Você está na página 1de 107

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/ 3223-6860

SUMÁRIO DE PORTUGUÊS

 

Assunto

Pág

1

Processo de formação de palavras

2

2

Classes de palavras e suas flexões

3

3

Verbos: conjugação, emprego dos tempos, modos

17

4

Vozes verbais.

22

5

Concordâncias: nominal e verbal.

22

6

Regências: nominal e verbal.

26

7

Emprego do acento indicativo da crase.

29

8

Colocação dos pronomes.

33

9

Funções sintáticas de termos e de orações.

34

10

Semântica: sinonímia, antonímia, homonímia, paronímia, polissemia

46

11

Ortografia: emprego das letras

50

12

Acentuação gráfica

51

13

Sinais de Pontuação

52

14

Compreensão de textos

57

1

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

PORTUGUÊS

ASSUNTO 1 - PROCESSO DE FRMAÇÃO DE PALAVRAS Basicamente, podemos considerar a existência de três processos distintos para se criar uma palavra na nossa língua: a composição, a derivação e o hibridismo.

a) Composição - acontece quando usamos duas palavras que existem de forma

independente na língua para formar uma outra composta. Ex: Guarda-chuva (Guarda + Chuva)

Planalto (Plano + Alto)

Há dois tipos de composição:

1) Justaposição As duas palavras se unem para formar o elemento composto, sem que haja qualquer tipo de alteração.

Couve Flor couve-flor Ponta Pé Pontapé 2) Aglutinação
Couve
Flor
couve-flor
Ponta
Pontapé
2) Aglutinação

Quando se juntam as palavras formadoras, em alguma delas há alteração.

Obs: Segundo o Mattoso, na composição por aglutinação haveria um único vocábulo fonológico correspondendo a um único vocábulo formal (um dos elementos formadores perderia a sua tonicidade).

água

água  
 

ardente

aguardente

Fonte

Fonseca

Fonseca

Seca

b) Derivação - acontece quando criamos uma nova palavra na língua através de

acréscimo de prefixo e sufixo a um radical.

Obs: como acréscimo do sufixo ou prefixo ele torna uma palavra primitiva em uma derivada.

TIPOS DE DERIVAÇÃO

1) Prefixal ou Prefixação - cria-se uma nova palavra com o acréscimo de um prefixo. Ex: infeliz; rever. 2) Sufixal ou Sufixação - cria-se uma nova palavra com acréscimo de um sufixo. Ex: gostoso; beleza.

3) Prefixal e Sufixal - cria-se uma nova palavra com o acréscimo de um sufixo e um prefixo. Ex: infelizmente

2

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

4) Parassintética - cria-se uma nova palavra com o acréscimo simultâneo de um prefixo e um sufixo, e essa nova palavra criada só existe com esses dois elementos mórficos, ao mesmo tempo. Ex: anoitecer ; envelhecer

5) Imprópria ou Conversão - acontece quando usamos uma palavra fora da sua classe

gramatical normal.

Ex:

NÃO gosto de você = o não é advérbio

Um NÃO estragaria a conversa = o “não” faz papel de substantivo.

O homem deve AMAR a Deus = verbo

O AMAR da sentido à vida = substantivo

Lá no fundo do quintal, ouvia-se o canto da CORUJA = subst.

A Sandra é uma mãe CORUJA = adjetivo

6) Derivação regressiva - acontece quando uma palavra deriva de outra através da supressão de elementos. Geralmente acontece quando um substantivo deriva de um verbo.

Obs: Todo substantivo derivado de verbo é abstrato.

Ex: Pescar - Pesca V Subst. abstrato

Obs: Se o substantivo é abstrato, isto significa, que o verbo surgiu primeiro que o substantivo.

Obs: Se o substantivo relacionado com o verbo for concreto, é sinal que primeiro veio o substantivo e depois o verbo, não ocorrendo assim há derivação regressiva.

Obs: É possível forma-se uma palavra na língua por um processo que alguns autores denomina como ABREVIAÇÃO em que uma parte da palavra passa a representar toda a palavra.

Ex:

Na parede havia uma foto de meus pais fotografia

O Pneu do carro estava furado pneumático As siglas também são uma forma de abreviação.

Ex: A CB F

c) Hibridismo

Acontece

quando

criamos

uma

palavra

na

formadores de origens diferentes.

3

nossa

língua

utilizando

elementos

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Ex: demo cracia grego grego

psico logia

grego

grego

Ex: demo cracia grego grego psico logia grego grego Composição ? tele visão buro gracia abreu

Composição ?

tele visão

buro gracia

abreu grafia

Grego Português rances Grego

Português

Grego

auto móvel sambódromo socio logia Grego Português A fricano Grego

Latim

Grego

Obs: Não se pode ignorar a existência na língua de palavras formadas através de onomatopéia.

Ex: reco-reco; bem-te-vi.

ASSUNTO 2 - CLASSES DE PALAVRAS E SUAS FEXÕES

São dez as classes de palavras na língua portuguesa:

SUBSTANTIVO: é o nome com que designamos pessoas, animais, coisas e que funciona como núcleo do sujeito ou complemento em geral. Aquela bandeira é tricolor.

ADJETIVO: indica as qualidades ou propriedades de todos os seres, funcionando como modificador de substantivos. As árvores são bonitas.

PRONOME: é a palavra que representa o ser ou ao ser se refere, considerando-o apenas como pessoas do discurso (1 a , 2 a , 3 a ) ou relacionando-o com elas. Ela é a razão da minha vida.

VERBO: é a palavra que apresenta uma ação, um fenômeno, um estado ou mudança de estado. É o termo, na maioria dos casos, essencial do enunciado. O Santa Cruz é o time de maior tradição em Pernambuco.

ARTIGO : tem

 

a

função

de identificar

toda uma classe de palavras: os substantivos,

determinando-os, indicando-lhes o gênero. O homem tinha uma solução para tudo.

NUMERAL:

é

o

nome

que

indica

a

quantidade

(cardinais),

ou

a

seriação

(ordinais)

ou

a

proporção

dos

seres

(multiplicativos

 

e

fracionários).

Ele

foi

o

4

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

sexto no concurso.

PREPOSIÇÃO: é a palavra conectiva que, posta entre dois termos de função diversa, indica que o segundo se subordina ao primeiro. Entregamos em domicílio.

INTERJEIÇÃO: é a expressão com que traduzimos os nossos estados emotivos. Caramba!

CONJUNÇÃO: tem por missão reunir orações num mesmo enunciado e determina a coordenação entre dois termos, ou entre duas orações, ou subordinação entre duas orações. Tentei ler, mas dormi.

ADVÉRBIO: é a palavra que se acrescenta à significação de um verbo, de um adjetivo, de outro advérbio, ou de toda uma frase. O dia está muito frio. O homem não falava muito bem.

CLASSES DE PALAVRAS QUE NÃO SE FLEXIONAM

1) PREPOSIÇÃO 2) INTERJEIÇÃO 3) CONJUNÇÃO 4) ADVÉRBIO

1.

Artigo

É a palavra que se antepõe ao SUBSTANTIVO para determinar ou indeterminar(o/ um aluno), caracteriz ar-lhe as categorias de gênero (a/uma) artista ou número (os lápis); reduzir substantivos próprios a comuns (o/um judas); substantivar qualquer outra classe de palavras (o mas, um não)

Classificação Há artigo definido e indefinido Artigo definido (o, a, os, as) determinam e especificam o substantivo a que se referem. (o homem, o cavalo )

Artigo indefinido (uma, um, uns, umas) não determinam o substantivo a que se referem; trata-se de uma referência a um ser qualquer de uma espécie. (um homem, uma flor )

2. Substantivo

É a palavra usada para nomear as coisas do mundo em que vivemos. Geralmente

vem objetivada pelo artigo.

Obs:

O artigo transforma qualquer palavra em substantivo.

5

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Ex.:

Viva intensamente o hoje.

Havia um quê de mistério naquela conversa.

O bom seria que ele chegasse.

O azul do céu é fascinante.

O cantar me faz feliz.

O Substantivo pode ser:

a) Concreto/abstrato

Concreto: é tudo aquilo que para existir não depende da utilização de terceiros.

Ex.: Cadeira - ela só é cadeira se você sentar, ou se ninguém sentar ela continua sendo cadeira?

Obs.: Não confunda a fabricação com a utilização; pois quase tudo foi construído pelo homem.

Abstrato: é tudo aquilo que só existe se sofrer interferência de terceiros.

