Você está na página 1de 37

Prof.ª Dra.

Selma Bellusci

HISTOLOGIA
Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE)
Curso de Graduação em Medicina

Rio Claro

2018
Meu nome é Selma Bellusci. Minha formação acadêmica inicial foi Bacharel em Ciências
Biológicas pela UNESP - Botucatu. Fiz o Mestrado no Departamento de Ecologia na área
específica de Entomologia na USP de Ribeirão Preto. O meu Doutoramento foi em Entomologia,
cujo tema abordava Cronobiologia de Insetos Sociais, mais especificamente, as abelhas
sem ferrão, também pela USP de Ribeirão Preto. Posteriormente, fiz pós-doutorado na The
Hebrew University of Jerusalem, em Israel, na área de Evolução da Ritmicidade Biológica
nos Insetos Sociais, cuja pesquisa foi focada nos ritmos circadianos das abelhas do gênero
Bombus. Fui professora do Ensino Fundamental e Médio da rede estadual e particular, em
São Paulo e Ribeirão Preto. Atualmente, sou professora do curso de Graduação presencial
e a distância de Ciências Biológicas e do curso de Pós-graduação a distância em Gestão
Ambiental, do Claretiano – Rede de Educação.
E-mail: selma.bellusci@gmail.com

© Claretiano – Rede de Educação, 2018 – Rio Claro (SP)


Trabalho realizado pelo Claretiano – Faculdade

Curso: Graduação em Medicina


Disciplina: Histologia
Versão: fev./2018

Cargos e Funções da Administração Geral


Pe. Luiz Claudemir Botteon - cmf – Diretor Geral
Osvaldo Celotti – Diretor Administrativo
Prof. Esp. Angelo Aparecido Zadra – Diretor de Extensão e Ação Comunitária
Prof. Esp. Leandro Henrique Tavares Pauletti – Diretor Acadêmico
Prof. Me. João Carlos Picolin – Coordenador do Curso de Graduação em Medicina

Trabalho realizado pelo setor Editorial do Material Didático Mediacional

Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, a transmissão total ou parcial por qualquer forma
e/ou qualquer meio (eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia, gravação e distribuição na web), ou o
arquivamento em qualquer sistema de banco de dados sem a permissão por escrito do autor e da Ação
Educacional Claretiana.

Claretiano – Faculdade
Avenida Santo Antonio Maria Claret, nº 1724. Bairro Cidade Claret
Rio Claro – São Paulo
CEP: 13.503-257
Telefone: (19) 2111-6000
Fazemos parte do Claretiano - Rede de Educação
SUMÁRIO

PLANO DE ENSINO (PE)/GUIA DE ESTUDOS (GE)


1 CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA........................................................................................................................5
2 APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA....................................................................................................................................7
3 DADOS GERAIS DA DISCIPLINA......................................................................................................................................8
4 BIBLIOGRAFIA BÁSICA....................................................................................................................................................8
5 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR...................................................................................................................................8
6 E-REFERÊNCIAS ...............................................................................................................................................................9
7 ORIENTAÇÕES PARA O ESTUDO DA DISCIPLINA...........................................................................................................9
1º CICLO DE APRENDIZAGEM .........................................................................................................................................10
2º CICLO DE APRENDIZAGEM .........................................................................................................................................14
3º CICLO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA...................................................................................................................21
4º CICLO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA...................................................................................................................27
5º CICLO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA...................................................................................................................33
8 CONSIDERAÇÕES GERAIS...............................................................................................................................................37
Claretiano - Centro Universitário
Plano de Ensino (PE)/
Guia de Estudos (GE)
PE/GE

1. CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA

Objetivo Geral do Curso de Graduação em Medicina


Contribuir para a melhoria da qualidade de vida e de saúde da população brasileira por
meio da graduação de profissionais médicos com formação generalista, humanista, crítica e re-
flexiva sobre os processos de saúde-doença e de cuidado, sendo capazes de atuar em diferentes
cenários e âmbitos da atenção à saúde, segundo princípios éticos e da integralidade do cuidado,
com responsabilidade social e compromisso com os direitos de cidadania e de dignidade huma-
na.

Objetivos Específicos do Curso de Graduação em Medicina


• Desenvolver os raciocínios clínico-epidemiológico, estratégico e científico-reflexivo que
fundamentam, respectivamente, as três áreas de competência do perfil profissional:
atenção à saúde, gestão em saúde e educação na saúde.
• Promover o desenvolvimento articulado de capacidades nas três áreas de competên-
cia, integrando conhecimentos, habilidades e atitudes, com vistas à produção de inter-
venções qualificadas perante os problemas prevalentes de saúde-doença da população
brasileira.
• Promover o cuidado integral à saúde, considerando promoção, prevenção, tratamento,
reabilitação e reinserção social de pessoas e populações, tanto por meio da articulação
de ações e profissionais de saúde como pela conexão de serviços em redes de atenção
à saúde do Sistema Único de Saúde – SUS.
• Desenvolver uma prática de excelência que contribua para a melhoria da qualidade da
atenção à saúde com ética profissional, responsabilidade social e compromisso com os
direitos de cidadania e de dignidade humana.
Perfil de Competências: ao ter contato com situações simuladas ou reais, os estudantes
devem ser estimulados a desenvolverem capacidades em todas as ações-chave, que representam
a integralidade do processo de trabalho profissional na respectiva área de competência. Na área
de Atenção à Saúde (individual e coletiva), os estudantes devem ser apoiados no desenvolvimento
de capacidades para identificar necessidades de saúde, construir e avaliar planos de cuidado e
de intervenção; na Gestão do Trabalho em Saúde, devem ser apoiados no desenvolvimento de
capacidades para participar da organização e da avaliação do trabalho em saúde; na área de
Educação em Saúde, devem ser apoiados no desenvolvimento de capacidades para identificar
6 © Histologia

necessidades de aprendizagem, promover a construção e socialização de saberes nos campos


médico e da saúde e participar de iniciativas voltadas à geração de novos conhecimentos.
Ciclo de aprendizagem I (1a série e 2a série): a ênfase é dada à prática médica no con-
texto da Estratégia de Saúde da Família e da Comunidade do SUS local. Embora com ênfase
na atenção primária à saúde (permanece nos três ciclos), o estudante pode ter experiências
pontuais na atenção especializada. O foco na promoção da saúde e na prevenção de doenças
(sem perder de vista a integralidade do cuidado), no trabalho em equipes de saúde da família
da atenção primária (sem perder de vista a Rede de Atenção à Saúde) e na aprendizagem cola-
borativa (sem perder de vista a independência intelectual) definem o escopo, a profundidade e
a abrangência dos desempenhos esperados para esse momento do desenvolvimento do perfil
de competência, e a ideia de ênfase e de transversalidade da atuação médica nos diferentes
cenários da prática profissional é critério para a proposta.
Ciclo de aprendizagem II (3a série e 4a série): a ênfase é dada à prática médica no con-
texto da Estratégia de Saúde da Família e Comunidade e nas Unidades Básicas de Saúde do SUS
local. Embora com ênfase na Atenção à Saúde da Criança e Adolescente, à Saúde da Mulher, à
Saúde do Adulto e Idoso e à Saúde da Família e Comunidade, no âmbito da atenção primária,
o estudante pode ter experiências pontuais na atenção especializada. O foco no tratamento e
reabilitação de doenças (incluindo promoção e prevenção), no trabalho em unidades da atenção
primária (incluindo as unidades de saúde da família e de atenção básica no contexto da Rede de
Atenção à Saúde) e na aprendizagem significativa e crítica-reflexiva, considerando a ampliação
da carga horária nos cenários de prática e a produção de intervenções na realidade, definem o
escopo, a profundidade e a abrangência dos desempenhos esperados para esse momento do
desenvolvimento do perfil de competência.
Ciclo de aprendizagem III (5a série e 6a série): a ênfase é dada à prática médica no
contexto da atenção especializada do SUS local, incluindo atividades ambulatoriais, pré-hospi-
talares e hospitalares em serviços de Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Pediatria, Gineco-Obste-
trícia, Urgência e Emergência, Saúde Coletiva e Saúde Mental, tanto na atenção primária como
secundária. O foco no tratamento e reabilitação de doenças (incluindo promoção e prevenção),
no trabalho em unidades da atenção especializada (no contexto da Rede de Atenção à Saúde)
e na aprendizagem ao longo da vida, com um conjunto de ferramentas construído desde a pri-
meira série para a produção de novos conhecimentos, definem o escopo, a profundidade e a
abrangência dos desempenhos esperados para esse momento do desenvolvimento do perfil de
competência.

