Você está na página 1de 6

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ

CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

NOME DOS ALUNOS

TÍTULO: SUBTÍTULO

CASTANHAL - PA
2018
NOME DOS ALUNOS

TÍTULO: SUBTÍTULO

Trabalho de produção de artigo apresentado ao


Curso de Engenharia de Produção da
Universidade do Estado do Pará (UEPA) como
parte da 2º avaliação, sob a orientação do Profº.
Me. Luiz Eduardo Chaves de Azevedo.

CASTANHAL-PA
2018
TÍTULO: SUBTÍTULO
(título e subtítulo na língua portuguesa)
Autor 1
Autor 2
Autor 3
Autor 4
Autor 5

RESUMO

O resumo só pode ser elaborado depois de concluído o trabalho e constitui-se de uma breve
explanação de todo o trabalho. Normalmente, o resumo não excede 900 caracteres (15 linhas
ou 150 palavras). O resumo deve ser uma apresentação concisa dos pontos mais relevantes do
texto.

Palavras-chave: ......................; .........................; ...........................…

ABSTRACT
Versão em inglês do resumo em itálico. (reverso.com site)

Keywords: …………………..;………………….;………………….

Orientador. Titulação xxxx. E-mail: ______________________.


2

Acadêmico. E-mail:_____________________
3

Acadêmico. E-mail:_____________________
4

Acadêmico. E-mail:_____________________
5

Acadêmico. E-mail:_____________________
1 INTRODUÇÃO

A introdução diz respeito ao próprio conteúdo do trabalho: sua natureza, sua


metodologia. A introdução não deve ser dispensada, pois é parte integrante do
desenvolvimento do trabalho científico.
Na introdução, deve-se anunciar a ideia central do trabalho delimitando o ponto de
vista enfocado em relação ao assunto e à extensão; deverá situar o problema ou o tema
abordado, no tempo e no espaço.
Nessa parte, deve ser enfocada a relevância do assunto no sentido de esclarecer seus
aspectos obscuros, bem como da contribuição desse trabalho para uma melhor compreensão
do problema.

2 CORPO DO TRABALHO – (DESENVOLVIMENTO)- (os títulos são livres conforme


o texto tratado)

Nesta seção, o autor deve se preocupar em apresentar o trabalho resultante de sua


pesquisa. Isto implica uma apresentação clara, lógica e objetiva, seja negativa ou positiva.
Para a apresentação, o autor poderá fazer uso de diversas ferramentas como dados estatísticas,
tabelas, gráficos e outros, de forma a complementar o texto e amparar as análises discutidas.
A apresentação do tema é a parte mais livre do trabalho, pois é nesse momento quando
o autor pode argumentar sobre o tema e inferir determinadas conclusões. Contudo, deve-se
levar em consideração que a argumentação deve ser sólida, além de seguir uma sequência
lógica e coerente.
Nesta etapa, o acadêmico deve apresentar a fundamentação teórica aprofundada sobre
o tema desenvolvido no artigo.

3 RESULTADOS E DISCUSSÃO

Os resultados obtidos a partir do aporte teórico, das análises realizadas e dos dados
obtidos no artigo devem ser discutidos neste espaço, podendo também estar complementados
com tabelas, quadros, gráficos ou outras formas que o acadêmico considerar conveniente.

4 CONCLUSÃO

A conclusão deve apresentar o posicionamento sintetizado da argumentação


desenvolvida no corpo do trabalho. Apresenta-se uma análise sobre o trabalho desenvolvido,
informando resultados e reflexões sobre a pesquisa. Também poderá ser relatada uma opinião
pessoal sobre a experiência que acaba de realizar, apresentando recomendações e sugestões
referentes ao aperfeiçoamento para futuros trabalhos.

5 REFERÊNCIAS

TAFNER, Elisabeth Penzlien; DA SILVA, Everaldo. Metodologia do Trabalho Acadêmico.


Indaial: ASSELVI, 2008.

Sites visitados 1. Metodologia da Pesquisa: Escolha do tema


http://metodologiadapesquisa.blogspot.com.br/2008/08/escolha-do-tema.html visitado em
24/09/2015
Jornais e Revistas 1. Empresário que sofreu acidente estava embriagado
http://noticias.band.uol.com.br/transito-sp/noticia/100000773087/empresario-bate-carroem-
tubulacao-de-gas-e-causa-vazamento.html em 24/09/15

OBSERVAÇÕES

FORMATAÇÃO:
• Formato do Documento em doc. ou docx.
• Papel: A4
• Fonte: Times New Roman ou Arial • Tamanho: 12
• Recuo 1ª linha parágrafo: 1,5
• Espaçamento: 1,0 linhas (simples).
•.Contendo no máximo 20 páginas e um mínimo de 10.
• Margens: - superior e esquerda 3 cm e - inferior e direita 2 cm.
• Obrigatório a numeração da página no canto superior ou inferior direito.

 Citações diretas – quando o autor do Artigo transcreve literalmente as palavras do


autor consultado.
Ex. Citação curta (autor não incluído na sentença)
“Se essa confiança pode ser medida e estabelecida é injustificável a omissão do teste [...]”
(CASTRO, 1978, p.104,
Ou

Discorrendo acerca da elaboração das etapas de pesquisa Castro (1978, p.104) afirma que “Se
essa confiança pode ser medida e estabelecida é injustificável a omissão do teste [...]”

 Citação longa: acima de três linhas(com autor incluído na sentença) – separado do


texto e inicia-se a 4cm da margem esquerda digitadas com fonte menor que 10 ou 11.
 Miranda e Gusmão (1997, p.19) assinalam que:
Um bom título é aquele redigido com o menor número possível de palavras e
que descreve adequadamente o conteúdo do artigo ou do trabalho de pesquisa
ou qualquer tipo de publicação científica, mantendo a boa comunicação a fim
de que o leitor perceba a relação entre o título e o conteúdo enfocado. A
relação harmônica entre o título e o texto demonstra a coerência sobre o
estudo desenvolvido.

Ou

Um bom título é aquele redigido com o menor número possível de palavras e


que descreve adequadamente o conteúdo do artigo ou do trabalho de pesquisa
ou qualquer tipo de publicação científica, mantendo a boa comunicação a fim
de que o leitor perceba a relação entre o título e o conteúdo enfocado. A
relação harmônica entre o título e o texto demonstra a coerência sobre o
estudo desenvolvido. (MIRANDA e GUSMÃO, 1997,p.19)
 Citações indiretas – quando o autor do trabalho comenta ou parafraseia as ideias do
autor consultado. Exemplos
Barras (1979) ressalta que, apesar da importância da arte de escrever para a ciência, inúmeros
cientistas não têm recebido treinamento neste sentido.
Ou Autor não incluído na sentença
Ressalta que, apesar da importância da arte de escrever para a ciência, inúmeros cientistas não
têm recebido treinamento neste sentido (BARRAS, 1979).
Ou
Conforme afirma Ortega e Gasset (1963, p. 160), “O homem é precisamente o que ainda não
é. O homem não se define pelo que é, mas pelo que deseja ser”.