Você está na página 1de 5

Estudo sistemático da bíblia

Evangelho de João(2º material)


Prof.Silvestre

1) Jesus é o Criador
Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do
que foi feito se fez( João1,3)

Nele subsiste a eternidade


E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que
governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.
Miquéias 5,2

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros,
e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe
da Paz. ( Isaías 9:6)

Jesus não foi criado


Disseram-lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinquenta anos, e viste Abraão?
Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.
João 8:57-58

Jesus não foi criado, Ele é o criador.


O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; Porque nele foram
criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam
dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele. E ele é
antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele.
Colossenses 1:15-17

2) Jesus é luz e vida


Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. João 1:4

Deus sempre procurou dar vida ao homem


E fez o Senhor Deus a Adão e à sua mulher túnicas de peles, e os vestiu. Gênesis 3:21
Jesus é a vida eterna
"Também sabemos que o Filho de Deus é vindo, e nos tem dado entendimento para
reconhecermos o verdadeiro; e estamos no verdadeiro, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o
verdadeiro Deus e a vida eterna" (1 João 5.20)

Jesus diz: "Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, eternamente, e ninguém as
arrebatará da minha mão" (João 10.28).

"Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que
vive e crê em mim, não morrerá, eternamente. Crês isto?“ João 11.25-26

3) Jesus é a luz dos homens


a vida era a luz dos homens ( João 1:4)

Só seguindo a Jesus para ter a luz e caminhos iluminados


Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará
em trevas, mas terá a luz da vida. João 8:12

5 E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.


6 Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João.
7 Este veio para testemunho, para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele.
8 Não era ele a luz, mas para que testificasse da luz. João 1:5-8

Cristo foi rejeitado:


E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. João 1:5

Por quem e porque Cristo foi rejeitado?

Já estava profetizado:
1) A pedra que os edificadores rejeitaram tornou-se a cabeça da esquina. Salmos
118:22

2) Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça
de esquina. Atos 4:11
3) Diz-lhes Jesus: Nunca lestes nas Escrituras:A pedra, que os edificadores
rejeitaram,essa foi posta por cabeça do ângulo;pelo Senhor foi feito isto,E é
maravilhoso aos nossos olhos? Mateus 21:42

4) E assim para vòs, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes,a pedra que os edificadores
reprovaram, essa foi a principal da esquina,
E uma pedra de tropeço e rocha de escândalo,para aqueles que tropeçam na palavra, sendo
desobedientes; para o que também foram destinados. 1 Pedro 2:7-8

1. Jesus, o rejeitado
As narrações da infância mostram que, desde o início da vida, Jesus ficou marcado pelo
sinal da rejeição. Segundo Lucas, não havia lugar para que fosse acolhido no
nascimento (Lc 2,7). Segundo Mateus, Herodes quis matá-lo e Jesus teve de fugir para
o Egito até a morte do rei.

Desde o início do ministério Jesus encontrou a oposição das autoridades do seu povo,
que quiseram matá-lo (Mc 3,6). Em Nazaré foi rejeitado pelo povo no meio do qual
tinha crescido (Lc 4,29), e, segundo Marcos, a sua própria família o tinha por louco,
querendo prendê-lo (Mc 3,20-30). Durante todo o seu ministério, encontrou a
oposição dos doutores da lei, dos sacerdotes, do rei Herodes, isto é, de todas as
autoridades. Essas conspiraram para matá-lo (Mc 1-2 e paralelos).

Jesus foi rejeitado de modo absoluto: ninguém o apoiou, nem sequer o Pai interferiu
para dar algum sinal de apoio. No entanto, foi exatamente essa pessoa rejeitada que
Deus exaltou, fazendo dela o fundamento de seu Reino.

Jesus foi rejeitado, apesar de ser inocente dos crimes de que foi acusado. Como diz
Pedro ao povo: “Vós acusastes o Santo e o Justo, e exigistes que fosse agraciado para
vós um assassino, enquanto fazíeis morrer o Chefe da Vida” (At 3,14).

