento determina os desvios entre normas preestabelecidas (referenciais) e as variáveis medidas.

Monóxido de carbono (CO) 6 Gás emitido por veículos movidos a gasolina ou diesel. É altamente poluente, além de ser tóxico.

GLOSSÁRIO

SABENDO +

Módulos agroecólogicos 14 Negócios cooperativos, inovadores e ecologicamente corretos. As condições básicas para os módulos é que

o participante concorde em replanejar sua propriedade, reduzindo impactos sobre a biodiversidade e queira de forma associativa desenvolver negócios limpos.

Monocultura 8 Lavoura homogênea na qual se cultiva uma única espécie de planta.

MOP-3 Reunião das Partes do Protocolo de Cartagena sobre

Biossegurança 16 Busca proteger a biodiversidade dos riscos potenciais apresentados pelos organismos vivos modificados resultantes da

biotecnologia. Estabelece procedimentos para assegurar que os países recebam a informação necessária para tomar decisões bem informadas antes

de concordar em importar tais organismos para dentro de seus territórios.

Montanha 11 Elevação que apresenta encostas íngremes, com declividade maior do que 15% e altitudes superiores a 300m.

Morro 11 Elevação que apresenta encostas suaves, com declividade menor do que 15% e altitudes que variam entre 100 e 300m.

Não-biodegradável 21 Substância que não se degrada por processos naturais e pode continuar intacta por muito tempo, como alguns plásticos. Uma substância dessas pode provocar muitos danos se for despejada no meio ambiente.

Nascente 11 Local onde se verifica o aparecimento de água por afloramento do lençol freático.

Natureza 21 O mundo natural.

Nicho ecológico 5 Conjunto de atividades que um ser vivo possui em seu hábitat. De que maneira e do que se alimenta, de que forma se reproduz, quais suas relações com os demais seres vivos e outras atividades.

Nome Científico 8 Nome “oficial” de um ser vivo, geralmente composto por dois nomes, o primeiro é referente ao gênero e o primeiro junto ao segundo é a espécie. Sempre escritos em latim e em itálico ou negrito para que pesquisadores do mundo todo saibam de que organismo se trata. A árvore que popularmente é conhecida como pinheiro se chama

na verdade Araucaria angustifolia.

como pinheiro se chama na verdade Araucaria angustifolia . Ocupação do solo 2 0 Ato de

Ocupação do solo 20 Ato de tomar posse física (existência concreta de um grupo social) do solo para desenvolver uma determinada atividade.

Organismo geneticamente modificado - OGM 20 Organismo cujo

DNA (material genético) tenha sido modificado por qualquer técnica de engenharia genética.

Ombrófila 11 Vocábulo de origem grega que significa “amigo das chuvas”.

ONG 21 Sigla de organização não-governamental, para designar grupos de pessoas, sem vinculação com a administração pública, que atuam na defesa de alguma causa importante, como a proteção ao meio ambiente.

OSCIP 17 Organização social civil de Interesse Público, formada por pessoas jurídicas de direito privado, sem fins lucrativos.

OVM 24 Organismo vivo modificado, como grãos de milho e soja não triturados.

Oxigênio 21 É o elemento mais abundante na face da Terra, existe no ar, ocupando 21% da atmosfera, nas águas doces e no mar.

Ozônio 5 Gás (O 3 ) presente na estratosfera e mesosfera (25 km a 40 km da superfície). Forma uma espécie de filtro aos raios ultravioleta do sol. A diminuição da camada de ozônio é um dos grandes desequilíbrios ambientais, pois os raios ultravioletas causam alterações na retina, alterações do ciclo reprodutivo das plantas, câncer de pele, inibição da fotossíntese do plâncton marinho (base da cadeia alimentar) e outros problemas.

GLOSSÁRIO

SABENDO +

GLOSSÁRIO SABENDO + Padrão de qualidade do ar 2 4 Limite do nível de poluentes do

Padrão de qualidade do ar 24 Limite do nível de poluentes do ar atmosférico durante um tempo específico em área geográfica também específica, e que legalmente não pode ser excedido. Para que o ar esteja puro deve haver, basicamente, um controle mínimo e rigoroso de: a) partículas em suspensão; b) dióxido de carbono; c) monóxido de carbono; d) oxidantes fotoquímicos.

