Você está na página 1de 247
Uma missão secreta durante a II Guerra Mundial com um só objetivo: eliminar o presidente

Uma missão secreta durante a II Guerra Mundial com um só objetivo:

eliminar o presidente norte-americano Roosevelt e o primeiro ministro britânico Churchill, sem haver lugar para falhas nem hesitações. Escolhida a equipe de elite para levar a cabo esta missão, o livro entra também numa corrida contra o tempo, onde os diversos acontecimentos poderão alterar o curso da história. Uma história contada por Glenn Meade onde se testam igualmente os sentimentos humanos, quando qualquer falha pode revelar-se fatal.

Cairo:Naatualidade

EraAbrilesopravaokhamsin,umventouivantedodesertoqueaçoitavaas

ruascomrajadascegantesdeareia.

Quandootáxiparouàportadamorgueemeapeei,interroguei-medenovo

sobreoquemelevaraairalinumanoitetãomiserávelesemmaisprovas

doqueocadáverdeumvelhotequederaàpraianamargemdoNilo.

-Osenhorquerqueeuespere?-perguntouotaxista.

-Porquenão?-Defato,nãoestavaumanoitenadaconvidativaparaterde

irdepoisàprocuradeoutrotáxi.

A morgue era um daqueles antigos edifícios grandiosos de pedra que vemoscomfrequêncianoEgito,relíquiasdopassadocolonial,entretanto delapidadasemaltratadaspelouso.Aluzdaentradacintilavasobreuma portaazulcomumagrademetálicainseridaameio.Toqueiacampainha,e aofimdeunsmomentosagradeabriu-se,revelandoacarabarbadadeum homem.

-Ismail?

Ohomemacenoucomacabeçaafirmativamente.

-Vimverocorpodovelhote-declareiemárabe.-OquepescaramdoNilo.

OcapitãoHalim,daPolíciadoCairo,disse-mequeperguntasseporsi.

Omeuinterlocutorpareceusurpreendidoporeufalarasualíngua,todavia

logoaseguirabriuaportaeafastou-separamedeixarentrar.

- É da família do falecido? - indagou com uma bem treinada expressão compungida.

-Soujornalista.

Aexpressãodesvaneceu-sedeimediato.

-Quedeseja?

Pegueinacarteira,daqualextraíumagenerosaquantidadedenotasque

lheentreguei.

- Só gostava de ver o corpo do velhote. Pode dar-me uma boa história, percebe?

EraóbvioqueIsmailpercebia.Odinheirobaniaqualquertipodediscussão,

eohomemsorriuenquantoenfiavaasnotasnobolso.

-Claro.Estousempredispostoacolaborarcomossenhoresdaimprensa.E

americano?

-Sou.

-Bemmeparecia.Venhaporaqui.

Conduziu-me à morgue. O aspecto era miserável e a precisar de obras, contudoodelicadotrabalhodearabescosemmadeirarendilhadanosarcos eportaserasóporsiumaobradearte.

Ismailindicoucomumgestooquepareciaumapequenazonadetrabalho,

fechadaporumacortinadecontaspesadas.

- O cadáver está ali. Eu estava a tratar dele quando o senhor tocou à campainha.

Segui-o,eeleafastouacortina.Aluztrémuladeduasvelasperfumadas colocadas ao lado de uma laje de mármore iluminava um cadáver masculino,nu,colocadosobrealaje,juntodaqualumamesinhametálica exibiaalgunsdosutensíliossimplesdoagentefunerário.

Ovelhotesobrealajedeviatersetentaemuitosanoseerabastantealto,

maisdeummetroeoitenta.Tinhaosolhosabertosebaçosdamorte,o

fracocabelogrisalhoafastadodatesta.Apeleficarabrancaeengelhada

devidoàimersãodeváriosdiasnaágua,asfeições,tensaseterrivelmente

contorcidas.

Sentiumarrepiopercorrer-me,poisoperfumedasvelasnãoescondiao

fedordadecomposição,eaceneicomacabeçanadirecçãodocadáver.

-Queéquesabesobreele?

Oagentefunerárioencolheuosombros,comosepoucaimportânciativesse

maisumamortenumacaóticacidadedequinzemilhõesdealmas.

-Foitrazidoparacáontem.APolíciaencontrou-onaáguapertodaponte

ferroviáriasobreoNilo.Aidentificaçãonacarteiradiziachamar-seJohann

Halder,alemão,residentenumapartamentodoBairrodeImbaba.

Aquilojáeusabia.

-Alguémreclamouocorpo?

-Aindanão.Ocadávervaicáficaralgumtempoenquantoseprocuramos familiares. No entanto, ainda não apareceu nenhum. Parece que vivia sozinho.

-Afogou-se?

Ismailanuiudecabeça.

- O médico-legista acha que sim. Como pode ver, não há ferimentos no corpo.Elepensaqueovelhotetalveztenhacaídoaorioporacidente.Ou entãosuicidou-sedeumadaspontes.Eimpossívelsaberaocerto.

-Hámaisalgumacoisa?

-Receiobemquenão.TerádeperguntaràPolícia.

-Peloqueouvidizer,descobriramqueonossofalecidoamigotinhaum segundo conjunto de documentos de identificação escondidos no apartamento.ErambastanteantigosedelesconstavaonomeHansMeyer. Se ele for quem eu penso, podemos estar a contemplar os despojos terrenosdeumhomemverdadeiramenteincrível,tendoemcontaquefoi dadocomomortohámaisdecinquentaanos.

Ismailassobiou.

-Então,nãoadmiraqueooutrocavalheiroestivessetãointeressado.

-Outrocavalheiro?

- Esteve cá há menos de meia hora. Veio inspeccionar o corpo. Um americano idoso. Aspecto militar. Entrou por aí dentro a exigir ver os restos mortais. - Ismail fez um grande sorriso e bateu com a mão na algibeiradatúnica.-Infelizmente,nãoeratãogenerosocomoalgunsdos seus compatriotas. Quando lhe pedi uma pequena gratificação, ameaçou cortar-meamão.

-Quemeraele?

Ismailcoçouacabeça.

-Weaver,achoquefoioqueeledisse.HarryWeaver.

Fiqueiintrigado,comumestranhoformigueiroadescer-mepelascostas.

-HarryWeaver?Temacertezadonome?

-Creioquesim.ConheceesseMr.Weaver?

-Erapessoa,não,masjáouvifalardele-respondi.-Foidurantequase quarenta anos conselheiro de segurança dos presidentes americanos. - Levanteiagoladocasacoepreparei-meparasair.

Ismailvoltouafalar:

-Achaqueocorpopertenceaotalalemãodequefalou?

Baixeiosolhosparaocadáver.

-SóDeus sabe. O pobre-diabo ficou em tal estado que mal se consegue distinguirumladodooutro.Temamoradadofalecido?

-Claro.Fuiláontembuscarroupasparaoenterro,segundoinstruçõesda Polícia. - Escreveu a morada num papelinho que lhe facultei. - O apartamentoficanoúltimoandar-esclareceu.

-Obrigado,Ismail,asuaajudafoipreciosa-agradeci,enfiandoopapelno

bolso.

Imbabaéumbairrooperário,umbairrodelataacairaosbocadospróximo

dasmargensdoNilo,ondeascasasestãoagarradasumasàsoutras,como

queaencolherem-secontraapobrezaeporcariacircundantes.Otaxista

encontrouoendereçosemqualquerdificuldade.

-Espereaqui-pedieu,eapeei-me.

A casa era de estilo árabe, uma grande habitação antiga, com muita madeiracastanhaemuitodecadente.Aportadaruaestavaaberta,batendo aovento,comumvestíbuloescuroaseguir.

Aosubirasescadas,ouviumacriançaachoraralguresnoedifício.Quando cheguei ao último andar, vi uma das portas que davam para o patamar abertaeentrei.

Adivisãoemquemeencontreiestavanamaiscompletadesarrumação.As gavetastinhamsidoabertas,eoseuconteúdo,espalhado,comosealguém tivessepassadorevistaàcasa.Nochãohaviapapéisecorrespondênciade hámuitotempo,roupaseartigosdeusopessoal.Duasportaslevavama outras divisões. Enquanto eu dava uma olhadela à correspondência e demaispapéis,umadasportasabriu-se.

Virei-meevientrarumhomemaltoeidosodegabardina.Apesardaidade, evidenciava um evidente ar militar - um bom metro e oitenta e cinco, feiçõesbemcinzeladas,emborativesseosombrosumpoucocurvadoseos penetrantesolhoscinzentosparecessemaquososdaidade.

-Quemdiaboévocê?-exigiusaber,comumapronúnciaindiscutivelmente

americana.

-Podiafazer-lheamesmaperguntasenãosoubessejáaresposta,coronel

Weaver.

-Conhece-me?-perguntouele,atónito.

- Não pessoalmente, todavia qual é o americano que não ouviu falar de HarryWeaver?Umalendaviva.Conselheirodesegurançadospresidentes americanosdurantequasequarentaanos.

-Evocê,quemé?-vociferouWeaver.

-Chamo-meFrankCarney.

Não pareceu impressionado, contudo algo lhe provocou um brilho nos olhoseumfranzirdosobrolho.

-NãoéoCarneydoNewYorkTimes?

-Exatamente.

-Quediabofazaqui?

-Bom,achoquepodeimaginar.Fomosambosàmorguepelamesmarazão:

JohannHalder.

Weaverempertigou-se.

-Estevenamorgue?

- Parece que por pouco não me encontrei lá consigo. E, a propósito, o funcionárionãoficoumuitosatisfeitopornãolheterdadogorjeta.

OsolhosdeWeaversemicerraram-seàcautela.

-ComosoubedeJohannHalder?

-AcontecequeaEgitologiaéumdosmeusinteresses,razãopelaqualestou há cinco anos no Cairo como correspondente. Há uns anos, fíz pesquisa paraumartigosobreumcertoFranzHalder,ricocoleccionadoralemãode artefatos egípcios. Eu andava a pensar em escrever um livro sobre os tesourosegípciosdesaparecidosduranteaúltimaguerra.

-Edepois?-perguntouWeaver,interessado.

-Antesdaguerra,Halderpossuíaumadasmelhorescolecçõesprivadasda Alemanha. Morreu em Hamburgo em 1943 durante um raide aéreo dos Aliadoscombombasincendiárias.Algumtempodepois,todaasuacolecção desapareceu. Tentei aprofundar. Descobri que Halder tinha um filho, Johann,queprestouserviçomilitarduranteaguerra.Osregistosmilitares alemães declaram-no morto em combate em 1943, no decorrer de uma

missãoqualquer,semnoentantomencionaremcomoouonde.Emtodoo caso, um amigo meu, jornalista em Berlim, descobriu que Halder fora

recrutadoparaaAbwehrem1940.Emlínguadegente,issoeraserviçode

espionagemmilitaralemãnaalturadaguerra.

-SeimuitobemoqueeraaAbwehr,Carney,mascontinue.

-Emcriança,JohannHalderfoieducadonaAméricaatéàmortetrágicada mãeaodaràluzosegundofilho.Depoisdisso,opaile-vou-odevoltapara Berlim.Alcançouopostodemajorduranteaguerra,apesardenuncaseter inscrito no Partido Nacional-Socialista. O resto da sua carreira militar é quaseummistério.Nãovolteiapensarnoassuntoaté há pouco tempo, quando entrevistei um dos antigos diretores do Museu Egípcio, Kemal Assan,poucoantesdasuamorte.MencioneiFranzHalderdepassagem,e Assan disse-me que conhecera o filho, Johann, em 1939, quando este participounumaescavaçãoarqueológica em Saqqara. Contouainda tê-lo vistonoCairodepoisdaguerra.ConsiderandoqueHalderforadadocomo morto,aquilopareceu-meincrível.

Weaverficoudesúbitomuitointeressado.

-EquelhedisseconcretamenteesseAssan?

-Hádezanos,estavasentadonumcafédoCairo,distraído,quandoreparou nohomemqueocupavaamesaaoladoecujorostolhepareceudecerto modo familiar. Assan perguntou-lhe se não se conheciam, e o homem limitou-se a sorrir e a responder em alemão: Conhecemo-nos há muito temponoutravida.Levantou-seefoi-seembora.Assanprocurousegui-lo, masperdeu-ocompletamentedevistanobazar.

Weaverpareceudesiludido.

-Compreendo.Então, você ficou convencido de que Halder talvez ainda estivessevivo?

-Eummistérioquemetemincomodadodesdeentão.Nãoseibemoque pensar, contudo pareceu-me ter potencial para uma história. Então, na GazetaEgípciadeontem,depareicomumamençãoaocorpodeumalemão idoso que fora retirado do Nilo. Constava que tinha documentos de identificaçãoemnomedeJohannHalder.Junteidoisedoisetiveesperança

dequedessequatro.-FiteiWeaver,queselimitouaabsorverainformação,

semnoentantosemanifestar.-Aquestãoé:quefazosenhoraqui?Sea

memórianãomefalha,osenhorintegrouoserviçodeespionagemnoCairo

duranteaguerra.Nãopossodeixardepresumirqueveioaquiporsaberde

Halder.

Weaverpareceuderepenteterdificuldadeemencontrarpalavras,preso

numaarmadilhamontadaporsipróprio.Suspiroueaseguirdeixou-secair

numadascadeiras.

-EJohannHalderqueestánamorgue?-perguntei.

Elenãorespondeu,eeuinsisti:

-Então,aomenos,diga-mearazãodasuapresençaaqui.Afinal,nãoétodos

osdiasquedeparocomahistóriadeumhomemdadocomomortoeque

afinalpodeestarvivomaisdecinquentaanosdepois.

Weavercontinuouemsilêncio.

Fitei-ointensamente.

-Tenhoasensaçãodeestarafalarparaumaparede,coronel.

Elelevantou-se,comoqueparaseirembora,edeclaroucomfirmeza:

- Não tenho por hábito discutir os meus assuntos pessoais com desconhecidos.

-Estábem,coronel,seéissoquedeseja.Masgostariadelhecontaruma

coisaquetalvezosenhorqueirasaber.

-Duvido.

- Ouça-me só um minuto. No momento em que ouvi o seu nome lá na morgue,sentiumarrepionascostas.Gostariadepensarquetalvezfosseo destinoadesempenharoseupapel.

Osolhosdomeuinterlocutorsemicerraram-se.

-Dequeraioestáparaaíafalar?

-OnomeTomCarneydiz-lhealgumacoisa?

Weaverpareceuficarabismado,comoseeulhetivessedadoumsoco.

-CapitãoTomCarney?

- Esse mesmo. Era meu pai. Serviu consigo nas informações militares e

desembarcaramnoNortedeÁfricaduranteaOperaçãoArchote,em1943.

O senhor foi ferido por estilhaços quando um morteiro atingiu a vossa unidadedereconhecimentonasproximidadesdeArgel.Elecarregou-ode volta às linhas americanas sob intenso fogo inimigo. Isso valeu-lhe uma medalhaporrecomendaçãosua.

Adurezaesvaiu-sedacaradeWeaver.

-Ora,diabosmelevem!Então,vocêéfilhodeTomCarney!

-Omeupaicostumavafalarmuitodesiaolongodosanos.Deixou-mea

sensaçãodeteremsidobonscamaradas.

Weaverconfirmoucomumacenodecabeça,eosseusolhoshumedeceram-

secomasrecordações.

-Eraumhomembom.Corajoso.Honesto.Ouvidizerquetinhamorrido

quê?Háunsdezanos?

o

-Doze.Enãopassaumdiaemqueeunãosintasaudadesdele.

-FiteiWeavercomfirmeza.-Agrada-mepensarqueporvezesasvidasse cruzam,mesmoqueporbrevesinstantes,porrazõesquenós,mortais,nem sequer somos capazes de começar a entender. Talvez esteja escrito nos nossosastros.Comoaconteceucomosenhoreomeupai.E,sabe,quando ouvi mencionar o seu nome, calculei que fosse o destino a dar-me uma mãozinha.EstaquestãodeHalderanda-meàsvoltasnacabeçaháunsanos. Sóestouapedir-lheumaajudinha.

Ocoronelpermaneceuemsilêncio.

-Talvezachequeépedirdemais.Sóduasperguntas:porqueestáaqui e comoconheceuHalder?

Weaver suspirou, um profundo suspiro demorado como se estivesse a tentarexpeliralgumadorbemfunda.

-Sim,conheciJohannHalder-acaboueleporconfessar.-Porém,duvidode quesaibaalgumacoisaquepossaajudá-loadescobriroqueaconteceuà colecção de Franz Halder. Há fortes probabilidades de ter acabado nas mãosdosRussosaseguiràcapturadeBerlim.Aliás,foioqueaconteceua quasetudooquetinhaalgumvalor.

-Jácalculavaquehouvesseessapossibilidade.Todavia,eJohannHalder?

Quepodecontar-mesobreele?

Weaverergueu-seefoiatéàjanela.Nãoolhouparatrásenquantofalava

quasedistraidamente:

-OCairoeraumsítioextraordinárioduranteaguerra!Podemesmodizer-

sequeasortedaguerrafoidecididaaqui.

-Sim?Ecapazdemecontarisso?

Eleficoucompletamenteperdidonosseuspensamentosenquantoolhava

pelajanela.Quandosevirou,asuaexpressãoeraomaissériapossível.

-Comumacondição.Nãopublicanadadoqueeulhedisserenquantoeu

nãomorrer.

-Temaminhapalavra-assenti,fitando-o.

Elerelanceouoolharpeladivisãoimunda,comosetivessedesúbitoficado

poucoàvontadenaqueleambiente.

-Quetalirmosemboradaquiparafora?

-Tenhoumtáxiàesperaláfora.Possodar-lheboleia.

-Numanoitedestas,nãorecuso.EstoualojadononovoShepheard‚’s.Nãoé nada que se pareça com o antigo hotel que substituiu, mas pelo menos serveumwhiskyamericanodecente.

-Issoéqueéfalar!

O percurso até ao hotel foi uma provação. Weaver quase nem falou, limitando-seaolharpelajaneladotáxi,perdidonummundosóseu.Tivea terrívelsensaçãodequeestavaareconsiderarapropostademecontara suahistória,atéqueeledeclarou:

-Nuncaconteiaminhahistóriafosseaquemfosse.Apeteceu-mecontar

muitasvezes,porqueeraumacoisaquemeperseguia,noentantomantive

osegredo.Talveztenhachegadoaalturadeacontaraalguémantesque

sejademasiadotarde,queraio!-Quandochegámosaohotel,disse:-Vou

terconsigoaobardentrodedezminutos.ParamiméumDewarsduplo.

Puro.

Dirigiu-seaoelevador,eeufuiparaobar-restaurante.Sentei-mepertode

umajanelaepedidoisDewarsduplos;depois,mudeideideiasedisseao

criadoparatrazeragarrafa.

Weaverdesceudezminutosdepois.Trocaraderoupa,envergandoagora

umacamisolaecalçasdealgodão,epareciamaisàvontadeaopercorrero

barcomosolhos.

- Diabos me levem, isto não é nada como antigamente! Sabe que Greta Garbocostumavaalojar-seaqui?JáparanãofalaremLawrencedaArábia, WinstonChurchillemetadedosespiõesdaGestaponoCaironotempoda guerra.-Bebeutodoowhiskyquetinhanocopo.

Volteiaservirosdoiscoposepouseiagarrafaentrenós.

-Seamemórianãomefalha,oShepheard‚’soriginalfoidestruídoporum

incêndioduranteosmotinsindependentistasde1952.

-Pareceserbomemhistória,Carney.

-Razãopelaqualháumacoisaquemeperturba.Seforverdadetudooque

descobrisobreJohannHalder,eseelesobreviveumesmoàguerra,porque

haviadedecidirdesaparecer,escondendo-se,envolvidoemmistério?

- Podia haver mais do que uma razão. Por exemplo, os Estados Unidos teremprovassuficientesparaocondenaremcomotraidor.

-Como?-Franziosobrolho.-Então,Haldernãoeracidadãoalemão?Como

podiaserumtraidoramericano?

-Eradefatocidadãoalemão,masnaturaldosEstadosUnidos.Oseunome verdadeiro era Johann, porém era mais conhecido por Jack. E o desaparecimentodeleestárelacionadocomamissãodequevocêfalou,a talemquefoidadocomomorto.

-Nãoestouaperceber.

- Halder liderou um comando secreto encarregado de assassinar o presidenteRoosevelteoprimeiro-ministroChurchillnoCairoporordem directadeHitler.

Euestavaatónito.

- Um assassino nascido na América e enviado por Hitler para matar o presidentedosEUA?Éincrível.

Weaverpousouowhisky.

-AmissãodeHalderpretendiaalterarocursodaguerraafavordosnazis. Desenrolou-se quando Roosevelt e Churchill vieram participar na Conferência do Cairo, em Novembro de 1943, para delinearem planos ultra-secretos para a Operação Overlord, a invasão da Europa. Se Hitler tivesselevadoasuaavanteeelestivessemsidoassassinados,causariao caos entre os Aliados, a invasão nunca se teria realizado e a Alemanha ganhariaaguerra.-Weavermostrouopolegareoindicadorseparadospor umintervalominúsculo.-Acredite,Carney,esteveporumtriz.Aindafico assustadosódepensarnisso.

-Estáafalarasério,nãoéverdade?-perguntei,espantado.-Aconteceu

mesmo.

-Oh,seaconteceu!-declarouWeavercomfirmeza.-Eaminhamissãoera

deterHalderematá-lo.

Fitei-o,ansioso.

-Todavia,mesmopresumindoqueHaldertenhasobrevivido,porquehavia osenhordequererencontrá-lo ao fim de todos estes anos? Para poder

condená-loportraição?

-Não,asrazõessãomuitomaispessoais-respondeuocoronelbaixinho,

comumolhartriste.Apercebi-meentãodasúbitacargadeemoçãonasua

voz.-Contudo,nãotenhadúvidasdeumacoisa,Carney:Haldercontribuiu

mesmoparaalterarocursodahistóriamundial.

-Importa-sedemecontarcomo?

Weaverolhoupelajanela,deolhosvidrados,comoseestivesseatentar recuar no tempo. A uivante tempestade de areia quase se extinguira, desvendandoacidadeantiga,ederepenteavistámosoNilomajestoso,os barcos-casasemplenorio,aspungentesvielasescuraseosaltosminaretes, os contornos fantasmagóricos das Pirâmides de Gizé ao longe. Não me custava a imaginar como seria há mais de cinquenta anos, uma cidade plenademistérioeintriga.

Quando Weaver se virou de novo, tinha no rosto uma expressão enigmática.Talvezfossedesgostoousofrimento,nãopercebi.

-Talvezsejamelhorcomeçarpeloprincípio.EuconheciJackHaldermuito

antesdaguerra.Éramosamigosdeinfância.Poderiamesmodizer-seque

éramoscomoirmãos.

PrimeiraParte:Setembrode1939

Cairo

Emtempos,tinhamestadotodosjuntos.Eramjovens,eolocalchamava-se Saqqara.Umaequipaarqueológicadescobriraaentradaparaumacâmara funerária secreta perto da pirâmide em degraus do faraó Djoser, nas proximidades das ruínas da antiga cidade de Mênfis, a sul do Cairo. A equipaeracompostanagrandemaioriaporjovensnacasadosvinteanos idosdeFrança,daAlemanha,daGrã-BretanhaedaAmérica.Algunseram arqueólogos e egiptólogos, outros, engenheiros ou aventureiros, e todos trabalhavam arduamente em equipa sob o escaldante sol do deserto, decididosadivertir-se,apesardosventosdeguerraqueseadensavam.

Paradoisdosjovens,HarryWeavereJackHalder,aescavaçãoemSaqqara

eraumreencontrocombinado.

Filhodeumaatraentesenhoradaaltasociedadenova-iorquinaedeum prussiano rico, Jack Halder era aventureiro por natureza. Tinha vinte e quatroanos,maisumdoqueWeaver,cujopaiforacaseironapropriedade familiar da mãe de Jack. Apesar das diferentes origens sociais, os dois rapazeseramamigosdesdesempre,passandosempreosverõesjuntos.No entanto, em Saqqara havia um problema. Ambos se apaixonaram pela mesmamulher.

RachelStemeraumajovemarqueólogadevinteetrêsanosacabadadesair

dauniversidade,filhadepaicatólicoalemãoedemãejudia.Louraede

olhosazuis,pareciaterherdadoainteligênciaebelezadospais.Eramos

doisarqueólogosderenome,eopai,professor,comandavaaescavação.

RachelSterngostavamuitodeambososjovens,masnãopareciacapazde

decidirqualamava,porissoiadeixandoascoisascorrer,andandoostrês

juntos.

NaqueleVerão,organizaramidasaoCairoeaLuxor,explorandoosbazares

emercados,aoValedosReiseàsruínasdoTemplodeKarnak.Aosfins-de-

semana, dançavam no Shepheard‚’s ou jantavam nos pequenos restaurantezinhosdiscretosqueproliferavamaolongodoNilo.

HarryWeaverpediraquelhestirassemumafotografiaaostrêsjuntosno meiodostúmulos,nodesertoescaldantedeSaqqara,comapirâmideem degraus como fundo, todos bronzeados e a sorrirem para a máquina, Rachelentreosdoishomens,comumbraçoarodearacinturadecadaum deles.Foraaépocamaisfelizdajuventudedeles.

Porém,oVerãotinhadeacabar.Estava-seemSetembrode1939,aguerra

fora declarada na Europa e as vidas deles, tal como tantas outras, iam mudarparasempre.

Naquelatarde,ocalortremeluziasobreovastodesertoqueseestendia

paraládaspirâmidesquandoojipecobertosedeteveeHarryWeaversaiu

ládedentro.Limpouatestacomascostasdamãoeaseguirretiroudo

assentotraseiroumavelhasacoladecabedalantesdeseencaminharpara

oconjuntodegrandestendasdelonaquehaviamsidomontadasemtorno

daEstaçãoArqueológicadeSaqqara.

