Você está na página 1de 8

PCD Saúde e A. Física - EXCURSIONISTA - Req.

1
Completar a especialidade de Temperança
Especialidade de Temperança

Clube de Desbravadores Israelitas 7ª Região – ACE


Nome: ______________________________________________
/ /2018

1. Memorizar e assinar o Voto de Temperança: “Consciente de que o uso do álcool e


fumo e uso de drogas não recomendadas por médicos não é compatível com um viver
saudável, comprometo-me a não apenas me abster do uso dessas substâncias e viver de
acordo com os princípios da Temperança Cristã, mas também a ajudar os outros a
compreender e aceitar esse estilo mais saudável de vida.”

2. Decorar 3 citações em cada uma das categorias: Bíblia e Espírito de Profecia.


Bíblia
a) Romanos 12:1-2
b) I Coríntios 10:31
c) I Coríntios 6:19-20
d) Provérbios 20:1
e) Gálatas 5:22-23
f) III João
g) Um verso de sua escolha que ressalte a importância da temperança em nossa via
espiritual.
Espírito de Profecia:
a) “A verdadeira temperança nos ensina a abstermo-nos inteiramente daquilo que é
prejudicial, e usar com parcimônia apenas alimentos saudáveis e nutritivos”. Temperança,
pág. 3
b) “A única alternativa saudável é não tocar, não experimentar e não lidar com chá, café,
vinhos, tabaco, ópio e bebidas alcoólicas”.Conselhos Sobre Regime Alimentar, pág. 428
c) “…a temperança por si só é o fundamento de todas as graças que vêm de Deus, o
fundamento de todas as vitórias a serem alcançadas”.Temperança, pág. 201
d) “Uma vida pura e nobre, uma vida de vitória sobre o apetite e o desejo, é possível a
todos que unirem a fraca vontade humana à onipotente e inabalável vontade de
Deus”. Temperança, pág. 113
e) e) “O tabaco é um lento porém maligno veneno. Em quaisquer das formas que é
usado, depõe contra a constituição; e torna-se mais perigoso porque seus efeitos são
lentos, e, à primeira vista, imperceptíveis”. Medicina e Salvação, pág. 327, 328.
h) Uma citação de sua escolha que ressalte a importância da temperança em nossa via
espiritual.

3. Escolha e execute 3 das atividades abaixo.


a) Escrever e apresentar um discurso de 5 a 8 minutos sobre a temperança.
b) Escrever um trabalho de 150 a 200 palavras sobre álcool, tabaco, drogas ou forma
física, e sobre seu comprometimento com um estilo de vida saudável.
c) Escrever um verso sobre o tópico da prevenção das drogas.
d) Desenhar/fazer um cartaz de falando sobre os efeitos prejudiciais das drogas, tabaco
e álcool.
e) Realizar uma exposição sobre o perigo das drogas num shopping, biblioteca ou
escola.
f) Fazer um caderno de pelo menos 20 páginas, com anúncios antidrogas colados nas
páginas do mesmo.
g) Compartilhar com, pelo menos, 5 pessoas o que você conseguiu aprender a partir da
lista acima, e convencê-los a assinar o Voto de Temperança (familiares mais próximos não
podem ser incluídos).

4. Sobre o cigarro, drogas e álcool:


a) Saber e explicar a razão por trás da advertência contida nos maços de cigarro:
“Fumar é prejudicial à saúde”.
b) O que é fumante passivo?
c) Pesquisar sobre quantas pessoas morrem anualmente no seu país vítimas do cigarro
e quanto o governo gasta com a saúde dos pacientes.
d) Pesquise sobre 4 dos seguintes ingredientes da fumaça do tabaco:
Nicotina
Arsênico
Formaldeído
Monóxido de carbono
Cianeto
Fenolbenzofrina
Amônia
e) Pesquise sobre 2 das doenças relacionadas ao cigarro:
Enfisema
Câncer
Dependencia
Cirrose
f) Pesquisar sobre quantas pessoas morrem anualmente no seu país vítimas do álcool,
de acidentes ou em decorrência do uso exagerado.
g) Pesquise quais os efeitos do tabaco, álcool e drogas na gravidez.
h) Leia o capítulo “Estimulantes e Narcóticos” no livro Medicina e Salvação (de Ellen
White). Ser capaz de discutir com seus desbravadores (ou unidade) sobre o que aprendeu.