Paisagem 20 Parte do espaço apreendida visualmente; resultado da combinação dinâmica de elementos físico-químicos, biológicos e antropológicos que, em mútua dependência, geram um conjunto único e indissociável em permanente evolução.

Pantanal 11 Planície que se alaga na época das cheias, quando os rios transbordam. Clima: semi-úmido, temperatura média de 21 °C. Situa-se nos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Parque Estadual 11 Área de domínio público estadual, delimitado por atributos excepcionais da natureza, a serem preservados permanentemente, que está submetida a regime jurídico de inalienabilidade e indisponibilidade em seus limites inalteráveis, a não ser por ação de autoridade do Governo Estadual, de modo a conciliar harmonicamente os seus usos científicos, educativos e recreativos com a preservação integral e perene do patrimônio natural.

Parque Nacional 17 Unidade de conservação de proteção integral, implantada sobre terras públicas; tem como objetivo básico a preservação de ecossistemas naturais de grande relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas, desenvolvimento de atividades de educação, interpretação ambiental, de recreação em contato com a natureza e de turismo ecológico.

Patentes 24 Direito de propriedade intelectual concedido a quem elabora uma invenção.

Patrimônio Genético 24 Genes, biomoléculas e princípios ativos de seres vivos.

Pedogênese 11 Modo pelo qual o solo se origina, com especial referência aos fatores e processos responsáveis pelo seu desenvolvimento. Os fatores que regulam os processos de formação do solo são: material de origem, clima, relevo, ação de organismos e o tempo.

Pedologia 11 Ciência que trata da origem, morfologia, distribuição, mapeamento e classificação dos solos.

Percolação 24 Filtração de águas pelas camadas profundas do terreno.

Permacultura 10 Procura criar agroecossistemas sustentáveis através da simulação dos ecossistemas naturais, priorizando culturas perenes em especial as árvores.

Pesticida 17 Agente químico empregado no controle de pragas. Na classificação de pesticidas estão incluídos: inseticidas para eliminação de insetos perigosos; herbicidas para controle de ervas daninhas; fungicidas para o controle de doenças das plantas; rodencidas para exterminar ratos e camundongos; germicidas para desinfecção e algecidas para controle de algas.

Plâncton 17 Conjunto de pequenos animais (zooplâncton) e vegetais (fitoplâncton) que vivem em suspensão na água.

Planejamento das microbacias 14 Uma análise detalhada e

participativa da paisagem é feita, de maneira que a conservação da biodiversidade, através de fragmentos florestais, ou da recomposição de áreas de preservação permanente e reflorestamento seja compatibilizada com sistemas produtivos menos impactante, compondo uma paisagem sustentável e agradável.

Plano de Manejo 17 Documento técnico que estabelece o zoneamento e as normas de uso de unidade de conservação, segundo objetivos para os quais foi criada; define o manejo de recurso naturais, inclusive a implantação das estruturas físicas necessárias à gestão da unidade.

Plantas indicadoras 11 Plantas características de solos específicos ou de condições locais específicas, como por exemplo, a carnaubeira, que indica um solo com teor elevado de sódio.

GLOSSÁRIO

SABENDO +

Plantio direto 11 Sistema de semeadura, no qual a semente é colocada diretamente no solo não revolvido, através da utilização de máquinas especiais. É aberto um pequeno sulco ou cova, com profundidade e larguras suficientes para garantir uma boa cobertura e contato da semente com o solo, sendo que não mais do que 25% a 30% da superfície do solo são preparados.

Plantio em contorno 11 Plantio que consiste em dispor as fileiras das plantas e preparar todas as operações de cultivo no sentido transversal a pendente do terreno, através de curvas de nível ou linhas de contorno.

Polinizadores 8 Agentes que promove a polinização das flores (geralmente são insetos, pássaros, morcegos e outros seres vivos).

Poluição 5 Qualquer desequilíbrio ambiental causado pela ação de seres humanos. As mais comuns são poluição atmosférica, poluição aquática (ou hídrica) poluição dos solos.