Um distinto cavalheiro grisalho de chapéu colonial e camisa de caqui manchadadesuorsaiudeumadastendas.

-Harry,atéqueenfim!Tinhacomeçadoapensarqueeraprecisomandar

umaequipadebusca.

-- Desculpe, professor Stern - disse Weaver. - De caminho, parei no Shepheard‚’sparasabernovidades.

-EoqueéqueconstanoprincipalbebedourodoCairo?

-Varsóviacontinuaemchamas.Osbombardeirosalemãesestãoaarrasá-la.

NinguémesperaqueosPolacosaguentemmuitomaistempo.

-Hitler,aquelelouco-resmungouSternporentreosdentescerrados.-

Daqui a nada, temos a Europa toda em ruínas sem darmos por isso. -

Apressou-se a mudar de assunto, como se o tópico do momento fosse demasiadoperturbador,eolhouparaumgrandeburacoescavadoapouca distância. Estava rodeado por uma resistente estrutura de segurança de madeira,eumaescadadesciaparaointerior.-Jáestamosadiantados.Só falta trazer para cima o resto do equipamento de escavação e depois tratamosdedeixartudoarrumado.Trouxeocorreio?

Weaverergueuasacola.

-Estátodoaqui,aúltimaentrega.

-Excelente.--Sternlimpouosuordatestaantesdeestenderamãoparaa sacolaeacenarcomacabeçanadirecçãodopoço. - Rachel e Jack mais alguns dos outros ainda estão lá em baixo. Porque não vai ajudá-los na limpezaenquantoeuentregoascartasaopessoal?

Weaverdesceuaescadaparaointeriordopoço,comumaprofundidadede quasequinzemetros.Láembaixo,trêsestreitoscorredoresconduziamem direcções diferentes aos três túmulos individuais que tinham sido descobertos.Oardotúnel estava agradavelmente fresco, quase frio, e a atmosferaeraumpoucoestranha,todaviaWeaverestavahabituadoàquilo eencaminhou-sealegrementeporumadaspassagensmaliluminadasaté chegaraofimeouvirvozes.

Umgrandesarcófago,emtempostúmulodeumaprincesarelativamente poucoconhecidadadinastiadeDjoser,ocupavaumnichonaparededo fundo.Osdespojosmumificadoshaviamsidoretiradosapósadescoberta.A tampadocaixão,depedra,estavaencostadaàparede,revelandoasbelas inscriçõeshieroglíficasnasuperfície,enquantovárioselementosdopessoal removiam equipamento de escavação e cabos de electricidade. Weaver avistou Jack Halder e Rachel Stern, muito atarefados, com as roupas cobertasdepófino,eentãoRachelvirou-se.

Tinhaocabelolouropresoatrás,oquelheacentuavaasmaçãsdorosto elevadas, e minúsculas gotas de transpiração perlavam-lhe a cara e o pescoçobronzeados.Emboraenvergassecamisaecalçaslargasdecaqui,a suafiguraeraevidenteeestavaadmiravelmentebonita.DirigiuaWeaver umsorrisoperfeito.

-Harry.Estávamosmesmoagoraafalaremti.

-Nãoadizermal,espero.

-Claroquenão.Sónosinterrogávamossobreatuademora.

-PasseipeloShepheard‚’s.Asnotíciasnãosãoboas.Varsóvia continua a arder.ParecequeaPolóniavaiserobrigadaarender-semuitoembreve.

-Étudotãohorrível-comentouRachel.-Nãoachas,Jack?

Jack Halder tinha um rosto atraente, olhos azul-claros e um sorriso que dava a ideia de ele achar a vida infinitamente mais interessante do que esperara.Contudo,nãosorriaagora,aoabanaracabeça.

-Éterrível.Quasemeenvergonhodeseralemão.

Weaverpousouumadasmãosnoombrodoamigo.

-Achoquetodosnossentimosmalcomoqueestáapassar-se,Jack,mas

nãofostetuquedesencadeasteoconflito.FoiHitler.

-Achoquetensrazão.-Halderfitouporinstantesosarcófagoabertocom um olhar de admiração antes de passar a mão pela superfície gasta da tampa.-Vouterimensapenademedespedirdaúltimamoradadanossa princesa.Pensandobem,nãoéincrível?Emtempos,foiobjectodedesejo. Agora, é uma múmia repousando na casa-forte do Museu Egípcio. Qual seriaoaspectodela?Quetipodevidateve?Quemamou?Duvidodeque algumavezalguémfaçaestasperguntasanossorespeito.Pelomenos,ela atingiuumaformadeimortalidade.

-Jackésumsonhadortãoromântico-sorriuRachel.

-Esperemosapenasquenãohajaumamaldiçãoligadaà nossa princesa, senãoestamosfritos-declarouWeavercomumhumorseco.

Riram,edepoisouviu-seumruídoalguresatrásdeles,passosadescerema

rangenteescadademadeira,aparecendoentãooProf.Sternnocorredor.

-Detestoserdesmancha-prazeres,masjádistribuíocorreioqueHarryfoi

buscaraoCairo.Sãoquasetudomásnotícias,peloquepercebi.Pelomenos,

umadúziadonossopessoalfoimobilizada.

-Harrycontou-nosdeVarsóvia-sussurrouHalder.

-Nemqueropensarnisso-redarguiuoProf.Stern,desanimado.-Antes

quemeesqueça,Jack,nocorreiovinhaumacartaparasi.-Estendeu-lheo

sobrescrito.

Halderaproximou-sedeumadaslâmpadas,abriuacartaeleuoconteúdo.

Asuaexpressãoensombrou-sevisivelmenteantesdeeledobraraspáginas

comlentidãoeasenfiarnobolsodopeito.

-Quesepassa?Másnotícias?-interessou-seRachel.

-Decertamaneira-respondeuHaldercomumsorrisoforçado.-Edomeu

pai.

Eficou-seporali,comoseoassuntofosseparticular.Sternreadquiriuuma

súbitavivacidadeaopousaramãonoombrodeWeaver.

- Bom, é melhor voltarmos ao trabalho. Quero tudo acabado antes de escurecerparapodermosaproveitaraomáximoafestadeamanhã.

-Qualfesta?-indagouWeaver,etodosolharamparaoprofessor.

Elesorriu.

-Umsegredoquetenhomantido,masquejáétempodetodosconhecerem. Oembaixadoramericanoinsistiuemdarumafestadegalaemnossahonra. Vai haver uma esplêndida refeição volante, foi convidada uma série de pessoas distintas e, pelo que ouvi, o embaixador até contratou uma orquestrademúsicadedança.

-Oraviva-comentouHalder,maisbem-disposto.

-Quenotíciamaravilhosa,pai!-exclamouRachel.

-Calculeiqueistoosanimasse.-Oprofessorarregaçouas

mangas.-Agora,vamoslálevaroequipamentoparacimaeembalalopara

depoispodermostodosdescansar.

OSolcaminhavaparapoente,lançandosobreodesertoumaluzalaranjada.

Ojantarforaservidopeloscozinheirosbeduínos-almôndegas,arrozde

açafrãoepãofresco-,e,porseraúltimanoitequepassavamacampados,o

Prof.Sternprovidenciaracervejaegípciaevinho.

Sentaram-seaoredordafogueira,maspoucofalaramdaguerra.Umdos

francesestocouacordeão,acompanhadoàviolapordoisjovensingleses,e

quandoacabaramaconversaeascantoriaseraquasemeia-noite,asbrasas

esfriavameaspessoascomeçaramadirigir-separaasrespectivastendas.

Halderestavaumpoucoembriagadoaosacardemaistrêsgarra-lasde

cervejae,comumgrandesorriso,entregarumaaRacheleoutraaWeaver.

Ergueuasua.

-Gostavadeproporumbrinde.AnossaeaSaqqara.

- Á nossa e a Saqqara. - O brinde foi repetido em coro no meio de gargalhadas.

Conversaramdepoisdurantealgumtempo,observandoasluzestioCairoà

distância.Porfim,Rachellevantou-seesacudiuopódascalças.

- E agora é mesmo melhor ir para a cama. Estou ansiosa pela l esta de amanhãànoite.Esperoqueambosmeprometamumadança.

Beijoucadaumdelesnafacecomternuragenuína.-Boanoite,Jack.Boa

noite,Harry.Durmambem,meusamores.

Weaverficouavê-laencaminhar-separaastendas.Virou-seereparouque

Haldertambémaobservavaquaseemtranse.

-Estásapensaromesmoqueeu?-perguntouHalder.

-Nãosei,Jack.Diz-me.

-Queelaéamulheriftaismaravilhosaquequalquerdenós alguma vez conheceu.

-Leste-meospensamentos,comosempre.

-Sejamosfrancos,Harry.Averdadeéqueestámosambosenamoradosde

Rachel.Portanto,porquenãoacabamoscomestasmas-culinicesridículas

denãodemonstrarmososnossossentimentoseconfessamososdoisoque

sentimos?

-Queresquesejafrancoquantoaosmeussentimentos?

-Quero.Cartasnamesa.Prometofazeromesmo.

Weaverolhouparalonge,nadirecçãodoCairo.

Nãoconseguidormirontemànoiteporsaberqueeramosúltimosdiasque passava na companhia dela. É a primeira mulher a sério por quem me apaixonei.

-Deu-teforte,hem?-comentouHaldersolenemente.

-Achoquesim.Eparecenãopassar.

-Contudo,nuncalhedissesteoquesentes,nemsequeremtermosvagos,

poisnão?

-Sabesbemquenão.Eissoéomaisridículo.Houvesemprequalquercoisa

aimpedir-me.Talvezomedodeserrejeitadooudeperderaamizadedela

senãoforcorrespondido.-‚ñ†Weaverencolheuosombros.-Oupodiater

sidooutracoisa.Nãotenhoacerteza.Etu?

Porummomento,Halderpareceudesúbitoumrapazinhopoucoàvontade

aconfessarumsegredo:

-Porvezes

coisasquegostavaqueviessemaacontecerentreelaeeu.Vejo-nosjuntos.

Sonhocomelagrávidadeumfilhomeuefelizporserminhamulher.Sonho

fazeramorcomela.Eforaminúmerasasvezesemquequismesmodizer-

lhe. - Halder fitou o amigo. - Sabes como costumo ser temerário e

impetuoso.Noentanto,talcomotu,nãofuicapaz.

ficoacordado,irrequieto,aimaginartodasas

muitasvezes

-Porquenão?

-Comtodaaprobabilidade,pornãoquererestragartudo.

-Quequeresdizercomisso?

HaldercolocouamãonoombrodeWeavercomamizade.

queéigualmente

importante.Semprefosteomeumelhoramigo.Talvez,seumdenóstivesse

-Háoutrotipodeamor

nãofísico,massimfraterno

avançado,déssemoscabodetudo.Eeunãoqueriaqueissoacontecesse.

-Achoquepercebooquequeresdizer.

- Mesmo assim, Harry, tem de haver uma solução prática. - Halder permitiu-seumsorrisodivertido.-Pondoaamizadedelado,quemedizes sehouverumapossibilidaderemotadeRachelestarapaixonadaporumde nós?

-Quequeresdizercomisso?

-Seassimfosse,nãoseriaumapenaimpedirmosqueaNaturezaseguisseo

seucurso?Decontrário,podemospassarambosorestodavidaalamentar

nãolhetermosditooquesentimosantesdeelapartir.Pelomenos,umde

nóspodiaserfeliz.ERacheltambém.

-Achasmesmoqueelapodeestarapaixonadaporumdenós?

-Amanhã é a última oportunidade de descobrirmos - respondeu Halder comnovosorriso.

A residência do embaixador americano estava repleta de dignitários internacionais, o escol da sociedade egípcia e dos residentes europeus, desdeartistasdecinemaadiplomatas,deoficiaissuperioresaprofessores universitários.Afestaestavanoauge,comtodaagentebem-disposta,e,ao abrircaminhoporentreamultidãoqueocupavaapistadedança,Weaver iacorrespondendoaosapertosdemãodedespedidadeoutrosmembros daequipa.Derepente,sentiuumavontadedesesperadadeestarsó.

Dirigiu-seaumajaneladesacadaesaiuparaumavaranda.Estavafrescolá fora,comlótusebuganvíliasaperfumaremoarnoc-turno.Osjardinsda residência eram magníficos. Havia lâmpadas coloridas a iluminarem um pavilhãodemadeiranojardim,eomajestosoNilofluíaparaládomuro. Naquelanoite,acidadepareciaenvolvidanumatranquilidadeincrível,com

oshabituaisruídosdotrânsitoreduzidosaumsimplessussurro.

Enquanto ele ali estava a gozar a solidão, a porta abriu-se e apareceu Rachel com um vestido preto simples justo ao corpo, seguida por Jack Halder. Ele trazia uma garrafa de champanhe gelado e três taças. Entregando-lheuma,sorriuedisse:

-Quefesta,nãoé?Masestáscomaspectodequemjádançouosuficiente

paraumanoite,Harry.Calculámosquehavíamosdeencontrar-tenumsítio

sossegado.Tomamaisumabebida.

-Porquenão?-Weaveraceitouochampanhe,enquantoRachel,aoreceber o seu, pousou a taça na balaustrada sem beber, com uma súbita fadiga espelhadanorosto.-Cansada?-indagouWeaver.

Ajovemsorriu.

-ReceioquetueJackmetenhamfeitodançardemais.

-Apropósito-interveioHalder-,antesquemeesqueça,háumaspessoas

importantesquegostavamdeconhecer-te,Rachel.

-Quem?

-Oembaixador,quequerapresentar-tecumprimentos,eumtipochamado

KemalAssan,queéfilhodeumdignitárioegípcioconhecidodomeupai.

Voubuscá-los.

-Obrigada,Jack.-Depoisdeeleseafastar,Rachelcomentou:-Então,esteé

onossoúltimoserãojuntos,Harry.Voutersaudades.-Sorriu,fítou-onos

olhos,comumatristezainexplicávelnosseus,e,porimpulso,tirouumaflor

deumdoscanteirosdejanelaepôs-lhanalapelaantesdelevantarorosto

eobeijarcomsuavidadenoslábios.-Umapequenadádivaminha.Adorei

quetivessesvindoajudarnaescavação,Harry.Nemconsigoimaginarcomo

teriasidosemtieJack.

Weaverdevolveu-lheoolhar,fixandoosencantadoresolhosazuiseolindo

rosto.

-Tambémvoutersaudadestuas,Rachel.

-Vais?Asério?

-Muitomaisdoquesoucapazdeexprimir.Todavia,estoupreocupado.

-Comquê?

- Com toda esta conversa sobre o que está a acontecer aos Judeus na Alemanha.Seregressares

Deixouafraseinacabada,eRachelesclareceuemvozbaixa:

- Não há qualquer hipótese de os meus pais e eu voltarmos para a Alemanha enquanto esta guerra não acabar e os nazis continuarem no poder. Por enquanto, Istambul vai ser a nossa morada e é segura. Foi oferecidoaomeupaiumbomlugarnauniversidade.Não,parasersincera, écomJackqueestoumaispreocupada.

-Quequeresdizer?

- É natural que ele regresse à Alemanha, portanto tem todas as probabilidadesdesermobilizado.Ascoisaspodemcomplicar-se.-Mudou deassunto,comoqueaaligeiraradisposição:-Emtodoocaso,aomenos passámosestetempojuntos.Éalgoquevourecordarcomcarinho.Sempre.

Osolhosdeamboscruzaram-se,eWeaverteveacertezadequalquercoisa

apassarentreeles.Fitou-alongotempo,desejosodelherevelarosseus

sentimentosverdadeiros,contudo,acertaaltura,viu-adesviaroolhare

ficarderepentepoucoàvontade.

-Quesepassa?

-Na nada.

Weaver virou-se, olhando pela porta aberta da varanda, e reparou num egípcio de rosto esguio e nariz adunco que envergava um fato de linho claro.Ohomemestavaencostadoaumacolunademármore.Dardejouum olharnadirecçãodeles,mas,aorepararqueWeaverofitava,desapareceu namultidão.ElevoltoudenovoaatençãoparaRachel.

-Aquelehomemestavaaincomodar-te?

Elaestremeceu.

-Tenhoasensaçãodequetemandadoaespiar-metodaanoite.

-Émelhorirversedescubroquemé.

Rachelpousou-lheamãonobraço.

- Não, não te incomodes, deve ser inofensivo. Só me fez sentir pouco à vontade,maisnada.

Nesseprecisomomento,doishomenstranspuseramaportaacompanhados

porHalder.Umeraoembaixadoramericano,altoedeaspectodistinto,o

outro,umjovemegípciodevinteepoucosanoscomarformalevestindoa

tradicionaldjelabaárabe.

Halderavançoucomumsorriso.

-Deixa-meapresentar-teoSr.EmbaixadoreKemalAssan.

OembaixadorapertoucalorosamenteamãodeRachel.

-Muitoprazer,MissStern.Admiroimensootrabalhodoseupai.EKemal

tempassadotodaanoiteansiosoporconhecê-la.Interessa-seimensopelas

vossasescavações,atéporqueopaiéumdosfuncionáriossuperioresdo

MinistériodasAntiguidades.

KemalAssanfezasaudaçãoárabe,levandoamãoaocoraçãoeaseguirà

cabeça.

-Tenhoumenormeprazeremconhecê-la,MissStern.Omeupaístemuma

grandedívidaparaconsigoeparacomaequipadoseupai.Asuafamília

serásemprerecebidanoEgitocomtodasashonras.

-Émuitosimpáticodasuaparte,Kemal.-Rachelespraiouoolharparaas

luzeseacidade,conscientedapoderosacalmaria.-NuncavioCairotão

silencioso.Ecomoseestivesseprestesadesencadear-seumatempestade.

-Aatmosferaestápesada,éverdade.-Assanencolheuosombros.-Quase parece que a cidade está toda na expectativa de ainda mais notícias desagradáveisrelacionadascomaguerra.

JackHalderrelanceouoolharparaorelógioedissecomdiplomacia:

-Eagora,meussenhores,receioterdevosarrastarparalonge.Rachelvai

apanharocomboioparaPortSaidamanhãdemanhãeprecisadosonodos

justos.

- Espero voltar a vê-la em breve de regresso ao Egito, Miss Stern - despediu-seAssan.

Oembaixadorapertouamãoatodos.

- Até à próxima. E obrigado. Vocês, meus jovens, fizeram um trabalho magnífico.

O embaixador e Assan afastaram-se. Halder bebeu um gole do seu champanheepiscouoolhoaWeavercomardeconspiração.

- Então, Harry, perguntaste-lhe? - Weaver abanou a cabeça, com algum desconforto,eHalderprosseguiu:-Eutambémnão.

-Dequeestãoosdoisparaaíafalar?-indagouRachel.

Halderbebeuumgoledechampanhe,comoqueparaacalmaros

nervos,einspiroufundo.

-Istopodeserembaraçoso,mas,diabosmelevem,chegouomomento.Há

umacoisaemqueHarryeeutemosandadoaremoer,porémsemcoragem

parateperguntar.Todavia,comopartesamanhã,achámosqueeramelhor

perderavergonhaefazer-teapergunta.

-Quepergunta?

-Háalgumahipótese,mesmoremota,deestaresapaixonadaporalgumde

nós?

Rachelcorou.Mordeuolábioeporinstantespareceuperturbada.

-Porque

porquenãofazer-vosumapromessa?Escrevoaambos.Depois

sevê.

- Acho que estás a ser muito diplomática - comentou Halder com ar desanimado.

-Não,Jack,sóhonesta.Sabemquegostodosdois,masaminhavidaneste

momentoandanumrebuliço.AmudançaparaIstambul

-Gostas,simplesmente?

-Porfavor,Jack.Nãoéamelhoraltura

-Desculpatermosabordadooassunto,Rachel-interveioWeaver,pegando-

lhenobraço.-Vouversealgumdoscarrosdaembaixadapodelevar-teao

hoteleacompanhamos-teàporta.

-Não,detestodespedidas.-Elahesitou,comoslábiostrémulosdeemoção

aocontemplarosamigos.-Possodizer-vosumacoisa?Foiamelhorépoca

daminhavida.Sinceramente.Atéàpróxima,adeus.-Foimuitorápido,ela

tinhalágrimasnosolhosaobeijareabraçarosdois,edesapareceulogode

seguida.

Na terça-feira seguinte, Jack Halder apanhou o avião de regresso à Alemanha.ForamobilizadoparaaWehrmacht,noentantonadadisseraaos outroscommedodeestragarosúltimosdiasquepassavamjuntos.Embora nãoadmirasseosnazis,revelou-seumoficialdesembaraçado,aventuroso, e a sua sagacidade juntamente com o seu conhecimento de línguas não tardaramachamaraatençãodaAbwehr,oserviçodeespionagemmilitar da Alemanha. Quando a guerra no Norte de África começou a sério, foi destacadoparaaDivisão do Próximo Oriente, trabalhando com o África KorpsdeRommel.

NãorecebendonotíciasdeRachelSternatéseismesesdepoisderegressar àAlemanha,conheceuHelgaRitter,filhadeummédico de Hamburgo, e apaixonou-seporela.HouvemuitasocasiõesemquerecordouRachel,mas asuajovemmulhereraalegreeapaixonada.Aodécimomêsdocasamento, deuàluzumfilho,Pauli.

Rachel Stern nunca chegou a escrever a qualquer dos amigos. Três dias apósafestadoembaixador,elaeospaispartiramdePortSaidnoIzmir,um velho cargueiro turco cujo destino era Istambul. Na segunda noite de viagem,declarou-seumincêndionacasadasmáquinas,onavioafundou-se

e morreram catorze pessoas. A mãe de Rachel foi uma dessas pessoas. Rachel e o pai conseguiram embarcar numa das baleeiras com dois marinheiros turcos gravemente feridos, mantendo-se o pai sempre agarradoàpastaquecontinhaosseuspreciososmapasenotasreferentesà escavação em Saqqara. Pouco antes da meia-noite, desencadeou-se um temporal.Apequenaembarcaçãofoiassaltadaporondasdetrêsmetrose fustigadaporventosfuriosos.Otempomelhorouaoamanhecer,maspelo meio-diajáosmarinheirostinhammorridoeelaeopaiestavamexaustos, desidratadosequeimadospeloescaldantesolmediterrânico.

Ao fim da tarde, um navio da Marinha de Guerra Alemã apareceu no horizonteerumouaeles.Racheleopaificaramdetidosabordoquando aportaram a Nápoles para reabastecimento, e duas semanas depois chegavamaHamburgo,sendoimediatamentetransferidosparaasmãosda Gestapo.

Harry Weaver permaneceu no Egito. Não tinha pressa de regressar ao empregonumafirmanova-iorquinadeconstruçãociviletrabalhounum grupo americano de exploração do deserto em busca de ruínas arqueológicasatéseismesesantesdeRommeldesembarcaremTrípoli,em Fevereiro de 1941. Nessa altura, regressou aos Estados Unidos. Apresentou-secomovoluntárionodiaaseguiraoataquejaponêsaPearl Harbor.

SoubedoafundamentodoIzmirquandoaindaestavaemSaqqara.Passava pouco da meia-noite e alguém foi à sua tenda com um jornal para lhe mostrar a reportagem, onde era afirmado que os únicos sobreviventes tinhamsidoquatrotripulantesturcoscujosalva-vidasforarecolhidopor umatraineiramaltesa.

Aoleranotícia,elechorara.AmaraRachelprofundamente,enaquelanoite

navarandadoembaixadordesejaraintensamentedizer-lho,tendo-lheno

entantofaltadoacoragem.Depois,fezoquequalquerjovemdesgostoso

farianaquelascircunstâncias.Pôsdeladoojornal,pegounumagarrafade

whiskyeembebedou-se.

Contudo, a última coisa que fez antes de adormecer foi olhar para a fotografiaqueconstituíaoseutesouro:adostrêsjuntos.Rachel,Jackeele próprio. Três jovens sorridentes, abraçados, nas areias do deserto de

Saqqara.Temposfelizes.

SegundaParte:10-15deNovembrode1939

ForaoVerãomaisquentedosúltimostrintaeseisanos.Avelhacidade construídaàsombradasPirâmidesdeGizésempretinhasidofedorenta,no entanto agora mais parecia um esgoto fétido. Fora um ano significativo para os Aliados. O poderoso Rommel, invencível até então, havia sido

derrotado,o5.ExércitoAlemãorendera-seemEstalinegrado,astropasdo

general Patton tinham desembarcado na Sicília e a segunda cidade do Reich,Hamburgo,forareduzidaaescombrosfumegantes.

Depois, veio o Outono. O tempo esfriou, os Alemães começaram a reorganizar-se e a guerra estagnou. Porém, Mustapha Evir tinha a impressãodequeocaloropressivodoVerãonãochegaraadissipar-se.A noite estava amena, contudo a transpiração escorria-lhe pela camisa e pelascostas,pingava-lhedacaraedoqueixoeelesentiaocorpoemfogo. Eraomedo,claro.

Entreosquerecorriamaosseusserviços,MustaphaEvireraconhecidopor aRaposa.Aindanãoforaconstruídaacasaondeelenãoconseguisseentrar, nemfabricadoocofrecujosegredonãodescodificasse.Noentanto,naquela noiteoriscoeratãograndequeelenãoignorava queum deslize podia custar-lheavida.

EstavanosjardinsmuradosdeumacasanobairrochiquedaCidadeJardim, acocoradonassombrasdospinheiros.Asessentapassos,dooutroladodo relvado, ficava a bonita residência do embaixador americano. Duas sentinelas armadas andavam de um lado para o outro frente às portas duplas de madeira de carvalho, e havia outras duas atrás dele junto do portãodeentrada,numpavilhãoornamentado.

Umlustreacendeu-sedesúbitonovestíbulodacasa,eEvirencolheu-se.

