Você está na página 1de 11

A C E R V O D E E D W A L L A C E A M

O R I M A C E R V O D E E D W A L L A C
E A M O R I M

LIBRAS PARA CONCURSO

383 QUESTÕES

Resumão elaborado por: Edwallace Amorim

AULA 01 (AV1)

1.

A língua de sinais pode ser evidenciada principalmente através:

R: Do uso de sinais espaciais e visuais que têm as mãos, o corpo e


expressão facial como suporte.

2.

Vimos na aula 1 que a rejeição à identidade surda é não reconhecer


que outros valores, outras normas, outros hábitos diferentes dos
meus, existam no molde de vida deles, e não no meu modelo de
existência. Quanto a essa afirmativa, temos a seguinte
consequência:

R: Quando esse julgamento endurece e se generaliza, transforma-se


num estereótipo, num clichê, num preconceito, numa resistência
negativa à identidade do Outro.

3.


Os surdos formam uma comunidade autêntica de língua, cultura,
identidade próprias

. Com base nesse trecho selecionado da

Aula 01

, analise a seguinte situação: em uma escola regular onde há um


aluno surdo matriculado realiza-se constantemente palestras sobre
seus valores e entrelaçamentos culturais, linguísticos e identitários,
para a conscientização da comunidade escolar acerca desse aluno.
Pode-se afirmar que essa ação:

R: Refere-se à participação legítima de todos os tipos de gente na


escola, para que essa seja construída COM, POR e PARA todos,
sob uma perspectiva inclusiva.

4.

Nas comunidades sinalizantes é hábito apresentar-se não somente


informando o nome, mas também com um SINAL. Esse SINAL pode
ser entendido como uma espécie de "batismo" dentro dessas
comunidades. Desse modo é correto afirmar que:

R: Cada pessoa tem um SINAL próprio que faz referência a alguma


característica particular dela (somente referência física; física com a
primeira letra do nome; um evento marcante etc.).

5.

O termo sujeito surdo é restrito à pessoa surda, que em sua história


de vida percebe sua identidade construída em um contexto de uso
de língua de sinais. Se for um surdo sinalizante, esse sujeito não
precisará ter medo de usar a sua própria língua, nem se sentirá
incapaz de dominar as línguas de outros grupos, mesmo que sejam
essas de outra modalidade e que, por isso mesmo, apresentem
desafios aparentemente intransponíveis. Com base no conceito
apresentado, complete a concepção a seguir. Esse sujeito não é um
surdo deficiente, mas:

R: É um sujeito dotado de capacidade linguística.

6.
Um surdo estará mais ou menos próximo da cultura surda a
depender da identidade que assume dentro da Sociedade. A
identidade surda pode ser definida como: (Concurso público do
Município de Pacatuba, questão 35):

R: Identidade na qual ser surdo é estar no mundo visual e


desenvolver sua experiência na Língua de Sinais. Os surdos que
assumem a identidade surda são representados por discursos que
os vêem como sujeitos culturais, uma formação de identidade que só
ocorre entre os espaços culturais surdo.

7.

É possível entender, na perspectiva de Bauman (2005), identidade


como "um conceito altamente contestado". Nesse sentido,
identidade é reconhecida enquanto:

R: Luta.

8.

Surdo é aquela pessoa que, com surdez congênita ou adquirida na


infância, assume uma identidade surda, num processo de
endoculturação à linguagem e aos elementos culturais de uma
determinada comunidade surda. Para ele:

R: A língua de sinais é a sua língua natural e deve ser apreendida


como sua primeira língua.

9.

O termo “sujeito sinalizante”, usado nesta disciplina, faz ref

erência:

R: A todo sujeito que domina e é usuário assíduo da língua de


sinais.

10.
A noção de identidade pode ser relacionada aos comportamentos
sociais e, logo, ao contexto da inclusão, surdez e aprendizagem na
contemporaneidade. Sobre esse assunto, assinale a alternativa
INCORRETA:

R: O termo

cultura surda

não tem nenhuma relação com o posicionamento político-


ideológico.

11.

Os principais níveis de descrição da LIBRAS são:

R1: Sintático, semântico, pragmático e quirológico. / R2: Quirológico,


semântico, sintático, pragmático.

12.

Para identificar uma pessoa surda que não usa língua de sinais e faz
leitura labial é adequado utilizar como sinônimo o termo:

R: Surdo oralizado.

A C E R V O D E E D W A L L A C E A M
O R I M A C E R V O D E E D W A L L A C
E A M O R I M

13.

Marque a alternativa em que a datilologia apresentada corresponde


ao nome de uma cor:
R: Vermelho.

14.

Marque a alternativa em que a datilologia abaixo corresponde ao


nome de uma parte do corpo humano:

R: Fígado.

15.

Marque a alternativa em que aparece o nome correspondente ao


meio de transporte apresentado:

R: Ônibus.

16.

Marque a alternativa em que no português corresponde ao nome


soletrado em datilologia:

R: Batata.

17.

Marque a alternativa em que no português corresponde ao nome


soletrado em datilologia:

R: Banana.

18.

Em datilologia corresponde em português a:


R: Processo.

19.

A palavra abaixo, apresentada em alfabeto manual (LIBRAS), em


português é definida como:

R: Lugar onde se guardam veículos. (Garagem)

20.

