Geografia do Paraná

Geografia

MENU PRINCIPAL

do Paraná

Cataratas do Iguaçu — principal pólo turístico do Paraná

LIMITES E DIMENSÕES
MATO GROSSO DO SUL
á ar

SÃO PAULO
R. Pa ra n a panem a

Portos principais Parque nacional Capital Cidades mais importantes R. Itararé
O N

— oeste: Paraguai, pelo Rio Paraná; — leste: Oceano Atlântico.

Paranavaí

.P

Londrina Cornélio Procópio Apucarana

I. das Sete Quedas
PARAGUAI

Umuarama

Maringá

Campo Mourão Toledo Cascavel Foz do Iguaçu
ARGENTINA

NO

NE L

PARANÁ

SO

S

SE

Pico do Ponta Grossa Colombo Guarapuava Paraná Curitiba Irati Antonina Laranjeiras do Sul União da Vitória São José Paranaguá dos Pinhais OCEANO ATLÂNTICO

Pato Branco

SANTA CATARINA

1

O Estado do Paraná apresenta área aproximada de 200 mil km 2 , cerca de 2,34% do território nacional. Tem os seguintes limites: — norte e nordeste: Estado de São Paulo, pelos rios Paranapanema, Ribeira e Itararé; — sul e sudeste: Estado de Santa Catarina, parcialmente pelo Rio Negro; — noroeste: Estado do Mato Grosso do Sul, pelo Rio Paraná; — sudoeste: Argentina, parcialmente pelo Rio Iguaçu;

Caracterizado por planaltos e poucas planícies, as principais unidades do relevo paranaense são: Planície Litorânea — estende-se do Oceano Atlântico até a Serra do Mar (onde está o ponto culminante do Estado, o Pico Paraná), com altitudes inferiores a 200 m. A Serra do Mar compõe-se de rochas muito erodidas. Dela, em direção a oeste, começa o Planalto de Curitiba. Primeiro Planalto ou Planalto de Curitiba — mais alto e de menor área, com altitudes entre 850 m e 950 m. Estende-se da Serra do Mar até a Serrinha, em São Luís do Purunã, próximo à cidade de Campo Largo. Segundo Planalto ou Depressão Periférica ou Planalto dos Campos Gerais — com variação de altitude entre 600 m a 800 m, estende-se em direção ao oeste até a Serra Geral (Serra da Esperança ou do Cadeado). Terceiro Planalto, Planalto de Guarapuava ou Norte do Paraná, de Campo Mourão ou do Sudoeste ou, principalmente, Planalto Arenítico-Basáltico — compreende altitudes entre 300 m e 600 m; o maior em área, vai até o Rio Paraguai e continua no Paraguai. Nesta região, derrames basálticos levaram à formação de solo muito fértil, a terra roxa.

RELEVO

R

an

MENU PRINCIPAL
Geografia do Paraná

Características do relevo paranaense

O Rio Iguaçu nasce em Curitiba, na divisa com São José dos Pinhais. É o rio de maior extensão dentro do Estado, apresentando trecho navegável entre União da Vitória e Porto Amazonas. Sua maior importância está na geração de energia elétrica. Principais usinas hidrelétricas instaladas: Foz do Areia, Salto Santiago, Salto Segredo e Salto Osório.
MATO GROSSO DO SUL
ran á

NO O SO

N

NE L SE

SÃO PAULO

S

Ponta Grossa Foz do Iguaçu Guarapuava Curitiba Paranaguá
PARAGUAI Pico do Paraná 1 922 m Paranaguá 5m

R.

Salto das Sete Quedas
O

Pa

NO

N

NE L

SO

Foz do Iguaçu 162 m

Ponta Grossa 952 m

S

SE

Guarapuava 1 085 m

Curitiba 945 m

Itaipu

ARGENTINA

Litoral Serra do Mar

Primeiro Planalto Segundo Planalto

Terceiro Planalto

SANTA CATARINA

CLIMA
O clima subtropical predomina na maior parte do Estado, bastante úmido, sobretudo no litoral, com verões brandos (cfb na classificação de Köppen) e freqüentes geadas. O clima tropical no norte, oeste e sudoeste caracteriza-se pelos verões quentes (Cfa na classificação de Köppen).