Praga 11 Nome pelo qual é conhecido o inseto que compete com o homem por recursos naturais, consome suas lavouras, destroi suas propriedades ou ataca suas criações. Os insetos praga têm atuação tanto maior quanto mais alterado é o ecossistema.

Preservação 9 Conjunto de métodos, procedimentos e políticas que visam à proteção no longo prazo das espécies, habitats e ecossistemas, além da manutenção dos processos ecológicos, prevenindo a simplificação dos sistemas naturais.

Proteção ambiental 21 Regulamentação, para evitar que os ecossistemas e espécies não sofram grandes impactos resultantes da atividade humana.

Protocolo de Kyoto 21 Acordo internacional que prevê a diminuição da emissão de gases poluentes na atmosfera através de medidas de controle adotadas pelos países industrializados.

de controle adotadas pelos países industrializados. Qualidade de vida 2 1 São condições favoráveis ao
de controle adotadas pelos países industrializados. Qualidade de vida 2 1 São condições favoráveis ao

Qualidade de vida 21 São condições favoráveis ao bem-estar, como infra-estrutura adequada (moradia digna, alimentação, acesso à saúde, educação, cultura e lazer) e vida ao meio ambiente ecologicamente equilibrado.

Quebra-ventos 11 Método que consiste em estabelecer uma barreira densa de árvores, colocadas a intervalos regulares no terreno, em regiões sujeitas a fortes ventos, de modo a formarem anteparos contra os ventos dominantes, impedindo deste modo a erosão eólica. Os mais eficientes são aqueles que possuem diferentes espécies de plantas, com as de menor porte colocadas na frente, com o aumento gradual do porte.

Queimada 6 Prática agrícola rudimentar, proibida pelo artigo 27 do Código Florestal, que consiste na queima da vegetação natural, quase sempre matas, com o fim de preparar o terreno para semear ou plantar; essa prática prejudica a fertilidade do solo pela liberação dos sais minerais.

Quimiossíntese 11 Processo de nutrição autotrófica que utiliza reações químicas como fonte de energia, em vez de luz. É realizada pelos microrganismos quimiotróficos.

Quimiotróficos 11 Microrganismos que usam a energia das reações de oxidaçãoredução de compostos inorgânicos, na ausência de luz, para produzir matéria orgânica e manter seu metabolismo. São autotrófos.

Quimiotropismo 11 Crescimento de um organismo induzido ou orientado por um estímulo químico.

autotrófos. Quimiotropismo 1 1 Crescimento de um organismo induzido ou orientado por um estímulo químico. 19

GLOSSÁRIO

SABENDO +

GLOSSÁRIO SABENDO + Raça 2 0 Categoria, classe ou grupo de pessoas com certas e determinadas

Raça 20 Categoria, classe ou grupo de pessoas com certas e determinadas qualidades ou predicados.

Reciclagem 21 É o processo de transformação de materiais que já foram usados e descartados.

Recuperação de áreas degradadas 9 Recuperar a vegetação ou

acelerar a sucessão vegetal atingindo pelo menos estágios iniciais ou chegando o mais próximo possível de seu estado original. Geralmente refere-se à recuperação de ambientes florestais. Em alguns casos é necessário recompor outros elementos do ambiente original como o próprio solo, cursos de água.

Recurso ambiental 17 A atmosfera, as águas interiores, superficiais e subterrâneas, os estuários, o mar territorial, o solo, o subsolo, os elementos da biosfera, a fauna e a flora.

Recurso biológico 17 Conjunto dos organismos vivos existentes na natureza.

Recursos hídricos 17 Quantidadedaságuassuperficiaise/ousubterrâneas, presentes em uma região ou bacia, disponíveis para qualquer tipo de uso.

Recurso não-renovável 21 Recurso que não é regenerado após o uso. Os recursos minerais, por exemplo, se esgotam e não se reproduzem após serem extraídos da natureza. O petróleo também é um recurso não renovável.

20

durar

indefinidamente porque são substituídos por processos naturais, desde que respeitadas suas características.

Recurso

renovável 17

Que

potencialmente

podem

Reflorestamento 17 Repovoamento da floresta derrubada anteriormente, com espécies nativas exóticas; restauração da cobertura vegetal arbórea de uma área deflorestada, utilizando várias espécies nativas e visando fins

ecológicos; o plantio de monoculturas com espécies exóticas ou nativas deve ser entendido como atividade agrícola ou de cultivo (silvicultura).