Momentosdepois,ouviuomotordearranquedeumautomóvel,elogoum

imponenteFordpretoapareceupordetrásdasinstalaçõesdoscriadose

parouàfrentedaentrada.Assentinelaspuseram-seemsentidoassimque

asportasdecarvalhoseabriram,eumhomemdefatodecerimóniasaiue

tomoulugarnocarroconduzidoporummotorista.

EvirficouaveroFordafastar-se,esegundosmaistardeolustreapagava-

se. Assim que o veículo saiu os portões, as sentinelas pareceram descontrair-se, e as duas junto às portas de carvalho sentaram-se nos degraus de granito e acenderam cigarros. Passados cinco minutos, Evir limpouosuordacaraelevantou-se,massajandoosjoelhosdoridos.Eram horasdeselançaraotrabalho.

Como de costume, o Bazar Khan-el-Khalili estava apinhado de gente ao princípio da noite, afogado no ruído e no odor a especiarias e a corpos transpirados. Mas Evir sentia-se contente ao abrir caminho por entre a multidão. Fizera um bom trabalho naquela noite. Deambulou por vielas escusasatédesembocarnumapraçaempedradarodeadadealtosedifícios deapartamentosdetijoloemadeira.PassandoporumamotoBSAverde estacionadaàportadeumdosprédios,penetrounumátrio.Subiudepois umlançodeescadasdemadeiraatéaoprimeiroandar,ondebateuàporta, quefoidestrancadaporumhomemdebarbas.

-Então?-perguntouohomemassimqueEvirentrounasala.

-Fizoquemepediu.

Ohomempareceusatisfeito.

-Temacertezadequeninguémoviunaresidência?

-Setivessemvisto,achaqueeuestavaaqui?-respondeuEvircomuma

gargalhada.

Jáestiveraporduasvezesnaqueleapartamentoparaohomemlheensinar

autilizaroequipamento.Erasimplesmasfuncional,comumamesadecafé

aomeioealmofadasespalhadaspelochãoeumfogãojuntoàparede,mas

cheiravaamofo,eEvirtinhaasensaçãodequenãoestariaocupadomuito

frequentemente.Ooutrohomemestendeuamão.

-Dê-meamáquina.

-Primeiroomeudinheiro-exigiuEvir.

-Járecebeodinheiro.Agora,dê-meamáquina.

Evircaptouadurezanavozdohomem,viuoolharameaçadornoseurosto. Tinha um ar perigoso que fez Evir sentir-se pouco à vontade. Tirou da algibeiraaminúsculamáquinaLeicaeentregou-lha.

O homem recebeu-a, passou ao quarto e fechou a porta. O cubículo de arrumaçãoqueeleusavacomocâmara-escuraficavaàdireitaeexalavaum odorpungenteaprodutosquímicos.Entrouefechouatrásdesiaportade correr.Deitoureveladornumabaciametálica,retirouorolodepelículada minúsculaLeica,colocou-onolíquido,premiuumcronómetroeesperou trêsminutos.

Porfim,ligouaventoinha,retirouorolodepelículadabaciaesegurouo negativoexpostonacorrentedearatéficarseco.Acendeualuzdentrode umacaixacomtampodevidroecolocouatiraemcimadeste.Comatenção, examinou-a à lupa. Ao analisar um dos negativos das páginas com a indicaçãodeconfidencial,estremeceuderepentecomochoque.

Quandovoltouaentrarnasala,levavanamãoumsobrescritoespesso.

-Antesdelhepagar-disseaEvir-,tenhodelhefazerumasperguntas.

Tiroumaisalgumacoisadocofre?

Evir via que o outro o examinava com atenção. Os olhos dele pareciam penetrar-lhenorosto.

-Juropelavidadosmeusfilhosquesófizoquememandou.Fotografei

todososdocumentosqueencontreinocofre.Fiztalequaloquemedisse.E

agoraqueroomeudinheiro.

Ohomemacenoucomacabeça,satisfeito.

-Hásómaisumacoisa.

Evirfranziuosobrolho.

-Oquê?

Ooutropousouosobrescritoeenfiouamãonobolso.Quandoatirou,o sorriso desaparecera, e Evir viu uma lâmina sarracena curva com um punhobrancodemarfim,umobjectosinistro

-Nãopossodeixá-loirembora.Sabedemaiseviuaminhacara.

BaíadeChesapeake,Virgínia:12deNovembro

Naquelamanhã,oSolescondia-sepordetrásdeescurasnuvenscarregadas de chuva quando o volumoso couraçado cinzento USS Iowa, orgulho da MarinhaAmericana,fundeoucincomilhasaolargodacostadaVirgínia.

OcomandanteJoeMcCrea,naponte,ficouaverorebocadoraaproximar-

se,baloiçandonasuaveondulação,escoltadopormeiadúziadevasosde

guerra,queorodeavamquaisprotectorasmães-galinhas.

McCreavirou-separaojovemtenenteaoseulado.

-Prepararparaoembarquedospassageiros.

-Sim,meucomandante.

Quando o rebocador atracou, McCrea observou a actividade dos marinheirosjuntoaoportaló,alandocaboseultimandoospreparativos. DevidoàalturadoIowa,haviaumaquedadequasenovemetrosentreo convésinferioreomar.Foraarriadaumaescadadeportaló com patim parapermitiroembarque,masaíéqueascoisassecomplicavam.Nãoera todos os dias que se tinha de içar para bordo o presidente dos Estados Unidos. Franklin Delano Roosevelt era deficiente físico, preso a uma cadeiraderodasquasetodaavida,portantonãopodiasaltarparaopatim. Forapreparadoumarnêsque,pormeiodeumguincho,oiçasse até ao Iowa.

McCreabaixouosolhosparaaondulaçãosuave,enquantoumasucessãode

agentesdosServiçosSecretosedeassessoressaltavadorebocadorparao patim,atéqueviuafigurafamiliardeRoosevelt,ogranderostosimpáticoe osorrisopronto.Armaçõesmetálicasapoiavamaspernasdopresidentedo joelhoparabaixo,pernastãodelgadascomoasdeumgaroto,herançada poliomielite que contraíra na infância e o deixara em sofrimento permanente. Foram precisos dois agentes dos Serviços Secretos para o ajudarem a sair da cadeira de rodas e o levarem ao arnês, onde o prenderam.Depois,foiiçado.

Porfim,Rooseveltfoiajudadoaembarcar,retiradodoarnêsecolocadona cadeiraderodas.McCrearepararanaadmiraçãocomqueasuatripulação observaratodooprocesso;jovensemenosjovenstinham-seapinhadono convésparavislumbraremofamosopassageiro.Assistiamcomreverência esurpresa,desejososdeaplaudir.Noentanto,foraemitidaaordemdenão se prestar quaisquer honras aquando do embarque dos passageiros. Tratava-se de uma missão altamente secreta, e a guarnição do Iowa obedeceuatéaoúltimohomem.

McCreafezcontinência.

-Bem-vindoabordo,Sr.Presidente.

Rooseveltsorriucomafabilidadeeestendeuamão.

-ComandanteMcCrea.Então,éosenhoropobredesgraçado que tem o dúbioprazerdemetransportaremsegurançaatéaomeudestino?

-Parecequesim,Sr.Presidente.Anossarotaleva-nosapassarasuldos

Açores,depoisparanordeste,atéaoestreitodeGibraltar,edaíparaOrão.

TomarádepoisumaviãoparaoCairo.

-Estaviagemreveste-sedamaiorimportância,comandante.Podemesmo

dizer-sequeoresultadodaguerraeofuturodonossopaísdependemda

minhachegada.Achaqueconseguimos?

McCreareflectiuantesderesponder:

- Nunca é fácil prever, Sr. Presidente, com tanta actividade inimiga no Atlântico.Mas,poroutrolado,osAlemãesnãoconhecemosnossosplanos e vamos andar com rapidez, portanto estou bastante confiante em

conseguirlevá-loemsegurançaaoseudestino.

Roosevelttirouosóculosefezumdosseusfamosossorrisosdeesguelha.

-Comandante,parecequedemomentoaminhasorteestánassuasmãos.

Berlim:14deNovembro

OAlmiranteWilhelmCanariseraumhomemestranho.

Andavacomfrequênciadeumladoparaooutrodechinelosdequarto,eo seu gabinete estava em permanente confusão. Não se via em parte nenhumaoobrigatórioretratodeparededeAdolfHitler,poisCanarissó sentiadesprezopelaliderançanazi,ordináriaepomposa.Era,porém,um desprezoquereservavaparasicomumaprecauçãoastuciosa,umavezque eraolíderdaAbwehr.

Passavapoucodas8.30damanhãquandooseujovemajudante-de-campo

prussianobateuàporta do gabinete, no quartel-general da Abwehr, nos

números74-76daTirpitzUfer,emBerlim.

Oajudante-de-campotossicou.

-HerrAdmirai.

Canarisergueuoolhar,distraído.

-Queé,Bauer?

- Uma chamada do quartel-general das SS, do general Schellenberg. O generalpedeumareuniãourgenteàsnovehoras.

-Comquefim?

-Nãodisse,HerrAdmirai.Sóqueéurgente.

-Muitobem.Émelhorvocêtratardocarro.

Canarissempredetestaraterdeiraoprincipalgabinetedesegurançado Reich,naPrinz-Albrecht-Strasse,oquartel-generaldasSSedaGestapo,de ondeHeinrichHimmlereosseussequazespresidiamaoimpériodomal.O ambientesoturnonuncadeixavadelheprovocarumarrepionaespinha, emboraWalterSchellenberg,chefedaSDAusland,adivisãodeinformações do estrangeiro, ser um dos mais simpáticos oficiais das SS que Canaris conhecia. Advogado de profissão, Schellenberg era resoluto e bem- parecido, com gosto pelas coisas boas da vida. Licenciado pela UniversidadedeBona,entraraparaasSSapósasubidadeHitleraopoder, em 1933, e a sua mentalidade viva e actuante não tardara a atrair as atenções de Himmler, que o nomeara para o seu estado-maior. Tinha maneirasdescontraídaseestavabem-dispostoquandoCanarisentrouno gabinete.

- Sente-se, Wilhelm. - Schellenberg sorriu. - Como de costume, parece acartaropesodoMundosobreosombros.

Schellenberg envergava a farda preta das SS, com RFSS bordado nas dragonasafiodeprata.ReichsfuhrerderSS.Aquelavisão do posto nas dragonasfezCanarisestremecerpordentro.

-Asvezes,éissomesmoquesinto-redarguiu.-Então,oqueédestavez,

Walter?

-Asúltimas mensagens enviadas pelos meus agentes SD na Pérsia e no MédioOrienteconstituemumaleiturainteressante.Parecequetodosos sinaisconfirmamarealizaçãodasreuniõesdoCairoedeTeerão,talcomo suspeitávamos.

Canarissoltouumprofundosuspiro,comosesoubesseoqueiaseguir-se.

-Porqueseráqueestoucomasensaçãodequevocêtememmenteoutro

dosseusplanosexóticos?

Schellenbergfezumgrandesorriso.

-MeucaroWilhelm,éessaaúnicarazãodaminhaexistência.Oqueseriaa

vidasemumpoucodesubterfúgioparaatornarinteressante?

-Émelhorcontar-metudo.

-Primeiro,diga-meoquesabesobreomeuprincipalagentenoCairo.

- Presumo que se refira ao Rouxinol. Só ouvi dizer que é o melhor que algumavezteve.

-EsqueçaoRouxinol;águaspassadas.-Schellenbergabanouacabeçacom

umagargalhada.-Estouafalardopresente.

-Sabemuitobemqueguardaessasinformaçõesparasi.

-Masostemposmudam-sorriuSchellenberg.-Demomento,aguerranão

estáacorrer-nosdefeiçãoechegouaalturadecolaborarmos.

Canarisergueuosobrolhoecomentoucombrandura:

-Essaéumaopiniãoqueeunãoexprimiriamuitoalto,Walter.Amenosque queira dizer adeus à sua carreira e submeter-se a uma alteração dos testículosnascaves.

Schellenbergatirouacabeçaparatráscomumagargalhada.

-Édissoquegostoemsi,Wilhelm:estásempreasalvaguardarosmeus interesses. Contudo, voltemos ao assunto. Por acaso, ainda temos dois agentes importantes em actividade no Cairo. O principal é um homem chamado Harvey Deacon, nome de código Besheeba, nascido em Hamburgo,comquarentaeoitoanosdeidade.

-Écidadãoalemão?

-Defato,ébritânico.Oquenãodeixadeserirónico,poisodeiaferozmente

osAliados.

-Possoperguntarporquê?

-OsBritânicosforamresponsáveispelamortedopai.Édonodeumclube

nocturnoehomemdenegócios.Tambémpossodizer-lhequeéimplacável

eextremamentecapaz.

-Eooutro?

-UmárabechamadoHassanSabry.Nomedecódigo:Fénix.Pusemo-loa

trabalharparaagentedeRommelatéotransferirmospara oCairo. Em todoocaso,overdadeirointeressedeleébanirosBritânicosdoEgito.

-Porqueestáacontar-metudoisso?

Schellenbergacendeuumcigarro.

- Preciso da sua ajuda. Tenho em mente um trabalho que exige a colaboraçãodealgumdoseupessoalemconjuntocomDeaconeSabry.

-Paraquê?

Schellenbergarvorouumaexpressãodamaiorseriedade.

-Porque,meucaroWilhelm,juntosvamosmataropresidenteRoosevelt.

-Perdeuacabeça?Oqueestáasugeriréabsurdo.

-Eudiriaousado.Eesquece-sedequeháapenasseissemanasospára-

um

aquartelamentobemfortificado.Antesdenosencarregarmosdessamissão,

avaliámos as probabilidades de êxito em menos de dez por cento entanto,saímo-nosbrilhantemente.Enãoperdemosumúnicohomemem acção.

no

quedistas do coronel Skorzeny

resgataram Mussolini de

A audaz libertação do Duce da prisão no Hotel Campo Imperatore, nos Abruzos, ainda era objecto de referências elogiosasnos corredores do quartel-generaldaSD.Forasemdúvidaumtriunfoofuscante,masCanaris abanouacabeça.

- O que está a propor é uma coisa completamente diferente. Ambos

sabemosqueRoosevelttemumamuralhadeaçodesegurançasaprotegê-

lodiaenoite.Umacoisadessaseraimpossível.

- Nada é impossível, Wilhelm. E épocas desesperadas exigem medidas desesperadas.Paraalémdomais,tudodependedoplaneamento.

-EcomosepropõeconcretamenteassassinaropresidentedaAmérica?-

indagouCanaris,cansado.

-Primeiro,deixe-memostrar-lheumacoisa.-Schellenbergpassou-lheuma

folhadepapelquetiroudodossierabertoemcimadasecretária.Enquanto

Canariscomeçavaaler,informou:-Eumamensagembastanteimportante

queDeaconenvioudoCairo.Achoquevaiconcordarqueeledesenterrou

umaverdadeirapepita.

Oalmiranteleuamensagemdescodificadaeergueuoolhar.

-Istoéverdade?

-Bemmepareciaqueiaficarsurpreendido-sorriuSchellenberg.-Como vê,éumaconfirmaçãovirtualdequeRooseveltchegaaoCairodentrode oitodias,antesdeprosseguirparaTeerão.Vaireunir-seemparticularcom Churchill, e Himmler está convencido de que o objectivo é acordarem a dataparaainvasãodaEuropa.

Canarisvoltoualeramensagem,queaseguirergueu.

-Temacertezaabsolutarelativamenteaestainformação?

-TodososagentesSDnoestrangeiroreceberaminstruçõesnosentidode recorrerem a todos os meios necessários para reunir informações referentesàsreuniõesdeTeerãoedoCairo,talcomoaconteceucomasua gente. Há umas semanas, Deacon comunicou-nos pormenores de um recintoqueestava a ser construídonosterrenosdofamosoHotelMena House, perto das Pirâmides de Gizé, e revelou a ocorrência de muitos boatosrelativosaumencontroimportantequenãotardariaarealizar-se. UmdosnossosagentesamericanosavistouocouraçadoIowaazarparda baíadeChesapeakehádoisdias,depoisdereceberumcarregamentode passageiros,umdosquaisemcadeiraderodas.Aseguir,DeaconeSabry enviaram-nos os trunfos. Conseguiram fotografias de um memorando ultra-secreto guardado no cofre do embaixador americano, na sua residênciadoCairo,confirmandoasdatasdareunião.Apelícula chegou ontemànoitepormaladiplomática.

- Por amor de Deus! Como é que esse Deacon conseguiu fotografar o memorando?

Schellenbergfezumgrandesorriso.

-Contratouumassaltante,umdosmelhoresdoCairo,parafazeroqueera

preciso.Porém,ofundodaquestãoéqueopresidenteamericanotenciona mesmo visitar o Cairo, e temos as datas aproximadas. A segurança dos AliadosnoEgitotornou-semaisfrouxadepoisdedominadaaameaçade Rommel.EoEgitoficamuitoparaládalinhadafrente,portantoosAliados não esperam qualquer acção nossa. Claro que temos a Luftwaffe e a esquadrilhadesubmarinosalertanoAtlântico,naesperançadelocalizarem o comboio de Roosevelt e o destruírem. Todavia, não vou ficar na expectativa,prefiroantesavançarcomomeuplano.

-EqualéeleExatamente?

- Infelizmente, o memorando não revelava onde Roosevelt vai ficar instaladonemascondiçõesdesegurança,oqueéumproblemaparanós, emboranãoinsolúvel.Quantoà missão, vamos dividi-la em duas partes. Primeiro,enviamosumaequipaseleccionadaparadetectarcomexactidão ondeopresidenteeoprimeiro-ministrobritânicoficarãoalojadosequalo respectivo nível de protecção. Depois, isso é-nos comunicado por rádio. Assim que recebermos a mensagem, os pára-quedistas SS de Skorzeny voamparaoCairo,sendodepositadosnumaeródromopertodacidadeque anossaequipanoterrenoterádominadopreviamente.SeRooseveltficar instalado no Mena House, como temos fortes razões para supor, tanto melhor;osSSdeSkorzenyjádemonstraramsercapazesdepenetrarnum hotelassimfortificado,poisfoioquefizeramnosAbruzos.Entramesaem tãodepressaqueosAliadosnempercebemoquelhesaconteceu.

-PorquenãomatartambémChurchilljáagora?-propôsCanaris,comum

encolherdeombrosdescontraído.

-Umalvoé sempre mais fácil de atingir do que dois. Matar igualmente

Churchillseriaumbónusestupendo,eseaoportunidadesurgir,asseguro-

lhequeseráaproveitada.

-Achoqueéumaloucura-suspirouCanaris.-AsegurançadosAliadosserá

tãoimpenetrávelcomoumcofrebancário.Emterraenoar.

- Há sempre maneiras de arrombar um cofre, meu amigo - sorriu Schellenberg.-Enãoestáaconsiderarasvantagens,nocasodesermos bem-sucedidos. Roosevelt é a pedra chave dos Aliados, e o seu fiel de armazémnotocanteaabastecimentos.Semele,aconfusãoinstala-seentre osAliados.Epensenovalorpropagandístico:excelenteparaincrementaro

moraldasnossastropas.Alémdisso,achoqueeprecisodarumalição.Os

Americanostêmdeaprenderquenãopodeminterferirnumaguerraquena

verdadenãolhesdizrespeito.Jáéalturadelevaremdoisaçoites.

-Estáadizerqueamissãovaimesmopordiante?

OFiihrerjálhedeuprioridademáxima.Vejaporsi.Schellenbergestendeu-

lheumacartaassinadaquetiroudoprocesso,eCanarisviuembaixoa

assinaturadeAdolfHitler.Leuacartaelevantouoolhar.

UmaoperaçãoconjuntadaAbwehredaSDémuitoinvulgar,noentanto

parecequenãotenhoalternativa.Quepessoalmeutememmente?

Primeiro, vou precisar de um dos seus agentes egípcios. De preferência, alguémquevivanumlocalremotododeserto,aunsdiasdeviagemdo Cairo.

Canarisencolheuosombros.

Lembro-medeumoudoisquepodemservir.Masprossiga.

Emsegundolugar,penseiqueJackHalderseriaperfeitopara

comandaraequipainicialqueenviarmosaprepararaoperação.Eumdos seus melhores homens, conhece o Cairo, fala árabe e é suficientemente capazdelevaracoisaabomtermo.Eamericanodenascimento,porém sabefalaringlêscomimpecávelpronúnciabritânicapinçastiotempoque passouemOxford.Tudoistopodeserútilquandochegaraalturadeobter acessoàsinstalaçõesdeRoosevelt.

Canarisabanouacabeça.

Édefatoumdosmeusmelhorescolaboradores,masvocêestáaperdero seutempo.Eleficoudecabeçaperdidadepoisdodesagradável incidente comopaieofilho.Passaquasetodootemponacasadefériasàbeirado lago,emWannsee.Fuilávisitá-lonomêspassadoeachei-oprofundamente infeliz.

Sim,foiumatragédiaoqueaconteceu-assentiuSchellenberg,sombrio.-

Mas

eseeuconseguirconvencê-lo?

Éumamissãosuicida,Walter.Vaimandá-loparaumamortecerta.

Asseguro-lhe que o plano pode ter êxito - declarou Schellenberg com firmeza.

Canarisencolheuosombros,fatigado.

ConhecendoHalder,aceitoquehajaumapequenahipótesederesultar.

Schellenbergcorrespondeucomumsorrisogelado.

-Temderesultar.Decontrário,Himmlergarantiu-mequeoFiihrerpedirá

asnossascabeças.

- No entanto, uma semana não é tempo suficiente para montar uma operaçãodestas.

- Por isso, as coisas têm de precipitar-se a partir daqui. Não temos o mínimotempoaperder.

JackHaldertranspiravaaocorreraolongodamargemdolago.Estavaum

deslumbrante dia de Novembro, com o céu de um azul límpido e o sol outonalabrilhar.Eledespiraacamisa,revelandopequenascicatrizesno peitonuebronzeado,eestavadesapatosdeginásticaecalçaslargasde

treinodealgodão.Apresentavacãsprematurasecomeçavamaaparecer-

lhe rugas em torno dos olhos, mas exibia o mesmo permanente sorriso sardónico,emboranaquelamanhãaparentassealgumasolenidade.Quando chegou a umas rochas à beira da água, parou, carregou no botão do

cronómetroquetinhapresoàmãoeolhouoresultadocomdesânimo.

-Diabostelevem,podesfazermuitomelhordoqueisto,JackHalder.

Recomeçouacorrer,comosuoracorrerembicaapósumavivacorridade

dezquilómetros.Aocontornaraenseada,viuooficialsorridentedefarda

negrasentadonaareia.

Halder deteve-se, respirou várias vezes fundo e fixou o olhar em Schellenberg,queselimitavaasorrir.

-Então,Jack,atentarrecuperaraforma,peloquevejo.Ésemprebomsinal.

Estavaapensardarumabraçadascontigo,masachoquedesisto.

-Seufilhodamãe,queraioviestecáfazer?

- Isso não são maneiras de cumprimentar um velho camarada. -

Schellenbergrelanceouoolharparaascicatrizesnopeitodointerlocutor.-

Parecequesaroutudobastantebem.-Peranteaausênciaderespostade

Halder,Schellenberglevantou-se,limpouaareiadafardaepegounapasta.

-Equetalsefôssemosatétuacasa?Háumacoisaquegostavadediscutir

contigo.

-OqueÉquequeres?-Haldertomaraumducheevestiraroupalavada,

estandoagorasentadonumsofádasuaminúsculasala.

-Sóumaconversadeamigos-respondeuSchellenberg.

-Aúltimavezqueouviessadeixafoihámaisdequatromeses.

Canaris fez-me passar por oficial do Serviço de Informações Militares AmericanosparaajudaratrazerumdosteusgeneraisSSdetrásdaslinhas inimigasnaSicília.Acabeicomumabalanapernaeestilhaçosdegranada nopeito.

-Issofoipoucasorte,mastenhoacertezadequemaisninguémconseguiria

sertãoconvincentenodesempenhodopapelcomotu.-Schellenbergfitou

amolduradepratacomafotografiadeumaatraentejovemlouraquese

encontravanumaprateleirajuntodalareiradepedra.Voltou-sedenovo.-

Amava-la muito, não é verdade, Jack? - Schellenberg viu um desgosto terrível ensombrar a cara de Jack Halder e uma tristeza insondável transparecer-lhenosolhos.-Estesúltimosanosnãotêmsidofáceisparati, pois não? Perderes a tua mulher, tão nova, e depois o que sucedeu em Hamburgo durante os bombardeamentos aliados. O teu pai escolheu a alturaerradaparavisitarosfamiliaresquetinhanacidadecomogaroto. Tiveimensapenaaosaberqueoteupaihaviamorridoemconsequência dos ferimentos - continuou Schellenberg em tom baixo. - Sinceramente. Esperoqueaceitesasminhascondolências.Ouvidizerqueopequenoainda estáemrecuperação.

-Eestarápormuitotempo.Issojásãotudoáguaspassadas.Deixemosisso.

Schellenbergtornou-semaisprofissional.

-Mascontinuasfuriosoecomrazão.Apátriadatuamãematou-teopaie

mutilou-teofilho.Possoproporcionar-teumaoportunidadededesforra.-

Desapertouastirasdecourodapasta,extraiuumdossierecolocou-oem cimadamesa.-Háumassuntoquegostavadediscutircontigo.Umacoisa bastanteousadaeperigosaquetalvezdevolvaumpoucodevidaaessatua alma torturada. Canaris ofereceu-se para me ceder os teus serviços, se concordares.

-NãotrabalhoparaaSD.Arespostaénão,sejaoquefor.Contento-meem

esperaremBerlimqueaguerraacabe.