Sistema Avaliativo
O sistema de avaliação da aprendizagem no Claretiano – Faculdade é concebido dentro de
um processo que integra a aprendizagem do aluno e a intervenção pedagógica do professor, na
direção da construção do conhecimento e da formação profissional, técnica, humana e cidadã.
A avaliação constitui-se de um meio, e não de uma finalidade, refletindo os princípios filosóficos,
pedagógicos, políticos e sociais que orientam a relação educativa, contribuindo para o cresci-
mento e desenvolvimento do aluno na sua totalidade, configurando-se em dois tipos: formativa
e somativa.
Em todas as disciplinas do Curso de Graduação em Medicina, para obtenção da Nota Final,
serão somados os valores obtidos na Avaliação Formativa (AF) ao valor obtido na Avaliação
Somativa (AS), dividindo por 2 (dois), obtendo-se, assim, a Média Final. Para aprovação na
disciplina, a Média Final deverá ser maior ou igual a 7,0 (sete).
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 7

Valendo-se de uma metodologia que permita avaliar a formação conforme os perfis e


competências que norteiam o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Medicina
e os Planos de Ensino dos componentes curriculares, são apresentadas, a seguir, as dimensões
avaliativas contempladas no sistema de avaliação da aprendizagem:

I. Avaliação Formativa – AF ou Avaliação Contínua – AC


Instrumentos avaliativos aplicados em cada disciplina de forma contínua ao longo do
semestre:
• Questões On-line: 0 a 1,0, sendo cinco ofertas de duas questões objetivas, ao final de
cada um dos cinco ciclos. Cada questão tem o valor de 0 a 0,10 pontos.
• Sala de Aula e Extra Sala: 0 a 3,0 pontos. Compõe trabalhos de pesquisa, seminários,
provas, atividades práticas, relatório de leitura, análise de artigos, trabalhos em grupo/
individual, a serem propostos pelos professores das disciplinas. As orientações e os cri-
térios para estes instrumentos avaliativos dessa natureza constam no Plano de Ensino
de cada disciplina e/ou guias de estudo.
• Portfólio Reflexivo – Webfólio: 0 a 3,0 pontos. Será desenvolvido pelos alunos durante
todo o curso. A correção será realizada pelos professores das disciplinas do semestre.
Após as correções do semestre (considerando os critérios pré-estabelecidos pela coor-
denação de ensino e Núcleo Docente Estruturante), a nota se estenderá para todas as
disciplinas do semestre.
• Resultados do PBL (Problem-Based Learning - Aprendizagem Baseada em Problemas)
e do TBL (Team Based Learning - Aprendizagem Baseada em Equipes): 0 a 3,0 pontos.
A correção será realizada pelos preceptores ou professores que acompanharão estas
estratégias. Após as correções do semestre (considerando os critérios pré-estabeleci-
dos pela coordenação de ensino e Núcleo Docente Estruturante), a nota se estenderá
para todas as disciplinas do semestre. Os casos e situações-problemas serão organiza-
dos de maneira interdisciplinar.

II. Avaliação Somativa – AS ou Avaliação Final – AF


Constitui-se de uma Avaliação Semestral Interdisciplinar (ASI), contemplando os conteúdos
programáticos de todas as disciplinas do semestre letivo, ambas voltadas aos conhecimentos,
habilidades e competências referentes aos objetivos propostos para os perfis de formação
projetados para cada etapa dos cursos e uma Prova Integrada Prática (OSCE - Minicex – Miniex,
ou outro instrumento específico para o Curso de Graduação em Medicina).
• Avaliação Semestral Interdisciplinar (ASI): 0 a 5.0 pontos.
• Prova Integrada Prática (OSCE - Minicex/Miniex, ou outro instrumento específico
para o Curso de Graduação em Medicina): 0 a 5.0 pontos.
Ambos instrumentos que compõem a Avaliação Somativa acontecerão em datas estabele-
cidas no Calendário Acadêmico.

2. APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA
Seja bem-vindo(a)! Você iniciará o estudo de Histologia, uma das disciplinas que com-
põem o Curso de Graduação em Medicina.

Claretiano - Faculdade
8 © Histologia

A disciplina Histologia está dividida em 20 semanas (5 ciclos de Aprendizagem) e terá


como materiais de estudo:
Materiais de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado
de histologia em cores. 3. ed. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.
LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens
& Lowe: histologia humana. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, c2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

3. DADOS GERAIS DA DISCIPLINA

Ementa
A disciplina de Histologia contribuirá na formação do futuro médico com o estudo geral
dos métodos usados na Histologia, como preparação de tecido, histoquímica e citoquímica. O
estudo se inicia com uma visão geral dos tecidos, através do conceito e classificação, histo-
gênese e identificação. Posteriormente, ocorre o estudo da histofisiologia do tecido epitelial,
conjuntivo, muscular, cartilaginoso, adiposo, ósseo e nervoso. Hemocitopoese pré e pós-natal;
citologia, histologia e imunofenótipo da medula óssea e órgãos linfoides; morfologia e fisiologia
das células sanguíneas. Histologia e histofisiologia dos sistemas cardiovascular; digestório; res-
piratório; urinário; sistema nervoso; sistema endócrino e genital.

Objetivos específicos
• Compreender a estrutura e a ultraestrutura dos tecidos que compõem o organismo
humano.
• Conhecer as bases e atualidades acerca do estudo dos tecidos.
• Reconhecer as correlações histofisiológicas e organização dos tecidos na formação dos
órgãos.
• Perceber e estabelecer a relação entre a atuação médica e a área da Histologia.

4. BIBLIOGRAFIA BÁSICA
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado de histologia em cores. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J. Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.
LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens & Lowe: histologia humana. Rio de Janeiro: Elsevier, c2016.

5. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
KIERSZENBAUM, A. L. Histologia e biologia celular: uma introdução à patologia. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier. 2008.
OVALLE, W. K.; NAHIRNEY P. C. NETTER. Bases da histologia. 1. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA. Atlas de histologia: citologia, histologia e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, 2007.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 9

6. E-REFERÊNCIAS
AUER, R. L. et al. KCC3 axonopathy: neuropathological and peripheral nervous system. Modern Pathology, 2016, 29, p. 962-976.
Disponível em: <http://www.nature.com/modpathol/journal/v29/n9/full/modpathol201690a.html>. Acesso em: 22 jun. 2017.
BARTELT, A.; HEEREN, J. Adipose tissue browning and metabolic health. Nature Reviews Endocrinology, 10, 24-36, 2014.
Disponível em: <http://www.nature.com/nrendo/journal/v10/n1/full/nrendo.2013.204.html>. Acesso em: 22 jun. 2017.
BARON, J. et al. Short and tall stature: a new paradigm emerges. 2015a. Disponível em: <http://www.nature.com/nrendo/
journal/v11/n12/full/nrendo.2015.165.html>. Acesso em: 22 jun. 2017.
______. et al. Human growth plate histology from an 11-year old boy. 2015b. Disponível em: <http://www.nature.com/nrendo/
journal/v11/n12/fig_tab/nrendo.2015.165_F1.html>. Acesso em: 22 jun. 2017.
COIMBRA, I.B. Osteoartrite (artrose): Tratamento. Rev Bras Reumatol, v. 44 , n. 6, p. 450-3 , nov./dez., 2004. Disponível em:
<http://www.scielo.br/pdf/rbr/v44n6/09.pdf>. Acesso em: 22 jun. 2017.
FOULDS, C. et al. Endocrine–disrupting chemicals and fatty liver disease. 2017. Disponível em: <http://www.nature.com/nrendo/
journal/vaop/ncurrent/full/nrendo.2017.42.html>. Acesso em: 22 jun. 2017.
GAMBLE, K. L. et al. Circadian clock controls endocrine factors. Nature Reviews Endocrinology, 10, p. 466–475, 2014. Disponível
em: <http://www.nature.com/nrendo/journal/v10/n8/full/nrendo.2014.78.html>. Acesso em: 22 jun. 2017.
GONZÁLES, A. E. et al. Aberrant T cell immunity triggered by human Respiratory Syncytial Virus and human Metapneumovirus
infection. 2016. Disponível em: <http://www.tandfonline.com/doi/full/10.1080/21505594.2016.1265725>. Acesso em: 22 jun.
2017.
JOHNSON, J. E.  et al. The histopathology of fatal untreated human respiratory syncytial vírus infection. Modern
Pathology,  2007,  20,  p. 108–119. Disponível em: <http://www.nature.com/modpathol/journal/v20/n1/full/3800725a.html>.
Acesso em: 22 jun. 2017.
LE SCIENZE. Meio ambiente e memória relacionados a neurônios oceanos. Disponível em: <https://netnature.wordpress.
com/2016/12/10/meio-ambiente-e-memoria-relacionados-a-neuronios-oceano/>. Acesso em: 22 jun. 2017.
LOGSDON, C. D.; JI, B. The role of protein synthesis and digestive enzymes in acinar cell injury. 2013. Disponível em: <http://www.
nature.com/nrgastro/journal/v10/n6/full/nrgastro.2013.36.html>. Acesso em: 22 jun. 2017.
MAAMAR, M. B. Ibuprofen results in alterations of human fetal testis development. 2017. Disponível em: <https://www.nature.
com/articles/srep44184>. Acesso em: 22 jun. 2017.
MAEDA, Y. et al. CXCL12 and osteopontin from boné marrow-derived mesenchimal stromal cells improve muscle regeneration.
Disponível em: <https://www.nature.com/articles/s41598-017-02928-1>. Acesso em: 22 jun. 2017.
MALESZEWSKY, J. J. et al. Pathology, imaging, and treatment of cardiac tumors. Nature Reviews Cardiology, 2017. Disponível em:
<http://www.nature.com/nrcardio/journal/vaop/ncurrent/full/nrcardio.2017.47.html>. Acesso em: 22 jun. 2017.
MONTAGNER, S. Bases Moleculares do Fotoenvelhicimento. An Bras Dermatol., 2009, v. 84, n. 3, p. 263-9. Disponível em:
<http://www.scielo.br/pdf/abd/v84n3/v84n03a08.pdf>. Acesso em: 22 jun. 2017.
PINNA, F. R. et al. Condrossarcoma nasal: relato de caso. Rev Bras Otorrinolaringol., v. 69, n. 2, p. 273-6, mar./abr. 2003. Disponível
em: <http://www.scielo.br/pdf/rboto/v69n2/15636.pdf>. Acesso em: 22 jun. 2017.
ROSSETTI, V. Como neurônios conversam uns com os outros. 2017. Disponível em: <https://netnature.wordpress.com/2017/06/10/
como-neuronios-conversam-uns-com-os-outros-comentado/>. Acesso em: 22 jun. 2017.
SANTOS, R. A. et al. Aplicação de anticorpos monoclonais. Rev. Bras. Alerg. Imunopatol., v. 29, n. 2, 2006. Disponível em: <http://
www.sbai.org.br/revistas/Vol292/aplicacoes.pdf>. Acesso em: 22 jun. 2017.
SCIENCE DAILY. Novo gene mostra o que causa a doença de Parkinson. 2016. Disponível em: <https://netnature.wordpress.
com/2016/09/03/novo-gene-mostra-o-que-causa-a-doenca-de-parkinson/>. Acesso em: 22 jun. 2017.
SIDLER, D. et al. TWEAK mediates inflammation in experimental atopic dermatites and psoriasis. 2017. Disponível em: <https://
www.nature.com/articles/ncomms15395>. Acesso em: 22 jun. 2017.
SIVA, S. et al. Radiotherapy for renal cell carcinoma: renaissance of an overloocked approach. 2017. Disponível em: <https://
www.nature.com/nrurol/journal/vaop/ncurrent/full/nrurol.2017.87.html>. Acesso em: 22 jun. 2017.
TARGHER, G.; BYRNE, C. D. Non, alcoholic fatty liver disease: na emerging driving force inchronic kidney disease. 2017. Disponível
em: <http://www.nature.com/nrneph/journal/v13/n5/full/nrneph.2017.16.html>. Acesso em: 22 jun. 2017.
XIAO, S. et al. A microfluidic culture modelo f human reproductive tract and 28 – day menstrual cycle. 2017. Disponível em:
<https://www.nature.com/articles/ncomms14584>. Acesso em: 22 jun. 2017.

7. ORIENTAÇÕES PARA O ESTUDO DA DISCIPLINA


Os cinco Ciclos de Aprendizagem desta disciplina, cada qual correspondendo a um grupo
de conteúdos apresentados na ementa, incluem momentos de aprendizagem nas aulas teóricas,
práticas, PBL (Problem-Based Learning - Aprendizagem Baseada em Problemas) e do TBL (Team

Claretiano - Faculdade
10 © Histologia

Based Learning - Aprendizagem Baseada em Equipes), socialização de novos conhecimentos em


plenária; educação a distância (como recurso didático), oficina de trabalho, viagem reflexiva,
portfólio, aprendizagem autodirigida, iniciação científica, casos clínicos integrados e práticas em
saúde em cenários simulados e reais do trabalho no contexto do SUS e outros.

