Você está na página 1de 38

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA

Processamento Digital de
Imagens de Sensoriamento
Remoto
Profa. Dra. Thais A. Carrino
thais.carrino@gmail.com

Sensor ASTER – uma revisão


SENSOR
MULTIESPECTAL
ASTER
(PLATAFORMA ORBITAL
TERRA)
Plataforma orbital – satélite TERRA FONTE: http://asterweb.jpl.nasa.gov/

Missão concebida pela cooperação Japão e


MISSÃO Estados Unidos (NASA)
Parte do programa EOS (Earth Observing System):
vários satélites para monitoramento terrestre!
(programa criado desde a década de 80)

Definição de 5 sistemas sensores para


monitoramento terrestre e atmosfera 14 bandas espectrais com resoluções espaciais de 15,
30 e 90 m, para aplicação em estudos de alvos
ASTER - Advanced Spaceborne Thermal terrestres (geologia, florestas, vegetação,
Emission and Reflection Radiometer geomorfologia, solos etc)
Medição do fluxo radiante da Terra e estimativa de
CERES - Clouds and Earth's Radiant Energy propriedades físicas das nuvens (3 bandas
System espectrais/resolução espacial de 20 km)
4 bandas espectrais e 9 diferentes ângulos de visadas
MISR - Multi-angle Imaging análise da influência de aerossol, nuvens e balanço
SpectroRadiometer de radiação e em climatologia (resolução espacial de
275 m a 1,1 km)
MODIS - Moderate Resolution Imaging 36 bandas espectrais entre 0,4 a 14,4 µm e resolução
SpectroRadiometer espacial que varia de 250 a 1000 metros aplicação no
uso e cobertura da terra, queimadas etc
MOPITT - Measurements of Pollution in the Medição de concentração de monóxido de carbono e
Troposphere metano na baixa atmosfera (resolução espacial de 22 a
640 km)
Plataforma orbital – satélite TERRA
MODIS
Satélite Terra foi lançado em
dezembro de 1999 Painel solar

MOPITT

FONTE: http://asterweb.jpl.nasa.gov/
ASTER
Altitude: 705 km
MISR Design do sistema
Cruzamento no Equador: 10:30 h (órbita CERES imageador para 6
sol-síncrona) anos de vida útil

Período de um órbita: 98,99 minutos 5 toneladas


É o sensor de
interesse em altura do sistema:
Ciclo de repetição de coleta de dados aplicações 3,5 m
numa mesma área: 16 dias (resolução geológicas
temporal) comprimento do
sistema: 6,8 m
Sensor ASTER FONTE: http://asterweb.jpl.nasa.gov/
VNIR
Advanced Spaceborne Thermal
Emission and Reflection Radiometer

• Resolução espacial:
15 m no VNIR (visível e infravermelho próximo)
30 m no SWIR (infravermelho de ondas curtas)
90 m no TIR (infravermelho termal)
SWIR
• Resolução espectral: 14 bandas TIR
espectrais!!!!!

• Cena imageada: 60 x 60 km
SÍNTESE: PRINCIPAIS VANTAGENS DO SENSOR
ASTER EM APLICAÇÕES GEOLÓGICAS
Resolução espacial (até 15 m!)

Resolução espectral (14 bandas espectrais contra 8 bandas do


sensor ETM+ da plataforma orbital Landsat 7)

Destaque às 9 bandas do visível ao infravermelho de ondas curtas: discriminação


de minerais como aqueles portadores de íons de ferro (transição eletrônica), e micas e
argilominerais (ligações Al-OH caulinita, muscovita, esmectita), sulfatos (ligações S-
O, Al-OH ex.: alunita e jarosita), carbonatos (ex.: siderita, calcita, dolomita), e
minerais ferromagnesianos (ligação Mg-OH, Fe-OH ex.: talco, clorita)
Destaque às 5 bandas no intervalo do infravermelho termal: possibilidade de
detecção de respostas espectrais relacionadas, por exemplo, com quartzo, carbonatos,
argilominerais, feldspatos, epidoto, hornblenda, tipos de rochas variados estes
alvos não possuem feições de absorção detectáveis na faixa do espectro refletido,
apenas na faixa do espectro emitido!)

