Você está na página 1de 8

M Universidade Federal do Rio de Janeiro

INSTITUTO DE MATEMÁTICA
DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA

– Turma Especial de Cálculo 2 – 2018/2

Questões de Provas Antigas


1a Parte - EDO de primeira ordem
du
Exercı́cio 1. Dada a equação = xu2 , considere as seguintes afirmativas:
dx
(1) A equação diferencial é separável;
(2) A equação diferencial é linear;
(3) Se u(x) é solução, então u é função crescente para x > 0;
2
(4) Se u(0) = −2, então a solução é u(x) = − 2 ;
  x +1
d 1 1
(5) =− .
dx u x
Assinale a alternativa correta
(a) Apenas as alternativas (2) e (5) são falsas.
(b) Apenas as altrenativas (1) e (4) são corretas.
(c) Apenas a altrenativa (2) é falsa.
(d) Apenas as altrenativas (1) e (3) são corretas.
(e) Todas as altrenativas são corretas.

Exercı́cio 2. Quantas soluções constantes tem a equação diferencial y ′ = xy 2 − x ?


(a) Uma;
(b) Infinitas;
(c) Duas;
(d) Nenhuma;
(e) Nenhuma das alternativas acima.

Exercı́cio 3. Um fator integrande da EDO xy ′ = 2y + ex é:


(a) x2 ;
(b) e2x ;
(c) e−2x ;
(d) 2x−2 ;
(e) Nenhumas das alternativas acima.

1
Exercı́cio 4. Considere a solução de xy ′ + 2y = 3x, y(1) = −7. Qual o valor de x > 0 tal que
y(x) = 0?

(a) 2.
(b) 3/10
(c) 10/3
(d) 8
(e) 2

Exercı́cio 5. Se y é a solução do problema de valor inicial

dy
+ ex y 2 = 0, y(0) = 1,
dx
então é errado afirmar que:
(a) y é limitada;
(b) y é decresente;
(c) y(x) > 0 para todo x ∈ R;
(d) y(1) < 1;
(e) lim y(x) = 0.
x→+∞

Exercı́cio 6. Seja y(x) a solução do problema de valor inical y ′ − 2y = e2x , y(0) = 1. Quanto vale
y(1)?
(a) e2 + 1;
(b) e2 ( e2 + 1)/2;
(c) 2 e2 ;
(d) ( e4 + 1)/2;
(e) e2 .

Exercı́cio 7. Se y(x) é solução da EDO y ′ + x + xy = 0, então lim y(x) é igual a


x→+∞

(a) −1
(b) 0
(c) 1
(d) +∞
(e) −∞

Exercı́cio 8. O número de soluções constantes da equação y ′ = x cos(x) é:


(a) infinito;
(b) 1;
(c) 2;
(d) 0;
(e) nenhuma das alternativas acima.

2

Exercı́cio 9. A solução geral da Equação diferencial xy ′ + y = x é (C denota uma constante
arbitrária):

(a) y = 2 x/3 + C/x;
(b) 2x3/2 e−x /3 + C e−x ;

(c) y = 2 x/3 + C;
(d) y = 2x3/2 e−x /3 + C;
(e) y = 2x3/2 /3 + C e−x .

Exercı́cio 10. Seja y(x) a solução da EDO sen(x)y ′ + cos(x)y = 1, definida no intervalo (0, π) e
tal que existe o limite lim y(x). Então,
x→0−

(a) lim− y(x) = 0;


x→0
(b) lim y(x) = 1;
x→0−
(c) lim y(x) = 2;
x→0−
(d) lim y(x) = π;
x→0−
(e) Não existe uma solução nessas condições.

Exercı́cio 11. A solução da EDO e2t y ′ + 2 e2t y = et é:


(a) y = 2 e−t + C e−t ;
(b) y = e−t + C e−t ;
(c) y = e−2t + C e−2t ;
(d) y = − e−t + C e−2t ;
(e) y = e−t + C e−2t .

2a Parte - EDO linear de segunda ordem


Exercı́cio 1. Qual o valor de a de modo que y = ex seja solução de y ′′ + ay ′ + y = 0 ?
(a) -2;
(b) -1;
(c) 0;
(d) 1;
(e) 2.

Exercı́cio 2. Se A ∈ R, a EDO y ′′ + 4y ′ + 4y = 3 e−2x tem solução da forma


(a) x e−2x + Ax2 e−2x ;
(b) A e−2x ;
(c) Ax e−2x ;
(d) e−2x + Ax e−2x ;
(e) Não sei.

3
Exercı́cio 3. Diz-se que uma função f (x) é limitada quando existe uma constante M > 0 tal que
|f (x)| ≤ M para todo x ∈ R. Assim, qual o valor de a para que a equação y ′′ + 2y = sen(ax) tenha
soluções y não limitada.