- E depois? Deixas os Aliados enforcarem-te como traidor? Podes ser cidadãoalemão,masnascestenaAmérica,ecomatuafolhadeserviçosna guerraéumahipótesemuitoplausível.Queseriaentãodoteufilho?Ele

precisadeti,Jack,agoramaisdoquenunca.11achasmesmoqueCanariste

deixasossegadoatéaofimdaguerra?Agoraqueosteusferimentosestão sarados, há-de usar-te à primeira oportunidade. O que diminui drasticamenteastuasprobabilidadesdesobrevivência.Poroutrolado,se meajudaresnestamissão,fazemostábua-rasadetudoeficaslivre.

-Queresdizer,livreparasairdaAbwehr?

-ParasairdaAlemanha.Tueoteufilhopodemrecomeçaravidajuntosem qualquer sítio seguro. - Schellenberg registou a surpresa no rosto de Halder.-Tensaminhapalavraquantoaisso,Jack.EadoFiihrer.

. - E qual é o preço que tenho de pagar? - perguntou Jack, franzindo o sobrolho.

-Estássempreumpassoàfrente,nãoé?-sorriuSchellenberg.

-Então,dizlá.

ESchellenbergdisse-lhe.

Halderficouunsmomentoscomumaexpressãoaturdida,atéquedesatoua

rir.

-Walter,nãohádúvidadequeestásaenlouquecercomavelhice.

- Garanto-te que o plano é exequível. E tu conheces-me, sabes que sou muitometiculosonostrabalhosdecasa.

-Oalmirantesabedisto?

Schellenbergconfirmoucomumacenodecabeça.

- Vai ser uma operação conjunta. Assumo pessoalmente o comando do planeamentoedasinstruções.

Halderatravessouasalaatéàjanela,passouamãopelocabeloeolhoupara

trás.

-MatarRoosevelt?Seiquemeconsiderasumaventureiro,maspodescrer que isso não inclui vocação para o suicídio. E porque diabo precisas de mim?

- Os meus agentes no Cairo podem ser tipos argutos, mas não tenho lá ninguémcomoteucalibreparapoderencarregar-sedeumamissãodestas. Tu,poroutrolado,ésocandidatoperfeito.JátrabalhastenoEgitobempara ládaslinhasinimigas,falasárabefluentementeeconhecesbemoCairo.

-Nãomedissestenadasobreorestodaequipa.

-Contocommaistrês:doisSSeumamulher.

-Fala-medeles.

-OsdoisSSsãoomajorDieterKleisteosegundo-sargentoHansDoring.

AmbosdogrupodecomandosdeOttoSkorzeny.

-DieterKleist?-HalderfitouSchellenbergcomumaexpressãodedesprezo.

-Eumanimalselvagem.Conheci-onosBalcãs.

-Talvez,masatéosbrutamontestêmutilidade.Éumaarmamuitoeficaze letal,onossoKleist,eexcelenteemcampo.Também fala razoavelmente inglêseárabe.

-EquaissãoosantecedentesdeDoring?

-Antesdaguerra,passoualgumtemponoMédioOrientecomomecânico de uma equipa arqueológica alemã. Agora, é especialista em operações secretas.

Halderabanouacabeça.

-Porenquanto,continuoanãogostarmuitodoesquema.Eamulher?

-Chama-seRachelStern.

Jack ficou siderado. Após prolongado silêncio, Schellenberg acendeu um cigarro.

-Écompreensívelquetenhasficadochocado.Conheceste-aemtempos,não

foi?-ComoHalder,pálido,nãorespondesse,Schellenbergindagou:-Quese

passa?

-Hámuitoquenãoouviaessenome.

Schellenbergsorriu.

-ConsulteioteuprocessocomautorizaçãodeCanaris,claro.Naequipade

arqueólogosqueintegrasteem1939haviaváriosalemãesquetrabalhavam

paraaSD.UmdelestinhaonomedecódigodeRouxinoleeraonosso melhor agente. Por curiosidade, fui verificar os relatórios do Rouxinol. Parece que gostavas bastante da rapariga. Foi bastante atrevido da tua parte, Jack, tendo em conta que ela é meio judia. A minha informação surpreende-te?

-Jánadamesurpreende.Quesucedeuàfamília?

-Umhomeminteressante,oprofessor.Arqueólogocomcréditosfirmadose

descobertassignificativas.Contudo,tambémeradeumagrandevirulência

antinazi.AGestapoestavaansiosaporlhedeitaramão,oqueacaboupor

conseguirnumgolpedesorte.

-Quequeresdizercomisso?

-Háquatroanos,araparigaeopaiforamsalvospelaKriegsmarine.Eram passageiros de um navio que se dirigia a Istambul e que se afundou na

sequênciadeumaexplosãonacasadasmáquinas.Amulherdoprofessor

faleceu.Desdeentão,araparigaestánocampodedetençãofemininoem

Ravensbriick,enquantoopaifoicondenadoatrintaanosemDachau.

Haldercoroudefúria.

-Derepente,fizeste-merecordararazãoporqueeucomeceiadetestar

Hitler.

-Válá,Jack.Sequeressaberaverdade,achotodaestaquestãoanti-semita

bastanterepugnanteevouesqueceroqueacabastededizer;nãoconvém

mesmonadaverbalizarcomentáriosdesses.

-OquenãoentendoéopapeldeRachelnoteuesquema.Paraqueprecisas

dela?

-Vaiseronossoseguro.Talcomotu,falainglêseárabefluentementee conheceoEgito.Masomelhordetudoéserarqueólogadeformação.Sem ofensa, tu, por outro lado, nunca passaste de um amador interessado nessesassuntos.

-Porqueétãoimportanteaprofissãodela?

- Na verdade, até é simples. O vosso disfarce será o de uma equipa internacional de arqueólogos que ficou pendurada no Médio Oriente devidoàguerra.Asminhasfontesdeinformaçãodizem-mequehádiversos gruposdessesaindaespalhadospelaregiãoporcausadashostilidades.

-Podiasterinventadooutrosdisfarces.Tensacertezadequenãoestása

usá-lacomopeãoparamefazeresalinhar?

-Ésperspicaz,Jack,etensumacertarazão-respondeuSchellenbergcom

umgrandesorriso-,porématéháoutromotivoparaprecisarmosdela.E

serásinformadonaalturaprópria,seconcordaresemalinhar.

-Estásaesquecerumfatoimportante.Oquetefaztertantacertezadeque

elacolabora?

Schellenbergsorriucomarmalicioso.

- Há sempre maneiras de a convencer. Além disso, ela não saberá nada sobreasnossasverdadeirasintenções.Paraela,trata-seapenasdeuma operaçãopararecolhadeinformaçõesnoCairo.

Halderabanouacabeça.

-Nãomeagradaaideiadeausar.Seestánumcampodeprisioneiras,já

deveterpassadoosuficiente.

-Receioquenãohajamaisninguémtãoconveniente.Poroutrolado,tenho

a certeza de que a rapariga fica em maior segurança se tu alinhares. PrincipalmentesetiverdeenfrentarKleist.

AraivatransfigurouorostodeHalder.

-Ésumfilhodamãe,Walter!

- E tenho uma guerra para ganhar. O sentimentalismo não pode desempenharaquiqualquerpapel.

-Tunãopodesestarconvencidodequeestaloucuratemhipóteses?

-Muitopelocontrário.Estouconvencidodequetem.

-Eseeunãoaceitar?

Schellenbergencolheuosombros.

-Umbomcãodecaçanuncaabandonaamatilha.Todavia,serecusares,

asseguro-tequeodesagradodeHimmlervaiserimperdoável.

-Dequemseriaocomando?

-Aprimeirafasedaoperaçãoficariaestritamentesoboteucomando,isto é, até os nossos pára-quedistas aterrarem no Cairo. Depois, Skorzeny assume o comando total. - Fez uma pausa e umúltimo sorriso. - Então, alinhas?Sómaisistoeésumhomemlivre.

Cairo:15deNovembro

HarryWeaveracordoucomumadorofuscanteentreosolhos.Ajanelado quartoestavaaberta,aluzdoSolentravaajorroseatravésdascortinas passavam o alarido de vozes e as buzinadelas do trânsito matinal. Levantou-sedacamaepraguejouaorecordarporquerazãosentiaocorpo moídoeacabeça a latejar. Na noite anterior, dois oficiais britânicos do Estado-Maiorquetinhamsidotransferidosparaapátriahaviamdadouma festadedespedidanoHotelShephearcTs.

Weaver apressou-se a tomar duche e a vestir-se, mas já passava das 9 quandoiniciouabrevecaminhadaatéaoseugabinetenoQuartel-General BritânicoparaoMédioOriente,naRuaTolombat.ComooficialdoServiço de Informações do Exército Americano, adstrito ao gabinete do adido, Weaver era responsável pelos contac- tos com o Comando Britânico e dependiadirectamentedaEmbaixadaAmericana.

Foratransferidoparaasinformaçõesmilitaresummêsapóscompletaro cursodeoficial,eoseuconhecimentodeárabenãotardaraaser-lheútil, primeiroduranteainvasãodoNortedeÁfricapeloExércitoAmericanoe posteriormente ao ser colocado na Embaixada no Cairo com o posto de tenente-coronel. Agradava-lhe estar de regresso ao Egito, no entanto achava o trabalho no Serviço de Informações bastante aborrecido comparado com o do campo de batalha. Claro que a vida social era agitadíssima. O Cairo florescia, agora que a ameaça de Rommel fora afastada.

Weaver apanhou o elevador para o seu gabinete, no segundo andar, e despiu o casaco. Tinha uma pilha de papelada em cima da se- cretária, relatóriosparaseremarquivadoseoutrosparaseremfeitos,masmalele começaraadedicar-se-lhes,bateramàporta.

-Entre.

Entrou uma tenente. Helen Kane era adjunta de Weaver há seis meses. Apesardonome,eraanglo-egípcia,morenaeumtudo-nadaexótica, com unsexpressivosolhoscastanhoseocabelocortadoàpajem.

-Bomdia,sir.Semofensa,pareceumpoucoabalado.

-Nota-se?

-Receiobemquesim.

-Esperonãoterfeitofiguradeparvoontemànoite,Helen.

Elaretribuiu-lheosorriso.

-Nãopiordoqueamaioria.

-Estáaaconteceralgumacoisaqueeudevasaber?

-Otenente-coronelSansonpedequeváaogabinetedele.

Alfred Sanson fora inspector da Polícia do Cairo sob domínio britânico, antes da guerra, e subira na hierarquia. Era agora responsável pela segurançanoServiçodeInformaçõesMilitaresBritânico,tendoareputação deoficialduroemeticuloso,umsolitáriocasadocomotrabalho.

-Eledisseporquê?

-Não,sir.

Weaverlevantou-sedacadeiraevestiuocasacodafarda.

-Então,émelhorirveroquequer.

OgabinetedeSansoneradooutroladodocorredor,umadivisãoacanhada,

comatintadasparedesasaltar,umarmáriodearquivoferrugento,uma

secretáriademadeiraeduascadeiras.

Sansonlevantou-sequandoWeaverentrou,masnãolheestendeuamão.

-Tenente-coronelWeaver.Queirafazerofavordesesentar.

-Obrigado.

Oinglêseraalto,bemconstituído,tinhafísicodelutadorprofissionaleuma caradesfigurada.Umavendadecouropretocobria-lheoolhoesquerdoe tinha uma espessa massa rósea de tecido cicatricial no maxilar do lado esquerdo. O ferimento facial fora mal cosido pelo cirurgião e dava a impressão de um sorriso torturado. O efeito era perturbador. Weaver sentou-se.SabiaqueSansonnãoeradotipodeperdertempocomconversa

fiada.

-Porquequisfalarcomigo?

Sanson acendeu um cigarro, abriu a gaveta da secretária e extraiu uma pastadearquivo.

-Nanoitepassada,aPolíciadoCairopescouumhomemdoNilopertodas antigasdocas.Emboraocadáver estivesse muito mutilado, conseguiram identificá-lo.Trata-sedeumcriminosobemconhecidodaPolícia,chamado MustaphaEvir.

-Quetemissoavercomigo?

-Evirfoiassassinado.Tinhaagargantacortada.Quandolherevistarama

casa,umdospolíciasencontrouistoescondidoentreospertencesdele.

Sansonretiroudoprocessoum papel deaspectoamarrotado,alisou-oe passou-lho.Weaverviutratar-sedeumesquemarudimentarfeitoalápis grosso:umasériedecaixaseoutrasformascomoumdesenhodecriança. Pareciaserumacasagrandecomjardim,implantadadentrodeumaforma rectangular.Unsrabiscosdentrodoquadradoaparentavamsermaciçosde árvores e uma imagem estranha parecia um pequeno pavilhão com o telhadoemcúpula.HaviaaindamaisduasformasdecaixotequeWeaver nãoconseguiuinterpretar.FitouSansoneencolheuosombros.

-Continuosemperceber.

-QuemestáencarregadodainvestigaçãodohomicídioéocapitãoArkhan, um antigo colega meu, que em tempos comandou a guarda policial à residênciadoembaixadoramericano.Eleachaqueoquetemdiantedos olhoséumesquemadessaresidência.Arkhanqueriaquevocêdesseasua opinião.

Weavervoltouaolharparaodesenho.

-Talvezseja,mascontinuosemperceberoqueissopossateravercomigo.

-Mustapha Evirtinha a reputação de excelente arrombador de cofres e assaltante.EntreacomunidadedoscriminososeraconhecidoporRaposa.

O capitão Arkhan está convencido de que Evir pretendia assaltar a residência do embaixador e por isso tinha o desenho. O assassínio e as restantesinformaçõesqueentretantoangarioufizeramArkhansuspeitar dequeotipopudessejáterrealizadootrabalhoequetalvezissoestivesse relacionadocomasuamorte.

Weaverfranziuosobrolho.

-QueinformaçõeséqueArkhanangariou?

- A Polícia interrogou a mulher de Evir. Ela afirmou que o marido lhe

contaraterassuntosimportantesatratarnanoiteemquefoimorto,tendo-

sevangloriadodequenoregressolhetrariamuitodinheiro.Todavia,não

chegouaregressar.

-Estáasugerirqueeleentrounacasadoembaixadorearrombouocofre?

Sansoncontraiuoslábios,uniuaspontasdosdedosemarcoeconcordou

comumacenodecabeça.

-Talvezporqualquercoisavaliosa.Qualquercoisapelaqualvalesseapena matarem-no. Há mais outra coisa que deve saber. Evir trabalhava por encomenda.Devidoaosseustalentos,costumavasercontratadoporoutros criminososcomdeterminadosroubosemmente.

-Nãoouvifalardequalquerfurtoemcasadoembaixador.

-Hásempreapossibilidadedeterpassadodespercebido.

-Duvido.Aresidênciaéfortementevigiada.

Sansonfezumsorriso,divertidocomaingenuidadedeWeaver.

-Seaprendialgumacoisacomopolícia,Weaver,foiquenãohásegurança

inviolávelnoCairo.

-APolíciatemsuspeitosdohomicídio?

Sansonabanouacabeça.

- Por enquanto, não. Arkhan interrogou quase todos os criminosos

conhecidosdeEvireestáconvencidoquenenhumestárelacionadocoma morte dele. A viúva afirma não saber a razão de o marido ter sido assassinadonemquemopossaterfeitoedeclarounadasaberdodesenho. O caso intriga Arkhan, que agradece qualquer ajuda. Além disso, se a mulherdeEvirsoubermaissobreoassuntodoquecontouousehouve umafalhanasegurança,podeteraverconnosco.

Weaverergueuosombros.

-Suponhoquenãofazmalirmosfalarcomela.

Sansonestendeuamãoparaoboné.

-Podemosirnomeucarro.

EstavacalordentrodoHumberverde-azeitona,eWeaverabriuajanela. Agarrou-seàportaquandoSansonvirouoautomóveldeserviçoparauma rua empedrada e ultrapassou uma carroça puxada por um camelo e carregadademelancias.

DesdequevoltaraaoEgito,Weaverficarasurpreendidocomaformacomo o Cairo se tornara cosmopolita. As ruas estreitas estavam apinhadas de gente às compras e de soldados, sendo quase avassalador o impacte de corposeodores.Paraalémdemeiomilhãodetropasaliadasdetodasas nacionalidades,haviarussosbrancos,franceses,judeusalemães,britânicos egregos.OsEgípciosnãopareciamincomodados;osrestaurantes,bordéis, pensõesebazaresestavamtodosafazerbomnegócio.

Sanson virou para uma rua apinhada e parou em frente de um edifício arruinadoameiodeumquarteirãodecasasdelapidadas.

Entrouàfrente,nãoporumaporta,masapenasporumacortinadecontas.

-Poraqui.

Afastouascontas,eWeaverseguiu-o.Ládentro,haviaumafrágilmesade

madeira,contudonãohaviacadeiraseochãoeradecimentoesujo.

Aumcanto,estavasentadaumamulherchorosavestidadepretocomum

bebénosbraços.Rodeavam-natrêscarpideiras,tambémvestidasdepreto.

Weaversupôsquefossemfamiliares.Meiadúziadecrianças descalças e barulhentasapinhavam-senadivisão.Nãopareciamafectadaspelamorte na casa, pois soltavam risadinhas e sorriram, divertidas, aos visitantes. Sansondispersou-ascomumgesto.

-Barra!Barra!Rua!Rua!

Depoisdeascriançasteremcorridoparaaruaseguidaspelascarpideiras,

Sansonfezasapresentações:

-EstaéaviúvadeEvir.Talvezvocêtenhadificuldadeemcompreendero

dialectodela,porissoémelhoreutraduzir.

Amulherpareciaterquarentaemuitosanos,comapelecheiaderugas,

masWeavercalculouquedeviaserdezanosmaisnova,comseispartose

umavidamiserávelaporem-lheumadécadaamaisnacara.

- E capaz de ser melhor explicar a razão da nossa presença - aventou

Weavercomumacenodecabeçanadirecçãodamulher.-Querperguntar-

lheseelasabeporqueéqueomaridotinhaodesenho?

Sansonfaloucomamulherenquantoelacontinuavaacarpir.Aofimde

algunsmomentos,elabalbuciouqualquercoisaemvozchorosa.

Sansonficoucomarfrustrado.

-Dizquenãosabeporquehaviaeledeterumacoisadaquelasequeestá

intrigada.

-Explique-lhequeainformaçãopodeserimportanteequetodooauxílio

queprestarserárecompensado.

EnquantoSansontraduzia,umgarotinhoquenãopodiatermaisdedez anos puxou o casaco de Weaver. Ele meteu a mão ao bolso e deu uma pastilhaelásticaàcriança.Orapazsorriudesatisfação,arrancouopapel prateadoemeteuapastilhanaboca.

Apósarespostadamulher,Sansondeclarou:

-Elaafirmaqueomaridonuncafalavadetrabalho.Nanoiteanterior à

morte,disse-lhequeiatercomumapessoa.Saiudecasaporvoltadasnove

eregressouantesdameia-noite.

-Quemeraessapessoa?

- Ela nega saber. O marido nunca lhe dizia aonde ia nem com quem se encontrava.

Amulherpalroumaisqualquercoisa,eSansonrespondeuemárabe:

-Estejacalada.

-Quedisseela?-quisWeaversaber.

-Queriaqueeulhedissessequetemadespensavaziaeseisbocaspara

alimentarequeporqualquerajudaqueoejfendipresteaumaviúvaAlálhe

sorri.Masnãolheligue.

Weaverfitouobebénosbraçosdamulher,asordidezqueosrodeavae puxou da carteira. As experiências da guerra tinham-lhe endurecido o coraçãoparaquasetudo,porémnãoconseguiasuportaraideiadeamulher eascriançaspassaremfome.

Tirouumasnotasedeixou-asemcimadamesa.Amulherpuxouobebé

paraopeitoebalouçouparatráseparaafrente,agradecendoaossoluços.

Aoguardaracarteira,Weaversentiuqueogarotovoltavaapuxar-lheo

casaco.

-Nãoabuses,miúdo.-Orapazbalbuciouqualquercoisa,eWeaverolhou

paraSanson.-Quediabodisseele?

-Eleachaquesabeaondeopaifoi.

Weaverespreitavapelopára-brisasquandooHumberdeserviçodeSanson entrouruidosamentenoBazarKhan-el-Khalili.Asruaseramumaloucura, orladas de ambos os lados por enormes lojas de bugigangas, bancas atravancadasevendedoresdecomida.

Sanson buzinava à medida que avançava centímetro a centímetro pelo meiodaconfusão.

- O miúdo diz que desde que o pai saiu da prisão, há três meses, quis conhecê-lomelhor,masohomemquasenemsedavaaotrabalhodelhe falar. Então, o garoto seguiu-o em diversas ocasiões e viu-o ir por duas vezesaumacasapertodaMesquitaEIHakim.

Opequenochamava-seJamal,eSansoninterrogara-osemparardesdeque

tinhamsaído.

-Numadasocasiões-continuouSanson-,esperouqueopaientrassena

casaedepoisseguiu-o.Viu-osubirumlançodeescadasebateraumaporta

doprimeiroandar.Saiuumhomemparaocorredoredepoisentraramos

dois.

-Comoéqueelesabequeopailáfoinanoiteemquemorreu?

- Não sabe. Mas ele tinha-o seguido ao fim da tarde até à Mesquita EI Hakim.Opaiviu-oemandou-oparacasa.Ogarotopensaquetalveztenha idoaomesmosítio.

-Elechegouaveroaspectodohomem?

-Altoedebarbas.

Weaverpassoumaisumapastilhaelásticaaogaroto,aomesmotempoque

Sansonfaziaacurvaparaentrarnumapracetaempoeirada.

Omiúdoapontouparaumacasaqueestavadeportaaberta,revelandouma

escuridãosombria.Sansonestacionouedisseaorapazqueesperasseno

carro.

-Vamosláentãodarumaolhadela.

Aoatravessaremapraceta,Weaverlembrou-sesubitamentedequeestava desarmado.ErararoandarcomoColtautomáticodeserviço,noentanto reparou que Sanson trazia revólver, um Smith á Wesson .38, e, ao aproximarem-sedacasa,opolíciaabriuaabadocoldre.

-NãodevíamostercomunicadoaoseuamigoArkhan?

-Nósprópriostemosumasquantasperguntasqueprecisamderesposta

primeiro. - Entraram num corredor fresco e escuro. - Espere aqui um momento.

Sansonseguiupelocorredorebateubaixinhoàprimeiraporta.Surgiuuma

velhota.AoverafardadeSanson,pareceuassustada.Houveumaconversa

murmurada,atéqueamulhervoltouparadentro.Sansonregressou.

- Há um árabe a viver sozinho no primeiro andar que corresponde à descriçãofeitapelorapaz.Alugouoapartamentohánovemesesechegae parte a horas estranhas, embora a mulherzinha não o tenha visto nos últimosdias.-Levantouosolhosparaopatamar.-Vamosverseestáem casa.

Weaverseguiu-opelasescadasrangentesatéaoprimeiropatamar.Sanson bateu à porta. Não obteve resposta. Bateu com mais força. Continuando semresposta,sacoudapistolae,semmaispalavra,arrombouaportaa pontapé.

A casa estava desarrumada. E vazia. Havia uma velha otomana junto da janela,umamesinhadecaféeumasalamandrademetalencostadaauma parede.Adivisãotinhatrêsportas,umadasquaisestavaabertaerevelava uma cozinha minúscula. Weaver viu um fogão a gás, um lava-louça e armários.

EnquantoSansoniaverificarasoutrasdivisões,Weaverentrounacozinha. Havia comida enlatada nas prateleiras, mas os armários em si estavam vazios.

-Chegueaqui-chamouSanson.

Weaverentrounumquarto.Talcomoaoutradivisão,estavaquasevazio,

funcional:umcolchãonochãocobertodecobertorescinzentossujos.Nada

deobjectospessoais.

-Weaver!

Porummomento,estenãoviuoinglês,atéquereparounumcubículo à direitacomumalâmpadavermelhanotectoeSansonládentro.

-Quetemosaqui?

Haviaumamáquinafotográficaemminiaturapousadanumnichoevários

frascosdeprodutosquímicos.Umaextensãodecordeliadeumaparedeà

outra,commolasderoupaparapendurarosnegativosasecar.

- Parece que o nosso amigo tem um grande interesse por fotografia - comentouSanson.Tirouamáquina do lugar e examinou-a. - Uma Leica. Alemã.Encontroualgumacoisanaoutrasala?

-Não.

-Voumandarrevistaro apartamentodefioa pavio.Há um telefone na estação de caminho de ferro. Importa-se de esperar aqui enquanto vou ligarparaoquartel-general?

-Eseoárabeaparecerentretanto?

Sansonsacoudorevólvereentregou-oaWeaver.

-Emelhorficarcomistoporprecaução.Vouomaisdepressapossível.

Weaver abriu a janela. Quase não corria uma aragem. Sentou-se na otomana, pousou o revólver na mesinha de café e olhou em torno da divisão.Nãohaviafotografiasnemobjectospessoaisquerevelassemotipo dehomemcomoquallidavam.Porém,Weavernãoduvidoutratar-sede umespião.E,assimsendo,eraprovávelquetivesseumrádio.Sabiaque deviadeixararevistacompletaparaSansoneosseushomens,todaviaa curiosidadelevouamelhor.Levantou-seefoiàcozinha.Bateucomosnós dosdedosnointeriordosarmários,verificouochãoeasparedes,masnão encontroupainéisfalsos.Fezomesmonoquartoenacâmara-escura.

Nada.

Voltou à sala e experimentou o mesmo método sem sorte. Só faltava a

salamandra.Ajoelhou-seecomeçouapuxarostijolosdabase.Umsoltou-

se,aseguir,outro.Quatrotijolosdepois,revelou-seumnicho.Enfiouamão

nointerior,sentiuqualquercoisaepuxou-aparaochão.Eraumamaletade

viagemdecabedal.Ládentroestavaumaparelhoderádiodeondascurtas

alemão,umpardeauscultadoreseumachavedecódigoMorse.Weaver

sorriu.

Sabe,Sanson?Achoqueestácomsorte.