1º CICLO DE APRENDIZAGEM
Conteúdos
Métodos de estudo usados na Histologia. Histoquímica e Citoquímica. Estudo geral dos
tecidos, conceito e classificação. Histofisiologia do Tecido Epitelial.

Problematização
O que são tecidos? Como são classificados? Qual é a sua importância? Por que são ne-
cessários métodos específicos para se estudar Histologia? Quais são os métodos utilizados? O
que é Histoquímica e o que é Citoquímica? Como é a estrutura do tecido epitelial e qual é a sua
função? O que é polaridade das células? O que é domínio apical e quais são especializações
apresentadas? O que é domínio lateral e como ocorre a adesão entre as células? O que é do-
mínio basal e quais são as especializações observadas? Como o epitélio é classificado? Onde se
localizam as glândulas? Para que aprender estes conhecimentos para a atuação médica?

1ª semana
Apresentação do Projeto Político Pedagógico do Curso.

2ª semana – 4 horas/aulas

Conteúdos
Tecidos
• Introdução e apresentação de conceitos.
• Classificação.
• Organização geral do tecido epitelial.
• Organização geral do tecido conjuntivo.
• Organização geral do tecido muscular.
• Síntese de conceitos.

Objetivos
Nesta 2ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender o conceito de tecidos.
• Compreender a classificação.
• Compreender a organização geral dos tecidos epitelial, conjuntivo e muscular.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 11

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema ( )


Estratégias de Ensino: Tempestade Cerebral. Aula expositiva dialogada. Aula prática. Correlação
clínica.

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox, Laboratório
Morfofuncional: laminário permanente.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s)


1) Avaliação Diagnóstica: sem nota.
2) Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática.
Objetivos: Entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite no. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: Sem pontuação.
Critérios de avaliação
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado de
histologia em cores. 3. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens &
Lowe: histologia humana. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Elsevier, 2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
MONTAGNER, S. Bases Moleculares do Disponível em: <http://www.scielo.br/
Fotoenvelhicimento. An Bras Dermatol., Artigo pdf/abd/v84n3/v84n03a08.pdf>. Acesso
2009, v. 84, n. 3, p. 263-9. em: 22 jun. 2017.

Claretiano - Faculdade
12 © Histologia

3ª semana – 4 horas/aulas
Conteúdos
Tecidos
• Organização geral do tecido nervoso.
• Histogênese dos tecidos.
• Identificação dos tecidos.

Objetivos
Nesta 3ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a organização geral do tecido nervoso.
• Compreender a histogênese dos tecidos.
• Reconhecer os vários tipos de tecido.

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema ( )


Estratégias de Ensino: A aula será dividida em duas etapas: Aula expositiva dialogada. Aula
prática. Síntese de conceitos. Correlação clínica. Estudo Dirigido.

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox, Laboratório
Morfofuncional - Microscopia: laminário permanente e roteiro de aula prática.
Local (is): 
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento(s) Avaliativo(s)
1) Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática.
Objetivos: Entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite nº. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: de 0 a 0,10.
Critérios de avaliação
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado de
histologia em cores. 3. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro, Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 13

Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo


LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens &
Lowe: histologia humana. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Elsevier, c2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
Disponível em: <https://netnature.
SCIENCE DAILY. Novo gene mostra o que wordpress.com/2016/09/03/novo-
Artigo
causa a doença de Parkinson. gene-mostra-o-que-causa-a-doenca-de-
parkinson/>. Acesso em: 22 jun. 2017.
Disponível em: <https://netnature.
wordpress.com/2017/06/10/como-
ROSSETTI, V. Como neurônios conversam
neuronios-conversam-uns-com-os-
uns com os outros.
Artigo outros-comentado/>. Acesso em: 22 jun.
2017.
Disponível em: <https://netnature.
wordpress.com/2016/12/10/meio-
LE SCIENZE. Meio ambiente e memória
Artigo ambiente-e-memoria-relacionados-a-
relacionados a neurônios oceanos.
neuronios-oceano/>. Acesso em: 22 jun.
2017.

4ª semana – 6 horas/aulas

Conteúdos
Histofisiologia do tecido epitelial.
• Visão geral do tecido epitelial.
• Classificação do epitélio.
• Polaridade da célula epitelial.
• Domínios apical, lateral e basal da célula epitelial.
• Glândulas.
• Renovação das células epiteliais.

Objetivos
Nesta 4ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a organização e a função do tecido epitelial.
• Reconhecer os diferentes tipos de epitélio.
• Compreender as especializações das células epiteliais e suas funções.
• Compreender a estrutura e a organização das glândulas.
• Compreender os mecanismos de renovação celular epitelial.

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema ( )

Estratégias de Ensino: A aula será composta das seguintes etapas: Aula expositiva dialogada.
Estudo de texto e Aula prática.

Claretiano - Faculdade
14 © Histologia

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de Aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox, Laboratório
Morfofuncional – Microscopia: lâminas permanentes para identificação dos tipos de epitélios e
modelos anatômicos.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s)


1) Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática.
Objetivos: Entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite nº. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: de 0 a 0,10.
Critérios de avaliação
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.
2) Responder às Questões on-line, disponibilizadas na Sala de Aula Virtual, no prazo de uma
semana. As Questões on-line valem de 0 a 0,20 ponto, sendo 0,10 cada uma.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado
de histologia em cores. 3. ed. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens
& Lowe: histologia humana. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, c2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

2º CICLO DE APRENDIZAGEM
Conteúdos
Histofisiologia do Tecido Conjuntivo, do Tecido Muscular e do Tecido Hematopoiético e
Sanguíneo.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 15

Problematização
Como é a organização o tecido conjuntivo embrionário e o tecido conjuntivo propriamente
dito? Existem fibras no tecido conjuntivo? O que é a matriz? Quais são as células que compõem
este tecido? Quais são os tipos de tecido conjuntivo? Qual é a função do tecido muscular? Quais
são tipos de tecido muscular encontrado no corpo humano? Como é a organização dos tecidos
musculares? Qual é o mecanismo que ocorre no tecido muscular que gera o movimento? O que
é cartilagem hialina e o que é cartilagem elástica? O que é fibrocartilagem? O que condrogênese
e como ocorre o crescimento da cartilagem? Como ocorre o reparo da cartilagem hialina? Qual
é a estrutura geral de um osso? Quais são as células do tecido ósseo? Como ocorre o processo
de ossificação? Como ocorre o processo de reparação óssea? Quais são os componentes do san-
gue? Como ocorre a formação das células sanguíneas? Qual é a função da medula óssea? Para
que aprender estes conhecimentos para a atuação médica?

5ª semana – 6 horas/aulas

Conteúdos
Histofiologia do tecido conjuntivo
• Visão geral do tecido conjuntivo.
• Tecido conjuntivo embrionário e tecido conjuntivo propriamente dito.
• Fibras do tecido conjuntivo.
• Matriz extracelular.
• Células do tecido conjuntivo.

Objetivos
Nesta 5ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a organização geral do tecido conjuntivo.
• Compreender a estrutura do tecido conjuntivo embrionário e do tecido conjuntivo
propriamente dito.
• Compreender a estrutura e a função das fibras.
• Reconhecer as células do tecido conjuntivo e suas funções.