Formada pelos rios: Ribeira, Cubatão, Nhundiaquara, Cubatãozinho.

Bacia do Atlântico

Paraná — clima
MATO GROSSO DO SUL Maringá

SÃO PAULO Londrina

NO

N

NE L

Cascavel Curitiba Pato Branco

O SO SE

S

Mata das Araucárias ou Mata dos Pinhais — nas regiões mais altas e frias, compõe-se de pinheiro, imbuia, erva-mate e cedro. Mata Atlântica — localizada no litoral, estende-se pelas encostas da Serra do Mar. O Paraná possui grande área de Mata Atlântica preservada, sobretudo no litoral norte, município de Guaraqueçaba. Campo Limpo — cobertura herbácea na região de Guarapuava, Palmas, Mangueirinha. É aproveitada para o pasto. Campo Cerrado — trata-se de paisagem intermediária entre a mata tropical e o Campo Limpo. Vegetação litorânea — cobre a planície costeira; inclui a mata, praia e o mangue.

VEGETAÇÃO

PARAGUAI

OCEANO ATLÂNTICO Tropical de altitude Subtropical com verões suaves Subtropical

Paraná — vegetação
MATO GROSSO DO SUL Maringá

SÃO PAULO Londrina

ARGENTINA

SANTA CATARINA

NO O

OCEANO ATLÂNTICO
N NE L SO SE S

Salto Osório Salto Santiago Salto Segredo R. Iguaçu Foz do Areia

Curitiba

2

Formada principalmente pelo Rio Paraná, que nasce em Minas Gerais e percorre 427 km no Estado do Paraná. Parte do seu curso está interrompida pela Barragem de Itaipu (antes Sete Quedas). Compreende vários rios que, por sua vez, determinam bacias secundárias: Paranapanema, Itararé, Ivaí, Piquiri, Iguaçu.

Bacia do Rio Paraná

PARAGUAI

HIDROGRAFIA

Cascavel Curitiba Pato Branco Campos

OCEANO ATLÂNTICO

ARGENTINA

SANTA CATARINA

Mata Atlântica Mata das Araucárias (Mata dos Pinhais) Vegetação litorânea Floresta tropical

MENU PRINCIPAL
Geografia do Paraná
Aproximadamente 30 etnias ajudaram a formar a população paranaense, dentre as quais: eslavos — representados principalmente por poloneses e ucranianos que colonizaram a porção centrosul do Estado; alemães — fixaram-se em Rio Negro, Guarapuava e Curitiba; italianos — fundaram colônias na região de Curitiba; japoneses — muitos vieram de São Paulo, com a marcha do café, e fixaram-se no norte do Estado. Pelo processo de migrações internas, paulistas, mineiros, cariocas, nordestinos, gaúchos e catarinenses também vieram para o Paraná. Desde 1970, tem-se registrado processo inverso: paranaenses começaram um êxodo, em função das frentes pioneiras, dirigindo-se para as regiões Norte e Centro-Oeste do país. Atualmente o processo de urbanização avança no Paraná, principalmente na capital. Em Curitiba, a região metropolitana teve um aumento surpreendente na primeira metade dos anos de 1990, quando apresentou o maior crescimento populacional. Infelizmente isso não se fez acompanhar de infra-estrutura correspondente. Desse modo, conflitos com sem-teto e favelização transformaram a região metropolitana de Curitiba em referência negativa para o Estado.

POPULAÇÃO

Produção agrícola do Paraná Comparativo Paraná / Brasil e posição — Safra 2001 Produtos Aveia Feijão Milho Trigo Mandioca Centeio Cevada Soja Amendoim Batata Cana de açúcar Fumo (folha) Tomate Cebola Algodão Café Alho Arroz Produção PR / BR — % Posição do Paraná 66,10 18,72 30,25 51,27 18,31 13,83 22,44 23,05 5,78 25,85 7,95 11,71 3,98 5,71 6,35 0,78 3,21 1,55 1º 1º 1º 1º 1º 2º 2º 2º 3º 3º 3º 3º 3º 4º 5º 6º 6º 12º

Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento Fonte: CONAB — SEAB / DERAL — 2001