Ouviuderepenteumligeiroestalidoatrásdesievirou-se.Estavaumárabe

altoebarbudoàportacomumapistolaWalthernamão.Weaverergueu-se.

Quemraio

Afaste-se do rádio - ordenou o árabe. - Devagar. - Weaver recuou. O revólverdeSansonpermaneciaemcimadamesinhadecafé.Oárabeviuos olhosdeWeaverdardejaremparalá.-Nãofaçaissoamenosquequeira morrer.Esvazieasalgibeirasparacimadamesa.Weaverassimfez.Oárabe pegou-lhe no bilhete de identidade e examinou-o. - Americano. Que faz aqui?

Issopareceóbvio-respondeuWeaver,indicandoorádio.

Passeparacáorádio.

Weaverfechouamaletaeavançouparaaentregar.Nessemomento,ouvi-

sebarulhodepésnaescada.Oárabeolhouparatrás,espantado,Weaver viuasuaoportunidadeeagiuemconformidade.Noprecisoinstanteem queohomemvoltavaaolharnasuadirecção,conseguiuagarrarabocada Waltheresocá-locomforçanacara.Aarmadisparou,abalaalojou-sena parede e o homem cambaleou para trás. Enquanto Weaver lutava pela posse da arma, o outro levantou a mão livre. Uma lâmina brilhou e o americanosentiuumadornopescoço.

Com um grito, largou a Walther. O adversário rasteirou-o, e ele caiu ao chão.

Ouviram-se gritos à porta, e momentos depois apareceram dois dos homensdeSansondearmasemriste,entrandocomcautelanoaposento seguidospelochefe.Oárabeagarrounorádioecorreuparaajanela,onde sevoltouedisparouduasvezesaosubirparaoparapeito.

Um dos homens foi atingido no peito, e Sanson e o segundo homem apressaram-seaprocurarprotecção.

Deixe-seficarnochão,Weaver!-bradouSanson.

O americano sangrava abundantemente de um corte no pescoço, no

entantolevantou-se,arrebatouorevólverdecimadamesaecambaleouaté

àjanela.Láembaixo,naviela,viuoárabemontarumamotorizadaepô-la

emfuncionamento.Tentoufazerpontariacomamãoesquerda,massentia-

sefraquíssimo.Reparounosanguequelheescorriadopeito,empapandoo

casacodafardadevermelho-vivo.

Sanson apareceu de repente ao seu lado, arrebatando-lhe a arma dos dedos.

-Dê-meisso!-Fezpontariaeesvaziouorevólvercomumarápidasucessão

dedisparos.

AúltimacoisaqueWeaverviufoiadjelabadoárabeaesvoaçarloucamente

aovento,enquantoamotorizadaseafastavaagrandevelocidade.Depois,

sentiu-seacair,envolvidopelaescuridão.

Berlim

O hospital nos subúrbios de Charlottenburg era um edifício de aspecto sólido de tijolo-burro. Pouco passava das 11 da manhã quando Halder chegou.Filasdeambulânciasecamiõesmilitaresestacionavamnocaminho desaibro,enquantosoldadosepessoalhospitalarajudavamatransportar emmacasdúziasdecivisferidos.

Haldersubiuosdegrauseentrounoátrio,quetambémestavanumcaos. Viu o gabinete ao fundo do corredor, bateu à porta e ouviu uma voz impacientedizer:

-Entre.-Ummédicoidosodebatabranca,muitomaisvelhodoqueaidade

dareformaecomaspectotenso,consultavaprocessossentadoàsecretária.

-Sim,oqueé?

-Vimcáporcausadomeufilho,PauliHalder.Édoentedaenfermariade

queimados.Aenfermeira-chefemencionouontemqueoDr.Weissqueria

falarcomigo.

-ODr.Weisseafamíliamorreramontemànoitenosataquesaéreos.Nem

osmédicosestãoimunesàsbombas.-Omédicosuspirou,foiaummóvel

dearquivoeprocurouatéencontrarorelatóriomédicoquepretendia.-

PauliHalder,quasetrêsanos,transferidodeHamburgo.

-Éele.

Omédicoleuorelatórioeabanouacabeça.

- Não está muito bem, pois não? Claro que está em recuperação dos enxertosdepele,mascomotevequeimadurasdeterceirograuemquase todoocorpodevidoàs bombas de fósforo, ainda está em bastante mau estado.Ferimentosdestespodemlevarmuitotempoasarar.-Omédico suspiroudenovo.-Háaquiumanotareferenteàmorfinaparalhealiviaras dores.Comojáquasenãodispomosdemedicamentosquecheguemparaas urgências,vamosterdereduzir-lheadose.

-Venhocátodososdiasdesdequeomeufilhofoiinternado-disseHalder, furioso.-Tenhovistoosofrimentoemqueeleestá. Se fizerem isso, vai sofreraindamais!

-Lamento,masestamosnoslimites.Desculpe,masnãopossofazernada.-

Otelefonetocou,eomédicoatendeu:-Sim,raios!Voujáacaminho.

Halder saiu de rompante do gabinete e subiu à enfermaria do segundo andar. Estava repleta de novos doentes. Encontrou a um canto a cama isoladaporcortinas.

O garotinho estava coberto de ligaduras da cabeça aos pés, com a pele queimada tão profundamente em certos pontos que tinham sido necessários vários enxertos. Só a cara era visível, de olhos fechados, as pestanas cauterizadas. Havia gotas de transpiração na sua testa, e até a dormirasuaexpressãoeradedor.

Durantemuitotempo,Halderficoualisentado,apassarsuavementeum pano húmido pela testa do filho e a fitar-lhe o rosto torturado. Era extremamenteperturbadortestemunhartalsofrimentonumacriançaenão poderfazernadaparaoaliviar.

Umaenfermeiraenfiouacabeçapelacortina.

-MajorHalder.Veioumcavalheiroparafalarconsigo.Estáàesperanasala

devisitas.

Ao descer, Halder encontrou Wilhelm Canaris sentado num dos bancos, vestidoàcivil,comumfatomuitocoçadoechapéu.Oalmirantelevantou-se eapertaramasmãos.

-Jack.Comoestáoseufilho?

-Nadabem.

-Pobrecriança.Lamentoimenso.

-Querfalarcomigosobrequê?

Canarisexalouumsuspiro.

-CreioquejáseencontroucomSchellenberg.Sóqueriacomunicar-lheque

oplanoloucofoiinteiramenteconcebidoporele.Elequerquesejavocêa

falarcomRachelStern,poispareceestarconvencidodequeelaserámais

receptivasesouberdoseuenvolvimento.-Canarisentregou-lheumgrande

sobrescrito.-Estãoaíospormenorestodossobrearapariga.Esperam-no

emRavensbruckaofimdodia.

-Sabecomoelatempassado?

CanarisviuapreocupaçãonorostodeHalder.

-Aquelessítiosnuncasãoagradáveis,masRavensbrucknãoéopior.Enos últimos dias Schellenberg assegurou-se de que fosse bem tratada, recebendoraçõesespeciais,cuidadosmédicos,etc.-Canarishesitou,coma perturbaçãonaface.-Amou-a,Jack?

Halderdesviouoolhar.

-SóDeussabequanto.Tudoissopareceter-sepassadohámuito tempo, numaoutravida.

-Selheservedeconsolo,eudisseaSchellenbergquequerosermantidoa

afinal,vocêéumdosmeusmelhoreshomens,e

pardosacontecimentos

sintoumacertaresponsabilidade.-Canarishesitou,comumaexpressão

perturbada. - Mais uma coisa: Walter consegue ser um patife razoavelmente simpático quando comparado com alguns dos seus camaradasdaSD,masnemmesmoassimeuconfiarianeleporumsegundo quefosse.

-Quequerdizer?

Canarisencolheuosombros.

-Chame-lheintuição,sequiser,contudonãotenhodúvidasdequesãoos

meusanosdeexperiêncianestetrabalhodesagradávelqueestãoadisparar

ascampainhasdeavisodentrodaminhacabeça.Tenhoanítidasensação

dequeelenãoestáacontar-nosahistóriatodaeplaneiaqualquercoisa

nasnossascostas.Sabecomoelesedeliciacomosenredoscomplicados.

Tomemuitocuidado,Jack.

-Voutentar.Faz-meumfavor,Willy?

-Oquequiser.

-CuidedePaulipormimenquantoeuestiverfora.Eassegure-sedeque

tomamcontadeleseeunãoregressar.

-Claro.Boasorte,Jack.Procuresairdistocomvida.

Ravensbruck

O campo de Concentração de Ravensbruck foi um dos primeiros a ser construído exclusivamente para mulheres. Podiam ser prisioneiras políticas,mastambémciganas,judias,prostitutas,prisioneirasdeguerra, agentesaliadascapturadasemembrosdaResistência.

Forareservadaumadivisãocommesaeduascadeirasnumadelapidada barracademadeira.Halderestavasozinho,eaesperapareciainterminável. Tamborilava ansiosamente com os dedos na mesa. Finalmente, a porta abriu-se e entraram duas guardas SS com Rachel entre elas. Ela estava pálida,usavaumpobreuniformeàs riscas e tinha o cabelo louro muito curto.

-Olá,Rachel.

Porummomento,elapareceunãoconseguirabsorverapresençadele.

-Jack?

Apesardoaspectopálido,asmaçãsdorostosalienteseosgrandesolhos

azuiscontinuavamatraentes.Halderatravessouasalaepousouumadas

mãoscomsuavidadenafacedajovem.

-MinhapobreRachel,quetefizeram?

-Eu

contente.

malpossoacreditarqueéstu.Estoutãocontenteportever.Tão

Tudoaquilopareciademasiadoparaela.JackHalderviu-lhelágrimasnos olhos,enomomentoseguinteRachelcaía-lhenosbraços.Jackteveasúbita consciência do calor do corpo dela através do uniforme, e durante uns instantespermaneceramassim,agarradosumaooutro.Halderlevou-aaté àmesaesentaram-se.

-Comoestás?

- Viva - respondeu ela, limpando os olhos. - Suponho que já é qualquer coisa.

Elepousouapastadearquivoemcimadamesaeabriu-a.

-Gostavadeconversarcontigo.Sentes-tecomcoragem?

Vislumbrou-seumaexpressãodedesafionosolhosdeRachel.

-Paraquemtrabalhas,Jack?ParaaGestapo?

- Serviço de Informações Militares - replicou ele, abanando a cabeça. - Tenhoumapropostaparati,Rachel.Oumelhor,osmeussuperiorestêm uma proposta e querem que seja eu a apresentar-ta. - Viu a reacção intrigadanacaradela.-Deixa-meexplicar.Queresvoltaraveroteupaie partiremosdoisemliberdade?

Rachelpareceuficaratónita.

-Que

claro.

- Então, posso prometer-te que ele será libertado de Dachau e ambos ficarãolivresparasaíremdaAlemanha.Emtroca,concordasemparticipar numamissãonoCairoparaobtençãodeinformações.Nãodevessaber,mas acidadeestánasmãosdosAliados.

-Nãopercebo.Queespéciedeinformações?

Halderabanouacabeça.

-Eumaquestãodesegurançaenãotedizrespeito.Sótensdefazerparte de uma equipa de pretensos arqueólogos que supostamente ficaram retidos no Norte de África devido à guerra. Uns dias de trabalho, no máximo,easeguirtueoteupaificamlivres.

-Queméquegaranteisso?

-GarantemHeinrichHimmler,ReichsfiihrerdasSS,eoalmiranteWilhelm

Canaris,comandantedaAbwehr.

Ela fitou-o como se ele tivesse enlouquecido, até que desatou a rir à gargalhada.

- Mais depressa confiava no próprio Satanás. O que acontece se eu não concordar?

Halderlevantou-semuitodevagar,atravessandoadivisãoatéàjanela.Lá

fora,choviaacântaros.Elehesitouantesdeolharparatrás.

-Senãoconcordares,informaram-medequeambosserãofuziladosantes

deamanhecer.

Rachel fitou-o inexpressivamente, como uma mulher que já há muito esgotaratodasasreservasemocionais.

Jackabanouacabeça,elepróprioobviamentedesagradado.

- Lamento, Rachel, nada disto é da minha autoria. Eu não passo de um

mensageiro, e ainda por cima contrafeito. Todavia, se quiseres saber a

minhaopinião,unsdiasnoEgitoeaoportunidadedesereslibertadasoam-

memuitomelhordoqueumpelotãodefuzilamento.Seiqueteinterrogas sobre a validade das promessas. Tens de me acreditar quando digo que estounomesmobarco.Entreaespadaeaparede.

-Tuestásmesmoafalarasério,nãoestás?

-Omaispossível.-Regressouàmesaesentou-se.-Rachel,avidanãome saiuconformeplaneara.-Hesitou.-Comonãoescreveste,conhecioutra pessoacomquemcasei.Eraumaboamulher,parecidíssimacontigosob muitos aspectos. - Rachel continuava a fitá-lo inexpressivamente, e ele prosseguiu:-Morreuaodaràluzonossofilho.Nenhumdenósescapou incólumeaestaguerra,Rachel.Somostodosvítimas.Hátrêsmeses,houve umataqueaéreoaHamburgo.Omeupaimorreu,omeufilhosobreviveu. Se pode chamar-se sobrevivência a um grau de queimaduras que o vai deixarcomcicatrizesparaorestodavida.

Orostodelaensombrou-se.

-Eu

lamentosaberisso.Lamentomesmomuito.

-Águaspassadas.-Haldersentiaumabolanagarganta.-Contudo,háuma coisa que quero dizer-te desde há imenso tempo. E seja qual for a tua opção,queroquesaibas.

-Oqueé?

-UmacoisaquenuncatedisseporquesabiaqueHarrysentiaomesmoe

nãoqueriaarruinaranossaamizade.Noentanto,daprimeiravezquetevi

emSaqqara,apaixonei-medeimediato.Coupdefou-dre,comolhechamam

osFranceses.Amoràprimeiravista.

Rachel não comentou. Instalou-se um silêncio tenso entre eles. Halder levantou-se,desúbitoembaraçado,eempurrouacadeiraparatrás.Estava conscientedeumaforteemoçãoacrescerdentrodesi.

-Deixo-teporunsmomentosparapoderesmeditarnaproposta.

Cairo

SansonaguardavaWeavernumadassalasdeesperadohospitalcomvista

paraosjardins.Aoveropescoçoligadodoamericanoeosanguecoagulado

nacamisaenocasacodafarda,fezumarvagamentepreocupado.

-Issoestácommauaspecto.Sente-secapazdefalar?

- Claro - respondeu Weaver, embora ainda se sentisse zonzo. Mal se lembravadetersidolevadoparaohospitalenãorecordavacomnitidez nadadoqueaconteceradesdequeoárabeoesfaqueara.

-Sente-se.

Sentaram-sepertodeumadasjanelas.Láfora,nosrelvadosbanhadospelo

sol,haviaenfermeirasapassearemhomensquehaviamficadogravemente

feridosnoscombatesemItáliaequeestavamemrecuperação,demuletas

ouemcadeirasderodas.

-Foiporpouco-comentouSansoncomrudeza.-Omeusargentonãotevea mesma sorte. Morreu há dez minutos numa enfermaria ao fundo do corredor.

-Lamentomuito.

-Tambémeu.Eraumexcelentesoldado.-Sansonestavafurioso.-Edigo-

lhemais,Weaver.Sevocêsetivessemantidoalertacomaarmaempunhoe

esperadoomeuregressoantesdesepôrabisbilhotarpeloapartamento,

talvezomeusargentoaindaestivessevivo.

- Talvez tenha razão - assentiu Weaver sombriamente. - E fui sincero quando disse que lamentava a morte do seu sargento. Mas podia muito bemtersidoeu.

Sansonextraiuumblocoeredarguiuàbruta:

-Esqueça,Weaver.Demomento,nãoestoucomdisposiçãoparadiscussões.

Emelhorcontar-meoqueaconteceuExatamentedesdequeeusaídelá.

Eleassimfez,eSansonanotouospormenores.

-Eprovávelqueonossoamigotenhaoutrorefúgio-acabouopolíciapor comentar.-Porém,vamosterdeverificarhotéis,pensõesealberguespara ver se descobrimos alguma coisa. Já forneci pormenores do incidente a todasasesquadrasdoCairo,eestamosatentarentraremcontactocomo senhorioparaelenosdizeroquesouberacercadaidentidadedotipo.

-Revistaramoapartamento?

-Dealtoabaixo.Nãodescobrimosnada.Apropósito,amáquinafotográfica que já tínhamos encontrado é um modelo ideal para fotografar documentos.Comissoeorádio,podemosapostarqueofilhodamãe se preparaparaqualquercoisaasério.Aquestãoé:oquê?Equeserviçolhe fezEvirparapagarcomavida?

-Achamesmoqueeleconseguiufurarasegurançadaresidência?

Sansonlevantou-se,agigantando-seacimadeWeaver,mantendo

otomgelado:

-Éissoquetemosdedescobrir,nãoé?Todavia,sequeraminhasincera

opinião,cheira-meaqualquercoisa.Ambossabemosqueoseupresidente

eonossoprimeiro-ministrochegamnasemanaquevemparaumencontro

ultra-secreto.OsnossosrelatóriosdeespionagemsugeremqueosAlemães

têmandadonumdesesperoparaconseguirpormenores.Eudiriaquejáé

razãosuficienteparaestarmosambospreocupados,nãolheparece?

OGeziraSportingandRacingCluberaomaisprestigiadoclubedoCairo, instalado em cinco hectares de jardins magníficosna ilha deGezira, um pequenooásisdeluxonomeiodoNilo.

O bar dos sócios continuava cheio de civis e de oficiais fora de serviço quandoWeaverláchegou,poucodepoisdoalmoço.

Viu o general George Clayton de pé junto do balcão, com a farda rigorosamentepassadaaferro,comosempre.OadidomilitardosEUAera um oficial de espionagem que não brincava em serviço, tendo uma reputaçãoderigor.

--Viva,Harry.Estácomaspectodequempassouumamanhãdesgraçada.

-Achoquesepodedizerisso,meugeneral.

AtrásdeClayton,apareceuoembaixadoramericanoemequipamentode

ténis,raquetanamão,toalhaaopescoço.AlexanderKirkeraumhomem

altomuitobem-parecidoeextrovertido.

-Sr.Embaixador.Lamentointerromperoseujogo.

-Tenente-coronelWeaver.Gostodeover.

Weaverapertou-lheamão,eClaytonindicouoterraçocomumacenode

cabeça.

-Quetalumsítiomaisprivado?

Oembaixadoreogeneralsaírameforamsentar-senascadeirasdevergaa

umadasmesas,ondeWeaverselhesjuntou.

Claytonacendeuumcharutoemandouemboraocriadoqueseaproximara.

-Então,quehistóriaéestadeumárabequalquertentarcortar-lheagoela?

Weaver explicou, e quando acabou, fez-se um silêncioprolongado,até o embaixadorperguntar:

- Está a dizer-nos que o tenente-coronel Sanson acha possível que esse assaltantemetenhaarrombadoocofresemomeupessoaldarporisso? Parece-mebastanteincrível.

-Eleachapossível,Sr.Embaixador.

-Bem,nadafaltanocofre-garantiuodiplomata.

-Encontrámosunsarranhõespertodafechaduradasjanelasdesacadaque

dãoparaoseuescritórioquepodiamtersidofeitoscomumcanivete.E

váriaspegadassobumrenquedeárvoresqueatravessaorelvado.

Oembaixadormudoudeposiçãonacadeira,numgestodepoucoàvontade.

-Equepensaosenhor,tenente-coronelWeaver?

-Ofatoéqueoassaltantefoiassassinado,fossequalfossearazão. E o árabe tinha um rádio, provavelmente para contactos com os Alemães. Tinhatambémumamáquinafotográfica.Talveznadativessesidoretirado do cofre, no entanto os documentos que lá estavam podem ter sido fotografados. Importa-se de me informar se teve alguma coisa particularmente importante guardada no cofre em qualquer altura da semanapassada,Sr.Embaixador?

Kirkpigarreou,comoqueatrapalhado.

-Achoquetiveláumacópiadescodificadadeumacomunicação secreta que enviei para Washington. Limitava-me a confirmar que os nossos preparativosaquiestãoquasecompletospara a reunião da semana que vemequeasmedidasdesegurançanecessáriasestariamimplementadas muito antes da chegada do nosso presidente e do primeiro-ministro britânico.-Odiplomatacoroueapressou-seaacrescentar:-Porém,não havia qualquer pormenor sobre a natureza da reunião nem sobre a segurançaemsi,asseguro-lhe.

Weaverpermaneceuemsilêncio.Oembaixadorpareciapoucoàvontade.

-PoramordeDeus,Harry-interveioClayton-,achamesmoqueumúnico

espiãoárabepodeconstituirperigo?Asegurançavaisermaisapertadado

queoburacodeumaagulha.Alémdisso,aslinhasalemãsmaispróximas

estãoamaisdemileseiscentosquilómetrosdedistância.

-Francamente,nãoseioquepensar.Todavia,gostavadesaberqueonosso

amigodorádioandaatramarepreferianãodescobrirdapiormaneira.

Claytondeitouumaolhadelasignificativaaodiplomata.Kirkcomprimiuos

lábios,semprecomaspectoperturbado,ecorrespondeucomumacenode

cabeçaeumsuspiro.Oadidomilitarvirou-separaWeaver.

-Muitobem,émelhorprocurarotipo.Querooassuntoesclarecidoantes dachegadadopresidenteedoprimeiro-ministro.Sansonquecomandeas operações. Afinal, isto está sob jurisdição britânica e, pelo que sei de Sanson,eletemmuitomaisexperiênciadestascoisas.-Claytonlevantou-se eesmagouocharuto.-Nãonosdeixeficarmal,Harry.Éumaordem.

Harvey Deacon, o agente de Schellenberg no Cairo, era um cidadão

britâniconaturalizadoquevivianoEgitohámaisdetrintaanos.Possuía

umavillanoNilo,umacasaflutuantequefuncionavacomocasinoeum

conhecidíssimolocaldediversãonocturnadenominadoSultanClub.

Estava no seu gabinete da casa flutuante naquela tarde, a tratar da burocracia, quando bateram à porta e entrou um homem de djelaba. Deacon tinha uma expressão consternada ao sacar um charuto do humidificadordesândaloquetinhaemcimadasecretária.

-Então?

O árabe deixou-se cair numa das cadeiras de verga em frente dele. O maxilareolábiopareciammuitomagoadoseinchados,ficaracomoolho direitonegroeperderadoisdentesdebaixo.Fezumesgardedoraofalar:

-OmiúdoerafilhodeEvir.Eusabiaquejáotinhavisto.Andavaporali

numanoiteemquemeencontreicomopai.Evirmandou-oparacasa,mas

eledeveter-nosseguidoatéaoapartamento.

-Eumautênticodesastre-explodiuDeacon,atirandocomocharutopor acender. - É melhor manteres-te escondido mais uns dias. A Polícia e a tropahão-deandaràtuaprocura.

-Queandem-replicouHassanSabryemtomdedesafio.-Nuncamehão-de encontrar. Eles só viram mais um egípcio de barbas com uma djelaba vestida. E não podem saber que Evir penetrou na residência. Não têm provas.Elesótiroufotografias.

DeaconaceitouquedeviahaveralgumaverdadenaspalavrasdeHassan,no

entantoaquilocontinuavaanãolheagradar.

-OsAliadosnãosãotolos

hão-deperceberqueestãonapista

dequalquercoisa.-Abriuumagavetadasecretáriaeatirouparaooutro lado uma mancheia de notas. - Toma, assegura-te de que não és reconhecido.Cortaabarbaeocabeloecompraumfato.Eapartirdeagora tensdetermuitocuidado,entendido?VaiparaohoteldoteuprimoTarik emEzbekiya,oImperial.Ficaporláatéeutechamar.

Hassanpegounodinheirocommausmodosesaiusemresponder.Deacon

atravessouasalaatéaoespelhojuntodavigiaesuspirou,exasperado.O

árabetinhaasuautilidade,maserademasiadoconvencido,eaúltimacoisa

dequeeleprecisavanumaalturadaquelaseradearrogânciaedesleixo,

poiscorriamoriscodeacabarosdoispenduradosnapontadeumacorda.

Ao fim do dia, Deacon foi no seu Packard preto para sul ao longo da margemdoNiloatéàvilla.

A Maison Fleuve era grande, caiada, com persianas nas janelas, quatro quartos e um jardinzinho descuidado. Ficava isolada, tinha ancoradouro próprioeforaconstruídaporumdosgeneraisdacampanhadeNapoleão para aí instalar as amantes. Deacon quase nunca a usava, preferindo os seusaposentosnacasaflutuante.

Destrancou a porta e entrou no vestíbulo às escuras. A villa não tinha electricidade, mas haviam sido colocados sobre a mesa de entrada dois candeeirosaóleodepalma,eeleprocurouacenderumcomumfósforo. Depois,fechouàchaveaportaprincipaleencaixouumasólidaepesada tranca metálica em duas ranhuras, uma de cada lado, precaução que instalaraparamaiorsegurança.

Virou-separaoutraportaquedavasaídadovestíbuloedestrancou-a.Um lançodeescadasdesciaparaoqueinicialmenteforaaadega.Ogeneral napoleónicodescobrira-lheoutrautilidade:umcaminhodefugasecreto. Ao fundo da cave, um pequeno túnel conduzia a uma porta metálica ferrugenta.Paraládela,ficavamjuncosaltosqueescondiamumpequeno ancoradouro, e a este estava acostado um barco de madeira a remos, complementadosporummotorfora-de-borda.

Deaconabriuumarmárioaofundodasescadaseretirouotransmissorde rádio lá escondido, ignorando a pistola Luger de 9 mm, carregada e pousadaaolado.Levouentãoofioatéàantenamontadanaparedeexterior dotúnel,ligouabateriaelogoaseguiroaparelho.