(a) 2;
(b) 2;
(c) π/2;
(d) π;
(e) 3.
Exercı́cio 4. Sendo y uma função de x, marque a alternativa em que temos uma EDO linear.
(a) x2 y ′′ + xy ′ = ex y + cos(x);
(b) x2 y ′′ + xy ′ = ex y 2 + cos(x);
(c) x2 y ′′ + x(y ′ )2 = ex y + cos(x);
(d) x2 y ′′ + xyy ′ = ex y + cos(x);
(e) x2 y ′′ + xy ′ = ex sen(y) + cos(x).

Exercı́cio 5. A EDO y ′′ + 4y ′ + 4y = x e−2x + x + cos(x) tem solução particular na forma:


(a) yp (x) = (Ax + B) e−2x + Cx + D + E cos(x) + F sen(x);
(b) yp (x) = (Ax3 + Bx2 ) e−2x + Cx + D + E cos(x) + F sen(x);
(c) yp (x) = (Ax3 + Bx2 ) e−2x + Cx + D + Ex cos(x) + F x sen(x);
(d) yp (x) = (Ax2 + Bx) e−2x + Cx + D + E cos(x) + F sen(x);;
(e) yp (x) = (Ax2 + Bx) e−2x + Cx2 + Dx + E cos(x) + F sen(x).

Exercı́cio 6. Dentre as EDOs abaixo, qual tem solução geral y(x) = e−x/2 C1 cos(x)+C2 sen(x) ?
(a) y ′′ + y ′ + 45 y = 0;
(b) y ′′ − y ′ + 54 y = 0;
(c) y ′′ + y ′ − 54 y = 0;
(d) y ′′ − y = 0;
(e) y ′′ + 4y ′ = 0.

Exercı́cio 7. O valor da constante a de modo que y = e−2x cos(x) seja solução de y ′′ + ay ′ + 5y = 0


é:
(a) 2;
(b) −2;
(c) 0;
(d) 4;
(e) −4.

Exercı́cio 8. A EDO y ′′ + 4y = e3x + cos(2x) tem uma solução particular na forma:


(a) Ax cos(2x) + Bx sen(2x) + C e3x ;
(b) A cos(2x) + B sen(2x) + Cx e3x ;
(c) Ax cos(2x) + Bx sen(2x) + Cx e3x ;
(d) Ax2 cos(2x) + Bx2 sen(2x) + Cx e3x ;
(e) Ax cos(2x) + Bx sen(2x) + Cx2 e3x .

4
Exercı́cio 9. A solução geral de y ′′ −4y ′ +4y = e2x pode ser escrita na forma y(x) = yh (x)+yp (x),
onde yh é a solução da equação homogênea e yp é da forma:
(a) Ax e2x ;
(b) A e2x ;
(c) A e2x + Bx e2x ;
(d) Ax2 e2x ;
(e) Nenhuma das anteriores.

Exercı́cio 10. Qual o valor de ω tal que a equação y ′′ − 2y ′ + 5y = cos(ωx) não tenha soluções
limitadas?
(a) ω = 2;
(b) ω = −2;
(c) ω = 1;
(d) ω = −1;
(e) Nenhuma das demais alternativas.

Exercı́cio 11. Qual o valor de b de modo que nenhuma solução de y ′′ + by ′ + 7 = 5y = e−t cos(2t)
seja da forma y = A e−t cos(2t) + B e−t sen(2t), para A, B ∈ R.
(a) Nenhuma das alternativas abaixo;
(b) -1;
(c) 1;
(d) -2;
(e) 2.

Exercı́cio 12. Sejam a, b e c constantes positivas e y(x) uma solução da EDO ay ′′ + by ′ + cy = 0.


Então o limite lim y(x)
x→+∞

(a) existe e vale π;


(b) existe e vale 0;
(c) existe e vale e;
(d) não existe e tende a +∞;
(e) não existe e tende a −∞;.

Exercı́cio 13. Seja y(x) a solução de y ′′ − 3y ′ + 2y = 10 sen x satisfazendo as condições iniciais


y(0) = 3 e y ′ (0) = 1. Então y(π) vale:
(a) −3;
(b) −1;
(c) 0;
(d) 1;
(e) 3.

5
Exercı́cio 14. Considere as seguintes afirmativas:
(1) A diferença entre duas soluções particulares da equação y ′′ + ay ′ + by = f (x) é solução
da equação y ′′ + ay ′ + by = 0;
(2) A função y(x) = 2 ex + cos(x) é solução da equação y ′′ + ay ′ + by = 0 para algum par
de constantes a e b;
(3) Todas as soluções de uma equação da forma y ′ + P (s)y = 0 são de múltiplas de uma
mesma função;
(4) Nem todo EDO linear de primeira ordem é necessariamente linear.
Marque a alternativa correta.
(a) Apenas a alternativa (2) é falsa;
(b) Apenas as alternativas (1) e (3) são verdadeiras;
(c) Apenas as alternativas (3) e (4) são falsas;
(d) Apenas as alternativas (1) e (3) são falsas;
(e) Todas são verdadeiras.

Exercı́cio 15. A função y(x) = 2 e3x , ∀ x ∈ R, só não é não é solução de qual das equações
abaixo?
(a) y ′′ − 2y − 8y = 0;
(b) y ′′ − 5y + 6y = 0;
(c) y ′′ + y − 12y = 0;
(d) y ′′ − y = 16 e3x ;
(e) y ′′ − 6y + 12y = 6 e3x ;

Exercı́cio 16. Se y(x) é uma solução y ′′ − 2y ′ + 5y = 0 satisfazendo as condições de contorno


y(0) = k1 > 0 e y(π/2) = k2 , então k2 /k1 vale:
(a) eπ/2 ;
(b) − eπ ;
(c) eπ ;
(d) − eπ/2 ;
(e) e−π ;

3a Parte - Modelagem

Exercı́cio 1. Considere um sistema mola-massa subamortecido cuja posição da massa no instante


t ≥ 0 satisfaz a equação diferencial x′′ (t) + βx′ (t) + 4x(t) = 0, onde β > 0 é a constante de
amortecimento. Suponha que x(0) = 0 e x′ (0) = 2. Qual o valor de β tal que instante t0 > 0 em
que a mass passa pela posição inicial, isto é, x(t0 ) = 0, é t0 = 3 ?
p
(a) β = 3 25 − π 2 /4;
p
(b) β = 2 4 − π 2 /9;
p
(c) β = 2 9 − π 2 /4;
p
(d) β = 2 4 + π 2 /9;
p
(e) β = 16 − π 2 /9.

6
Exercı́cio 2. Um tanque contém inicialmente 1000L de água pura. No instante t = 0 é introduzida
água salgada no tanque com uma concentração de 0, 2Kg/L a uma vazão de 2 − sen(t) L/min, ao
passo que a mistura homogeneizada sai do tanque a uma vazão de 2 L/min. Se Q(t) é a quantidade
de sal (em Kg) no tanque após t minutos, então:
dQ  2Q
(a) = 0, 2 2 − sen(t) − ;
dt 999 − sen(t)
dQ  2Q
(b) = 0, 2 2 − sen(t) − ;
dt 1000 + cos(t)
dQ  2Q
(c) = 0, 2 2 − sen(t) − ;
dt 1000 − sen(t)
dQ  2Q
(d) = 0, 2 2 − sen(t) − ;
dt 1000 + cos(t)
dQ  2Q
(e) = 0, 2 2 − sen(t) − .
dt 999 + cos(t)

Exercı́cio 3. Um tanque contém inicialmente 100L de água pura. Num dado instante t0 é intro-
duzida no tanque água salgada com uma concentração de 0, 2Kg/L a uma vazão de 2 L/min e a
mistura homogeneizada sai do tanque a uma vazão de 2 L/min. Se Q(t) é a quantidade (em Kg)
no tanque após t > t0 minutos, quanto vale lim Q(t) ?
t→+∞

(a) 40;
(b) 20;
(c) 10;
(d) 0;
(e) o limite não existe.

Exercı́cio 4. Um tanque contém inicialmente 15Kg de sal dissolvidos em 6000L de água. Água
salgado com concentração de 0,04Kg/L entra no tanque a uma taxa de 20L/min.A solução é mantida
homogênea e sai do tanque à mesma taxa d modo que o volume da salmoura n interior do tanque se
mantém constante. Se Q(t) denota a quantidade (em Kg) de sal no interior do tanque no instnate
t (em min), então:
(a) Q(t) = 0, 8 − 15 e−300t ;
(b) Q(t) = 15 − 0, 8 e−300t
(c) Q(t) = 15 + 20t;
(d) Q(t) = 225 − 240 e−t/300 ;
(e) Q(t) = 240 − 225 e−t/300 .

Exercı́cio 5. Considere um trecho do rio contendo 10 mil metros cúbicos de água limpa e com
fluxo normal de 18 metros cúbicos de água por segundo. Em determinado momento, ocorre um
vazamento em uma barreira próxima ao leito do rio e são despejados, no inı́cio deste trecho, 2
metros cúbicos po segundo de água poluı́da, com uma concentração de 40 quilogramas de poluente
por metro cúbico de água. A partir desse momento, o trecho do rio continua a receber 18 metros
cúbicos por segundo de água limpa da parte superior do rio, além de 2 metros cúbicos por segundo
de água poluı́da, ao mesmo tempo em que deixa fluir 20 metros cúbicos de água contendo o poluente
recebido. Admitindo a situação idealizada em que o poluente mistura-se imediatamente e de forma
homogênea em todo o trecho observado do rio, determine qual dos valores abaixo está próximo da
concentração de poluente nesse trecho do rio após uma hora (em Kg/m3 )

7
(a) 4 Kg/m3 ;
(b) 2 Kg/m3 ;
(c) 5 Kg/m3 ;
(d) 10Kg/m3 ;
(e) 20 Kg/m3 .