Refugio da vida silvestre 20 Unidade de conservação de proteção integral cujo objetivo é proteger ambientes naturais onde se asseguram as condições existenciais ou de reprodução de espécies ou comunidades da flora local ou da fauna residente ou migratória.

Regeneração espontânea 9 Recomposição natural de uma área por meio do surgimento, inicialmente, de espécies pioneiras e espécies secundárias iniciais; desencadeando, posteriormente, a sucessão vegetal.

Reintrodução 20 Devolução a um ecossistema, de uma espécie vegetal ou animal que dele havia desaparecido.

Remanescente Ver em fragmento.

Repartição de benefícios 17 Um dos três objetivos da convenção da Diversidade Biológica (CDB), é a justa e eqüitativa repartição de benefícios oriundos da utilização dos recursos genéticos, incluindo o acesso adequado aos mesmos e a transferência de tecnologias relevantes, considerando os direitos sobre aqueles recursos e tecnologia. A CDB contempla ainda a repartição de benefícios derivados da utilização de conhecimentos, inovações e práticas de povos indígenas, quilombolas e comunidades locais, incluindo modos de vida tradicionais que contribuem para a conservação e utilização sustentável da biodiversidade.

Área de domínio público, compreendida na categoria

de Áreas Naturais Protegidas, criada com a finalidade de preservar ecossistemas naturais que abriguem exemplares da flora e da fauna nativas.

Reserva biológica 11

Reserva ecológica - RESEC 20 Formas de vegetação natural de preservação permanente relacionadas no art. 2° do Código Florestal.

Reserva florestal 11 Área extensa, em estado natural, protegida pela legislação federal ou estadual, sem ocupação humana até que possa ser objeto de pesquisa e ter seus recursos sustentavelmente utilizados.

Reserva legal (RL) 11 Área de cada propriedade onde não é permitido o corte raso, devendo ser averbada à margem da inscrição de matrícula do imóvel, no Registro de Imóveis competente, sendo vedada a alteração de sua destinação, nos casos de transmissão, a qualquer título, ou de desmembramento da área.

20

GLOSSÁRIO

SABENDO +

Reserva particular do patrimônio ambiental - RPPA 11 Unidade

de conservação de uso indireto reconhecida pelo poder público, por iniciativa expressa de seu proprietário. Os critérios para seu reconhecimento são : significativa importância para a proteção da biodiversidade; aspecto paisagístico relevante, e características ambientais que justifiquem ações de recuperação ou conservação de ecossistemas frágeis e ameaçados.

Reserva particular do patrimônio natural - RPPN 11 Área de

domínio privado a ser especialmente protegida, por iniciativa de seu proprietário, mediante reconhecimento do Poder Público, por ser considerada de relevante importância pela sua biodiversidade, ou pelo seu aspecto paisagístico, ou ainda por suas características ambientais que justifiquem ações de recuperação. Poderão ser utilizadas para o desenvolvimento de atividades de cunho científico, cultural, educacional, recreativo e de lazer, observado o objetivo da proteção dos recursos ambientais representativos da região.

Resíduos florestais 20 Sobras de material, resultado da ação sofrida pela matéria-prima florestal.

Resíduos sólidos 11 Resíduosnosestadossólidoesemi-sólido,queresultam de atividades da comunidade, de origem industrial, doméstica, hospitalar, comercial, agrícola, de serviços e de varrição de ruas. Inclui ainda determinados líquidos cujas particularidades tornam inviável o seu lançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d’água, ou que exijam para isso soluções técnica e economicamente inviáveis em face à melhor tecnologia disponível.

Resíduos rurais 6 Resulta das atividades de agricultura e pecuária. È constituído por embalagens de agrotóxicos, rações, adubos, restos de colheita e dejetos da criação de animais.

Resiliência 8 Capacidade de uma comunidade em retornar ao seu estágio original depois de ter sido pertubada.

