Você está na página 1de 21

ANÁLISE ESTATÍSTICA

Unidade 2
Cálculo de probabilidades

Medidas Separatrizes
OBJETIVO
Calcular na forma de porcentagem dados referente a uma pesquisa, agrupa-
mentos de resultados de diversas áreas; de forma que possamos definir as
faixas desejadas.

1. Separatrizes (Si)

São valores que servem para dividir as distribuições de freqüências em


intervalos constantes.

Daremos atenção as seguintes medidas separatrizes:


a) Quartil (qi):

Valor situado na série que separa uma parte (25%) dos dados à esquerda .O
quartil é definido por q. Sendo que q1 = 25% ,q2= 50% e q3= 75%.Os valores de P
são as posições onde se encontram os dados.
q1 = P25
q2 = P50
q3 = P75
b)Decil (di):

Valor situado na seqüência ordenada que separa à sua esquerda 10% de seus
valores e 90% de seus valores à direita.
d1 = P10
d2 = P20
d3 = P30
d4 = P40
.
.
.
d9= P90

Onde: d2 representa o 2º quartil e P20 a posição do elemento.


C) Percentil (pi):

São os elementos que dividem a seqüência ordenada em 100 partes, ficando


cada parte com 1% de seus elementos.

Nota: Cálculo das medidas separatrizes

1º caso: Dados brutos ou rol

52
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Medidas Separatrizes

Exemplo 5.1: Dados os valores a seguir, calcule e interprete o valor do 1o quartil


(q1): x = {1,2,5,5,5,8,10,11,12,12,13,15}.

- Ordenamos a seqüência para obter o rol:

x = {1,2,5,5,5,8,10,11,12,12,13,15}

- Como n = 12 elementos, e sabemos que o 1o quartil separa a seqüência em


25%, então devemos calcular 25% de 12 que é o número de elementos da série:

O valor 3 indica a posição (P25) no Rol, ou seja, é o terceiro elemento da seqü-


ência ordenada. Desta forma:

Q1 = P25 = 5

INTERPRETAÇÃO
25% dos valores desta seqüência são menores ou iguais a 5 e 75% dos valores
desta seqüência são maiores ou iguais a 5.

2º caso: Variável discreta

Exemplo 5.2: Calcule o D4 para a série:

- n = fac (3+5+8+4+2) = 22 elementos


- Como D4 = P40, calculamos 40% de 22 e obtemos o quarto decil:

- O valor 8,8 indica a posição (P40), ou seja, é o oitavo elemento da distribui-


ção. Desta forma:
D4 = P40 = 8,8

- Usamos a freqüência acumulada para localizar o elemento que ocupa a 8,8a


posição. 40% dos valores desta distribuição são menores ou iguais a 4 e 60% dos
valores desta seqüência são maiores ou iguais a Xi= 5.

3º caso: Variável contínua

53
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de probabilidades

Onde:

pi = percentil i (i=1,2,3,...,99);
li = limite inferior da classe que contém o percentil i;
n = nº de elementos da série;
fant. = freqüência acumulada da classe anterior a classe que contém o pi;
fi = freqüência simples da classe que contém o percentil i;
h = amplitude do intervalo de classe.

Exemplo 5.3: A distribuição de freqüência abaixo, representa um consumo por


nota de 54 notas fiscais emitidas durante um dia por uma loja de departamentos.
Calcule e interprete q1 e P98.

a) Cálculo de q1

- n = 54 elementos e i = 25

- Como q1 = P25, calculamos 25% de 54 e obtemos a posição do P25 na série:

- Notamos através da freqüência acumulada que a classe que contém o elemento


que ocupa a posição 13,5 na série é a segunda classe.

- Agora fazemos uso da fórmula para calcular separatrizes de variável contínua:

- Observe que o valor 13,5 indica a posição e foi substituído na fórmula acima.
54
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Medidas Separatrizes

- 25% dos valores desta distribuição são menores ou iguais a 56,25 e 75% dos
valores desta seqüência são maiores ou iguais a 56,25.

b) Cálculo de P98

- i = 98. O procedimento é análogo ao caso anterior, porém devemos calcular


98% de 54 elementos.

- Notamos através da freqüência acumulada que a classe que contém o elemento


que ocupa a posição 52,92 na série é a quinta classe.

- Agora fazemos uso da fórmula para calcular separatrizes de variável contínua:


- 98% dos valores desta distribuição são menores ou iguais a 246 e 2% dos va-
lores desta seqüência são maiores ou iguais a 246.

EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO
1- A distribuição de freqüência abaixo representa folgas por ano de 50 funcionários
de uma indústria. Calcule : a) Q1 b) D1 e c) P95

RESPOSTAS
2 - Dada a série x = {3,4,6,9,10,12,15,15,17,20,29}, calcule: 1-
a) Q1 = 18
b) D1 = 18
a) Q1 c) P95 = 21
b) P95
2-
c) D4 Q1 = 5
P95 = 24,5
D4 = 9,5

55
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de probabilidades

Cálculo de probabilidades
Objetivo
Conhecer os modelos de probabilidade de forma prever situações de conflito
nas empresas como: previsões de demanda, vendas, reclamações de clientes
etc...

1. Introdução

Para estudar um fenômeno coletivo, faz-se necessário descrever este fenômeno


por um modelo matemático para melhor explicar tal fenômeno.

A teoria das probabilidades permite criar modelos matemáticos que elucidam


um grande número de fenômenos coletivos fornecendo estratégias para tomada de
decisões.

2. Tipos de fenômenos

Entendemos por fenômeno qualquer acontecimento natural. Os fenômenos re-


cebem duas classificações a depender dos seus possíveis resultados:

a) Fenômenos determinísticos:

São aqueles que repetidos sob as mesmas condições geram um só resultado.

b) Fenômenos aleatórios:

São aqueles que mesmo que aconteçam repetidas vezes sob condições seme-
lhantes apresentam resultados imprevisíveis.

O estudo da teoria das probabilidades só deve ser aplicado quando lidarmos com
um fenômeno aleatório, pois a teoria das probabilidades não fornece um modelo ade-
quado quando o fenômeno é determinístico. Dentre os fenômenos aleatórios temos
a classe que designamos por experimento cujas características são:

 Repetitividade: repetição do experimento quantas vezes o pesquisador


desejar.

 Regularidade: diz respeito à possibilidade da ocorrência dos resultados


dos fenômenos. Sua avaliação numérica gera as probabilidades.

3. Espaço amostral

A cada experimento correspondem, em geral, a vários resultados possíveis.


Seja o experimento lançar uma moeda. Há dois resultados possíveis: ocorrer cara
ou ocorrer coroa.
56
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de Probabilidades

Ao conjunto destes resultados possíveis damos o nome de espaço amos-


tral, representado por S.

Se representarmos cara com a letra C e coroa com a letra K, o espaço amostral


do experimento citado anteriormente será: S = {C, K).

Se um experimento A pode ser realizado de n maneiras diferentes e um expe-


rimento B pode ser realizado de m maneiras diferentes, então o encadeamento dos
experimentos A e B pode ser feito de n.m maneiras diferentes. A disposição gráfica
para este caso é chamada de diagrama de árvore.

Para exemplificar a técnica de diagrama de árvore tomemos o lançamento de


duas moedas. Para efeito de observação das faces superiores da moeda, lançar si-
multaneamente duas moedas é o mesmo que lançar uma moeda duas vezes.

Ao lançar a moeda na primeira vez há duas ocorrências possíveis. E na segunda


vez há também duas ocorrências possíveis. A seqüência dos dois lançamentos terá
2.2 = 4 ocorrências possíveis, que podem ser representadas na forma do diagrama
de árvore:

Figura 1: Representação do diagrama de árvore

Os possíveis resultados do lançamento de duas moedas estão estabelecidos em


cada ramo da árvore: S = {cc, ck, kc, kk}.

 Na jogada de um dado o numero total de possíveis resultados, geralmente é


representado por N=6. Ou seja; um dado ao ser arremessado por dar do numero 1
ao 6.

