Você está na página 1de 46

Elementos de

Transmissão
Correias
Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc.
Transmissão por polias e correias
Transmissão por polias e correias
As polias são peças cilíndricas, movimentadas pela
rotação do eixo do motor e pelas correias.

As transmissões por correias e polias apresentam as


seguintes vantagens:
• Possuem baixo custo inicial, alto coeficiente de atrito, elevada
resistência ao desgaste e funcionamento silencioso;
•São flexíveis, elásticas e adequadas para grandes distâncias entre
centros.
O que é uma Correia?

É o elemento da máquina que, sendo


movimentado por uma polia motriz, transmite
força e velocidade à polia movida ou é utilizado
para transportar mercadorias, sendo um dos
sistemas mais eficiente já inventado, e pode ser
usado em uma grande variedade de maquinas e
aplicações.
São divididas em dois grandes grupos :

1. Correias para transporte (transportadoras):


Geralmente largas esteiras, utilizadas para
transportar objetos, mercadorias, etc;

2. Correias de transmissão: Utilizadas para


movimentar acionamentos que exigem desde
força, velocidade, sincronismo de movimento
e/ou ambas.
Correias transportadoras
Utilizadas para transportar objetos,
Mercadorias, etc;
Principais tipos de correias de transmissão são:
• Correias em perfil “V” - seu formato lembra a forma da
letra “V” , quando cortado ao meio ;
• Correias Sincronizadoras - Correias dentadas onde os
dentes da correia engrenam nos dentes da polias, sendo
utilizadas em acionamento onde requer sincronismo de
movimentos e força ;
• Micro - V ou Poly V - Correia com pequenos frisos em V, que
são mais compactas que as correias em “V” convencionais ;
• Correias Variadoras de Velocidade - correia que, devido ao
seu formato lembra o perfil das correias em “V”, porém com
uma construção muito mais reforçada ,sendo utilizadas em
acionamentos que exigem mudanças periódicas de rotações.
Transmissão
Conjunto mecânico composto de duas ou mais
polias unidas por uma ou mais correias, para a
realização de movimento e/ou força de um eixo
(geralmente o eixo do motor) a outro eixo
(geralmente o eixo de maquinas).
Na transmissão por polias e correias, a polia que
transmite movimento força é chamada polia
motora ou condutora.
A polia que recebe movimento e força é a polia
movida ou conduzida.
Transmissão por correia plana
Essa maneira de transmissão de potência se dá
por meio do atrito que pode ser simples,
quando existe somente uma polia motora e uma
polia movida (como na figura abaixo), ou
múltiplo, quando existem polias intermediárias
com diâmetros diferentes
A correia plana permite ainda a transmissão
entre árvores não paralelas.
O que é uma Polia?

Parte de Elemento de máquinas , as polias são


peças cilíndricas, movimentadas pela rotação do
eixo do motor e pelas correias. Uma polia é
constituída de uma coroa ou face, na qual se
enrola a correia. A face é ligada a um cubo de
roda mediante disco ou braços.
Tipos de Polias
Formato da Polia Plana
Segundo norma DIN 111, a superfície de contato
da polia plana pode ser plana ou abaulada.
A polia com superfície plana conserva melhor as
correias e a polia com superfície abaulada guia
melhor as correias.
O acabamento superficial deve ficar entre quatro
e dez milésimos de milímetro (4~10μm).
Quando a velocidade da correia supera 25m/s é necessário equilibrar
estática e dinamicamente as polias (balanceamento).

A polia plana conserva melhor as correias, e a polia com superfície


abaulada guia melhor as correias. As polias apresentam braços a
partir de 200 mm de diâmetro.
A polia plana conserva melhor as correias, e a
polia com superfície abaulada guia melhor as
correias. As polias apresentam braços a partir de
200 mm de diâmetro. Abaixo desse valor, a
coroa é ligada ao cubo por meio de discos.
Polias Trapezoidal
A polia em “V” recebe o nome de trapezoidal porque
a superfície na qual a correia se assenta apresenta a
forma de trapézio ou de uma letra V.
As polias trapezoidais têm que ter canaletes (ou
canais) e são dimensionadas de acordo com o perfil
padrão da correia a ser utilizada nestas polias.
OBS.: TODAS AS POLIAS (SEM EXCEÇÃO)
DEVEM RESPEITAR AS NORMAS TÉCNICAS
DE CONSTRUÇÃO, E TAMBEM RESPEITAR
AS NORMAS DE TOLERÂNCIA, SEMPRE SE
EVITANDO POLIAS COM CONSTRUÇÃO DE
TOLERÂNCIA ZERADA .
Perfil Lateral Básico
Polias Sincronizadora
As polias sincronizadoras apresentam dentes ou
sulcos, onde os dentes das correias
sincronizadoras irão se encaixar para efetuar o
sincronismo de movimento.
Perfil Lateral Básico
Tensionador ou esticador
Quando a relação de transmissão supera 6:1, é
necessário aumentar o ângulo de abraçamento da polia
menor. Para isso, usa-se o rolo tensionador ou esticador,
acionado por mola ou por peso.
A tensão da correia pode ser controlada também
pelo deslocamento do motor sobre guias ou por
sistema basculante.
Polias Tensoras (esticadores)

