Você está na página 1de 1

Um Natal Inesquecvel

Houve um bom Natal na minha vida. Um Natal inesquecvel. Foi assim: pelas onze e
meia da noite de um 24 de Dezembro, eu estava na redaco do jornal onde trabalhava. Veio
um telegrama de Londres que dizia mais ou menos isto: Um menino, que est a morrer,
pediu me morangos. No h morangos nesta poca do ano em Inglaterra. A me foi
B.B.C. e a B.B.C. fez um apelo. Um avio em voo escutou-o. Transmitiram o apelo a todos os
avies do mundo. E alguns avies do mundo atrasaram as suas partidas, transferiram de bojo
para bojo um cesto de morangos que fora adquirido na cidade do Mxico. Os morangos
chegaram a Londres.
No havia mais nada no telegrama; mas era uma grande histria de Natal e de amor,
numa suave noite de Natal em que seria radioso lembrar s pessoas que, por vezes as pessoas
conseguem coisas formidveis. Ao telegrama de Londres eu tinha somente que apor um ttulo.
Foi o que saiu: Os Homens Levaram-lhe Morangos.
Nunca soube se o menino de Londres chegou a comer os morangos. Nunca soube se o
menino de Londres conseguiu safar-se da morte. Sei que houve dezenas de avies que
transmitiram o pedido de uns para os outros, que centenas de passageiros, certamente
imprecando, saram atrasados para os seus destinos. Sei que os morangos chegaram a
Londres.
Sei que em Lisboa, num Dezembro usualmente triste, a arremedar uma humilde
felicidade, - a qual, por ser humilde, ter sempre de ser simples, afectuosa e discreta - houve
um reprter que escreveu palavras teis porque eram o alvoroado testemunho de que os
homens, quando querem, conseguem tudo!...
Baptista Bastos, "Reconto dos Morangos" in Cidade Solitria