Possibilidade de geração de modelos digitais de elevação


(MDE) com resolução de 30 m (Gratuitos: ASTER GDEM)
Resolução espacial – exemplo em Death
Valley (Califórnia – Estados Unidos)
VNIR SWIR TIR
Visível e Infravermelho de Infravermelho
infravermelho próximo ondas curtas termal

Resolução
espacial: 15 m 30 m 90 m
Resolução espectral: 14 bandas (contra
apenas 8 do sensor ETM+/Landsat 7)
VNIR: (Visible and near infrared) visível e
infravermelho próximo (0,52 a ~0,86 μm)
SWIR: (Short wave infrared) infravermelho
de ondas curtas (~1,6 a ~2,5 μm)
TIR: (Thermal infrared) infravermelho termal
Comprimento de onda (μm) (~8,1 a ~11,6 μm)
Resolução Resolução
Faixa espectral Banda Faixa espectral (μm) espacial radiométrica

Estereoscopia

FONTE: Abrams et al. (2002)


Exemplo de
imagem do
sensor ASTER
em Death Valley
(Califórnia)

14 bandas
espectrais:

(3 VNIR)
(6 SWIR)
(5 TIR)
Resolução espectral: espectro refletido Exemplos

Estrutura Conteúdo de
Pigmentos celular água nas folhas
Curva espectral de vegetação
VIS NIR SWIR sadia (fotossinteticamente ativa)
reamostrada para a resolução
3 espectral do sensor ASTER (9
~1,4 μm
bandas)
H2O
Banda do vermelho
Banda do verde

Região do visível (VIS): absorção por


Reflectância

pigmentos contidos nas folhas (clorofila,


carotenos e xantofilas).
~1,9 μm
H2O Região do infravermelho próximo (NIR):
4 pequena absorção da radiação
eletromagnética e considerável
espalhamento interno na folha.
6 7
8
6 Região do infravermelho de ondas
9 curtas (SWIR): absorções profundas
1 devido à presença de água líquida na
2 folha.

Comprimento de onda (μm)


Resolução espectral: espectro refletido Exemplos
Curva espectral reamostrada para a resolução espectral do sensor ASTER (9 bandas)

Hematita (Fe2O3) Goethita (FeO(OH))


Fe3+
Fe3+ Transição eletrônica

~0,66 μm

~0,76 μm

~0,92 μm
Transição eletrônica
~0,65 μm

~0,87 μm
~0,74 μm

Reflectância
Obs.: assim como
Reflectância

ocorre com os
sensores TM e ETM+ 3
(série Landsat), a
resolução espectral
do sensor ASTER não 2
3
é adequada para a
2 diferenciação destes
dois minerais!!!!!!
1

1 Pico de reflectância Pico de reflectância


Absorções principais Absorções principais

Comprimento de onda (μm) Comprimento de onda (μm)


Resolução espectral: espectro refletido Exemplos
Curva espectral reamostrada para a resolução espectral do sensor ASTER (9 bandas)

Caulinita (Al2Si2O5(OH)4) Muscovita (K2Al4(Si6Al2O20)(OH, F)4)


Banda 6
Banda 6 Vibração da
Vibração da ligação Al-OH
ligação Al-OH
Banda 8

Al-OH ~2,342 μm
Al-OH~2,435 μm
Reflectância

Reflectância

~2,206 μm ~2,220 μm

Comprimento de onda (μm) Comprimento de onda (μm)


Resolução espectral: espectro refletido Exemplos

Carbonatos feições de absorção diagnósticas no infravermelho de ondas curtas


Curva espectral reamostrada para a resolução espectral do sensor ASTER (9 bandas)
Calcita (CaCO3) Vibração Dolomita (CaMg (CO3)2)
da ligação
C-O
Banda 8

Banda 8
Vibração da
ligação C-O

Reflectância
Reflectância

Banda 5
Vibração da
ligação C-O
~2,15 μm

Banda 7
Vibração
da ligação

~2,32 μm
C-O
~2,34 μm

Comprimento de onda (μm) Comprimento de onda (μm)