 Na jogada de uma moeda podemos obter dois resultados: cara ou coroa ou


seja; N=2.

4. Eventos

Qualquer subconjunto do espaço amostral S de um experimento aleatório,


representado por E.

57
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de probabilidades

a) Evento certo: quando ocorre elementos pertencentes ao espaço


amostral.

b) Evento impossível: quando ocorre elementos não pertencentes ao

5. Definição de probabilidade

Chamamos de probabilidade um evento A ocorrer se (A E). A probabilidade


clássica é aplicada às situações em que os resultados que formam o espaço amostral
acontecem com a mesma regularidade, ou seja, os resultados são equiprováveis- tem
a mesma probabilidade de ocorrência. Tal que:

onde:
p (ai) = probabilidade de ocorrência do resultado ai;
n (ai) = número de elementos do evento;
S = número de elementos do espaço amostral

Nota
A probabilidade não pode ser negativa.
 Quando um elemento não tem possibilidade de ocorrer, dizemos que sua
probabilidade de ocorrer é zero.
 Quando um elemento ocorrer com certeza, dizemos que sua probabilidade
de ocorrência é 100%, ou seja, seu resultado máximo deve ser igual a 1.

Exemplo: No lançamento de um dado, qual a probabilidade de ocorrer um nú-


mero par?

- E = {1,2,3,4,5,6} como o dado possui 3 números pares, temos:


- n (ai) = 3
-S=6

Exemplo: Qual a probabilidade de sair às de ouro quando retiramos uma carta


de um baralho contendo 52 cartas?

- n (ai) = 1
- S = 52

Exemplo: Qual a probabilidade de sair um rei quando retiramos uma carta de um


58 baralho contendo 52 cartas?
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de Probabilidades

- n (ai) = 4 (considere que existem quatro naipes distintos no baralho),


- S = 52

6. Eventos complementares

Sabemos que um evento pode ocorrer ou não. Sendo p a probabilidade de que


ele ocorra (sucesso) e q a probabilidade de que ele não ocorra (insucesso), para um
mesmo evento existe sempre a relação:

Assim, no exemplo anterior, vimos que a probabilidade de sair um rei no baralho


é 1/13. Qual a probabilidade de que este evento não ocorra?

- A probabilidade para que este evento não ocorra, ou seja seu insucesso é de
92,3%.

7. Eventos independentes ou do produto

Dois eventos são independentes quando a realização ou a não-realização


de um dos eventos não afeta a probabilidade de realização do outro e
vice-versa.

Sendo p1 a probabilidade de realização do primeiro evento e p2 a probabili-


dade de realização do segundo evento, a probabilidade de estes eventos se realizem
simultaneamente é dada por:

Exemplo: Seja o lançamento de dois dados. Qual a probabilidade de obtermos,


simultaneamente, 1 no primeiro dado e 5 no segundo?

- Devemos calcular individualmente a probabilidade de cada evento:

“Probabilidade de obtermos 1 no primeiro dado:

“Probabilidade de obtermos 5 no segundo dado:

- Logo, a probabilidade de obtermos, simultaneamente, 1 no primeiro e 5 no


segundo é:

59
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de probabilidades

8. Eventos mutuamente exclusivos

Dois ou mais eventos são mutuamente exclusivos quando a realização de um


exclui a realização do (s) outro (s).

Se dois eventos são mutuamente exclusivos, a probabilidade de que um


ou outro se realize é igual a soma das probabilidades de que cada um
deles se realize:

p = p1+p2

Exemplo: Lançamos um dado. Qual a probabilidade de tirar 3 ou 5?

- Como p1 = 1/6 e p2 = 1/6 e como a ocorrência de um evento exclui a do


outro, temos:

9. Cálculo de probabilidades

a) Probabilidade da reunião

Se A e B são eventos quaisquer, então:

Normalmente no conjunto reunião, existe a conjunção “ou” para identificar que


está existindo uma reunião dos dados.