Ex.: Amor - só existe amor se alguém senti-lo; logo houve a interferência de terceiros.

b) Próprio/Comum

Comum: quando designa uma espécie. Ex.: homem, mulher, rio, monte, etc.

Próprio: quando designa um indivíduo da espécie.

Ex.: Antônio, Maria, etc.

Coletivo: refere-se como único ser uma pluralidade de indivíduos.

Ex.: bando, tropa, boiada, dúzia, etc.

c) Primitivo/Derivado

Primitivo: não é derivado de outra palavra existente.

Ex.: festa, peixe, fruta, etc.

Derivado: é originado de outra palavra da língua.

Ex.: festança (de festa), peixaria (de peixe), fruteira (de fruta), etc.

d) Simples/Composto

Simples: é formado por um único radical.

6

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Ex.: peso, sol, flor, etc.

Composto: é formado por mais de um elemento.

Ex.: girassol, fruta-pão, guardarroupa, etc.

Substantivos Compostos

Os substantivos compostos, não ligados por hífen, fazem o plural seguindo as mesmas regras usadas para os substantivos simples:

vaivém / vaivéns

altorrelevo / altorrelevos

planalto / planaltos

pedregulho / pedregulhos

Os compostos ligados por hífen apresentam regras especiais para a flexão em número:

Ambos os elementos variam quando formados por:

a) substantivo+substantivo:

couve-flor / couves-flores.

Observação - se o segundo substantivo determinar o primeiro, dando idéia de forma ou finalidade, apenas o primeiro deve ser flexionado:

-Banana-maçã / bananas-macã

b) substantivo+adjetivo:

cachorro-quente / cachorros-quentes

c) numeral ordinal+substantivo:

quarta-feira / quartas-feiras

Apenas o primeiro elemento varia quando formado por substantivo + preposição + substantivo:

pé-de-moleque / pés-de-moleque

Apenas o segundo elemento varia quando formados por:

a) prefixo+substantivo ou adjetivo:

super-homem / super-homens

b) palavra invariável+substantivo ou adjetivo:

sempre-viva / sempre-vivas

c) verbo+substantivo:

7

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

vaga-lume / vaga-lumes

d) elementos onomatopaicos ou palavras repetidas:

quer-quero / quer-queros

pisca-pisca / pisca-piscas

e) compostos com as formas adjetivas grão, grã e bel:

grão-mestre / grão-mestres

grã-cruz / grã-cruzes

bel-prazer / bel-prazeres

Nenhum elemento varia quando são formados por:

a) verbo+advérbio:

o cola-tudo / os cola-tudo

b) verbos de sentidos opostos:

o leva-e-traz / os leva-e-traz

São dois os graus do substantivo:

AUMENTATIVO - exprime aumento do ser em relação a sua dimensão normal. Pode apresentar-se como:

a) analítico - formado com o auxílio de adjetivos:

casa grande

laranja enorme

b) sintético - formado com o auxílio de sufixos:

AÇO: ricaço

ALHÃO: dramalhão

ALHO: cabeçalho

ANZIL: corpanzil

ÃO: paredão

ARRA: bocarra

ARRÃO: homenzarrão

ASCO: penhasco

ASTRO: medicastro

AZ: cartaz

ÁZIO: balázio

EIRÃO: vozeirão

ONA: mulherona

ORRA: cabeçorra

DIMINUTIVO - exprime diminuição do ser em relação a sua dimensão normal. Pode apresentar-se como:

a) analítico - formado com o auxílio de adjetivos:

casa pequena

laranja insignificante

8

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

b) sintético - formado com o auxílio de sufixos:

ACHO: penacho

CULO: montículo

EJO: vilarejo

ELA: viela

ELHO: rapazelho

ETE: diabrete

ETO: poemeto

ICHO: rabicho

ICO: veranico

ILHO: vidrilho

IM: flautim

INHO: dedinho

ISCO: chuvisco

ITO: cabrito

OLA: sacola

OTA: ilhota

OTE: saiote

UCHO: papelucho

ULO: glóbulo

ZINHO: pincelzinho

ZITO: cãozito

Substantivos que apresentam radical diferente na forma do feminino:

bode/cabra

cordeiro/ovelha

cavaleiro/amazona

cavalheiro/dama

cavalo/égua

frei/sóror

genro/nora

homem/mulher

padrasto/madrasta

padre/madre

padrinho/madrinha

pai/mãe

rei/rainha

veado/cerva

zangão/abelha

Substantivos que têm mais de uma forma para o feminino:

Alcaide: alcaidessa, alcaidina

Anfitrião: anfitriã, anfitrioa

Castelão: castelã, casteloa, castelona

Charlatão: charlatão, charlatona

Cônego: cônega, canonisa

deus: deusa, déia, diva

doge: dogesa, dogaresa

9

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

elefante: elefanta, elefoa, aliá

embaixador: embaixadora (a representante diplomática) - embaixatriz- (a esposa do

embaixador)

ermitão: ermitã, ermitoa

faisão: faisão, faisoa

javali: javalina, gironda

ladrão: ladra, ladrona

pardal: pardoca, pardaloca, pardaleja

prior: priora, prioresa

varão: varoa, virago, matrona

vilão: vilã, viloa

Substantivos que mudam de significado quando mudam de gênero:

o águia (esperto) /

a águia (ave de rapina)

o bolso (algibeira) /

a bolsa (carteira)

o cabeça (chefe) /

a cabeça (parte do corpo)

o capital (dinheiro) /

a capital (cidade principal)

o grama (unidade de peso) /

a grama (relva)

o tormento (tortura) /

a tormenta(temporal)

Substantivos usados indiferentemente como masculinos ou femininos:

ágape

aluvião

diabetes

laringe

personagem

suéter

Substantivos uniformes - os que têm uma só forma para masculino e feminino:

Comuns de Dois Gêneros - o gênero é indicado pelo artigo, adjetivo, ou pronome:

o artista/a artista

o patriota/a patriota

o aristocrata/a aristocrata

o mártir/a mártir

o logista/a logista (e todos os terminados em ista)

10

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Sobrecomuns - apresentam uma só forma para masculino e feminino, não variando nem o artigo, adjetivo ou pronome:

o cônjuge

o algoz

o monstro

a ordenança

a pessoa

a testemunha

Epicenos ou Promíscuos (designativos de certos animais): a distinção é feita com o auxílio das palavras macho e fêmea:

a águia macho/a águia fêmea

a onça macho/a onça fêmea

o jacaré macho/o jacaré fêmea

o tatu macho/o tatu fêmea

3. Numeral

É uma palavra variável que indica a quantidade exata de seres ou a posição que o ser ocupa. Os numerais podem ser classificados como cardinal, coletivo, ordinal, multiplicativo ou fracionário.

Numerais Cardinais Os numerais cardinais são aqueles que utilizam os números naturais para a contagem de objetos, ou até designam a abstração das quantidades: os números em si mesmos. Valem por adjetivos ou substantivos. Os numerais cardinais um, dois (e todos os números terminados por estas unidades), assim como as centenas contadas a partir de duzentos, são variáveis em gênero. Os numerais que indicam milhões, bilhões, etc. são invariáveis em gênero. Ex.: Dois mais dois são quatro.

Numerais Coletivos Os numerais coletivos são aqueles que indicam uma quantidade específica de um conjunto de seres ou objetos. São termos variáveis em número e invariáveis em gênero.

Ex.: dúzia(s), milheiro(s), milhar(es), dezena(s), centena(s), par(es), década(s), grosa(s).

Numerais Fracionários

Os

numerais

fracionários

são

aqueles

que

indicam

partes,

frações,

sendo

concordantes com os numerais cardinais. Ex.: Três quartos da superfície terrestre são cobertos de água.

Numerais Multiplicativos

Os

numerais

multiplicativos

são

aqueles

que

indicam

uma

quantidade

equivalente a uma multiplicação (uma duplicação, uma triplicação etc.).

11

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Ex.: Às vezes, as palavras possuem duplo sentido. Arrecadou-se o triplo dos impostos relativos ao ano passado.

Numerais Ordinais Os numerais ordinais são aqueles que indicam a ordenação ou a sucessão numérica de seres e objetos.

Ex.: Recebeu o seu primeiro presente agora mesmo.

Ex.: Raíssa esta completando seu primeiro aniversário.

4.Adjetivo

É uma palavra variável (tem feminino e plural) que só existe na frase combinada com uma palavra de valor substantivo, concordando com ela em gênero e número (concordância nominal). O adjetivo é usado para indicar o estado, uma qualidade, uma cor, etc, do substantivo.

Em Português, a colocação do adjetivo antes ou depois do substantivo tem sempre valor estilístico e às vezes também apresenta valor semântico.