Resolução espectral: espectro refletido Exemplos

Clorita e talco (ligações Fe-OH, Mg-OH) principais feições de absorção


diagnósticas inseridas na faixa do infravermelho de ondas curtas
Curva espectral reamostrada para a resolução espectral do sensor ASTER (9 bandas)
Clorita ((Mg, Al, Fe)12[(Al, Si)8O20](OH)16) Talco (Mg6(Si8O20)(OH)4)

Banda 8
Banda 9
Fe2 ~2,310 μm
+ eletrônica
Transição
~1,130 μm
~0,750 μm

~0,928 μm

Vibração

Reflectância
Reflectância

da
ligação
Mg-OH

Fe-OH

Vibração
da
ligação
Mg-OH
~2,347 μm

Comprimento de onda (μm) Comprimento de onda (μm)


Resolução espectral: espectro refletido Exemplos

Sulfatos principais feições de absorção diagnósticas no infravermelho de ondas curtas


Curva espectral reamostrada para a resolução espectral do sensor ASTER (9 bandas)

Alunita potássica (KAl3(SO4)2(OH)6) Jarosita (K[Fe3+(OH)6(SO4)2])


Banda 7
Banda 5 Fe3 Vibração da
Vibração da +
Transição eletrônica ligação Fe-OH
ligação Al-OH

~0,650 μm
~2324 μm

Banda 9
Reflectância

Reflectância
S-O S-O

Banda 6
~0,925 μm Vibração de
íons OH-
~2,27 μm
~2,170 μm

Comprimento de onda (μm) Comprimento de onda (μm)


Resolução espectral: espectro emitido Exemplos

Identificação 5 bandas no infravermelho termal: maiores


de minerais: ou menores valores de emitância
5 bandas espectrais do sensor ASTER
Quartzo (não é
identificado na
faixa VNIR-
SWIR) Calcário
Carbonatos
argilominerais Quartzito

Emitância
Granito
Identificação
de rochas:
Granito Quartzo-diorito
Quartzito e
arenito
Gabro
Calcário e (Ninomiya & Fu 2001)
dolomito
Peridotito
Máficas e
ultramáficas
etc Comprimento de onda (μm)
Comparação da resolução espectral dos sensor ópticos TM (satélite Landsat 5),
OPS (satélite JERS-1) e ASTER (satélite Terra)
Sensor ASTER
contém mais
100
bandas
Gipso espectrais, o que
favorece melhor
TM reconhecimento
80 das feições de
1 2 3 4 5 7
absorção
Reflectância (%)

diagnósticas de
60 alvos terrestres
(minerais,
vegetação, solos
OPS
etc)
40 1 2 3 5 6 7 8
4

20
ASTER
1 2 3 4 56 7 8 9 Melhora na
0 diferenciação
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5 de alvos!!!!!
Comprimento de onda (μm)
Curvas de reflectância espectral da caulinita reamostrada para as resoluções
espectrais dos sensores TM (satélite Landsat 5), OPS (satélite JERS-1) e ASTER
(satélite Terra)
Sensor ASTER
contém mais
bandas
espectrais, o que
favorece melhor
TM reconhecimento
Reflectância (%)

das feições de
absorção
OPS
diagnósticas de
alvos terrestres
(minerais,
Caulinita vegetação, solos
ASTER etc)

Laboratório
0.5 1.0 1.5 2.0 2.5
Comprimento de onda (μm)
Melhora na
Resolução diferenciação
ideal de alvos!!!!!
Estereoscopia e geração de modelos digitais
de elevação (MDE) Fonte: http://asterweb.jpl.nasa.gov/vnir.asp

Visada 2 telescópios para coleta de dados na


NADIR faixa espectral do visível ao
infravermelho próximo:
1 telescópio possui visada NADIR:
adquire informação em 3 bandas
espectrais (bandas 1 (verde), banda 2
(vermelho), banda 3 (infravermelho
próximo))
1 telescópio possui visada off-NADIR:
adquire informação em uma banda
espectral chamada banda 3B (B=
BackNadir)