Rotação de cultura 11 Sistema de plantio que consiste em alternar em um mesmo terreno, diferentes culturas em uma seqüência de acordo com um plano definido. A escolha das culturas que deverão entrar em rotação deve levar em conta diversos fatores, tais como condições do solo, topografia, clima dentre outros.

como condições do solo, topografia, clima dentre outros. Saneamento ambiental 1 3 Conjunto de alternativas

Saneamento ambiental 13 Conjunto de alternativas ligados ao adequado uso, manejo e conservação dos recursos naturais como: implantação de práticas mecânicas e vegetativas de controle à erosão (terraceamento, cordões de vegetação e de pedra), proteção de fontes, distribuição de água (elevadores d’ água), implantação de abastecedores comunitários, plantio direto, adequação de estradas, adubação verde e cultivos orgânicos.

Seca 11 Fenômeno climático caracterizado pela ausência prolongada ou deficiência acentuada de chuvas.

Sedimentação 11 Deposição de material sob a forma sólida em condições físicoquímicas normais na superfície terrestre. O material pode ser de origem inorgânica (proveniente da destruição de rochas preexistentes) ou de origem orgânica, por meio de processos biológicos. A sedimentação pode realizar- se em meio aéreo ou aquoso. Inicia-se quando a força de transporte é sobrepujada pela da gravidade (sedimentos clásticos) ou quando a água se torna supersaturada em um dos solutos (sedimentos químicos) ou por atividade ou morte de organismos (sedimentos orgânicos, stricto sensu).

Segurança alimentar 8 É um conceito amplo que procura garantir o direito de acesso diário a alimentação, em quantidade qualidade e regularidade suficientes a todo cidadão brasileiro, em especial aos mais pobres.

Selo verde 23 Selo Verde é um rótulo colocado em produtos comerciais, que indica que sua produção foi feita atendendo a um conjunto de normas pré-estabelecidas pela instituição que emitiu o selo. Os determinados produtos são adequados ao uso e apresentam menor impacto ambiental em relação a outros similares.

Semidecídua 20 Referente à parte lenhosa de uma comunidade vegetal, que perde parte das suas folhas nos períodos desfavoráveis.

Sensoriamento remoto 17 Análise das condições geológicas, climáticas

GLOSSÁRIO

SABENDO +

e ambientais da Terra com utilização de sensores à distância; termo mais usado para os satélites ambientais, mas existem outras formas de sensoriamento remoto, como as fotos aéreas ou as imagens de radar.

Seqüestro de carbono 17 Captura de CO2 da atmosfera pela fotossíntese, também chamada fixação de carbono.

Serviços ambientais 11 Conceito associado a tentativa de valoração dos benefícios ambientais que a manutenção de áreas naturais pouco alteradas pela ação humana traz para o conjunto da sociedade. Entre os serviços ambientais mais importantes estão a produção de água de boa qualidade, a depuração e a descontaminação natural de águas servidas (esgotos) no ambiente, a produção de oxigênio e a absorção de gases tóxicos pela vegetação, a manutenção de estoques de predadores de pragas agrícolas, de polinizadores, de exemplares silvestres de organismos utilizados pelo homem (fonte de gens usados em programas de melhoramento genético), a proteção do solo contra a erosão, a manutenção dos ciclos biogeoquímicos, etc. Os serviços ambientais são imprescindíveis à manutenção da vida na Terra.

Sinergia 11 Fenômeno químico no qual o efeito obtido pela ação combinada de duas substâncias químicas diferentes é maior do que a soma dos efeitos individuais dessas mesmas substâncias. Sinergismo.

Silvestre 20 Que é próprio de uma floresta ou se relaciona com ela.

Silvicultura 17 Estudo das técnicas de exploração racional das florestas.

Sistema ambiental 11 Conjunto dos processos e das interações dos elementos que compõem o meio ambiente, incluindo, além dos fatores físicos e bióticos, os de natureza sócio-econômica, política e institucional.

SNUC 8 Lei do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza.

Sustentabilidade 11 Conceito associado ao Desenvolvimento Sustentável, envolve as idéias de pacto intergeracional e perspectiva de longo prazo. Sustentabilidade é a capacidade de um processo ou forma de apropriação dos recursos continuar a existir por um longo período.

Sustentabilidade

ao Desenvolvimento Sustentável, envolve a utilização racional dos recursos naturais, sob a perspectiva do longo prazo. A utilização sustentável dos

ambiental 11 Conceito

associado

recursos naturais é aquela em que os recursos naturais renováveis são usados abaixo da sua capacidade natural de reposição, e os não renováveis de forma parcimoniosa e eficiente, aumentando sua vida útil. Em termos de energia, a sustentabilidade preconiza a substituição de combustíveis fósseis e energia nuclear por fontes renováveis, como a energia solar, a eólica, das marés, da biomassa, etc. A sustentabilidade ambiental é caracterizada pela manutenção da capacidade do ambiente de prover os serviços ambientais e os recursos necessários ao desenvolvimento das sociedades humanas de forma permanente.

Sociodiversidade 9 Diversidade tipológica de sociedade e culturas.

Solo 17 Combinação de materiais orgânicos e minerais com água e ar, distribuída sobre a superfície da Terra; elemento que sustenta a vida da Terra.

Sucessão Ecológica 5 Substituição gradual de uma comunidade por outra, ao longo do tempo, até que se atinja o equilíbrio. Cada comunidade, ao se instalar, modifica o ambiente e acaba criando as condições favoráveis para que uma outra comunidade se instale, substituindo-a.

Sustentabilidade social 11 Conceito associado ao Desenvolvimento Sustentável, envolve a melhoria e a manutenção do bem estar social, encarado numa perspectiva de longo prazo. Em termos sociais, sustentabilidade significa distribuição de renda mais eqüânime, aumento da participação dos diferentes segmentos da sociedade na tomada de decisões, eqüidade entre sexos, grupos étnicos, sociais e religiosos, universalização do saneamento básico e do acesso a informação e aos serviços de saúde e educação, etc. A sustentabilidade social está associada tanto ao bem estar material da população quanto a sua participação nas decisões coletivas.

está associada tanto ao bem estar material da população quanto a sua participação nas decisões coletivas.

GLOSSÁRIO

SABENDO +

GLOSSÁRIO SABENDO + Táxon 2 0 Grupo de organismos em qualquer nível, com alguma indentificação formal.
GLOSSÁRIO SABENDO + Táxon 2 0 Grupo de organismos em qualquer nível, com alguma indentificação formal.

Táxon 20 Grupo de organismos em qualquer nível, com alguma indentificação formal.

Taxonomia 20 Ciência da classificação, usada para classificar quase tudo, especialmente organismos.

Teoria da origem das espécies 24 Teoria criada por Charles Darwin (1809-1882), naturalista inglês, pela qual se determinam os fundamentos ou causas da origem dos seres vivos a partir de antepassados simples.

Terraceamento 8 Prática mecânica de conservação de solo, constituída de camalhão e canal, visando, além de interceptar a água de enxurrada, em casos conduz o excesso pelo canal, sem causar erosão e perda do solo.

Toxicidade 20 Virulência de determinada substância tóxica.

Transgênico 11 Planta ou um animal que teve incorporado, de maneira estável um ou mais genes oriundos de outra célula ou organismo, os quais podem ser transmitidos para as gerações futuras.

Tranpolins de Biodiversidade 17 Conjuntos de fragmentos, naturais ou não, inseridos em uma matriz antrópica que permitem o fluxo gênico entre formações separadas.

Trilhas Interpretativas 6 São caminhos traçados em um sitio natural, com explicações sobre o ambiente.

Trofobiose 10 Teoria que explica que o aumento de pragas ou desequilíbrios biológicos nos agroecossistemas é baseada no equilíbrio nutricional das plantas.

UNEP 24 Do inglês United Nations Environment Program. O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente é uma agência internacional vinculada à Organização das Nações Unidas e dedicada a assuntos de meio ambiente. Sua sede é em Nairóbi, na África.

Unidades de Conservação 21 São áreas naturais protegidas e criadas pelo poder público como: parques, florestas, reservas biológicas, entre outras.

Unidade de Planejamento de Uso Sustentável 8 É uma área

socio-ambiental, delimitada a partir do traçado de uma bacia

hidrográfica, com limites ajustados às divisas territoriais de propriedades

e dos municípios. Esta unidade busca analisar de forma espacial e

integrada os aspectos físicos e sociais atuantes no ambiente em estudo.