Ex:

Pai querido x Querido pai =

Boa professora x Professora boa

Grande homem x Homem grande

Obs: O valor semântico proporciona um novo significado.

Às vezes, a colocação do adjetivo antes ou depois do substantivo, além de provocar mudança de sentido também pode produzir mudança de classe gramatical.

Ex: Amigo cachorro x cachorro amigo

subst. Adjetivo

subst. Adjetivo

Autor defunto x defunto autor

subst. Adjetivo

subst.

Adjetivo

A concordância entre o adjetivo e o substantivo é tão fechada que podemos muitas vezes determinar o gênero e o número de uma palavra através dela.

Ex: menino triste x menina triste lápis verde x lápis verdes

sing.

Classificação

Plural

O adjetivo classifica-se em:

1)

Simples (apenas um radical):

brasileiro

estudioso

12

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

2)

castanho-escuro

luso-brasileiro

Composto (mais de um radical):

3)

Primitivo (não deriva de substantivo ou de verbo):

pálido

4)

Derivado (deriva de substantivo ou de verbo):

campestre

5)

Explicativo - acrescenta uma característica inerente a todos os seres ou coisas da

mesma espécie:

pedra -dura

leite -branco

6)

Restritivo - atribui uma característica particular ao ser ou à coisa a que se refere:

pedra - azulada

leite - gelado

7)

Pátrio (ou Gentílico) - indica nacionalidade, origem ou procedência do ser:

francês

italiano

Tipos de Flexões Ex:

O adjetivo felexiona-se em:

Gênero

Número

Grau

GÊNERO = Podem ser dois. Adjetivos Uniformes e Biformes.

Adjetivos uniformes - os que têm uma só forma para masculino e feminino. Geralmente são os terminados em -a-, -e-, -l-, -m-, -r-, -s-, -z-:

Ex: otimista pobre amável jovem superior simples feroz

Exceções: espanhol /espanhola - Bom / boa - Andaluz / andaluza etc.

Adjetivos biformes - com uma forma para masculino e outra para feminino:

1) os terminados em -O- trocam essa terminação por -A-:

bonito/bonita

2) os terminados em -ÊS- recebem -A- e perdem o acento:

inglês / inglesa

3) os terminados em -OR- recebem -A-:

sofredor / sofredora

13

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Exceções - são invariáveis:

bicolor inferior interior maior melhor menor multicor - superior, etc.

4) os terminados em -EU- trocam essa terminação por -ÉIA-:

- europeu / européia

Exceções: réu/ré - sandeu/sandia - tabaréu/tabaroa, etc.

5) os terminados em -ÃO- trocam essa terminação:

a) por -Ã-: irmão / irmã

b) por -OA-: beirão / beiroa

c) por -ONA-: amigão / amigona

NÚMERO = Podem ser dois. Adjetivos Simples e Compostos.

Adjetivos simples - seguem as mesmas regras a que obedecem aos substantivos simples:

janela -verde-/janelas -verdes-

dia -agradável-/dias -agradáveis-

Locução Adjetiva - acontece quando se usa mais de uma palavra no lugar de um adjetivo. Toda locução adjetiva se combina com uma palavra de valor substantivo e também pode funcionar sintaticamente como adjunto adnominal ou predicativo.

Ex: O amor de Deus (divino) é eterno

Algumas Locuções Adjetivas:

Adjetivos compostos:

1.

Regra Geral - apenas o último elemento se flexiona (em gênero e número):

jornal -luso-brasileiro-/ jornais -luso-brasileiros-

revista -luso-brasileira-/ revistas -luso-brasileiras-

couro -castanho-claro-/ couros -castanho-claros-

seda -castanho-clara-/ sedas -castanho-claras-

2.

Particularidades:

a)

o adjetivo composto fica invariável quando o último elemento é um substantivo:

olhos -verde-mar-

blusas -amarelo-palha-

Observação - os substantivos, quando usados em função adjetiva, também ficam invariáveis:

14

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

camisas -laranja-

lenços -pérola-

Obs: o adjetivo composto azul-marinho é invariável:

boné -azul-marinho-/bonés -azul-marinho-

blusa -azul-marinho-/blusas -azul-marinho-

GRAU = São três os graus na qualidade expressa pelo adjetivo:

Positivo - expressa simplesmente a qualidade do ser:

Ex: Maria é -estudiosa-.

Comparativo - compara a qualidade entre dois ou mais seres. O comparativo pode indicar:

1. superioridade:

Ex: Maria é -mais estudiosa que- Joana.

2. igualdade:

Ex: Maria é -tão estudiosa quanto- Marta.

3. inferioridade:

Ex: Joana é -menos estudiosa que- Maria.

Comparativos Irregulares:

Bom - melhor-

Mau - pior-

Grande - maior-

Pequeno - menor-

Superlativo - expressa a qualidade do ser no grau mais elevado.

Divide-se em absoluto e relativo:

ABSOLUTO - apresenta o adjetivo em seu grau máximo sem fazer referência a outro ser (ou seres):

a) analítico - é formado com o auxílio de advérbio de intensidade:

Ex: Maria é -muito estudiosa-.

b) sintético - é formado com o auxílio de sufixo:

Ex: Maria é estudiosíssima.

RELATIVO - apresenta o adjetivo em seu grau máximo fazendo referência a outro ser (ou seres):

15

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

a) de superioridade;

Ex: Maria é -a mais estudiosa- de todas.

b) de inferioridade:

Ex: Maria é -a menos estudiosa- de todas.

Funções sintáticas do adjetivo:

Adjunto adnominal - quando vem preso ao substantivo

Predicativo (do sujeito ou do objeto)- quando não vem preso ao substantivo.

Ex:

Elas estavam zangadas (predicativo do sujeito).

O júri considerou o réu inocente das acusações (predicativo do objeto).

Comprei dois lápis vermelhos (adjunto adnominal).

5. Pronome

6

espécies

de

pronomes:

demonstrativos, relativos e interrogativos.

pessoais,

possessivos,

indefinidos,

Os pronomes ainda podem ser pronome adjetivo, que está sempre ao lado de um substantivo: Minha terra é boa. Ou podem ser pronome substantivo, que está sempre ao lado de uma palavra de classe gramatical diferente do substantivo: Aquele lápis é meu.

a) Pronome pessoal São palavras que substituem os nomes e representam as pessoas do discurso. Subdividem-se em RETOS, OBLÍQUOS e de TRATAMENTO.

QUADRO DOS PRONOMES

RETOS E OBLÍQUOS

RETO

O B L Í Q U O S Átonos

Tönico

eu

me

-

-

mim

comigo

tu

te

-

-

ti

contigo

ele (a)

se

o, a

lhe

si

consigo

nós

nos

-

-

-

conosco

vós

vos

-

-

-

convosco

eles(as)

se

os,

lhes

si

consigo

as

a) PRONOMES PESSOAIS DO CASO RETO

Exercem, normalmente, a função de sujeito. Ex: Ele marcou um gol. (sujeito: ele)

b) PRONOMES PESSOAIS DO CASO OBLÍQUO

Exercem, normalmente, a função de objeto.

Ex:

16

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Rui elaborou a prova.

Rui a elaborou. (objeto direto: “a”)

Rafael obedeceu ao regulamento.

Rafael lhe obedeceu. (objeto indireto: lhe)

USO DO EU, MIM OU ME

EU - sujeito (antes do infinitivo)

final de frase (com palavra de exclusão ou inclusão)

MIM - complemento (final de frase)

depois de ENTRE

antes de infinitivo (ordem indireta)

ME - entre 2 verbos.

Exemplos:

Isto é para eu fazer.

Foram todos, menos eu.

Isto é para mim.

USO DO COM NÓS OU CONOSCO

Usamos “com nós” e “com vós”(e não “conosco” e “convosco”) quando houver palavra determinativa como TODOS, MESMOS, PRÓPRIOS, OUTROS, AMBOS ou QUALQUER NUMERAL.

Exemplos:

Quero ser franco com vós todos.

Ela deseja falar com nós próprios.

Desejo ir com vós mesmos.

A moça irá com nós dois.

USO DO SI OU CONSIGO

Os pronomes SI e CONSIGO são essencialmente reflexivos.

Exemplos: Cada um que cuide de SI. O vento traz CONSIGO a tempestade.

Portanto, está errado dizer: “Posso falar consigo?”

Diga: Posso falar “com você?”, “com o senhor?”, “contigo?”