5. Estude as fontes abaixo:


a) Temperança, pág. 139, 1º parágrafo
b) Conselhos Sobre Regime Alimentar, pág. 406, 1º parágrafo
c) Temperança, pág. 140, 2º parágrafo
d) Temperança, pág. 143, 3º parágrafo
e) Conselhos Sobre Saúde, pág. 127, 4º parágrafo
f) Temperança, pág. 148, 2º parágrafo
Relacione 3 coisas que contribuem para a temperança e boa saúde, além, é claro, de
abster-se de coisas prejudiciais. Faça um breve resumo.

6. Dramatizar em uma reunião do clube, acampamento ou evento que o clube venha


a participar, o que você faria se:
a) Seu melhor amigo lhe pedisse para experimentar um cigarro?
b) Um colega de classe lhe oferecesse dinheiro para vender maconha?
c) Um parente mais velho lhe oferecesse um gole de cerveja?
d) A fumaça do cigarro de um estranho lhe estivesse incomodando?
e) Um amigo o convidasse para fumar maconha?
f) Você fosse a uma festa com um amigo, ele ficasse bêbado e insistisse em dirigir na
hora de voltar para casa?

7. Pesquise sobre as leis anti-fumo e anti-álcool criadas pelo governo do seu país.
Faça um pequeno relatório sobre sua pesquisa.
Material para estudo

31/05/2014 - Governo federal regulamenta lei antifumo, que começa a vigorar em 6 meses;
fumódromos estão proibidos em todo o país
A partir de dezembro, será proibido fumar em ambientes fechados de uso coletivo em todo
o Brasil, inclusive em fumódromos. O anúncio foi feito neste sábado pelo Ministério da Saúde. A
regulamentação da Lei Antifumo, que deve ser publicada na segunda-feira e começará a valer em seis
meses, proíbe também qualquer propaganda comercial de cigarros. O objetivo da medida, segundo o
governo, é proteger a população do fumo passivo e contribuir para a diminuição do tabagismo entre
os brasileiros.
Com a nova regra, fica proibido o uso de cigarro, cigarrilha, charuto, cachimbo e outros
produtos do gênero em locais de uso coletivo, sejam eles públicos ou privados. Estão vetados
inclusive os narguilés. A proibição inclui hall e corredores de condomínios, restaurantes e clubes.
Segundo o governo, fica vetado o uso em ambientes parcialmente fechados por uma parede, teto e
até mesmo toldo. “Está proibido o fumo naquela varanda do restaurante, no toldo da banca de jornal
e na cobertura do ponto de ônibus”, afirmou o ministro da Saúde, Arthur Chioro.
A lei também proíbe a existência dos fumódromos, que são permitidos pelas regras atuais.
“Se o ambiente estiver coberto por uma face, como o teto do ponto de ônibus, não poderá fumar.” Em
estádios de futebol, por exemplo, será permitido fumar em áreas descobertas. Segundo o governo,
essa diferença se deve a critérios de dispersão da fumaça. Ficará liberado fumar em casa e ao ar livre.
Apenas em cinco situações – e com condições de isolamento – será permitido fumar em ambiente
fechado: em cultos religiosos cujo fumo faça parte do ritual, em tabacarias sinalizadas, em estúdios
de filmagem quando necessário à produção da obra, em lugares destinados a pequisa e
desenvolvimento de produtos fumígenos, e em instituições de tratamento que tenham pacientes
autorizados a fumar.
Questionado sobre o motivo que levou o governo a demorar três anos para regulamentar a
Lei Antifumo, Chioro respondeu que o processo exigiu muito estudo e negociação. “Foi o tempo
necessário para construir legislação adequada e consistente e com coerência suficiente”, disse. O
ministro negou que haja a intenção de banir o fumo no país. “A tendência é de diminuição e lutaremos
sempre para isso.” As novas regras também determinam que os produtos devem ficar expostos
apenas no interior dos estabelecimentos, com 20% do mostruário ocupado por mensagens de
advertência aos males causados pelo fumo, além da proibição da venda a menores de 18 anos e tabela
de preços.
Embalagens - Fica proibida, ainda, qualquer tipo de propaganda desses produtos. As
embalagens devem ter mensagens de advertência em toda a área posterior, além de uma das laterais.
A partir de 2016, deverá ser incluído texto de advertência adicional sobre os impactos do fumo em
30% da parte da frente das embalagens. A fiscalização será de responsabilidade das agências
sanitárias dos estados e municípios e, segundo o governo, o alvo serão os estabelecimentos, e não os
fumantes. Os comerciantes são os responsáveis por orientar os clientes a não fumarem nos locais
proibidos e, se necessário, devem chamar a polícia se o fumante se recusar a apagar o cigarro.
Os estabelecimentos podem receber advertência, multa e até mesmo serem interditados e
terem canceladas a autorização para funcionamento. As multas vão de 2.000 reais a 1,5 milhão de
reais. Segundo o Ministério da Saúde, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária já programou a
capacitação de 4.000 servidores da área de fiscalização até dezembro, quando as novas regras entram
em vigor. O governo federal esclareceu que a regulamentação da lei federal tem papel de “dar mais
consistência à legislação de Estados e municípios”. “Estados e municípios podem fazer
regulamentações complementares. Ele pode aprofundar, mas não pode fazer menos do que
estabelece a lei federal”, disse Chioro.
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/governo-federal-regulamenta-lei-antifumo-que-comeca-
a-vigorar-em-6-meses-fumodromos-estao-proibidos-em-todo-o-pais/