Visada Também é banda 3 (0,78 – 0,86 μm) =


off-NADIR mesmo intervalo da faixa espectral
da banda 3N (Nadir)
Aquisição inicial:
telescópio nadir
Aquisição final:
telescópio off-nadir
Estereoscopia
(banda 3) (banda 3)
e geração de
modelos
digitais de
elevação
(MDE)
Paralaxe:
2 imagens numa mesma
área (60 x 60 km)
adquiridas em diferentes
geometrias de visada (a
diferença de ângulos
permite que haja
estereoscopia!)
Cena imageada (60 x 60 km) ~64 segundos para
3N = banda 3 (faixa espectral de 0,78 – 0,86 μm) adquiridas em visada nadir a aquisição destas 2
3B = banda 3 (faixa de espectral de 0,78 – 0,86 μm) adquiridas em visada off-nadir (27,6°) imagens
Disponibilização gratuita de imagens de modelos digitais
de elevação do sensor ASTER – ASTER GDEM
ASTER GDEM (Global Digital Elevation Model): 30 m de
resolução espacial (imagens 60 x 60 km)

Primeira versão do GDEM do ASTER: disponibilizada on


line em junho de 2009 (99% da superfície da Terra imageada)
Segunda versão do GDEM ASTER: disponibilizada on
line em outubro de 2011, com imagens de melhor qualidade

Acessos para download das


imagens:
http://www.jspacesystems.or.jp/er
sdac/GDEM/E/index.html

http://gdex.cr.usgs.gov/gdex

Áreas imageadas

http://asterweb.jpl.nasa.gov/gdem.asp
EXEMPLOS DE INTEGRAÇÃO DE IMAGEM ASTER EM COMPOSIÇÃO
COLORIDA COM MODELO DIGITAL DE ELEVAÇÃO (MDE) DERIVADO
DO SENSOR ASTER: OBSERVAÇÃO EM PERSPECTIVA
FONTE: http://asterweb.jpl.nasa.gov/gallery.asp?catid=40 Análise do terreno em perspectiva
Intrusão circular alcalina Kondyor (Rússia), com auxilia o mapeamento geológico,
10 km de diâmetro: platina explorada em aluviões estrutural e geomorfológico

Cratera de impacto de meteorito Gosse


Bluff (Austrália): bandas 7, 3, 1 (RGB)
EXEMPLOS DE
APLICAÇÕES DO SENSOR
ASTER EM GEOLOGIA

► EXPLORAÇÃO MINERAL EM TERRENOS COM


POUCA COBERTURA DE VEGETAÇÃO E DE
SOLOS (ÁREAS “EXPOSTAS”!)

► MAPEAMENTO GEOLÓGICO
EXEMPLO 1: IDENTIFICAÇÃO MINERAL NO DEPÓSITO DE COBRE
PÓRFIRO QUELLAVECO (SUL DO PERU)

Imagem de abundância de minerais Imagem de abundância de mineral portador


portadores de ligações Al-OH (feições de de ligações Al-OH minerals (feições de
absorção geradas pelos processos de absorção geradas pelos processos de
vibração molecular!!!): esmectita ± illita vibração molecular!!!): ilita (resultado sobre
(resultado sobre a banda 2 do sensor a banda 2 do sensor ASTER em níveis de
ASTER em níveis de cinza) cinza
EXEMPLO 1: IDENTIFICAÇÃO MINERAL NO DEPÓSITO DE COBRE
PÓRFIRO QUELLAVECO (SUL DO PERU)

Mapa de alteração hidrotermal do


depósito Quellaveco

8109000 S´ 105 N
95
43
8108800 Alteração
argílica
8108600

8108400 Alteração
fílica 23
8108200
17
74
8108000 S

8107800

326800.00 327200.00 327600.00 328000.00 328400.00

Sensor multiespectral ASTER (plataforma


Resultado do processamento de imagem so sensor orbital Terra) auxiliou a cartografia remota de
ASTER para a cartografia dos seguintes minerais de minerais de alteração hidrotermal e seu
alteração hidrotermal: esmectita, llita e illita de baixa zoneamento espacial no depósito
cristalinidade Quellaveco
EXEMPLO 1: IDENTIFICAÇÃO MINERAL NO DEPÓSITO DE COBRE
PÓRFIRO QUELLAVECO (SUL DO PERU)
Abundância de Abundância ANÁLISE EM
esmectita de ilita
PERSPECTIVA DOS
RESULTADOS
GERADOS COM O
PROCESSAMENTO DE
IMAGEM DO SENSOR
ASTER PARA
RECONHECIMENTO
MINERAL