A atividade agropecuária, que marcou o passado da economia paranaense, vem acompanhada da industrialização, por meio dos incentivos concedidos pelo governo. Responsável por 23% de toda a produção agropecuária brasileira, com destaque para o cultivo de trigo, milho, algodão, soja, feijão, batata e café, o Estado também reúne 8,5 milhões de cabeças no rebanho bovino, produzindo 1,3 bilhão de litros de leite por ano. O Paraná é o maior criador nacional de suínos, concentrados no sudoeste do Estado. Produção pecuária do Paraná Quadro comparativo — rebanho e produção — Paraná / Brasil — 2000 Rebanho % PR / BR Bovino Bovinocultura de leite Suínos Avicultura de corte 5,77 8,30 11,39 19,18 7,43 Posição 7º 5º 2º 1º 2º

ECONOMIA

No extrativismo mineral, destacam-se: talco (Segundo Planalto), xisto (região de São Mateus do Sul) e chumbo (Adrianópolis e Cerro Azul). O Paraná está localizado no centro da região mais industrializada da América Latina. Num raio de 1,3 mil km estão situados os maiores pólos econômicos do país e mais as capitais de Uruguai, Argentina e Paraguai. Assim, o Porto de Paranaguá, conhecido pelo caráter exportador de grãos, recebe, além de produtos do parque industrial paranaense, os de origem em outros Estados brasileiros e países. O maior complexo industrial do Estado está na Cidade Industrial de Curitiba (CIC) e na região metropolitana. Importantes pólos industriais do Estado: Curitiba, Ponta Grossa, Londrina, Maringá e Cascavel. Setores da indústria paranaense: beneficiamento de produtos agropecuários, automobilístico, celulose, fiação de algodão.
A estratégia do governo estadual, iniciada em 1995 para atrair novas indústrias, teve como base fatores determinantes como a situação geográfica privilegiada, a posição diferenciada do Paraná em relação aos países do Mercosul, a qualidade de vida nas cidades, a infra-estrutura (rodovias, ferrovias, portos, aeroportos internacionais, telefonia e energia) e a mão-de-obra qualificada. Entre os principais investimentos, o destaque fica por conta das montadoras de veículos. Juntos, montadoras e fornecedores já investiram no Estado mais de US$ 5,5 bilhões, gerando 98,5 mil empregos diretos e indiretos. A indústria automobilística paranaense já representa aproximadamente 10% do mercado nacional.

3

Avicultura de postura

Fonte: SEAB / DERAL — IBGE

MENU PRINCIPAL
Geografia do Paraná

TRANSPORTES
Uma rede de rodovias pavimentadas liga as principais zonas de produção ao Porto de Paranaguá, principalmente pela BR—277. A malha ferroviária também interliga as principais regiões produtoras do norte e do meio-oeste à capital, ao Porto de Paranaguá e a outros Estados. Em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, encontra-se o Aeroporto Internacional Afonso Pena, o principal do Estado, que vem aumentando significativamente o fluxo de linhas aéreas em virtude do Mercosul.

Recentemente o governo do Estado criou o programa Anel de Integração para ampliar e integrar a infraestrutura de transportes do Estado, com investimentos diretos e em parceria com a iniciativa privada nos sistemas rodoviário, ferroviário, portuário, aeroportuário e hidroviário. A meta é dotar o Estado de infra-estrutura que permita o bom fluxo de mercadorias e o fácil deslocamento de pessoas, um dos fatores decisivos para o sucesso de uma política de desenvolvimento estratégico, baseada no fortalecimento do setor agrícola e na atração de investimentos industriais. A ligação entre rodovias, ferrovias, portos, aeroportos e hidrovias confere ao Paraná um sistema da multimodalidade de transporte mais competitivo em relação aos seus parceiros no mercado interno brasileiro e no Mercosul. As principais rodovias do Paraná estão sob concessão de empresas privadas, que cobram pedágio dos veículos que por elas trafegam.