A palavra abaixo, apresentada em alfabeto manual (LIBRAS),


quando transcrita para o português escrito, lê-se:

R: Caco.

21.

Marque a alternativa em que é feita na datilologia um aspecto


gramatical (nível linguístico) específico da língua de sinais:

R: Quirológico.

22.

A datilologia da palavra abaixo refere-se:

R: Alimento. (Pão)

23.
A palavra abaixo, apresentada em alfabeto manual (LIBRAS), refere-
se a:

R:

m cômodo da casa. (Antessala)

24.

A palavra abaixo, apresentada em alfabeto (LIBRAS) manual,


quando transcrita para o português escrito, lê-se:

R: Trufa.

25.

Na datilologia abaixo temos para o português a alternativa que


corresponde ao nome soletrado.

R: Alambique.

26.

A palavra abaixo, apresentada em alfabeto manual (LIBRAS), refere-


se a:

R: Um estado brasileiro. (Ceará)

27.

A palavra abaixo, apresentada em alfabeto manual (LIBRAS),


quando transcrita para o português escrito, lê-se:

R: Caça.
A C E R V O D E E D W A L L A C E A M
O R I M A C E R V O D E E D W A L L A C
E A M O R I M

28.

Assim, durante quase um século (1880 -1960) o discurso sobre a


surdez centrou-se no abafar, no inferiorizar, no descaracterizar as
diferenças [...]determinando o desenvolvimento de abordagens
clínicas e práticas pedagógicas que buscavam o apagamento da
surdez [...]" (LODI, 2005, p.416). Esse trecho refere-se a um
comportamento social:

R: Excludente, pois a

colonização

social, com o apagamento de uma língua própria, estabelece a


perda e a crise de identidade do sujeito sinalizante.

29.

Um equívoco comum acerca das pessoas surdas e que se


transformou em uma forma recorrente de identificá-las, está em
referir-se aos surdos como:

R: Surdo-mudo.

30.

A respeito dos sujeitos que dominam e usam a LIBRAS, são:


R: Sinalizantes.

31.

O alfabeto manual (datilologia) corresponde às letras do alfabeto em


português. Marque a resposta que explica a finalidade desse
alfabeto.

R: Preencher certas necessidades momentâneas de conceitos ainda


não incorporados à língua de sinais ou tradução de nomes próprios.

32.

A partir do parâmetro da configuração de mãos, criou-se um alfabeto


manual onde certas configurações de mão correspondem às letras
do alfabeto em português. Marque a resposta que explica a
finalidade desse alfabeto. (Concurso público do Município de
Pacatuba, questão 40)

R: Preencher certas necessidades momentâneas de conceitos ainda


não incorporados à língua de sinais ou tradução de nomes próprios.

33.

A datilologia é um mecanismo de empréstimo linguístico entre a


LIBRAS e a língua portuguesa, porque:

R: Cumpre a função de empréstimo linguístico, ou seja, introduz na


LIBRAS novas palavras que não tem sinais próprios. Até que se crie
, segundo a necessidade dos falantes, um sinal específico. Assim
ocorre , por exemplo, da palavra inglesa software para o português.

34.

As novas concepções acerca da surdez vêm contribuindo para o


desenvolvimento e para a inclusão social das pessoas surdas.
Diferente da visão clínica, a perspectiva socioantropológica da
surdez insere esses sujeitos em uma nova ótica, diferenciada da
visão tradicional. Segundo essa nova perspectiva, podemos encarar
a surdez da seguinte forma:

R: Como uma diferença humana que precisa ter caráter linguístico.


35.

Se uma pessoa estiver em um espaço publico, por exemplo, e vir um


grupo de surdos conversando, para que possa entender com clareza
o conteúdo da

conversa

, precisará considerar alguns aspectos linguísticos,

EXCETO:

R: A expressão facial comparada ao tipo de vestimenta do surdo e


sons emitidos.

AULA 02 (AV1)

1.

Considerando as frases “Eu irei para casa” (Português) e “Eu ir


casa” (LIBRAS) é possível perceber:

R: Independência sintática do Português em relação à LIBRAS.

2.

Os sinais na LIBRAS são equivalentes às palavras nas línguas orais


e seus usos também correspondem às mesmas funções discursivas.
Assinale a opção que enumera quatro (4) sinais referentes a atitudes
cordiais em LIBRAS:

R: Oi, obrigado, por favor e desculpa.

3.
Em Informação Linguística (IL) tem-se que

as frases em Libras, muitas vezes, omitem algumas palavras que


são usadas na língua portuguesa; em outras palavras, são
construções sintéticas, econômicas. [...] Quer um exemplo? Em
português, dizemos

qual é o seu nom

e””. Em Libras, basta sinalizar

R: Seu nome?

4.

A LIBRAS é uma língua, pois possui gramática e um sistema


abstrato de regras finitas, as quais permitem a produção de um
número ilimitado de frases, altamente complexo como as demais
línguas: Desse modo, sua denominação CORRETA:

R: Língua Brasileira de Sinais.

5.

Embora de modalidade linguística diferente das línguas orais, há


vários níveis gramaticais que podem ser encontrados nas línguas
orais e nas línguas viso-espaciais. Assinale o nível de descrição da
linguística que não é encontrado nas línguas orais:

R: Quirológico.