FORMAS DE TRATAMENTO

17

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

VOSSA EXCELÊNCIA (V. Exª) - para autoridades superiores, como o Presidente

da República, Ministros, Senadores, Deputados, Secretários de Estados, Prefeitos, Governadores, Embaixadores, Oficiais-Generais das Forças Armadas.

VOSSA SENHORIA (V. Sª) - para chefes de departamentos, superintendentes,

inspetores, oficiais inferiores a general e para qualquer pessoa.

VOSSA SANTIDADE (V. S.) - exclusivo ao Papa.

VOSSA EMINÊNCIA (V. Emª) - exclusivo aos Cardeais.

VOSSA EXCELÊNCIA REVERENDÍSSIMA (V. Exª Rev. ma ) - usado para Bispos

e Arcebispos.

VOSSA MAGNIFICÊNCIA (V. Magª) - Reitores de universidades.

VOSSA ALTEZA (V. A.) - príncipes, Duques e Arquiduques.

VOSSA MAJESTADE (V. M.) - Reis.

VOSSA MAJESTADE IMPERIAL (V. M. I.) - Imperadores.

VOSSA ONIPOTÊNCIA - para Deus (só por extenso).

MERITÍSSIMO (adj. - MM.) - Juiz, Egrégio, Colendo, Venerando, Tribunal de

Justiça.

VOCÊ - pessoas de mesmo nível, de modo geral.

FORMAS DE TRATAMENTO a) Quando nos dirigimos a uma pessoa (comerciante, industrial, bancário, etc.) empregamos as formas: V. Sª e V. S as .

b) Quando falamos dessas pessoas (acima) empregamos: S. Sª e S. S as .

c) O mesmo ocorre em relação ao tratamento de V. Exª.

Exemplos:

- S. Sª não quis o acordo. (estou falando dele) - S. Exª, o Sr. Ministro, já recebeu a proposta. (estou falando dele).

b. PRONOME RELATIVO

Na língua portuguesa há duas palavras que sempre são pronomes relativos: O QUAL, CUJO. Todo pronome relativo introduz uma Oração Subordinada adjetiva. Critérios para identificação do pronome relativo para palavras que podem ou não funcionar como tal:

1)

Todo pronome relativo tem como antecedente uma palavra de valor substantivo.

2)

Todo pronome relativo serve para substituir na oração que se encontra (subordinada

adjetiva) o seu antecedente que vem expresso na oração principal.

18

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Ex:

a) O Homem que te emprestou o livro foi embora

b) Eles me disseram que iriam à praia.

Obs: É possível um pronome relativo ter como antecedente um pronome demonstrativo “O”.

Ex:

Os que me ouvem aprendem.

Conheço a que te ofendeu

a

= pron. Demonstrativo

que = pronome relativo

a = preposição

que = ao qual ; filme

O filme a que assistimos foi bom

A palavra cujo é sempre pronome relativo, mas tem o uso muito particular, pois

nunca se refere a seus antecedentes, mais sim ao seu conseqüente, concordando com ele em gênero e número.

Obs:

1. É errado usar artigo entre o pronome CUJO e o substantivo com que ele concorda.

Ex: O pai cujos os filhos conheces é médico

2. A palavra onde pode ser pronome relativo ou adv. de lugar.

a. A casa onde morava foi vendida

- Onde = (a qual) = Pronome relativo

b. “Mora onde não mora ninguém”

- onde = Advérbio de lugar

3. A palavra QUEM é pronome relativo ou pronome indefinido.

Ex

a. A Moça a quem emprestei um livro faltou

- quem = (a qual) = Pronome relativo

b. Eu não sei quem roubou meu carro.

- quem = pronome interrogativo

4. A palavra QUANTO só é pronome relativo se apresentar como antecedente um

pronome indefinido do tipo: tudo, toda, todos, todas e com eles concorda em gênero e

número.

Ex:

a) Todos quanto chegarem cedo serão contratados.

- quanto = pronome relativo.

19

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

b) Todos quantos te ouvem se apaixonam. - quantos = pronome relativo.

Obs:

O Pronome relativo (o qual) sempre fará referência a um substantivo anterior, ou

seja antes dele só poderá vir um substantivo.

O Pronome relativo (cujo) sempre fará referência a um substantivo posterior, e

nunca deverá ter artigo entre o pronome (cujo) e o substantivo e sempre tem valor adjetivo.

c. PRONOMES DEMONSTRATIVOS

1. Emprego no plano espacial

ESTE: próximo da 1ª pessoa. Ex: Este meu dedo aqui. ESSE: próximo da 2ª pessoa. Ex: Esse teu livro aí. AQUELE: distante. Ex: Aquela árvore lá.

2. Emprego no plano temporal

ESTE: presente. Ex: Este ano, eu passo. ESSE: passado ou futuro próximos. Ex: Aconteceu por esses dias. O aumento sairá por esses meses. AQUELE: passado ou futuro distantes. Ex: Naquela época, era tudo melhor.

3. Emprego no plano contextual

ESTE: vai ser citado. Ex: Estas eu já estudei: Física e Geografia. ESSE: foi citado imediatamente antes. Ex: Física e Geografia, essas eu já estudei. AQUELE: foi citado antes, não imediatamente. Ex: Física e Geografia, essa eu já sei, aquela ainda tenho dúvidas.

d. PRONOME POSSESSIVO

Refere-se às pessoas do discurso, atribuindo-lhes a posse de alguma coisa. Eis as formas dos pronomes possessivos:

1ª pessoa do singular: meu, minha, meus, minhas.

2ª pessoa do singular: teu, tua, teus, tuas.

3ª pessoa do singular: seu, suas, seus, suas.

1ª pessoa do plural: nosso, nossa, nossos, nossas.

2ª pessoa do plural: vosso, vossa, vossos, vossas.

3ª pessoa do plural: seu, sua, seus, suas.

20

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

e. PRONOMES INDEFINIDOS

Referem-se, de maneira vaga e genérica, a um ou vários elementos pertencentes à terceira pessoa gramatical. Os pronomes indefinidos são: ninguém, alguém, tudo, nada, algo, cada, quaisquer, qualquer, vários, certos, inúmeros, diversos, poucos, muitos, nenhum, todos. Exemplos:

Cada um disse o que quis.

Muitos concorreram, poucos foram aceitos.

Aconteceu algo estranho por aqui.

Nenhum indivíduo se ofereceu.

f.

PRONOMES INTERROGATIVOS

Aparecem em frases interrogativas.

Exemplos:

Que há? Que dia é hoje? Quem foi? Quantos vêm? Qual será?

6. Advérbio É uma palavra de natureza invariável que se combina geralmente com um verbo, indicando-lhe uma circunstância de tempo, de modo, de lugar, etc. O advérbio também pode combinar com outro advérbio ou ainda com um adjetivo, mas nunca com o substantivo.

O advérbio só pode exercer uma função sintática:

- Adjunto adverbial.

Ex: Ele acordou cedo. verbo adj.adv

O único advérbio que pode combinar com outro advérbio ou um adjetivo é o advérbio de intensidade.

TIPOS DE ADVÉRBIO

a) de AFIRMAÇÃO

sim, certamente, deveras, incontestavelmente, efetivamente, realmente

b) de DÚVIDA

talvez, acaso, porventura, provavelmente

c) de INTENSIDADE

pouco, muito, assaz, bastante, mais, menos, tão, meio, todo, completamente, profundamente, demasiadamente, excessivamente, demais, nada (isto não é nada difícil), ligeiramente, levemente, bem, mal, quase, apenas (desenho apenas rabiscado),

como (como andam!), que (que bom!), quão, quanto (quanto insisti!)

21

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

d) de LUGAR

abaixo, acima, acolá, cá, lá, aqui, aí, aquém, além, atrás, fora, afora, dentro, perto, longe, adiante, diante, onde, avante, através, defronte, aonde, donde, detrás

e) de MODO

bem, mal, assim, depressa, devagar, como, alerta, melhor (= mais bem), pior (= mais mal), aliás (= de outro modo), calmamente, livremente, propositadamente, geralmente

quase todos os advérbios terminados em mente

f) de NEGAÇÃO não, tampouco (= também não)

g) de TEMPO

agora, hoje, amanhã, depois, ontem, anteontem, já, sempre, amiúde, nunca, jamais, ainda, logo, antes, cedo, tarde, ora, afinal, outrora, então, breve, aqui (= neste

momento), nisto, aí (= então, nesse momento), entrementes, brevemente, imediatamente, raramente, finalmente, diariamente, concomitantemente, simultaneamente

h) ADVÉRBIOS INTERROGATIVOS São as palavras ONDE, AONDE, DONDE, QUANDO, COMO POR QUE nas interrogações diretas ou indiretas às circunstâncias de lugar, tempo, modo causa.

INTERROGAÇÃO

INTERROGAÇÃO

DIRETA

INDIRETA

Como aprendeu? Onde mora? Por que choras? Aonde vai? Donde vens? Quando volta?

Perguntei como aprendeu. Indaguei onde mora. Não sei por que choras. Perguntei aonde ia. Pergunto donde vens. Indago quando volta.

ADVÉRBIOS TERMINADOS EM MENTE

Normalmente derivam-se dos adjetivos: à forma feminina (quando houver) dos adjetivos acrescenta-se o sufixo MENTE: friamente, esplendidamente, ferozmente, etc.

Exceção: alguns advérbios derivados dos adjetivos masculinos terminados em ÊS:

portuguesmente, francamente, etc.

Ex:

Ele acordou muito cedo

A moça estava muito feliz

- Locução adverbial - é mais de uma palavra no lugar de um Advérbio. A locução adverbial vem combinada com o verbo e tem a função sintática de adjunto adverbial.

Ex:

22

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Ele falou com calma e saiu da sala. = calmamente

com calma = adjunto adverbial de modo

da sala = adjunto adverbial de lugar

João foi à praia no domingo com amigos.

à praia = adjunto adverbial de lugar

no domingo = adjunto adverbial de tempo

com amigos = adjunto adverbial de companhia

O

pobre homem morreu de fome

de fome = Locução adverbial de Causa

O

homem de hoje gosta da vida do campo

de hoje = Locução Adjetiva

do campo = locução adjetiva

Observações:

Existem palavras que dependendo da frase podem ter valor de advérbio ou adjetivo.

Ex:

Muitos homens são infelizes. Muitos = Pronome adjetivo

O pronome é adjetivo quando combina com o substantivo.

Ex:

Nós ficamos muito alegres Muito = adv.int Alegres = adjetivo

Bastantes mulheres reclamam dos maridos Bastante = pronome adjetivo

predicativo

Elas vivem bastante sozinhas Bastante = adv. int sozinhas = adjetivo

Bebi meia garrafa de vinho. meia = numeral garrafa = substantivo de vinho = loc. adj

23

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

As garotas estão meio confusas. meio = adv. int confusas = adjetivo

Conhecemos muitas cidades nos E.U.A

Tudo que se combina com o substantivo é um adjetivo ou tem valor de adjetivo.

Função sintática é um nome combinado com outro

Classe gramatical é a classe que pertence à palavra

Obs:

TODO - é a única palavra que pode ter valor de advérbio e ser variável. (feminino plural).

a) Toda Donzela tem um pai que é uma fera.

Toda = Pron. Adj. Ind Donzela = Subst

adj.adn adj.adv.int

b) Elas estão todas molhadas.

Ela = Subst. Todas = Adv.int Molhadas = adj

8. Preposição

É uma palavra inflexível que liga um termo a outro termo principal, mostrando haver relação entre ambos.

a) Preposições essenciais

São elas: a, ante, até, após, com contra, de, desde, em, entre, para, por, perante, sem,

sob, sobre, trás.

b) Preposições acidentais

São elas: conforme (= de acordo com), segundo, consoante, durante, mediante, visto (devido a, por causa de),

etc.

c) locuções prepositivas

São expressões (mais de uma palavra) que exercem função das preposições normalmente são formadas de advérbio (ou locução adverbial) preposições. Algumas locuções prepositivas: abaixo de, acima de, a fim de, além de, apesar de, antes de, embaixo de, em virtude de, a favor de, até a (foi até à porta).

d) Circunstâncias expressas pelas preposições: assunto (sobre), causa (morreu de fome),

companhia (com), especialidade (graduou-se em Física), falta (sem), meio (viajarei de avião), posse (de), tempo (durante), etc.

7. Interjeições

24

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Palavra ou grupo de palavras com que se exprimem emoções súbitas, sentimentos, idéias não logicamente estruturadas. Por não se acharem construídas logicamente, essas estruturas e idéias não integram as estruturações sintáticas convencionais (coordenação ou subordinação). É a parte menos racional da linguagem. Quando apenas gritos involuntários provocados pela dor, a raiva, o susto, o pasmo, etc Mas desde que se utilizem mais ou menos conscientemente para agir sobre o ouvinte, elas têm um papel parecido com o das preposições lógicas.

Podemos distinguir três tipos de interjeição:

1) Certos fonemas vocálicos e monossílabos: ah!, oh!, ai!, xi!, etc; ou aparentes

vocábulos, intelectivamente não analisável: eia!, olá!, irra!, opa!, puxa!, etc.

2) Palavras nocionais, cujas noções originárias não se interpretam: adeus!, adiante!,

avante!, fora!, viva!, morra!, tomara!, etc.

Locuções interjetivas: ora essa!, homem essa!, ora bolas!, Deus me livre!, não diga!, ora viva!, macacos me mordam!, etc.

8. Conjunção

É uma palavra invariável que liga orações ou palavras da mesma oração e é dividida em Coordenativa e Subordinativa.

Ex:

O mal e o bem à face vêm.

Saímos de casa quando amanhecia.

a)

Conjunções coordenativas Ligam as orações sem que uma dependa da outra

As Orações podem ser:

- ADITIVAS = Estabelecem relação de soma: (e, nem, mas também, bem como). Ex:

Tinha saúde e paz.

- ADVERSATIVAS = Estabelecem relação de oposição, de adversidade: (mas, porém,

contudo, todavia, entretanto, ao passo que, no entanto, em todo caso). Ex: Querem ser

aprovados, mas não estudam.

- ALTERNATIVAS = Estabelecem uma relação de alternância: (ou já). Ex: Ora triste, ora alegre, a vida segue o seu ritmo.

ou, ora

ora, já

- CONCLUSIVAS = Estabelecem uma relação de conclusão: (logo, portanto, por conseguinte, pois (posposto ao verbo), por isso). Ex: Você é adulto, portanto é responsável.

- EXPLICATIVAS = Que, porque, pois (anteposto ao verbo), porquanto. Ex: Não solte balão, porque pode causar incêndio.

25

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

b) Conjunções subordinativas

Ligam duas orações, subordinando uma á outra. Elas se classificam em:

- CAUSAIS = Relação de causa: (porque, que, pois, viste que, uma vez que, já que, desde que): Ex: O tambor soa porque é oco.

- COMPARATIVAS = Exprimem idéias de comparação, de confronto: (de que, como, (tal) qual, assim como). Ex: Era mais alta que baixa.

- CONCESSIVAS = Exprimem um fato contrário à ação principal, mas incapaz de

impedi-la: (embora, conquanto que, ainda que, mesmo que, posto que, por mais que).

Ex: Hei de vencer, mesmo sendo professor.

- CONDICIONAIS = Indicam uma hipótese ou uma condição: (se, caso, desde que, sem que (= se não)). Ex: Ficarei triste, se você não vier.

- CONFORMATIVAS = Exprimem idéias de conformidade de um pensamento:

(segundo, conforme, consoante). Ex: Digo essas coisas segundo as ouvi sendo narradas.

- CONSECUTIVAS = Precedidas de termos intensivos: (tal, tão, tanto, tamanho, de

sorte que, de modo que, sem que, que (não)). Ex: Meus pés tremiam tanto que mal pude

jogar. Ontem estive doente, de sorte que não saí.

- FINAIS = Exprimem circunstâncias de finalidade: (para que, a fim de que, que (= para que)). Ex: Aqui vai o livro, para que o estudes.

- PROPORCIONAIS = Exprimem relação de proporcionalidade: ( à medida que, ao

passo que, quanto mais mais se aprende.

(tanto mais), à proporção que). Ex: À medida que se vive,

- TEMPORAIS = Quando, enquanto, logo que, mal (= logo que), sempre que, assim

que, desde que, antes que, depois que: Ex: Venha aqui quando você quiser. Implicou comigo assim que me viu.

- INTEGRANTES = Introduzem orações subordinadas substantivas: (que, se). Ex:

Afirmo que sou estudante. Sabemos que você é uma boa pessoa.

c) Locuções conjuntivas

Expressões com função de conjunção: visto que, à medida que, no entanto, se bem que, por mais que, logo que, a fim de que, etc.

As palavras que e se

A palavra que pode ser classificada morfologicamente como:

- Advérbio: equivale a “quão” ou “quanto”.

26

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Ex.: Que longe ficava o posto na estrada.

- Substantivo: vem precedida de um artigo, pronome adjetivo ou numeral. Aparece sempre acentuada. Ex.: Notei um quê estranho em sua voz.

- Preposição: equivale à preposição “de”. Normalmente liga os verbos das locuções verbais formadas pelos verbos auxiliares ter ou haver. Ex.: Na votação, tem que haver unidade parlamentar.

- Interjeição: expressa sentimento ou emoção. É sempre seguida de um ponto de exclamação e acentuada. Ex.: Quê! Mais uma vez perdi a minha chance?

- Conjunção: liga orações e é classificada de acordo com a oração por ela introduzida. Ex.: Levou o agasalho, que podia esfriar de madrugada. (oração subordinada causal)

- Pronome adjetivo: acompanha um substantivo, modificando-o. Ex.: Que situação constrangedora você passou há pouco.

- Pronome interrogativo: emprega-se em orações interrogativas (diretas ou indiretas), como pronome substantivo, equivalendo a “que coisa”, ou como pronome adjetivo, equivalendo a “quanto(s)”, “quanta(s)”, “qual(is)”. Ex.: “O que andou fazendo?” (pronome interrogativo substantivo) “Sabe que horas são?” (pronome interrogativo adjetivo)

- Pronome relativo: liga a oração subordinada à principal, referindo-se a um termo

antecedente (substantivo ou pronome), o qual substitui. O mpronome relativo pode ser

substituído por “o(s) qual(is)”, “a(s) qual(is)”. Ex.: “Amor é fogo que arde sem se ver.” (Camões)

- Partícula expletiva ou de realce: emprega-se como ênfase ou realce, podendo ser dispensada, sem alterar o sentido da frase. Ex.: Em que parte do armário (que) estão as meias?

A palavra se classifica-se, morfologicamente, em:

- Substantivo: vem antecedida por um artigo (ou outra palavra que a determine). Ex.: Este se compromete o texto final.

- Conjunção subordinativa: introduz orações subordinadas, como uma conjunção

integrante ou condicional. Ex.: Pergunte ao seu irmão se ele quer vender o cachorro dele. (integrante) Se estudares bastante, passarás no vestibular. (condicional)

- Partícula integrante do verbo une-se a verbos essencialmente pronominais, que

exprimem sentimento ou mudança de estado (queixar-se, lamentar-se, arrepender-se, tornar-se, etc). Ex.: Na verdade, Cláudia lamentava-se mesmo sem motivo.

27

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

- Partícula expletiva ou de realce: liga-se a verbos intransitivos, em geral para realçar o sujeito, sem ter nenhuma função sintática. Pode ser omitida sem que haja alteração no sentido da frase. Ex.: Vai-(se) o vício da mocidade.

- Partícula apassivadora ou pronome apassivador: forma a voz passiva sintética ou

pronominal, que é composta por verbo transitivo direto ou transitivo direto e indireto, na 3ª pessoa. Ex.: Construíram-se mais escolas no nosso país.

- Pronome reflexivo: forma a voz reflexiva ou reflexiva-recíproca, em que o sujeito pratica e sofre a ação verbal ao mesmo tempo. Ex.: Jorge deitava-se, após os afazeres domésticos. Os carros chocaram-se.

Funções sintáticas da palavra se:

- Sujeito do infinitivo: funciona como sujeito de um verbo no infinitivo, em orações subordinadas reduzidas. Ex.: Ele sentiu-se fortalecer ao lado dela.

- Objeto direto: acompanha um verbo transitivo direto. Ex.: Rápido se cobriu com a manta e saiu pela noite.

- Objeto indireto: ocorre com verbo transitivo direto e indireto. Ex.: Luís impôs-se uma decisão muito difícil.

- Índice de indeterminação do sujeito: acompanha verbo intransitivo ou transitivo indireto, que fica sempre na terceira pessoa do singular. Ex.: Vive-se muito bem em Rio Branco.

ASSUNTO 3 - VERBO

É uma palavra que exprime ação, estado, fato ou fenômeno. Dentre as classes de palavras, o verbo é a mais rica em flexões, pois apresenta diferentes formas para indicar a pessoa do discurso, o número, o tempo, o modo e a voz.

CONJUGAÇÃO DOS VERBOS

Temos três conjugações caracterizadas pelas vogais temáticas A, E, I:

1ª CONJUGAÇÃO: Os que terminam em AR (amar) 2ª CONJUGAÇÃO: Os que terminam em ER (fazer) e em OR (dispor) 3ª CONJUGAÇÃO: Os que terminam em IR (rir)

Obs: O verbo PÔR, antigo POER, perdeu a vogal temática do infinitivo.

VOGAL TEMÁTICA

28

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

É uma vogal que caracteriza a conjugação verbal. São elas: A (1ª conjugação:

amAr); E (2ª conjugação: fazEr); I (3ª conjugação: rIr).

TEMA

É o radical acrescido de vogal temática. Exemplos: cantar (radical CANT; vogal

temática A; tema CANTA); fazer (radical FAZ; vogal temática E; tema FAZER); sorrir (radical SORR; vogal temática I; tema SORRI).

DESINÊNCIAS

a) DESINÊNCIA MODO-TEMPORAL

É a que indica o modo e o tempo do verbo: na forma andáSSEmos, por exemplo,

o elemento destacado denota o pretérito imperfeito do subjuntivo. Pode ser:

1)

Presente do indicativo = 0 (zero)

Obs: é um tempo primitivo, não apresentando, por isso, desinência modo temporal expressa.

2)

Pretérito perfeito do indicativo = 0 (zero)

Obs; também é um tempo primitivo.

3)

Pretérito imperfeito do indicativo = VA (1ª conjugação) A (2ª e 3ª conjugações)

4)

Futuro do presente do indicativo = RA (tônico)

5)

Pretérito mais que perfeito do indicativo = RA (átono)

6)

Futuro do pretérito do indicativo = RIA

7)

Presente do subjuntivo = E (1ª conjugação) A (2ª conjugação)

Pretérito imperfeito do subjuntivo = SSE

8)

Futuro do subjuntivo = R

DESINÊNCIA NÚMERO-PESSOAL A flexão MOS de partiMOS, por exemplo, configura a primeira pessoa do

plural.

NÚMERO E PESSOA DOS VERBOS

SINGULAR

PLURAL

1ª pessoa: eu 2ª pessoa: tu 3ª pessoa: ele

nós

vós

eles

29

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

MODOS DOS VERBOS

a) INDICATIVO = Exprime um fato certo, positivo: Vou hoje. Saíram cedo.

b) IMPERATIVO = Exprime ordem, proibição, conselho, pedido: Volte já. Não

fiquem parados. Sejam mais prudentes.

c) SUBJUNTIVO = Enuncia um fato possível, duvidoso, hipotético: É possível que

chova. Se você trabalhasse, não passaria fome. Quando chover, compraremos agasalhos.

FORMAS NOMINAIS DOS VERBOS Enuncia simplesmente um fato, de maneira vaga, imprecisa, impessoal. São formas nominais dos verbos:

a) INFINITIVO: plantar, vender, ferir. (terminação: R)

b) GERÚNDIO: plantando, matando, ferindo. (terminação: NDO)

c) PARTICÍPIO: plantado, vendido, ferido. (terminação ADO ou IDO se for

particípio regular)

INFINITIVO

a) PESSOAL: quando tem sujeito: Para sermos vencedores é preciso lutar.

b) IMPESSOAL: quando não tem sujeito: Ser ou não ser, eis a questão.

TEMPOS DOS VERBOS

a) PRESENTE = Fato ocorrido no momento em que se fala: eu corro.

b) PRETÉRITO (PASSADO) = Fato corrido antes do momento em que se fala: eu

corri.

c) FUTURO = Fato a ocorrer após o momento em que se fala: eu correrei, ou em

relação ao futuro do próprio passado: eu correria.

Exemplos de tempos e modos verbais

Presente do indicativo

Hoje eu falo

Eu vendo

Eu parto.

Presente do subjuntivo

Que eu fale

Eu venda

Eu parta.

Pretérito perfeito do indicativo

Ontem eu falei

Eu vendi

Eu parti.

Pretérito imperfeito do indicativo

Ontem eu falava

Eu vendia

Eu partia.

Pretérito imperfeito do subjuntivo

Se eu falasse

Eu vendesse

Eu partisse.

30

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Pretérito mais-que-perfeito do indicativo

Eu já falara

Eu vendera

Eu partira.

Futuro do presente do indicativo

Amanhã eu falarei

Eu venderei

Eu partirei.

Futuro do pretérito do indicativo

Eu falaria

Venderia

Partiria.