Depois de este aquecer, sintonizou-o. Em Roma, uma estação re- transmissorapassavaassuasmensagensaoquartel-generaldaSD,eassim queouviuosinaldechamadapôsoblocoapostos.Destavez,

acomunicaçãofoimaiordoqueohabitual,etinhampassadomaisdevinte

minutos quando ouviu as letras AR, significando que a mensagem terminara. Deu conhecimento de que recebera a transmissão e a seguir descodificou-a.

Quandoacabou,ficouaolharparaopapel.Aenormidadedetudoaquilo

eraquasedemasiadaparaeleabarcar.Abocasecou-lheesentiusuores

friosnanuca.Assobioualto.

-Ora,raiosmepartam-comentou,asorrirparaconsigodeentusiasmo-,

masparecequeestamosmesmocomtrabalhoasério.

Poucofaltavaparaameia-noiteecontinuavaachoveracântarosquando Halder foi conduzido de Ravensbriick até à casinha em Wannsee. No caminhodesaibroemfrentedesta,encontrava-seumOpelpretocomdois homensdaGestapoládentro.OMercedesdeSchellenbergestacionaraao lado,eoseuocupantejáestavainstaladonosofádasala,ondealareirafora acesaecrepitava.

-Umanoitehorrorosa,porissodecidipôr-meàvontade.Esperoquenãote

importes.-Sorriu.-Então,quetalcorreu?

Haldersacudiuachuvadocasacãoerespondeuemtomirado:

- Ela concordou. O que não se pode dizer que me surpreenda, dada a propostaquelhefoifeita.

-Omundoéassim,Jack.-Schellenbergpareciaexcitadoelevantou-se.-

Parecemesmoqueacoisavai.Excelente.

-Queroquemefaçasumfavor.

-Oquê?

- O meu filho precisa de morfina. Fui vê-lo hoje, e o médico diz que os abastecimentos do hospital foram reduzidos. Não quero que Pauli sofra mais do que já está a sofrer e gostava que fosse transferido para um hospitalforadeBerlim,alguresondehajamenosbombardeamentos.

-Muitobem-assentiuSchellenberg,acenando.-Vouveroquepossofazer.

Halderencolerizou-se.

-Nãovejas.Faz-

-Controlaoteumaugénio,Jack-retorquiuSchellenberg.-Prometiqueele

seriabemtratadoetencionocumprirapromessa.

- Outra coisa. Se Rachel Stern sair disto com vida, é melhor também manteres essa promessa. De contrário, tens-me à perna, Walter. Juro-te pela minha vida, mesmo que isso me leve a enfrentar um pelotão de fuzilamento.

-Palavrasduras;nãoseisegostodesseteutom.Masaspromessasserão

cumpridas,podesteracerteza.

Halderatirouosobretudomolhadoparacimadeumacadeira.

-Oqueéquesesegue?

-Amanhãdemanhã, vais conhecer os teus companheiros de viagem. As setedamanhã,noquarteldasSSdeLichterfeld.Araparigaserátransferida paraláestanoite.Mandoummotoristabuscar-teàsseisemeia.

-Edepois?

-Otempoestácontranós,portantotemosdeandardepressa.Vaihaver

trêsdiasdepreparaçãorigorosa.Depoisdisso,partemdeaviãoparaRoma

edaíparaoEgito,provavelmentenamesmanoite.

-Parece-metudomuitorápido.

- Para além dos evidentes condicionalismos de tempo, as previsões meteorológicasalongoprazonãosãonadaanimadoras.Porisso,quero-vos a caminho antes que o lançamento se tome impossível. Não podemos arriscaratrasos.

-Precisodeveromeufilhoumaúltimavezantesdepartir.

Schellenbergabanouacabeça.

-Lamento,masnãoépossívelporrazõesdesegurança.Eosdoishomens

daGestapoqueestãoláforatêmordensparagarantirquenãovásaparte algumasemminhaautorização.-Atravessouasalaatéàporta.-Eagoraé melhor dormires um pouco. Amanhã tens um dia muito preenchido. - Levantouagolaeolhouparatráscomumaexpressãoestranha.-Heinrich não aceitará qualquer fracasso, Jack. Segundo ele, está tudo em jogo, e quandodizisto,refe-re-seavitóriatotalouderrota.Portanto,nemvalea penapensaremdedicarmenosdecemporcentoaocaso.Decontrário, comosecostumadizer,nãovaleriaapenaviveravida,nemtunemoteu filho.

TerceiraParte:18-20deNovembrode1943

Weaverpousoucomumbaqueumgrandemontedeprocessosemcimada secretária, arregaçou as mangas e atirou-se ao trabalho. Os processos referiam-seagermanófilosconhecidoseconsultou-osumaum.Eramuito bonitoogeneralClaytondizer-lhequetinhadedescobriroespiãoárabe, mas que tipo de pessoa seria, que disfarce utilizaria e qual seria o seu modus operandi? Quatro horas passadas, ainda não consultara todos os processos, mas já detectara meia dúzia de suspeitos pró-nazis (cinco egípcioseumnegocianteturco)cujasdescriçõesfísicasseassemelhavam vagamenteaohomemquetentaramatá-lo.

Aportaabriu-se,eSansonentroucomumdossierdebaixodobraço.

-Então,játevesorte,Weaver?

-Dêumaolhadaaestes.

Sansonsentou-senumadascadeiraseanalisouosprocessosqueWeaver

lhepassou.

-Omeupalpiteéquesãocapazesdeserinofensivos.Emtodoocaso,o

melhoréconvocá-losparaumasperguntinhas.

Weaverjáinterrogaraosguardasdeserviçonaresidênciadoembaixador. Nada de extraordinário fora registado nos relatórios de turnos, mas o

oficialdeserviçonaquarta-feiraanteriorconfessaraquecercadas9horas,

depoisdeoembaixadortersaídoparaumjantar,tiveraaimpressão de

ouvirumruído,comoquedeumaportaabater,numadassalasdorés-do-

chão.Passaraeleprópriorevista a todoo edifício,masnadaencontrara foradolugar.Eraumbecosemsaída,reflectiaWeaver.

-Equantoaoshotéisepensões?

-Aindaandamosaverificar,masdemoraremosnomínimomaisumdiaou doisavertodos.Atéagora,estamosazero.-Sansonpegounodossierque trouxera, e Weaver reparou na palavra confidencial escrita a letras vermelhasnacapa.-Gostavaquevisseumacoisa.

-Oqueé?

-Umregistodetransmissõesdescodificadasedeorigemdesconhecidaque

asComunicaçõestêmcaptadoduranteoúltimoano.

SansonabriuodossieremostrouaWeaveroregistodeumacomunicação

interceptadaquesereferiaareforçosdetropasnoCairo.

- Foi feita há cerca de um ano por um agente cujo nome de código é Besheeba. Uma coisa em que os nossos rapazes do controle de comunicaçõesnoquartel-generaltropeçaramporacaso.

-Quetemdetãointeressante?

-Paraalémdofatodeestasinformaçõesseremsemprecorrectíssimas e ainda não termos apanhado o autor, vai ver uma coincidência bastante notável numa das transmissões. - Passou a Weaver outra comunicação interceptada. - Foi captada na madrugada da última quinta-feira, pouco depoisdameia-noite.

Destavez,amensagemeraconstituídaporumasérieininteligíveldeletras

ealgarismos.Weaverolhouparaocolega.

-Nãopercebo.Aindaestáemcódigo.

-Acertaalturadesteúltimoano,osAlemãestornaramassuasoperações menospermeáveiseocódigo de Besheeba foi alterado. Parece provável quetenhapassadoaserumatabeladefrequênciaimpossíveldedecifrar. Em todo o caso, não é essa a questão. Besheeba não transmite com frequência, contudo, quando o faz, a informação costuma ser de importância razoável. Calculamos que Evir tenha sido assassinado na última quarta-feira à noite. Pouco depois, a Secção Y captou esta transmissão.Umacoincidênciainteressante,nãolheparece?

-AchaquefoiBesheebaquemtransmitiuisso?

-Apostavaquesim.TodoooperadordeMorsetemoqueosrapazesdas

Comunicaçõeschamamaassinatura.Eumaespéciedeestiloindividual,se

a maneira como a tecla de Morse é operada. Com força ou

ligeireza, depressa ou devagar, há sempre um ritmo único para cada

quiser

operador.Eotipoquecaptouatransmissãonamadrugadadequinta-feira

temmuitaexperiência,conheceoestilodeassinaturadeBesheebaejura

quefoiele.

-AchaqueBesheebapodeseronossoamigoárabe?

-SóDeussabe,noentantosuponhoquesejapossível.-Sansonergueuo olhar. Passava das 9 horas e estava escuro lá fora. Repôs no dossier as mensagensinterceptadaselevantou-se. - Bom, é melhor acabarmos por hoje.Encontramo-nosaquiàsseisdamanhã.Vocêpodecontinuarcomos processos.

-Evocê?

-Háummontederelatórios de espionagem que capturámos quando os bochesevacuaramTunes.Estãoguardadosnumdosnossosarmazénsno BairrodeEzbekíya.Combineicomunstradutoresajudarem-meadar-lhes umavistadeolhoseverseháalgumareferênciaaBesheeba.

-Achaprovável?

Sansonencolheuosombros.

-HásempreapossibilidadedeopessoaldeRommelcaptarasmensagens deleemdireto.Fazalgumsentido.Naaltura,osAlemães precisavam de receber bem depressa as informações obtidas pela espionagem. Encaminhá-lasviaBerlimpodiafazê-losperderumtempoprecioso.

-Quandoacabarcomistoaquiamanhã,esevocênãoseimportarcoma

minhacompanhia,gostavadeirtambém.

Sansonergueuoolhointacto.

-Acaçadeumamedalha,Weaver?

-Não,sódeumperigosoespiãoalemão-respondeuWeaver,estendendoa

mãoparaocasaco.

Berlim

Eram7damanhãeaindaestavaescuroquandooMercedesdeserviçose

deteve em frente à porta do gabinete do comandante do Quartel de Lichterfeld. Apeando-se do carro, Halder viu Schellen- berg aparecer à portailuminadacomosobretudodafardapelosombros.

-Então,peloquevejo,sempreconseguiste.Nãopercamosmaistempo.Já

marqueiumasalaparaasreuniões.KleisteDoringespe-ram-nos.Segue-

me.

Schellenberg avançou até um recinto rodeado de arame farpado e guardadoporumadúziadesoldadosSScompistolasautomáticasedois lobos-d‚’Alsácia de aspecto feroz. Schellenberg mostrou o passe e deixaram-nosentrar.

-Precauçõesdesegurança-observou,precedendoHalderaatravessaro recinto e encaminhando-se para um edifício térreo de tijolo com um holofotesobreaentrada.-Quemquiserentrarsemautorização especial minhaéalvejado.

O interior do edifício era espaçoso e básico, como uma sala de aulas. Estavamdoishomensjuntodeumfogãoaaqueceremasmãos,ambos à paisana.Umandavapróximodosquarentaanos,decaramarcadaenariz achatado, e era entroncado como um touro. Parecia um estudo em brutalidade,comosolhosescurosaindiciaremumanaturezaselvática.O segundohomemestavaameiodacasadosvinte,comaspectorude,cara afiladaebocafina,cruel.

-JáconhecesomajorKleist.Eestejoveméosegundo-sargentoDoring,das

SS.Apresento-lheomajorHalder.

Kleistfoioprimeiroaestenderamão.

-Bem,Halder,cánosencontramosdenovo.Sebemmelembro,aúltima

vezfoinumaoperaçãoanti-resistentespertodeSarajevo.

Halderignorouamãoestendida.

-Lembro-memuitobem.Enãopossoafirmarquesejaumprazerrevê-lo

depoisdeterassistidoàformacomotratouosprisioneiros.

Kleistcorou,eosolhossemicerraram-se-lhecomaspectoameaçador.

-Osmétodosdurossãoporvezesnecessáriosnaguerra,major.Sabeisso.

- Sou soldado, não sou carniceiro, Kleist. Talvez você não perceba a diferença. Não considero a violação e a tortura de mulheres um modo honrosodeconduzirumaguerra.Oseucomportamentodesonrouafarda alemã.

- Recebi um louvor por essa operação - replicou Kleist com um sorriso malicioso.-Éevidentequeomajornãotemestômagoparatrabalhoassim.

Halderignorouaprovocação.Doringdissimulouumsorriso,comoseos

acontecimentosodivertissem,eJackantipatizoudeimediatocomele.

-Tenhomuitoprazeremconheceromeumajor-afirmouDoring.

-Encantado,semdúvida.

Schellenbergsuspirouepôsapastaemcimadeumasecretáriademadeira

viradaparatrêscadeiras.

-Muitobem,agoraquejásabemosquevãotodosdar-sebem,sentem-se, meussenhores,paraprosseguirmos.-Schellenbergabriuapastaeextraiu unsquantosmapas.-Nãotardoadar-vososelementosexactos,mas,em resumo,aestruturadavossamissãoéaseguinte:serãotransportadospara o Norte do Egito ao encontro de um dos nossos agentes locais num aeródromo abandonado no deserto. Ele ajuda-vos a chegar ao Cairo disfarçadosdearqueólogos.Nacapital,encontram-secomumdosnossos agentesegípciosquevosinstalanumrefúgio.Apartirdaí,avossamissãoé envidartodososesforçosnosentidodesaberondeRoosevelteChurchill ficamacomodadosnacidade.SuspeitamosquesejanoHotelMenaHouse,

porém isso fica para mais tarde. Assim que conseguirem confirmar a localização, precisam de elaborar um plano que contribua para conseguirmospenetrarasegurançadoschefesaliados.Feitoisso,orestoé simples. Comunicam por rádio com Berlim e nós enviamos o coronel Skorzenyeosseuspára-quedis-tas.Nessaaltura,éSkorzenyacompletara missão, e vocês ficam de fora. Não deve ser necessário insistir na importância de um bom resultado para a sobrevivência da Alemanha. É mesmovitalqueestaoperaçãosejaumêxito.Amissãonãoseráabortada emcircunstânciaalguma,amenosquesejaeuempessoaadarsemelhantes instruções.Entendido?

-Comoéquenósvamosmanterocontacto?-quisHaldersaber.

-Besheeba,oagentequevãoconhecernoCairo,temumtransmissorde

rádio.AssuascomunicaçõessãoretransmitidasparaBerlimapartirdeum

receptoremRoma.-Schellenbergapontouparaumdosmapas.-Vamos

entãoaospormenores.

Nashorasqueseseguiram,Schellenbergexplicoutodooplanoatéaosmais

ínfimospormenores.Porfim,apontouomapadoCairo.

- Os homens de Skorzeny hão-de aterrar em segurança numa pista que vocês têm de tomar dez quilómetros a sul de Gizé, perto de uma vila chamadaShabramant.ÉumcampodetreinodaRealForçaAéreaEgípciae sódevezemquandoéusadopelosBritânicoseAmericanos.

-PorDeus,comoéquevamosconseguirquedoisaviõescheiosdepára-

quedistasSSpenetremasdefesasantiaéreasaliadas?

- Há sempre maneiras - sorriu Schellenberg. - E, basicamente, é a mesmíssima forma que vamos usar para vos pôr lá. Por acaso, até é bastanteengenhosa.Todavia,comojádisse,ospormenoresexactosserão dadosantesdapartida.Quantoatrazer-vosdevolta,aintençãoactual é que vocês regressem a Shabramant, onde um dos nossos aviões fica à espera.DevoacrescentarqueBesheebaviráconvosco.Depoisdisto,perde asuautilidadenoEgito.

-Comcertezaqueanossapartidaporviaaéreaseráarriscada.Eprovável

queporessaalturaosAliadosjáestejamemalertamáximo.

-Contandocomessapossibilidade,organizeiataquesaéreosaAlexandriae

aoCairo,apartirdasnossasbasesemRodeseemCreta,comomanobrade

diversão,logoaseguiràaterragemdoshomensdeSkorzeny.Sim,Kleist?

-Quandoéqueconhecemosarapariga?

-Amanhã,quandodistribuirmosasroupaseobjectospessoais.Conforme expliquei,elanãosabeoverdadeiroobjectivodamissão,portantonenhum de vocês pode discutir aspectos relevantes na companhia dela. - Fitou Kleist e Doring. - Combinei com uns especialistas darem-vos um curso intensivobásicodearqueologiaparadarcredibilidadeaodisfarce.Agora, aotrabalho,meussenhores.

Cairo:17deNovembro

FoiSansonquemencontrouomemorandoprecisamentequandoestavam prestesadesistir.Haviam-sesentadoaumamesademadeiranoarmazém deEzbekiya.Osdocumentoseprocessosestavamempilhadosaosmontes em cima da mesa e no chão. Muitos encontravam-se chamuscados: o pessoaldoServiçodeInformaçõesAlemão procurara queimar os papéis quandoosAliadostinhamtomadoTunes.

Sansonanalisouomemorando,subitamentealertado.

-Achoquetemosaquiqualquercoisa.

MostrouaWeaverapáginadactilografadaemalemão e datada de nove mesesantes.Ficaraparcialmentequeimada,noentantooconteúdoainda eralegível.OnomeBesheebasaltouàvistadeWeaver,queergueuoolhar, ansioso.

-Quediz?

- Parece ser um memorando interno de um oficial do Serviço de

InformaçõesMilitares,HauptmannBerger,paraocomandante,emTunes.-

Sansonpassou-oaumdostradutoresoficiaisqueoacompanhara.-Dê-nos

umatraduçãoexacta,sargento.

- Sim, sir: Rommel exige mais pormenores com urgência: número de

efectivos,armamentoemovimentosdeartilharia.BerlimordenaqueFénix partadeimediatoparaoCairoparaseencontrarcomBesheebaeespera que esforços combinados produzam melhores resultados. - O sargento ergueuoolhardafolha.-Émaisoumenosisto,meutenente-coronel.

-ParecequeonossoamigoBesheebaarranjouajuda-comentouSanson paraWeaver.-Seaindatrabalharemjuntos,podemosterdeenfrentarum pau de dois bicos. - Bocejou, vestiu o casaco e mandou embora os dois sargentos.

-Eagora?-perguntouWeaver,fatigado.

-Voltamosaquiàprocuradepoisdedormirmosumpouco,paraocasode aparecermaisqualquercoisa.Evouverificarnoscamposdeprisioneirosse capturámos o Hauptmann Berger ou o superior dele quando tomámos Tunes.

-Pareceimprovável.Asesperançasdeoapanharmoscontinuamvagas,não

acha?

SansonesfregouoolhobomefitouWeaver.

- Numa cidade de dois milhões de habitantes? De fato, não há grandes esperanças.Mastemosdetentar,Weaver,temosdetentar.

OgrandeEvelhoarmazémnaapinhadazonacomercialdeKhan-el-Khalili

tinhaumaspectoexteriorigualaodequalqueroutroexistentenobazar:

uma rudimentar construção de tijolo com as paredes enegrecidas pela fuligem.Ládentroeraumacâmaradetesourocomabastecimentosdeque qualquer manutenção militar se orgulharia; empilhavam-se do chão ao tecto grades de bebidas alcoólicas, medicamentos, caixas de sapatos, comidaenlatadaepra-ticamentetudooquepudesseatingirnomercado negroumpreçoinflacionado.

ReggieSalterestavasentadoàsecretárianogabinetedoprimeiroandara contar maços de sujas notas egípcias. Era um homem baixo de trinta e poucos anos que envergava um casaco de linho com manchas de

transpiração, por baixo do qual se aninhava uma Browning automática numcoldredeombrodecabedal.

Bateramàporta,eSalterresmungou,semsedaraotrabalhodeergueros

olhosdasnotas,quecontinuouacontar.

-Estouocupado.Queraiosepassa?

A porta abriu-se e apareceu um dos seus guarda-costas. O aspecto era perfeitamenteletal,ummetroeoitentaecinco,entroncadoemusculoso, comminúsculascicatrizesquelheformavamcomoqueumateiadearanha nacara.

-ChegouDeacon.Estáàesperaláembaixo.

Salter arrebanhou o dinheiro para dentro de uma gaveta, que fechou à chave.

-VaichamaroCostasàcaveediz-lhequeprecisodelecáemcima.

-Certo,chefe.

NodiaemqueReggieSalterdesertarado8oBatalhão,asuavidamudara

para melhor. Quando a campanha no Norte de África começara a sério, milhares de soldados em pânico tinham fugido das suas unidades, escondendo-senodeltadoNiloenascidades,desejososdenãoapanharem com uma bala alemã entre os olhos. Os mais endurecidos de entre eles montaramlucrativosnegóciosilícitos,recorrendoagruposorganizadosde desertoresparapilharemarmazénscivisemanutenções militares. Salter foraumdosprimeiros.

A porta abriu-se já ele estava empoleirado na beira da secretária, e apareceuumhomemmorenoedebigodenegro.CostasDemiriserafilhode umcomerciantegregoe,talcomoSalter,seusócio,tambémeradesertor.

-Qualéoproblema,Reggie?

Salteracendeuumacigarrilhadeummaçoquetinhaemcimadasecretária.

-Deaconestácá.

Costasfezumgrandesorriso.

-Então,semeasteventos,agoravaiscolherastempestades.Elevirácobrar

asduzentaslibrasqueperdestenaroleta?Jáfoihámaisdeummês.

-Eletemasroletasviciadas.Semechatear,arranco-lheostomatesparaos

pôraampararlivros.

OsorrisodeCostasalargou-seperanteaperspectivadecomplicações, e nesse momento o guarda-costas abriu a porta e Harvey Deacon entrou, seguidoporHassan.Abarbadoárabedesaparecera,assimcomoadjelaba, substituídaporumfato.Salteratravessouasalaeestendeuamão.

-Éumprazervoltaravê-lo,Harvey.Emquepossoser-lheútil,meuamigo?

-Numnegócio,seestiverinteressado.

-Osnegóciosagradam-mesempre,portantocontelá.Oqueé desta vez, umascaixasdewhiskydomercadonegro?

-Destaveznão.-Deaconfoisentar-senumadascadeiras.-Aqueladívida

dejogoquetemparacomigo:quetalnãoterdeapagareaindareceber

algumporfora?

SalterrelanceouoolharparaCostasedepoisfitouDeaconcomumligeiro

sorriso.

- Gostava muito, meu querido. Mas o que se esconde por detrás dessa proposta?

-PrecisodeumjipemilitaramericanocomasinsígniasdaPolíciaMilitar.

-Sóisso?-perguntouSalter,aindaasorrir

- Ainda não acabei. Também quero uma farda de capitão do Exército Americano,duasfardasdaPMeasarmascorrespondentes.Etrêscamiões do Exército, americanos, em boas condições mecânicas. Mais a documentaçãodosveículostodalegal.

Salterpareciadivertidoeriuàgargalhada.

-Quevaifazer,Harvey?Desencadearoutraguerra?

Deacontirouumgrandesobrescritodobolsointeriordocasacoeatirou-o

aointerlocutor.

-Estãoaímillibrasporconta.Esterlinas.Sóparasaberquenãoestoua

fazê-loperdertempo.

O sorriso desapareceu da cara de Salter, que fez um aceno de cabeça a Costas;estepegounosobrescritoededilhourapidamenteoconteúdo.

-Pareceverdade,Reggie.Milesterlinas.Talcomoeledisse.

SalterfitouDeacon.

-Paraqueméomaterial?Comcertezanãoéparasi.Éumpoucotardepara

começarabrincaraossoldadinhos.

-Clientesmeusquepretendempermanecerincógnitos.

Saltersorriu.

-Evocêrecebecomissão,nãoé?

-Podedizer-sequesim.Aquestãoé:conseguefornecertudo?

-Consigofornecertudooquelheapeteça.Mascustadinheiro.

-Quanto?

OsorrisodeSalteralargou-se.

-Umjipe,trêscamiões,uniformesearmas?Émuitoequipamento.Digamos

trêsmilesterlinasportudo.

-Umaquantiaconsiderável.

-Éomelhorquepossofazer.-Salterencolheuosombros.-É pegar ou largar.

-Sóháumproblema.Precisodojipe,dasfardasedasarmasatésexta-feira

ànoite.Oscamiõespodemserunsdiasdepois.

Reggieassobiou.

-Éumtrabalhourgente,Harvey,meucamarada.

-Masconsegue?

Saltervoltouaencolherosombros,atéqueporfimsorriu.

-Nãovejoporquenão.

-Temosnegócio-comentouDeacon,levantando-seeestendendoamãoa

Salter,queaapertou.-Confioemsi,Reggie.Nãomedesiluda.

Salterdeu-lheumapalmadinhanascostaseacompanhou-oàporta.

-Nãosepreocupe.Tratodetudo.Sónãoseesqueçadetrazerodinheirona

sexta-feira,eterátudocomodeveser,meuvelho.

Berlim

SchellenbergentroucomRachelnacamaratadoquartelpoucopassavadas

7damanhãdequarta-feira.

-Éaltura de conhecerem o último membro da equipa, meus senhores - anunciou. - Permitam-me que vos apresente Frãulein Stern. A partir de agora,vãoconhecê-la como Maria Tauber, especialista em arqueologia e judiaalemãexilada.-Virou-separaela.-OmajorHalderjávocêconhece. Noentanto,paraefeitosdamissão,elechama-sePaulMallory,professor americanodeArqueologia.-SchellenbergindicouKleisteDoring.-Estes sãoosoutrosdoiscavalheirosdequelhefalei.Ficaaconhecê-loscomoKarl UderePeterFarnback,ambossul-africanos.

Kleistinclinouacabeça,bateuoscalcanharesesorriu.

-Ficonaexpectativadeaconhecermelhor,Frãulein.Atéconfessoquepara

judiatemumaspectotentador.

-Vamosdeixarumacoisabemclara-interveioHaldercomumolhargélido.

-Sevocêsearmaremparvocomela,sejadequemaneirafor,encarrego-

mepessoalmentedelheenfiarumtiro,entendido?

-Issoéumaameaça,Halder?

-Tome-oantesporumavisoamigável.