1. (UEM—PR) A Região Sul do Brasil individualiza-se e destaca-se no conjunto espacial brasileiro por apresentar: a) vegetação arbustiva de pequeno porte, clima tropical, relevo pouco acidentado. b) mata tropical nas encostas, relevo acidentado, clima quente e úmido. c) campos e matas de araucária, clima subtropical, camadas de rochas eruptivas. d) árvores de pequeno porte, clima quente e úmido, solos férteis derivados de rochas arenito-basálticas. e) vegetação densa e intricada, chuvas de até dois mil milímetros anuais, grande variedade topográfica. 2. (UEPG—PR) A respeito da formação étnica da população do Estado do Paraná, assinale o que for correto. 01) Os holandeses constituem o grupo mais numeroso de imigrantes no Paraná. Ocuparam a região dos Campos Gerais, onde formaram colônias importantes e populosas, como Carambeí e Castrolândia, e a região do centro-sul, especialmente as cidades de União da Vitória, Mallet e São Mateus do Sul. 02) Os ucranianos formam um importante grupo de imigrantes no centro-sul do Estado. De origem agrícola, esses eslavos contribuíram para a cultura paranaense com o estilo bizantino das suas igrejas, seus trajes bordados e suas danças típicas. 04) Com relação aos japoneses, as primeiras colônias no Paraná foram fundadas no litoral e no Planalto de Curitiba, mas o grande reduto de japoneses é no norte do Estado, principalmente em Londrina, Uraí, Assaí, Maringá e Cambará. 08) Os imigrantes italianos no Paraná se estabeleceram inicialmente na região norte do Estado, atraídos pelo cultivo do café. Porém seus núcleos não prosperaram e eles migraram então para as regiões de Foz do Iguaçu e União da Vitória. Posteriormente, parte dos italianos de União da Vitória formou em Curitiba o principal reduto dos italianos no Paraná: Santa Felicidade. 16) As principais colônias fundadas pelos alemães no Paraná são Witmarsum, no município de Palmeira, e Entre Rios, no município de Guarapuava.

3. (UEPG—PR) Com relação às características físicas do Estado do Paraná, assinale o que for correto. 01) Entre os diversos tipos de solos quanto à origem, no Paraná aparecem solos sedimentares antigos, que predominam na região norte de Curitiba, formados a partir da decomposição de rochas calcárias, e também na região dos Campos Gerais, formados da decomposição de arenitos e folhelhos. 02) As regiões de campos são as formações vegetais mais antigas do Estado, destacando-se os campos limpos, compostos basicamente por gramíneas com altura entre 10 cm e 50 cm, especialmente nas regiões de Ponta Grossa, Jaguariaíva, Sengés, Palmas, Castro e Campo Largo. 04) O Rio Tibagi, que nasce nos Campos Gerais e tem um percurso de aproximadamente 550 km, corre no sentido norte–sul e serve de divisa entre os Estados do Paraná e Santa Catarina. 08) O Planalto de Ponta Grossa, ou Segundo Planalto do Paraná, limita-se a leste com a escarpa devoniana e a oeste com a escarpa da Esperança ou da Serra Geral. Caracteriza-se por paisagens de campos marcadas por suaves ondulações. 16) O clima predominante no litoral paranaense é o Cfb — clima subtropical úmido, mesotérmico, com verão quente e inverno de geadas freqüentes. 4. (UEL—PR) O Paraná, que até 1960 foi uma das principais áreas de imigração no Brasil, passa a ter, na década de 70, as suas saídas aumentadas. Esse fato é indício: a) de que a área saturada já não absorve mais mão-deobra. b) de que as mudanças tecnológicas da agricultura paranaense liberaram mão-de-obra extra-regional. c) que o incentivo crescente à pecuária, em detrimento da lavoura, não permite a absorção de mais mão-deobra. d) de que São Paulo e Minas Gerais, que eram as grandes fontes de mão-de-obra para o Paraná, deixaram de fornecer imigrantes. e) que o governo do Estado passou a impedir a entrada de imigrantes de outros Estados.