Unidades de Proteção Integral 21 Aquelas destinadas à manutenção dos ecossistemas livres de alterações causadas por interferência humana, admitindo apenas o uso indireto dos seus atributos naturais.

Unidades de Uso Sustentável 21 Aquela onde a exploração do

ambiente é permitida de maneira de garantir a perenidade dos recursos naturais.

Utilização sustentável 11 Significa a utilização de componentes da diversidade biológica de modo e em ritmo tais que não levem, no longo prazo, à diminuição da diversidade biológica, mantendo assim seu

potencial para atender as necessidades e aspirações das gerações presentes

e futuras.

mantendo assim seu potencial para atender as necessidades e aspirações das gerações presentes e futuras. 23

GLOSSÁRIO

SABENDO +

GLOSSÁRIO SABENDO + Valoração ambiental 1 1 Ato de atribuir valor monetário aos recursos naturais e

Valoração ambiental 11 Ato de atribuir valor monetário aos recursos naturais e ao meio ambiente.

valor monetário aos recursos naturais e ao meio ambiente. Xerófilo 1 1 Organismo que vive em

Xerófilo 11 Organismo que vive em locais de baixa umidade.

Variabilidade genética 20 Extenção da variedade genética existente para uma determinada espécie.

Várzea 20 Formação florística dos vales ou lugares baixos, parcialmente alagados.

Vegetação 21 Conjunto de plantas e associações vegetais.

Vegetação primária 21 Aquela que cresce naturalmente, sem interferência do homem.

Xerófito 11 Vegetal que habita ambientes em que o solo apresenta deficiência hídrica durante um certo período de tempo.

Zona de amortecimento 9 Área do entorno de uma unidade de conservação, onde as atividades humanas estão sujeitas a normas e restrições específicas, com o propósito de minimizar os impactos negativos sobre a unidade.

Zoneamento ambiental 11 Integração sistemática e interdisciplinar da análise ambiental ao planejamento dos usos do solo, com o objetivo de definir a melhor gestão dos recursos ambientais identificados.

Vegetação secundária 21 Vegetação que cresce após o desmatamento da vegetação primária ou original.

Vetor 20 Animal portador de doença que carrega ou transmite o agente patogênico a outros organismos, como alguns mosquitos, por exemplo.

Zoneamento ecológico-econômico - ZEE 11 Instrumento de

racionalização da ocupação dos espaços e de redirecionamento das atividades econômicas. O ZEE serve como subsídio a estratégias e ações para a elaboração e execução de planos regionais de busca do desenvolvimento sustentável.

Vida selvagem 20 Refere-se à vegetação não-cultivada e aos animais selvagens de uma área.

Vida silvestre 21 Conjunto de animais e vegetais que vivem livres em seu ambiente natural.

Zoocoria (Botânica) 11 Modalidade de dispersão dos diásporos em que o agente de dispersão preponderante são os animais.

Zoocórica 11 Planta que tem seus diásporos dispersos por animais.

Viveiro 20 Refere-se a um local de refúgio ou procriação de animais, geralmente pássaros.

Vulnerabilidade genética 20 Situação em que cultivares seletas podem apresentar queda no rendimento da lavoura devido à sua uniformidade genética.

em que cultivares seletas podem apresentar queda no rendimento da lavoura devido à sua uniformidade genética.

SIGLAS

SIGLAS

SIGLAS DOS EXECUTORES DO PROJETO PARANÁ BIODIVERSIDADE

CODAPAR Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná

EMATER Empresa Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural

GEF Fundo para o Meio Ambiente Global (Global Environment Facility)

IAP Instituto Ambiental do Paraná

SEAB Secretaria de Estado e da Agricultura e Abastecimento

SEED Secretaria de Estado da Educação

SEMA Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos

SEPL Secretaria de Estado do Planejamento e Coordenação Geral

25

de Estado do Planejamento e Coordenação Geral 25 1. ABC do Meio Ambiente. Água. Edições IBAMA-

1. ABC do Meio Ambiente. Água. Edições IBAMA- Instituto Brasileiro do Meio Ambiente dos Recursos Naturais Renováveis. Brasília, 1998.