Exemplo: Considere uma distribuição contendo 200 alunos que freqüentam


uma Universidade. Os dados são relacionados segundo sexo e curso dos mesmos.
A distribuição é a seguinte:

a) Qual a probabilidade de escolher uma pessoa e ser homem?

b) Qual a probabilidade de escolher uma pessoa que cursa Administração.

60
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de Probabilidades

c) Qual a probabilidade de se escolher uma pessoa que cursa Direito ou Admi-


nistração

d) Qual a probabilidade de escolher um estudante cursa direito desde que seja


mulher.
P( D ∩ M ) 1 5
P( D / M ) = =
P( M ) 85

e) Qual a probabilidade de escolher uma pessoa do sexo feminino desde que


cursa Administração.
P( M ∩ ADM ) 4 0
P( M / A) = =
P( ADM ) 11 0

f) Qual a probabilidade de escolher um estudante do sexo masculino desde que


curse Ciência da Computação.
P( M ∩ C ) 2 0
P( M / C ) = =
P(C ) 30
g) Qual a probabilidade de se escolher uma pessoa ao acaso e ela ser do sexo
masculino ou cursar Administração ?

Observando o quadro vemos que:


115
O número de Homens é igual a 115, então: P ( H ) = .
200
O numero de estudantes de Administração entre homens e mulheres é de 110,
então: 110 .
P( A) =
200

- Existem 70 alunos que cursam Administração e que ao mesmo tempo são do


sexo masculino P( A ∩ H ) = 7 0 .
200

- Aplicando a fórmula de probabilidade da reunião, temos:


P( A ∪ H ) = P( A) + P( H ) − P( A ∩ H )
115 110 7 0 155
P( A ∪ H ) = + − =
200 200 200 200

b) Probabilidade condicional

É a probabilidade de um determinado evento ocorrer na condição de que outro


evento já tenha ocorrido. Ou seja, definimos probabilidade condicional de A dado que
B ocorre (A/B) como segue:
P( A ∩ B) , se P (B) ≠ 0
P( A / B) =
P( B)

também
P( B ∩ A) , se P (A) ≠ 0
P( B / A) =
P ( A)

Exemplo - Qual a probabilidade de que um estudante escolhido ao acaso, que


esteja matriculado em Eng. de Produção seja do sexo feminino? Considere a distri-
61
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de probabilidades

buição do Exemplo anterior.

- O primeiro passo é definir a fórmula a ser utilizada. Se o aluno já está matricu-


lado em Eng., logo é uma condição. Assim, para determinar a probabilidade de uma
pessoa do sexo feminino estar matriculada em Eng a melhor formula será:
P( E ∩ M )
P( M / E ) =
P( E )

- Observando a formula, necessitaremos dos alunos que cursam os dois cursos


e dos alunos que cursam somente Engenharia.

-Entre 200 alunos, 20 Mulheres cursam Engenharia, então:


20
P( E ∩ M ) =
200 .
- O número de Homens e Mulheres que cursam Engenharia é igual a 30, então:
30
P( E ) =
200 .
- Aplicando a fórmula de probabilidade condicional, temos:
P( E ∩ M )
P( M / E ) =
P( E )
2 0 / 200 2
P( M / E ) = =
3 0 / 200 3

c) Probabilidade intersecção
É a probabilidade de um determinado evento ocorrer simultaneamente com outro
evento.

Normalmente o evento vem acompanhado da conjunção “e”indicando que os


eventos ocorrem ao mesmo tempo.