ilita
A PERSPECTIVA FOI
PRODUZIDA COM A
INTEGRAÇÃO DOS
RESULTADOS MINERAIS
COM O MODELO
DIGITAL DE ELEVAÇÃO
DO SENSOR ASTER (
esmectita ESTEREOSCOPIA)
EXEMPLO 2: IDENTIFICAÇÃO MINERAL NO DEPÓSITO DE OURO
EPITERMAL LOS MENUNCOS (PATAGÔNIA, ARGENTINA)
Alunita Dickita COMPOSIÇÃO COLORIDA DE IMAGEM
DO SENSOR ASTER (PLATAFORMA
ORBITAL TERRA)

Ilita Caulinita

Imagens de abundância dos principais minerais de alteração


hidrotermal do trend de Los Menucos (cores vermelhas
indicam maior chance de ser o mineral investigado)
EXEMPLO 2: IDENTIFICAÇÃO MINERAL NO DEPÓSITO DE OURO
EPITERMAL LOS MENUNCOS (PATAGÔNIA, ARGENTINA)

Mapa de alteração
hidrotermal do trend de
Los Menucos a partir de
imagem ASTER

identificação mineral em
campo com uso de
espectrorradiômetro portátil
posterior processamento de
imagem do sensor ASTER com
base nos espectros coletados
em campo
Espacialização do
zoneamento hidrotermal
EXEMPLO 2: IDENTIFICAÇÃO MINERAL NO DEPÓSITO DE OURO
EPITERMAL LOS MENUNCOS (PATAGÔNIA, ARGENTINA)
Integração do resultado de
classes minerais com o modelo
Perspectiva de Los
digital de elevação do sensor Menucos (Patagonia
ASTER Argentina)

Significado das
classes (cores):
Caulinita
Ilita
Alunita
EXEMPLO 2: IDENTIFICAÇÃO MINERAL NO DEPÓSITO DE OURO
EPITERMAL LOS MENUNCOS (PATAGÔNIA, ARGENTINA)
Emprego das cinco (5) bandas do infravermelho termal do sensor ASTER (plataforma
orbital Terra) para processamento objetivando o realce de quartzo (no caso de Los
Menucos, o quartzo é de origem hidrotermal!!!!!)
Composição colorida das bandas 13, 10
e 12 no sistema de cores
vermelho/verde/azul

Emitância
Fonte: Ducart (2007)
EXEMPLO 3: IDENTIFICAÇÃO MINERAL NO DISTRITO MINEIRO DE
CUPRITE (NEVADA – ESTADOS UNIDOS)
Processamento de imagem
do sensor ASTER

DISTRITO MINEIRO
DE CUPRITE - EUA

Caulinita

Alunita

Calcita

Alunita + caulinita

Montmorilonita
(esmectita)

Dickita

Rochas encaixantes FONTE: Abrams et al. (2002)


EXEMPLO 4: CARTOGRAFIA GEOLÓGICA EM MOUNTAIN PASS
(CALIFÓRNIA – ESTADOS UNIDOS) (Rowan & Mars 2003)
Processamento
Mapa geológico de imagem do
regional sensor ASTER
(9 bandas: visível
Legenda ao infravermelho
de ondas curtas)

Dolomito

Calcário
EXEMPLO 4: CARTOGRAFIA GEOLÓGICA EM MOUNTAIN PASS
(CALIFÓRNIA – ESTADOS UNIDOS) (Rowan & Mars 2003)
quartzo
Mapa geológico
Processamento de
regional imagem do sensor
ASTER
Legenda (5 bandas:
infravermelho
termal)

quartzo

Carbonato

Composição
colorida das bandas
13, 12, 10 nos canais
vermelho, verde e
azul
EXEMPLO 5: CARTOGRAFIA DE ALTERAÇÃO HIDROTERMAL NOS
MONTES ZAGROS (IRÃ) MINERALIZAÇÕES DE COBRE PÓRFIRO
Mapa geológico simplificado

Associação da
alteração
argílica e fílica
com intrusão
granítica e
granodiorítica

(Mars & Rowan 2006)


EXEMPLO 6: CARTOGRAFIA GEOLÓGICA (COMPLEXO DE ROCHAS
ULTRAMÁFICAS) EM MORDOR (AUSTRÁLIA) (Rowan et al. 2005)
Mapa geológico simplificado Exemplos da possibilidade de diferenciação de
minerais formadores de rochas na faixa do
infravermelho termal (~8 – 12 μm)
(As curvas espectrais mostradas abaixo estão
reamostradas para a resolução espectral do sensor
ASTER: 5 bandas!)