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema (x)


Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada. Estudo de caso. Aula prática. Correlação clínica.

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de Aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox, Laboratório
Morfofuncional – Microscopia: lâminas permanentes para identificação do tecido conjuntivo.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s)


1) Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática.
Objetivos: entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.

Claretiano - Faculdade
16 © Histologia

Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,


descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite no. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: de 0 a 0,10.
Critérios de avaliação
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

2) Tipo de instrumento avaliativo: Estudo de caso.

Objetivos: Identificar os conceitos estudados na aula expositiva, no caso escolhido. Compreender


os sintomas, o diagnóstico e a solução.
Descrição da tarefa: Estudo do caso em grupo a partir dos tópicos que compõem o contexto.
Discussão da solução do caso.
Pontuação: de 0 a 0,25.
Critérios de avaliação
• Identificação dos conceitos.
• Base teórica utilizada na discussão da solução do caso.
• Participação e apresentação do grupo.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J.L. Tratado de
histologia em cores. 3. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens &
Lowe: histologia humana. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Elsevier, c2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

6ª semana – 6 horas/aulas
Conteúdos
Histofisiologia do Tecido Muscular
• Visão geral do tecido muscular.
• Músculo esquelético.
• Músculo cardíaco.
• Músculo liso.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 17

Objetivos
Nesta 6ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a estrutura do tecido muscular.
• Compreender a organização e a função do tecido muscular esquelético.
• Compreender a organização e a função do tecido cardíaco.
• Compreender a organização e a função do tecido liso.

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema ( X )


Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada. TBL. Aula prática. Correlação clínica.

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de Aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox, Laboratório
Morfofuncional - Microscopia: lâminas permanentes para identificação das estruturas estudadas.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s)


1) Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática.

Objetivos: Entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do


tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite nº. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: de 0 a 0,10.
Critérios de avaliação:
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

2) Tipo de instrumento avaliativo: TBL (Team Based Learning).


Objetivos: Compreender a histofisiologia do Tecido Muscular.
Descrição da tarefa: Esta atividade será cumprida em quatro etapas:
1) Leitura prévia de texto, que será indicado pela professora.
2) Avaliação individual do texto.
3) Avaliação do grupo.
4) Discussão dos resultados e exposição das soluções.
O detalhamento das etapas da atividade será feito na aula presencial.
Pontuação: de 0 a 0,25.
Critérios de avaliação
• Será avaliado o conhecimento teórico do assunto do texto, indicado previamente.
• Participação no grupo.

Claretiano - Faculdade
18 © Histologia

• Avaliação dos pares.


• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado de
histologia em cores. 3. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens &
Lowe: histologia humana. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Elsevier, c2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
MAEDA, Y. et al. CXCL12 and osteopontin
Disponível em: <https://www.nature.
from boné marrow-derived mesenchimal
Artigo com/articles/s41598-017-02928-1>.
stromal cells improve muscle
Acesso em: 22 jun. 2017.
regeneration.

7ª semana – 6 horas/aulas
Conteúdos
Histofisiologia do Tecido Cartilaginoso
• Visão geral da cartilagem.
• Cartilagem hialina.
• Cartilagem elástica.
• Fibrocartilagem.
• Reparação da cartilagem.

Histofisiologia do Tecido Ósseo.


• Estrutura geral dos ossos.
• Tipos de tecido ósseo.
• Processo de ossificação.
• Mineralização biológica.
• Aspectos fisiológicos do osso.
• Biologia do reparo ósseo.

Objetivos
Nesta 7ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a organização geral e histofisiologia do tecido cartilaginoso.
• Compreender a organização e histofisiologia do tecido ósseo.
• Compreender o processo de ossificação, mineralização e reparo ósseo.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 19

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema ()


Estratégias de Ensino: Aula Expositiva Dialogada. Estudo de caso. Aula prática. Correlação clínica.

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de Aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox. Laboratório
Morfofuncional - Microscopia: laminário permanente e modelos anatômicos e Maquetes.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s)


1) Relatório de aula prática.
Objetivos: Entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite nº. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: de 0 a 0,10.
Critérios de avaliação
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado
de histologia em cores. 3. ed. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens
& Lowe: histologia humana. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, c2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
Disponível em: <http://www.nature.
BARON, J. et al. Short and tall stature: a com/nrendo/journal/v11/n12/full/
Artigo
new paradigm emerges. nrendo.2015.165.html>. Acesso em: 22
jun. 2017.
Disponível em: <http://www.nature.
BARON, J. et al. Human growth plate com/nrendo/journal/v11/n12/fig_tab/
Artigo
histology from an 11-year old boy. nrendo.2015.165_F1.html>. Acesso em:
22 jun. 2017.
PINNA, F. R. et al. Condrossarcoma
Disponível em: <http://www.scielo.br/
nasal: relato de caso. Rev Bras
Artigo pdf/rboto/v69n2/15636.pdf>. Acesso
Otorrinolaringol., v. 69, n. 2, p. 273-6,
em: 22 jun. 2017.
mar./abr. 2003.

Claretiano - Faculdade
20 © Histologia

Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo


COIMBRA, I. B. Osteoartrite (artrose): Disponível em: <http://www.scielo.br/
Tratamento. Rev Bras Reumatol, v. 44 , Artigo pdf/rbr/v44n6/09.pdf>. Acesso em: 22
n. 6, p. 450-3 , nov./dez., 2004. jun. 2017.

8ª semana – 6 horas/aulas
Conteúdos
Histofisiologia do sangue
• Visão geral do sangue.
• Plasma.
• Células do sangue.
• Plaquetas.
• Hemograma completo.
• Formação das células sanguíneas – Hemocitopoese.
• Medula óssea.

Objetivos
Nesta 8ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a visão geral do sangue.
• Reconhecer e compreender as estruturas do sangue: plasma e células.
• Estudar e compreender a importância das plaquetas.
• Compreender o processo de formação de células sanguíneas.
• Compreender e analisar a função da medula óssea.

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema (x )


Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada. TBL. Aula Prática. Correlação clínica.

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de Aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox. Laboratório
Morfofuncional - Microscopia: laminário permanente e modelos anatômicos.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s)


1) Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática.
Objetivos: entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite nº. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: de 0 a 0,10.
Critérios de avaliação
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 21

• Identificação dos componentes da estrutura.


• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.
2) Tipo de instrumento avaliativo: TBL (Team Based Learning).
Objetivos: Compreender a histofisiologia do Tecido Hematopoiético e do Sangue.
Descrição da tarefa: Esta atividade será cumprida em quatro etapas:
1) Leitura prévia de texto, que será indicado pela professora.
2) Avaliação individual do texto.
3) Avaliação do grupo.
4) Discussão dos resultados e exposição das soluções.
O detalhamento das etapas da atividade será feito na aula presencial.
Pontuação: de 0 a 0,25.
Critérios de avaliação
• Será avaliado o conhecimento teórico do assunto do texto, indicado previamente.
• Participação no grupo.
• Avaliação dos pares.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.
3) Responder às Questões on-line, disponibilizadas na Sala de Aula Virtual, no prazo de uma
semana. As Questões on-line valem de 0 a 0,20 ponto, sendo 0,10 cada uma.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado de
histologia em cores. 3. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens &
Lowe: histologia humana. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Elsevier, c2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

3º CICLO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA


Conteúdos
Histofisiologia do Tecido Adiposo, do Tecido Reprodutor e do Tecido Nervoso.