-Basta,Kleist-interveioSchellenberg.-Adiante.

Emcimadamesa,haviadiversasmaletasdeviagem,eeleentregouumaa cada um, dando depois a Rachel um conjunto de documentos de identificação.

- Vou deixar-vos a sós para se familiarizarem com os disfarces e experimentaremotamanhodasroupas.

LagosAmargos:18deNovembro

Aestradadodesertonãotinhaqualquermovimentoàsprimeirashorasdo

dia,oarestavafrioenãosecruzaramcomumúnicoveículo.As4epoucos

minutos, com os primeiros raios da alvorada apenas a colorirem ligeiramente o horizonte, chegaram à barreira que marcava a entrada principal do campo de prisioneiros e pararam. Á meia-noite, Sanson telefonaraaocomandantedoCampodosLagosAmargos,oqualconfirmara queoautordomemorando,oHaupt-mannBerger,estavaládetidoapós tersidocapturadoemTuneshaviaseismeses.

Dois guardas armados saíram da guarita e examinaram os documentos deles, só depois lhes permitindo transpor a barreira da entrada. Foram recebidos à porta do edifício principal da administração por um major britânicodeaspectocansado,queosacompanhouaoseugabinete.

- Creio que veio interrogar Berger, meu tenente-coronel - disse ele a Sanson.-Éumahoraestranhaparaisso,deixe-medizer-lhe.

-Umaquestãodesegurança-limitou-seSansonainformar.-Gostávamos

deconsultaroprocessodoprisioneiro.

Omajornãoinsistiu.

-Comoqueira.-Saiueregressoupassadosminutoscomumdossierque

lhesentregou.

-ConheceBergerpessoalmente?-perguntou-lheSanson.

-Achoquesepodedizerquesim,sir.

-Comoéele?

-Umalemãomuitodecente.Poderiadizer-sequeéumprisioneiromodelo.

-Omajorsorriu.-Eaindaporcimaumjogadordexadrezmuitointeligente.

Geralmente,ganha-mecomtodaafacilidade.-Encolheuosombros,como

queadesculpar-seporconfraternizarcomoinimigo.-Receioquenãohaja

muitomaiscoisasparafazerporesteslados.Apropósito,nãovaiprecisar

deintérprete.Bergerfalauminglêsexcelente.

Ooficialacompanhou-ospelocorredoratéumasalanuasócomumamesa ecadeiras.Apósapartidadoanfitrião,WeavereSansonleramoprocesso deBergeratédoisguardasotrazerem.Oprisioneiroeraaltoepálido,de aspectojuvenil,comrostosimpático,bocasuaveeolhosvivos,inteligentes. Coxeavavisivelmente,arrastandoumpé, prótese evidente, e vestia uma esfarrapada farda alemã de um tamanho superior ao seu. Vinha com ar confusoeestremunhado.

-CapitãoManfredBerger?

-Ja-respondeuojovemalemão,pestanejando.

-Souotenente-coronelSanson,doServiçodeInformaçõesMilitares.Eeste

éotenente-coronelWeaver.Sente-se.

Berger puxou de uma cadeira em frente deles. Sem mais preâmbulos,

Sansonmostrou-lheomemorando.

-Escreveuisto?

Bergeranalisouopapelfino,transparecendonasuaexpressãounslaivos

decautela.

-Lamento,masnãomelembro.

-Oseunomeestáaquiembaixo.CapitãoManfredBerger.

Eleencolheuosombros.

-Sim,masnocumprimentodomeudeverenvieimuitosagentesparaládas

vossaslinhas.Nãoconsigolembrar-medetodos.

-RelativamenteaesteagentenoCairo,comonomedecódigodeBesheeba, eaooutro,Fénix oquepodedizer-mesobreeles?

-Nãoseinadadequalquerdessasduaspessoas.

-Nãoéoqueomemorandofazcrer,Berger-insistiuSanson.-Portanto,

nãomevenhacomtretas.

Oalemãoenrubesceuperanteotomameaçador.

-Deixe-merecordar-lheque,deacordocomaConvençãodeGenebra,eusó sou obrigado a revelar o meu nome, posto e número. Nada mais. Os senhoressãoambosmilitares,portantosabemissoperfeitamente.

-Estou-menastintasparaaConvençãodeGenebra,Berger-gritouSanson,

batendocomopunhonamesa.-Respondaàpergunta.

OcapitãopareceuficarumpoucoabaladofaceàhostilidadedeSanson,mas

redarguiuemtompausado:

- Lamento, mas de fato não posso ajudá-los. Devem saber que oficiais menos graduados dos serviços de informações, como eu próprio, não costumam ter o privilégio de conhecer as verdadeiras identidades dos

agentesnoterreno.

-Nãocostumam,masàsvezesconhecem.Eéfrequentehaverboatosde caserna a circularem em relação aos agentes que trabalham para nós. TenhoacertezadequevocêsabiacoisassobreaoperaçãonoCairo.Comoé queFénixpassouasnossaslinhas?OndeseinstalounoCairoàchegada? ComoseencontroucomBesheeba?Dê-merespostas.

Bergernãoofez,eSansonabriuoprocessodoalemão.

- Vejo que, quando foi detido em Tunes, estava vestido à paisana. Um

issosugeretratar-sede

umespião.Osespiõessãofuzilados,Berger.

militardisfarçadodecivilemterritórioinimigo

Oalemãoempalideceu.

-Eu,espião?Estáagozar,comcerteza.

Sansonenfrentousempestanejaroolhardoprisioneiro.

-Acha?Vocêatééoficialdeinformações:maisumaprova,senecessário.

- Não sou espião -- replicou Berger, nervoso. - E mesmo que soubesse algumacoisasobreoassunto,oquenãoacontece,nuncatrairiaaconfiança domeupaísafavordoinimigo.

Sanson afastou a cadeira para trás com estrondo e levantou-se. A sua expressãoerafriaedeterminada.

-Querorespostas,nãoconversafiada.-Tiroudaalgibeiraumbastãode

couroecolocou-oemevidênciaemcimadamesa.Bergerfitouoobjecto

comansiedade.-Então?

Peranteahesitaçãodoalemão,nummovimentorápidoSansonagarrouno bastão e atingiu-o violentamente na face. O jovem soltou um grito, agarrandoomaxilar,chocado.

-Eu

nãoseinadasobreaoperaçãonoCairo.

-Deixe-merecordar-lheumavezmaisoquedizomemorando.-Sanson leu: - Berlim ordena que Fénix parta de imediato para o Cairo para se

encontrar com Besheeba e espera que esforços combinados produzam melhoresresultados.-Ergueuoolhar.-Éistoqueodenuncia,Berger:

espera que esforços combinados produzam melhores resultados. Que resultadosesperava?Diga-me.

Bergerpareciaassustado,eSansonvoltouàcarga:

-Então,Berger,estouàespera.Podeserfuziladocomoespião,ouaindanão

percebeu?

-IchbinManfredBerger,Hauptmann,nummer

Sanson saltou da cadeira num instante, de bastãoempunho.Atingiude novo Berger com força na cara. O alemão gritou de dor e caiu ao chão.

Weavernãoestavacapazdeaguentarmuitomaisecomeçavaainterrogar-

seseBergerteriaalgumacoisaútilparalhescontar.Foiajudaroalemãoa

levantar-se.

Sansonreagiudeimediato:

-Queraioestávocêafazer,Weaver?Deixe-o!

-Vá-selixar.Otipoestámagoado!

-Largue-o,jádisse.

Weaverrecuou.Sansonaproximou-se,agigantando-sesobreoalemão.

-Vamoslá,Berger.Averdade.Venhaela!

Oprisioneiroficoucaído,agemer:

-Porfavor

-Pense,Berger.Pensebem.Devesaberqualquercoisa.Valeapenaarriscar

umespancamentoeumabalaquandooseupaísjáestáaperderaguerra?

Pensenasuafilha.Gostavaderevê-la,nãogostava?Oupreferequeasua

mulherefilharecebamumtelegramaacomunicar-lhesasuamorte?

Bergerreagiu,quaseaceder.Levantouamãoparaseprotegerassimque

Sansoncomeçoudenovoaerguerobastão:

-Não,porfavor!Euconto-vosoquesei.

Passadaumahora,estavamelessentadosnasaladointerrogatóriodepois

deBergertersidolevadoeSansonacendeuumcigarro,comentando:

-Nãoémuito,masjáéqualquercoisa.-Weaverpermaneceuemsilêncio

enquantoSansonreliaosapontamentos.-Jásabemosque,apósachegada

aoCairo,FénixdeveterpassadoumanoitenumrefúgioemEzbekiya,um

hotelpertencenteaumsimpatizanteárabedaespionagemalemã,antesde

entraremcontactocomBesheeba.

As informações prestadas por Berger eram de fato poucas, mas não deixavam de ser significativas. Tal como Weaver suspeitara, Berger não tinhaconhecimentodaverdadeiraidentidadedequalquerdosagentes,no entantoadmitiratervistooárabedescritoporSansondurante a última reuniãohavidanoQGdaWehrmachtemTunes.

-Precisamos,portanto,dedescobrirestehotel.Voufalarcomalgunsdos

meusinformadores.Talvezencontremosumsuspeito.Senão,investigamos

todososdonosdehotéisnazonaatéoencontrarmos.-QuandoWeaverse

levantou,Sansoninterpelou-o:-Aondevai?

-VerseBergerestábem.Achoquevocêoabalouumbocado.

-Nempense,Weaver-ripostouSanson,irado.-Ejáagoraqueestamosa falardoassunto,chamo-lheaatençãoparaumacoisa.Sabemuitobemque não devia ter tentado ajudá-lo durante o interrogatório. Isso minou a minhaautoridade.

-Nãofoiuminterrogatório,Sanson.Foitortura,independentementedos

resultados.OtipodecoisaqueeuesperariadoraiodaGestapo.

- Isto é uma guerra suja, Weaver, e eu uso as tácticas que achar convenientes!-Sansonpareciaprestesaexplodir.-Senãogosta,estejaà vontade para falar com os seus superiores, mas nunca mais revogue as minhasordens,principalmentenapresençadeumprisioneiro.Fuiclaro?

-Nãopodiasermais.

- Agora, regressemos ao Cairo. Temos de nos esfalfar se queremos

descobrirFénixrapidamente.

Berlim

Nesse mesmo dia, a mais de três mil quilómetros de distância e pouco

depoisdas8danoite,oalmiranteWilhelmCanarisentrounumacervejaria

decave.Eraumlugarcheiodefumofrequentadopormilitaresdelicençae berlinenses de aspecto abatido, com uma banda de música cujos executantespareciamcondenados,oquenãoerasurpreendente.Talcomo a todos os outros habitantes da cidade sitiada, os bombardeamentos tinham-lhesdadocabodosnervos.

Canarisesgueirou-separaumprivadovazioepediuumacanecadecerveja. Engoliuumtragodelíquidotépidoeolhoupara o relógio. A jovem que entrounacervejariadoisminutosdepoiseraesbeltaeloura,comobelo corpobemdisfarçadoporroupasdeselegantesequenãolheassentavam bem,oquedeliberadamentelheescondiaoencanto.ViuCanaris,deslizou paraolugaremfrentedeleesorriu.

-Wilhelm.

-MinhaqueridaSilvia-cumprimentouCanariscomafecto.Senãotivesse umcasamentofeliz,ter-lhe-iasidofácil apaixonar-seporaqueleanjo de aspectodivino.AcondessaSilviaKonigsbergeramulherdeumdiplomata suecoeamigadelongadata.-Nãoteveproblemasparacáchegar?

-Nenhuns.-Osolhosbrilharam-lhe,travessos.-Despisteinometropolitano

otipodaGestapoquemeseguia.

Canarispediuumacervejaparaela.

-Então,parteestanoitedeaviãoparaEstocolmo?

-Ameia-noite.Noaviãodocorreio.Porquequisfalarcomigo?

Canarispigarreou.

- Minha querida Silvia, tenho de lhe confiar uma mensagem vital. Tão crucialquepodedecidirodestinodaguerra.Estáprontaamemorizá-la?

Silvianãoseretraiu.Mulhercorajosa,pensouoalmirante.

-Diga-limitou-seelaapedir.

Canaris hesitou. Sabia que aquele simples acto ia condenar Halder e a companheiraaofracasso,talvezatéàmorte,eissoeraumgrandepesona suaconsciência.Porém,aalternativaerasimplesmentedemasiadohorrível paraserconsiderada.

- Schellenberg e Himmler elaboraram um plano com vista a matar o

presidente americano e o primeiro-ministro britânico. Sabem que

daqui

aquatrodias.Aintençãoéassassiná-losaambos.

RooseveltchegaaoCairoparaumareuniãocomChurchillnodia22

Oanjosuecoempalideceu,eabocaabriu-se-lhedeespanto.

-Como

comovaiser?

-Umaequipadeespecialistasparaamontagemdaoperaçãoparteparao

Egitoporviaaéreadentrodaspróximasquarentaeoitohoras.Atémesmo

maiscedo,eventualmente

Nessemomento,ambosouviramosomagudodasirenedeavisodeataque

aéreo.Abandaparoudetocar,houvepessoasqueentraramempânico,eo

pessoaldobarcomeçouaconduzirosclientesparaasubcave.

-MeuDeus,lácomeçaoutravez-pronunciouCanarisemvozfraca.-Opaís

vaificarreduzidoaescombros.-Pousouamãorapidamentesobreade

Silvia.-Temdetransmitiramensagem.Temacertezadeconseguirchegar

aoaviãoestanoite?

- O meu marido tem assuntos diplomáticos a tratar em Estocolmo -

confirmou ela com um aceno de cabeça. - E seremos escoltados pelo corredor,comodecostume.

Canarissabiaqueaquiloeraabsurdo:nomeiodapiorguerradahistóriada Humanidade, havia um acordo tácito entre os Aliados e a Alemanha

relativamente a um corredor aéreo no Báltico para a passagem em segurançadosaviõesdaneutraSuécia.Lá fora, começaram os ruídos; o tecto abanou, fazendo saltar bocados de estuque, e as luzes perderam intensidade.

Silvialevantou-se,ansiosa.

-Émelhorir-meembora.Seficaraquiretida,possoperderoavião.

- Mas há mais coisas para levar ao conhecimento do nosso amigo em Estocolmo

-Nãotemostempo,Wilhelm.-Silviaencaminhava-separaaporta.

-Mastenhomesmodelheforneceralgunspormenores

SilviaKonigsbergprecipitara-seportafora.

Canarisviu-adesaparecerescadasacima,aomesmotempoqueumanuvem depóinvadiaacervejariaeoedifícioabanavaumavezmais.MeuDeus.E seelamorresseduranteoataqueaéreoenãoconseguissechegaraoseu destino?Eelequiseradesesperadamentefornecer-lhemaispormenores, garantir que o contacto britânico em Estocolmo era informado de que Halderea acompanhanteeram peõesinocentesnumjogomortífero, no entanto não tivera tempo. Silvia desaparecera, e um soldado possante empurrava-oparaopisodebaixo,paraasegurançadasubcave.

Cairo:19deNovembro

CostasDemirissubiuasescadasdoarmazémnatardedaquelaquinta-feira

alimparasmãosaumtraposujodeóleo.

-Deaconacabadechegarláabaixo,Reggie.Queresqueomandesubir?

-Não,eudesço.Vamosláver a cor do dinheiro dele. - Salter desceu ao armazémpropriamentedito,seguidoporCostas,eviramDeaconeoárabe, Hassan,àesperajuntoaunscaixotesdeembalagem.-Harvey,meuvelho.É

bomvoltararecebê-lo.

-Temojipeeasfardas?

-Então,hojeésónegócio?Dissequenãoodesiludiaenãodesiludo.Siga-

me. - Salter atravessou o armazém à frente dos restantes até um pátio cobertonastraseiras.Doisdosseushomensatarefavam-sesobocapôde

quasecomo

umjipeamericano.-Costasdisse-mequeomotorestábom

novo - explicou. - Não a cair aos bocados, como a maior parte que se encontraporaí.

Deaconsentou-senojipeeligouomotor.Estevibrouaumritmocerto.O

homemapeou-seeespreitousobocapô.

-Pareceemcondições-concordou.

-Eeuenganava-o?-Salterentregou-lheosdocumentosdoveículo.-Tudo

emordem,suponhoqueconcordará.

Deaconexaminouosdocumentos.

-Defato,parecememcondições.Easfardas?

Salterfezestalarosdedosnadirecçãodeumdosseushomens.

-Vailádentrobuscarorestodomaterial,Joey.

Este entrou no armazém e regressou com duas mochilas militares a abarrotar.Salterabriuumaeextraiupartedoconteúdoparaochão.

-Tudooqueencomendou.Masémelhorverificar,sóparateracerteza.

Deaconexaminouoconteúdodasduasmochilaseconcluiu:

-Parecetudocorrecto.Queroqueasfardasearmassejamentreguesno

clubelogoànoite,maspodeguardar-meojipeporunsdias,atéeuprecisar

dele?

-Nãoháproblemadesdequepagueaarmazenagem.Digamos,cemlibras

pordia.Esterlinas.

Deaconretirouumsobrescritodaalgibeiraeentregou-lho.Salterpassouos

dedospelasnotaselogoenfiouosobrescritonoseuprópriobolso.

-Eumprazernegociarconsigo,Harvey.

-Aindanãoacabámos.Eoscamiões?

Salteracendeuumacigarrilhaecofiouoqueixo.

-Receioqueestejamoscomumproblematemporárioemrelaçãoaisso,

nãoé,Costas?

Ogregoencolheuosombros.

-ParecequeoExércitoestáadeitaramãoatodasasviaturasquepode,

Harvey.Todavia,nãosepreocupequechegamcáatempo.

-Óptimo.-Deaconpareceualiviado,acenouaHassanevi-rou-separaseir

embora.-Entraemcontactocomigo?

-Assimquesouberalgumacoisa,meuvelho.-Salterficouavê-lossairdo

pátioe,apósapartidadeles,chamoudoisdosseushomens.-Jásabemo

quefazer:aondequerqueDeaconvá,comquemquerquefale,queroser

informado,entendido?

-Claro,Reggie.

Oshomenssaíram.Costasacercou-se.Sorriadeesguelhaparaosócio.

-Achasqueresulta?

Salterfezestalarosnósdosdedos.

-Ébomqueresultemesmo,Costas,meuvelho.Sejaoqueforqueestáem

jogo,vamosarrebanharumaparte.

Berlim:20deNovembro

O aeródromo da Luftwaffe em Gatow parecia muito atarefado naquela tarde,quandooMercedesdeSchellenbergtranspôsabarreiraseguidopor umcamiãodecaixafechadaquetransportavaHaldereosoutros.Pararam juntodeumhangartrancado,eSchellenbergcon-duziu-osporumaporta lateral.Nointerior,encontrava-seumaviãoestacionadopintadodecorde areiaparacamuflagem,semquaisquermarcasoucírculosidentificativos. Meia dúzia de mecânicos trabalhava nele, enquanto dois pilotos se atarefavamnocockpit.

-Vito!-chamouSchellenberg,eohomemaoscomandosacenoupelavigia,

aparecendomomentosdepoisàportadacarlingaedescendoosdegraus

metálicos.

-HerrGeneral.

-Equetalestáaportar-seonossotransporte?

VitoFalconieraaltoparaitaliano,muitobem-parecido,comcabeloescuro ondulado, um perfeito nariz romano e uns olhos repletos de energia impaciente.UsavaoblusãodecabedaldepilotodaLuftwaffe,comumlenço desedabrancaaopescoço.

-Bene.Pu-lonoarestamanhãeportou-sebastantebem.-Virou-separa

Haldereapertou-lheamãocalorosamente.

-Olá,Vito.Háquetemposnãotevia-saudouJack.

-Eeunãoseibemseestoucontenteporvoltaraver-te-sorriuFalconi-,

depoisdesaberquefoituaaideiademeescolherparaestamissão.Queres

ver-memorto?Então,comovais,meuamigo?

-Entreodesesperoeoassimassim.

Falconisoltouumagargalhada.

-Nãoéoquesepassacomtodosnós?Estamalditaguerradeixoutodaa

gentecomosnervosesfrangalhados.Eemquetemetesteagora?

-EmelhorperguntaresissoaoSr.General.

- Lamento, mas não é da sua conta, Vito - interveio Schellenberg com ligeireza, procedendo de seguida às apresentações: - Este é o GruppenkommandantFalconi,ovossopiloto.Vailevar-vosaoEgito.

VitopegounamãodeRachelebeijou-a.

-Muitoprazer,bellasignorina.

-Nãoligue-aconselhouogeneral.-Vitoéumconquistadorinveterado.

- Herr General - interrompeu Kleist com expressão azeda -, o piloto é

italiano. Porque não é alemão? Os cobardes filhos da mãe dos italianos renderam-se ao inimigo. A única coisa que fizeram foi causar-nos problemas.Quantoaospilotosdeles,todaagentesabequesãoinúteis.

FalconidirigiuaKleistumolhargelado.

-Sefosseasi,nãomepreocupavacomascapacidadesdepilotagemdo comandante de esquadrilha - declarou Schellenberg, de olhos fixos em Kleist.-Desde1940queestánaLuftwaffeeé um dos melhores de que dispomos.Portanto,tenhamaneiras,majorKleist.Eumaordem.

-Sim,meugeneral-empertigou-seKleistcomumacareta.

-Eagora,Vito,émelhorquenosexpliquecomovaiserotransporte.

Falconiacompanhou-osaoavião,eHalderinquiriu:

-Queéisto,poramordeDeus?

- Um avião de carga C-47, americano, mais conhecido por Dakota, que

capturámos. E há outros dois iguaizinhos para o nosso amigo coronel Skorzeny.Destemodo,temosprobabilidadesdevosfazerpassarasdefesas aéreasaliadas.

- Não vamos precisar de marcas identificadoras de aviões aliados? - interessou-seHalder.

- Quando aterrarmos em Roma para reabastecimento, pintam-se marcas americanas. Quando nos pusermos a caminho, havemos de parecer um aviãodaForçaAéreadosEUAnocumprimentodoseudever.

- Que sucede se as defesas aéreas aliadas nos interceptarem e te interpelaremviarádio?

Falconiencolheuosombrosperanteaquelaperspectivadesanimadora.

- Se isso acontecer, só podemos tentar desenrascar-nos, porque o mais provávelénempercebermosqueestãoainterpelar-nos.Sabes,équeeles mudam todos os dias as frequências em que transmitem. Não temos hipótesedesaberqualafrequênciaqueestãoausaremdeterminadodia.

-Issoinspira-meumaconfiançadosdiabos.Hámaisboasnotícias?

-Comotedisse,Jack,háriscos-interrompeuSchellenberg.-Mastambém sabes perfeitamente que não é a primeira vez que Vito faz este tipo de incursãoemterritórioinimigo.Estãomuitobementregues.

-Achamesmoqueestaremosemsegurança?-interveioRachel.

Falconisorriu,todoencantos.

-Estamosemguerra,bellasignorina,eninguémseencontraemcompleta

segurança.Contudo,atéoDiabotemosseusdiasbons,ejáqueeutenho

sobrevividoatéagora,éevidentequeeleaindanãomeabandonou.

Schellenbergperscrutouosrostosqueorodeavam.

-Nãohámaisperguntas?Óptimo.Subamparabordoearrumemasvossas

coisas.Nãotardamosapartir.

Cairo

-Chama-seImperial-informouReevesdolugardocondutordoautomóvel

deserviçonãoidentificado.

WeaveracabaradeseinstalarnoassentodetrásaoladodeSanson,ambos armadoseàpaisana.Tinhamapanhadoumtáxiatéàsruelasabafadase apinhadas de Ezbekiya para se reunirem a Reeves e Briggs, dois dos

homens de Sanson que haviam sido destacados para a vigilância ao hotelzeco.

-Quaissãoosantecedentesdodono?-indagouWeaver.

Sansontinhaoblocodeapontamentosabertonocolo.

- Tarik Nasser é um pequeno negociante cujas convicções são desconhecidas.OhotelfoivisitadopelaPolícialocalhátrêsdias,noâmbito das verificações, mas o registo estava em ordem e o funcionário da recepção declarou que nenhum árabe que correspondesse à nossa descrição procurara lá quarto. A única razão para considerarmos Tarik Nasserumprovávelsimpatizanteestánofatode,duranteaagitaçãodoano passado,umdosnossosinformadoresoterouvidoproclamarqueacolheria osAlemãesdebraçosabertos.Oquenãoéparaadmirar,poisdescobriu-se queháunsanosoirmãomaisnovodelefoimortoatiroquandoandavaa pilhararmazénsmilitaresbritânicos.EatéagoraéNasseroúnicosuspeito provável que descobrimos, embora tenhamos em observação mais três hotéis do bairro. - Sanson estava impaciente por avançar. - Muito bem, Reeves, você vem connosco. Briggs, vigie as traseiras. Se alguém tentar fugir, atire, mas não mate os filhos da mãe. Se fugirem, é porque têm algumacoisaaesconder,eeuquerosaberoquê.

WeaverentrounoátriocomSanson,ambosseguidosporReeves.Ohotel

estavadecadenteecheiravaacomidarequentadaefumodecigarro.Havia

umbalcãodemadeiraàesquerdacomumfuncionárioárabe.:

-TarikNasser.Ondeestá?-perguntouSanson.

Oempregadopestanejoueindicouumaportacomumgestonervoso.

Sanson atravessou o átrio em passo rápido na companhia de Weaver e Reeveseabriuaportacomumencontrão.Entraramnumpequenogabinete onde Tarik Nasser estava sentado à secretária a ver correspondência. Levantou-secommovimentosvacilantes,incertos.

-Sim?

-TarikNasser?

-Sim,soueu.

-Tenente-coronelSanson,doServiço de Informações Militares. Este é o tenente-coronelWeaver.

Nassersentiuaspernascomeçarematremer,comoseestivessemprestesa

cedersoboseupeso.