São polias dentadas ou lisas que não transmitem


potência no acionamento e são usadas para tensionar
as correias.
Usadas em acionamento onde as distâncias entre
centros são muito pequenas ou a correia a ser
utilizada é muito grande. Existem dois tipos de polias
tensoras.
Polia tensora interna
- A polia tensora deve ter o diâmetro igual ou maior que a
menor polia do acionamento ;
- Se o acionamento for por correia em V , deve- se utilizar
polia tensora em V. Se for por correia sincronizadora, usa-
se polia tensora sincronizadora;
- Deve-se sempre colocar a polia tensora interna no meio do
acionamento, para não diminuir muito o ângulo de
contato da polia motora com a correia ;
- Alinhar corretamente a polia tensora para não
comprometer a vida útil da correia.
Polia tensora externa
-A polia tensora deve ter no mínimo o diâmetro uma vez e
meia (x1,5) maior do que o da menor polia do acionamento ;
- A polia tensora deve ter a largura igual ou maior do que a
largura da correia ;
- A polia tensora externa deve ser sempre lisa, pois irá
trabalhar nas costas da correia, independente do tipo de
correia ;
- Colocar sempre a polia tensora externa próxima à polia
motora, para aumentar o ângulo de contato da polia motora
com a correia ;
- Alinhar corretamente a polia tensora para não
comprometer a vida útil da correia.
Transmissão por correia em V
A correia em V é inteiriça (sem-fim) fabricada com
secção transversal em forma de trapézio. É feita
de borracha revestida por lona e é formada no seu
interior por cordonéis vulcanizados para absorver
as forças.
Perfil e designação das correias em V
A designação é feita por uma letra que representa o
formato e por um número que é o perímetro médio da
correia em polegada.
Os perfis são normalizados e denominam-se formato A,
B, C, D e E.
Perfil dos canais das polias
As polias em V têm suas dimensões normalizadas e são
feitas com ângulos diferentes conforme o tamanho.
Dimensões normalizadas para polias em V.
A correia não deve ultrapassar a linha do diâmetro externo
da polia e nem tocar no fundo do canal, o que anularia o
efeito de cunha.
Transmissão por Correia Dentada ou
Sincronizadora.
São correias em que a base apresenta dentes transversais à
largura da correia, sendo que este dentes servem para
encaixar nos sulcos ou dentes das polias, fazendo assim um
“engrenamento” do acionamento, com trabalho silencioso
tanto em baixa como em alta rotação, e sem a necessidade
de lubrificação do acionamento, realizando assim um
trabalho totalmente limpo , sem contaminação e silencioso.
Cuidados ao montar sua correia na máquina
(qualquer tipo de correia)
• Não force a correia sob a polia com alavancas de chave
de fenda, cabos de martelo ou outro tipo de alavanca.
• Ao manter as polias na máquina, não amasse as polias,
sejam as polias para correias Perfil “V”, polias
sincronizadoras ou outras.
• Retire dos canais ou dos dentes das polias, cavacos,
parafusos, restos de antigas correias ou outros “corpos
estranhos” que podem danificar ou diminuir a vida útil
da correia.
• Ao projetar uma transmissão ou reformar uma
máquina/transmissão, deixe um espaço para
regulagem entre o centro dos eixos de 10
milímetros (mínimo) até 100 milímetros.
• A vida útil (durabilidade) de uma polia em geral
é de 3 a 5 trocas de correias.
• Quando uma polia da transmissão está gasta,
troque todas as polias da transmissão.
Dicas da para melhor conservação de suas
correias e polias.
- Nunca lubrifique as correias, lubrifique somente as partes
móveis da máquina (rolamentos, mancais, eixos, etc.).
- Limpe as correias com estopa ou pano seco, nunca utilizando
querosene, tiner, gasolina, solupan ou outros.
- Não utilizar anti-derrapante entre polias e correias.
- Não utilizar “silicone ou graxa” entre polias entadas
sincronizadoras e correias sincronizadoras.
- Em caso de troca de correias, mantendo as mesmas polias,
limpe as polias retirando: cavacos, restos de borrachas ou
poliuretano de dentro das polias ou ainda outras impurezas.
Elementos de
Transmissão
Correias
Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc.