Você está na página 1de 10

F137 - RESUMO

Eletromagnetismo
Eletromagnetismo
Motor Eletroimã Eletroimã

Fechadura eletromagnética Motor elétrico Ressonância Magnética

Representação de um vetor perpendicular a um plano

1
Campo Eletromagnético

Regra da mão direita: Dedo polegar é o sentido da corrente e os demais dedos o sentido do campo
magnético.

Espira circular Bobina chata ou plana

É representado por N espiras circulares

B = Campo Magnético (T = tesla)

µ o = Constante de permeabilidade magnética no


váculo

i = intensidade de corrente elétrica (A = amperes)

R = raio da espira (m = metros)

N = número de espiras

2
Fio reto ou condutor retilíneo Solenóide ou espiral

B = Campo Magnético (T = tesla)

µ o = Constante de permeabilidade magnética no vácuo

i = intensidade de corrente elétrica (A = amperes)

R = raio da espira (m = metro)

N = número de espiras

L = comprimento do solenoide (m = metro)

3
Força Eletromagnética
Regra da mão “esquerda” (para carga positiva): Dedo polegar é o sentido força magnética, o dedo
indicador é o sentido do campo magnético e o dedo médio é o sentido da velocidade.
Para carga negativa, fazemos a regra da mão “esquerda” só que com a mão “direita”.
Lembre-se que estes três vetores estão perpendiculares entre si.

- Sobre uma carga elétrica em movimento imersa em um campo magnético


e uniforme:
Carga positiva ou um próton Carga negativa ou um elétron

Fm = Força magnética (N = newton) V = velocidade (m/s = metros por | |


segundo)
B = Campo Magnético (T = tesla)
T = Período (tempo para dar uma volta | |
q = Carga elétrica (C = coulomb) completa) (s = segundos)

R = raio da trajetória (m = metro) M = massa (kg = quilograma) | |


Obs.: Quando o ângulo entre a velocidade e o campo magnético for diferente de 90º, fazer: | |

4
- Sobre um condutor ou fio reto com uma corrente elétrica imersa em um
campo magnético e uniforme:
Regra da mão “esquerda”: Dedo polegar é o sentido força magnética, o dedo indicador é o sentido do
campo magnético e o dedo médio é o sentido da corrente elétrica.

Fm = Força magnética (N = newton)

B = Campo Magnético (T = tesla)


Em geral, o valor de é de 90º, sendo sen 90º = 1.
i = intensidade de corrente elétrica (A = amperes)
Assim:
L = comprimento do fio imerso no campo
magnético e uniforme (m = metro)

= ângulo entre o campo magnético e o fio.

5
- Sobre dois fios paralelos com corrente elétrica imersos em um campo
magnético e uniforme.

Fm = Força magnética (N = newton)

µ o = Constante de permeabilidade magnética no


vácuo

i1 e i2 = Correntes elétricas nos fios (A = ampere)

L = comprimento do fio imerso no campo


magnético e uniforme (m = metro)

r = distância entre os fios (m = metro)

6
Corrente elétrica induzida e fem (força eletro magnética) induzida

Quando deslocamos um fio, com uma velocidade


V perpendicular a um campo magnético B, surge
uma força magnética Fm que podemos obter o
vetor através da regra da mão direita 2 (que é a
mesma regra da mão “esquerda” com a mão
direita, por ser cargas negativas):

Isto ocorre, pois a carga elétrica que se desloca no


interior do fio ser o elétron, ou seja, negativa.

Isto faz com que os elétrons se desloquem no sentido da Fm, fazendo com que uma das extremidades do
fio fique com carga positiva e a outra extremidade com carga negativa.
Estas cargas, geram um campo elétrico do positivo para o negativo, como aprendeu em eletrostática.
Ao inserir uma carga negativa neste campo elétrico (o elétron que se desloca), aparece uma força elétrica
Fe com vetor contrário ao campo elétrico. Se eventualmente esta carga fosse positiva a força seria na
mesma direção do campo elétrico. Porém, nesta situação, isto não ocorre.
Isto cria uma ddp (diferença de potencial ou voltagem ou tensão ou fem) em seus terminais.
Esta Fe terá sempre seu sentido oposto ao da Fm.