Problematização
O que é tecido adiposo branco e pardo? Qual é a função do tecido adiposo? O que é
transdiferenciação do tecido adiposo? Como está organizado o sistema reprodutor masculino e
feminino? Quais são os componentes do sistema genital? Quais células fazem parte do tecido
nervoso e como é a sua organização? Qual é a origem das células do tecido nervoso? Como o
tecido nervoso está organizado? Existe algum mecanismo de reparação dos neurônios depois de
uma lesão? Para que aprender estes conhecimentos para a atuação médica?

Claretiano - Faculdade
22 © Histologia

9ª semana – 6 horas/aulas

Conteúdos
Tecido Adiposo
• Tecido adiposo branco.
• Tecido adiposo pardo.
• Transdiferenciação do tecido adiposo.

Objetivos
Nesta 9ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a estrutura e organização do tecido adiposo e sua classificação.
• Compreender a histofisiologia do tecido adiposo branco e pardo.

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema ( )


Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada. Aula prática. Correlação clínica. Estudo de caso.

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de Aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox. Laboratório
Morfofuncional - Microscopia: laminário permanente e mesa digital.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s)


Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática.
Objetivos: entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite nº. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: de 0 a 0,10.
Critérios de avaliação
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado
de histologia em cores. 3. ed. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 23

Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo


LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens
& Lowe: histologia humana. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, 2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
Disponível em: <http://www.nature.
BARTELT, A.; HEEREN, J. Adipose tissue
com/nrendo/journal/v10/n1/full/
browning and metabolic health. Nature Artigo
nrendo.2013.204.htm>. Acesso em: 22
Reviews Endocrinology, 10, 24-36, 2014.
jun. 2017.

10ª semana – 6 horas/aulas

Conteúdos
Sistema Genital
• Visão geral do sistema reprodutor masculino.
• Testículos.
• Espermatogênese.
• Ductos intratesticulares.
• Sistema de ductos excretores.
• Glândulas sexuais acessórias.
• Próstata.
• Sêmen.
• Pênis.

II. Sistema Genital


• Visão geral do sistema reprodutor feminino.
• Ovário.
• Tubas uterinas.
• Útero.
• Placenta.
• Vagina.
• Genitália externa.
• Glândulas mamárias.

Objetivos
Nesta 10ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a organização geral do sistema reprodutor masculino.
• Compreender a estrutura e a histofisiologia dos componentes do sistema reprodutor
masculino.
• Compreender a organização geral do sistema reprodutor feminino.
• Compreender a estrutura e a histofisiologia dos componentes do sistema reprodutor
feminino.

Claretiano - Faculdade
24 © Histologia

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema ( )


Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada. Estudo de caso. Aula prática. Correlação clínica.

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de Aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox. Laboratório
Morfofuncional - Microscopia: laminário permanente.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s)


1) Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática.
Objetivos: Entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite nº. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: de 0 a 0,10.
Critérios de avaliação
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

2) Tipo de instrumento avaliativo: Estudo de Caso.


Objetivos: Identificar os conceitos estudados na aula expositiva, no caso escolhido. Compreender
os sintomas, o diagnóstico e a solução.
Descrição da tarefa: Estudo do caso em grupo dos tópicos que compõem o caso. Discussão da
solução do caso.
Pontuação: de 0 a 0,25.
Critérios de avaliação
• Identificação dos conceitos.
• Base teórica utilizada na discussão da solução do caso.
• Participação e apresentação do grupo.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado de
histologia em cores. 3. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 25

Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo


LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens &
Lowe: histologia humana. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Elsevier, c2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
MAAMAR, M. B. Ibuprofen results Disponível em: <https://www.nature.
in alterations of human fetal testis Artigo com/articles/srep44184>. Acesso em: 22
development. jun. 2017.
XIAO, S. et al. A microfluidic culture Disponível em: <https://www.nature.
modelo f human reproductive tract and Artigo com/articles/ncomms14584>. Acesso
28 – day menstrual cycle. em: 22 jun. 2017.

11ª semana – 6 horas/aulas

Objetivos
Nesta 11ª semana, os alunos serão capazes de:
• Revisar os principais conceitos.

Estratégias de Ensino: Estudo de texto.

Recursos de Ensino
Local (is): Sala de Aula Virtual.

Instrumento (s) Avaliativo (s)


Responder às Questões on-line, disponibilizadas na Sala de Aula Virtual, no prazo de uma
semana. As Questões on-line valem de 0 a 0,20 ponto, sendo 0,10 cada uma.

Referências
Aproveite segunda-feira (30/04) e terça-feira (01/05), para estudar os conteúdos de maior
dificuldade (para você), retomando o que foi objeto aprendizagem até o momento.

12ª semana – 6 horas/aulas

Conteúdos
Histofisiologia do Sistema Nervoso
• Visão geral do sistema nervoso.
• Composição do tecido nervoso – Neurônio.
• Neuróglia.
• Origem das células do tecido nervoso.
• Organização do sistema nervoso periférico.
• Organização do sistema nervoso autônomo.
• Organização do sistema nervoso central.
• Resposta dos neurônios à lesão.

Histofisiologia do Sistema Nervoso


• Organização do sistema nervoso central.
• Resposta dos neurônios à lesão.

Claretiano - Faculdade
26 © Histologia

Objetivos
Nesta 12ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a organização do sistema nervoso.
• Compreender a origem das células do tecido nervoso.
• Compreender a estrutura e função do sistema nervoso autônomo.
• Compreender a estrutura e função do sistema nervoso central.
• Compreender os mecanismos de resposta aos neurônios.
• Compreender a organização e a função do sistema nervoso central.
• Compreender os mecanismos de resposta dos neurônios.

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema ( )


Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada. Análise das maquetes. Aula prática. Estudo
de texto. Correlação clínica.

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de Aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox. Laboratório
Morfofuncional - Microscopia: laminário permanente e modelos anatômicos.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s)


1) Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática.
Objetivos: entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite nº. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: de 0 a 0,10.
Critérios de avaliação
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.
2) Para responder as questões on-line do 3º. Ciclo de Aprendizagem, retome as referências
citadas nas 9ª, 10ª, 11ª e 12º semanas.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado de
histologia em cores. 3. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 27

Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo


LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens &
Lowe: histologia humana. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Elsevier, 2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
AUER, R. L. et al. KCC3 axonopathy: Disponível em: <http://www.nature.
neuropathological and peripheral com/modpathol/journal/v29/n9/full/
Artigo
nervous system. Modern modpathol201690a.html>. Acesso em:
Pathology, 2016, 29, p. 962-976. 22 jun. 2017.

4º CICLO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA


Conteúdos
Histofisiologia do Sistema Neuroendócrino, do Sistema Respiratório e do Sistema Digestório
e do Sistema Urinário.

Problematização
Como está organizado o sistema neuroendócrino? Quais são componentes do sistema
neuroendócrino? Quais são as características do sistema respiratório? Quais são seus
componentes? Como está organizado o sistema respiratório? Quais são as características do
sistema digestório e quais são seus componentes? Como o sistema digestório está organizado?
Quais são as glândulas que compõem o sistema digestório e quais são as funções? Para que
aprender estes conhecimentos para a atuação médica?