-Aquedevoestahonra?

- Vou direito ao assunto. O senhor, Mr. Nasser, é suspeito de albergar espiõesalemães.Eatédeseragentealemão.

Nassersentiuumadorrepentinaaapertar-lheopeito,noentantosoltou

umagargalhadasecaenervosa.

-Isto

istoéalgumabrincadeira?

-Paredesearmareminocente,Nasser.Temosapalavradeumoficialde

informaçõesalemãoquefoicapturado.

Nasserprocurouumlenço,quelevouàtesta.

-Temdehaverengano.Eu

eusouumnegocianteextremamentehonesto.

-Vamosrevistarohotel.Deitá-loabaixo,seforpreciso.Mas,antesdisso,

damos-lheaoportunidadedeconfessar.Então,Nasser?

Eledecidiu-se.Trémulo,comolençoaindanamão,levou-aatédebaixodo

tampodasecretáriaepremiuumbotão.Sansonagarrou-lhenobraçoquase

nomesmoinstanteetorceu-lhoatrásdascostas.

-Queraiodejogoéoseu

?

Nasser gritou de dor e Sanson ergueu-o em peso para o pôr fora do caminho,pesquisouporbaixodasecretáriaedescobriuobotão.

-Osacanaavisoualguém.-Sacoudorevólver.-Apostooquequiseremem

comooárabeestácá.Vigieeste,Reeves,ecubraoátrio.Siga-me,Weaver,

depressa

-Regressaramaoátrioecorreramescadasacima.-Cadaumde

nósvaiaumandar-decidiuSanson,deSmith&Wessonempunho.-Fico

noprimeiro,vocêváaosegundoedepoissubimosapartirdaí.E,poramor

deDeus,tenhacuidado.

Separaram-senopatamardoprimeiroandar,comWeaverasubiracorrer para o segundo. Deu por si num pequeno corredor com uma janela ao fundo,trêsquartosdecadalado.

Experimentou o primeiro à direita. Fechado à chave. Atirou o ombro à porta,queseabriudesúbito,revelandoumeuropeudemeia-idadequefez mençãodesair.Pareciaassustado.

-Mãosaoar.-Weaverapontou-lheoColtautomáticoàcaraeempurrou-o

denovoparadentrodoquarto.

-Eu

eutenhodocumentos-gaguejouohomem.-Sourefugiadohúngaro

-Fiquenoquartoetranqueaporta-ordenouWeaver,logoregressandoao

corredor.

Tentou o quarto ao lado. Trancado. Dirigiu-seà pressa para a porta em frente, cujo puxador experimentou. A porta abriu-se, e ele entrou num minúsculoquartoindividual.Acamaestavaamarrotada,comamarcado sítio onde uma pessoa estivera deitada. Voltou ao corredor. A janela ao fundoestavaentreaberta.Correuatéláeolhouparaoexterior.Umaescada deincêndiolevavaaumavielanastraseiras,masnãoviuaíninguém.

-Raios!

Derepente,ouviudoistirosdepistolaemrápidasucessão,alguresláem baixo, a que se seguiram outros dois. Ele precipitou-se de novo pelo corredorepelasescadasatrásdeSanson.

Noátrio,ocorpoavantajadodeTarikNasserjaziaesparramadonacarpete.

-Estámorto,sir-informouReeves.-Tentoufugir,fezummovimentoem direcçãoàportaprincipal.Dispareidoistirosdeavisoparaoassustar,eele caiu para a frente agarrado ao peito. Parece que foi ataque cardíaco. Procureireanimá-lo,masemvão.

Sansonajoelhou-se,palpandoopulsodeNasserparateracerteza.

-Diabosmelevem.Precisávamosdeinterrogarofilhodamãe.

-Ouvimaisdoistiros.OndeestáBriggs?-lembrouWeaver.

-Deviaestaracobriraretaguarda,sir.

Sansonempalideceuelevantou-se.

-Vamosláatrás

Quandosepreparavamparaofazer,Briggsentrouacorrerpelaportada

rua,arfante,aindaderevólvernamão,eSansonapressou-seaindagar:

-Apanhouoárabe?

-Eleescapou,sir.

Cairo,4daTarde

Mais tarde nesse mesmo dia, Weaver ia ao lado de Helen Kane, que o conduzianadirecçãodeGizé.Aestradapoeirentaestavarepletadetrânsito militaramericanoebritânico,comestafetasdemotoapassaremagrande velocidadeemambasasdirecções.

-Sansondissedoquesetratava?-perguntouàadjunta.

- Só que ele e o general Clayton queriam falar consigo o mais depressa possívelnoMenaHouse.

AcabaramporchegaràdesarrumadaaldeoladeNazlatas-Saman,juntoà Esfinge e às Pirâmides de Gizé. Mais adiante, ao fundo de uma avenida ladeada de palmeiras, erguia-se um magnífico edifício branco de estilo colonialrodeadoporpavilhõesindividuaisparaoshóspedesesituadono meiodeterrenopróprio.

Tendocomeçadoporserumpavilhãodecaçaotomano,oMenaHousefora

compradoporumcasalinglêsetransformadonumhoteldeluxodefama

mundial,quegozavadapreferênciadarealezaedosabastados.

-Muitobem,vamosláveratéquepontoasegurançaéboa.Prepareoseu

passeespecial-disseWeaver.

Elavirouojipenadirecçãodohotel.Alongaavenidaquelevavaatélátinha dois postos de verificação fortemente guarnecidos, um em cada extremidadedocaminho,separadosporcemmetros.

Noprimeiroposto,umpossantecapitãodoExércitoAmericanoavançoue mandou desligar o motor. Examinou-lhes os documentos com toda a atençãoeaseguirfoiusarotelefonenaguaritadasentinela,enquantomeia dúziadesoldadosarmadosinspeccionavaintegralmenteoveículo.

Ooficialregressouporfim,entregou-lhesosdocumentosefezcontinência.

-Estátudoemordem,sir.Aguardam-no.Voumandarumdosmeushomens

acompanhar-vosaohotel.

-Nãoénecessário,capitão.

-Sãoasnormas,sir-sorriuele.-Semescolta,oshomensnopróximoposto

podemrebentar-vososmiolossemfazeremperguntas.

Avançaram até ao segundo posto, com um sargento armado de pistola- metralhadora M3 no banco de trás. Repetiu-se o mesmo exercício de segurançaantesdepoderemdirigir-seàentradadohotel.

OgeneralClayton,comexpressãosoturna,desceuàpressaosdegrausda

entrada,comSansonatráseacompanhadoporummajorbritânico.

Weaverfezacontinência.

-Queriafalarcomigo,sir?

- Volte para dentro do jipe, Harry. Precisamos de conversar - redarguiu Claytonsemmais,eentrouparaatraseiradaviatura,comSansoneomajor a encolherem-se ao seu lado. O general fez as apresentações: - Este é o majorBlake,doSIS.

BlakeestendeuamãoaWeaver.

-Prazeremconhecê-lo,sir.

-Talvezsejaalturadevocêfazeravisitaguiada,Weaver-interveioSanson com brusquidão. - Podemos conversar pelo caminho. - Acenou a Helen Kane.-Ponhaistoaandar,Helen.

Ajovemdemorouvinteminutosadaravoltaaoperímetrodesegurança. Weaver viu que todo o hotel e quase trezentos hectares do deserto adjacenteestavamrodeadosporumacercadearamefarpadopontilhada deninhosdemetralhadorasepatrulhadaporguardasarmados.

-Temosmaisdemilhomensdeguardaaesteespaço-explicouClayton.-

Naalturaemqueopresidentechegar,vaiestartãobemseladocomoFort Knox. Para além disto, o presidente contará com uma guarda de vinte homensdosServiçosSecretos,eninguém,masmesmoninguém,entrana zonasemosdocumentosapropriados.

-Ondevaificarinstaladoopresidente,sir?-quisWeaversaber.

-Numadassuitesdohotel.Todososempregadosforamtemporariamente substituídos por pessoal militar, à excepção do gerente. Os funcionários árabes tiveram férias pagas. O que nos leva ao nosso amigo árabe. - O generalestavacomaspectosério,sendoevidenteoseudesagrado.-Oque sucedeufoiumdesastre.Temdefazermuitomelhor,Harry.

Tinham dado a volta completa, e Helen Kane deteve-se no parque de estacionamentodohotel.Weaverviuqueosengenheirosmilitarestinham acabadodemontarumarampaparacadeiraderodas,edoisafastavam-na paraumlado.

-Háumnovoelementomuitopreocupante,Harry-suspirouClaytonao

sairdojipe.-MajorBlake,talvezsejamelhorexplicar.

Omajordirigiu-seaWeaver:

-Aofimdanoitedeontem,umdosnossosagentesemEstocolmorecebeu

umamensagemdefontealemãaltamentecolocada.Ainformaçãoédeque

osAlemãestencionammataropresidentedosEUAeoprimeiro-ministro

britânico.

-Como?-perguntouWeaver,franzindoosobrolho.

-Ospormenoressãoescassos,masparecequeoServiçodeInformações

delessabequeosdoischegamaoCairoantesdodia22.Pretendemenviar

umaequipaespecializadaparamontaraoperação.-Blakefezumapausa.-

Etudooquesabemos,sir.

-Compreendo-comentouWeaver,pálido.

-Achoqueistodáumaperspectivanovaemuitograveaoassunto-disse Clayton.-Parecequeosvossostemoresemrelaçãoaesseárabe tinham razão de ser. Desde esta manhã, temos no ar patrulhas costeiras suplementares, assim como na zona de exclusão aérea. O Mediterrâneo Setentrional deve ser assolado nas próximas duas noites por condições atmosféricasbastantemás,oquejáporsiédissuasor, todavia nenhuma segurança será demais. Os boches estão suficientemente desesperados paratentaremsejaoquefor.Ovossoárabeestácomcertezaenvolvidode uma forma ou de outra, por isso encarrego-o a si e a Sanson de porem pontofinalnoassuntoantesquesejatardedemais.Opresidentechega dentro de trinta e seis horas. Descubram o nosso amigo árabe e bem depressa.Roma

O Dakota fez a aproximação pelo lado do mar e aterrou no Aeródromo

MilitardePracticadiMarepoucodepoisdas7daquelatarde.Dirigiu-se

para um grande hangar, onde meia dúzia de mecânicos da Luftwaffe deitaramdeimediatomãosàobra,fazendoaverificaçãofinaldoaparelho, enquanto uma equipa de pintores se dedicava a acostar-lhe escadas metálicasparapoderpintarosdistintivosamericanosnafuselagemenas asas. Halder reparou que estavam estacionados nas proximidades dois outrosDakotasidênticos,tambémcomaimitaçãodedistintivosdosEUA.

Schellenbergseguiuàfrentedoscompanheirosdeviagemnatravessiado hangaratéumgabineteparticularondehaviaumamesa,poltronaseuma refeição ligeira: sanduíches e café puro acabado de fazer. Remer, o co- piloto,eFalconientraramatrásdeles.Oitalianofezumsorrisoradianteao sentiroaroma.

-Caféverdadeiro.Nempossocrer.Vocêexcedeu-se,Walter.Sóesperoque

istonãosejaumaespéciedeUltimaCeiademauagoiro.

- Esperemos que não. Façam favor de se servirem enquanto falo em particularcomomajorFlalder.-Conduziuesteparaumgabineteaofundo dohangar.

-Quesepassa?-indagouJack.

Schellenbergabriuofechodapastaeretiroudelaummapaesfarrapado.

-Disse-tequehaviaoutrarazãoparaRachelSternserumapartevitalda missão, e é esta a altura de ficares a conhecê-la. Como deves saber, os antigosegípciosgostavammuitodepassagenssecretas.

-Edepois?

-Enquantovocês estiveram no Egito em 1939, foi feita uma descoberta bastanteinteressantenazonadasPirâmidesdeGizé,nãolongedoMena House. Encontraram uma passagem secreta no sentido da Pirâmide de Quéops. Parece que quase toda ela faz parte de uma caverna natural subterrânea, e o resto foi escavado por ladrões de túmulos ainda nos temposantigos.

-Comoéquetusabestudoisso?-perguntouHalder,surpreendido.

-ApassagemaquemerefirofoidescobertapeloprofessorStern,contudo eleeafamíliamantiveramosegredo.Asnotasdoprofessoreestemapa foram encontrados na sua posse quando a Kriegsmarine o recolheu. A verdadefoireveladaduranteointerrogatóriodaGestapo.

-Eemquevaiessapassagemajudar-nos?

Schellenbergencolheuosombros.

-Nãoseiaocertosevai,sótuosaberásdepoisdeaveres.Noentanto, Besheebaconfirmounorelatóriodanoitepassadaqueaindaháactividade arqueológica em Gizé, o que significa que talvez consigam usar o vosso disfarceparaexaminaremolocal.Então,queachas?

-Podeserútil-replicouHalder.-Masmuitodependerádasegurançada

zonaedoestadodotúnel.

-Vamosprecisardesabercomexactidãoquaissãoashipótesesantesdeos pára-quedistas de Skorzeny serem lançados. Decora este mapa. Não o podeslevarpormotivosóbvios,porémFráuleinSterndevelembrar-sedos pormenores.-Bateramàporta,eSchellenbergdisse:-Entre.

Eraumajudante-de-campodasSS.

-Mensagemurgenteparaomeugeneral.

Entregou-lhe um sobrescrito selado. Schellenberg rasgou-o e retirou a cópia a papel químico de uma comunicação via rádio que leu antes de mandaremboraoajudante-de-campo.

-Algumproblema?-perguntouHalder.

Schellenbergabanouacabeça.

- Muito pelo contrário. O Cairo tem tudo preparado e aguarda a vossa chegada.-Fezumsorrisodetriunfo.-Bem,Jack,parecequeestamosquase prontosparalevantarvoo.Enãoteesqueças:apartirdestemomento,a sobrevivênciadoReicheoresultadodaguerraestãointeiramentenastuas mãos.

QuartaParte:21deNovembrode1943

EspaçoAéreaEgípcio:4.35daTarde

OTenenteaviadorChuckCarlton,deDallás,cantavaTheYellowRoseof

TexassentadoaoscomandosdoseuBristolBeaufighter,natentativadese

manteracordado.Atrásdele,nolugardonavegador,osargentoaviador

BertHigginsjánãosuportavamais.

-Nãosabemaiscanções,meutenente?-perguntoupelointercomunicador.

-Nãohámelhordoqueisto,meufilho-replicouCarltoncomumgrande sorriso. - Que diabo, vocês, Britânicos, nem sabem reconhecer uma boa melodia.

Piloto veterano, com quinze anos de experiência de voo numa empresa particular de entregas postais, Carlton alistara-se como voluntário para serviraGrã-Bretanhalogonoiníciodaguerra.Oferecerasuacontribuição parecera-lheaatitudecorrecta.

- Pronto, estamos quase no fim do nosso turno. Dê-me um azimute e levamos este menino para casa para você poder descansar esses seus ouvidosingratos.

O Beaufighter estava em patrulha costeira nocturna, voando a cento e cinquenta nós no meio das nuvens. Enquanto verificava a bússola para calcularorumoparaAlexandria,Higginsrelanceouoolharparaamassade feiasnuvensdetempestadequeseamontoavamàsuaesquerda.Haviauma tempestade de areia no solo, o seu remoinho castanho-alaranjado vagamente visível ali em cima, contudo ele comunicara com a torre do AeródromodeAlexandriaeforainformadodequeascondiçõesnapista

ainda permitiam a aterragem. Quando acabou de verificar o azimute, o Beaufighteremergiudasnuvensadozemilpés.Olhandoparabaixo,tevea surpresadeavistaraformaescuradeumaviãoacercadeumamilhadaasa deestibordo.

-Alvoàsduashorasembaixo!

Carlton esticou-se e espreitou para baixo, perscrutando o céu negro. O outroaparelhoseguiaàfrentedeles,avoaracercadedezmilpés.

-Émesmo,camarada.Vamosládesceredarumaolhadela.

Carltonmanobrouomancheparabaixoeparaadireitaeaomesmotempo empurrou as manetes, acelerando. Naquele momento, sabia que tinha vantagem.Oalvoestavaàfrenteeabaixo,sendoprovávelquenãoovisse aproximar-se.Menosdedoisminutosdepois,adistânciaentreosdoisera inferioraquatrocentosmetros,eelereconheceuoperfilinconfundívelde um Dakota C-47 com camuflagem para a areia e a bandeira dos EUA pintadanaasaenacauda.Descontraiu-seumpouco.

- E um dos nossos - participou pelo intercomunicador -, mas que raio andaráeleafazeraquiemcima?-Dezminutosantes,Carltonpediraàtorre umaactualizaçãodotráfegoaéreoenãoreceberainformaçõesrelativasa qualqueraparelhonasproximidades.-Orabem,vamosláinterpelá-lo. - Accionou o botão do rádio para a posição de transmitir. - C-47, aqui patrulhacosteiraàretaguarda,acima,àscincohoras,identifique-se.Escuto.

Nãoobtendoresposta,Carltontentoudenovoe,continuandoanãoobter resposta, fez uma rápida passagem pelos outros três canais de

comunicaçãoparaocasodeoC-47estaratentartransmitir.Estavamtodos

mudos.

-Qualéasuaideia,meutenente?

Carltonfoicauteloso.Obriefinganterioraovooforamuitoespecífico.Um

relatóriodoServiçodeInformaçõessugeriaaprobabilidadedeosAlemães

procurarempenetrarasdefesasaéreasaliadasaolongodacostadoNorte

deÁfrica,etodososaparelhosencontradosduranteapatrulhatinhamde

serverificados.

-ChameatorredeAlexandriaevejaseháalgumC-47nazona.

CarltonouviuHigginschamaratorreeobtevearespostanosseus

auscultadoresmomentosdepois:

-Lariço,aquitorredeAlexandria.NãoháparticipaçãodequalquerC-47

aliado na vossa zona. - Após uma pausa, a voz continuou: - E melhor trazerem-noconvosco.

Carltonendireitou-se,entusiasmado.OC-47podiaserlegítimo,maselenão

duvidavadapossibilidadedeosAlemãesutilizaremaparelhoscapturados

aosAliados.Fossecomofosse,iadescobrir,ebemdepressa.OC-47não

possuíaartilhariaeeralento.OBeaufighterpodiafacilmenteultrapassá-lo

e,senecessário,derrubá-lo.

Abriu a tampa vermelha com a palavra fogo sobre o manipulo que disparavaasmetralhadoras.

- Muito bem, só para jogarmos pelo seguro, vamos apresentar ao nosso amigoascoresdodia.Senãohouverrespostaoueleadernasequência errada,disparoumarajadadeavisoedepoislogosevê.

FalconiestavacomarpreocupadoquandoHalderirrompeunocockpitdo

Dakota.

-Quesepassa?

-TemosumBeaufighterdaRAFnonossoencalço-gritouFalconiacimado

ruídodosmotores.-Mostrou-nosumcódigodecores.Comonãorespondi,

ofilhodamãedisparouduasrajadasdebalastracejantesàfrentedonosso

nariz.

Halder olhou lá para fora e viu um caça a par deles à direita. O outro aparelhocomeçouaagitarasasasemomentosdepoisbaixouotremde aterragem.

-Queestáeleafazer?-inquiriuHalder.

- A dizer-nos delicadamemte que devemos segui-lo até Alexandria e aterrar.Senãoofizermos,rebentaconnosco.

-Estupendo.Podesfazeralgumacoisa?

- O Beaufighter é muito mais rápido do que nós, Jack. Não há qualquer hipótesedelheescaparmos.E,sequeressaber,achoquejálhescheiroua esturro.

-Aquedistânciaestamosdacosta?

-Umastrintamilhas.Menosdedezminutosdevoo.

- Temos de lhe escapar, Vito - disse Halder num frenesim. - Faz o que puderes.

- E mais fácil de dizer do que de pôr em prática. - Falconi limpou a

transpiraçãodacaraeajustouascorreiasdocintodesegurança.-Aúnica hipótesemuitoremotaquetemosdefugiraonossoamigoéatirarmo-nos decabeçaparaaquelatempestadedeareia.-Apontouparaacosta,e,soba luzfracadaalvorada,Halderreparounocastanho-alaranjadorodopiante de uma violenta tempestade de areia a estender-se por todo o litoral desértico.-Seentrarmosneladepressaeabaixaaltitude,podeserqueo despistemos.Emelhoravisaresosoutrosdequepodemosterproblemas. Depois,voltaparaaquieamarra-teaumassento.

ChuckCarltonsuava.OBeaufighterestavaaserloucamentefustigadopela tempestadedeareia,eelesabiaqueosmotoresnãogostavamdaquilo.Não contara que o alvo procurasse fugir, pois não tinha qualquer hipótese, principalmentecomaqueletempo.Agorajátinhaacertezadequeointruso

erauminimigo,easuaadrenalinafluíanaantecipaçãodeumacaçadabem-

sucedida.

Atrásdele,Higgins,pálido-acinzentado,observavaaareiadouradaapassar

velozmentepelovidrolaminado,malconseguindodistinguiracaudadoC-

47,menosdequatrocentosmetrosàfrente.Tinhaosnervosemfranja.Seo

C-47reduzisseavelocidade,entravam-lhepelacaudaadentro.

-Talvez

intercomunicador.

talvezdevêssemossairdaqui,sir-sugeriucomansiedadepelo

-Nempensar-redarguiuCarltonacimadoroncodomotor.TinhaoC-47

emplenamira.-Estamosquaseaapanhá-lo,evoumandá-lodestapara melhor. - Com isto, Carlton premiu uma vez mais o botão, as seis

metralhadoras.303crepitaramnasasaseasbalastracejantessibilaramem

direcçãoaoalvo,quaisvespõesirados.

Umprojéctilpenetroupeloladodireitodocockpit,abrindocaminhopela

fuselagem.Atingiuoco-pilotodeFalconidelado,fazen-

95

do-orodarnoassento.Remersoltouumgrito,levandoamãoaoferimento.

Halderiaajudá-lo,porémFalconibradou:

-Deixa-o!Nãomedistraias!

Opilototinhaosolhosfixosmesmoemfrente,comoseprocurassealgono meiodatempestade,enessaalturapassounovarajadadeprojécteis do ladoesquerdo.Estavamquaseaaflorarosolo,comdunasbaixasarolarem, quaisondasdouradas,mesmosoboavião,atéquederepenteHalderviu umaenormecolinadeareiamesmoemfrente.

-Vito!PoramordeDeus!-exclamou.

Contudo, parecia que Falconi estivera precisamente à espera daquele momento,quaseacontarcomele.Numinstante,assuasmãosmoveram-se comrapidez,acelerando,puxandoomanchecomforça,baixandoosflaps.O nariz levantou bruscamente e o C-47 passou a rasar a duna. Houve um rasparmetálico quando a fuselagem aflorou o topo, mas, por milagre, o aparelhocontinuouasubir.

-Co‚’abreca,Vito,foiporpouco!

OrostopálidodeFalconipingavadesuor.

-Pertodemais.Agora,sónosrestarezarparaqueonossoamigonãovejao

obstáculoatempo.

CarltontentavamanteroolharnoC-47,preparando-separadispararuma

vezmais,quandoviudesúbitoacaudadoalvoemsubidaabrupta.

Umsegundodepois,avistouumaenormedunamesmoemfrente.Puxouo

manchecomfrenesi.

Higgins soltou um berro. Foi o último som que Carlton ouviu pelos auscultadoresantesdeoBeaufighterrasparocimodaduna,rodarsobresi própriodescontroladamente,afocinharnaareiaeexplodirnumabolade cauterizantefogocordelaranja.

- Pobres desgraçados. Deus tenha piedade deles - exclamou Falconi, ao mesmotempoquelimpavadacaraumacamadadetranspiraçãoenivelava oDakota.-ÉmelhortrataresdeRemer.

Halderprocurouopulsodoco-piloto.Estavafraquíssimo.

-Estávivo

porpouco.

-Vaibuscaroestojodeprimeirossocorrosàcabinaevêoquesepassacom

osoutros.Masdespacha-te,Jack.Remerparecenãoestarnadabem.

HalderregressouàcabinaeviuRacheldepé,agarradaàredede

carga,comaspectoassustadoepálida.KleisteDoringpareciamabalados pelaexperiência,mas,porincrívelqueparecesse,ninguém fora atingido alémdeRemer.

-Opiorjápassououvaicomeçaragora?-indagouKleistcomfrieza.

-Parecequeporenquantoestamossafos.Procuremoestojodeprimeiros

socorros.Oco-pilotofoiferidocomgravidade.

No momento em que Kleist entregava o estojo a Halder, houve uma agoniantesensaçãodequedaeoaviãocomeçouaperderaltitude.

- Deixem-se ficar sentados, todos vocês! - Jack foi para o cockpit e leu profundapreocupação no rosto de Falconi. - Que se passa agora? - quis saber, ao mesmo tempo que fazia um penso ao ferimento do piloto

inconsciente.

-Problemasdemotor.Omaisprovávelétermossugadoareiaeestater

provocadodanos.Eestamosaperdercombustívelmuitorapidamente.Os

tirosdevemterrompidoostubosdocombustível.Vouterdetentaruma

aterragemdeemergência.

Nesse preciso momento, os motores calaram-se. Fez-se um silêncio assustador,apenasquebradopelosilvodoventonasasas,elogooDakota iniciouumaquedapavorosa.

-Prende-teaoassento,Jack-gritouFalconi.-Depressa!

Halderenfiou-senolugardooperadorderádioeprendeuascorreias.A sensação de afundamento era terrível, e depois as rajadas de areia tornaram-se esparsas, revelando o deserto a subir ao seu encontro. Preparou-separaoimpacte.

ODakotaembateunosolocomumaforçaincrívelerasgouumsulcona areia,atéa asa esquerda embater em qualquer coisa, fazendo capotar o aparelho.

Berlim

Canarisestavanoseugabinetequandoooficialàsordensdeuentradaaum