Exemplo: Os funcionários de uma empresa foram classificados de acordo com


seu grau de escolaridade e nível salarial segundo o quadro abaixo:

Um funcionário é escolhido ao acaso. Determine a probabilidade de que:

62
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de Probabilidades

a) Tenha o 1º Grau
n( A) 161
P( A) = =
n( S ) 208
b) Tenha o 2º Grau
n( B ) 3 6
P( A) = =
n( S ) 208
c) Tenha o 3º Grau
n(C ) 1
P( A) = =
n( S ) 208
d) Tenha nível salarial II e 2º Grau (exemplo de interseção)
n( I ∩ B ) 1 0
P( I ∩ B) = =
n( S ) 208
e) Tenha nível salarial III, sabendo-se que possui o 3° Grau (condicional)
P( III ∩ C ) 4 / 208 4
P( III / C ) = = =
P(C ) 1 / 208 1 1
f) Tenha 2º Grau, sabendo-se que tem nível salarial III (condicional)
P( B ∩ III ) 5
P ( B / III ) = =
P( III ) 10
g) Tenha 3º Grau e nível salarial I (interseção)
P(C ∩ I )
P(C ∩ I ) = =0
P( S )
h) Tenha nível III ou 2º Grau (reunião)
P( III ∪ B) = P( III ) + P( B) − P( III ∩ B)
10 3 6 5 41
P( III ∪ B) = + − =
208 208 208 208
Exemplo: O quadro abaixo representa um grupo de 30 Mulheres segundo o es-
tado civil e a cor dos cabelos.

63
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de probabilidades

Uma mulher é escolhida ao acaso.

a) Qual a probabilidade de que seja casada?

b) Qual a probabilidade de não ser loira?

c) Qual a probabilidade dela ser solteira ou casada? (reunião)


P ( S ∪ C ) = P ( S ) + P (C ) − P ( S ∩ C )
2 16 18
P(S ∪ C ) = + −0 =
30 30 30
d) Qual a probabilidade dela ser loira e casada? (interseção)

e) Qual a probabilidade dela ser morena desde que casada? (condicional)

10. Teorema da probabilidade total

Suponha que o espaço amostral S de um experimento seja dividido em três


eventos: R1, R2, R3, de modo que:

O teorema da probabilidade total pode ser escrito de forma geral:

A probabilidade total é utilizada quando se tem várias probabilidades e vários


64 eventos que estão interligados.
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de Probabilidades

Exemplo: Um piloto de Fórmula 1 tem 50% de probabilidade de vencer determi-


nada corrida, quando esta se realiza sob chuva. Caso não chova durante a corrida,
sua probabilidade de vitória é de 25%. Se o serviço de Meteorologia estimar em 30%
a probabilidade de que chova durante a corrida, qual é a probabilidade deste piloto
ganhar esta corrida?
- Vamos definir os eventos por:

G: piloto ganhar a corrida


Ch: chover durante a corrida
NCh: não chover durante a corrida

- A probabilidade a ser obtida é de ganhar a corrida (G). Durante a corrida existe


a possibilidade de chover (ch) e de não chover (Nch), probabilidades que devem entrar
no calculo para se determinar a possibilidade do piloto vencer. Então, substituindo
os eventos na fórmula da probabilidade total:
P (G ) = P (G / C h). P (C h) + P (G / Nch). P ( Nch)
P (G ) = 0,5 0.0,3 0 + 0,2 5.0,7 0
P (G ) = 0,325 ou 32,5%
Exemplo: As máquinas A e B são responsáveis por 70% e 30% respectivamente,
da produção da empresa. Sendo que a máquina A produz 2% das peças defeituosas
e a máquina B produz 8%. Calcule a (%) de peças defeituosas desta empresa.

- Vamos definir os eventos por:


A: máquina A
B: máquina B
D/A: peças defeituosas de A
D/B: peças defeituosas de B

- P(A) = 0,70
- P (B) = 0,30
- P (D/A) = 0,02
- P (D/B) = 0,08

VEJAMOS
- Para se determinar a porcentagem de peças defeituosas, em um lote é necessá-
rio saber quanto se produz de cada tipo de produto e quanto existe de defeitos. Logo:
P( D) = P( D / A). P( A) + P( D / B). P( B)
P ( D) = 0,0 2.0,7 0 + 0,0 8.0,3 0
P( D) = 0,038 ou 3,8%

11. Diagrama da árvore

O diagrama pode ser uma ferramenta valiosa para resolver problemas complexos.
Veja o exemplo

Exemplo 6: Uma urna contém duas bolas brancas (B) e três vermelhas (V).
Suponha que são sorteadas duas bolas ao acaso, sem reposição. Isso significa que 65
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de probabilidades

escolhemos a primeira bola, verificaremos a sua cor e não a devolvemos á urna;


misturamos as bolas restantes e retiramos a segunda. Veja no quadro o resultado.
Diagrama em árvore para a extração de duas bolas de uma urna, sem reposição.

a) Qual a probabilidade de obtermos bolas brancas na 1ª extração?