Futuro do subjuntivo

Quando eu falar

Vender

Partir.

MODELOS DE CONJUGAÇÕES VERBAIS

Verbos: CANTAR, VENDER, PARTIR.

a) presente do indicativo

 

canto

vendo

parto

cantas

vendes

partes

canta

vende

parte

cantamos

vendemos

partimos

cantais

vendeis

partis

cantam

vendem

partem

b)

pretérito perfeito do indicativo

 

cantei

vendi

parti

cantaste

vendeste

partiste

cantou

vendeu

partiu

cantamos

vendemos

partimos

cantastes

vendestes

partistes

cantaram

venderam

partiram

c) pretérito imperfeito do indicativo

cantava

vendia

partia

cantavas

vendias

partias

cantava

vendia

partia

cantávamos

vendíamos

partíamos

cantáveis

vendíeis

partíeis

cantavam

vendiam

partiam

d) pretérito mais-que-perfeito do indicativo

cantara

vendera

partira

cantaras

venderas

partiras

cantara

vendera

partira

cantáramos

vendêramos

partíramos

cantáreis

vendêreis

partíreis

cantaram

venderam

partiram

31

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

DA PMAC 2015 – TEL: 3223 5699/840-14048/ 3223-6860 e) futuro do presente do indicativo cantarei venderei
DA PMAC 2015 – TEL: 3223 5699/840-14048/ 3223-6860 e) futuro do presente do indicativo cantarei venderei
DA PMAC 2015 – TEL: 3223 5699/840-14048/ 3223-6860 e) futuro do presente do indicativo cantarei venderei

e) futuro do presente do indicativo

cantarei

venderei

partirei

cantarás

venderás

partirás

cantará

venderá

partirá

cantaremos

venderemos

partiremos

cantareis

vendereis

partireis

cantarão

venderão

partirão

f) futuro do pretérito do indicativo

 

cantaria

venderia

partiria

cantarias

venderias

partiria

cantaria

venderia

partiria

cantaríamos

venderíamos

partiríamos

cantaríeis

venderíeis

partiríeis

cantariam

venderiam

partiriam

g) presente do subjuntivo (que)

 
 

cante

venda

parta

cantes

vendas

partas

cante

venda

parta

cantemos

vendamos

partamos

canteis

vendais

partais

cantem

vendam

partam

h) pretérito imperfeito do subjuntivo (se)

cantasse

vendesse

partisse

cantasses

vendesses

partisses

cantasse

vendesse

partisse

cantássemos

vendêssemos

partíssemos

cantásseis

vendêsseis

partísseis

cantassem

vendessem

partissem

i) futuro do subjuntivo (quando)

 

cantar

vender

partir

cantares

venderes

partires

cantar

vender

partir

cantarmos

vendermos

partirmos

cantardes

venderdes

partirdes

cantarem

venderem

partirem

j) infinitivo impessoal

 

cantar

vender

partir

l)

infinitivo pessoal

 
 

cantar

vender

partir

cantares

venderes

partires

cantar

vender

partir

cantarmos

vendermos

partirmos

32

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

cantardes

venderdes

partirdes

cantarem

venderem

partirem

m) gerúndio

cantando

n) particípio

cantado

vendendo

vendido

partindo

partido

VERBOS VER E VIR

Eis o presente do indicativo e o pretérito perfeito do indicativo dos verbos VIR e

VER.

VIR Pret. Perfeito do indicativo vim vieste veio viemos viestes vieram

Presente

do indicativo

venho

vens

vem

vimos

vindes

vêm

Observação: Assim se conjugam: convir, intervir, provir, advir, sobrevir.

 

V E R

Presente

Pretérito perfeito do indicativo

do indicativo

vejo

vi

vês

viste

viu

vemos

vimos

vedes

vistes

vêem

viram

Observação: Assim se conjugam: prever, rever.

MODO IMPERATIVO

Emprega-se o modo imperativo para exprimir:

a) ORDEM: VÁ até o mercado e COMPRE laranjas.

b) PEDIDO: FIQUE à direita, para não atrapalhar a passagem.

c) CONSELHO: ESTUDAI, ESTUDAI, meus alunos.

d) CONVITE: VENHA à minha casa hoje à noite.

e) SÚPLICA: Meu Deus, TENDE piedade de mim!

f) PROIBIÇÃO: Jamais VIAJE com muito dinheiro no bolso.

33

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Há duas formas de imperativo: o afirmativo e o negativo. As terceiras pessoas são substituídas por você e vocês.

IMPERATIVO NEGATIVO = É formado de modo idêntico ao presente do subjuntivo (em todas as pessoas, menos a primeira do singular, que não existe no imperativo).

IMPERATIVO NEGATIVO = PRESENTE DO SUBJUNTIVO

Imper. Negativo

Pres. Subjun

 

eu parta

não partas tu não parta você não partamos nós não partais vós não partam vocês

tu partas

ele parta

nós partamos

vós partais

elas partam

Observação: Na frase, poderá parecer qualquer palavra de valor negativo: NÃO, NUNCA, JAMAIS, NADA, NEM.

IMPERATIVO AFIRMATIVO = É também formado do presente do subjuntivo, com exceção das segundas pessoas (TU e VÓS) que são provenientes do presente do indicativo (menos a letra “s” final).

PRESENTE

IMPERATIVO

PRESENTE

DO

AFIRMATIVO

DO

INDICATI

SUBJUNTI

VO

VO

Eu amo

 

eu ame

tu amas

AMA tu

tu ames

ele ama

AME

você

ele ame

nós amamos

nós amemos

vós amais

AMEMOS

nós

vós ameis

eles amam

eles amem

AMAI vós

AMEM

vocês

Exceção: verbo ser tu e não é tu e sede vós e não soi vós.

TEMPOS COMPOSTOS

Os tempos compostos da voz ativa são formados pelos verbos auxiliares TER ou HAVER, seguidos do particípio passado do verbo principal:

Ex: Tenho andado muito por aí. Havíamos saído cedo.

34

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Os tempos compostos da voz passiva se formam com os verbos auxiliares TER ou HAVER e SER, simultaneamente, seguidos do particípio passado do verbo principal:

Ex: Tenho sido maltratado por ele. Os dois tinham (ou haviam) sidos vistos na rua.

VERBOS REGULARES São os que seguem um modelo comum de conjugação, mantendo o radical invariável: beber, partir, falar.

VERBOS IRREGULARES São os que sofrem alteração (ões) no radical e/ou nas terminações, afastando-se do modelo: dar, sentir, dizer.

VERBOS ANÔMALOS São os verbos SER e IR, pois em alguns tempos eles possuem as mesmas conjugações. Ex: Ele foi aluno (verbo ser); Ele foi embora (verbo ir).

VERBOS DEFECTIVOS Conforme o próprio nome sugere, são os que apresentam defeitos na conjugação, pois não possuem a conjugação completa, não sendo usados em certos modos, tempos ou pessoas. Os verbos indicadores de fenômenos da natureza, vozes de animais são defectivos. Ex: abolir, precaver, latir, chover, colorir, explodir, reaver, banir, demolir, extorquir, exaurir, acontecer, ocorrer, suceder, doer, urgir, fluir, constar.

VERBOS ABUNDANTES

São aqueles que possuem dois particípios: um regular (ADO - 1ª e IDO 2ª e 3ª conjugação) e outro irregular.

Exemplos:

ACEITAR: aceitado, aceito. EXPRESSAR: expressado, expresso. SALVAR: salvado, salvo. ISENTAR: isentado, isento. ACENDER: acendido, aceso. ELEGER: elegido, eleito. SUSPENDER: suspendido, suspenso. ROMPER: rompido, roto. EMERGIR: emergido, emerso. EXTINGUIR: extinguido, extinto. OMITIR: omitido, omisso. SUBMERGIR: submergido, submerso. ENTREGAR: entregado, entregue. INSERIR: inserido, inserto. ENCHER: enchido, cheio. EXPELIR: expelido, expulso. FIXAR: fixado, fixo. MURCHAR: murchado, murcho.

35

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

OCULTAR: ocultado, oculto. SECAR: secado, seco. SUJEITAR: sujeitado, sujeito.

OBSERVAÇÕES IMPORTANTES SOBRE VERBOS

a) 1ª CONJUGAÇÃO

ROUBAR - Escreve-se e pronuncia-se com o ditongo OU: roubo, roubas, rouba,

etc., e não róbo, róbas. Assim também, ESTOURAR e AFROUXAR.

SAUDAR - Tem o U acentuado: saúdo, saúdas, etc.