Esperanças frustradas

Na época do nascimento de Jesus, muitos judeus esperavam que o Messias aparecesse. Os


“que aguardavam o livramento de Jerusalém” pelo prometido Messias viram Jesus ainda
criança quando ele foi levado ao templo. (Lucas 2:38) Mais tarde, muitos que observavam as
obras de João Batista se perguntavam: “Será este o Cristo?” (Lucas 3:15)
Mas o que os judeus do primeiro século esperavam que o Messias fizesse?

Em geral, os judeus daqueles dias acreditavam que o Messias viria, que os libertaria do
opressivo jugo romano e restauraria o reino terrestre de Israel.

Falsos mestres

Antes de Jesus iniciar seu ministério, surgiram vários líderes carismáticos que promoviam a
oposição violenta contra o domínio político existente. As ações desses homens provavelmente
influenciaram as expectativas das pessoas em relação ao Messias. Jesus se contrastava
nitidamente com esses falsos Messias. Ele não promovia a violência, mas ensinava seus
ouvintes a amar seus inimigos e se sujeitar às autoridades. (Mateus 5:41-44)

Seu reinado era celestial e não da terra

Ele não cedeu aos esforços das pessoas de o fazerem rei. Em vez disso, ensinou que seu
reino ‘não fazia parte deste mundo’. (João 6:15; 18:36) Ainda assim, ideias preconcebidas a
respeito do Messias exerciam uma poderosa influência sobre as pessoas.

Até o Batista duvidou


João Batista viu e ouviu pessoalmente a milagrosa evidência da identidade de Jesus como o
Filho de Deus. Mas quando estava na prisão ele enviou seus discípulos para perguntar a Jesus:
“És tu Aquele Que Vem, ou devemos esperar alguém diferente?” (Mateus 11:3) Talvez João
quisesse saber se Jesus era mesmo o prometido Libertador, que cumpriria as expectativas dos
judeus.
Seus discípulos também não entenderam
Os apóstolos de Jesus acharam difícil entender que ele seria morto e depois ressuscitado.
Certa vez, quando Jesus explicou que era necessário que o Messias sofresse e morresse, Pedro
“tomou-o à parte e começou a censurá-lo”. (Marcos 8:31, 32) Pedro ainda não conseguia
perceber qual era a ligação entre a morte de Jesus e seu papel como o Messias.

O centro da decepção, a aclamação do povo e a morte de Cristo


Pouco antes da Páscoa de 33 EC, ao entrar em Jerusalém, Jesus foi recebido por uma
multidão entusiástica que o aclamou como Rei. (João 12:12, 13) Mas essa situação mudou
rapidamente. Na mesma semana, ele foi preso e executado. Após sua morte, dois de seus
discípulos lamentaram: “Nós esperávamos que este homem fosse o destinado a livrar Israel.”
(Lucas 24:21)

Mesmo depois do Cristo ressurreto, eles ainda tinham expectativas erradas


Mesmo quando o ressuscitado Jesus apareceu a seus discípulos, a ideia de que o Messias
estabeleceria um reino terrestre ainda existia. Eles perguntaram: “Senhor, é neste tempo que
restabeleces o reino a Israel?” Fica claro que expectativas incorretas a respeito do Messias
estavam profundamente arraigadas no coração e na mente dos ouvintes de Jesus. — Atos 1:6

A ficha cai na Ascenção


Depois da ascensão de Jesus ao céu e do derramamento do espírito santo, seus discípulos
entenderam claramente que o Messias governaria como Rei celestial. (Atos 2:1-4, 32-36) Os
apóstolos Pedro e João pregaram com coragem a respeito da ressurreição de Jesus, e os
milagres que eles realizaram forneceram evidências do apoio de Deus. (Atos 3:1-9, 13-15)
Milhares de pessoas em Jerusalém aceitaram a mensagem e se tornaram cristãos.