Emitância

Emitância
Complexo de rochas
máficas e ultramáficas
de ~1150 Ma que
intrudiu rochas como
gnaisse e anfibolito Comprimento de onda (μm)
EXEMPLO 6: CARTOGRAFIA GEOLÓGICA (COMPLEXO DE ROCHAS
ULTRAMÁFICAS) EM MORDOR (AUSTRÁLIA) (Rowan et al. 2005)
Mapa geológico simplificado

RESULTADOFINAL
DO
PROCESSAMENTO
DAS 5 BANDAS DO
INFRAVERMELHO
TERMAL DO
SENSOR ASTER
PARA
RECONHECIMENTO
DE LITOLOGIAS
Complexo de rochas
máficas e ultramáficas
de ~1150 Ma que
intrudiu rochas como
gnaisse e anfibolito
EXEMPLO 7: CARTOGRAFIA GEOLÓGICA DE ZONA OFIOLÍTICA EM
XIGAZE (CHINA) COM 5 BANDAS DO INFRAVERMELHO TERMAL
Área Xigaze: segmento do cinturão (Ninomiya et al. 2005)
de ofiolitos Yarlung Zangbo no sul
do Tibet (China)

Áreas elevadas e com clima


semi-árido (favorável ao uso de
sensoriamento remoto óptico para
discriminação composicional de
alvos terrestres)
Mapa geológico de referência
Domínios geológicos bem identificados
Processamento das 5
no processamento das bandas TIR do
bandas do infravermelho
sensor ASTER: termal do sensor ASTER
C = cinturão ofiolítico
D = rochas ultramáficas
E = rochas máficas
Aluvião
(Quartzo)

Rochas
máficas/ultramáficas
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Abrams M., Hook S., Ramachandran B. 2002. ASTER Users handbook. Advanced Spaceborne Thermal Emission and
Reflection Radiometer. USA: NASA/Jet Propulsion Laboratory/California Institute of Technology, v. 2, 135p.

Ducart D. F. 2007. Alteração hidrotermal do prospecto aurífero Cerro La Mina, Los Menucos, Patagônia, Argentina:
geologia, sensoriamento remoto e isótopos estáveis. Tese de Doutoramento, Universidade Estadual de Campinas, 173
p.

Mars J.C., Rowan L.C. 2006. Regional mapping of phyllic- and argillic-altered rocks in the Zagros magmatic arc, Iran,
using Advanced Spaceborne Thermal Emission and Reflection Radiometer (ASTER) data and logical operator
algorithms. Geosphere, 2(3): 161-186.

Ninomiya Y., Fu B., Cudahy T.J. 2005. Detecting lithology with Advanced Spaceborne Thermal Emission and Reflection
Radiometer (ASTER) multiespectral thermal infrared “radiance-at-sensor” data. Remote Sensing of Environment, 99(1-
2): 127-139.

Ninomiya Y., Fu B. 2001. Spectral indices for lithologic mapping with ASTER thermal infrared data applying to a part of
Beishan Mountains, Gansu, China. IGARSS, Proceedings IEEE International Geoscience and Remote Sensing
Symposium Cat No01CH37217, p. 2988-2990.

Rowan L., Mars J.C., Simpson C.J. 2005. Lithologic mapping of the Mordor, NT, Australia ultramafic complex by using
the Advanced Spaceborne Thermal Emission and Reflection Radiometer (ASTER). Remote Sensing of Environment, 99:
105-126.

Rowan L.C. & Mars J.C. 2003. Lithologic mapping in the Mountain Pass, California area using Advanced Spaceborne
Thermal Emission and Reflection Radiometer (ASTER) data. Remote Sensing of Environment, 84(3): 350-366.