Se este fio deslocar sobre um outro


condutor em forma de “U”, ele formará um
circuito fechado.
Surgirá uma corrente elétrica que
representamos no sentido contrário ao
deslocamento do elétron no interior do
condutor.

A fórmula para calcular a fem induzida “e”


em V (volt) será:

B = Campo Magnético (T)


L = Comprimento do fio (m)
V = Velocidade de deslocamento do fio
(m/s)
Para calcular a corrente elétrica induzida, podemos utilizar a 1ª Lei de Ohm:

7
Fluxo Magnético
Somente temos fem (força eletro
motriz ou voltagem ou tensão)
induzida numa espira, imersa em um
campo magnético, se ocorrer
variação do número de linhas de
indução que atravessam a superfície
da espira.
Fluxo magnético é a grandeza escalar
que mede o número de linhas de
indução que atravessam a área “A”
de uma espira, imersa num campo
magnético de indução de módulo
“B”. Assim:

Lei de Faraday-Neumann

= fluxo magnético (Wb = weber)


B = Campo Magnético (T = tesla) ou0
A = área da espira (m2 = metro quadrado)
= Ângulo entre o vetor normal “n” perpendicular
ao plano da espira e o vetor campo magnético “B”.

em = fem induzida média (V = volt). É negativa


pois a força eletromotriz induzida se opõe a
variação de fluxo que a origina (na próxima página
veja Lei de Lenz).
= Variação de fluxo magnética (Wb = weber)
t = variação de tempo (s = segundos)
N = número de espiras.

No vetor normal “n” paralelo ao campo magnético


“B” o ângulo entre eles é = 0º.
Assim, cos 0º = 1.
A fórmula do fluxo magnético fica:

Para o vetor normal “n” perpendicular ao campo


magnético “B” o ângulo entre eles é = 90º.
Assim, cos 90º = 0.
A fórmula do fluxo magnético fica:

8
Quando o vetor normal “n” é inclinado em relação
ao campo magnético “B” com um ângulo
qualquer, a fórmula do fluxo magnético fica:

Indução eletromagnética – Lei de Lenz


Para induzir uma corrente elétrica em um fio, é necessário que haja uma variação do fluxo magnético.
Assim, somente terá a formação desta corrente se movimentarmos um imã próximo ao fio, aproximando e
afastando deste fio.
Para determinar o sentido da corrente induzida, utilizando a “Lei de Lenz”. Vamos aqui dar uma regra
simplificada.
Ao se aproximar um polo de um imã em uma espira, desenhamos simbolicamente a letra do polo que
aproximou e isto indica o sentido da corrente elétrica induzida. Ao afastar este polo, o sentido da corrente
é dado pela letra do polo oposto.
Observe os exemplos:

Ao aproximar o polo
norte do imã na expira,
escreve a letra “N” de
norte. As pontas com as
flechas indicam o
sentido da corrente
induzida.
Já, quando afastamos o
polo norte, a letra escrita
é a do polo oposto. No
caso, o “S” de sul.

Da mesma forma, se
aproximar o polo sul, a
letra escrita é o “S” e se
afastar o polo sul, a letra
escrita é a oposta, no
caso, o norte.

9
Transformador

É um aparelho que permite modificar uma ddp alternada.


Pode aumentar ou diminuir, de acordo com a conveniência.

EP = ddp na bobina que será transformada = primário


ES = ddp na bobina após ser transformada = secundário
NP = número de espiras na bobina primária
NS = número de espiras na bobina secundária
IP = corrente elétrica na espira da bobina primária
IS = corrente elétrica na espira da bobina secundária
= fluxo magnético no núcleo do transformador

Se NS > NP, o transformador é um elevador de ddp.

Se NS < NP, o transformador é um abaixador de ddp.

10