4

MENU PRINCIPAL
5. (Cefet—PR) O Paraná é um dos Estados brasileiros que teve a quase totalidade de suas matas nativas devastadas para dar lugar a lavouras, pastagens, cidades e indústrias. Sobre os efeitos dos desmatamentos no meio ambiente, podemos considerar: I. Pela desnudação, o solo fica sob ação direta das precipitações. A erosão retira os componentes mais preciosos do solo como o húmus, originando uma forte lavagem de seu perfil. II. Na região de Curitiba, onde a cobertura vegetal foi retirada, a erosão se manifesta de maneira catastrófica. A conseqüência mais impressionante da erosão subterrânea provocada pelo escoamento da água do subsolo, em virtude do impacto e correnteza do volume das águas pluviais, são os barrancos e as voçorocas de alto poder destrutivo, que ocorrem em toda a região do arenito Caiuá. III. Os rios e córregos com suas águas límpidas e cristalinas são raros nas áreas já desmatadas do Paraná, onde a lavagem intensa dos solos que acompanha as chuvas transporta um grande volume de sedimentos aos rios e córregos. IV. As medidas tomadas pelos órgãos públicos do Paraná, a partir dos anos de 1980, com políticas de reflorestamento de Araucaria angustifolia, permitem-nos projetar para os anos 2030 a 2050 uma grande produção dessa espécie (considerando que um pinheiro necessita de 60 a 80 anos para atingir um diâmetro de 30 a 36 cm e ficar apto para o corte). São afirmativas corretas, apenas: a) I e II. b) III e IV. c) I e III. d) II e III. e) I e IV. 6. (PUC—SP) A Região Sul se destaca em termos de atividade criatória. Dentre as regiões brasileiras, é a que dispõe do maior rebanho de: a) bovinos e eqüinos. b) eqüinos e asininos. c) asininos e muares. d) suínos e ovinos. e) ovinos e caprinos. (UFPR) Utilize o mapa do Paraná para responder às questões 7 e 8.

Geografia do Paraná

04) a do alto vale do Rio Iguaçu que, com nascentes no município de Piraquara, atravessa a área atingindo o médio vale em Balsa Nova. 08) a da região metropolitana de Curitiba, definida por lei e constituída por catorze municípios. 16) a de ocorrência de Mata de Araucária no Paraná, com formações vegetais complexas, atualmente devastada. 8. As cidades indicadas por E e F no mapa são centros microrregionais do sudoeste do Paraná. 01) Guarapuava e Campo Mourão 02) Umuarama e Francisco Beltrão 04) Cascavel e Pato Branco 08) Cascavel e Palmas 16) Peabiru e União da Vitória 9. (Cefet—PR) Observe os desenhos.
NO O SO SE N NE L O SO SE NO N NE L

S

S

Polar continental Polar marítima 1 2

Tropical continental

NO O SO

N

NE L SE

S

Tropical marítima

NO O SO

N

NE L SE

3

S

4

A

E

B
N

C F

NO

NE L

D

O SO SE

S

7.

5

A área indicada no mapa por B é: 01) a de mais alta densidade demográfica do Estado, com aproximadamente 500 hab/km2, de acordo com o Censo de 1991. 02) a do Primeiro Planalto Paranaense, situado entre a Serra do Mar e a escarpa do Devoniano, que toma nomes regionais de Serra de São Luís e Serrinha.

Relacione os desenhos com as alternativas. ( ) É uma massa de ar úmido que influencia o litoral, as serras e os planaltos próximos, provocando bruscas quedas de temperatura, mau tempo, frio úmido e chuvas persistentes, como é o caso de Curitiba. ( ) Essa massa de ar quente, ao encontrar a Serra do Mar, causa chuvas orográficas, cujos índices pluviométricos máximos ocorrem no verão. ( ) É uma massa de ar seco, responsável pela ocorrência de geadas e pelos dias ensolarados que caracterizam o inverno. ( ) Essa massa de ar fria tem suas origens nas águas subantárticas, avançando para o continente sul americano através do Chile e da Argentina; é seca e penetra pelos Estados do Sul do Brasil. ( ) Forma-se no Chaco Paraguaio, penetrando no Paraná pelo lado sul ocidental do Brasil. É responsável pelas tormentas de verão que muitas vezes vêm acompanhadas de granizo. Assinale a seqüência obtida. a) 2—4—1—1—3 b) 2—1—4—3—2 c) 1—1—2—3—4 d) e) 3—4—4—1—2 4—2—3—3—1