Veja que temos esta possibilidade na ordem 1 e 2. Então, basta somar as


probabilidades.

P(B) = 2/20 + 6/20 = 8/20

b) Qual a probabilidade de encontrarmos bolas vermelhas não importando a


ordem?

Como se pode ver as bolas vermelhas estão em 1, 2 e 3. Logo basta somar as


probabilidade.

P(V) = 6/20 + 6/20+ 6/20 = 18/20

Exemplo- Num certo colégio, 4% dos homens e 1% das mulheres têm mais do
1,75 m de altura. 60% dos estudantes são mulheres. Um estudante é escolhido ao
acaso e tem mais do que 1,75 m. Qual a probabilidade de que seja homem?

66
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de Probabilidades

P( H ∩ A) 0,016 8
P( H / A) = = =
P( A) 0,022 1

12. Teorema de Bayes

Sejam A1, A2, ..., An eventos que formam uma partição do espaço amostral S.
Seja B S. Sejam conhecidas P (Ai) e P (B/Ai), i = 1,2, ... , n. O teorema da proba-
bilidade de Bayes pode ser escrito de forma geral:

P(B ).P( A / B )
j j
P(B / A) = , j = 1, ..., n
Ou: j n
∑ P(B ).P( A / B )
i i
i =1

P ( B1).P ( A / B1)
P ( B1 / A) =
P ( B1).P ( A / B1) + P ( B2 ).P ( A / B2 ) + ... + P ( Bn )

- O teorema de Bayes nos auxilia para determinar por exemplo a quantidade de


defeitos produzidos por uma máquina

Exemplo: Em uma fábrica de enlatados, as linhas de produção I, II, III, respondem


respectivamente, por 50%, 30% e 20% da produção total. As latas defeituosas são
respectivamente 0,4%, 0,6% e 1,2%.

Uma lata é escolhida ao acaso da produção de 3 linhas. Dado que a mesma é


defeituosa, qual a probabilidade dela ter sido fabricada na linha I?

Resolução:

P(I) = 0,50
P (II) = 0,30
P (III) = 0,20

P (D/I) = 0,4
P (D/II) = 0,6
P (D/III) = 1,2 67
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de probabilidades

- Aplicando a fórmula do teorema da probabilidade de Bayes, temos:


P ( I ). P ( D / I )
P( I / D) =
P ( I ). P ( D / I ) + P ( I ). P ( D / I ) + P ( III ). P ( D / III )
(0,5 0.0,4)
P( I / D) =
(0,5 0.0,004 + 0,3 0.0,006 + 0,2 0.0,012)
P( I / D) = 0,323

Exercícios RESOLVIDOS

1) O quadro abaixo representa a classificação por sexo e por estado civil, de um


conjunto de 50 deputados presentes em uma reunião. Uma pessoa é sorteada ao
acaso.Determine a probabilidade dos eventos:

a) Ser homem; R: P (A) = 0,6


b)Ser uma mulher; R: P (B) = 0,4
c) Ser uma pessoa solteira; R: P (C) = 0,16
d) Ser uma pessoa divorciada; R: P (D) = 0,24
e) Ser solteiro e homem; R: P(S ∩ H) = 5/50 = 0,10 ou 10%
f) Ser casada e mulher; R: P(C ∩ M) = 8/50
g) Ser solteiro desde que seja homem: R: P(S ∩ H) / P(H) = 5 / 30 = 0,16
ou 16%
h) Ser mulher desde que seja divorciada: R: P(M/D) = P(M D) /
P(D) = 5/30 = 0,41 ou 41%
I) Ser homem ou ser uma pessoa casada; R: P(P ∩ C) = P(H) + P(C) -
P(H ∪ C) = 30/50 + 18/50 - 10/50 = 38/50

2) Um experimento consiste em sortear um aluno em uma classe pela lista de


chamada de 1 a 20. Determine a probabilidade dos seguintes eventos.

a)Ser sorteado um no par. R: P (A) = 0,5


b)Ser sorteado um no maior do que 12. R: P (B) = 0,4

3) Algumas caixas contêm 15 peças defeituosas de um total de 40. Qual a


probabilidade de se retirar uma ao acaso e não ser defeituosa?

4)Uma empresa avalia em 0,70 a probabilidade de ganhar uma concorrência para


exportar o seu produto para a América Central. Se ganhar, acredita-se que tem 0,90
de chances para exportar para os EUA. Determine a probabilidade de ganhar ambas.
68
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de Probabilidades

5) Uma empresa avalia em 60% a sua probabilidade de ganhar uma concorrência


para recolhimento do lixo no bairro A da capital. Se ganhar a concorrência no bairro
A, acredita que tem 90% de probabilidade de ganhar outra concorrência para o reco-
lhimento do lixo em um bairro B próximo a A. Qual a probabilidade de ganhar ambas?

6) No primeiro ano de uma faculdade, 25% dos estudantes são reprovados em


matemática, 15% são reprovados em estatística e 10% são reprovados em ambas.

a)Qual a probabilidade de um aluno ser reprovado em matemática, sabendo


que foi reprovado em estatística.

b) Qual a probabilidade de não ser reprovado em Estatística, sabendo-se


que foi reprovado em Matemática.

7) Um pesquisador desenvolve sementes de quatro tipos de plantas, P1, P2,


P3, P4. Plantados canteiros-pilotos destas sementes, a probabilidade de todas ger-
minarem é de 40% para P1, 30% para P2, 25% para P3 e 50% para P4. Um canteiro
é selecionado ao acaso. Qual a probabilidade de que todas as sementes ali tenham
germinado?

8) Em uma agencia bancária, 30% das contas são de clientes que possuem che-
que especial. O histórico do banco mostra que 3% dos cheques apresentados são
devolvidos por insuficiência de fundos e que dos cheques especiais, 1% são devolvidos
por insuficiência de fundos. Calcule a probabilidade de :

a) Um cheque não especial que acaba de ser apresentado ao caixa seja


devolvido.
b) Um cheque especial, sabendo que acaba de ser devolvido.

9) Um aluno propõe resolver a questão sem necessidade de uma pesquisa é de


40%.Caso faça a pesquisa, a probabilidade de que consiga resolver a questão é de
70%. Se a probabilidade do aluno fazer a pesquisa é de 80%, calcule a probabilidade
de que consiga resolver a questão.

10) Um grupo de 12 homens e 8 mulheres concorreram a 3 prêmios através de


sortetio. Qual a probababilidade?

a) nenhum homem ser sorteado


b) dois homens serem sorteados
c) um prêmio ser ganho por um homem.

69
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de probabilidades

10 H HHH
18

10 H 8 M HHM
18 18

8 M 11 H HMH
12 H 18
20 19

7 M
8 M HMM
18
20 7 M
18 MHH
12 H
19
11 H MHM
18

7 M 12 H MMH
19 18

16 M
18 MMM

11) Em média 5% dos produtos vendidos por uma loja são devolvidos. Qual a
probabilidade de que, das Tvs próximas unidades vendidas, duas sejam devolvidas.

12) Um homem possui 3 bilhetes de um total X 100 No. 5 ele concorreu a dois
prêmios. Qual a probabilidade.

a) ganhar 2 prêmios 3 . 2
100 99
97 . 3
b) ganhar o 2 se não ganhar o 1o.100 99

RESPOSTAS
1)

70
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de Probabilidades

2)

3)

4)

5)

6)

7) de chance de ser plantada.

Logo:

71
ANÁLISE ESTATÍSTICA
Unidade 2
Cálculo de probabilidades

8)

9)

72