13ª semana – 6 horas/aulas


Conteúdos
Sistema Neuroendócrino
• Visão geral do sistema endócrino.
• Hipófise.
• Hipotálamo.
• Glândula pineal.
• Glândula tireoide.
• Glândulas paratireoide.
• Glândulas suprarrenais.

Objetivos
Nesta 13ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a organização geral do sistema neuroendócrino.
• Compreender a estrutura e a histofisiologia das estruturas componentes.

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema ( )


Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada. Aula prática. Estudo de caso. Correlação
clínica.

Claretiano - Faculdade
28 © Histologia

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de Aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox. Laboratório
Morfofuncional - Microscopia: laminário permanente e modelos anatômicos.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s)


Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática.
Objetivos: Entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite nº. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: de 0 a 0,10.
Critérios de avaliação
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado
de histologia em cores. 3. ed. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens
& Lowe: histologia humana. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, c2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
GAMBLE, K. L. et al. Circadian clock Disponível em: <http://www.nature.
controls endocrine factors. Nature com/nrendo/journal/v10/n8/full/
Artigo
Reviews Endocrinology, 10, p. 466–475, nrendo.2014.78.html>. Acesso em: 22
2014. jun. 2017.
Disponível em: <http://www.nature.
FOULDS, C. et al. Endocrine–disrupting com/nrendo/journal/vaop/ncurrent/
Artigo
chemicals and fatty liver disease. full/nrendo.2017.42.html>. Acesso em:
22 jun. 2017.

14ª semana – 6 horas/aulas


Conteúdos
Sistema Respiratório
• Visão geral do sistema respiratório.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 29

• Histologia das cavidades nasais.


• Histologia da faringe.
• Histologia da laringe.
• Histologia da traqueia.
• Histologia dos brônquios.
• Histologia dos bronquíolos.
• Histologia dos alvéolos.
• Suprimento sanguíneo.
• Vasos linfáticos.
• Nervos.

Objetivos
Nesta 14ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a estrutura e organização do sistema respiratório.
• Compreender a estrutura e histologia dos componentes do sistema respiratório.
• Compreender os fatores que regulam este processo.

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema ( )


Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada. Aula prática. Correlação clínica. Mapa
conceitual.

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de Aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox. Laboratório
Morfofuncional - Microscopia: laminário permanente e modelos anatômicos.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s):


Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática.
Objetivos: entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite nº. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: 0 a 0,10.
Critérios de avaliação:
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

Claretiano - Faculdade
30 © Histologia

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado
de histologia em cores. 3. ed. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens
& Lowe: histologia humana. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, c2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
GONZÁLES, A. E. et al. Aberrant T Disponível em: <http://www.
cell immunity triggered by human tandfonline.com/doi/full/10.1080/215
Artigo
Respiratory Syncytial Virus and human 05594.2016.1265725>. Acesso em: 22
Metapneumovirus infection. jun. 2017.
JOHNSON, J. E.  et al. The histopathology Disponível em: <http://www.nature.
of fatal untreated human respiratory com/modpathol/journal/v20/n1/
Artigo
syncytial vírus infection. Modern full/3800725a.html>. Acesso em: 22
Pathology, 2007, 20, p. 108–119 jun. 2017.

15ª semana – 6 horas/aulas

Conteúdos
Sistema Digestório
• Visão geral do sistema digestório.
• Cavidade oral.
• Língua.
• Dentes e tecidos de sustentação.
• Glândulas salivares.

II. Sistema Digestório – Esôfago e Trato Gastrointestinal


• Visão geral do esôfago e do trato gastrointestinal.
• Esôfago.
• Estômago.
• Intestino delgado.
• Intestino grosso.

Objetivos
Nesta 15ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a estrutura e organização da cavidade oral e seus componentes.
• Compreender a estrutura e organização do esôfago e estômago.
• Compreender a estrutura e organização do intestino delgado e do intestino grosso.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 31

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema ( )


Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada. Mapa conceitual. Aula prática. Correlação
clínica.

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de Aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox. Laboratório
Morfofuncional - Microscopia: laminário permanente e modelos anatômicos.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s)


1) Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática.
Objetivos: entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite nº. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: 0 a 0,10.
Critérios de avaliação
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado
de histologia em cores. 3. ed. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens
& Lowe: histologia humana. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, 2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
Disponível em: <http://www.nature.
LOGSDON, C. D.; JI, B. The role of protein
com/nrgastro/journal/v10/n6/full/
synthesis and digestive enzymes in Artigo
nrgastro.2013.36.html>. Acesso em: 22
acinar cell injury.
jun. 2017.

Claretiano - Faculdade
32 © Histologia

16ª semana – 6 horas/aulas


Sistema Digestório
• Fígado.
• Vesícula biliar.
• Pâncreas.

Objetivos
Nesta 16ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a estrutura e organização do fígado.
• Compreender a estrutura e organização da vesícula biliar.
• Compreender a estrutura e organização do pâncreas.

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema ( )


Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada. Mapa conceitual. Aula prática. Correlação
clínica.

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de Aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox. Laboratório
Morfofuncional - Microscopia: laminário permanente e modelos anatômicos.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s)


1) Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática.
Objetivos: entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite nº. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: de 0 a 0,10.
Critérios de avaliação
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

2) Tipo de instrumento avaliativo: Mapa Conceitual.


Objetivos: Compreender dos principais conceitos que permeiam o estudo do tecido. Identificar
conceitos-chave. Selecionar conceitos por ordem de importância.
Descrição da tarefa: Construção de um diagrama que indica a relação de conceitos que procura
mostrar a relação hierárquica entre os conceitos e a estrutura do conteúdo.
Pontuação: de 0 a 0,25.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 33

Critérios de avaliação
• Clareza dos conceitos.
• Justificativa da relação entre os conceitos.
• Criatividade na organização.
• Representatividade do conteúdo trabalhado.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.
2) Responder às Questões on-line, disponibilizadas na Sala de Aula Virtual, no prazo de uma
semana. As Questões on-line valem de 0 a 0,20 ponto, sendo 0,10 cada uma.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado
de histologia em cores. 3. ed. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens
& Lowe: histologia humana. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, 2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
Disponível em: <http://www.nature.
TARGHER, G.; BYRNE, C. D. Non, alcoholic
com/nrneph/journal/v13/n5/full/
fatty liver disease: na emerging driving Artigo
nrneph.2017.16.html>. Acesso em: 22
force inchronic kidney disease.
jun. 2017.

5º CICLO DE APRENDIZAGEM A DISTÂNCIA


Conteúdos
Histofisiologia do Sistema Urinário, do Sistema Cardiovascular e Sistema Linfático.

Problematização
Qual é a estrutura e organização do sistema urinário? Quais são os componentes do siste-
ma urinário? Quais são as características do sistema cardiovascular? Quais são os componentes
do sistema cardiovascular e suas funções e como estão organizados? O que são anastomoses? O
que são vasos sanguíneos atípicos? O que são vasos linfáticos e qual é a função? Qual é a função
do sistema linfático? Como são organizados os tecidos e os órgãos linfáticos? O que é o sistema
tegumentar? Quais são as camadas que compõem a pele? Para que aprender estes conhecimen-
tos para a atuação médica?