OBSTAR, OPTAR, DESIGNAR cujo radical termina por duas ou mais consoantes,

evite-se intercalar um I entre essas consoantes: opto, opta, opta e não ópito, ópitas,

ópita.

Terminados em EIJAR, EJAR, EIRAR, EIXAR, ELHAR, a vogal E dessas

terminações é fechada (ê e não é): aleijo, despejo, inteiro, espelho, etc.

b) 2ª CONJUGAÇÃO

Terminados em CER, como descer, vencer, terão ç antes do O e A: desço, vença.

Terminados em GUER, perdem o U antes de O e A: erguer, ergo, erga, ergamos.

c) 3ª CONJUGAÇÃO

Terminados em GUIR (dos quais o U não é proferido) perdem o U antes de O e A:

distinguir, distingo, distinga.

Na 2ª e 3ª pessoas do singular do presente do indicativo dos verbos regulares

terminados em UIR, grafa-se UI e não UE, por se tratar de ditongo crescente: concluis, conclui, influi, possui.

Macete para conjugação dos verbos mediar, ansiar, remediar, incendiar, odiar (mario)

Mudam o I da penúltima sílaba em EI; conjugam-se assim como o exemplo de

ODIAR:

Presente do Indicativo: odeio, odeias, odeia, odiamos, odiais, odeiam.

Pretérito Perfeito do Indicativo: odiei, odiaste, odiou, etc.

Conjugação do verbo QUERER:

Futuro do presente do Indicativo: quererei, quererás, quererá, quereremos, querereis, quererão.

Presente do Subjuntivo: queira, queiras, etc.

Pretérito Mais Que Perfeito: quisera, quiseras, quisera, quiséramos, quiséreis, quiseram.

36

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

ASSUNTO 4 - VOZES DO VERBO

a) VOZ ATIVA = Um verbo está na voz ativa quando o sujeito é agente, isto é, faz a

ação expressa pelo verbo:

Ex:

- O goleiro pegou a bola. - Os pais educam os filhos.

b) VOZ PASSIVA = Um verbo está na voz passiva quando o sujeito é paciente, isto é,

sofre a ação expressa pelo verbo.

Ex:

Os filho são educados pelos pais.

A carne foi comida pelo cão.

c)

VOZ REFLEXIVA = Quando o sujeito é ao mesmo tempo agente e paciente: faz

uma ação cujos efeitos ele mesmo sofre ou recebe:

Exemplos:

O menino feriu-se.

Sacrifiquei-me pela criança.

Os pais contemplam-se nos filhos.

Agente da passiva

É o termo que, na voz passiva analítica (com auxiliar), designa o ser que realiza a ação verbal da qual o sujeito é o paciente.

O agente da passiva vem sempre precedido de preposição:

Ex:

Este quadro foi pintado por Renoir.

Ela é estimada de todos.

O motor é movido a gás.

Obs:

Nem sempre o agente da passiva está expresso:

Ex:

A janela foi consertada ontem.

O agente da voz passiva sintética jamais está expresso:

Ex:

Vende-se um barco.

CONVERSÃO DA VOZ ATIVA NA PASSIVA

A voz ativa pode ser convertida em voz passiva sem alterar o sentido da frase:

Ex:

37

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Paulo datilografou o trabalho./ O trabalho foi datilografado pelo Paulo.

Prejudicaram-me / Fui prejudicado.

Eu o acompanharei./ Ele será acompanhado por mim.

ASSUNTO 5 - CONCORDÂNCIA

Concordância Nominal

Regra geral O adjetivo concorda com o substantivo em gênero e número obrigatoriamente. A concordância em grau é facultativa.

Ex:

Meninas bonitas

Menino bonito

Meninão bonitão

Meninão bonitinho

Casos particulares

1)

Quando um adjetivo estiver em referência a dois ou mais substantivos e vier depois deles, ele pode se referir a todos indo assim para o plural ou concordando apenas com o último dos substantivos.

Ex:

a)

Conheço um médico e um enfermeiro bondosos

b)

Conheço um médico e um enfermeiro bondoso

c)

Conheço um médico e uma enfermeira bondosos

d)

Conheço um médico e uma enfermeira bondosa.

2)

Quando um adjetivo estiver em referência a dois ou mais substantivos e vier antes deles, concordará apenas com o primeiro dos substantivos.

Ex:

Escolhestes má hora e lugar.

Escolhestes mau lugar e hora.

Escolhestes lugar e hora maus

3) As palavras MUITO, POUCO, BASTANTE e MEIO podem ter valor de advérbio ou adjetivo. Como adjetivos concordam com os seus substantivos. Como advérbios ficam invariáveis.

Ex:

a)

Muitos alunos chegaram cedo.

b)

A menina estava muito aborrecida.

c)

Bebi meia garrafa de vinho.

d)

Elas estão meio aborrecidas

e)

Havia poucos livros na estante.

f)

As crianças pareciam bastante felizes

4)

As palavras MESMO e PRÓPRIOS tem valor adjetivo. Assim sempre combinam com o termo a que se referem.

38

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

Ex:

Elas mesmas resolveram o problema

Ele próprio resolveu o problema

5) As palavras OBRIGADO, ANEXO, LESO têm sempre valor adjetivo, concorda com o seu substantivo.

Ex:

Obs:

A menina disse ao homem: - Obrigada.

A palavra ANEXO vindo precedida de preposição fica invariável.

6) A palavra ALERTA e MENOS é sempre invariável, mesmo em referência a um substantivo.

Ex:

Tenha mais amor e menos confiança

As tropas estavam alerta

7) A palavra QUITE é sempre adjetivo e combina com o seu substantivo.

Ex:

O aluno está quite.

Cereja é bom para a saúde

A cereja é boa para a saúde

E proibido entrada no elevador sem camisa.

Concordância Verbal

Regra geral

O verbo concorda com o sujeito em número e pessoa.

Ex:

Bancários

iniciam

campanha

eleitoral.

-

Concordância

do

verbo

com

o

sujeito

composto

1º Caso de Concordância Verbal

Quando o sujeito composto vier anteposto ao verbo, o verbo irá para o plural. Ex: O

preço.

milho

e

a

soja

subiram

de

Obs.: Quando os núcleos do sujeito forem sinônimos, o verbo poderá ficar no singular ou no plural. Ex: Medo e terror nos acompanha (acompanham)sempre.

Quando os núcleos do sujeito vierem resumidos por tudo, nada, alguém ou

39

CURSO VENCEDOR CONCURSO DA PMAC 2015 TEL: 3223 5699/840-14048/

3223-6860

ninguém, o verbo ficará no singular. Ex: Dinheiro, mulheres, bebida, nada o atraía.

Quando o sujeito for formado por núcleos dispostos em gradação (ascendente ou descendente) o verbo ficará no singular ou no plural. Ex: Uma briga, um vento, o maior furacão não os inquietava (inquietavam).

2º. Caso de Concordância Verbal

Quando o sujeito composto vier posposto ao verbo, o verbo irá para o plural ou concordará apenas com o núcleo do sujeito que estiver mais próximo. Ex: Chegou o pai e a filha. Chegaram o pai e a filha.

3º.Caso

Quando o sujeito composto for formado por pessoas gramaticais diferentes, o

que tiver prevalência.

verbo

Ex: Eu, tu e ele fizemos o exercício. Tu e ele fizeste / fizeram.

irá

para

o

plural

na

pessoa

4º.Caso de Concordância Verbal

Quando os núcleos do sujeito vierem ligados pela conjunção "ou" , o verbo ficará no singular se houver idéia de exclusão. Se houver idéia de inclusão o verbo irá para o plural.

Ex:

Pedro

ou

Antônio

será

o

presidente

do

clube.

(Exclusão)

Laranja

ou

mamão

fazem

bem

a

saúde.

(Inclusão)

Casos especiais de concordância verbal

1º.Caso

Com a expressão "um dos que" o verbo ficará no singular e no plural. O plural é construção dominante. Ex: Você é um dos que mais estudam (estuda).

2º.Caso

Quando o sujeito for constituído das expressões "mais de", "menos de", "cerca de" o verbo concordará com o numeral que segue as expressões. Ex: Mais de uma pessoa protestou contra a lei. Mais de vinte pessoas protestaram contra a decisão.

Obs.: Com a expressão "mais de um"pode ocorrer o plural:- Quando o verbo dá idéia de

ações).

Ex: Mais de uma pessoa se abraçaram.- Quando a expressão "mais de um" vem repetida. Ex: Mais de um amigo, mais de um parente estavam presentes.

ação

recíproca

(troca