2. ABC do Meio Ambiente. Ar. Edições IBAMA- Instituto Brasileiro do Meio Ambiente dos Recursos Naturais Renováveis. Brasília, 1998.

3. ABC do Meio Ambiente. Biota. Edições IBAMA- Instituto Brasileiro do Meio Ambiente dos Recursos Naturais Renováveis. Brasília,

1998.

4. ABC do Meio Ambiente. Solo. Edições IBAMA- Instituto Brasileiro do Meio Ambiente dos Recursos Naturais Renováveis. Brasília, 1998.

5. CHEIDA, Luiz E. Biologia Integrada. São Paulo: FTD, 2002.

6. Consumo Sustentável. Manual de Educação.Brasília : Consumers International/MMA/IDEC, 2002.

7. Corredores Ecológicos. Uma abordagem integradora de ecossistemas no Brasil. Brasília: Ibama, 2004. Dinerstein, 1995.

8. Equipe Técnica Paraná Biodiversidade.

9. Fragmentação de Ecossistemas: Causas, efeitos sobre a biodiversidade e recomendações de políticas públicas. Ministério do Meio Ambiente. Brasília, 2003.

10. HAMERSCHMIDT, I. et ali. Agroecologia. O novo enfoque da Extensão Rural.Curitiba, 2005.

11. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Vocabulário Básico de Recursos Naturais e Meio Ambiente. Rio de Janeiro,

2004.

12. Ministério do Meio Ambiente. Convenção sobre Diversidade Biológica.Brasília, 1992.

13. Projeto Paraná Biodiversidade. Cartilha de Apresentação, 2005.

14. Projeto Paraná Biodiversidade. Manual Operativo, 2003.

15. RICKLEFS, Robert. A economia da Natureza.3 ed. Rio de Janeiro:

Guanabara, 1996.

16. TONY, G. et alli. A Convenção sobre Diversidade Biológica:

Entendendo e Influenciando o Processo. Um Guia para Entender e Participar Efetivamente da Oitava Reunião da Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica. Instituto de Estudos Avançados da Universidade das Nações Unidas – Equator Initiave, 2005.

25

BIBLIOGRAFIA

BIBLIOGRAFIA

17. URBAN, T. Em outras palavras: meio ambiente para jornalistas. Curitiba: SENAR-Pr/SEMA, 2002.

18. http://www.ambientebrasil.com.br

19. http://www.cib.org.br

20 http://www.ecoterrabrasil.com.br

21. http://www.pr.gov.br/meioambiente/criancas/

glossario_ecologico.shtml

22. http://www.seag.es.gov.br/olericultura.htm

23. http://www.setor1 .com.br/embalagens/seloverde/selo_verde.htm

Inclusão Pós-COP8.

24. http://www.cdb.gov.br/

Inclusão Pós-COP8. 24. http://www.cdb.gov.br/ Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos -
Inclusão Pós-COP8. 24. http://www.cdb.gov.br/ Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos -

Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos - SEMA Projeto Paraná Biodiversidade. Biodiversidade, sabendo +. Curitiba, PR, 2006. 1. Biodiversidade. 2. Meio Ambiente.

Secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos

Lindeslay da Silva Rasca Rodrigues

Assessora de Educação Ambiental

Rosa Riskalla

Ficha Técnica

Rosane Fontoura

Coordenação | Educadora Ambiental Projeto Gráfico | Designer Gráfico

Adalberto N. de Almeida Camargo

Patricia Weckerlin e Silva

Material Didático | Bióloga

Danielle Prim

Logística | Bióloga

Fernanda Dorta

Revisão | Jornalista Apoio | Pedagoga

Silvia Cristina Trauczynski

Apoio Técnico

Erich Schaitza

Gerente da UGP | Eng. Florestal

Gracie Abad Maximiano

Gerente Técnica |UGP

Izabella Maria Swiercyznski

Técnica da UGP | Geógrafa

Márcia de Guadalupe P. Tossulino

Implementadora IAP | Bióloga

Luiz Marcos Feitosa dos Santos

Implementador EMATER | Eng. Agrônomo

Harvey E. Schlenker (IAP) e Jurandir Carneiro (SEMA)

Fotógrafos