Claretiano - Faculdade
34 © Histologia

17ª semana – 6 horas/aulas.


Conteúdos
Sistema Urinário
• Visão geral do sistema urinário.
• Estrutura geral e histofisiologia do rim.
• Função dos túbulos renais.
• Células instersticiais.
• Suprimento sanguíneo.
• Vasos linfáticos.
• Suprimento nervoso.
• Ureter, bexiga e uretra.

Objetivos
Nesta 17ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a organização geral do sistema urinário.
• Compreender a histofisiologia dos órgãos e estruturas componentes do sistema
urinário.
• Reconhecer e localizar as estruturas de outros sistemas que mantêm os mecanismos
fisiológicos do sistema urinário.

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema ( )


Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada. Mapa conceitual. Aula prática. Correlação
clínica.

Recursos de Ensino
Materiais: Sala de Aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox. Laboratório
Morfofuncional - Microscopia: laminário permanente.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s)


1) Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática.
Objetivos: entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite nº. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: de 0 a 0,10.
Critérios de avaliação
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 35

2) Tipo de instrumento avaliativo: Mapa Conceitual.


Objetivos: Compreensão dos principais conceitos que permeiam o estudo do tecido. Identificar
conceitos-chave. Selecionar conceitos por ordem de importância.
Descrição da tarefa: Construção de um diagrama que indica a relação de conceitos que procura
mostrar a relação hierárquica entre os conceitos e a estrutura do conteúdo.
Pontuação: de 0 a 0,25.
Critérios de avaliação:
• Clareza dos conceitos.
• Justificativa da relação entre os conceitos.
• Criatividade na organização.
• Representatividade do conteúdo trabalhado.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado
de histologia em cores. 3. ed. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens
& Lowe: histologia humana. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, c2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
Disponível em: <https://www.nature.
SIVA, S. et al. Radiotherapy for renal
com/nrurol/journal/vaop/ncurrent/
cell carcinoma: renaissance of an Artigo
full/nrurol.2017.87.html>. Acesso em:
overloocked approach.
22 jun. 2017.

18ª semana – 6 horas/aulas

Conteúdos
Sistema Cardiovascular
• Visão geral do sistema cardiovascular.
• Coração.
• Características dos vasos.
• Anastomoses.
• Vasos sanguíneos atípicos.
• Vasos linfáticos.

Claretiano - Faculdade
36 © Histologia

Objetivos
Nesta 18ª semana, os alunos serão capazes de:
• Compreender a estrutura e a função do coração.
• Reconhecer as características dos vasos e compreender a organização e as funções.

Aula teórica (x) Aula prática (x) Situação-Problema ( )


Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada. Estudo de caso. Aula prática. Correlação clínica.
Recursos de Ensino
Materiais: Sala de Aula: giz, lousa, projetor multimídia, vídeos, revistas, livros, xerox. Laboratório
Morfofuncional - Microscopia: laminário permanente e modelos anatômicos.
Local (is):
(x) Sala de Aula
(x) Morfofuncional-Microscopia

Instrumento (s) Avaliativo (s)


Tipo de instrumento avaliativo: Relatório de aula prática
Objetivos: entender como o tecido está organizado, localizar os principais componentes do
tecido e identificá-los.
Descrição da tarefa: Identificar as estruturas e seus componentes, referenciados nos conteúdos,
descrevê-las a partir da observação com o apoio dos referentes aumentos e desenhá-las. Os
desenhos devem ser feitos com lápis preto grafite nº. 2 (não pode ser lapiseira).
Pontuação: de 0 a 0,10.
Critérios de avaliação
• A estrutura deve ser desenhada em todos os aumentos solicitados.
• Identificação dos componentes da estrutura.
• Utilização da norma padrão Língua Portuguesa e das normas da ABNT.
• Coesão e síntese de ideias.

Referências
Material de Estudo Tipo de material Onde encontrá-lo
GARTNER, L. P.; HIATT, J. L. Tratado
de histologia em cores. 3. ed. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, 2007.
JUNQUEIRA, L. C.; CARNEIRO, J.
Histologia básica. 11. ed. Rio de Janeiro: Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Guanabara Koogan, 2008.
LOWE, J. S.; ANDERSON, P. G. Stevens
& Lowe: histologia humana. Rio de Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
Janeiro: Elsevier, 2016.
SOBOTTA, J.; WELSCH, U. SOBOTTA.
Atlas de histologia: citologia, histologia
Livro Biblioteca do Claretiano – Faculdade
e anatomia microscópica. 7. ed. Rio de
Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.
MALESZEWSKY, J. J. et al. Pathology, Disponível em: <http://www.nature.
imaging, and treatment of cardiac com/nrcardio/journal/vaop/ncurrent/
Artigo
tumors. Nature Reviews Cardiology, full/nrcardio.2017.47.html>. Acesso
2017. em: 22 jun. 2017.
© Plano de Ensino (PE)/Guia de Estudos (GE) 37

19ª semana – 6 horas/aulas


Instrumento (s) Avaliativo (s)
1) Avaliação Semestral Interdisciplinar.
2) Finalização e entrega do Portfólio Reflexivo referente ao Semestre, na Sala de Aula de Virtual
"Portfólio Reflexivo".
3) Prova Integrada Prática (OSCE – Minicex/Miniex).
Referências
Todo o conteúdo do semestre.
Responder às Questões on-line, disponibilizadas na Sala de Aula Virtual, no prazo de uma
semana. As Questões on-line valem de 0 a 0,20 ponto, sendo 0,10 cada uma.
20ª semana – 6 horas/aulas
Instrumento (s) Avaliativo (s)
1) Avaliação Semestral Interdisciplinar.
2) Finalização e entrega do Portfólio Reflexivo referente ao Semestre, na Sala de Aula de Virtual
"Portfólio Reflexivo".
3) Prova Integrada Prática (OSCE – Minicex/Miniex).

Referências
Todo o conteúdo do semestre.

8. CONSIDERAÇÕES GERAIS
Caro aluno, você chegou ao final da disciplina Histologia. O estudo desta disciplina con-
tribuiu para que você pudesse compreender o conceito de tecido, bem como a classificação, a
estrutura e a sua organização no corpo humano. O estudo da histofisiologia das estruturas e ór-
gãos que compõem os sistemas promoveu o estabelecimento de uma correlação entre forma e
função no nível microscópico e permitirá a compreensão mais ampla dos mecanismos fisiológi-
cos dos vários sistemas, no que se refere às interações para a manutenção da vida contribuindo,
assim, para o entendimento dos conceitos básicos das próximas disciplinas.
Um dos objetivos básicos da disciplina, além da transmissão do conteúdo, foi de aproxi-
mar você de casos clínicos que envolvem diretamente a aplicação da Histologia, para diagnosti-
car com precisão e solucionar dúvidas em situações que poderão estar presentes durante a sua
atuação profissional. Lembrando, ainda, que a atualização frequente de seus conhecimentos
sobre temas referentes à Histologia e seus desdobramentos deve ser uma constante em sua vida
para que a sua atuação profissional seja eficiente.

Claretiano - Faculdade