Você está na página 1de 14

ATOS DOS

APÓSTOLOS

Aula 11 (At 17.16 – 18.28)


Revisão da aula anterior (At 15.36 – 17.15)
► Empolgado pela decisão do Concílio de Jerusalém, Paulo
imediatamente inicia (em 49 d.C) a 2º viagem missionária, mas
agora ao lado de Silas e Timóteo (e não Barnabé e Marcos)
► Visitam província da Galácia (igrejas da 1º viagem) para fortalecer
igrejas dali, e por influência do Espírito Santo, vão à província da
Macedônia, chegando ao continente europeu
► Ali plantam igrejas em Filipos, Tessalônica e Beréia. Perseguições
e livramentos tornam-se o padrão da viagem
ATENAS (17.16-34) CORINTO (18.1-17) ÉFESO (18.19)
Mais ilustre centro Seu porto fez de Corinto Maior centro religioso
intelectual do mundo talvez o maior centro do império. Ali estava
antigo. Berço da econômico da época. grande Templo de
filosofia, da democracia Controlava comércio Ártemis/Diana, uma
e da cultura ocidental entre norte-sul e entre das 7 maravilhas do
leste-oeste mundo antigo
Atos 17.16 – 18.17: a missão na Acaia
ATENAS (17.16-34)
► Enquanto espera amigos, Paulo vai
conhecer Atenas e fica irado ao ver como a
cidade estava “sob os ídolos” (v.16)
► Paulo tem o mesmo sentimento que
Yahweh ao ver pessoas escravizadas pela
idolatria (do grego paroxyno)
► Perturbado, começa a discutir com judeus
(na sinagoga) e com atenienses (na ágora).
Ali debaterá com epicureus e estóicos
EPICUREUS ESTÓICOS
Visão deísta: deuses estão distantes e não se Visão panteísta: há um deus supremo, mas ele não
relacionam com o mundo dos humanos é pessoal, e sim uma energia (a “alma do mundo”)

O mundo está entregue ao acaso do cosmos. Não há Todo o mundo e todas as pessoas já têm um destino
vida após a morte, nem julgamento ou imortalidade traçado, uma ordem divina (o Logos) que deve ser
da alma ou do corpo. Abordagem materialista da vida seguida. A alma é eterna, mas não o corpo

O propósito da vida humana é viver em harmonia


O propósito da vida humana é perseguir a boa vida,
com o próprio destino estabelecido pela Razão
isso é, o prazer de uma vida serena e livre de toda
Divina (Logos) que estrutura o cosmos, resignando-
dor, paixão e perturbações emocionais
se diante das dores, sofrimentos e paixões

Resumo: a fatalidade, a submissão e a resignar-se


Resumo: o acaso, a fuga e o prazer
diante da dor
Ambos rejeitavam a antiga idolatria politeísta grega e sua vida
desregrada. Eram mais intelectuais e moralmente disciplinados
Atos 17.16 – 18.17: a missão na Acaia
O discurso de Paulo no Aerópago, o “tribunal intelectual” de Atenas
► v.22-23: introdução elogiosa (mas ambígua) à busca religiosa deles
► v.24-25: Deus é Criador, Senhor e Sustentador de tudo, e não pode
caber em templos e tampouco necessita de alguma coisa de nós
► v.26: Deus é Rei sobre todas as nações
► v.27: Deus pode ser buscado e encontrado
► v.28-29: se somos criação de Deus, a idolatria não faz sentido
► v.30-31: Deus irá julgar o mundo por meio de Jesus; é preciso
arrepender-se das ideias ignorantes acerca de Deus
► v.32-34: três tipos de reação à pregação de Paulo
O processo de contextualização de Paulo
(ou “como evangelizar alguém hoje?”)

Entrar na Desafiar a Apelar aos


cultura cultura ouvintes

Conhecer e valorizar a Revelar as contradições Chamá-los a


cultura e seus anseios, internas dessa cultura, e responder ao
buscas e medos – mostrar que suas Evangelho por meio
reconhecendo em tudo aspirações só podem ser do arrependimento e
os traços de Criação, plenamente realizadas fé em Jesus Cristo
Queda e Redenção em Jesus Cristo
Atos 17.16 – 18.17: a missão na Acaia
CORINTO (18.1-17)
► Paulo parece chegar à cidade cansado e
tomado por temores (1 Co 2.1-3)
► A razão talvez fosse a grande fama de
Corinto de “cidade imoral” devido à
promiscuidade sexual (cidade de Afrodite)
► Apóstolo é consolado ao conhecer Priscila
e Aquila, casal importantíssimo na Igreja
do I séc. Eram judeus convertidos a Cristo
Atos 17.16 – 18.17: a missão na Acaia
CORINTO (18.1-17)
► Após chegada de companheiros e oferta,
Paulo pode dedicar-se 100% à pregação
► Maioria judaica rejeita Evangelho, e Paulo
foca pregação aos gentios em uma casa
► Em uma visão (18.9-10), Jesus consola
Paulo, prometendo proteção e sucesso
missionário. É o que acontece
► Após 18 meses, o apóstolo é levado a
julgamento, mas liberado pelo procônsul
Gálio, que não o vê como ameaça política
Atos 18.18-22: fim da 2º viagem
missionária
► Paulo decide voltar a Antioquia da Síria e
Jerusalém, talvez para entregar voto de
gratidão no Templo e prestar contas
► Vai a Éfeso com Priscila e Aquila. Prega
pouco tempo e deixa seus amigos ali
► Depois segue para Cesaréia, Jerusalém e
Antioquia
► É o fim da 2º Viagem, importantíssima por
alcançar 3 novas províncias: Macedônia,
Acaia e Ásia
Atos 18.23: início da 3º viagem
missionária
► Depois de descansar alguns meses,
prestar contas de suas viagens e
fortalecer a Igreja de Antioquia, Paulo
inicia 3º viagem pela Galácia. É a única
região que ele visita nas três viagens
Atos 18.23: início da 3º viagem
missionária
APOLO DE ALEXANDRIA (18.1-17)
► Enquanto Paulo está na Galácia, Apolo de
Alexandria chega a Éfeso, onde estão
Priscila e Aquila
► Apolo é judeu de Alexandria, 2º maior
cidade do Império e maior colônia judaica
fora da Palestina. Era grande centro de
filosofia judaica
► Culto e fervoroso, Apolo provava que Jesus era o Cristo, mas só conhecia
o batismo de João Batista (para arrependimento) e não o do Espírito Santo
► Pricila e Aquila o instruem acerca disso e o enviam a Corinto, na Acaia
Cronologia de Atos dos Apóstolos
FATO HISTÓRICO NO LIVRO ANO OCORRIDO
Pentecostes At 1 30 d.C
Conversão de Saulo At 9 33 d.C
1º viagem missionária At 12.25 – 14.28 45/46 até 47/48 d.C
Concílio de Jerusalém At 15 49 d.C
2º viagem missionária At 15.36 – 18.22 49 a 52 d.C
Início da 3º viagem At 18.23 53 d.C
Obrigado por ter vindo!
Tem dúvidas ou sugestões?
Você pode falar comigo em:
andre_matheus91@hotmail.com
(16) 98818-0344