Você está na página 1de 23

4.

APARELHOS DE APOIO:
PROJETO E CÁLCULO

PONTES – ENC 550 Profª Dalilah Pires - UFSJ

Ref.: Pontes de Concreto Armado,Vol. 2, autor: Walter Pfeil.

Prof. Ricardo Azoubel


Deciv / EM / UFOP
4.1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS

DEFINIÇÃO
São peças de transição entre os vigamentos principais
e os pilares e os encontros

OBJETIVO
Transmitir as reações de apoio, permitindo, ao mesmo
tempo, os inevitáveis movimentos das vigas

CLASSIFICAÇÃO
1. FIXOS
2. MÓVEIS
3. ELASTOMÉRICOS
MOVIMENTOS DAS VIGAS
A. APARELHOS DE APOIO FIXOS
PERMITEM MOVIMENTOS DE ROTAÇÃO, PORÉM IMPEDEM OS DE
TRANSLAÇÃO
 TRANSMITEM ESFORÇOS
VERTICAIS E HORIZONTAIS

OBRAS DE CONCRETO: LÂMINA ESTREITA com


largura 10 a 20 cm e altura 2 cm, de concreto de alta
qualidade

O APOIO FIXO TAMBÉM PODE SER CONSTITUÍDO


POR UMA RÓTULA METÁLICA

USAVA-SE, ANTIGAMENTE, UMA LÂMINA DE CHUMBO COMO APOIO


FIXO  INVIÁVEL, LOGO ABANDONADO
APARELHOS DE APOIO FIXOS - Concreto
APARELHOS DE APOIO FIXOS – Rótula metálica
APARELHOS DE APOIO FIXOS – Rótula metálica
B. APARELHOS DE APOIO MÓVEIS
PERMITEM MOVIMENTOS Transmitem apenas esforços numa
DE ROTAÇÃO E TRANSLAÇÃO  direção normal à do movimento de
translação
TIPOS: PÊNDULOS; ROLOS;
OU POR DISPOSITIVOS DE DESLIZAMENTO EM BRONZE OU TEFLON

pêndulo de concreto armado pêndulo metálico Apoio metálico de um rolo

Apoio metálico de dois Apoio metálico de mais de


rolos, com rótula superior dois rolos, com rótula
superior
B. APARELHOS DE APOIO MÓVEIS
B. APARELHOS DE APOIO MÓVEIS
B. APARELHOS DE APOIO MÓVEIS
NOS APOIOS PENDULARES:
movimento horizontal se faz → inclinação do pêndulo → o que introduz
uma componente horizontal na reação

NOS APOIOS DE ROLOS:


movimento horizontal se faz → rolamento sobre as placas → não introduz
componente horizontal na reação

NO CASO DE DOIS ROLOS:


usar rótula superior para garantir distribuição da carga entre os rolos

NO CASO DE MAIS DE DOIS ROLOS:


mesmo com a rótula superior, a distribuição da carga fica indeterminada
APARELHOS DE APOIO FIXOS E MÓVEIS
C. APOIOS ELASTOMÉRICOS

CONSTIUÍDOS POR LÂMINAS DE MATERIAIS


ELÁSTICOS: ELASTÔMEROS DE GRANDE DURABILIDADE

O MAIS CONHECIDO DOS ELASTÔMEROS:


NEOPRENE OU BORRACHA SINTÉTICA

São os aparelhos mais utilizados na construção de Viadutos, Passarelas, Pontes


Ferroviárias e Rodoviárias e estruturas de grande porte. Esses apoios são produzidos
com Aço Carbono Estrutural e borracha sintética.
C. APOIOS ELASTOMÉRICOS

PERMITEM PEQUENOS MOVIMENTOS HORIZONTAIS:


Até cerca de 2/3 da soma das espessuras do neoprene de apoio

 PERMITEM ROTAÇÕES

QUANDO OS DESLOCAMENTOS PREVISTOS ULTRAPASSAM


A CAPACIDADE DE DEFORMAÇÃO DO NEOPRENE:
Usar camada de teflon associada ao elastômero para permitir um movimento de
translação por deslizamento
APARELHOS ELASTOMÉRICOS
4.2 APOIOS DE CONCRETO – APOIO FIXO
LÂMINAS ESTREITAS DE CONCRETO DE ALTA RESISTÊNCIA
APRESENTAM GRANDE RESISTÊNCIA AO ESMAGAMENTO DEVIDO
AO EFEITO DE CINTAMENTO PROPICIADO PELAS MASSAS DE
CONCRETO JUNTO DELAS

FORMA CIRCULAR: PEQUENAS ROTAÇÕES EM QUALQUER DIREÇÃO

ÂNGULO ADMISSÍVEL PARA AS RÓTULAS (tiras alongadas - concreto


de alta resistência):

1
αg + αq = α
2
σ co N
onde : α = 0.8 = 0.8
fck aobo fck
condição : α ≤ 15 o
TENSÕES DE COMPRESSÃO NAS RÓTULAS
DIMENSIONAMENTO DAS RÓTULAS: TENSÕES EM SERVIÇO
DA ORDEM DE 100 kgf/cm2 a 150 kgf/cm2 (10MPa a 15MPa)
Ac0

Nd γ f N
b b0 σ cd = =
A c0 A c0

Ac

Ac
σ cd ≤ fcd ≤ 3,3f cd
A c0

2A c

perímetro de A c

(Efeito de cintamento sobre a rótula)


DIMENSIONAMENTO DOS ROLOS: APOIO MÓVEL - METÁLICOS
A. Tensão de contato entre o rolo e a placa: fórmula de Hertz
R E
σ H = 0 . 591 = 0 . 591 σmE
a d
onde: R = Reação de apoio da estrutura
E = Módulo de elasticidade do aço
a = Comprimento da superfície de contato
d = Diâmetro da superfície cilíndrica

B. Tensão média diametral:


R
σm =
a d
C. TENSÕES ADMISSÍVEIS – Norma Alemã
D. NORMA AMERICANA:
1. Diâmetro até 25”:

f y − 13000 f y − 910
σm = 600 (psi) = 42 (kgf / cm 2 )
20000 1400

2. Diâmetro de 25” a 125”:

f y −13000 3000 f y − 910 334.7


σm = (psi,in) = (kgf / cm2 ,cm)
20000 d 1400 d

3. Aços usuais:

Aço MR 240 f y = 2400kgf / cm2 σ m ≅ 45kgf / cm2


Aço AR 350 f y = 3500kgf / cm2 σ m ≅ 78kgf / cm2
DIMENSIONAMENTO APOIOS ELASTOMÉRICOS
Os apoios elastoméricos podem ser constituídos por uma lâmina de neoprene
simples, ou por diversas camadas, intercaladas com chapas metálicas. Neste caso, o
apoio é fabricado de modo que se estabelece uma boa aderência entre os dois
materiais, condição necessária para o trabalho em conjunto.

Instruções francesas:

Tensão média atuante (σc) sobre a “almofada” de neoprene:

N
σc = ≤150 kgf / cm 2
a .b

Onde:
a: largura
b: comprimento
DIMENSIONAMNTO APOIOS ELASTOMÉRICOS

Tensão de cisalhamento (τc) entre o neoprene e a placa metálica:

σc σc
τ c = 1,5 = 1,5 ≤ 3G n
fator de forma a .b
2 (a + b) hn
Onde :
G n :é o módulo de cisalhamento do neoprene

Segurança contra deslizamento sob carga mínima

apoio em concreto σ c, mín = 20 kgf / cm 2 = 2MPa


apoio em aço σ c, mín = 30 kgf / cm 2 = 3MPa
DIMENSIONAMNTO APOIOS ELASTOMÉRICOS

Segurança contra deslizamento sob carga mínima

H < µ .σ c,mín .a .b

Onde :
2
µ é o coeficiente de atrito dado por : µ = 0,12 +
σ c,mín
H é o esforço transversal