Lei Seca
A Lei nº 11.705/08, que entrou em vigor em junho de 2008, alterou o art. 306 do Código de
Trânsito Brasileiro, que passou a ter a seguinte redação:
Art. 306. Conduzir veículo automotor, na via pública, estando com concentração de álcool
por litro de sangue igual ou superior a 6 (seis) decigramas, ou sob a influência de qualquer outra
substância psicoativa que determine dependência:
Penas - detenção, de seis meses a três anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a
permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor.
Antes da vigência da Lei nº 11.705/08, não havia previsão, no artigo em comento, do teor
alcoólico necessário para a caracterização do crime, bastando, para tanto, que o condutor do veículo
estivesse sob a influência de álcool. Nesse contexto, o exame de alcoolemia era prescindível, podendo
ser substituído por outras provas, tais como o depoimento de testemunhas ou o exame clínico.
Entretanto, o legislador introduziu uma nova elementar no tipo penal previsto no art. 306 da Lei nº
9.503/1997, ao fazer menção expressa ao quantum de álcool no sangue necessário para a
configuração do crime, tornando indispensável o referido exame técnico, sob pena de não restar
comprovada a materialidade do delito.
Caso o exame de alcoolemia aponte menos de 0,6 decigramas de álcool por litro de sangue,
não haverá infração penal, apenas um ilícito administrativo. Além disso, o condutor que não for
submetido ao exame de sangue ou ao bafômetro também não estará incurso nas iras do art. 306 do
Código de Trânsito Brasileiro, pois não restará comprovada a materialidade delitiva, uma vez que
ausente prova sobre elementar do tipo penal.
http://revistavisaojuridica.uol.com.br/advogados-leis-jurisprudencia/58/artigo211001-1.asp

Em resolução publicada nesta terça-feira (29/01/2013) no Diário Oficial da União, o


Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estabelece que a fiscalização do uso de álcool pelos
motoristas ou de substâncias psicoativas que determinem dependência deve ser feita pelas
autoridades de trânsito em "procedimento operacional rotineiro". A Resolução 432 inclui os
procedimentos de fiscalização.
De acordo com a medida, que está em vigor desde dezembro de 2012, a alteração da
capacidade psicomotora do motorista será confirmada pelo agente fiscalizador por, pelo menos, um
dos seguintes procedimentos: exame de sangue, exames realizados por laboratórios especializados
indicados pelo órgão ou entidade de trânsito competente e teste do bafômetro, entre outros.
A confirmação do estado alterado do condutor poderá ser feita também por prova
testemunhal do fiscalizador. Entretanto, a resolução determina que o teste do bafômetro deve ser a
prioridade dos fiscais. Além disso, se houver comprovação de embriaguez pelo bafômetro ou
encaminhamento do condutor para a realização de exame de sangue, não será necessário aguardar o
resultado dos exames para a autuação administrativa.
Penalidade - A penalidade após autuação é a multa de R$ 1.915,30, recolhimento da habilitação,
suspensão do direito de dirigir por 12 meses, além da retenção do veículo, até a apresentação de
condutor habilitado.
A norma do Contran traz, ainda, a Tabela de Valores Referenciais para Etilômetro, que vai
orientar os agentes quanto aos novos limites. Além disso, caso o motorista se negue a fazer o
bafômetro, o agente poderá aplicar a autuação administrativa e preencher o questionário – Sinais de
Alteração da Capacidade Psicomotora, que será indexado à autuação. Neste caso, o condutor também
poderá ser encaminhado à delegacia.
O questionário apresenta informações como aparência do condutor, sinais de sonolência,
olhos vermelhos, odor de álcool, agressividade, senso de orientação, fala alterada, entre outros
aspectos.
A resolução também prevê que seja realizado exame de alcoolemia para todos os acidentes
de trânsito envolvendo vítimas fatais.
Lei - Com a nova lei, além do bafômetro, serão admitidos vídeos e outras provas como o depoimento
do policial, testes clínicos, e outros testemunhos, para provar a embriaguez do motorista.
A lei prevê, ainda, que caso o motorista reincida na mesma infração dentro de um ano, o valor
da multa será duplicado e poderá chegar a R$ 3.830,60, além da suspensão do direito de dirigir por
doze meses.
http://www.brasil.gov.br/governo/2013/01/nova-resolucao-deixa-lei-seca-mais-rigida
Sancionada Lei que proíbe e pune a comercialização de bebidas alcoólicas a menores de 18
anos - JUSTIÇA | 18/03/2015
Descumprimento acarretará em prisão, multa e até interdição do estabelecimento
Passou a vigorar nesta terça- (18) a Lei que proíbe e pune a venda de bebidas alcoólicas a menores
de idade. Sancionada pela presidenta Dilma Rousseff e publicada no Diário Oficial da União, a medida
se estende a demais produtos que propiciem dependência física ou psicológica.
Vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar bebida alcoólica a jovens ou crianças será considerado
infração passível a prisão de até quatro anos, além de pagamento de multa variável entre R$ 3 mil e R$ 10
mil e interdição do comércio.
Entende-se por menores pessoas com idade inferior a 18 anos.
http://itnet.com.br/sancionada-lei-que-proibe-e-pune-a-comercializacao-de-bebidas-alcoolicas-a-
menores-de-18-anos,26783.html

O que nos diz o Espírito de Profecia


Temperança, pág. 139, 1º parágrafo
Temperança no Trabalho – Devemos ser temperantes no trabalho. Não é dever nosso colocar-nos em
situação de ficar sobrecarregados. Alguns poderão as vezes achar-se em condição em que isto seja
necessário; deve, porém, ser exceção, não regra. Cumpre-nos exercer temperança em tudo. Caso honremos
o Senhor fazendo a nossa parte, Ele, pela Sua, conserva-nos a saúde. Devemos ter sensato domínio de todos
os nossos órgãos. Sendo temperantes no comer, beber, vestir, trabalhar, e em tudo, podemos fazer por nós
mesmos o que médico algum poderá.
Conselhos Sobre Regime Alimentar, pág. 406, 1º parágrafo
A reforma dietética deve ser progressiva. À medida que as doenças aumentam nos animais, o emprego de
leite e ovos se tornará cada vez menos livre de perigo. Deve-se fazer um esforço para os substituir com
outras coisas que sejam saudáveis e pouco dispendiosas. O povo de toda parte deve ser ensinado a
cozinhar sem leite e ovos, isto o quanto possível, fazendo não obstante comida sã e apetecível. — A
Ciência do Bom Viver, 320, 321 (1905).
Os que se podem prevalecer das vantagens de escolas de culinária devidamente dirigidas e higiênicas,
acharão isso um grande benefício, tanto em sua própria prática como em ensinar os outros. — Christian
Temperance and Bible Hygiene, 119 (1890).
Temperança, pág. 140, 2º parágrafo
Temperança no estudo — A intemperança no estudo é uma espécie de intoxicação, e aqueles que com ela
condescendem, à semelhança do ébrio, desviam-se das veredas seguras, e tropeçam e caem nas trevas. O
Senhor quer que todo o estudante conserve em mente que devemos ter em vista, unicamente a glória de
Deus. Ele, o estudante, não deve exaurir e gastar as faculdades mentais e físicas em buscar obter todo
conhecimento possível das ciências, mas cumpre-lhe conservar o brilho e o vigor de todas as suas energias
para se empenhar na obra que o Senhor lhe designou em auxiliar almas a encontrar a vereda da justiça.
Temperança, pág. 143, 3º parágrafo
Deus mantém um relato – A penalidade física do menosprezo das leis da natureza aparecerá em forma de
doença, estrutura física arruinada, e mesmo a própria morte. Mas um ajuste de contas tem de ser feito
também, finalmente, com Deus. Ele mantém um relato de toda obra, quer seja boa quer seja má, e no dia
do juízo cada homem receberá segundo a sua obra. Toda transgressão das leis da vida física é uma
transgressão da lei de Deus, e o castigo deve seguir-se e seguir-se-á a toda transgressão dessa espécie.
Conselhos Sobre Saúde, pág. 127, 4º parágrafo
Os que tem sido instruídos com relação aos efeitos prejudiciais do uso da alimentação cárnea, do chá e do
café, bem como de comidas muito condimentadas, e que estão resolvidos a fazer com Deus um concerto
com sacrifício, não há de continuar a satisfazer o seu apetite com alimentos que sabem ser prejudiciais a
saúde. Deus requer que o apetite seja dominado, e se pratique a renuncia no tocante as coisas que fazem
mal. É esta uma obra que tem de ser feita antes que o povo de Deus possa ser apresentado diante dEle
perfeito.
f) Temperança, pág. 148, 2º parágrafo
Educar hábitos, gostos e inclinações – Coisa alguma pode ser mais ofensiva a Deus do que mutilar ou
empregar mal os dons a nós emprestados para serem consagrados a Seu serviço. Esta escrito: “Quer comais,
quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus.”.

Capítulo “Estimulantes e Narcóticos” no livro Medicina e Salvação (de Ellen White)


O uso de chá, café e narcóticos, ópio e fumo, tem acarretado sobre os seres humanos enfermidades
de toda classe e de todo tipo. Essas danosas condescendências têm de ser sustadas, e não somente uma, mas
todas; pois todas são maléficas e ruinosas às faculdades físicas, mentais e morais, e devem ser interrompidas
do ponto de vista da saúde. O comum uso da carne tem tido influência destruidora sobre as qualidades
morais, bem como sobre a constituição física.
Agravos da saúde numa variedade de formas, se pudesse determinar a causa, revelariam o
resultado certo do uso da carne como alimento. O abandono do uso da carne, com pratos saudáveis
preparados com gosto para tomar o lugar de alimentos cárneos, poria um número bem grande de doentes e
sofredores numa melhor posição de recobrar a saúde, sem o uso de drogas. Mas se o médico encoraja um
regime cárneo a seus doentes, estará então criando a necessidade do uso de drogas.
As drogas têm sempre a tendência de debilitar e destruir as forças vitais, e a natureza torna-se tão
claudicante em seus esforços, que o enfermo morre, não porque tivesse de morrer, mas porque a natureza
foi violentada. Tivesse a natureza sido deixada sozinha, e teria dedicado os seus melhores esforços para
salvar a vida e a saúde. A natureza não necessita de nenhum desses auxílios que, dizem muitos, lhe têm
dado. Aliviai os fardos que lhe foram impostos, segundo o costume e as modas deste século, e vereis em
muitos casos a natureza endireitar-se a si mesma. O uso de drogas não é favorável nem natural em relação
às leis da vida e da saúde. A medicação por meio de drogas dá à natureza dois pesos para conduzir, em
lugar de um. Ela fia com duas sérias dificuldades para vencer, em lugar de uma.
Existe agora positiva necessidade, mesmo por parte dos médicos, reformadores no sentido do
tratamento da doença, de que sejam feitos maiores esforços para levar avante e acima a obra por eles
próprios, e para instruir com interesse os que deles esperam capacidade médica para verificar a causa das
suas enfermidades. Eles lhes devem chamar a atenção de modo especial para as leis estabelecidas por Deus,
as quais não podem ser impunemente violadas. Eles se detêm muito nos efeitos da doença, mas, em regra
geral, não despertam a atenção para as leis que devem ser sagrada e inteligentemente obedecidas, a fim de
evitar as enfermidades.

Segundo a PORTARIA Nº 1.050, DE 08 DE AGOSTO DE 1990 DO MINISTÉRIO DA


SAÚDE: O câncer que mais mata no mundo é o do pulmão. O principal vilão é o cigarro, que também
causa câncer na boca, na língua e todo o aparelho respiratório. Além de aumentar a predisposição ao
infarto, diminui a capacidade física, etc. Por tudo isso, o Ministério da Saúde, preocupado com a massa
que não sabe dos males (ou não quer saber) colocou um constante aviso aos que comprarem esse mal.

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), 200 mil pessoas no país morrem por ano em decorrência
do cigarro.
Os dados mais recentes sobre gasto que encontrei se referem ao ano de 2011 onde o Brasil gastou R$ 21
bilhões no tratamento de pacientes com doenças relacionadas ao cigarro, revela estudo inédito financiado
pela Aliança de Controle ao Tabagismo (ACT). O valor equivale a 30% do orçamento do Ministério da
Saúde em 2011 e é 3,5 vezes maior do que a Receita Federal arrecadou com produtos derivados ao tabaco
no mesmo período.

Considerando todas as faixas etárias, o número de mortes causadas pelo álcool chegou a 6.944 em 2012,
quase o dobro do registrado em1996, dado mais antigo disponível na base Datasus. Naquele ano, foram
3.973 óbitos associados ao consumo exagerado de bebida. No período, a alta no número de mortes foi de
74%.
De acordo com especialistas, o número de mortes associadas ao álcool deve ser ainda maior se computadas
as causas secundárias, como doenças provocadas pelo consumo por um longo período de tempo ou
violência associada à ingestão da bebida.
Dados de 2007 dão conta de que no Brasil 35 mil pessoas morrem nas estradas todos os anos devido ao
mesmo motivo, especialmente nos fins de semana e feriados. A estimativa coloca o Brasil entre os países
com a maior taxa de mortalidade no trânsito.

Todas as substâncias consumidas pela mãe (saudáveis ou não) têm efeitos sobre a criança que está em
gestação. Para saber as consequências do consumo de drogas durante a gravidez é necessário considerar as
características de cada uma delas.
O álcool consumido pela mãe passa diretamente pela placenta. Quando este hábito é muito
frequente podem ocorrer alterações fetais importantes, especialmente na face e no desenvolvimento
neurológico da criança. Embora o ideal seja que a gestante não tome bebidas alcoólicas, se ela beber
socialmente deve ser com moderação e nunca com o estômago vazio. É bom lembrar que na gravidez o
limiar de tolerância diminui e com pouca bebida a mulher pode ficar tonta.
Os efeitos do cigarro também são danosos ao bebê, durante a gravidez. Um dos mais sérios
refere-se à diminuição do volume dos vasos sanguíneos, causada pela nicotina, o que afeta diretamente o
cordão umbilical, por onde passa toda a alimentação do bebê. Se as artérias e a veia do cordão tiverem seu
calibre diminuído, há menos sangue, menos oxigênio e menos alimento para o bebê. As mulheres fumantes
têm, na maioria dos casos, filhos com baixo peso e maiores riscos de contrações, abortos e partos
prematuros. Às fumantes inveteradas, os médicos recomendam que diminuam sensivelmente o número de
cigarros e tentem eliminá-los a partir do quarto mês de gravidez.
Estudos sugerem que o uso de maconha durante a gravidez provoca dificuldades de
desenvolvimento fetal e há evidências de que pode aumentar a possibilidade de defeitos congênitos e
distúrbios de comportamento nos primeiros anos de vida da criança.
A cocaína causa no bebê os mesmos efeitos tóxicos provocados na mãe, além da possibilidade
de problemas cardíacos e falta de oxigenação.
Quanto aos medicamentos, qualquer um deles só pode ser utilizado pela gestante com prescrição
médica e é totalmente contraindicado o uso de inibidores de apetite, tranquilizantes e ansiolíticos.
Finalmente convém lembrar que o consumo de drogas afeta a mulher também do ponto de vista psicológico
e social, o que pode prejudicar o equilíbrio emocional e físico de que ela necessita durante a gravidez e a
amamentação, para o seu bem-estar e o da criança.

Fumente passivo é a pessoa que fica exposta a fumaça de cigarros, charutos, cachimbos, etc. em locais
fechados, fumados por pessoas com as quais convive, e que, mesmo sem ser fumante, fica suscetível
aos malefícios que o fumo causa.

Os ingredientes do cigarro

Nicotina- principal agente causadora do vício. Os especialistas afirmam que a nicotina consegue fazer em
apenas 10 segundos todo o percurso por nosso corpo: ser inalada e absorvida pelo pulmão, entrar em nossa
corrente sanguínea e desencadear um impacto cerebral, liberando substâncias que propiciam uma imensa
sensação de prazer. "Essa rapidez de impacto cerebral só é comparada com a cocaína". O vício começa
justamente quando a nicotina se liga aos receptores do nosso sistema nervoso, desencadeando a liberação
de diversas substâncias, como dopamina, que dão a sensação de prazer, melhoram da memória, deixam a
pessoa mais alerta, tiram o apetite, entre outros. Porém, quando o nível de nicotina no sangue cai, isso mais
ou menos umas duas horas depois do primeiro cigarro, a pessoa sente falta desse reforço positivo e tem
uma crise de abstinência. Os sintomas relacionados à abstinência, ou reforço negativo, são irritação,
nervosismo, dor de estômago, insônia e aumento do apetite. "A dependência se dá pela alternação do reforço
positivo com o negativo", diz a pneumologista. Quando o fumante sofre uma crise de abstinência, procura
fumar outro cigarro para sentir novamente o reforço positivo. E assim se inicia o ciclo vicioso. As doenças
relacionadas à nicotina são: aumento do ritmo cardíaco, infarto agudo do miocárdio, derrame cerebral,
angina, elevação do colesterol ruim (LDL), menopausa precoce, gastrite, úlcera gástrica, enfisema
pulmonar, bronquite crônica, doença obstrutiva arterial periférica, tromboangeite obliterante, obstrução
progressiva das artérias que pode culminar em amputação, além dos sintomas agudos como irritações
nasais, na garganta e nos olhos, tonturas e dor de cabeça.

Arsênico- ele é usado como pesticida durante o plantio do tabaco e não se perde durante a fabricação do
cigarro. Uma vez dentro do corpo, ocasiona lesões no fígado, rins, coração, pulmões, ossos e dentes, onde
fica armazenado.
Monóxido de carbono- poluente muito comum na atmosfera, em ambiente fechado é o principal gás
componente da poluição do tabaco. Os especialistas explicam que o monóxido de carbono, quando inalado,
compete com o oxigênio na ligação com a hemoglobina. Ou seja: ele toma o lugar do oxigênio na ligação
com nossas células sanguíneas, dificultando o transporte de oxigênio por todo nosso corpo, causando assim
dificuldade de respirar. Ao se ligar às nossas hemácias ele também deixa o sangue mais grosso, fazendo
com que nosso corpo tenha que produzir mais hemácias para suprir a quantidade parasitada pelo monóxido
de carbono. Por deixar nosso sangue mais denso, o monóxido de carbono pode facilitar a formação de
plaquetas, que virarão trombos, que poderão obstruir as artérias e dar margem a doenças cardíacas e derrame
cerebral. "Inclusive pessoas que não fumam, mas que já apresentam algum problema cardiovascular, podem
sofrer de dificuldade respiratória, asma e até ataque cardíaco ao inalar a fumaça do cigarro"
Cianeto- Esse gás incolor, usado no combate a pragas, cupins e baratas, combina-se com o ferro da
hemoglobina, bloqueando a recepção do oxigênio pelo sangue. Em alta concentração, pode matar por
sufocamento químico.
Fenolbenzofrina- Ácido carbólico que corroí e irrita as nossas membranas mucosas. Caso fosse ingerido
ou inalado era mortal! Para além de ser corrosivo afeta também o nosso sistema nervoso central.

Doenças relacionadas ao consumo do cigarro


Enfisema- doença que se inicia com traumatismos no pulmão e vias respiratórias fazendo com que o ar se
propague por locais que não lhe são naturais.
Dependencia- As drogas em geral, incluído o álcool e tabaco, tem elementos químicos que são viciantes e
produzem dependência nos que os consumem. No cigarro o elemento viciante é a nicotina.
Cirrose- Doença degenerativa do fígado. É uma inflamação crônica causada por excesso de produtos
químicos como drogas e álcool, sem cura e culmina na morte do acometido.

Textos Bíblicos
Romanos 12:1-2 - Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os
vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é vosso culto
racional.
E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente,
para que experimenteis qual seja boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.
I Coríntios 10:31 - Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para
glória de Deus.
I Coríntios 6:19-20 - Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que
habita em vós, o qual possuís da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?
Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo.
Provérbios 20:1 - O vinho é escarnecedor, a bebida forte alvoroçadora; e todo aquele que neles errar
nunca será sábio.
Gálatas 5:22-23 - Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a
benignidade, a bondade, a fidelidade.
a mansidão, o domínio próprio; contra estas coisas não há lei.
III João 1:2 - Amado, desejo que te vá bem em todas as coisas, e que tenhas saúde, assim como bem vai
a tua alma.