MENU PRINCIPAL
10. (PUC—PR) Entre as grandes hidrelétricas paranaenses, destacam-se Foz do Areia, Salto Santiago e Salto Osório. Localizam-se: a) as duas primeiras no Rio Paraná e a última no Rio Chopim. b) todas no Rio Iguaçu. c) as duas primeiras no Rio Iguaçu e a última no Rio Paranapanema. d) a primeira no Rio Paranapanema, a segunda no Iguaçu e a terceira no Ivaí. e) todas no Rio Paranapanema. 11. Assinale a alternativa correta, de acordo com o solicitado. A área A indicada no mapa abaixo é:

Geografia do Paraná

c)

d) e)

uma escarpa repartida por falhas transversais em blocos elevados e rebaixados. Em certos pontos forma serras isoladas, que se elevam consideravelmente sobre o nível geral do interior como serras marginais do complexo cristalino. uma região serrana especial em cujos vales penetraram as baías de ingressão com planos de entulhamento marinho e terrestres recentes. limitado a leste pela escarpa triássico-jurássica, com uma divisão em vários blocos devido aos grandes rios que percorrem o planalto.

13. A navegação fluvial, embora não seja tão intensa nos rios que banham o Estado, faz-se em alguns trechos dos rios Paranapanema, Tibagi, Iguaçu, Ivaí e Piquiri. No mapa abaixo, identifique a seqüência acima e assinale a alternativa correta.
MATO GROSSO DO SUL
N

4 3

SÃO PAULO

NO

NE L

5

A
NO O SO SE N NE L

O SO SE

2

PARANÁ Curitiba

S

PARAGUAI
N A

1
SANTA CATARINA OCEANO ATLÂNTICO
TI

a) b) c) d) e)

a do curso inferior do Rio Iguaçu que, com nascentes no município de Piraquara, atravessa a área, atingindo o curso médio em Bateias. a de ocorrência da floresta tropical do interior, associada a formações herbáceo-arbustivas, do tipo cerrado. o “cinturão-verde” da região metropolitana de Curitiba, com forte presença de imigrantes japoneses. o domínio de um clima mesotérmico chuvoso, com verão ameno, que, pela classificação de W. Köppen, corresponde ao Cfb. o domínio de um relevo suavemente ondulado, destacando-se os morros em meia-laranja (mares de morro) e Inselbergs.

a) b) c)

4, 5, 1, 2, 3 5, 4, 2, 3, 1 2, 3, 1, 5, 4

A

R

G

EN

S

d) e)

1, 2, 3, 4, 5 4, 5, 1, 3, 2

12. (Cefet—PR) A cidade de Curitiba está localizada no Primeiro Planalto Paranaense, que é caracterizado por ser: a) limitado a leste pela escarpa devoniana, exibindo uma paisagem suavemente ondulada constituída por sedimentos paleozóicos do Devoniano, Carbonífero e Permiano. b) limitado a leste pela Serra do Mar, conservando-se como platô regular, que apresenta uma parte nãoentalhada e suavemente ondulada, uma parte profundamente recortada, que é a região do Açungui, e na parte norte, uma paisagem de elevações recentes.

14. (UFPR) Em certas áreas do Paraná, a substituição do algodão e café pelo trigo e soja trouxe, como conseqüência, aumento de desemprego nos campos. O fato mencionado pelo texto ocorreu porque: 01) o trigo e a soja ocupam menores áreas de cultivo. 02) o algodão desgasta muito o solo e a produtividade do trigo e da soja foi menor do que a esperada. 04) o algodão exige beneficiamento no local, o que não ocorre com a soja e o trigo. 08) o trigo e a soja são cultivos pouco exigentes, pois não requerem cuidados especiais durante o crescimento e a colheita. 16) o trigo e a soja são cultivados com a utilização de máquinas agrícolas.

Referências bibliográficas
ALMEIDA, M. L.; MÉDICI, M. C. Geografia: os recursos minerais e energéticos. São Paulo: Nova Geração, 2000. v. 5. ROSS, J. L. S. et al. Geografia do Brasil. São Paulo: Edusp, 2000. SIMIONI, Cyntia; GOMES. V. B. Marquiana. História e geografia do Paraná. Londrina: Cotação, 1998.

Geografia do Paraná

6

1. 2. 3. 4.

c 22 (02+04+16) 09 (01+08) a

5. 6. 7. 8.

c d 08 04

9. a 10. b 11. d

12. b 13. e 14. 16

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful